sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

PILOTOS E COMISSÁRIOS DE VOO ENTRAM EM GREVE NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA (3 DE FEV)


Trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 11% para repor as perdas com a inflação.
 
Pilotos e comissários de voo de dez cidades do país afirmaram nesta sexta-feira (29) que estarão em greve a partir da próxima quarta-feira (3). A paralisação está prevista para ocorrer entre seis e oito horas da manhã, nos horários locais.
A categoria pretende fazer protestos nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, em São Paulo; Santos Dumont e Galeão, no Rio de Janeiro; além dos terminais Viracopos, em Campinas, e em Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Brasília, Salvador, Recife e Fortaleza.

Os trabalhadores reivindicam um reajuste salarial de 11% para repor as perdas com a inflação entre 2014 e 2015. A última proposta das empresas aéreas, rejeitada pelos funcionários, oferecia aumentos parcelados de 3% em fevereiro, 2% em junho e 6% em novembro.

No ano passado, a categoria chegou a iniciar uma greve, mas, durante uma audiência de conciliação no dia seguinte, patrões e funcionários entraram em acordo.


fonte/BandNews

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

GREVE DOS CONTROLADORES AÉREOS FRANCESES CANCELAM 20% DOS VOOS

As companhias aéreas com operações em França foram obrigadas a reduzir em cerca de 20% os voos programados para hoje devido a uma greve de controladores aéreos. A paralisação está a afetar particularmente as ligações domésticas e com outras cidades europeias. 
Para portuguesa TAP isso representou cancelar dois voos com destino a Paris, num total de quatro ligações, a partir de Lisboa e do Porto. Os passageiros foram entretanto reencaminhados para voos de outras companhias. 

Como companhia local, a Air France é a transportadora mais afetada, mas já disse que irá garantir “a quase totalidade” dos voos intercontinentais de longo curso, segundo declarações de um porta-voz da companhia aérea a agência Efe. A mesma fonte acrescentou que serão também asseguradas 80% das ligações de curta e média distância, o que significa as ligações europeias e domésticas.

À semelhança do que aconteceu em greves anteriores, e com vista a minimizar o impacto da greve nas operações das companhias aéreas, a Direção Geral de Aviação Civil francesa pediu, às companhias aéreas que reduzissem o volume de voos para hoje em 20%.

fonte/sapo.pt

domingo, 24 de janeiro de 2016

PEÇA ACHADA NO MAR GERA ESPECULAÇÕES SOBRE AVIÃO DESAPARECIDO DA MALAYSIA

Uma peça que poderia ser de destroços de um avião foi encontrada na costa sul da Tailândia no sábado (23), segundo uma autoridade local, motivando especulações de que poderia pertencer ao voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu quase dois anos atrás. 

Um grande pedaço de metal curvado apareceu na província de Nakhon Si Thammarat, onde aldeões reportaram-no às autoridades para ajudar a identificá-lo, disse Tanyapat Patthikongpan, chefe do distrito de Pak Phanang, à Reuters. 

"Os aldeões encontraram os destroços, que medem aproximadamente dois metros de largura e três de extensão", disse.
A descoberta alimentou a especulação na imprensa tailandesa de que a peça poderia pertencer ao MH370, que desapareceu com 239 pessoas durante um voo de Kuala Lumpur para Pequim, em março de 2014. 

Não houve confirmação oficial de que a peça pertence ao avião. E Patthikongpan acrescentou que "pescadores disseram que (a peça) poderia estar no fundo do mar por no máximo um ano, julgando pelos percevejos que estão neles". 

Investigadores acreditam que alguém pode ter deliberadamente trocado o transponder do MH370 antes de enviá-lo a milhares de quilômetros longe da sua rota. A maioria dos passageiros era chinesa. Pequim disse que está acompanhando o desenvolvimento de perto. 

Um pedaço do avião apareceu na ilha francesa de Reunion, em julho de 2015, mas nenhuma outra pista foi encontrada. A incerteza sobre o destino da aeronave tormenta as famílias dos que estavam a bordo. Alguns disseram que a descoberta de detritos não resolveria o mistério.

fonte/Reuters/FSP

NENHUMA BOMBA É ENCONTRADA EM AVIÃO DA TURKISH AIRLINES

O voo da Turkish Airlines que partiu de Houston, no Texas, e que foi desviado para Shannon, na Irlanda, neste domingo (24) não tinha nenhum artefato explosivo a bordo e deverá decolar para Istambul em breve, disse um porta-voz da companhia aérea.

O avião, que seguia para a maior cidade da Turquia, foi desviado depois que um pedaço de papel escrito com a palavra "bomba" foi descoberto no banheiro, disse o porta-voz.

Antes de pousar na Irlanda, os pilotos esvaziaram grande parte dos tanques de combustível sobre o mar para garantir a segurança da aterrissagem. Diversas ambulâncias e caminhões do Corpo de Bombeiros foram enviados ao aeroporto, e a Guarda Costeira irlandesa foi colocada em alerta.

Um porta-voz do aeroporto disse que o Boeing 777 pousou sem incidentes e que todos os 209 passageiros e a tripulação desembarcaram em segurança.

fonte/G1

sábado, 23 de janeiro de 2016

BOEING MARCOU PARA SEXTA-FEIRA, DIA 29, PRIMEIRO VOO DO 737 MAX 8

737MAX; 737MAX-8; 737MAX Rollout; Renton Factory; View of Full Left side; LEAP Engine; Evening; K66476-4; _JRA1083; 2015-12-08

A Boeing anunciou nesta sexta-feira, 22 de janeiro, que está marcado para o dia 29 deste mês, também uma sexta-feira, o voo inaugural do novo Boeing 737 MAX-8, a mais recente versão da aeronave comercial para transporte de passageiros e carga mais vendida da história da aviação mundial.

Desde há algum tempo que se aguardava o anúncio da Boeing, depois do discreto ‘roll-out’ da primeira aeronave, no passado dia 8 de dezembro de 2015, cujo envolvimento nada teve a ver com os eventos organizados para a apresentação e lançamento de outros novos aviões da construtora norte-americana.

Ao contrário do lançamento do Dreamliner, em 2007, que contou com 15.000 convidados, transmissão de vídeo para 40 países, uma banda a tocar ao vivo e Tom Brokaw como mestre de cerimónia, o novo Boeing 737 MAX 8 foi acolhido por algumas centenas de empregados da linha de montagem em Renton e uma mão cheia de clientes que contribuíram para colocar ordens de compra para cerca de 3.000 aviões antes da primeira entrega, prevista para o terceiro trimestre de 2017, à Southwest Airlines.

A comunicação da Boeing alertando para o primeiro voo de sexta-feira, dia 29 de janeiro, chegou através da conta no Twitter, e traz uma mensagem importante, pois não há a certeza de que as tempestades que neste fim-de-semana assolam os EUA possam estar completamente dissipadas no próximo. Por isso, avisa a Boeing, “caso as condições climatéricas permitam”. A comunidade aeronáutica mundial estará certamente a acompanhar as notícias e também mais esse momento alto da vida da maior construtora aero-espacial do mundo.

fonte/foto/NewsAvia

ALITALIA ADMITE PILOTOS QUALIFICADOS PARA EMBRAER 170

A companhia italiana está a admitir pilotos (primeiros oficiais) certificados em aviões Embraer 170 para a sua companhia regional Alitalia Cityliner.

Os pilotos que se candidatarem aceitam ser colocados nas bases de Roma e de Milão da companhia e irão trabalhar com um contrato a termo fixo válido por 12 meses.

Os candidatos deverão ser cidadãos europeus e ter passaporte da União Europeia, saber falar e escrever em italiano e em inglês (nível 4 da ICAO), além de serem obrigados a apresentar outros documentos de acordo com as exigências do concurso, que está aberto até ao próximo dia 25 de janeiro.

A candidatura deve ser feita através deste LINK ou entrando na página ‘Careers’ da companhia aérea italiana, onde os interessados encontram todas as condições exigidas.

fonte/NewsAvia

BRIGADA MILITAR ESTRÉIA HELICÓPTERO KOALA EM PORTO ALEGRE


BM estreia helicóptero e combate ataques a ônibus em Porto Alegre Sargento Juarez/BM/Divulgação
Foto: Sargento Juarez/BM / Divulgação
 
A Brigada Militar deu início na noite desta sexta-feira à operação Transporte Seguro, utilizando pela primeira vez o helicóptero Koala. Foram fiscalizados ônibus, lotações e táxis para reprimir ocorrências no transporte público. As ações com a aeronave serão semanais, segundo a polícia.

O helicóptero, que será utilizado pela Segurança Pública, Defesa Civil e Secretaria da Saúde, é considerado o mais moderno do mercado. De acordo com o comandante-geral da BM, coronel Alfeu Freitas Moreira, o uso vai potencializar o trabalho de polícia ostensiva com foco em bairros com maior índice de criminalidade.
— Estamos trabalhando a partir de informações obtidas a partir do programa de gestão operacional que vem sendo utilizado pela corporação no combate à criminalidade — afirmou.

Segundo a secretaria, o helicóptero capta imagens em alta resolução, ajusta luminosidade para monitoramento noturno e atua com sensor infravermelho. Há uma parte fixa e uma móvel, que pode ser transposta conforme a necessidade. Tanto tripulantes do helicóptero quanto integrantes das polícias em terra terão acesso às imagens em tempo real.

A aeronave fica no hangar do Batalhão de Aviação (BAV) da Brigada Militar, no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. O Comandante do BAV, tenente-coronel Márcio Roberto Galdino, destaca que o Coala é um equipamento de última geração e grande avanço na segurança pública.
— Podemos acompanhar uma ocorrência, monitorar multidões, fazer escoltas de transferências de presos, fazer buscas e salvamento, apoio a perseguições, entre outras ações — destacou o tenente-coronel Galdino.

A estreia do Koala assustou moradores dos bairros Centro, Bom Fim, Bela Vista, Menino Deus e de outras regiões da cidade, que reclamaram da baixa altitude de voo e da luz forte utilizada pela aeronave. 

fonte/foto/ZeroHora

O AVIÃO SUMIU....NEVASCA NOS EUA





foto/Twitter

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

AMEAÇA DE BOMBA NUM AVIÃO PARALISA AEROPORTO NA SUÉCIA


Uma ameaça de bomba num avião da companhia aérea SAS paralisou, esta sexta-feira, durante uma hora, o
O avião, que fazia a ligação entre Londres e Estocolmo com 72 passageiros a bordo, aterrou em Landvetter (nos arredores de Gotemburgo) pouco antes das 09.00 horas após receber uma ameaça de bomba durante o voo, informou a polícia local.
Após a retirada dos passageiros e da tripulação, o avião foi levado para uma zona afastada onde será examinado por especialistas.

A empresa pública que gere a maior parte dos aeroportos suecos, Swedavia, informou uma hora depois da aterragem do avião que tinham sido retomados os voos a partir de Landvetter, o segundo maior do país.

fonte/JN.pt

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

1º BOEING 727 PRODUZIDO VOLTA À VIDA APÓS 25 ANOS E VOARÁ EM FEVEREIRO


Boeing 727-100 N7001U no hangar do Museum Of Flight (Foto: Divulgação)Boeing 727-100 N7001U no hangar do Museum Of Flight (Foto: Divulgação)
O blog Aviões em Foco trouxe essa história em agosto de 2015 e agora há novidades. O primeiro Boeing 727 produzido e que está parado desde 1991 vai voar novamente, e pela última vez, no início de fevereiro.

Na última terça-feira (19), a aeronave voltou à vida. Com o auxílio de uma unidade de energia externa, os sistemas do N7001U foram acionados e as luzes do cockpit (cabine de comando) ligadas. Um deleite para os fanáticos por aviação.

O 727-100 voou pela primeira vez 9 de fevereiro de 1963 e pertenceu à United Airlines entre 1964 e 1991. Foram 48.060 pousos e decolagens, com 64.495 horas no total. Depois da vida na companhia aérea, foi doado para o Museu do Voo (Museum Of Flight), nos Estados Unidos.

A aeronave ficou encostada por um bom tempo, quando, em 2004, um grupo decidiu iniciar a restauração, usando partes de outros 727s, de companhias diversas, como FedEx e American Airlines. Um trabalho minucioso e quase artesanal.

Em 13 de janeiro, o N7001U foi levado a um hangar do museu do aeroporto Paine Field, em Everett, para os últimos ajustes e testes antes do último voo, quando será transportado para o Boeing Field, em Seattle, onde será colocado no museu da fabricante. A expectativa é que isso aconteça na primeira semana de fevereiro.

Cockpit do Boeing 727 N7001U ligado depois de 25 anos (Foto: Divulgação)Cockpit do Boeing 727 N7001U ligado depois de 25 anos (Foto: Divulgação)
fonte/foto/GazetaDoPovo

OBRAS DO AEROVALE EM CAÇAPAVA SERÃO RETOMADAS E GRUPO JÁ PROJETA CONTRATAÇÕES

A Justiça extinguiu a ação movida pelo Ministério Público para paralisar as obras do Aerovale, aeroporto privado que está sendo construído em Caçapava. A retomada da obra, paralisada em dezembro de 2014, só foi possível após acordo entre a Penido Construtora e Pavimentadora, responsável pelo empreendimento, a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), o Ministério Público, além de uma associação de proteção dos animais.

Com o acordo definido, a juíza Ana Leticia Oliveira dos Santos, da 1ª Vara Cível de Caçapava, homologou a extinção do processo por dano ambiental. A decisão viabiliza a retomada da construção do aeroporto, que está com 69% das obras concluídas. O prazo de entrega é dezembro de 2017.

O empresário Rogério Penido, empreendedor e CEO do Aerovale, afirmou ontem que está refazendo o planejamento da obra e que pretende ampliar o número de operários no local. “Já estamos com uma equipe lá. Temos 37 operários. Depois de refazer o planejamento, esperamos contratar mais”, afirmou.

Estrutura. De acordo com Penido, embora o canteiro de obras tenha ficado parado por um ano as estruturas não foram deterioradas. Isso porque uma equipe fez manutenção da área no período.

“Temos voltado a conversar com as empresas e a conversar com todos os empresários para poder viabilizar o empreendimento.”

O Ministério Público foi até a Justiça, no início de 2015, para pedir a demolição de todos os lotes e ruas erguidos em áreas de preservação permanente e úmidas no local.
Na ação, os promotores alegavam que a obra havia sido feita em solo alagadiço e sujeito a inundações.

A Promotoria apontava ainda a falta de análise do impacto ambiental da obra para os moradores do entorno.  Além disso, alegava que a Aerovale não possuía alguns dos licenciamentos ambientais necessários para o empreendimento.

Impasse. Os responsáveis pelo Aerovale, no entanto, sustentavam que os licenciamentos tinham sido expedidos. Os promotores argumentam ainda que não teria havido uma análise sobre eventuais transtornos nos arredores. “Houve ausência de verificação de impacto ambiental na vizinhança, a construção de travessia em curso d’água e supressão de vegetação de cerrado sem o devido licenciamento ambiental, que causam danos”, dizia a ação.

fonte/OVale

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

PLANADOR CAI EM PÁTIO DE CASA E DEIXA TRÊS FERIDOS EM OSÓRIO, RIO GRANDE DO SUL


Planador cai em pátio de casa e deixa três feridos em Osório  Adriana Franciosi/Agencia RBS







Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS
Minutos depois de decolar de um aeroclube, um planador atingiu o telhado de uma casa, derrubou um muro e caiu no terreno de outra residência, em Osório, na manhã desta quarta-feira. O acidente feriu os dois homens que pilotavam a aeronave e provocou um susto na vizinhança do bairro Albatroz. 

Socorridos pelo Corpo de Bombeiros, o instrutor Rafael Valadão Bock e o aluno Thyago Rodrigues Souza receberam atendimento médico no Hospital São Vicente de Paulo. A instituição ainda não divulgou o estado de saúde das vítimas. Em solo, uma moradora sofreu escoriações na cabeça. 

Quem estava próximo ao local do acidente relatou ter ouvido um forte estrondo e, na sequência, ter visto uma nuvem de fumaça levantar do solo. No início da tarde, peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) estiveram no local. Ainda não se sabe o que causou a queda.
— Escapei de morrer. Por pouco, não caiu sobre a cama onde estava deitada — contou a aposentada Albertina Luiza Marques, 91 anos. 

Albertina estava em casa na companhia de Maria da Graça Luiza Marques, 62 anos, sua filha,e de Adrya Marques Horn, sete anos, neta da aposentada, no segundo piso da casa atingida pela asa da aeronave. Parte das telhas de concreto e do forro foi abaixo e atingiu Maria da Graça — ela teve cortes na cabeça, mas passa bem. 

A dupla havia decolado às 10h do Aeroclube Albatroz, distante a poucas quadras do local da queda. Esse seria o segundo voo do instrutor e do aluno na manhã de quarta-feira. Considerado experiente pelos colegas, Bock também trabalha como piloto comercial. Souza havia começado o curso há cerca de quatro meses. 
— O que conseguimos identificar, pela experiência que temos, é que foi um ato histórico dos dois. Eles conseguiram fazer uma manobra para desviar de uma casa. O mesmo impacto que o planador causou no muro, ele causaria sobre a casa — apontou Leandro Carvalho, também instrutor de voo no Aeroclube Albatroz. 


Imagem divulgada pela Brigada Militar mostra a área atingida pela queda da aeronave Foto: Brigada Militar / Divulgação
Moradores das redondezas compartilhavam da mesma sensação do instrutor: o estrago poderia ter sido bem maior, já que o planador caiu em uma área de poucos metros cercada por três casas. O desempregado Fernando dos Santos Soares, 37 anos, avistou o acidente — segundo ele, um cabo se desprendeu da aeronave. 
 — Nunca tinha visto nada igual — resumiu outro vizinho, o zelador José Severino da Silva, 41 anos, que lia em casa no momento em que ouviu o estrondo. 

A aeronave, batizada de Nhapecan II, pertence ao clube e costuma ser usada para cursos de piloto.

fonte/foto/Zero Hora/AdrianaFranciosi

AVIÃO AGRÍCOLA CAI SOBRE KOMBI E CAUSA 5 MORTES NO DISTRITO DE WARTA, EM LONDRINA - atualizado 19:20

Anderson Coelho/Grupo Folha


Um avião agrícola sofreu uma pane ao decolar do aeroporto 14 Bis, no distrito da Warta, na região norte de Londrina, por volta das 17h desta quarta-feira (20). Ao tentar retornar à pista, a aeronave acabou perdendo altitude e colidindo contra uma Kombi que passava pela rodovia Carlos João Strass (PR-545). Cinco pessoas morreram e quatro ficaram feridas. O piloto sofreu ferimentos moderados e queimaduras.

Com o impacto, o avião explodiu. As chamas se alastraram e também atingiram o veículo, que transportava trabalhadores que executavam um serviço de capina às margens da estrada. A Kombi trafegava no sentido Warta-Londrina.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, três dos cinco mortos foram identificados: Cléverson Henrique Pereira, de 37 anos; Renan Florêncio Fagundes, de 19; e Flávio Tosi, de 43. Os outros dois ainda não tiveram seu nome divulgado. Todos os corpos foram encaminhados ao IML de Londrina.

Entre os feridos estão o piloto do avião, Bruno Nobre Costa, de 29, que foi encaminhado por funcionários do aeroporto ao Hospital da Zona Norte (HZN); Luís Carlos Silva, de 28, levado à Santa Casa; Alex Carlos de Brito, de 35, conduzido ao HU; e o condutor da Kombi, Diógenes Gomes Fagundes, de 44 - cujo hospital ainda não foi informado.

A princípio, o quadro do piloto é o menos grave. Mesmo com as contusões e queimaduras sofridas após a explosão, ele ainda conseguiu ir ao aeroporto para pedir ajuda.

Diversas viaturas dos bombeiros, do Samu e da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) estão no local. A rodovia ficou completamente interditada por aproximadamente uma hora. Depois, foi parcialmente liberada.

A aeronave é da empresa Viagro Vidotti Agro Aérea e se dirigia ao interior de São Paulo para pulverizar uma plantação. 
fonte/foto/bonde.com
Avião caiu por volta das 17h, próximo a Londrina (Foto: Sandoval Peron/Arquivo pessoal)Avião caiu por volta das 17h, próximo a Londrina (Foto: Sandoval Peron/Arquivo pessoal)
Um avião agrícola caiu sobre uma Kombi com vários passageiros por volta das 17h desta quarta-feira (20) na rodovia Carlos João Strass, no distrito de Warta, em Londrina, norte do Paraná, e deixou pelo menos cinco mortos, segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

A princípio, três pessoas ficaram gravemente feridas e outras duas tiveram ferimentos moderados, ainda segundo a polícia. Elas foram levadas para os hospitais Evangélico, Universitário e Santa Casa, em Londrina.

O avião decolou do aeroporto 14 Bis, perdeu altura, e acabou atingido o veículo que trafegava pela rodovia, segundo testemunhas. A Kombi transportava trabalhadores que faziam a capinagem dos canteiros da estrada.

A aeronave pertence à empresa Viagro Vidotti, especializada na pulverização de plantações. A empresa, por ora, não quis se pronunciar sobre o acidente.

Equipes do Corpo de Bombeiros e PRE permaneciam no local prestando socorro às vítimas por volta das 18h50. A rodovia foi interditada e não tem hora para ser liberada.

fonte/foto/G1

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

JUSTIÇA EXTINGUE AÇÃO CONTRA AEROVALE, POR DANO AMBIENTAL


20140218_aerovale_aeroporto
Obra que estava paralisada desde março de 2015 pode ser retomada
FOTO/Divulgação

A Justiça extinguiu o processo contra o Aerovale, aeroporto privado e centro empresarial aeroespacial, que está em construção em Caçapava, por supostos danos ambientais. Com a decisão, as obras do empreendimento de R$ 250 milhões podem ser retomadas.

Em março do ano passado, a Justiça determinou que as obras da Aerovale fossem paralisadas, devido a uma ação civil pública do MP que apontou construções feitas em APP (Áreas de Preservação Permanente).

Em dezembro passado, o Aerovale e a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), que também foi citada na ação, assinaram um TAC (Termo de Ajuste de Conduta), colocando fim ao embargo das obras. A decisão da Justiça aconteceu no dia 14 de dezembro do ano passado, mas foi publicada no Diário Oficial esta semana.

Segundo Rogério Penido, da Penido Construtora e Incorporadora, responsável pelo Aerovale, as obras já foram retomadas. "De uma forma mais lenta devido às chuvas, mas já estamos com uma equipe no local", diz.
"Agora estamos reorganizando toda a parte financeira e comercial e o cronograma de obras, para voltarmos ao ritmo normal", afirma Penido, que prefere não dar um prazo exato de quando o empreendimento será entregue. Em março, a previsão era que o Aerovale fosse inaugurado em dezembro passado.
"Como o processo demorou quase um ano, nós passamos a ter até dezembro de 2017 para terminar a obra. A ideia é entregar o mais rápido possível, até em dezembro deste ano mas, a princípio, não posso dizer quando terminaremos. Em breve, espero dar uma previsão correta", conta Penido.

Apesar de ter o andamento do empreendimento prejudicado, o empresário vê com naturalidade o processo judicial. "É um processo normal do MP. Até que analise tudo, demora mesmo, até pela grandeza da obra. Ficamos muito debilitados com tudo isso, imagina ficar um ano parado, com despesas e o mercado retraído, mas esperamos adotar o ritmo normal o mais breve possível", afirma Penido. 

Recuperação judicial
Em abril do ano passado, a Penido Construtora havia pedido recuperação judicial de seus empreendimentos, incluindo a obra do Aerovale. O grupo Penido solicitou ao TJ-SP (Tribunal de Justiça) de São Paulo ajuda para que as dívidas - que chegam a mais de R$ 35 milhões - sejam quitadas, por meio de um plano de recuperação.

De acordo com Penido, o reinício das obras do Aerovale deverá ajudar na recuperação judicial. "Naquela época foi apresentado e aprovado o plano, mas ainda não foi homologado, o que deve acontecer em breve. Imagina fazer tudo isso com a obra embargada? Agora, com a obra desembargada vai ficar muito mais fácil, inclusive, para retomar as negociações financeiras. A recuperação continua, só que agora temos um horizonte", afirma.

O empreendimento
O Aerovale fica às margens da rodovia Carvalho Pinto (SP-70), no bairro Germana. O aeroporto ocupa uma área de 2,25 milhões de metros quadrados, com previsão de receber R$ 250 milhões em investimentos.

O empreendimento prevê a venda de 117 lotes aeronáuticos, para construções de hangares, e de 188 áreas para condomínios industriais. A venda desses terrenos fará com que o projeto atinja um VGV (Valor Geral de Venda) de R$ 1 bilhão. 

Além dos lotes industriais e aeronáuticos, o empreendimento também terá dois hotéis, um centro de convenções, torres comerciais, outlet e quadras poliesportivas para locação. 
O aeródromo já foi aprovado pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e poderá operar voos executivos. Em fevereiro do ano passado, também recebeu autorização para a exploração comercial, como aeroporto público.
"Nossa região precisa de um cluster aeroespacial dentro de um ambiente aeronáutico e o único local que pode verdadeiramente montar esse cluster é o Aerovale", conclui Penido.

fonte/foto/meon.com.br

CANSAÇO DO PILOTO INFLUIU EM MORTE DE CAMPOS, DIZ FAB

O cansaço de Marcos Martins, piloto do avião que caiu em Santos (SP), em 13 de agosto de 2014, matando o então candidato do PSB e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e outras seis pessoas, foi um dos fatores contribuintes para o desastre, que teve uma sequência de falhas humanas, conforme antecipou o Estado.

O relatório com o resultado das investigações realizadas nos últimos 17 meses pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) será apresentado hoje aos familiares de todos que estavam no voo e, em seguida, para a imprensa.

Além do uso de "atalho" para acelerar o procedimento de descida na Base Aérea de Santos, outro problema detectado durante os trabalhos foi a falta de treinamento do piloto, específico para aquela aeronave, um Cessna 560 XL, que levou à Aeronáutica, inclusive, a emitir uma recomendação de segurança à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), três meses depois do acidente.

Durante as investigações foi detectado que a relação entre piloto e copiloto não era boa. 

Os dois tinham um histórico de atritos e o copiloto, Geraldo Magela Barbosa, teria pedido para não mais voar com Martins. 

O cansaço do piloto foi identificado pelo tom de voz de Martins no voo. Poucos dias antes do acidente, o próprio Martins já havia relatado, em redes sociais, que estava "cansadaço".

Todo o perfil psicológico, pessoal e profissional dos dois pilotos foi levantado pela equipe que investigou as causas que levaram ao acidente. 

O quadro psicológico do copiloto foi amplamente analisado. 

O Cessna 560 XL saiu do aeroporto Santos Dumont, no Rio, rumo à Base Aérea de Santos, no Guarujá, em São Paulo.

fonte/Estado/MSN

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

FALHAS DO PILOTO RESULTARAM EM ACIDENTE QUE MATOU FERNANDÃO, APONTA RELATÓRIO


Falhas do piloto resultaram em acidente que matou Fernandão, aponta relatório Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás/Divulgação
 
Cinco pessoas estavam no helicóptero Foto: Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás / Divulgação
 
Uma série de imprudências resultou no acidente aéreo que ceifou a vida de Fernandão, aos 36 anos. O relatório da tragédia, elaborado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Aeronáutica, indicou uma sucessão de pequenos erros do piloto Milton Ananias e afastou a possibilidade de falha mecânica no helicóptero em que viajava o ídolo colorado.

Fernandão e mais quatro pessoas, entre elas o aviador, morreram no acidente ocorrido na madrugada de 7 de junho de 2014, em Aruanã (GO). O ex-jogador e amigos pescavam e jogavam cartas em um acampamento em uma ilhota no meio do Rio Araguaia – no período de secas da região, formam-se pequenas praias ao longo do rio. O voo fatal, às 1h27min, levaria o grupo ao centro de de Aruanã. Depois, Fernandão pretendia retornar para sua casa em Goiânia.

Zero Hora teve acesso ao relatório de Cenipa, concluído em setembro. Conforme a investigação realizada pela Aeronáutica, o voo não poderia ter ocorrido. O piloto estava com o Certificado de Aeronavegabilidade em dia, porém não possuía habilitação de voo por instrumentos e a aeronave, um Esquilo AS 350BA, não era homologada para esse tipo de operação. Os dois avais eram indicados para realizar o voo a partir de um banco de areia no meio do rio, local ermo e sem iluminação, que também não era homologado ou registrado.

O relatório descreve que as condições meteorológicas eram favoráveis e o vento calmo. O documento descartou falhas no motor durante a decolagem e não identificou anormalidades nos comandos de voo e no sistema hidráulico da aeronave, que pertencia à Planalto Indústria Mecânica, empresa do ex-jogador e de seu sócio, Alberto Nunes.

O Esquilo caiu 430 metros após o ponto da decolagem, ao lado do acampamento. Na escuridão da madrugada, o helicóptero subiu na vertical até 10 metros de altura, fez um giro de cauda à direita, deslocou-se na horizontal a 30 metros de altura e tombou, chocando-se direto com o solo, sem bater em nada no ar. O Cenipa entendeu que, possivelmente, a ausência de referências visuais no setor de decolagem ocasionou a desorientação do piloto, levando-o a atuar nos comandos de voo de forma inadequada, ultrapassando os 30° de inclinação a cerca de 30m do solo.

O relatório destaca que Ananias não cumpriu o período indicado para adaptar sua visão à escuridão. A investigação também afirma que a aceleração do Esquilo durante a decolagem ¿pode ter criado no piloto uma forte sensação de que o nariz da aeronave movia-se para cima de forma excessiva, quando, de fato, isso não estava acontecendo¿. O sentimento errôneo teria feito com que Ananias levasse o bico da aeronave para baixo, ocasionando a queda.
— Ocorreu uma sucessão de pequenos equívocos. O piloto foi vítima de desorientação espacial, quando não há noção do horizonte. Antes de decolar, ele saiu de local iluminado e foi para um local escuro, o que potencializa a desorientação. Houve uma falha de procedimento. Não foi falha de pilotagem — avalia o tenente-brigadeiro José Carlos Pereira, ex-comandante de Operações Aéreas da Aeronáutica.

Cláudio Roberto Scherer, comandante aposentado da Varig e instrutor do curso de Ciências Aeronáuticas da PUCRS, entende que o relatório do Cenipa aponta para falha humana. Contudo, Scherer destaca que outras variáveis devem ser levadas em conta na conduta de Ananias.
– O piloto profissional tem o dever de dizer não, de alertar que o voo naquela situação era perigoso. Por vezes, a pessoa não se acha com autoridade suficiente para dizer não, pois acha que corre o risco de perder o emprego – avalia o professor.

Em um trecho o relatório indica que ¿é possível que o piloto não tenha negado a realização do voo noturno ao seu patrão, ainda que estivesse fora da regulamentação, motivado pela intenção de manter seu emprego e o vínculo com a atividade aérea.

A investigação não conseguiu determinar se contribuiu para tragédia a fadiga de Ananias. Coronel reformada da PM de Goiás e experiente aviador, Ananias apresentou-se para o trabalho por volta de 10h20min de 6 de junho e decolou meia hora depois. Pousou em uma residência em Aruanã, às 13h44min, descansou das 14h às 19h.

Entre 19h26min e 19h36min, realizou o deslocamento até o acampamento no Rio Araguaia, onde ficou por mais de cinco horas - exames toxicológicos indicaram que não houve consumo de álcool ou estimulantes. O acidente ocorreu à 1h27min do dia 7, 1h37min após o horário em que a jornada deveria ter sido finalizada (23h50min).

Zero Hora tentou contato com Alberto Nunes, sócio da empresa Planalto, proprietária da aeronave, porém ele não foi localizado. O acidente com o ídolo colorado também foi investigado pela Polícia Civil de Goiás, que concluiu o inquérito sem apontar culpados pelo acidente. Segundo a Assessoria de Comunicação do órgão, o caso está com o Ministério Público, que poderá decidir pela continuidade das apurações a partir do relatório do Cenipa.

fonte/foto/ZeroHora

VINCE REFFET & FRIENDS - RED BULL - SHOW


INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA DO AMAZONAS


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

A NOVA TAP É UMA REALIDADE


HELICÓPTEROS MILITARES COLIDEM NO HAVAÍ

Dois helicópteros militares (USMC) colidiram no norte do Havaí na noite de quinta-feira (14), de acordo com a Guarda costeira dos Estados Unidos. Doze pessoas estavam a bordo das aeronaves no momento do acidente, que aconteceu na ilha de Oahu, segundo a rede americana CNN.

Testemunhas disseram ter visto um incêndio e além dos destroços a mais de 3 km de Haleiwa Beach. Um bote salva-vidas vazio também foi visto na região, segundo a CNN.

Segundo a imprensa americana, dois helicópteros se envolveram no acidentes- cada um com seis pessoas. Equipes de resgate buscam sobreviventes.

fonte/G1

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

PASSAGEIRO RELATA MOMENTO EM QUE AVIÃO A CAMINHO DE GOIÂNIA QUASE COLIDE COM OUTRO EM PLENO VOO


 
Imagine que você está voando de volta para casa depois de uma longa viagem a trabalho. Acostumado à rotina entre aeroportos, o medo de um acidente aéreo já não é mais uma de suas maiores preocupações e você pode relaxar enquanto pensa na família e nos afazeres dos próximos dias. No entanto, o sossego acaba quando, sem qualquer tipo de aviso, o avião começa a mergulhar em direção ao chão, deixando a todos com a certeza da morte iminente.

Situação apavorante, não? Pois foi essa a experiência vivida nesta segunda-feira (11/1) pelo ortodontista Jonatas Alves Cavalcante, quando voltava de São Paulo para Goiânia no voo JJ3466 da TAM. Ele e os demais passageiros escaparam por pouco de uma colisão de aeronaves.

Segundo Jonatas, toda a situação durou poucos segundos, mas para quem estava presente a sensação foi de que horas se passaram antes que o avião se estabilizasse. “Tínhamos decolado fazia cerca de 20 minutos e os comissários tinham começado a servir bebidas quando isso tudo aconteceu”, relata ele. “Na hora, um dos comissários caiu para trás derramando o café que estava segurando e as portas dos compartimentos de malas abriram, derrubando duas delas. Por sorte não caíram na cabeça de ninguém.”

Enquanto isso, cada passageiro lidava com a situação de seu jeito. “Alguns começaram a gritar e a chorar, e outros, como eu, ficaram estáticos, sem reação”, disse. Em seguida, eles receberam atenção dos comissários, que tentavam acalmar os passageiros.

Quando a situação se normalizou, veio a explicação do comandante, que não trouxe muito conforto para os presentes. “Ele pediu desculpas, disse que outro avião apareceu de repente em nossa direção e que teve que fazer uma manobra de emergência. Por pouco não houve uma colisão. O pior foi ele afirmar que já tinha avisado a torre para verificar se era ele ou o outro piloto que estava fora da rota”, pontuou Jonatas. Com anos de experiência em aviões, ele declara nunca ter passado por uma experiência como essa.

Para esclarecer como uma situação desse tipo pode acontecer, mesmo com critérios rígidos de controle de voo, o Mais Goiás procurou a TAM para comentar o caso. Por meio de nota, a assessoria de imprensa da empresa limitou-se a dizer que “a manobra preventiva realizada durante o voo JJ3466 (São Paulo/Guarulhos – Goiânia) de ontem (11) ocorreu dentro dos mais elevados padrões de segurança”.

O texto também frisou que a aterrisagem da aeronave aconteceu normalmente, sem que ninguém tenha ficado ferido. “A companhia esclarece que a segurança é um valor imprescindível para a TAM e que atende rigorosamente aos regulamentos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)”, completa a nota.

A Força Aérea Brasileira (FAB) também foi contatada para comentar o ocorrido. A assessoria de imprensa da entidade se comprometeu a encaminhar uma nota na manhã desta quarta-feira (13/01). Atualizaremos esta matéria assim que recebermos o posicionamento.

fonte/fonte/EMaisGoias

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

PASSAGEIRA DESCREVE MOMENTO DE PÂNICO APÓS DESCIDA ABRUPTA DE AERONAVE DA AZUL

Um carro descendo em alta velocidade uma lomba esburacada. Assim é descrito pela porto-alegrense Lênia Moraes o momento de pânico vivido a bordo de um voo da Azul Linhas Aéreas na última segunda-feira. A servidora da Justiça Federal decolou do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 20h30min, mas, segundo ela, a tranquilidade da viagem a Porto Alegre não durou nem 15 minutos. 

Ao lado da filha de quatro anos, ela olhava, coincidentemente, o mapa de voo e, por isso, diz ter a noção exata da queda abrupta pela qual passou a aeronave. Lênia conta que o avião estava a 7 mil metros de altura e a uma velocidade aproximada de 700 km/h, quando houve uma perda de sustentação que fez alguns passageiros entrarem em desespero. O avião teria descido em poucos minutos 4 mil metros.
— Foi uma queda muito rápida. Só não posso dizer que parecia uma montanha-russa por causa dos solavancos. O avião parecia corcovear. Foi terrível. Todas as luzes começaram a piscar e uma sirene intermitente igual a um alarme de carro tocava enquanto o avião descia — relata.

Enquanto a filha perguntava o que estava acontecendo, ela tentava manter a calma para não assustar a menina. Aos 46 anos e com algumas viagens entre São Paulo e Porto Alegre na bagagem, diz nunca ter passado por algo parecido.
— As comissárias estavam servindo as bebidas. Isso mostra que era algo que eles não esperavam. Quando começou o problema, elas correram para suas cadeiras. Depois que terminou, algumas delas estavam com os olhos cheios de lágrimas. E eu só queria descer.

Lênia não sabe explicar quanto tempo durou o problema, mas lembra que, passado o susto inicial, o piloto informou que houve um "problema técnico" e que estava avaliando pousar em Curitiba, no Paraná. Pouco tempo depois, voltou a se comunicar com os passageiros informando que o voo seguiria até Porto Alegre.
— Turbulência a gente entende, é da natureza. Mas problema técnico, não. Não sei até agora o que aconteceu naquele voo. Ninguém explicou nada depois que pousamos.

Após a estabilização, a temperatura no avião estava muito alta, diz Lênia. Tanto que a filha dela, conforme seu relato, chegou a Porto Alegre encharcada de suor. A porto-alegrense diz ainda que o piloto falou sobre o ar-condicionado, ao pedir desculpas pela temperatura elevada e explicar que não teria como manter a aeronave em uma temperatura agradável. 
— Fiquei acompanhando o mapa de voo. O avião, que normalmente se mantém a 800 km/h, não passou de 500 km/h após o incidente. Em vez de voar a 7 mil metros de altura, se manteve em 3,1 mil metros até o Salgado Filho. Foram mais de duas horas de pavor — diz.

A reportagem entrou em contato com a Azul para que a empresa explicasse o ocorrido, mas até as 20h30min desta terça-feira não obteve resposta.  

fonte/ZeroHora

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

ENCONTRADO CORPO DE UM HOMEM EM AVIÃO DA AIR FRANCE


©
O cadáver foi encontrado dentro de um Boeing 777, que chegou em Paris no sábado (9), pelas equipes do aeroporto de Orly, onde é realizada parte da manutenção das aeronaves da companhia aérea francesa. O corpo ficou no trem de pouso durante dois dias antes de ser localizado.

As autoridades não informaram em qual voo exatamente o cadáver foi encontrado. A Air France tem duas rotas entre São Paulo e Paris nas sextas-feiras, que decolam em Guarulhos às 18h15 e às 21h25, e aterrissam na capital francesa no sábado. Um terceiro voo, com escala em Amsterdã, também sai de Cumbica às 21h10.

Segundo fontes aeroportuárias, o corpo foi levado para o IML para ser identificado. A investigação está sendo comandada pela polícia dos transportes aéreos. 

Falta de oxigênio e temperaturas extremas
O trajeto entre São Paulo e Paris em um voo direto dura cerca de 11 horas. No entanto, com a falta de oxigênio e as baixas temperaturas, que podem chegar a 40 graus negativos dentro do trem de pouso, é quase impossível para um ser humano sobreviver mais de uma hora no local nessas condições. Além disso, o risco de ser esmagado pelo próprio trem de pouso no momento de aterrissagem ou da decolagem, torna a situação ainda mais perigosa.

Em abril de 2014, um jovem que fugia de casa se escondeu no trem de pouso de um avião nos Estados Unidos. O rapaz sobreviveu durante as cinco horas de voo, um fato raro que, até hoje, ainda não foi completamente explicado pelos especialistas.

fonte/foto/AFP/Msn

domingo, 10 de janeiro de 2016

AVIÃO DA PASSAREDO ATINGE PLANTAÇÃO E CERCA AO TENTAR POUSAR EM RONDONÓPOLIS, MATO GROSSO




 

 

O que teria ocorrido com avião que quase pousou fora da pista em Rondonópolis?

A empresa a Passaredo Linhas Aéreas tem negado por meio de sua assessoria, que o fato ocorrido na noite de sexta-feira (08), ao lado Aeroporto Maestro Marinho Franco em Rondonópolis tenha sido um pouso forçado.

Segundo a empresa, o que ocorreu de fato com o voo que vinha de Brasília (DF), foi uma arremetida. O termo técnico é utilizado quando o piloto de uma aeronave retoma o voo, no momento em que existe um problema no procedimento de pouso.

Um instrutor de voo , que preferiu não se identificar, garantiu ao Primeira Hora, que a aeronave chegou por alguns segundos a tocar numa plantação de soja ao lado da pista e arremeteu logo em seguida, pousado em segurança na momentos depois. O avião chegou a bater numa cerca, parte da fuselagem ficou danifica.

Após os momentos de susto, todos os passageiros desembarcaram sem qualquer ferimento.

A Passaredo ainda informou que a aeronave foi avaliada neste sábado (09) pelo departamento de manutenção da empresa.

O mal tempo, segundo dois pilotos ouvidos pelo Primeira Hora é uma das hipóteses para o ocorrido.

A direção do Aeroporto Maestro Marinho Franco ainda não emitiu um nota oficial sobre o caso. 

fonte/foto/CGonline/PrimeiraHora

NOTA DA PASSAREDO (ATUALIZADO)

Durante a noite de ontem (09), em função de condições meteorológicas adversas durante o pouso do voo 2330 em Rondonópolis (MT), foi necessário efetuar uma arremetida após o toque da aeronave no solo. Após o procedimento foi realizado nova aproxiação e pouso normal. O desembarque dos passageiros ocorreu normalmente próximo ao horário previsto. A aeronave passa por inspeção de técnicos do departamento de manutenção da companhia. O pouso aconteceu às 00h23 e o voo era procedente de Brasília (DF)

sábado, 9 de janeiro de 2016

EMBRAER ENCERRA EMPRESA DE DRONES

Drone Falcão AVIBRAS 900px

A Embraer Defesa & Segurança Participações S. A. anunciou, em conjunto com a AEL Sistemas S. A. e a Avibras Divisão Aérea e Naval S .A., a sua decisão de encerrar as atividades da empresa Harpia Sistemas S. A., uma ‘joint-venture’ formada em setembro de 2011 com o objetivo de explorar o mercado de veículos aéreos não-tripulados, vulgarmente designados por drones. “A definição de dissolução da parceria se deu de forma amigável tendo em vista o atual cenário de restrição orçamentária”, refere o comunicado partilhado pela construtora aeronáutica brasileira.

“Devido ao fator estratégico do projeto para concepção de um Sistema de Aeronave Remotamente Pilotada (SARP) nacional, as empresas continuarão a desenvolver as tecnologias para atendimento futuro das demandas das Forças Armadas brasileiras e do mercado civil em um novo formato, podendo inclusive atuar em conjunto no futuro”, destaca adiante a nota de imprensa.

As empresas reconhecem que a preservação do conhecimento é fundamental para manter a capacidade tecnológica adquirida e, por isso, realocaram os profissionais da Harpia Sistemas em outros programas.
A Harpia tinha sido reconhecida oficialmente pelo Ministério da Defesa do Brasil como Empresa Estratégica de Defesa (EED). A decisão foi divulgada no Diário Oficial da União no dia 9 de outubro de 2014. Estava criada para atuar no mercado dos veículos aéreos não-tripulados, simuladores e aviónicos.

fonte/foto/NewsAvia

MÍSSIL NORTE-AMERICANO PERDIDO NA EUROPA APARECEU EM CUBA


"Este é um assunto que a Administração [norte-americana] leva muito, muito a sério. Creio que por razões mais que óbvias", afirmou o porta-voz da Casa Branca Josh Earnest, ao ser questionado sobre o assunto na conferência de imprensa diária.

Por seu lado, o porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby, limitou-se a dizer que as empresas norte-americanas são "responsáveis" por documentar os seus planos logísticos nas entregas de material militar, e por informar o Governo sobre qualquer desvio.

A informação tinha sido avançada pelo Wall Street Journal e o insólito de um míssil norte-americano acabar na posse de um Estado com o qual nem sequer tinha relações diplomáticas resultou de uma sucessão de alegados erros logísticos na Europa.

O Hellfire chegou a Cuba há 18 meses, antes portanto da aproximação diplomática entre Washington e Havana iniciada em dezembro de 2014.

O governo norte-americano tem o hábito de transportar estes mísseis desativados e incompletos, produzidos pelo grupo Lockheed Martin, antes de os vender operacionais, para fins de treino e formação, como foi o caso recentemente no Iraque, disse à AFP um conhecedor do sistema.

Os diplomatas e militares norte-americanos não têm juridicamente o direito de se exprimir publicamente sobre contratos comerciais de armas.

fonte/JN.pt

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

CRJ 200 DE CARGA CAI NA NORUEGA

WEst Air Europe Cargo CRJ200PF SE-DUX 900px

Um avião Bombardier CRJ200 PF da West Atlantic Sweden AB despenhou-se na noite passada quando viajava de Oslo para Trosmö, na Noruega, num voo ao serviço dos Correios deste país, anunciou na manhã desta sexta-feira, dia 8 de janeiro, a companhia aérea em comunicado de imprensa. Mais tarde, numa conferência de imprensa na cidade de Gotemburgo, foram fornecidos mais dados sobre o acidente, tendo sido confirmada a morte dos dois tripulantes.

Os pilotos, um francês e outro espanhol, terão declarado emergência pelas 23h30 UTC de quinta-feira, tendo lançado um pedido de socorro, que foi logo seguido pelas autoridades norueguesas e suecas. Os destroços do avião foram encontrados pelas 03h10 locais desta sexta-feira por um caça-bombardeiro da Força Aérea Sueca, que participava nas buscas. Estão localizados numa montanha gelada próximo da fronteira entre a Noruega e a Suécia, na zona do Lago Akkajaure.

WEst Air Europe Cargo CRJ200PF SE-DUX crash_place 800px

A imagem está a correr nas redes sociais. Terá sido obtida pelos militares envolvidos nas buscas, vendo-se uma mancha negra na neve, provocada precisamente pelo impacto da aeronave acidentada.

O avião, matrícula SE-DUX, tinha saído de fábrica em 1993 e estava ao serviço da West Air Europe, holding em que se integra a West Atlantic Sweden AB, desde 2007.

O comunicado da companhia refere que a bordo seguiam dois pilotos: o comandante, de nacionalidade francesa, que tinha 42 anos de idade e estava ao serviço da West Alantic Sweden desde 2011 e somava 3.173 horas de voo, das quais 2.050 neste tipo de avião; o co-piloto, com passaporte espanhol, tinha 34 anos, estava na West Atlantic desde 2008 e contava 3.050 horas de voo, das quais 900 neste modelo de avião.

O avião acidentado, que realizava o voo SWN294, tinha 38.601 horas de voo e 31.036 ciclos, refere a nota de imprensa da companhia sueca, que adianta que a aeronave contava com cerca de 10.000 horas de voo desde que integrou a sua frota.

A West Air Europe esteve durante alguns anos a trabalhar com um avião cargueiro em Portugal, na linha regular de carga Lisboa-Madeira-Lisboa, onde voava com um avião turbo-hélice British Aerospace ATP, seis dias por semana, ao serviço da ‘Agroar’. A linha foi suspensa em 2013.

Curiosamente, uma nova empresa que desde há cerca de dois anos pretende reatar os voos cargueiros entre Lisboa e a ilha da Madeira, chegou a anunciar no ano passado que iria voar o mesmo percurso também com um avião Bombardier CRJ200 transformado em cargueiro, igual ao que agora se despenhou na Escandinávia. Chegou a ser assinado um protocolo no Funchal com a empresa ‘Blackbird Air Charter A/S’, da Dinamarca, para aluguer do aparelho. Contudo, o contrato nunca foi assinado formalmente, por falta de satisfação do pagamento previsto, pelo que a ‘Blackbird’ alugou a aeronave a uma empresa de transporte de carga norte-americana.

fonte/foto/NewsAvia

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

AVIÃO AGRÍCOLA CAI E DEIXA DOIS OCUPANTES MORTOS EM GOIÁS



Avião agrícola cai e deixa os dois ocupantes mortos em Goiás, diz polícia (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Segundo delegado, vítimas estavam carbonizadas e 'abraçadas' (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um avião agrícola caiu nesta quinta-feira (7) em uma fazenda de Bom Jesus de Goiás, região sul do estado. Segundo a Polícia Civil, os dois ocupantes da aeronave, que ainda não foram identificados, morreram no acidente. A queda ocorreu quando o avião pulverizava uma lavoura de cana-de-açúcar.

De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), trata-se de um avião com a matrícula PR-INC, modelo T 188C - Cessna. A queda ocorreu por volta das 16h15.

Segundo o delegado de Bom Jesus de Goiás, Vicente de Paulo Silva e Oliveira, que está no local, o avião pegou fogo parcialmente. "A parte dianteira pegou fogo. As duas vítimas foram carbonizadas. O que chama a atenção é que elas estão abraçadas. As circunstâncias da queda serão investigadas", disse ao G1.

Ele relatou ainda que testemunhas ouviram explosões antes da queda. Porém, o investigador afirmou que ainda não localizou ninguém que tenha presenciado o acidente.

Técnicos da Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VI) devem se deslocar para o local na manhã de sexta-feira (8).

Avião agrícola cai e deixa os dois ocupantes mortos em Goiás, diz polícia (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Parte do avião pegou fogo e ficou completamente desutrída após queda (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
 
 fonte/foto/G1

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...