sábado, 30 de abril de 2011

FOTOS DOS ESTRAGOS CAUSADOS PELA PASSAGEM DOS TORNADOS NO AEROPORTO DE ST. LOUIS, ESTADOS UNIDOS



fonte/foto/totallyjackedupaircraftphotos

CONCESSÃO DE AEROPORTOS PODE ATRASAR

Início do conteúdo

BRASÍLIA - A concessão de aeroportos do País à iniciativa privada vai demorar mais tempo do que o previsto inicialmente pelo ministro Antonio Palocci (Casa Civil). A anunciada privatização de parte da infraestrutura aeroportuária ainda está longe de ter o modelo definido pelo governo, apurou o Estado, e poderá não ficar restrita às obras e operação de terminais de passageiros. Uma das alternativas em estudo prevê a privatização de estrutura operada atualmente pela Infraero

Os editais prometidos por Palocci para "os próximos dias" vão tratar inicialmente da contratação de consultores encarregados de preparar os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental dos novos negócios. O estudo é apenas uma preliminar da abertura dos novos aeroportos à iniciativa privada. 

Pronto os estudos, provavelmente a serem contratados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), as propostas de edital para as futuras concessões passarão por aval no governo e serão submetidas à análise do Tribunal de Contas da União (TCU). 

Trata-se de uma corrida contra o tempo. O governo apresentou a privatização como alternativa à conclusão de obras bilionárias em aeroportos das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. A iniciativa privada assumiria parte dos investimentos estimados em R$ 5,2 bilhões. 

Em troca, faturaria com tarifas aeroportuárias e a exploração comercial dos espaços dos aeroportos. 

Comparação. A medida de comparação é o aeroporto São Gonçalo do Amarante, em Natal, primeiro exemplo de concessão à iniciativa privada dos terminais de passageiros de aeroportos no Brasil. A decisão de abrir o negócio à iniciativa privada foi tomada pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva, em 2008. 

Os resultados dos estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental só foram entregues pelo BNDES à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em agosto do ano passado.

Dois meses depois, chegaram ao TCU, que analisou a proposta e reajustou em 1.297% - para R$ 51,7 milhões - o valor do lance mínimo para os interessados em construir o terminal de passageiros e operar o aeroporto internacional de Natal. 

Mais de três anos depois do anúncio de que o aeroporto de São Gonçalo do Amarante seria objeto de concessão à iniciativa privada, o edital ainda não foi lançado.

O leilão tampouco tem data marcada. Por mais que as novas concessões sigam rito acelerado, previsto pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, não há como queimar a etapa dos estudos prévios e definição dos modelos de negócio. 

Na segunda-feira que vem a presidente Dilma Rousseff vai se reunir com o ministro Wagner Bittencourt, da Secretaria de Aviação Civil, para acertar detalhes do processo. Essa reunião ocorreria ontem, mas foi adiada.

fonte/AgEstado
Enhanced by Zemanta

PENDÊNCIA NA ÁREA DO AEROPORTO DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE NÃO FOI RESOLVIDA


Faltando pouco mais de duas semanas para o lançamento do edital de licitação do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, ainda não foi resolvida a pendência jurídica que envolve a área em que está sendo construído o empreendimento. Proprietários de lotes questionam os valores que receberiam pelas desapropriações. E a Procuradoria do Patrimônio, ligada à Procuradoria Geral do Estado, se opôs à nomeação do perito que reavaliaria os lotes, exigindo a nomeação de outro perito.

Segundo Miguel Josino, procurador geral do estado, o juiz da comarca de São Gonçalo do Amarante, responsável pela desapropriação das áreas, nomeou um contador, quando a legislação determina a nomeação de engenheiros como peritos. O equívoco, segundo o procurador, atrasa a desapropriação dos imóveis, mas não afeta o lançamento do edital do aeroporto nem o processo licitatório.

“Como o estado depositou parte das indenizações, há 14 anos, valor que considerou justo, o juiz concedeu uma emissão provisória da posse”, justifica. Isso, segundo ele, significa que estado e Infraero são os donos provisórios das terras até pagarem o valor definido pela Justiça. Depois, se tornam donos permanentes. Apesar disso, Miguel Josino foi até São Gonçalo do Amarante ontem pedir agilidade ao juiz. “Pensamos se iríamos impugnar ou não a nomeação do perito, mas a equipe da Procuradoria do Patrimônio preferiu  perder um pouco de tempo agora, corrigindo um equívoco do juiz logo no início, a    ter que voltar e começar tudo de novo”. O novo perito, segundo ele, deve ser nomeado nos próximos dez dias. Ainda não se sabe quando a reavaliação dos imóveis ocorrerá. Apesar disso, Josino acredita que a pendência judicial, que perdura há 14 anos, está mais perto do fim.

Os antigos proprietários não concordaram com a indenização paga pelo estado e entraram na Justiça, exigindo uma nova perícia nos imóveis, pedido que foi acompanhado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Há pouco mais de 15 dias, o juiz da comarca de São Gonçalo nomeou o perito. Mas a decisão acabou impugnada pela Procuradoria. Na época da ação, questionava-se se a área onde será erguido o aeroporto era rural ou de expansão urbana, o que interfere no valor da indenização.

Em 2005, uma decisão do Tribunal de Justiça reformou parcialmente a decisão de primeira instância sobre os valores devidos ao ex-proprietário da área, determinando à época o pagamento de R$ 3,48 milhões, também contestados. Dos 1.500 hectares declarados de utilidade pública em 1996, dos quais o Governo do Estado tem a posse provisória concedida pelo Juiz da 1ª Vara da Comarca de São Gonçalo do Amarante, 400 hectares já estão em nome do Estado. Os demais lotes compõe a parcela de áreas cujos donos não aceitaram receber os valores propostos como indenização.

A TRIBUNA DO NORTE do dia 2 de fevereiro traz uma matéria mostrando que o um dos clientes do advogado Diógenes Cunha Lima, dono do maior lote desapropriado, chegou a ter seu processo alçado à instância do Tribunal de Justiça com a substancial revisão de R$ 500 mil para R$ 3,5 milhões. A Procuradoria Geral do Estado recorreu com sucesso e o processo retornou ao Fórum de São Gonçalo do Amarante, onde estão os demais ações impugnatórias.

Naquela ocasião, o chefe da Procuradoria do Patrimônio, Raimundo Nonato Lima, informou que a declaração de utilidade pública e a decisão de desapropriação da área do aeroporto dada pelo Juiz da 1ª Vara de São Gonçalo “podem ser interpretadas por uma empresa privada que venha participar da concessão do novo aeroporto como segurança jurídica para participação no projeto”.

concessão

O Aeroporto de São Gonçalo do Amarante será concedido à iniciativa privada por meio de leilão que dará, a quem vencer, a concessão da construção parcial, manutenção e exploração do empreendimento. A perspectiva é que o processo licitatório tenha início em maio, co o lançamento do edital. O aeroporto começou a ser construído pela Infraero há cerca de 14 anos, período em que vem sendo executados serviços como terraplanagem, drenagem e pavimentação. Ao investidor que receber a concessão do empreendimento caberá, entre outras obras, as dos terminais de cargas e passageiros. A Anac estima que a empresa deverá investir R$ 426 milhões nessa etapa, dos quais 50% deverão ser consumidos somente pelo terminal de passageiros. A concessão terá validade de 28 anos. Três deverão ser dedicados à construção e 25 à exploração do aeroporto. A estimativa da Casa Civil é que no segundo semestre de 2011 o vencedor da licitação assuma o canteiro de obras.

fonte/TribunaDoNorte

CONTROLADORES DE TRÁFEGO AÉREO - SEM PESSOAL, PROBLEMA DE AEROPORTOS NÃO SE RESOLVE


Filas, atrasos e cancelamentos de voos. Uma repetição do caos aéreo enfrentado pelos brasileiros no final de 2006 e início de 2007 é dada como certa por representantes da categoria dos controladores de voo em 2014, ano da Copa do Mundo de futebol, e 2016, quando o Rio de Janeiro receberá as Olimpíadas. Além dos problemas para embarcar, contudo, o alerta também é feito para a segurança dos voos, afetada pela falta de mão de obra preparada para lidar com o aumento no tráfego aéreo. 

A principal reclamação dos profissionais é que a preocupação com as obras nos aeroportos não está acompanhada de discussões sobre o pessoal que atua nos bastidores e cuja função é essencial para assegurar que os passageiros chegarão ao destino. Para a categoria, além do número insuficiente de controladores, os que estão em atividade são jovens inexperientes, na faixa etária dos 20 anos, e não tiveram treinamento adequado.

"Podemos ter problemas sim. Se você tem um volume de tráfego muito grande, precisa de pessoas que realmente tenham capacidade e controle emocional para lidar com a situação", disse o presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores em Proteção ao Voo, Jorge Botelho. "Quem estiver entrando agora ainda estará em período de estágio na Copa. E precisamos lembrar que nem todo mundo se adapta à profissão".

Segundo eles, o número insuficiente de trabalhadores resulta em sobrecarga de trabalho aos que estão na função, principalmente com o aumento do número de voos em todo o País. "No período da crise, um controlador tinha que dar conta de 14 aviões, o que já é muito. Hoje, chega a ser 20 aeronaves controladas ao mesmo tempo. E, se o sistema falha, o controle tem que ser todo manual", disse o presidente da Associação Brasileira de Controladores de Tráfego Aéreo (ABCTA), Edleuzo Cavalcante.

Ele disse que a entidade recebe relatórios frequentes de incidentes aéreos, muitos deles decorrentes da imperícia de controladores. Na maior parte dos casos, duas aeronaves se aproximam mais do que o recomendado, o que provoca risco de acidentes. Também há registros de falhas em sistemas de radar e interferências na comunicação. A questão da inexperiência dos controladores é agravada, segundo a ABCTA, pelo fato de que muitos profissionais com mais tempo de serviço foram afastados da função depois da crise aérea por apontarem problemas no setor. Acabaram classificados como "liderança negativa", como ocorreu com Cavalcante. 

A associação contabiliza aproximadamente 3,1 mil controladores de voo no Brasil, quando o mínimo necessário seria 5 mil. A evasão anual chega a 300 profissionais, que se aposentam ou investem em outras profissões. Preparar pessoal para completar o quadro até a Copa do Mundo é tarefa impossível, segundo os representantes dos controladores, porque leva tempo: pelo menos quatro anos para se adquirir capacidade plena para o trabalho. 

Segundo a ABCTA, em 1994, a preparação de um controlador de voo incluía 240 horas de treinamento com tráfego aéreo real, número que caiu para 30 horas com tráfego real, complementado com o uso de simuladores. 

A questão salarial também é apontada como fator que desfavorece a permanência na profissão. A remuneração média é de R$ 3,5 mil, valor considerado baixo para a responsabilidade que o cargo exige. Segundo Botelho, o governo havia prometido uma reestruturação da profissão, que seria negociada em 2008, o que não ocorreu: "isso desanimou muita gente". Ele afirmou, contudo, que a preocupação com os salários vem depois da preocupação com a qualificação dos profissionais e lembrou que uma reivindicação antiga ainda não está em vigor: o domínio do inglês. "Um militar não tem que ter noção nenhuma de inglês para entrar para a escola de preparação. O civil tem que ter uma noção, que não é suficiente".

A discussão sobre a necessidade de os controladores terem domínio da língua inglesa começou após a queda do voo 1907 da Gol, em 2006. Um série de erros, entre eles falhas na comunicação entre as torres e os pilotos de um jato Legacy - ambos americanos -, levaram ao choque entre as duas aeronaves e à queda do Boeing. O acidente matou 154 pessoas.

Uma emenda à medida provisória 527/11, que tramita no Congresso, prevê prova escrita e oral de língua inglesa nos concursos públicos para o cargo, "para fins de aferição do domínio do vocabulário técnico, de aviação e controle de voo". O texto da MP elaborado pelo Executivo cria 100 cargos efetivos de controlador de tráfego aéreo, número que as entidades consideram muito aquém do necessário. "Queria ser otimista, mas acredito que teremos muitos problemas durante a Copa no controle do tráfego aéreo. Hoje se fala em aeroportos e pistas, que também são importantes, mas se não tiver pessoal, o problema não se resolve", afirmou Cavalcante.

fonte/Terra

sexta-feira, 29 de abril de 2011

GREVE DE PILOTOS CANCELA DEZENAS DE VOOS NA ÍNDIA


Entrou no terceiro dia a greve de pilotos da Air India, a companhia aérea nacional da Índia. A reivindicação é por melhores salários. Dezenas de voos foram cancelados, incluindo linhas internacionais.
 
No Aeroporto Internacional Indira Gandhi, em Nova Délhi, os passageiros aguardavam o fim da greve nesta sexta-feira.A Air India disse em um comunicado na quinta-feira que cancelou 45 voos domésticos e internacionais. 
 
No mesmo dia, a companhia entrou com um pedido de ordem judicial contra a paralisação dos pilotos. Estima-se que entre 600 a 800 pilotos aderiram à greve. 

fonte/AP/AFP/Terra
Enhanced by Zemanta

quinta-feira, 28 de abril de 2011

CAÇAS XAVANTES NO NAUFRAGADOS NO CEARÁ


São pelo menos 07 os caças xavante da Força Aérea Brasileira naufragados nos mares cearenses. Isso contando apenas os citados em jornais entre 1976 e 2000. As histórias são as mais diversas desde aeronaves se despedaçando no ar a colisão entre dois caças. Não sou um profundo conhecedor de engenharia aeronautica mas esses números assustam, isso excluindo os acidentes com aeronaves que caíram em terra firme e uma informação não confirmada sobre um oitavo em 1974.


O Avião Xavante EMB 326 AT-26 fora encomendado pela FAB a Embraer sendo entregue em 1971. Serviram à nosso país por 39 anos sendo desativados em dezembro de 2010. Também foram vendidos à outras naçòes como Itália, Austrália e África do Sul. Possui cerca de 10m x 10m de envergadura
Tripulação homenageada
por resgate a piloto
(Jornal Opovo)

        
A seguir registros de sinistros ocorridos entre 1976 e 2000.
12/08/1976 - AT-26 FAB 4559 - Desaparecido durante instrução local em Fortaleza. 2o Ten Sebastião Marcondes Moraes Vianna.
23/11/1985 - AT-26 FAB - 1o Ten Mendes Correa, 24 anos salvo por uma equipe de táxi aéreo que prestou socorro. 15 milhas do litoral do Morro Branco.
31/10/1990 - AT-26 FAB - 30 milhas do litoral de Aquiraz.
12/03/1991 - AT-26 FAB 4549 e FAB 4589 - Os dois caças colidiram no litoral da praia da Caponga em Cascavél.
28/04/1992 - AT-26 FAB 4618 - Desparecido entre as Praias de Cumbuco e Paracuru a 10km da costa. Piloto desaparecido. 
Área de buscaa do AT-26 4618
O piloto nunca foi encontrado
(Jornal Opovo)
05/07/2000 - AT-26 FAB 4626 - Cerca de 15km da Praia do Pecém. Um dos pilotos não foi encontrado. A asa da aeronave pode ter se soltado durante o vôo.
Muitos desses aviões e seus pilotos permanecem escondidos sob o manto azul. Estão à espera de pesquisas e estudos para que possam ser encontrados e as devidas homenagens prestadas aos seus pilotos e vítimas. No entanto, considerando baixa expectativa de retorno financeiro, a omissão das autoridades quanto à pesquisa de nosso patrimônio submerso e a dificuldade burocrática para permissão para pesquisas subaquáticas - atividade extremamente dispendiosa - uma grande parte de nossa história marítima permanecerá desaparecida no mar.



fonte/foto/MarDoCeara/OPovo/DiarioDoNordeste

Enhanced by Zemanta

MERCADO COMPRARÁ 30.900 AVIÕES ATÉ 2029, AVALIA A BOEING


SÃO PAULO - A fabricante de aeronaves Boeing estima que o mercado aéreo mundial irá comprar 30.900 novos aviões até 2029, dois quais 2.180 serão demanda da América Latina. Isso representa negócios na ordem de US$ 3,6 trilhões (US$ 210 milhões na América Latina). "Estamos no começo da retomada do setor aéreo", afirmou hoje Randy Tinseth, vice-presidente de marketing da Boeing.

Segundo ele, dos 30.900 novos aviões que serão comercializados no mundo nas próximas duas décadas, 69% serão aeronaves entre 90 e 220 lugares. Aviões maiores, até 400 lugares, representarão 23% desse total, enquanto jatos entre 30 e 90 lugares devem representar 6% das vendas. Grandes aeronaves, superiores a 400 lugares, devem responder por apenas 2% das vendas em unidade. "A tendência mostra o uso crescente de aviões menores, porque os passageiros querem cada vez mais destinos e buscam voos sem escalas", afirmou o executivo.

Já em valores, os modelos entre 90 e 220 lugares devem responder por 47% da receita estimada de US$ 3,6 trilhões. As aeronaves entre 200 e 400 lugares devem representar 45% das vendas, enquanto os grandes aviões devem gerar 6% do faturamento do setor e os pequenos jatos, 2%.

fonte/AgEstado
Enhanced by Zemanta

MONOMOTOR FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA DOIS MINUTOS APÓS DECOLAGEM, EM BELO HORIZONTE

Um avião monomotor fez um pouso forçado às margens da BR-040, em Belo Horizonte, nesta quinta-feira (28). A aeronave teria apresentado um problema mecânico, de acordo com a assessoria da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). Ainda segundo a Infraero, havia duas pessoas a bordo e ninguém ficou ferido.

A aeronave de prefixo PRNEA, modelo C-150, pertence ao Aeroclube de Minas Gerais. O local do pouso é uma área onde funcionava um aterro sanitário, hoje desativado. Ainda de acordo com a Infraero, o avião fazia um vôo de instrução e decolou do Aeroporto Carlos Prates, na Pampulha, na capital, às 7h43. Dois minutos depois, o piloto teria percebido o problema e feito o pouso de emergência.

A Infraero não informou se houve danos para a aeronave e disse que as investigações sobre as causas da possível falha vão ser feitas pela Aeronáutica Brasileira.

fonte/G1
Enhanced by Zemanta

OPERAÇÃO RAMPA, NATAL - RIO GRANDE DO NORTE


Cenário de extrema importância no contexto da aviação mundial entre as décadas de 1920 e 40, a desmemoriada Natal poderá reviver esse período de grande movimentação, e quem sabe, finalmente, tirar algum proveito turístico desse período histórico, se o novo projeto do Centro Cultural Rampa for materializado. Apresentado na tarde da última terça-feira (26), durante encontro organizado pela Secretaria Estadual de Turismo (Setur), no Teatro de Cultura Popular/FJA, o projeto de 11 mil metros quadrados leva assinatura da empresa pernambucana CL Engenharia e Urbanismo e contempla espaço para implantação de museu, memorial da aviação, área de lazer e auditório, mais local para eventos culturais e cursos técnicos de restauração e museologia.

Atualmente, sob os cuidados do Governo do RN, o prédio onde funcionou a rampa para hidroaviões da PanAir (sucursal da norte-americana PanAm), localizado no bairro de Santos Reis às margens do Rio Potengi, está fechado e abandonado. Entre 2000 e 2005, então sob a guarda da Aeronáutica, chegou a funcionar no local um museu organizado pela Fundação Rampa.

“Iniciamos o planejamento do Centro Cultural Rampa em janeiro de 2010, após vencermos a licitação aberta pelo Governo Estadual em 2009, e o projeto final, com todo o detalhamento técnico e executivo, será entregue até julho”, informou a arquiteta Evelyn Schor, coordenadora do projeto. Segundo Schor, “o conceito do CCR reúne cerca de 25 itens, como arquitetura, paisagismo, acessibilidade, museologia, museografia, viabilidade econômica e gestão, entre outros, e para o plano museológico ter êxito é fundamental a implementação dos programas propostos”, explicou a arquiteta por telefone de seu escritório no Recife. A proposta apresentada pela CL Engenharia, de acordo com o próprio edital, custou R$ 380 mil.

Sobre o parco acervo disponível em Natal, resumido principalmente à fotografias e material audiovisual da época, a arquiteta mostrou algumas possibilidades como permuta ou comodato com outros museus. “Vamos propor uma campanha pública para as pessoas colaborarem com o acervo”, disse a professora Isaura Rosado, secretária Extraordinária de Cultura/Fundação José Augusto. “Teremos que incluir o museu no circuito nacional, fechar parcerias, participar de editais”, pondera. Enquanto se discute como preencher o museu, se irão trazer ou não do Rio de Janeiro o jipe que transportou os presidentes Vargas e Roosevelt (EUA), motores  originais de aeronaves usadas durante a Segunda Guerra estão no pátio da empresa de ônibus do jornalista e empresário Augusto Maranhão. São motores, hélices e âncoras de barcos, que segundo pesquisas apontam  que pertencem a barcos e aviões daquela época.

Após a apresentação da arquiteta, foi facultada participação do público presente e o veterano Pery Lamartine, 84, que pilotou aviões híbridos modelo Catalina e atracou na rampa, demostrou satisfação com a preservação do conjunto arquitetônico, mas lembrou que a torre de comando original foi trocada de lugar – “Tivemos que optar por essa solução por razões de acessibilidade, para oferecer melhores condições às pessoas com problemas de mobilidade”, justificou Evelyn. O projeto prevê a construção de uma sala de controle  nos moldes da Segunda Guerra: “A torre original será apenas um lugar para contemplação do Potengi”, adiantou.

Turismo cultural

O projeto básico do CCR foi entregue à Setur em dezembro de 2010, e só foi apresentado agora devido necessidade de análise e aprovação tanto por parte do governo do RN quanto do agente financeiro, no caso o Banco do Nordeste do Brasil (BNB). “A licitação para execução da obra deverá sair no segundo semestre de 2011, e nossa estimativa inicial de custo é R$ 7 milhões – depois do projeto ser detalhado é que teremos como fechar o orçamento”, disse Ramzi Elali, secretário Estadual de Turismo. “Esperamos que até 2013 o CCR seja aberto ao público”, planeja.

Para Elali, o Centro Cultural Rampa deverá incrementar o turismo cultural na cidade, atraindo, inclusive, atenção de estrangeiros  interessados no período histórico da Segunda Guerra – veteranos e familiares serão potenciais visitantes. “Ainda não fizemos contato com operadoras de turismo, mas isso deverá acontecer”, disse o secretário. Para Ramzi, em primeiro lugar, o espaço deve atender o natalense – “Turismo cultural será conseqüência”, garante.

Porém, o projeto exposto pela arquiteta Evelyn Schor limita-se à recuperação do edifício sede, construção de outros equipamentos do Centro Cultural, e adequação urbana dentro dos limites do terreno onde funcionou a rampa da extinta PanAir – objeto da licitação. Questionado sobre a necessidade de se urbanizar o entorno, como melhorar os acessos viários que ligam a Rampa às Rocas/Ribeira e à Praia do Forte, e ampliar o atendimento do transporte público que cobre a área, o secretário Ramzi Elali frisou que “no momento estamos trabalhando apenas no Centro Cultural Rampa”. Ainda não há previsão para parceria com a inciativa privada ou as Forças Armadas (principalmente Marinha e Aeronáutica), e também não há estudos sobre a presença dos pescadores do Canto do Mangue, já espremidos pelas obras de ampliação do porto, e o contato com a população que mora no local também foi superficial – ‘pequenos’ detalhes que precisam ser considerados para potencializar o êxito do espaço cultural.

A sustentabilidade é outro ponto fraco, pois a arquiteta Evelyn Schor deixa bem claro que apenas a cobrança de ingressos e a possibilidade de alugar auditório e outros espaços, não irá garantir a manutenção do CCR.

fonte/foto/TribunaDoNorte
Enhanced by Zemanta

BARREIRA DO INFERNO LANÇA FOGUETE DE TREINAMENTO BÁSICO


O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) realizou, na tarde desta quarta-feira (27), o lançamento de um Foguete de Treinamento Básico (FTB). A ação, inserida na operação Camurupim, ocorreu por volta das 15h e teve a finalidade de obter dados para a qualificação e certificação dos dispositivos, além de servir como treinamento operacional para o lançamento do foguete ORION V4.

O voo do FTB teve duração estimada de 5 minutos e apogeu (altura máxima) entre 95 e 105 km. O dispositivo foi desenvolvido com o intuito de garantir a qualificação técnica dos recursos humanos e a manutenção dos meios operacionais necessários às atividades do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE). O foguete de teste não contava com carga útil tecnológica.

A Operação Camurupim tem o objetivo de realizar o lançamento do foguete de treinamento ORION V4, equipado com uma carga útil tecnológica desenvolvida pelo DLR (Centro Espacial Alemão), com a finalidade de receber operacionalmente um Lançador Móvel de Foguetes de Sondagem fabricado na Alemanha.

Essa Operação, além de manter a operacionalidade do Centro, promoverá  a utilização do Lançador Móvel, de forma independente e autônoma, no Brasil.
 
fonte/ CLBI/TribunaDoNorte
Enhanced by Zemanta

CONTROLADOR É ENCONTRADO MORTO A FACADAS EM AEROPORTO DA FRANÇA

Um controlador de voo foi encontrado morto com múltiplos ferimentos causados por faca no aeroporto de Basel-Mulhouse, no leste da França, segundo informaram nesta quarta-feira autoridades francesas.

O corpo da vítima, um homem de 34 anos, foi encontrado por outro funcionário em uma poça de sangue dentro de uma sala da torre de controle cujo acesso só é possível com o uso de um cartão eletrônico, informou o procurador francês Hervé Robin.

Segundo a rede de televisão suíça Schweizer Fernsehen, o assassinato não teve testemunhas, e o local onde o crime teria ocorrido não tem sistema de vigilância em vídeo.

Autoridades citadas pela emissora alemã TV Südbaden afirmaram que tanto o assassino quanto a arma do crime estão sendo procurados.

Ligações
A Südbaden informou também que a polícia investiga duas ligações anônimas, no qual uma pessoa disse que "algo ruim" havia acontecido no aeroporto e que policiais deveriam ir ao local imediatamente.

A vítima trabalhava havia dez anos no aeroporto, que fica perto da fronteira francesa com a Suíça, e recentemente havia sido promovido a chefe da torre de controle.

De acordo com a Schweizer Fernsehen, uma autopsia do corpo será realizada nesta quinta-feira. Uma porta-voz do aeroporto afirma que as operações de voo foram mantidas normalmente.

O aeroporto de Basel-Mulhouse serve importantes cidades de três países: Basileia, na Suíça, Mulhouse, na França, e Freiburg, na Alemanha. Ele é operado pelos governos da França e da Suíça, mas o controle do tráfego aéreo é de responsabilidade exclusiva dos franceses.

fonte/BBC/UOL
Enhanced by Zemanta

segunda-feira, 25 de abril de 2011

NEM TUDO ESTÁ PERDIDO - ANAC TORNA SEM EFEITO PORTARIA QUE EXTINGUIU AS UNIDADES REGIONAIS NO BRASIL




A ANAC reavaliou a recente extinção de suas unidades regionais e postos de serviço, conforme havia sido determinada pela PORTARIA ANAC Nº 310, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2011.

Essa mudança de postura da Agência é oportuna e impedirá, pelo menos momentaneamente, os problemas de aquela decisão havia causado à Aviação Civil. 

Essa tamada de decisão permanecerá até que se regulamente, pelo Poder Executivo, a Medida Provisória 527, de 18 de março de 2011, que criou a Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República e alterou a legislação da ANAC.

Basta saber como a Agência irá reorganizar as unidades regionais e postos de serviços extintos pela antiga Partaria, bem como os que ela criou e se essa nova decisão será efetivamente implementada.



PORTARIA Nº 788, DE 20 DE ABRIL DE 2011.
O DIRETOR-PRESIDENTE INTERINO DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL – ANAC, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 16 da Lei nº 11.182 de 27 de setembro de 2005 e o art. 35 do anexo do Decreto nº 5.731, de 20 de março de 2006, e segundo o que consta do processo nº 60800.029224/2011-71,

Considerando a constatação de que as recentes alterações promovidas na legislação aplicável apresentam possíveis repercussões para o planejamento e organização da atuação da ANAC em diversas áreas de sua competência;

Considerando a conveniência de manter em atividade as unidades organizacionais de que trata a PORTARIA ANAC Nº 310/2011, de 17 de fevereiro de 2011, até que se reavalie seu papel no planejamento institucional da atuação da ANAC; e

Considerando as razões expostas na Nota Técnica nº 01/2011/DIR-P/ANAC, de 20 de abril de 2011, e a informação da Superintendência de Administração e Finanças de que ainda não foi implementada a extinção das unidades em razão do prazo inicialmente estipulado para essa medida, situação essa que autoriza a revogação da medida sem que se acarrete lesão ao interesse público, resolve:

Art. 1º Tornar sem efeito a Portaria ANAC nº 310, de 17 de fevereiro de 2011, publicada no Boletim de Pessoal e Serviço – BPS, V. 6, nº 7, de 18 de fevereiro de 2011.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

CARLOS EDUARDO MAGALHÃES DA SILVEIRA PELLEGRINO

fonte/ANAC/PilotoPolicial

fonte/ANAC

VÍDEO - TAM RECUSA LEVAR PASSAGEIRA COM DOENÇA DEGENERATIVA

VÍDEO - BATISMO DO E190 "JAMBOCK AZUL"

domingo, 24 de abril de 2011

CRI-CRI O MENOR AVIÃO DO MUNDO

JÁ IMAGINOU TER SEU CARRO ATINGIDO POR UM AVIÃO ......





Uma família em uma minivan Toyota Sienna andava por uma rua em Nova Orleans neste final de semana quando um monomotor surgiu do nada em sua frente. Sem poder desviar das asas do Piper os dois veículos colidiram.

A polícia disse que o senhor Houston Hunter de 60 anos voava sobre o Lago Ponchartrain para deixar seu neto quando o motor de seu Piper, com 50 anos de estrada, do nada começou a falhar. Sem poder voltar ao aeroporto, Hunter decidiu pousar na West End Boulevard em Nova Orleans.


 
Infelizmente uma família com cinco pessoas vinha no sentido contrário em sua minivan. Vamos deixar que a tradução da filha da vovó (a da van) dê uma ideia do ocorrido: “Ela pensou que morreria… ela nunca pensou que ficaria cara a cara um avião.”

Ambos os os veículos foram seriamente danificados, mas nem a família na van nem o piloto sofreram ferimentos graves.



fonte/Jalopnick/fotos/AP/Gerald Herbert
Enhanced by Zemanta

VÍDEO - APROXIMAÇÃO ILS PARA PISTA 17R DE CONGONHAS, SÃO PAULO

Approach and Land - Congonhas (CGH) from Fabio Laranjeira on Vimeo.

AEROPORTO INTERNACIONAL PINTO MARTINS, FORTALEZA - ANTIGO ALTO DA BALANÇA



Fotos do Avião de Amélia Earhart pousado no Campo de Pouso do Alto da Balança - Cocorote 


O aeroporto teve suas origens na pista do Alto da Balança, construída na década de 1930 e utilizada até 2000 pelo Aeroclube do Ceará. Durante a Segunda Guerra Mundial, serviu de base de apoio às Forças Aliadas, época em que foi construída a segunda pista de pousos e decolagens (Base do Cocorote), a atual pista principal do Aeroporto de Fortaleza.


velho terminal do Aeroporto Pinto Martins. - Arquivo OPovo


Em 13 de maio de 1952, o aeroporto ganhou o nome de Pinto Martins, em homenagem ao cearense Euclides Pinto Martins* que realizou o primeiro vôo sobre o Oceano Atlântico entre Nova Iorque e o Rio de Janeiro, no início da década de 1920, a bordo do hidroavião Sampaio Correia. 



Arquivo D'Neto


A segunda pista do Alto da Balança foi ampliada de 1.500m para 2.545m em 1963. O primeiro terminal de passageiros e o pátio de aeronaves foram construídos em 1966.
A administração do Aeroporto foi transferida à Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), em 7 de janeiro de 1974 (Portaria nº 220/GM5, de 3 de dezembro de 1973), quando deu início a uma série de obras para revitalização e ampliação do complexo aeroportuário, entre elas a do pátio e a do terminal de passageiros.
Por meio de uma parceria entre a Infraero, governo federal e governo estadual, o aeroporto recebeu novo e moderno terminal de passageiros com 32.000 metros quadrados, inaugurado em fevereiro de 1998, pelo governador Tasso Jereissati. O novo terminal tem capacidade para 2,5 milhões de passageiros/ano, 14 posições para estacionamento de aeronaves e é dotado de modernos sistemas de automação, sendo classificado como Internacional em 1997 (Portaria 393 GM5,
de 9 de junho de 1997).

Arquivo D'Neto
Atualmente, o antigo aeroporto de Fortaleza funciona como Terminal de Aviação Geral (TAG), onde opera a aviação de pequeno porte (aviação geral, executiva e táxi aéreo).

fonte/foto/ FortalezaNobre
Enhanced by Zemanta

TAM TEM INTERESSE DE PARTICIPAR DE TERMINAIS NO BRASIL


A união entre a TAM e a chilena LAN é coisa antiga, diz Marco Antonio Bologna, presidente da holding brasileira, que tem como principal missão concluir o negócio até o fim do ano. O namoro entre as duas empresas começou nos anos 90 sob a batuta do comandante Rolim Amaro, fundador da TAM.

Rolim sempre acreditou na consolidação do setor aéreo e é sob esta inspiração que Bologna antecipou o interesse na privatização da TAP, a compra, em dois meses, de um terço da regional Trip e a disposição de entrar na concessão de aeroportos . Para o Executivo, "a participação do setor privado na melhora dos aeroportos é ′inexorável`. Sobre o processo de fusão com a LAN, Bologna disse que ainda não há efeito prático.

"O Tribunal de Defesa do Chile proibiu os atos de fusão enquanto não terminar sua análise e, a pedido de uma associação de consumidores, realizará audiências até o fim do mês para discutir os reflexos da operação, principalmente na linha Santiago-SP. No Brasil, deverá coincidir com a aprovação do Cade. Depois disso, temos outro caminho crítico, que é a aprovação dos acionistas não-controladores das duas companhias. No caso da TAM, vamos fazer uma oferta pública na Bolsa para que os minoritários possam trocar as ações da TAM pelas da Latam, numa relação de troca favorável, terá um prêmio. A gente vai solicitar a adesão de 95% desses acionistas, que têm 54% do capital (46% são da família Amaro). Se eles não quiserem, o negócio não sai" - disse o executivo.

fonte?OGlobo/DiarioDePernambuco
Enhanced by Zemanta

HOMEM COM FACA TENTA DESVIAR PARA TRÍPOLI VOO PARIS-ROMA


Um homem armado com faca tentou, neste domingo, desviar para Trípoli, na Líbia, um voo da Alitalia entre Paris e Roma, informou a agência ANSA, citando a polícia italiana. 

O homem armado com uma pequena faca se aproximou de uma comissária de bordo, por volta das 16h30 (de Brasília), para tentar dominá-la com a intenção de desviar o voo para Trípoli. 

O homem, ao que parece oriundo do Cazaquistão, foi rapidamente contido por passageiros e membros da tripulação, e o avião pousou sem problemas no aeroporto internacional de Fiumicino, às 17h05. 

O agressor, cuja identidade não foi informada, está detido na delegacia da polícia de fronteiras no aeroporto. 

fonte/AFP/Terra
Enhanced by Zemanta

AEROPORTO DE ST. LOUIS REABRE DEPOIS DE TORNADO NOS EUA

O aeroporto de St. Louis reabriu para alguns voos na noite de sábado, após um tornado passar pela área, destruindo casas e carros e deixando a cidade norte-americana sem eletricidade.

Autoridades fecharam o aeroporto internacional de Lambert-St. Louis depois do tornado na sexta-feira, que quebrou os vidros do terminal e deixou buracos no telhado, espalhando destroços e danificando ao menos um avião.

Mais de mil operários foram enviados para trabalhar no aeroporto e trazê-lo de volta à atividade. A energia foi restaurada no terminal e voos puderam novamente aterrissar no sábado à noite, disseram autoridades locais.

Esperava-se que o aeroporto fosse reaberto oficialmente no domingo e a partida de voos volte ao normal. Aproximadamente 70 por cento das operações do aeroporto estão normalizadas.

O governador de Missouri, Jay Nixon, declarou estado de emergência e liberou recursos do Estado para ajudar na limpeza.

Ao menos 750 casas foram danificadas e quase 100 foram destruídas, disse Nixon. Houve feridos mas nenhum morto até agora.

Autoridades locais disseram que 47 mil pessoas ficaram sem eletricidade depois da tempestade.

fonte/Reuters
Enhanced by Zemanta

PROBLEMAS COM VOOS DA TAM CAUSAM TUMULTO NO AEROPORTO SALGADO FILHO

Dois voos da TAM Linhas Aéreas tiveram problemas neste domingo no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. Os passageiros do voo da companhia previsto para as 10h40min, com destino a Guarulhos, em São Paulo, já tinham embarcado quando foram avisados de que o avião não iria decolar em razão de problemas mecânicos.

— Já estávamos há mais de 45 minutos dentro do avião, quando nos pediram para sair e esperar na área de embarque. Era um avião grande, com mais de 200 passageiros. Minutos depois, um funcionário chamou os passageiros que tinham conexão para o Exterior para remarcar as passagens — conta a funcionária pública Luana Campello, que faria escala para Roma, na Itália, onde vai passar as férias.

Luana conseguiu remarcar seus dois voos para esta segunda-feira, mas lamenta o ocorrido:

— Já perdi um dia de hotel e vou perder um dia de férias, mas consegui resolver a minha situação. Tem muita gente aqui esperando há horas e ainda não teve informações. Os ânimos se alteraram, um passageiro e um funcionário da empresa trocaram agressões físicas. É uma pena.

A diretora-comercial Roseli Sritzen também estava no voo. Ela veio de Recife (PE) com a família para visitar parentes em Porto Alegre:

— Cheguei aqui às 9h e ainda estou no aeroporto sem saber quando vou chegar em casa. Somos um grupo de 60 pessoas que iria para Guarulhos e depois para Recife. Até agora a TAM não nos informou sobre quando vamos conseguir embarcar. Estou esperando para poder desmarcar meus compromissos de amanhã.

Segundo Roseli, além disso, o que chamou atenção no caso foi a confusão que o problema gerou no aeroporto.

— Foi um caos. Não traziam as nossas bagagens, não organizaram uma fila para cada um tentar resolver a sua situação, enfim, ficamos aqui no meio de um tumulto. Eles estavam muito despreparados — critica.

Reclamação semelhante fez a gerente de contas Jerusa Dalla Valle. Ela mora em São Paulo e iria embarcar com o marido para Congonhas às 14h20min. No entanto, o casal e mais quatro passageiros foram impedidos de pegar o voo, pois, segundo a companhia, o voo estaria com excesso de peso.

— Foi bem complicado, esperamos muito tempo e queriam nos realocar em um voo com conexão em Curitiba que chegaria em São Paulo depois das 20h. Depois de muita discussão, conseguimos um voo às 17h20min — diz Jerusa.

De acordo com ela, este tipo de problema com a companhia aérea é recorrente no Aeroporto Salgado Filho:

— Eu e meu marido viajamos por todo Brasil e nunca temos problemas. Aqui já aconteceu mais de uma vez.

Passageiros que tentavam vaga em voos no fim da tarde informaram que muitas pessoas foram levadas a hotéis e só embarcariam no dia seguinte. Outras, que teriam perdido conexões, seriam levadas a São Paulo e lá seriam hospedadas em hotéis.

Segundo a psicóloga Luciane Ribeiro, que conseguiu garantir o embarque às 17h20min, a situação dos passageiros só começou a ser resolvida depois de quase cinco horas de espera:

— Esperava estar em casa para o almoço de Páscoa, em vez disso passamos a manhã e parte da tarde esperando uma explicação.

Funcionários da TAM no aeroporto não quiseram dar explicações sobre o ocorrido à reportagem. Zero Hora tentou entrar com contato com a empresa, mas não conseguiu retorno.

fonte/ZeoHora
Enhanced by Zemanta

MOTORISTAS ENFRENTAM FILAS E ESTACIONAM CARROS SOBRE CANTEIROS NO AEROPORTO INTERNACIONAL TOM JOBIM


RIO - Considerado o pior aeroporto do país em relatório da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), divulgado em fevereiro , o Aeroporto Internacional Tom Jobim acumula reclamações de passageiros. A falta de estrutura do estacionamento, que já foi alvo de protestos no domingo (17) , volta à cena no registro de leitores. Diante da falta de vagas do aeroporto, por onde passaram 12,2 milhões de pessoas em 2010, a saída encontrada por motoristas é parar o carro em cima de canteiros, como relata o internauta Luiz Lopes ao Eu-repórter:
"A Infraero, não satisfeita em brindar os cariocas com um aeroporto internacional caindo aos pedaços e imundo, agora cobra (e caro) para os usuários do estacionamento do Galeão estacionarem em cima do gramado e das calçadas. No Santos-Dumont, a fila de espera por uma vaga no estacionamento alcança o Aterro. Será tão difícil fazer um edifício-garagem? E as autoridades dizem que tudo estará OK até a Copa".


O fato de o Rio ser cidade-sede de jogos da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 também preocupa o internauta Alexandre Saad, outra vítima da limitada estrutura do Galeão. 

"Como prova do despreparo, do desrespeito e da falta de planejamento, fui surpreendido ao ver às 6h desta sexta-feira (22) que os estacionamentos do Galeão estavam lotados e com fila de espera. Aonde vamos chegar? Imagina passar vergonha mundialmente na Olimpíadas e Copa do Mundo..." 

Segundo a Infraero, a modernização dos estacionamentos do Aeroporto Internacional Tom Jobim já estão sendo estudada, a fim de aumentar o número de vagas. Também está nos planos da empresa a instalação de novas cabines na saída do estacionamento e guichês de pagamento dentro do terminal de passageiros, para minimizar os transtornos pelos quais as pessoas estão sendo obrigadas a enfrentar.

fonte/OGlobo
Enhanced by Zemanta

sábado, 23 de abril de 2011

TAM RECUSA LEVAR PASSAGEIRA COM DOENÇA DEGENERATIVA


 
A companhia aérea TAM se recusou a levar para Europa uma brasileira que sofre de doença degenerativa. Mariza possui uma doença que atrofia os músculos. Apesar de não haver cura, a família pagou quase R$ 100 mil por um tratamento com células tronco, realizado na Alemanha, que podem minimizar os sintomas da doença. Contudo, nem com duas determinações judiciais a paciente conseguiu embarcar.

fonte/SBT

sexta-feira, 22 de abril de 2011

ADVOGADA DA AMAZONAVES CONFIRMA NOME DAS VITÍMAS

A advogada da empresa Amazonaves, Natascha Deshoolmeester, confirmou os nomes das vítimas que estavam na aeronave: o proprietário da empresa, Antônio Picão Neto, 50, a esposa Luciana Picão, 42, o filho Matheus Henrique  Picão, 12, a supervisora de cargas Janilce Oliveira, uma amiga Kelly Sidrônio, o piloto Waldeir Alencar da Silva, "Mineirinho", e o pedreiro Magno Souza. O grupo também levava um cachorro de estimação, o Pimpolho.


 fonte/EmTempo

CAUDA DO ACIDENTEEM MANAUS PODE TER SIDO FALAHA MECÂNICA NO MOTGOR


Uma equipe composta por seis médicos legistas, três atendentes e três auxíliares de necrópsia trabalham na identificação dos corpos das vítimas do acidente no Instituto Medico Legal (IML). Segundo os legistas, o laudo preliminar aponta que os sete ocupantes da aeronave tiveram politraumatismo com explosão de órgãos.

Nilson Sidrônio dos Santos, 27, irmão de Kelly Sidrônio, uma das vítimas, foi ao IML reconhecer a irmã. Segundo ele, Kelly estava mutilada, mas que as outras vítimas estavam em estado pior, principalmente Antônio Picão que estaria pilotando o avião ao lado do piloto Waldeir Alencar da Silva, outro em igual estado.

Segundo Nilson, irmão de Kelly, a irmã dele teve um pressentimento na manhã de hoje e cogitou até mesmo não viajar. Ela teria dito isso para a mãe deles, Maria do Carmo Sidrônio, 57. “Ela conversou com a minha mãe e disse que não queria ir, mais foi convencida pela Luciana”, disse Nilson.


O presidente do Sindicato dos Aeroviários do Amazonas (Sindamazon), Jorge Negreiros, 62, cita uma possível falha mecânica no motor da aeronave como causa do acidente.

O técnico de proteção e segurança de voo, com 30 anos de experiência na área, disse que o motor desse tipo de avião pesa 300 quilos, o que poderia ter ocasionado a queda do avião.

O técnico em proteção e segurança descartou a possibilidade de excesso de passageiros. “Esse tipo de aeronave tem capacidade para seis pessoas mais pode levar até sete. A criança pesava 40 quilos, isso não significa que a aeronave estava com excesso de peso e lotação”, esclareceu.

Outra pessoa que foi prestar solidariedade às famílias e não quis ter o nome divulgado, apontou outro suposto motivo para o acidente. Segundo ele, o combustível adulterado também pode ter causado pane no motor, fato que só perícia mais aprofundada poderá revelar.

fonte/EmTempo

ACIDENTES COM VÍTIMAS FATAIS MOSTRA FRAGILIDADE NA FISCALIZAÇÃO NO AMAZONAS


 
Manaus - O acidente aéreo com um avião da Amazonaves que matou sete pessoas nesta quinta-feira (21) no aeroporto Eduardo Gomes, levanta questionamentos sobre a segurança nas viagens de avião no Estado. O Amazonas tem um histórico de acidentes com vítimas fatais, e alguns deles provocados por falhas nos equipamentos ou erros dos profissionais envolvidos. Relembre alguns acidentes aéreos que ceifaram vidas no Estado.

Rico
Em 14 de maio de 2004 foi registrado o mais grave acidente aéreo do Amazonas. O voo 4815 da Rico Linhas Aéreas caiu em Manaus, vindo da cidade de São Paulo de Olivença. Os 33 passageiros e dois tripulantes morreram. A falta de treinamento adequado dos pilotos e uma sucessão de erros deles durante o procedimento de pouso foram as principais causas da queda do avião Brasília da Rico Linhas Aéreas, segundo relatório final elaborado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica. Por conta desse laudo, o Ministério Público do Estado (MP-AM) abriu denúncia contra a empresa.

Manacapuru
No dia 7 de fevereiro de 2009 um avião Bandeirante, prefixo PT-SEA, caiu no rio Manacapuru, faltando 10 minutos para chegar na pista de pouso em Manaus. Das 28 pessoas a bordo, 24 morreram. Uma pane no motor foi a principal tese levantada pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa-7). O avião era da empresa Manaus Aerotáxi e estava fretado para o município de Coari (a 363 quilômetros a oeste de Manaus).

Seduc
No dia 13 de maio do ano passado, um bimotor Sêneca, prefixo PT-EUJ, da empresa Cayton Táxi Aéreo, caiu no bairro Zumbi, na zona leste de Manaus. O avião caiu no terreno do Retiro Escolar Salesiano Dom Bosco. Seis pessoas morreram, entre elas a secretária de Educação do Estado, Cínthia Régia Gomes do Livramento. A aeronave ia para Maués e caiu minutos depois de levantar voo do Aeroclube de Manaus.

Empresa marcada por outros acidentes

Há registros de pelo menos quatro outros acidentes com aeronaves da empresa Amazonaves nos últimos nove anos. O último ocorreu em 2007.

Um avião bimotor modelo Seneca II, prefixo PT-WIG, caiu no condomínio residencial Dilma Toledo, próximo ao Aeroclube do Amazonas, no bairro Flores, zona centro-sul de Manaus. A aeronave atingiu uma casa que estava em construção. No avião estavam apenas o piloto e um passageiro, que tiveram ferimentos graves. Na ocasião, o piloto, Leandro Costa, 25, informou que houve problemas mecânicos no motor depois da decolagem. Ele tentou retornar ao aeroclube, mas a aeronave acabou caindo no condomínio.

Em maio de 2002, houve um acidente com um Minuano (BEM-720 D) da empresa, prefixo PT-OFA, que fazia um voo de experiência (voo local), após ser realizada uma inspeção geral (1.000 horas). O piloto saiu gravemente ferido.

O mais grave ocorreu em 2003, quando um outro Minuano (EMB-720 D), prefixo PT-VCB, sofreu um acidente quando decolou de Tefé (a 523 quilômetros a oeste de Manaus) para São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros a noroeste de Manaus), levando o piloto e um passageiro. A aeronave foi localizada cerca de três meses depois submersa em um lago próximo à comunidade indígena de Maguari. Encontrava-se de dorso com a bequilha quebrada, apresentando danos estruturais leves. Os dois ocupantes morreram no acidente.
 
fonte/DM24AM
Enhanced by Zemanta

quinta-feira, 21 de abril de 2011

GRUPOS QUE COMPRARAM PACOTES DE VIAGEM PARA ARGENTINA ENFRENTAM PROBLEMA PARA EMBARCAR


SÃO PAULO - Dois grupos que compraram pacotes para passar o feriado de Páscoa em Buenos Aires, na Argentina, encontram dificuldade desde a noite desta quarta-feira para embarcar em voos partindo do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Um deles, de 230 pessoas, deveria ter partido do terminal às 2h. Eles compraram pacotes na agência de viagem CVC, com chegada prevista para esta manhã na capital argentina, em voo da companhia Whitejet, mas só devem deixar São Paulo nesta tarde.
O desejo de passar o feriadão na Argentina também se transformou em frustração para outro grupo. Eles deveriam ter embarcado na noite desta quarta-feira pelas Aerolíneas Argentinas. Uma passageira iria para o casamento da irmã e perdeu a cerimônia no civil, mas ainda tem esperança de chegar a tempo para a festa. 

- Deu 2h e começaram a mudar os horários do voo. Esse voo já foi para as 8h e, agora, está para as 13h10m - contou o gerente de produtos Fernando Marchiori, um dos passageiros que comprou passagem da CVC. 

Tanto os representantes da companhia aérea quanto os da agência falaram ao grupo que a viagem não pôde ser feita por causa do mau tempo na Argentina, mas durante a madrugada e nesta manhã outros voos programados para Buenos Aires decolaram de Guarulhos. Os passageiros procuraram a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para registrar a reclamação. Alguns desistiram do passeio.
- Segunda-feira eu tenho uma reunião importante e eles não me garantem a volta no prazo, no horário - diz Mário Agostino, gerente de controladoria. 

A agência de turismo CVC informou que o problema foi de responsabilidade da companhia aérea que, por condições operacionais e de segurança, não pôde fazer a viagem. A agência disse, ainda, que a Whitejet ofereceu hotel, transporte e refeição para os passageiros.

fonte/OGlobo
Enhanced by Zemanta

CAMINHÃO BATE EM PORTA DE AERONAVE DA TAM ESTACIONADA NO PÁTIO DO AEROPORTO DE NATAL

 Um caminhão utilizado para abastecer as aeronaves com alimentos se chocou contra a porta traseira de um avião da TAM, na manhã desta quinta-feira, no aeroporto Augusto Severo, em Natal. O acidente aconteceu por volta das 6h, quando a aeronave estava estacionada no pátio. O avião seguiria para Salvador e Guarulhos, na Grande São Paulo.
Para verificar as avarias na aeronave, a TAM reacomodou os passageiros em outros voos da companhia, um deles em um avião reserva e um segundo que partiu às 15h para Guarulhos. Parte dos passageiros desistiu da viagem. 

A TAM ainda tentou acomodar alguns deles em hotéis de Natal, mas, por conta do feriadão prolongado, não foi possível encontrar hospedagem para todos os passageiros.


fonte/OGlobo

INFORMAÇÃO ATUALIZADA - FILHAS DO EMPRESÁRIO ESTÃO VIVAS

Incluídas na lista de passageiros do avião Seneca, as duas filhas do empresário e sócio da Amazonaves Táxi Aéreo, Antônio Picão Neto, não embarcaram. Segundo familiares, as moças de 18 e 22 anos, que não tiveram os nomes divulgados, desistiram da viagem. Apenas a esposa de Picão, Luciana, e o filho mais novo do casal, Mateus, 12, estavam na aeronave.

Os três homens, as três mulheres e o menino iriam a Santarém (PA), onde passariam o feriado prolongado na praia de Alter do Chão. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que não falará sobre o acidente.

fonte/EmTempo

AVIÃO CAI EM MANAUS E SETE MORREM



Manaus - Um avião modelo Sêneca, de prefixo PT-EFS, caiu na pista do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, às 14h50 desta quinta-feira (21). O Corpo de Bombeiros confirmou que as sete pessoas que estavam dentro da aeronave morreram.

De acordo com informações da assessoria da Infraero, o acidente aconteceu quando o avião tentava decolar. O avião pertencia a empresa Amazonaves.

O corpo de três homens, três mulheres e uma criança do sexo masculino foram identificados no local. Funcionários da empresa Amazonaves informaram que o proprietário da empresa, Antônio Picão, era um dos passageiros. Além deles, um cachorro que estava na aeronave morreu.

O piloto Galdino Luz disse que pilotou a aeronave recentemente e que ela estava com a manutenção em ordem e em boas condições de voo. Ele declarou que a aeronave era considerada nova.
Pessoas que estavam no Aeroporto Eduardo Gomes e se preparavam para viajar foram informados que os voos e decolagens foram suspensos.

Histórico
Há registros de pelo menos quatro outros acidentes com aeronaves da empresa Amazonaves nos últimos nove anos. O último ocorreu em 2007.
Um avião bimotor modelo Seneca II, prefixo PT-WIG, caiu no condomínio residencial Dilma Toledo, próximo ao Aeroclube do Amazonas, no bairro Flores, zona centro-sul de Manaus. A aeronave atingiu uma casa que estava em construção. No avião estavam apenas o piloto e um passageiro, que tiveram ferimentos graves. Na ocasião, o piloto, Leandro Costa, 25, informou que houve problemas mecânicos no motor depois da decolagem. Ele tentou retornar ao aeroclube, mas a aeronave acabou caindo no condomínio.
Em maio de 2002, houve um acidente com um Minuano (BEM-720 D) da empresa, prefixo PT-OFA, que fazia um vôo de experiência (vôo local), após serem realizadas uma inspeção geral (1.000 horas). O piloto saiu gravemente ferido.
O mais grave ocorreu em 2003, quando um outro Minuano (EMB-720 D), prefixo PT-VCB, sofreu um acidente quando decolou de Tefé (a 523 quilômetros a oeste de Manaus) para São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros a noroeste de Manaus), levando o piloto e um passageiro. A aeronave foi localizada cerca de três meses depois submersa em um lago próximo à comunidade indígena de Maguari. Encontrava-se de dorso com a bequilha quebrada, apresentando danos estruturais leves. Os dois ocupantes morreram no acidente.

fonte/foto/D24Am
Enhanced by Zemanta

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...