terça-feira, 27 de janeiro de 2009

BANCO EM DIFICULDADE NEGOCIARA COMPRA DE JATO DE US$ 50 MILHÕES

Socorrido com US$ 45 bilhões em dinheiro do governo americano, o Citigroup estaria levando adiante planos de comprar um jato executivo de US$ 50 milhões.
O senador democrata Carl Levin pede ao governo do presidente Barack Obama que bloqueie o negócio.
O avião que o Citi estaria comprando é um Dassault Falcon 7X, informou uma fonte com conhecimento do assunto.
O banco não confirma a compra, mas afirma que reduziu sua frota de aeronaves em dois terços nos últimos anos e tem políticas rígidas para o uso de jatos,
incentivando os executivos a usarem vôos comerciais quando possível, para reduzir custos.
Segundo o jornal New York Post - primeiro a noticiar a compra, o Citigroup está vendendo duas aeronaves antigas da Dassault, por US$ 27 milhões.
A pessoa próxima ao negócio afirmou ainda que o cancelamento da compra do avião, que teria sido encomendado há dois anos, geraria uma multa de milhões de dólares ao Citigroup por quebra de contrato com a Dassault, empresa de origem francesa.
De acordo com o senador Levin, a compra do banco é "absurda". "Permitir que o Citigroup compre um avião de luxo - construído no exterior ainda por cima - enquanto montadoras americanas são obrigadas a vender seus jatos é um dois pesos e duas medidas ridículo", disse.
Em Washington, a Casa Branca informou, por meio de um porta-voz, dizendo que o Obama não acredita que "este é o melhor uso dos recursos" para uma empresa que recebeu dinheiro do contribuinte.
Levin afirmou ainda que pediu ao novo secretário do Tesouro, Timothy Geithner, que impeça ainda nesta terça-feira que esse "absurdo" ocorra.
As montadoras Chrysler e General Motors (GM) quase viram seus planos de serem socorridas pelo governo falharem quando seus diretores executivos foram a Washington em jatos particulares, o que provocou reações de parlamentares que qualificaram a atitude de gasto excessivo e julgamento falhao.
terra.com/Reuters

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...