quarta-feira, 19 de novembro de 2014

VÍDEO - PARTE I - AVIAINDRA 2014 (Exercícios Rússia-Índia)


FAB HABILITA PILOTOS PARA INSTRUTORES DOS NOVOS CAÇAS GRIPEN D NA SUÉCIA

FAB Pilotos_GripenD_Suécia 19nov14 800dpi

Dois pilotos brasileiros voaram hoje, quarta-feira, dia 19 de Novembro, pela primeira vez, em aviões Gripen D, anunciou esta manhã a Força Aérea Brasileira (FAB). Os voos aconteceram na Suécia, em dois aparelhos distintos, onde os pilotos estão a treinar e acompanhados por pilotos da Força Aérea da Suécia.

Os capitães Gustavo de Oliveira Pascotto e Ramon Santos Fórneas (ambos na foto obtida após o primeiro voo de hoje de manhã na Suécia) tornaram-se assim nos primeiros pilotos brasileiros a cumprir uma missão de treino em aeronaves Gripen. Voaram durante 50 minutos em aviões Gripen D, acompanhados por pilotos suecos. O pouso ocorreu às 10 horas da manhã na base de Satenas, na Suécia (seis horas da manhã no horário de Brasília).

“Foi melhor do que eu esperava”, disse o capitão Fórneas. “A aeronave é de pilotagem dócil”, elogiou. A principal característica notada pelos brasileiros até agora foi a vantagem aerodinâmica proporcionada pelos canards, pequenas asas localizadas na frente do Gripen. “A distância de pouso é extremamente pequena”, contou.

Os dois Gripen voaram em uma área de instrução sobre a Suécia e o Mar Báltico. Após a decolagem, foi realizada uma subida até 10.638 metros de altura em um minuto e meio, uma taxa de subida de 118 metros por segundo. Para cumprir o cronograma de treino proposto pelos suecos, e nesta fase de familiarização com o novo aparelho, os pilotos brasileiros também realizaram acrobacias.

Diferentemente dos demais brasileiros que já voaram no Gripen em testes, os dois aviadores têm agora a responsabilidade sobre as aeronaves e treinam para dominarem todos os sistemas dos caças. Três horas após o pouso, os pilotos já seguiram para um novo treino no simulador de voo.

Formados pela Academia da FAB, o capitão Fórneas era piloto de caças F-5 e o capitão Pascotto comandava caças Mirage 2000. Ambos vão passar seis meses em treino na Suécia e tornar-se-ão os primeiros brasileiros instrutores de Gripen.

fonte/foto/NewsAvia

TAP REDUZ NÚMERO DE TRABALHADORES EM EMPRESA DE MANUTENÇÃO NO BRASIL

TAP ME PortoAlegre Raul Pereira 900dpi

A VEM, empresa de engenharia e manutenção da TAP no Brasil, empregava 4.000 trabalhadores em 2007, mas desde então o grupo aéreo português já reduziu os quadros para cerca de metade, refere o ‘Diário Económico’, um dos principais jornais económicos que se publica em Portugal.
A matéria publicada é da autoria da jornalista Hermínia Saraiva. Reproduzimos em seguida o texto na íntegra, para melhor entendimento do que está exposto na publicação portuguesa:

«A TAP voltou a reduzir em Outubro o número de trabalhadores na operação de Manutenção & Engenharia no Brasil (TAP M&E Brasil). A empresa fala numa reestruturação que afectou 45 trabalhadores desde Outubro de 2013, com “o objectivo de viabilizar” a unidade brasileira, mas os sindicatos dizem que desde o início do ano já foram dispensadas mais de 100 pessoas.

“A TAP vem deste 2007 despedindo trabalhadores. Éramos em torno de 4.000 quando a TAP assumiu o controlo da empresa, hoje estamos na faixa de 2.150 a 2.200. O fato é que, desta vez, foram despedidos 61 trabalhadores em 30 dias”, afirma Paulo Sérgio da Silva, director de Imprensa do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre.

A empresa confirma a redução dos quadros, clarificando que “em Outubro de 2013 o total era de 2.209 e agora é de 2.164″; destes, cerca de 1.200 trabalham nos hangares da empresa em Porto Alegre, enquanto os restantes estão baseados no Rio de Janeiro. “É decisivo adequar a mão-de-obra às necessidades do mercado”, diz fonte oficial da empresa, lembrando que “a VEM trabalhava exclusivamente para a Varig e a M&E trabalha para o mercado global, o que obrigou a um esforço enorme de formação e ao reforço de mais competências”. A mesma fonte assegura, numa visão contrária à do sindicato, que o número de trabalhadores se manteve “praticamente estável” em 2014, “tendo havido saídas mas também entradas”.

Paulo Silva garante que a empresa não deu qualquer explicação “nem ao sindicato nem aos trabalhadores” e em comunicado os Aeroviários dizem que “não existe um critério lógico para as demissões, nem para as avaliações internas, e o descrédito diante dessa gestão da TAP ME é gigante”.
A TAP diz que “este movimento é decisivo para atingir os objectivos de consolidação da empresa”, que no ano passado reduziu os prejuízos em cerca de 18,6%, com perdas de 41 milhões de euros, contra um resultado negativo de 50,4 milhões registado em 2012. “Dentro do objectivo que é viabilizar a empresa trabalha-se no plano das receitas e dos custos. No primeiro caso a melhoria este ano é de 12%, o que compara com os 6% de média que se verifica neste negócio na América Latina, traduzindo o esforço que tem vindo a ser feito”, diz fonte oficial da TAP, sem esclarecer qual a variação em termos de despesa. Em 2012, e de acordo com o relatório e contas da companhia aérea, os custos de exploração reduziram-se em 4,8%, apesar do aumento de 1,4% dos custos com pessoal, “bem abaixo do dissídio compulsório de 5,8%”, o aumento salarial imposto por lei independentemente dos resultados da operação.

Fonte oficial da companhia aérea assegura ainda, sem referir valores, que a TAP M&E Brasil, que no passado afastou alguns dos interessados na privatização da TAP, deverá “atingir já este ano o break-even no EBITDA”.

E os potenciais interessados na privatização da companhia aérea, cujo processo de venda foi lançado na última quinta-feira, terão mesmo que assumir o deficitário negócio do Brasil. “A Manutenção & Engenharia do Brasil estará sempre incluída” no perímetro de venda da TAP, afirmou Sérgio Monteiro, secretário de Estado dos Transportes, admitindo, no entanto, a possibilidade de poder alienar o negócio separadamente: “Se aparecer um comprador antes da privatização [pode ser vendida], mas o inverso não pode acontecer”.

fonte/foto/NewsAvia

VÍDEO DO F-35C EM OPERAÇÃO NOTURNA


VÍDEO DOS THUNDERBIRDS


ENCONTRO NACIONAL DE AVIAÇÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA ACONTECE EM FORTALEZA

BRASIL Fortaleza Praia de Iracema 900dpi

A cidade de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, no Nordeste Brasileiro, sedia a partir desta terça-feira, dia 18 de Novembro, o Encontro Nacional de Aviação de Segurança Pública 2014 (Enavseg 2014).

A iniciativa é da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), em parceria com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE).

A abertura da Enavseg 2014 acontece às 20h30, no Quality Inn Hotel (Avenida Beira-Mar, 2340 – Meireles), com participação da Secretária Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ), Regina Miki. A programação do evento segue até a próxima quinta-feira (20). O encontro técnico abordará, através de palestras e workshops, assuntos voltados à Aviação de Segurança Pública e Defesa Civil.

Cento e vinte profissionais das Organizações de Aviação da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Força Nacional de Segurança Pública e das Unidades Aéreas das Polícias Militares (PMs), Polícias Civis (PCs) e Corpos de Bombeiros Militares (CBMs) dos 26 Estados da Federação e do Distrito Federal (DF) participarão da iniciativa.

Durante o evento, os participantes poderão conhecer os trabalhos de integração e estruturação da Aviação de Segurança Pública, bem como o acesso às informações disponíveis para o provimento logístico de operações aéreas policiais e de Defesa Civil e, ainda, consolidar uma proposta de implantação de uma Política Nacional para o segmento.

fonte/NewsAvia

ANIVERSÁRIO DO C-2A GREYHOUND


AEROPORTO DE BRASÍLIA RECEBE AUTORIZAÇÃO PARA OPERAR ATÉ 52 VOOS POR HORA


O Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA) aumentou a capacidade do sistema de pista do Aeroporto de Brasília, passando de 44 movimentos/hora para 52 movimentos/hora. Com a autorização, o terminal se torna o aeroporto com maior capacidade de pista do Brasil, podendo realizar um voo a cada um minuto e nove segundos, aproximadamente.

Depois de estudos e informações obtidas a partir de uma média ponderada das diferentes condições de operação das pistas, como qualidade, visibilidade em situações meteorológicas adversas, tempo de ocupação, capacidade de pátio, direção do vento e a categoria das aeronaves, o órgão militar definiu que o Aeroporto de Brasília poderá receber mais oito novos voos por hora. Isso significa um crescimento de até 8 mil passageiros a mais todos os dias, considerando a média de movimentação do aeroporto.

fonte/CorreioBraziliense

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...