domingo, 31 de julho de 2016

EMBRAER APONTA PREJUÍZO DE R$ 337 MILHÕES NO ÚLTIMO TRIMESTRE


Entre abril e junho, Embraer teve lucro 60% menor do que no mesmo período de 2015. Foto: Divulgação.
 Entre abril e junho, Embraer teve lucro 60% menor do que no mesmo período de 2015. Foto: Divulgação.

Xandu Alves
São José dos Campos

Enfrentando um mercado mais restritivo a novos aviões, a Embraer fechou o segundo trimestre do ano com prejuízo de R$ 337,3 milhões, revertendo lucro de R$ 385,7 nos três primeiros meses de 2016.
O saldo do semestre ficou em R$ 48,5 milhões. Os números foram apresentados nesta sexta pela empresa. No ano passado, a terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, atrás apenas de Boeing e Airbus, encerrou o segundo semestre com lucro de R$ 399,6 milhões.

"Houve um desempenho aquém na aviação executiva, o que reflete a sazonalidade do negócio, que sofre no início do ano", avaliou José Antonio Filippo, vice-presidente Executivo, Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer.

Embora a empresa tenha revisado suas projeções de lucro e de entrega de aeronaves para 2016, Filippo descartou demissões na fábrica em São José dos Campos, sede da companhia. "Não estamos falando de demissão e queremos manter produção e ganhar com a produtividade", disse ele.

Lucro. Excluindo o imposto de renda e a contribuição social, a Embraer anotou lucro líquido ajustado de R$ 155,6 milhões entre abril e junho, valor é quase 60% menor do que o resultado do mesmo período de 2015, de R$ 380 milhões. No acumulado do semestre, o lucro foi de R$ 150 milhões.
Um dos motivos do resultado negativo foi a provisão de perdas de US$ 200 milhões, cerca de R$ 650 milhões, em razão de acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que investiga a Embraer sobre supostas violações às leis anticorrupção norte-americanas. "O resultado negativo é intensificado pela provisão, mas se a tirarmos, vemos uma aviação comercial mantendo o esperado e a executiva abaixo, com a defesa um pouco melhor", afirmou Filippo.

Para ele, os resultados serão melhores até o final do ano. "Perspectiva que se recupere no segundo semestre do ano. Estamos revisando as entregas, o que leva a buscar recuperação e a fazer ajustes".

Previsão de entrega cai para 2016

A Embraer revisou suas estimativas para 2016. Com as vendas de jatos executivos mais difíceis do que o esperado, a empresa reduziu a previsão de entrega de jatos executivos de até 135 aviões para até 125.

As receitas do setor também devem cair, segundo estimativa da fabricante, de até US$ 1,9 bilhão para até US$ 1,75 bilhão. Com isso, a Embraer revisou para US$ 6,2 bilhões a previsão máxima de receita líquida no ano, para todos os segmentos. Antes, o valor era de até US$ 6,4 bilhões.

As estimativas de entregas e receitas na aviação comercial e no setor de defesa e segurança para 2016 permaneceram inalteradas. 

fonte/foto/OVALE

quarta-feira, 27 de julho de 2016

ATUALIZADO - PILOTO CONTINUA DESAPARECIDO - CAÇAS DA MARINHA DO BRASIL COLIDEM NO AR

O sumiço do piloto e do caça AF-1 Skyhawk da Marinha após um acidente durante um treinamento padrão de ataque a alvos de superfície na costa de SAQUAREMA, Região dos Lagos, completa uma semana nesta terça-feira (2). Nenhum vestígio ou destroço da aeronave foi encontrado até o momento, segundo a Marinha, que também não divulgou o nome do piloto. De acordo com o órgão, que abriu um Inquérito Policial Militar, também não há avanços na investigação sobre as causas que levaram ao choque das aeronaves do ar. O prazo para a apresentação de um parecer é de até 60 dias após a abertura do processo, no dia 27.

A Marinha segue fazendo buscas sem interrupção na costa da Praia de Jaconé, mas continua sem pistas sobre a localização do militar, que decolou com a aeronave em São Pedro da Aldeia na tarde de terça-feira (26) e não retornou. O outro caça AF-1 Skyhawk, que também participava do treinamento e se envolveu no acidente, retornou com segurança para a Base Aérea Naval.


Navio-sonda faz buscas por piloto desaparecido em Saquarema (Foto: Repordução/ Inter TV) 
Navio-sonda faz buscas por piloto desaparecido em Saquarema (Foto: Reprodução/ Inter TV)

O G1 fez uma série de questionamentos para a Marinha nesta segunda-feira (1º) sobre que tipos de localizadores a aeronave tinha, quando foi a última vez que o caça foi visto nos radares de voos ou se existe algum tipo de ponto cego no espaço aéreo brasileiro na costa de Saquarema, mas até o momento não obteve respostas da companhia.

Navio-sonda
O navio-sonda de Pesquisa Hidroceanográfico "Vital de Oliveira", da Marinha do Brasil, atua próximo à costa de Saquarema desde a quarta-feira (27) junto com outras embarcações. Helicópteros estão sobrevoando o mar para tentar encontrar vestígios do caça. Agentes dos bombeiros fazem varreduras na areia com quadriciclos.

O navio tem 78 metros de comprimento, possui cinco laboratórios e tem capacidade para 130 pessoas.
Entre os equipamentos estão ecobatímetros multifeixe, perfilador de velocidade do som e sonar de varredura lateral. A embarcação pode ser operada remotamente.



 Foto do Skyhawak da Marinha do Brasil, versão biplace, arquivo pessoal.

O acidente aconteceu a 24 milhas da costa - cerca de 44 km. Uma grande operação de resgate está em curso com helicópteros, navios e outras embarcações.

Um corretor de imóveis gravou um áudio relatando o que ouviu na hora do acidente.


"Eu tava de caiaque, pescando dentro d'água. Eu ouvi um barulho e eu vi a localização onde levantou a água. Inclusive, o navio da Marinha agora, nesse momento, tá onde eu ouvi o barulho. E eu senti um cheiro diferente, como se fosse um óleo, no ar, um querosene, alguma coisa desse tipo assim, e um risco de fumaça. Aí, não levou muito tempo, começou navio, barco, um monte de coisa, e um helicóptero rodando em cima da gente. Foi onde eu fiquei nervoso. Mas só fui saber o que era mesmo quando eu fui pra fora d'água. Na hora daquele barulho, daquele impacto na água, eu achei que fosse uma baleia, alguma jubarte, alguma coisa",  revelou o corretor, Tathiano Sobral.

Em nota, a Marinha confirmou a colisão entre as aeronaves e detalhou a estrutura que está sendo utilizada na operação de resgate. O acidente foi durante um treinamento padrão de ataque a alvos de superfície. Uma fragata participava do treinamento, a cerca de 100 Km do litoral.

A aeronave que caiu no mar é do modelo AF-1 Skyhawk da Marinha do Brasil. O outro caça envolvido na batida voltou com segurança para a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, de onde ambos haviam saído.

Os aviões AF-1 Skyhawk foram comprados pelo Brasil do Kuwait, depois da Guerra do Golfo, e participaram de missões de combate da Operação Tempestade no Deserto no início de 1991. A Marinha do Brasil possui 23 exemplares do Skyhawk da versão A-4KU.

O projeto de modernização das aeronaves incluiu o uso de equipamentos de ponta desenvolvidos com tecnologia brasileira.

Leia a íntegra da nota enviada pela Marinha:
"A Marinha do Brasil, em complemento à nota publicada anteriormente, informa que duas aeronaves AF-1B encontravam-se realizando treinamento de ataque a alvos de superfície com a Fragata "Liberal", a cerca de 100 Km ao largo do litoral de Saquarema-RJ. Durante o voo de afastamento do navio, em formatura tática, para a realização de um novo ataque, houve a colisão entre as aeronaves, com a provável ejeção do piloto e queda de uma delas no mar. As operações de busca e salvamento foram iniciadas imediatamente com o emprego de navios, aeronaves, além de lanchas de apoio do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro. A segunda aeronave conseguiu retornar e pousar, com segurança, na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia-RJ. Até o momento, o piloto não foi encontrado. As buscas prosseguirão pelo período noturno com o emprego de navios e aeronaves."

fonte/foto/G1/fotoRobertoFantinel

sexta-feira, 22 de julho de 2016

SUSPENSAS BUSCAS DO BOEING DA MALAYSIA AIRLINES VOO MH370


Ministros de Transporte de Austrália, China e Malásia decidiram nesta sexta-feira (22) suspender a busca do avião do voo MH370 da companhia aérea Malaysia Airlines, que desapareceu em 2014 com 239 a bordo, em uma área de 120 mil quilômetros quadrados do Oceano Índico.

“A suspensão vai durar até que apareça uma nova informação sobre a localização do avião”, disse o ministro malaio de Transporte, Liow Tiong Lai, ao “Channel NewAsia”.

A decisão foi tomada e anunciada após reunião de Lai com ministros de Transporte da Austrália, Darren Chester, e da China, Yang Chuantang.

As operações cobriram cerca de 110.000 km² da zona delimitada por especialistas. Até um submarino controlado à distância foi usado nas missões.

A procura por destroços do avião no restante da área seria concluída em julho, mas o inverno intenso na região estenderia as ações até outubro ou dezembro.

O Boeing 777-200 sumiu 40 minutos depois de decolar de Kuala Lumpur rumo a Pequim, em 8 de março de 2014, com 227 passageiros e 12 tripulantes.

Foram recuperadas cinco peças da aeronave em praias da costa oriental da África, em Moçambique e África do Sul, e nas Ilhas Maurício e as francesas Reunião e Rodrigues. Outros oito destroços achados na costa oriental da África estão sendo analisados.

fonte/G1

QUASE ACIDENTE COM E-2C HAWKEYE NO USS EISENHOWER


sábado, 16 de julho de 2016

EMBRAER AMPLIA VENDAS NO JAPÃO


A Embraer Aviação Executiva anunciou ontem a ampliação da sua rede de vendas na Ásia-Pacífico com a nomeação da JAC (Japan Aerospace Corporation) como representante de vendas autorizado para o Japão. "Esta parceria com a JAC vem se somar aos nossos esforços no Japão", disse Marco Tulio Pellegrini, Presidente & CEO da Embraer Aviação Executiva. A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos.

fonte/OVale

segunda-feira, 11 de julho de 2016

EMPRESA CANADENSE COMPRA 12 JATOS DA EMBRAER



A AirSprint, Inc., empresa com sede em Calgary, no Canadá, assinou contrato de compra de até 12 jatos Legacy 450 da Embraer, em dois pedidos firmes. Um com entrega prevista para o quarto trimestre de 2016, e mais 10 direitos de compra, com data de entrega a partir do primeiro trimestre de 2017. O acordo tem valor estimado de US$ 198 milhões. O anúncio foi feito pela Embraer em feira no Canadá.

fonte/foto/OVale

HÉRCULES C-130 DA FORÇA AÉREA PORTUGUESA EXPLODE NA BASE AÉEREA DE MONTIJO

FAP C130 PauloBrito_PXO 900px

Um avião de transporte militar e logístico da Força Aérea Portuguesa, um Lockheed C130 Hércules, explodiu e incendiou-se nesta segunda-feira, dia 11 de julho, quando estava na Base Aérea do Montijo, nos arredores da cidade de Lisboa, noticiaram os canais noticiosos das estações televisivas portuguesas.
O acidente terá ocorrido pelas 12h00 locais quando a aeronave, que transportava sete militares entre pilotos e passageiros, estava sobre uma das pistas do aeródromo da base militar. As primeiras notícias indicam que há três mortos confirmados e um ferido grave, revelou o canal ‘SIC Notícias’. Os restantes ocupantes estão a ser avaliados por equipas médicas da Base do Montijo.

A Força Aérea Portuguesa, através do coronel Rui Roque, disse ao canal português TVI que não há mais informações enquanto não estiver clarificada a situação em que ocorreu o acidente, não estando ainda confirmada em que fase do procedimento de voo aconteceu: se na descolagem, se na aterragem (pouso)

fonte/foto/NewsAvia.

ATUALIZADO VIA SAPO.PT

Um avião C130 da Forca Aérea terá ficado em chamas na pista, ao final da manhã, na base aérea do Montijo. Não foi ainda possível confirmar o que esteve na causa do incidente, mas ao que tudo indica o acidente terá provocado a morte a três pessoas. Terá ainda provocado um ferido.

Neste momento, decorrem as operações de controlo na própria pista da base aérea, tendo sido acionados os meios de socorro da própria base: no local está uma viatura dos bombeiros e uma ambulância, com apoio de médicos e enfermeiros.

A Força Aérea refere que, neste momento, não vão ser prestados quaisquer esclarecimentos nem confirma o incidente. Mas, ao SOL, fontes daquele ramo das forças armadas confirmam a informação. As explicações oficiais serão dadas mais tarde, quando tiverem sido apurados mais dados sobre o incêndio.

ATUALIZADO VIA JN.PT

Um C-130 da Força Aérea Portuguesa incendiou-se, esta segunda-feira de manhã, na Base Aérea número 6, no Montijo.
Segundo apurou o JN, há pelo menos três mortos e um ferido graves.
O C-130 em causa pertence à esquadra 501, conhecida como "Os Bisontes". Estaria a levantar voo, na Base Aérea do Montijo, quando começaram as chamas, no interior da aeronave, por razões desconhecidas.
O incidente causou ainda mais três feridos, cujo estado de saúde vai ser avaliado.
Contactado pela Lusa, o porta-voz da Força Aérea, coronel Rui Roque, confirmou que houve um acidente com uma aeronave na Base Aérea nº 6 e remeteu para mais tarde a divulgação de novos dados.
O porta-voz da FA afirmou que, cerca das 14.15 horas, estava a ser dada atenção às questões de segurança no local e à aferição do estado da tripulação da aeronave.
As circunstâncias e as causas do acidente serão alvo de averiguações, indicou o porta-voz.
De acordo com a página da Autoridade Nacional da Proteção Civil na internet, o alerta para o acidente foi dado às 12:20 horas e pelas 14.30 horas estavam no local 49 operacionais e 16 veículos.

 

HÉRCULES C-130 DA FORÇA AÉREA PORTUGUESA EXPLODE NA BASE AÉEREA DE MONTIJO

FAP C130 PauloBrito_PXO 900px

Um avião de transporte militar e logístico da Força Aérea Portuguesa, um Lockheed C130 Hércules, explodiu e incendiou-se nesta segunda-feira, dia 11 de julho, quando estava na Base Aérea do Montijo, nos arredores da cidade de Lisboa, noticiaram os canais noticiosos das estações televisivas portuguesas.
O acidente terá ocorrido pelas 12h00 locais quando a aeronave, que transportava sete militares entre pilotos e passageiros, estava sobre uma das pistas do aeródromo da base militar. As primeiras notícias indicam que há três mortos confirmados e um ferido grave, revelou o canal ‘SIC Notícias’. Os restantes ocupantes estão a ser avaliados por equipas médicas da Base do Montijo.

A Força Aérea Portuguesa, através do coronel Rui Roque, disse ao canal português TVI que não há mais informações enquanto não estiver clarificada a situação em que ocorreu o acidente, não estando ainda confirmada em que fase do procedimento de voo aconteceu: se na descolagem, se na aterragem (pouso)

fonte/foto/NewsAvia.

ATUALIZADO VIA SAPO.PT

Um avião C130 da Forca Aérea terá ficado em chamas na pista, ao final da manhã, na base aérea do Montijo. Não foi ainda possível confirmar o que esteve na causa do incidente, mas ao que tudo indica o acidente terá provocado a morte a três pessoas. Terá ainda provocado um ferido.

Neste momento, decorrem as operações de controlo na própria pista da base aérea, tendo sido acionados os meios de socorro da própria base: no local está uma viatura dos bombeiros e uma ambulância, com apoio de médicos e enfermeiros.

A Força Aérea refere que, neste momento, não vão ser prestados quaisquer esclarecimentos nem confirma o incidente. Mas, ao SOL, fontes daquele ramo das forças armadas confirmam a informação. As explicações oficiais serão dadas mais tarde, quando tiverem sido apurados mais dados sobre o incêndio.

MONOMOTOR DA RASANTE EM PRAIA DE PERUÍBE E ASSUSTA BANHISTAS


Um avião monomotor flagrado dando um rasante em uma praia de PERUÍBE, no litoral de São Paulo, assustou banhistas na tarde do último sábado (9). A manobra foi registrada em vídeo por um morador da cidade que acompanhava um grupo de turistas em uma observação de pássaros. Em contato com o G1, o dono da aeronave confirmou que estava abaixo da altura permitida, porém, afirmou que ninguém foi colocado em risco.

As imagens foram registradas no início da tarde de sábado, na praia do Guaraú. O avião modelo V35B sobrevoava o mar da cidade a poucos metros da água. No vídeo, é possível observar pelo menos dois surfistas dentro da água, além de outras pessoas caminhando na faixa de areia.

"Trabalho com observação de pássaros e o avião passou bem na hora que estávamos fotografando as aves na praia. Tinha crianças e surfistas na hora. Já pensou se perde o controle?", questionou o biólogo Fábio Donizetti, autor do vídeo.
Imprudência
 
O G1 conversou com três pilotos que costumam sobrevoar as praias da região. Eles afirmaram que houve imprudência na atitude do piloto e que, por recomendação da própria Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), esse tipo de voo é limitado a cerca de 1 mil pés, o que dá aproximadamente 300 metros. 

Justificativa
O proprietário da aeronave e também piloto José Santos Gonçalves justificou que o monomotor estava sobre o mar por conta de uma filmagem de uma reportagem. "Concordo que estava a menos de 300 metros, mas não houve nenhum risco para os banhistas. A tomada da filmagem era para obter detalhes da praia e do Costão, entre o Guaraú e Peruíbe", destacou.
Em contato com a reportagem, a Anac afirmou no último domingo que vai checar com o setor de fiscalização se já há algum processo para investigar o caso. Até a publicação desta reportagem, no entanto, a Agência não divulgou novas informações.

fonte/foto/G1

dados da aeronave via RAB

MATRÍCULA: PTJNI

Proprietário:

CPF/CGC:

Operador:
CPF/CGC:

Fabricante:
BEECH AIRCRAFT
Modelo:
V35B
Número de Série:
D-9627
Tipo ICAO :
BE35
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
1542 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
005


Categoria de Registro:
PRIVADA SERVICO AEREO PRIVADOS
Número dos Certificados (CM - CA):
7634
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
030512


Data de Validade do CA:
19/01/21
Data de Validade da IAM:
190217
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 11/07/2016 11:37:07

sábado, 9 de julho de 2016

MARINHA CHILENA RECEBE VULCANAIR


AIRBUS DA DELTA POUSOU POR ENGANO EM UMA BASE AÉREA NOS EUA

Um avião da companhia norte-americana Delta Air Lines, com 130 passageiros a bordo, aterrou por engano numa base da força aérea dos EUA na noite de quinta-feira, revelou hoje um porta-voz da National Transportation Safety Board (NTSB), a agência norte-americana para a segurança dos transportes aéreos civis.

O insólito episódio aconteceu, segundo o The Guardian, quando o piloto do Airbus A320 da Delta, que se dirigia para Rapid City, no estado da Dakota do Sul, confundiu as pistas: a base aérea de Ellsworth, onde o avião acabou por aterrar, fica a apenas 16 quilómetros do aeroporto regional da cidade e tem uma pista com orientação idêntica.

O voo 2845 da Delta tinha partido de Minneapolis e os passageiros tiveram depois de esperar cerca de duas horas e meia na base aérea, dentro da aeronave: foi-lhes ordenado que descessem as cortinas das janelas enquanto o pessoal militar passava em revista a cabina do avião, armado e auxiliado por cães.

Não foi a primeira vez que um piloto da aviação civil confundiu a pista de Rapid City com a desta base militar: em 2004, um voo da Northwest Airlines com 117 pessoas a bordo aterrou em Ellsworth e permaneceu no solo ao longo de três horas, enquanto a tripulação tentava explicar aos militares o que tinha corrido mal.

A companhia aérea revelou, em comunicado, ter pedido já desculpa aos passageiros pelo sucedido e garantiu que a tripulação responsável foi suspensa enquanto o incidente está a ser investigado, garantindo que irá cooperar com o inquérito entretanto aberto pela NTSB.
Já fonte militar explicou que o avião foi inspecionado porque os procedimentos de segurança assim o exigem.

fonte/MSN
ESCOLHIDO PARA SI

DESAPARECIDOS EM QUEDA DE AVIÃO SÃO ENCONTRADOS EM APUÍ


Manaus – Os corpos de José Pereira da Silva, conhecido como Zé Comprido, de idade não divulgada, e de Adones Costa e Silva, 38, que pilotava o avião, ainda não identificado pela polícia, foram encontrados em Apuí (distante de Manaus 455 km), na manhã de hoje (8), e identificados como as duas vítimas da queda de uma aeronave de pequeno porte, na tarde de ontem, na fronteira das cidades de Apuí, Novo Aripuanã e Borba. As informações foram repassadas pelo delegado Francisco Rocha, titular do 71ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), que acompanha preliminarmente o caso.

Segundo Rocha, os corpos de Zé Comprido e do piloto da aeronave foram encontrados em uma área de garimpo, localizado na fronteira de Apuí, e levados, de avião, para o aeroporto da cidade. O delegado informou que os corpos foram levados ao hospital da cidade e vão passar por avaliação da equipe médica no local.

O acidente aconteceu por volta de 16h de ontem, segundo o delegado, mas a dificuldade de se chegar até a área de garimpo impossibilitou que os corpos fossem retirados no mesmo dia da queda do avião.

Segundo a Polícia Civil, o avião saiu de Apuí com destino a uma pousada que se localizava no meio da floresta, onde José iria realizar uma manutenção no local, que o mesmo gerenciava.

De acordo com o tenente-coronel André Luiz Mota, comandante do Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VII), as investigações sobre as causas do acidente, por parte do órgão, devem ser iniciadas assim que for registrado o Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia de Apuí.

fonte/PortalD24AM

AVIÃO AGRÍCOLA CAI EM BOTUCATU, PILOTO MORRE

O piloto do avião prefixo PRTVE que caiu no final da tarde desta sexta-feira, 08, na Fazenda Gramadinho, em São Manuel, foi identificado como Elias Sanchez Casanova, morava em Sertãozinho e era natural de Ribeirão Preto. O modelo era um PIPER AIRCRAFT -PA-36-375, de fabricação norte-americana é de uso agrícola. A aeronave pertence a empresa Tangará Aeroagrícola S/A, com sede em Orlândia. 

O avião caiu por volta das 17h30, após se chocar contra fios de uma linha de transmissão de energia sobre a Fazenda Graminha, de propriedade da empresa Citrosuco S/A Agroindústria. O local fica às margens da Rodovia SP-191, Geraldo Pereira de Barros, entre Botucatu e São Manuel. O acidente causou a interrupção de energia em cidades como Botucatu, São Manuel, Pardinho e Barra Bonita.

As equipes do Corpo de Bombeiros de Botucatu, comandadas pelo Capitão PM Winckler, atenderam ao chamado e chegando no local constataram que a vítima estava sob a aeronave. Iniciaram de imediato a retirada das ferragens com o uso de ferramentas específicas de elevação de estruturas, obtendo êxito após aproximadamente 5 minutos.

Foi feito a retirada rápida da vítima e o transporte imediato ao HC da FMB, realizando a ressuscitação cardiopulmonar, pois a vítima estava inconsciente e em parada cardiorrespiratória. Apesar dos esforços, o piloto não resistiu. Segundo informações extraoficiais, ele teria morrido intoxicado ou afogado com o produto que transportava, já que a aeronave ficou de cabeça para baixo depois da colisão com os fios.

Voos arriscados
Um piloto, que não quis ter a identidade divulgada, disse ao Acontece Botucatu que os voos com aviões agrícolas são mais arriscados, já que tem funções muito específicas para pulverização de lavouras. “O piloto tem que voar muito baixo as vezes, a adrenalina é muito forte. Além disso, o veneno que é pulverizado acaba entrando na cabine e pode atordoar o comandante do avião. Outra situação é o horário. Voar ao entardecer, tem a complicação do pôr-do-sol, que ofusca a visão e atrapalha para enxergar as linhas de alta-tensão”, explicou o piloto.
O caso foi registrado pela Polícia Militar, porém, as investigações das causas do acidente devem ser feitas pela Anac, Agência Nacional de Aviação Civil.

fonte/AconteceBotucatu

DADOS DA AERONAVE VIA RAB

MATRÍCULA: PRTVE

 
 
Proprietário:
AEROAGRICOLA CHAPADAO LTDA
CPF/CGC:

Operador:
AEROAGRICOLA CHAPADAO LTDA
CPF/CGC:

 
Fabricante:
PIPER AIRCRAFT
Modelo:
PA-36-375
Número de Série:
36-8202010
Tipo ICAO :
PA36
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
1769 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
000


Categoria de Registro:
PRIVADA SERVIÇO AÉREO ESPECIALIZADO PÚBLICO - AEROAGRÍCOLA (OPERANDO C/ ETANOL)
Número dos Certificados (CM - CA):
19397
Situação no RAB:
BLOQUEIO DE TRANSFERENCIA
Data da Compra/Transferência:



Data de Validade do CA:
03/09/16
Data de Validade da IAM:
291016
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 09/07/2016 10:00:26

BIMOTOR PEGA FOGO APÓS POUSAR E BATER EM CERCA, MATO GROSSO




Avião com 5 pessoas fez pouso em São José do Xingu e pegou fogo após bater em cerca (Foto: Arquivo pessoal)Avião com 5 pessoas fez pouso em São José do Xingu e pegou fogo após bater em cerca (Foto: Arquivo pessoal)
 
Um avião bimotor, modelo Baron, fez um pouso em uma pista de uma fazenda e acabou pegando fogo após bater em uma cerca da propriedade, nesta quinta-feira (7), em São José do Xingu, a 931 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, cinco pessoas estavam a bordo da aeronave. Nenhuma delas se feriu.
Segundo a polícia, o avião tinha saído da cidade e ido até essa fazenda. O piloto da aeronave, Leandro Baiocchi, explicou ao G1 que uma peça do trem de pouso quebrou, provocando o acidente.

Aeronave com cinco pessoas pousou na pista de fazenda e pegou fogo após bater em cerca (Foto: Arquivo pessoal)Aeronave com cinco pessoas pousou na pista de fazenda e pegou fogo após bater em cerca (Foto: Arquivo pessoal)
 
O avião saiu da pista e parou perto de um milharal. “Quando essa peça quebrou o avião perdeu a direção do eixo da pista. A asa, onde fica [armazenado] o tanque de combustível, bateu nessa cerca. Nós conseguimos controlar [o começo do incêndio no avião] e apagar o fogo”, disse o piloto. Conforme o piloto, a documentação dele e da aeronave estão regulares.

O Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa-6), órgão ligado à Força Aérea Brasileira (FAB), foi comunicado e deve apurar as causas do acidente. "Usamos água pra resfriar e terra para abafar e apagar o fogo. Perdemos o trem de pouso, que ficou na pista. Não tinha buraco nem nada nessa pista”, finalizou o piloto.

 fonte/foto/G1

sábado, 2 de julho de 2016

MONOMOTOR COM PARAQUEDISTAS CAI EM BELÉM, QUATRO MORTOS


Quatro pessoas morreram em um acidente de avião neste sábado (2) em Belém. O monomotor do tipo Cessna, de prefixo PT-DJH, decolou do Aeroclube do Pará com cinco ocupantes que participavam de um curso de paraquedismo. Segundo testemunhas, um dos passageiros conseguiu saltar antes da aeronave cair, mas o piloto Ronaldo Canavarro, o instrutor de paraquedismo Douglas Dourado e os passageiros Reginaldo Pinheiro e sua filha Lara Pinheiro, não resistiram à queda e morreram no local.

De acordo com o Primeiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa I), o avião decolou às 12h50 do aeroclube de Belém e caiu dentro do terreno da Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária (Embrapa), no bairro do Curió Utinga, em Belém, às 13h38.

Além do Seripa, equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foram enviadas ao local da queda. Diversos curiosos tentaram chegar ao local do acidente, que teve de ser isolado para permitir o trabalho das equipes de resgate.

Três corpos estavam perto dos destroços do avião. A quarta vítima foi localizada posteriormente, às 16h, por peritos que investigam a cena.

De acordo com um paraquedista que foi ao local após o acidente e conhecia o instrutor que estava à bordo do avião, mas pediu para não ser identificado, é provável que a queda do monomotor tenha sido provocada por falha mecânica. "A preocupação com segurança dele (instrutor) era grande. Se tu vier aqui no local vai perceber que não foi questão de salto, foi pane no avião. O avião está sem as asas", disse.

fonte/G1

Pai e filha também morreram no acidente aéreo (Foto: Reprodução/Facebook)
Reginaldo saltava de paraquedas há cerca 4 anos (Foto: Reprodução/Facebook)

Reginaldo Alves Pinheiro e Lara Pinheiro, pai e filha, foram identificados como as duas outras vítimas do acidente envolvendo o monomotor para instrução de saltos de paraquedas neste sábado (2). Ao todo, quatro pessoas morreram. 
Reginaldo era eletricista da linha de transmissão da Eletronorte e  tinha experiência em saltos. A vítima era de Abaetetuba, região nordeste do Pará, fez aniversário ontem e veio para Belém para acompanhar o primeiro salto de paraquedas da filha. 
Lara ia soltar com o auxílio do instrutor Douglas Dourado, a primeira vitíma a ser reconhecida no local do acidente.
Além dos três, o piloto Ronaldo Canavarro também faleceu ao pular da aeronave minutos antes dela cair.
Na ocasião serão divulgadas, oficialmente, todas as informações do que deve ser feito após a queda do monomotor. As vítimas são Douglas Dourado, Reginaldo Alves Pinheiro, Lara Pinheiro e Ronaldo Canavarro.
Participam da coletiva o Perito Criminal Paulo Roberto Bentes, do Centro de Perícias Científicas (CPC); o tenente da Polícia Militar, Sandro Nazareno, que é o oficial que comandou as equipes no local do acidente; o Coronel Tavernard e o Major Raposo do Corpo de Bombeiros do Estado e, por fim, Major Raposo, chefe do setor de investigação aérea do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa).

Instrutor de salto morre em queda de monomotor (Foto: Arquivo Pessoal)
Douglas era instrutor de salto e iria ministrar o curso nos dias 2 e 3 de julho. (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma notícia triste abalou os paraquedistas de Belém. Após o acidente com monomotor que caiu no início da tarde deste sábado (2), durante um voo para instrução de paraquedismo, foi confirmada a morte do instrutor Douglas Dourado. As identidades das outras duas vítimas ainda não foram confirmadas. Uma outra pessoa, que também estaria no avião, segue desaparecida. 
O pai dele, o Coronel Dourado, em entrevista ao DOL, confirmou a informação da morte, mas disse que está muito abalado e não quis se pronunciar sobre o acidente. 
Douglas era instrutor de salto e iria ministrar o curso nos dias 2 e 3 de julho. Douglas e a equipe de paraquedismo ainda chegaram a dar um entrevista na manhã de hoje para RBATV.  Nas redes sociais, a comoção dos amigos é grande.


Corpo de piloto é encontrado a 300m do acidente (Foto: RBA TV)
(Foto: RBA TV)
 
O corpo do comandante Ronaldo Canavarro já foi encontrado. Ele é uma das vítimas do acidente envolvendo um monomotor neste sábado (2).  Em um ato de desespero, o piloto teria se jogado do avião, já que não foi encontrado paraquedas no corpo dele. 
De acordo com informações da PM, ele se jogou a aeronave quando ela já estava caindo. O corpo do comandante foi encontrado cerca de 300 metros dos destroços.
Ainda segundo informações de um amigo da vítima, que não quer ser identificado, Canavarro tinha mais de 20 anos de experiência pilotando aeronaves.
 

fonte/(DOL com informações de Emily Beckman/Diário do Pará)


Dados da aeronave via RAB



MATRÍCULA: PTDJH
Proprietário:
EDMUNDO CRUZ GOMES CUNHA
CPF/CGC:

Operador:
AEROTUR TAXI AEREO LTDA - EPP
CPF/CGC:

Fabricante:
CESSNA AIRCRAFT
Modelo:
182E
Número de Série:
000182-54341
Tipo ICAO :
C182
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
1270 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
003


Categoria de Registro:
PRIVADA SERVICO AEREO PRIVADOS
Número dos Certificados (CM - CA):
4542
Situação no RAB:
ARRENDAMENTO OPERACIONAL
Data da Compra/Transferência:
150116


Data de Validade do CA:
07/03/22
Data de Validade da IAM:
070317
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 02/07/2016 18:29:05

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...