terça-feira, 13 de setembro de 2011

ANAC HABILITA CONSÓRCIO INFRAMERICA PARA AEROPORTO SÃO GONÇALO DO AMARANTE


A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) divulgou hoje que, depois de analisar a documentação do Consórcio Inframérica --formado pelo grupo Engevix e pela argentina Corporación América--, habilitou as empresas como vencedoras do leilão de concessão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte.

A análise foi feita pela comissão especial de licitação do leilão. Segundo comunicado emitido pela Anac, a documentação apresentada pelo consórcio está em conformidade com o estabelecido no edital.

A proposta econômica e os documentos de habilitação do consórcio serão disponibilizados entre os dias 14 e 19 de setembro, mediante agendamento.

Disputado em 22 de agosto, o leilão de concessão do aeroporto nordestino teve uma disputa acirrada. Quatro consórcios apresentaram propostas iniciais.

O Consórcio Potiguar, composto pela Triunfo Participações e Investimentos e pela espanhola FCC, foi eliminado logo na etapa de abertura de envelopes por apresentar o quarto valor de outorga --somente os três melhores classificados foram chamadas para a segunda e última etapa, de lances a viva voz, conforme previa o edital.

Convocado para a segunda e última etapa, o Consórcio ATP-Contratec, que havia ofertado R$ 62 milhões, não fez lances e foi eliminado. Com isso, restaram o Consórcio Aeroportos Brasil, do Grupo MPE, e o Inframérica, da Engevix.

Depois de 50 minutos e 87 lances, o Inframérica finalmente ofertou R$ 170 milhões e silenciou o concorrente, que havia proposto R$ 166 milhões. Venceu com ágio de 228,8% sobre o valor inicial.

fonte/Folha

FOTOS DO ACIDENTE AÉREO EM MARINGÁ, PARANÁ















fonte/Odiario/foto/JoãoCláudioFragoso






ENTREVISTA COM O PRESIDENTE DA TAM

Nem só o luxo da cara primeira classe, nem apenas o aperto da econômica e suas tarifas baratas. O próximo passo da aviação, segundo o presidente da TAM, Líbano Barroso, deve ser "intermediário". A companhia assumiu uma nova postura, que inclui o reajuste escalonado das tarifas e a criação de uma nova classe de passageiros, a "Premium Economy", que não chega a ser a executiva, mas tem mais conforto que a econômica. A diferença, claro, será paga pelo consumidor. 


"Até hoje, houve uma indução muito forte de preço para capturar esse novo cliente das companhias aéreas", disse o executivo, se referindo à nova classe média. "Esse cliente já se tornou cativo da indústria de aviação e agora é hora de começarmos a recomposição de margem do setor, aumentando preços de forma gradativa, trazendo equilíbrio entre receita e ocupação dos nossos voos", afirmou Barroso durante entrevista ao AE Broadcast Ao Vivo, nesta segunda-feira, 12, em São Paulo. Abaixo, os principais trechos da entrevista:


Aumentar preços agora não pode afastar esse consumidor da nova classe média, que antes viajava de ônibus?


A questão do preço está muito ligada à oferta de número de assentos que existem no mercado. Tomamos a decisão de elevar o número de assentos da TAM para voos domésticos em 4%. Na nossa visão, o mercado ano que vem deve crescer menos do que está crescendo neste ano: em torno de 10%, enquanto agora em 2011 deveremos ficar entre 15% e 18%. Com esses novos assentos, mais a capacidade ociosa deste ano, seremos capazes de crescer aumentando nossa taxa de ocupação. Se as outras companhias tiverem atuação semelhante - ou seja, se elas promoverem um crescimento de oferta menor que a alta da demanda -, aí acreditamos que conseguiremos recuperar preços mantendo a inclusão desses novos clientes.


Em quanto a TAM planeja aumentar as tarifas?


Na divulgação dos resultados do segundo trimestre, sinalizamos que no terceiro trimestre teríamos um aumento médio do chamado "yeld" - que é o quanto que se cobra para voar um quilômetro - de 5% em relação a abril, maio e junho. Isso está acontecendo. Outro aumento de também 5% deve acontecer no quarto trimestre. Mas ainda não temos uma previsão de quanto será o reajuste. 


A alta do preço do petróleo tem a ver com esse aumento?


No acumulado do ano, temos hoje um crescimento de 20% nos preços do petróleo. Acredito que o preço deve continuar andando de lado, em linha com os valores atuais. 


Como a companhia planeja continuar popularizando o transporte aéreo para esses novos consumidores e ao mesmo tempo oferecer uma classe intermediária, para quem pode pagar mais? Uma coisa não impede a outra?


Não. São estratégias totalmente complementares. Mas queria ressaltar que nossa estratégia não é a popularização, mas a de dar abrangência a todos os perfis de clientes. Tanto é que não usamos a categorização por classes sociais. Isso é muito limitador. O cliente da classe AB, por exemplo, tem um certo perfil de consumo enquanto executivo, durante os dias de semana. Mas, no fim de semana, ele tem outro comportamento, muito mais sensível a preço. Por isso, é importante segmentar, ter tarifas inteligentes para todos os públicos. Podemos fazer um preço especial desde que o cliente fique no destino final pelo menos quatro dias. Assim, não estaremos canibalizando o perfil do executivo, que vai e volta no mesmo dia, ou no dia seguinte. 


O alvo da classe intermediária é o passageiro executivo?


O cliente executivo (que viaja a negócios) é nosso principal público. Ele representa 75% das viagens para a TAM e 70% para o mercado brasileiro. A tendência para os próximos dez anos é que esse cliente se mantenha como público primordial. Por isso, estamos atentos a todas as maneiras de oferecer mais conveniência para esse consumidor executivo e deixar para este cliente a opção de pagar por ela. Estamos estudando a criação de uma classe intermediária, também chamada de "Economy Plus" ou "Premium Economy" para voos domésticos e internacionais. Essa é uma possibilidade para o futuro. Também estamos oferecendo acesso à internet em quatro voos. Até o fim do ano, serão 30 voos, incluindo toda ponte aérea Rio-São Paulo.


E como anda a fusão da TAM com a chilena LAN?


Nosso plano principal agora é a conclusão da fusão com a Lan para criar a Latam. Por isso, diferente dos últimos dois anos, dessa vez não iremos ter recompra de ações. Mas estamos otimistas com relação ao processo de aprovação tanto aqui no Brasil quanto no Chile. Nossa previsão é de que a conclusão total do processo saia no primeiro trimestre de 2012. Por conclusão, entendemos a aprovação das auto de aviação civil, das autoridades de concentração econômica no Brasil e no Chile, assim como também de países europeus, a oferta de ações, a delistagem das ações da TAM e a listagem da Latam nas bolsas de São Paulo, do Chile e de Nova York. 


No início de agosto, a TAM divulgou que em 90 dias teria uma posição final sobre se vai ou não comprar 31% da TRip. Como está essa situação?


Já concluímos o processo de due diligence fiscal e financeiro, que foi satisfatório. Há três semanas partimos para o chamado "full codeshare", o compartilhamento de voo, Calculamos que, em dois meses, teremos uma avaliação do valor dessa cooperação para poder definir o valor desses 31%. 


A TAM está em algum grupo que vai disputar as concessões de aeroportos que o governo está preparando?


Não estamos, embora sejamos favoráveis ao processo. Temos interesse em participar, mas desde que o edital permita que a empresa tenha parte na governança da concessionária. Ou seja, queremos ter voz na direção, conselho ou conselho fiscal de uma eventual concessionária. Porque nossa grande preocupação é ter aumentos de custos operacionais com esse possível novo desenho da estrutura da companhia. 

fonte/Estado

FROTA DAS EMPRESAS AÉREAS BRASILEIRAS - SET/09

Empresas domésticas:

Azul Linhas Aéreas:
10 Embraer 190
21 Embraer 195 (PR-AYT foi recebido na segunda quinzena de maio)
08 ATR 72-200
Este ano chegarão os primeiros ATR 72-600 no segundo semestre, de uma encomenda total de 40 aeronaves, além de 9 novos jatos da Embraer.

Avianca Brasil:
05 Airbus A318-121 mais 10 encomendados
03 Airbus A319-115
04 Airbus A320-214 encomendados
14 Fokker 100 (MK 28)

Gol Transportes Aéreos
34 Boeing 737-700NG
66 Boeing 737-800NG
Em 2012 mais 4 Boeing 737-800NG SPF; Em 2013 mais 2 Boeing 737-800NG SPF; Em 2014 mais 4 Boeing 737-800NG SPF e em 2015 mais 6 Boeing 737-800NG SPF.

PumaAir
02 Boeing 737-322
01 Boeing 767-300ER arrendado da VRG para operar a linha de Luanda encomendado.

TAM Linhas Aéreas
24 Airbus A319
85 Airbus A320
09 Airbus A321
20 Airbus A330-200
02 Airbus A340-500
03 Boeing 767-300ER
04 Boeing 777-300ER
Soma-se a este 2 Airbus A319 e 1 Airbus A320 da Pantanal. Sobre planos futuros da frota TAM, a empresa espera receber em 2011 mais 3 Airbus A319. Em 2012 chegarão 4 Boeing 777-300ER e 13 Airbus da família A320, além da devolução de dois Airbus A340 e outros 13 Airbus A320, sendo que quatro com vencimento de leasing; Em 2013 chegarão 2 Boeing 777-300ER e 5 Airbus da família A320; Em 2014 chegarão 2 Boeing 777-300ER, 3 Airbus A330 e 4 Airbus A320. Em 2015 chegam mais 2 Airbus A330 e 6 Airbus A320. Entre 2016 e 2018 espera receber 22 Airbus A320neo, 10 aeronaves da família A320 (podendo ser A319, A320 e A321). Observação: O plano detalhado de frota da TAM, a partir de 2012, encontra-se ainda em revisão pela equipe do Portal Aviação Brasil.

VRG Transportes Aéreos
09 Boeing 737-700NG
09 Boeing 737-800
04 Boeing 767-300ER

Webjet
24 Boeing 737-300

Whitejets
01 Airbus A310-300 e 01 A320-200.

Empresas regionais:

Abaeté: 2 Embraer 110
Mais Linhas Aéreas: 02 Fokker 100 encomendados
MAP Linhas Aéreas: 01 ATR 42-312
Meta: 2 Embraer 120
NHT: 6 Let 410
Noar: 1 Let 410 mais um encomendado. Perdeu-se em acidente fatal neste mês a aeronave PR-NOB, vitimando todos os seus passageiros e ocupantes em Recife.
Passaredo: 1 ERJ 135 e 14 ERJ 145.
Sete: 5 Cessna 208B Caravan e 1 Embraer 120. Encomendado mais um Brasília, que voou na Air Minas.
Sol: 1 Let 410
Team: 1 Let 410
Trip: 11 ATR 42-300, 8 ATR 42-500, 13 ATR 72-212A (Série 500), 2 ATR 72-212, 9 Embraer 175 e 5 Embraer 190. Deve receber seu primeiro ATR 72-600 ainda em 2011. Existem encomendas ainda de outros 17 ATR 72-600, 6 Embraer 170 e 14 Embraer 190.

Empresas cargueiras:

Absa: 3 Boeing 767-300ERF
Air Brasil: 1 Boeing 727-227F
CargoBis: 2 Boeing 757-200F encomendados
MTA Cargo: 3 Douglas DC-10-30F
Mega: 1 Cessna 208B Caravan
Rio Linhas Aéreas: 6 Boeing 727-200F e 1 Boeing 767-20oF (PR-IOE) . Encomendados 1 Boeing 727-200F e 1 Boeing 767-20oF.
Sideral: 1 Boeing 737-300F
SP Cargo Air: 1 Boeing 727-200F encomendado
TAF: 1 Boeing 727-200F e 4 Cessna 208, sendo um da versão 208A e três da versão 208B
Total: 3 ATR 42-500 e 6 Boeing 727-200F
Varig Log: 2 Boeing 727-200F, 1 Boeing 737-400F e 1 Boeing 757-200F. Deve receber mais um Boeing 737-400F e um 767 Cargueiro ainda em 2011.

Empresas Particulares:

Air Amazônia: 1 Embraer 120RT (PT-SLE) ex Rio Sul e OceanAir

fonte/PousadaDaComissariaDanieleCarreiro/AviaçãoBrasil.
Enhanced by Zemanta

ANAC SUSPENDE O CERTICADO DE ATIVIDADE AÉREA DO AEROCLUBE DE MONTES CLAROS, MINAS GERAIS

MENSAGEM DO PRESIDENTE DO AEROCLUBE DE MONTES CLAROS - MG VIA FORUM ABUL

Boa noite a todos,

Desde o último dia 02 de setembro nosso aeroclube está com o seu Certificado de Atividade Aérea suspenso pela ANAC. Segundo o inspetor Thiago, daquela Gerência, a suspensão deu-se porque os inspetores que estiveram em Montes Claros para vistoriar o Aeroclube, em inspeção recente e não programada, não puderam ter acesso aos documentos do Aeroclube, pela ausência do presidente da entidade, mas no teor do ofício consta como motivo o abaixo:

“...os inspetores desta Gerência constataram não conformidades que levaram a suspensão do Certificado de Atividade Aérea do Aeroclube de Montes Claros.”

Se não houve a inspeção, como se pode suspender uma entidade por ''não conformidades apresentadas''...?

Ocorre que na data da visita o presidente da entidade estava em Belo Horizonte cuidando da inspeção de 100 horas da aeronave de instrução da Aeroclube, mas designou o Diretor de Ensino Leandro Guedes para atender os inspetores, tendo em vista que tomou conhecimento da inspeção através de recado via telefone que foi passado ao seu filho um dia antes da inspeção. Não houve nenhuma comunicação oficial desta vistoria por qualquer meio, diretamente à diretoria do Aeroclube. Os inspetores não aceitaram fazer a inspeção atendidos pelo Sr. Leandro e cancelaram a inspeção, retornando ao RJ.

Sem nenhuma comunicação posterior, nem exigir justificativas por parte do presidente do aeroclube, o Gerente Cristiano Bichara Leal decidiu aplicar a punição à escola, por 180 dias, conforme portaria publicada no site da Anac.

Com esta medida o gerente supra citado está provocando enormes prejuízos a doze alunos do curso prático do Aeroclube, desde o dia 02 deste, quando foram obrigados a paralisar seus voos de instrução, o que vai atrasar a sua formação profissional de forma drástica, provocando inclusive insegurança nos seus treinamentos futuros, pela descontinuidade da instrução.

Saliente-se que o aeroclube é a única escola de aviação num raio de 350Km de Montes Claros.

No momento em que o Brasil está empenhado em atender a crescente demanda de pilotos para atender a aviação comercial, esta medida compromete a imagem desta agência, vindo na contra-mão das necessidades do país, quanto a formação da mão de obra especializada para o setor aeronáutico brasileiro.

Pelo exposto, vimos convidar a todos os alunos, pilotos, amigos e interessados no imediato retorno das atividades da Escola de Aviação Flammarion Wanderley que se manifestem através da Ouvidoria da ANAC, reclamando da atitude do Sr. CRISTIANO BICHARA LEAL, Gerente Técnico de Aviação Geral, quanto a suspensão do Certificado de Atividade Aéreas do Aeroclube de Montes Claros, aplicada através do ofício n° 681/2011/GVAG-RJ/GGAV/SSO,de 31/08/2011.

Jorge Lúcio

Presidente do Aeroclube de Montes Claros

fonte/ABUL

MILHAS DE EMPRESA AÉREA SOMEM, AFIRMA PRO TESTE

O programa de milhagens aéreas da TAM está sofrendo problemas que podem estar associados a fraudes no sistema de acesso aos benefícios, segundo a Pro Teste (associação de defesa do consumidor).

De acordo com o órgão, os clientes da companhia perderam as milhas no programa de fidelidade e tiveram os seus pontos usados na emissão de passagens em nome de terceiros.

Quem foi lesado percebe que houve troca da senha para o acesso ao sistema online.

O problema aparece ao entrar no site do programa, quando a senha do beneficiário é rejeitada.

A Pro Teste alega ainda que a TAM se nega a reembolsar as perdas, o que desrespeitaria uma determinação do Código de Defesa do Consumidor.

"O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços", diz a Pro Teste.

Resposta

Por meio de nota, a TAM disse que "está apurando as ocorrências relatadas por clientes do programa e esclarece que adota diversos procedimentos para garantir a segurança das informações de seu programa".

A companhia pede para que os clientes fiquem atentos aos pedidos de confirmação de dados que recebem por e-mail.

Segundo a TAM, toda solicitação do programa é direcionada ao site oficial da empresa. Os clientes lesados devem buscar uma solução com a companhia aérea. 
 
fonte/AgoraSP

RESUMO 12

Aeroporto de Aracaju terá reforma de R$ 406 mi

Maquete do aeroporto após as obras (foto divulgação)
Maquete do aeroporto após as obras (foto divulgação)
 
O Governo do Estado de Sergipe anunciou o início das obras para ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto de Santa Maria, em Aracaju, para junho de 2012. A reforma contempla ainda a construção do novo terminal de passageiros.

O projeto está orçado em R$ 406 milhões, sendo R$ 306 milhões da Infraero e R$ 100 milhões como contrapartida do Governo do Estado.

“É um grande sonho acalentado por todos que fazem o turismo sergipano. Essas obras, sem dúvida alguma, trarão mais divisas para o Estado e colocará Sergipe com capacidade de receber voos internacionais. Essa é uma obra que mudará toda a economia sergipana", acredita o secretário de Turismo do Estado, Elber Batalha
 

Azul inicia vendas para novos voos Campinas-Galeão

A Azul inicia a venda de passagens para novos voos entre Viracopos, em Campinas (SP), e o Aeroporto Tom Jobim/Galeão, no Rio de Janeiro. Trata-se da sétima frequência entre as cidades, que terá início em 10 de outubro e será operada seis vezes por semana, pelos jatos Embraer 190 e 195.

Os bilhetes estão disponíveis para compra no www.voeazul.com.br, por telefone (11) 4003-1118 ou nas lojas da Azul.
 
 fonte/PanRotas
 

AVIÃO DA SANCHES TRIPOLONI CAI NA REGIÃO DE MARINGÁ E MATA TRÊS PESSOAS

foto/RPCTV

Diversas pessoas acompanham os trabalhos após a queda do bimotor

Um avião que pertence à Construtora Sanches Tripoloni caiu na manhã desta terça-feira (13) na região de Maringá, matando três ocupantes - o piloto e dois passageiros. De acordo com informações iniciais do Corpo de Bombeiros, o avião seria um bimotor e teria caído entre Ângulo (a 32 km de Maringá) e Flórida (a 44 km de Maringá).

As vítimas são o piloto Juliano Vargas Vital, o engenheiro Paulo Ferracini e Nelson Busato dos Santos Junior, de acordo com informações do Aeroporto Silvio Name Júnior de Maringá. 

O avião é um bimotor Beechcraft modelo Baron BE-58, prefixo PP-KST. O Corpo de Bombeiros informou que é uma aeronave que opera sempre no terminal aéreo. A aeronave teria seis horas de autonomia de voo, ou seja, estava com o tanque cheio.


Segundo o Corpo de Bombeiros, a queda do avião ocorreu por volta das 9 horas, no local chamado Água da Valência, que fica entre Flórida e Ângulo.


De acordo com a Polícia Militar (PM) de Ângulo, o local foi isolado devido à grande quantidade de pessoas no local. As causas do acidente ainda não foram informadas. No entanto, um bombeiro que também é piloto disse à reportagem que o acidente não ocorreu por pane de comando. O destino seria uma fazenda, já que o avião transportava botijões de sêmen.


Parentes das vítimas chegaram à propriedade rural por volta das 10 horas. Os peritos que vão investigar as causas da queda estão sendo aguardados.


Outros pilotos que chegaram ao local confirmaram ainda que o tanque da aeronave estava cheio e a bateria ainda estava funcionando. Ainda conforme os pilotos, houve pane nos dois motores ao mesmo tempo, e o acidente teria sido causado provavelmente por problemas elétricos.


O grupo se dirigia à fazenda da Sanches Tripoloni, em Vila Bela da Santíssima Trindade, em Mato Grosso, quase divisa com Rondônia. De acordo com informações de familiares, o piloto tinha mais de duas mil horas de voo, e era funcionário da empresa há dois anos.


A empresa Sanches Tripoloni informou às 10h25 que só vai se pronunciar sobre o acidente no período da tarde - informações extra-oficiais dão conta que uma das vítimas seria parente dos proprietários da construtora.


Investigação

Uma equipe do Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa V) – ligado ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes (CENIPA) da Força Aérea Brasileira, confirmou que uma equipe está se deslocando a Maringá e deve chegar no final da tarde para apurar as causas do acidente.


A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), por meio da assessoria de imprensa, informou que foi comunicada sobre o acidente e aguarda informações provenientes da Aeronáutica. A assessoria de imprensa da Aeronáutica disse que a queda está em fase de averiguação, e deve divulgar informações em breve.

Os corpos das vítimas serão encaminhados posteriormente ao Instituto Médico-Legal (IML) de Maringá.

 fonte/foto/ODiarioDeMaringa

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...