sábado, 9 de janeiro de 2010

BOLÍVIA VAI COMPRAR 6 AVIÕES DE TREINAMENTO E ATAQUES CHINESES, K-8 KARAKORUM




A Bolívia vai comprar seis aviões de treinamento e ataque chineses K-8 Karakorum. O negócio vai custar 57,8 milhões de dólares e serão usados em operações de combate ao narcotráfico.
A Força Aérea Boliviana estava a tentar comprar seis aviões checos usados L-159A mas em março de 2009 um veto norte-americano iria bloquear a venda. O mesmo tipo de bloqueio está a impedir a doação de 5 helicópteros UH-1H Iroquois por parte do Brasil.

A Bolívia torna-se assim, juntamente com o seu aliado bolivariano que é a Venezuela, o segundo operador sul americano deste aparelho de treino e ataque ligeiro de fabricação chinesa. De permeio, a China aumenta a influencia na região – usando a Venezuela como plataforma – e a Bolívia recebe um tipo de aparelho que no essencial está vocacionado para missões de contra-guerrilha e insurgência, antecipando assim o governo de Evo Morales a ocorrência de uma guerra da secessão com as províncias que contestam a autoridade do governo de La Paz.


fonte/Air Forces Monthly-12-2009/Quintus, dezembro de 2009/foto/divulgação

AVIÃO FAZ POUSO FORÇADO EM MINAS GERAIS
















Quatro pessoas ficaram feridas depois que o avião em que viajavam de Brasília para Paraty (RJ) fez um pouso forçado próximo à cabeceira da pista do aeroporto de Alfenas, no sul de Minas Gerais, no final da tarde de sexta-feira.

Segundo o Corpo de Bombeiros, todos os ocupantes da aeronave tiveram ferimentos leves e foram socorridos ao hospital Universitário Alzira Velano, onde ficaram internados em observação.
O piloto era Gerard André Vieira de Souza, 42 anos. Segundo o boletim de ocorrência registrado pelos Bombeiros, ele disse que não conseguiu atingir a pista do aeroporto porque ao aeronave teria sofrido uma pane e perdido altitude.

Ainda estavam no avião modelo Lancair IV-P, prefixo PT-ZVN, os passageiros André Ricardo Rodrigues Santos, 39 anos; Elizabete Abreu Campos, 29 anos; e Ana Paula Samuel Ferreira, 37 anos.
O avião foi levado para o aeroporto de Alfenas, onde será periciado por uma seguradora.


fonte/foto/Terra/AE

JATO EXECUTIVO PODE TER SIDO ROUBADO NO AEROPORTO DE FERNANDO DE NORONHA


PF vai investigar se Jato Hawker 900 XP, de bandeira Italiana, que chegou esta semana no arquipélogo, foi assaltado

A Polícia Federal (PF) de Pernambuco começou a investigar, na quinta-feira (7), o arrombamento de uma aeronave que estava no pátio do Aeroporto da Ilha de Fernando de Noronha. De acrodo com a PF, trata-se de um Jato Hawker 900 XP, prefixo I-MFAB de bandeira Italiana, que chegou esta semana no arquipélogo com cinco pessoas de uma mesma família.

Polícia Federal investiga possível arrombamento de avião em Noronha

Aeronave pertence a um grupo de italianos; avião só será liberado após perícia da polícia

A Polícia Federal começo nesta sexta-feira (8), as investigações do arrombamento de uma aeronave ocorrido no Aeroporto da Ilha de Fernando de Noronha na última quinta-feira (8). Segundo policiais, trata-se de um Jato Hawker 900 XP, prefixo I-MFAB de bandeira Italiana, que chegou esta semana no arquipélago com cinco pessoas de uma mesma família.

Giovani Santoro, assessor da PF, informou que foi peritos criminais irão colher indícios que apontem a causa do possível arrombamento e se houve material roubado. Algumas pessoas já foram ouvidas, inclusive o piloto da aeronave.

De acordo com as primeiras informações, a área em que se encontra o avião está isolada e a porta possivelmente arrombada, lacrada. O avião só será liberado depois que for realizada a perícia da PF.

fonte/foto/pe360graus.com/MarceloJorgeLoureiro

EMPRESA AÉREA INAUGURA ROTA DE VIAGEM PARA O INTERIOR DO ESTADO


A Asta América do Sul Táxi Aéreo, empresa mato-grossense transportadora de cargas, começa a voar também com passageiros, a partir do dia 11 de janeiro, próxima segunda-feira, tornando-se mais uma opção para quem precisa viajar ao interior de Mato Grosso. A empresa fará a rota Cuiabá-Juara-Juína-Juruena-Aripuanã.

“Essa é uma rota de longa distância, com uma grande parte de acesso por terra em estado muito ruim, sendo as estradas péssimas. O nosso voo vai facilitar a vida das pessoas que precisam se locomover com mais rapidez, para cumprir suas agendas de negócios e trabalho”, avalia o diretor da Asta, Luis Roberto Silva, advogado e graduado em gestão empresarial, com MBA na área.

A aeronave, modelo Grand Caravan, sairá da capital às 6h20, de segunda a sexta-feira, ou seja, todos os dias, exceto sábados, domingos e feriados, passando por Juara, Juína e Juruena e com previsão de chegada em Aripuanã às 10h30.

O retorno, cumprindo o sentido contrário da rota, iniciará às 14h10, com previsão de chegada em Cuiabá às 18h25. O modelo Grand Caravan está entre os mais seguros do mundo. O avião tem capacidade para nove passageiros.

Os bilhetes serão vendidos no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, pelo fone (65) 3682-2695 ou pelo site http://www.voeasta.com.br/, que já está liberado para a finalidade.

Conforme pesquisa prévia, a clientela da Asta deverá ser, mais rotineiramente, empresários do agronegócio, políticos, funcionários públicos em trabalho e secretários do âmbito municipal, estadual e federal, além de enfermos em tratamento médico (exceto os que necessitem de serviço especial), turistas e passageiros em geral.

A Asta tem 15 anos de atuação e começou com duas aeronaves pequenas, modelo Sêneca, com capacidade para cinco passageiros, fretando voos pré-agendados e com finalidades específicas. Depois, especializou-se em transporte de cargas. Pertence ao Grupo Oliveira Silva, para quem foi vendida em 2007 e que concentra ainda a Logos Express, que também faz transporte de cargas, para todo o estado de Mato Grosso.

A Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) homologou, dia 29 de dezembro do ano passado, licenciamento para que a Asta, que já tem know how nessa rota fazendo transporte de cargas, transporte também passageiros na linha.

“Trabalhamos todo o ano passado em prol do licenciamento e foram muitas exigências. No início de dezembro, uma equipe da Anac esteve na sede da empresa no Aeroporto Marechal Rondon, fazendo uma vistoria interna, e eles são bastante rigorosos. Fizemos um voo fiscalizado de simulação na rota e, depois disso, conseguimos o certificado”, explica Luis Roberto.

A Asta se apresenta como opção alternativa aos voos da Cruiser Linhas Aéreas, que faz a mesma rota. Mais informações com Luis Roberto: (65) 3614-2599 ou (65) 9981-4705.

fonte/Olhar Direto

MINAS GERAIS TERÁ 11 NOVOS AEROPORTOS ATÉ SETEMBRO


Até setembro, Minas Gerais vai ter mais 11 aeroportos com capacidade para operar com aviação regular. As obras nos municípios começaram a ser entregues em setembro de 2009 e os aeroportos terão investimentos de quase R$ 100 milhões na melhoria da infraestrutura, por meio do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero), da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas. Os novos aeroportos, no entanto, não garantem rotas de aviação regular para os municípios. Cidades como Manhuaçu e Poços de Caldas já estão com aeroportos prontos para operar com voos regulares, mas não contam com o serviço de aviação. A palavra-chave é demanda.

É o que ocorre, por exemplo, no Sul de Minas, onde as rotas começam a ficar mais aquecidas. Depois de alguns anos com o aeroporto parado, a cidade de Varginha vai voltar a ter linha aérea regular. A Trip Linhas Aéreas inaugura até o fim de fevereiro dois voos diários na rota Belo Horizonte-Varginha-Guarulhos, que vão operar de segunda a sexta-feira. O novo terminal de acesso aos passageiros foi construído em formato de nave espacial e terá área para a Polícia Federal . A Air Minas Linhas Aéreas também já estuda operar no municipio.

Para driblar a deficiência de voos regulares, empresas do Sul do estado começam a buscar parcerias. Em Pouso Alegre, uma agência de turismo contratou empresa de táxi aéreo para oferecer voos comerciais para Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, que começaram a operar em novembro. O proprietário da agência Beto Nery Viagens e Turismo, Humberto Nery, conta que já atendia prefeituras, políticos e várias empresas na venda de passagens para embarque em grandes aeroportos. Depois de fazer pesquisa de mercado, identificou demanda crescente do serviço de aviação na região. “Toda empresa de médio e grande porte precisa de transporte de passageiros aéreo”, diz.

Nery explica que duas empresas aéreas chegaram a operar voos regulares no aeroporto de Pouso Alegre, mas abandonaram as linhas em 2002 por falta de passageiros. Depois de sete anos, ele diz que os tempos são outros e que o setor na região é promissor. “A nossa expectativa é muito boa e há muita gente nos procurando. No futuro, pretendemos aumentar os horários, colocar número maior de assentos e ampliar a área de atuação. Já entramos em contato com os prefeitos de Poços de Caldas e Varginha e eles estão bem interessados”, assegurou.

O aeroporto de Manhuaçu, a cerca de 285 quilômetros da capital, aguarda voos regulares desde o fim de 2006, quando foi inaugurado. “Temos a estrutura física pronta e há um protocolo de intenções assinado com companhia aérea. E seria economicamente viável, pelo fato de ser uma região cafeeira e de importância no turismo, próxima do Pico da Bandeira e do Parque Nacional do Caparaó”, afirma Mário Assad Júnior, secretário de assuntos institucionais de Belo Horizonte.

O diretor de marketing e vendas da Trip Linhas Aéreas, Evaristo Mascarenhas de Paula, explica que diversas rotas regionais estão sendo avaliadas no estado, mas a viabilidade econômica não pode ser deixada de lado. “Precisamos de pelo menos 60% da aeronave ocupada para o voo se tornar viável. Mas é preciso lembrar que os investimentos do governo foram realizados não só com foco na aviação comercial, mas também com outros objetivos, como a assistência aeromédica. Para ter voos nos aeroportos, não basta a infraestrutra estar pronta. É necessário que a área esteja cercada, com raio x para bagagens, passageiros e caminhão de bombeiros”, ressalta.

Do total de 853 municípios do estado, apenas 11 operam atualmente com aviação regular: Belo Horizonte, Araxá, Diamantina, Governador Valadares, Ipatinga, Montes Claros, Patos de Minas, Uberaba, Uberlândia, Juiz de Fora e São João del-Rei. A meta do Proaero é que, até 2011, todas as cidades do estado não fiquem a mais de 100 quilômetros de um aeroporto. Até agora, já foram realizados investimentos em 27 empreendimentos de municípios mineiros. O gerente do Proaero, Marco Migliorini, esclarece que o objetivo do programa não é apenas o atendimento à aviação regular, pois há a necessidade de prestação de serviço local. “Os municípios precisam ter um aeroporto em funcionamento para casos de urgência. Quando preparamos o aeroporto, é para atendimento aeroviário, seja de urgência, voo regular ou fretamento”, diz.

fonte/Estado de Minas/ Portal UAI

CENTRO DE OPERAÇÕES AÉREAS DO ACRE TREINA PARA ATUAR EM CASO DE ENCHENTE

O Governo do Acre, através da Secretaria de Estado da Segurança Pública, mantém o programa de qualificação para uso do helicóptero Comandante João Donato. Nesta sexta-feira, 8, o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) deu continuidade ao treinamento que visa preparar 19 homens do Corpo da Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar para atuação em caso de flagelos decorrentes das alagações dos rios no Acre.

O curso é ministrado pelo capitão do Corpo de Bombeiros do Paraná, Eugênio Celso Vaz, piloto de helicóptero e membro da Força Nacional de Segurança, que presta apoio ao governo na implantação do Ciopaer e no treinamento de operações aéreas com vistas ao sistema de defesa social do Acre. "Os rios enchem nesta época do ano e há ocupação das margens desses rios, o que amplia ação de defesa civil", explicou a secretaria de Segurança em exercício, Beth Oliveira. "Também amplia a segurança no voo", completou Eugênio Vaz.
 
fonte/Agência de Notícias do Acre

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...