domingo, 2 de agosto de 2009

PROVOCADOR, EXECUTIVO DA RYNAIR DIZ QUE PREÇOS COMPENSAM DESCONFORTO

Michael O'Leary, chefe-executivo da companhia aérea europeia de baixo custo Ryanair, discutia seu novo plano para cobrar passageiros de ir ao banheiro. Em suas previsões, a maioria dos passageiros - os "visitantes discricionários do banheiro" - acabariam desistindo de usar o banheiro durante o voo. O que é bom, porque ele também quer reduzir para um o número de banheiros por avião.

E se o avião fosse acometido por alguma doença asquerosa e residual, como intoxicação alimentar? Um som abafado ressoou da cadeira em que O'Leary sentava. "Não servimos bastante comida para que todos tenham intoxicação alimentar", disse.

"Se vamos dar-lhe um reembolso de um bilhete não reembolsável porque sua avó morreu inesperadamente? Não! Vá-se embora. Não estamos interessados em suas histórias!" - Michael O'Leary

Aos 48 anos, de fala ágil e usando jeans, O'Leary é um dos mais bem-sucedidos homens de negócio da Irlanda, presidindo uma companhia aérea que prospera de forma marcante em um clima hostil para linhas aéreas (e a maioria dos outros negócios). Ele é conhecido por sua agressividade desmedida, declarações públicas ultrajantes e crença implacável de que passageiros aéreos de voos de curta distância aguentarão qualquer indignidade imaginável, desde que as passagens sejam baratas e os aviões estejam no horário.

"Logo, ele estará nos cobrando pelo oxigênio e número de braços e pernas", queixou-se o jornal The Sun em junho, quando O'Leary apresentou sua mais recente proposta - fazer com que as pessoas levassem suas próprias malas até o avião. O'Leary diverte-se com a identidade de pugilista e provocador nacional, alternando-se entre o charme e a ofensa.

Certa vez, vestiu-se de papa para anunciar a nova rota da Ryanair de Dublin a Roma. Ele já disse que pessoas gordas deveriam pagar mais por seus assentos, mas que demoraria demais pesá-las no aeroporto. E, em coletiva de imprensa para discutir a possibilidade de iniciar voos transatlânticos, ele sugeriu - para a consternação da jovem heroicamente traduzindo seus comentários para o alemão - que consumidores da classe executiva receberiam sexo oral.

O'Leary às vezes parece lançar sugestões insanas apenas para chocar. Mas, reservadamente, ele é conhecido como um negociador duro, cuja sagacidade e cotoveladas lhe garantem acordos favoráveis, como na vez em que fez uma encomenda enorme de novos aviões quando o mercado entrou em colapso com os ataques de 11 de setembro.

Seus inimigos jurados incluem sindicatos (seus funcionários não são sindicalizados), políticos que impõem taxas de aeroporto, ambientalistas, blogueiros que reclamam do mau atendimento, agentes de viagem, repórteres que esperam assento gratuito, reguladores que frustram seus planos e proprietários de aeroporto como a BAA, a quem já chamou de "estupradores careiros". Parece haver um método em tudo isso.

Os insultos "à BAA, ao governo britânico e aos demais são pensados como um sinal forte para todo mundo que negocia com a Ryanair de que ninguém vai sair impune", disse Joe Gill, diretor de pesquisa de capital da Bloxham Stockbrokers, em Dublin.

A Ryanair possui mais de 850 rotas na Europa, normalmente para aeroportos obscuros afastados das grandes cidades - "de nenhum lugar a lugar algum", zomba Stelios Haji-Ioannou, que dirige a concorrente EasyJet. O lucro líquido da Ryanair caiu 78% no ano fiscal que terminou em março, mas ainda conseguiu US$ 149 milhões em lucros. Enquanto a maioria das empresas de transporte sofre com a hemorragia de passageiros, a Ryanair espera aumentar seus passageiros de 57 milhões, em 2008, para 68 milhões neste ano.

O mistério é por que tantas pessoas estão dispostas a suportar uma companhia que, segundo a revista The Economist, "se tornou sinônimo de péssimo atendimento ao consumidor, propagandas enganosas e grosseria insultante a qualquer um ou qualquer coisa que fique no seu caminho". "Ninguém te ajuda - simples assim", disse Malcom Ginsberg, editor-chefe do boletim de viagens aerbt.co.uk, descrevendo o que acontece quando passageiros da Ryanair precisam de assistência no aeroporto.

Esse não é o ponto, disse O'Leary em entrevista recente. "Nosso atendimento ao consumidor é diferente do de todas as outras linhas aéreas, que têm essa imagem de 'queremos cair a seus pés, abuse de nós, o cliente tem sempre razão' e todo esse absurdo." Em contraste, continuou O'Leary, a Ryanair promete quatro coisas: tarifas baixas, um bom registro de voos no horário, poucos cancelamentos e poucas bagagens perdidas.

"Se quiser algo mais - vá embora! Nós vamos pagar um hotel se seu voo for cancelado?", perguntou retoricamente. "Não! Vá embora." Em um momento, ele tomava café na câmara de comércio de Londres. No outro, conduzia uma coletiva de imprensa em que, entre outras coisas, chamou o primeiro-ministro Gordon Brown de "ridículo" e "escocês pão-duro".

Durante a entrevista, entoou o refrão sobre quando a Ryanair concede reembolsos, que é nunca. "Vamos reembolsar uma passagem não-reembolsável porque a vovó morreu de repente?", perguntou. "Não! Vá embora. Não estamos interessados em sua choradeira! Qual parte de 'sem reembolsos' você não entendeu?"

Perdeu o voo porque esperou demais no guichê da Ryanair? Azar! Sua bagagem está levemente acima do peso? Jogue fora o excedente ou use-o no voo! Está tentando levar as compras do duty-free em uma sacola ao avião, quando você já tem uma bagagem de mão? Prepare-se para desembolsar US$ 40 no portão.

As tarifas da Ryanair custam em média apenas e 40, ou US$ 56. O'Leary acabou de anunciar que venderia um milhão de assentos por e 5 cada no outono europeu. A companhia compensa esse dinheiro por meio de acordos com hotéis, locadoras de veículos e outros parceiros, além de taxar tudo, do check-in no aeroporto (US$ 56) ao feito online (US$ 7).

O'Leary também é rígido a bordo de seu escritório. Recados de post-it e marca-textos estão banidos. Executivos levam suas próprias canetas. Para ilustrar seu comprometimento a esse princípio, O'Leary tirou duas canetas de seu bolso, ambas roubadas de quartos de hotel.

Ele se hospeda em hotéis econômicos. E sempre voa pela Ryanair, surpreendendo seus colegas passageiros por checar suas passagens ao portão e depois embarcar por último, onde invariavelmente se senta no meio.

O'Leary não aproveita o lounge executivo, não tem BlackBerry, nem usa e-mail, porque "não quero ser incomodado por toda sujeira, porcaria e lixo que se envia por e-mail". Ele cresceu nos arredores de Dublin e estudou em um internato jesuíta, onde seu apelido era Ducksie (esquisito), por causa da forma como andava. "A educação vinha com pequenas doses de tapas bem doídos?", perguntou. "Sim. Sofremos um grande trauma emocional? Não."

Ele começou a trabalhar na Ryanair em 1988, se tornou vice-chefe-executivo em 1994 e chefe-executivo em 1997. Sua fortuna pessoal é estimada em cerca de US$ 500 milhões. "Ele é um dos poucos sucessos domésticos da Irlanda corporativa nos últimos 40 anos cujo sucesso tem sido sustentável", disse Gill.

O'Leary vive em uma fazenda nos arredores de Dublin, cria gado e cavalos de corrida e raramente tira férias. Ele irritou o governo irlandês ao pagar milhares de dólares por uma licença de táxi para que sua Mercedes pudesse usar a faixa exclusiva, fugindo do trânsito. Em casa, O'Leary e sua mulher têm três filhos com até quatro anos. Um deles nasceu neste verão irlandês. Não há babás. "É por isso que viajo com frequência e durmo em Londres", disse, em parte brincando.

O'Leary descarta as críticas a seu atendimento ao cliente mostrando o recorde da Ryanair de responder a reclamações em sete dias. A maioria vem de pessoas exigindo reembolsos, que são mandadas embora. Os ressentidos devem reclamar via fax ou carta. Se usarem e-mail, não haverá resposta. "As pessoas dizem" - aqui O'Leary adotou um tom choroso - "'Como os Pais Fundadores escreveram na Constituição americana, nós temos o direito inalienável de portar armas e enviar nossas reclamações por e-mail.' "Não, diabos, não têm!", disse. "Então, vão embora."

Fonte: Sarah Lyall (The New York Times) via Invertia - Tradução: Amy Traduções - Foto: Paul McErlane (Bloomberg News)

WEBJET, A PEQUENA QUE INCOMODA A CONCORRÊNCIA

Desconhecida dos passageiros até recentemente, a companhia aérea Webjet decolou e já incomoda a concorrência. É o que mostra reportagem de Geralda Doca publicada na edição deste domingo do jornal "O Globo". Com uma frota razoável para quem ainda é pequena - 16 aviões - e atendendo dez cidades, a empresa alcançou o mesmo patamar de ocupação de TAM e Gol (65%), que dominam o setor. Os pacotes turísticos estão entre as principais razões para o seu desempenho: o dono da companhia é o grupo CVC, a maior operadora de turismo da América Latina. Em junho, a Webjet atingiu 4,2% de participação no mercado, contra 2,1% no mesmo período de 2008. A meta é chegar a pelo menos 5% até dezembro.

Nesta segunda-feira, a Webjet inaugura quatro voos diários a partir do Aeroporto Santos Dumont, no Rio, para Belo Horizonte (Confins). E aguarda, até o fim do ano, a chegada de mais duas aeronaves para reforçar a frota. As aquisições serão essenciais para combater sua maior deficiência: o índice de atraso é o maior entre as cinco principais empresas, 13,4% dos voos em junho. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a novata Azul atrasou 10,9% de seus voos e a OceanAir, 9,7%. A TAM registrou 8,8% e a Gol, 8,3%.

- Tarifas atrativas, bom serviço de bordo e maior conforto (poltronas mais largas) estão atraindo os passageiros, saturados de Gol e TAM - afirmou Paulo Sampaio, da Multiplan Consultoria Aeronáutica.

A Webjet iniciou as atividades com um único avião em 2005. Quatro meses depois, a companhia parou de voar e, em janeiro do ano seguinte, foi vendida para uma sociedade entre o grupo Jacoh Barata Filho, dono de uma frota de ônibus do Rio, e o empresário de São Paulo Wagner Abrahão, do ramo de turismo. Mas a virada, segundo fontes do setor, ocorreu em junho de 2007, quando a Webjet foi comprada pelo dono do grupo CVC, Guilherme Paulus.

Fonte: O Globo

VESTIBULAR DO ITA 2010, INSCRIÇÕES ABERTAS


Estão abertas as inscrições para o vestibular 2010 do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), em São José dos Campos. O prazo de inscrição vai até 15 de setembro. As provas do vestibular serão aplicadas entre os dias 15 e 18 de dezembro.

São oferecidas 130 vagas nos cursos de engenharia aeronáutica, eletrônica, mecânica-aeronáutica, civil-aeronáutica e computação. Do total de vagas, 50 são privativas, ou seja, destinadas a não civis, e 80 ordinárias, destinadas a civis.

Os candidatos devem preencher o formulário de inscrição na internet no site http://www.ita.br/vestibular/instrucoes.htm, imprimi-lo e pagar o boleto bancário até o dia 15 de setembro. A inscrição só será efetivada depois do pagamento da taxa de R$100, é necessário guardar o comprovante original de pagamento até a comprovação da inscrição pela internet.

Para se inscrever, o candidato precisa ser brasileiro nato, solteiro e não arrimo de família, ter no máximo 23 anos de idade no dia 31 de dezembro de 2009 e ter concluído ou estar concluindo o ensino médio.

Outras informações podem ser obtidas no site da instituição.

Fonte: Jornal A Cidade

EMBRAER ENTREGA PRIMEIRO JATO 190 PARA LAM DE MOÇAMBIQUE


A Embraer entregou neste sábado (1) o primeiro jato Embraer 190 à companhia aérea LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, durante cerimônia realizada na sede da Embraer, em São José dos Campos, interior do Estado de São Paulo. O negócio foi anunciado em outubro de 2008 e inclui pedidos firmes para dois Embraer 190, mais direitos de compra para outros dois aviões.

“É uma grande satisfação entregar o primeiro Embraer 190 a um novo operador no continente africano”, disse Mauro Kern, vice-presidente executivo da Embraer para o Mercado de Aviação Comercial. “Estamos orgulhosos por desempenhar um papel importante na modernização da frota da LAM e por contribuir para a expansão da malha aérea dessa empresa no seu país e na região sul da África.”

O Embraer 190 da LAM é configurado com duas classes de serviço, com nove assentos na executiva e 84 na econômica. A aeronave ficará baseada na capital de Moçambique, Maputo, e substituirá antigos jatos narrowbody operados em rotas domésticas, principalmente nas cidades de Nampula e Pemba, e também será utilizada em vôos regionais para Luanda (Angola), Dar Es Salaam (Tanzânia), Nairobi (Quênia), Joanesburgo, e, em breve, Cidade do Cabo (África do Sul) e Adis Abeba (Etiópia).

“Estamos ansiosos para introduzir o primeiro Embraer 190 na região”, disse José Ricardo Viegas, presidente do Conselho de Administração da LAM. “Escolhemos este jato para substituir nossas aeronaves maiores no intuito de melhor atender nossos clientes e oferecer mais freqüências de vôo, novas rotas e um grande nível de conforto e espaço na cabine.

Tenho certeza que nossos passageiros apreciarão o conforto interno e o layout sem assentos do meio será muito bem recebido.”

A LAM também assinou contrato de serviços para o programa Pool de peças de reposição da Embraer, para apoiar de forma fácil e efetiva sua frota de jatos Embraer 190. O programa fornece peças de reposição para aeronaves de forma rápida, eliminando a necessidade de investimentos em estoque, uma vez que a Embraer assume a responsabilidade pela manutenção do estoque nos seus centros de distribuição e de serviços, de modo a fornecer peças para os operadores tão logo elas sejam solicitadas.

Perfil da LAM – Linhas Aéreas de Moçambique

A LAM – Linhas Aéreas de Moçambique foi criada em 1936 como DETA, uma divisão dos serviços portuários e ferroviários de Moçambique, e foi gradativamente transformada, ao longo dos anos, na atual companhia administrativa e financeiramente autônoma que é hoje, constituída como sociedade limitada. O Estado detém 91% das ações da empresa e gerentes, técnicos e empregados da LAM possuem os outros 9%.

A missão principal da LAM como uma empresa pública é oferecer serviço de transporte para passageiros, carga e correios em rotas regionais, domésticas e internacionais. Com sede em Maputo, a companhia aérea tem atualmente 677 empregados e possui escritórios e outras formas de representação por todo o país e no exterior, operando quatro jatos e dois turboélices.

Fonte: Portal Fator Brasil - Imagem: Divulgação

FUNDO ESTATAL ÁRABE COMPRA 32% DA VIRGIN GALACTIC

O fundo estatal árabe Aabar anunciou hoje que pagará US$ 280 milhões por 32% do capital da companhia britânica Virgin Galactic, especializada em viagens comerciais ao espaço.

O anúncio foi feito pelo Aabar num comunicado à Bolsa de Valores de Abu Dhabi. A operação, no entanto, depende da aprovação das autoridades reguladoras tanto dos Emirados Árabes Unidos como dos países que podem ver afetados pelo negócio.

O Aabar anunciou ainda que reservará US$ 100 milhões para financiar o lançamento de pequenos satélites.

O acordo anunciado hoje transfere ao fundo estatal os direitos regionais sobre as viagens da Virgin Galactic, sejam estas científicas ou turísticas.

O termo de compra foi assinado hoje pelas duas partes na feira aérea de Oshkosh (EUA), onde o fundador da companhia britânica, Richard Branson, apresentou uma nova plataforma de lançamento de veículos espaciais, a White Knight II.

A Virgin Galactic desenvolve novos modelos de veículos espaciais a partir da "Space Ship I", que voou três vezes ao espaço em 2004.

fonte: EFE/G1

PENTÁGONO ANUNCIA VENDA DE ARMAMENTO AO IRAQUE POR US 10,7 BILHÕES


O Pentágono avisou ao Congresso americano que venderá ao Iraque tanques de guerra, aviões, helicópteros e veículos blindados por US$ 10,7 bilhões.

O Congresso tem agora prazo de um mês para apresentar objeções às operações, algo que ocorre muito raramente, já que as transações de armamentos e equipamentos militares são estudadas e discutidas com muitos detalhes.

Primeiramente, o Pentágono informou que o Iraque solicitou a venda de 392 veículos blindados leves, em uma operação que poderia chegar a US$ 3 bilhões.

As principais empresas envolvidas no negócio são General Dynamics, Raytheon, Armatec (Canadá), FPI, BAE Systems (Reino Unido) e Oshkosh.

"A venda proposta contribuirá para a política externa e a segurança nacional dos EUA, porque ajudará a melhorar a segurança de um país amigo", indicou o Pentágono.

"A venda de veículos blindados leves reforçará a capacidade das forças iraquianas de obter estabilidade no Iraque", acrescentou.

Outro negócio proposto é a venda de 24 helicópteros, provavelmente de modelos Bell e Boeing, além de artilharia para as aeronaves e que incluem morteiros, mísseis teleguiados, metralhadoras e munição.

Essa possível venda tem fatura de US$ 2,4 bilhões.

Outros US$ 2,160 bilhões pertencem à venda ao Iraque de 140 tanques M1A1, oito tanques M88A2, 64 veículos blindados de alta mobilidade e propósitos múltiplos, 92 caminhões, 12 transportes de posto de comando, 16 veículos de logística, oito ambulâncias blindadas e 420 radiotransmissores e receptores para os veículos.

Nesse caso, "as principais empresas envolvidas serão a General Dynamics, a Honeywell International e a General Motors", completou o Pentágono.

O Iraque, que pelo segundo ano consecutivo segue acumulando lucros substanciais devido à comercialização de petróleo, solicitou ainda seis aviões C-130J-30, motores, sistemas de alerta de mísseis e apoio técnico para a operação das aeronaves.

O custo estimado é de US$ 1,5 bilhão, e as principais empresas envolvidas serão a Lockheed Martin e a Rolls-Royce.

Finalmente, foi notificada ao Congresso assistência técnica ao Iraque para a construção de instalações e infra-estruturas, com valor total de US$ 1,6 bilhão.

A notificação indica ainda que o Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA fornecerá serviços técnicos, de engenharia, planejamento, aquisição, manejo de contratos e gerência de construção, entre outros de infra-estrutura.
fonte: EFE/G1

MENINA MORTA EM VOO TRAZIA REMÉDIO PARA GRIPE SUÍNA NA BAGAGEM




A Polícia Civil de São Paulo constatou a presença do medicamento Tamiflu - indicado para o tratamento da gripe suína -, entre outros, na bagagem da garota Jacqueline Ruas, 15 anos, que morreu na madrugada deste domingo durante o vôo que fazia o trajeto entre Orlando, nos Estados Unidos, e o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), havia também um xarope, um antiinflamatório e antibióticos, entre outros remédios. O Instituto Médico Legal de Guarulhos concluiu que a adolescente morreu de pneumonia. A menina teve parada respiratória durante um vôo da empresa Copa Airlines que saiu dos Estados Unidos em direção ao Aeroporto Internacional de Guarulhos em São Paulo. A adolescente voltava de uma viagem a Orlando, para visitar a Disney.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública, o delegado Cristian Santana Lanfredi, que registrou a ocorrência, foi informado por uma representante da agência de turismo que transportava o grupo que foi à Disney que a menina foi medicada nos Estados Unidos e que também foi constatada pneumonia.

A empresa responsável pela excursão, a Tia Augusta Turismo, informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que a adolescente passou mal durante os passeios em Orlando. Ela foi encaminhada para um hospital americano com sintomas de gripe e náuseas e chegou a ser submetida a exames do vírus influenza A, que deram negativo.

Com o risco de gripe suína descartado, a brasileira foi liberada para seguir viagem pelos médicos americanos. Ainda de acordo com a assessoria, ela estava bem até o Panamá, sede da companhia Copa Airlines, onde a aeronave fez escala.

A adolescente estava em uma aeronave da companhia Copa Airlines e já chegou morta no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 5h45 deste domingo, conforme a Infraero. O avião fez escala no Panamá, na América Central.

Por meio de nota, a empresa Copa Airlines informou que a adolescente chegou a ser atendida por dois médicos durante o voo, depois de a tripulação ser informada que a passageiria requeria assistência médica. O piloto da aeronave comunicou o fato ao aeroporto de Cumbica - destino do voo -, para que a passageira recebesse aassistência médica imediatamente após o pouso em São Paulo.

Ainda segundo a companhia, assim que aterrissou, a aeronave foi recebida por funcionários do posto médico do aeroporto, que notificou a empresa da morte da garota por meio de comunicado. Na nota, a Copa Airlines ainda lamenta o fato e diz estar prestando assistência aos familiares da passageira, em conjunto com as autoridades locais.

A excursão, com duração de 14 dias, saiu do Brasil em 20 de julho. As duas guias responsáveis pelo grupo prestavam depoimento à Polícia Civil no início da tarde deste domingo.

fonte: Terra

PISTA DO AEROPORTO SALGADO FILHO SERÁ AMPLIADA

Recapeamento e alargamento da pista do Salgado Filho suspenderão pousos e decolagens entre 0h e 6h15min até dezembroA ampliação e a modernização do Aeroporto Internacional Salgado Filho começam a decolar na próxima terça-feira, dia em que se iniciam as obras de alargamento e recapeamento da pista. Orçada em R$ 15 milhões, a reforma será feita durante as madrugadas, até o fim do ano. Até lá, nenhum avião decolará ou pousará na Capital entre meia-noite e 6h15min.

Como o aumento da pista de 2.280 para 3.200 metros ficou para 2010, uma vez que depende da remoção de moradores da Vila Dique, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) decidiu concentrar esforços em melhorias da pista atual. Além de receber uma nova camada asfáltica que reduzirá imperfeições, ela terá sua largura ampliada de 42 para 45 metros, dimensão idêntica à do novo trecho que será construído no ano que vem.

– Com o alargamento, a pista seguirá padrões internacionais. Assim, o aeroporto poderá receber aviões de grande porte – explica a superintendente do aeroporto, Lia Segaglio de Figueiredo.

Horários de 15 voos serão modificados

Para a reforma ser feita, no entanto, o calendário de pousos e decolagens teve de ser alterado. Infraero, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e companhias aéreas acordaram, no início de abril, que os voos noturnos que saem ou chegam à Capital terão seus horários modificados para evitar que qualquer aeronave pouse ou decole durante a madrugada, período em que os operários estarão na pista.

– Estamos usando um tipo de asfalto próprio para pistas de aeroporto, que seca rápido, permitindo que a pista seja usada na manhã seguinte – revela Lia.

Em torno de 15 voos, entre partidas e chegadas, tiveram seus horários modificados – seis são regulares. Já as decolagens e pousos noturnos que ultrapassarem a barreira da meia-noite serão cancelados.

– Uma aeronave que não puder chegar a tempo em Porto Alegre sequer vai decolar do aeroporto de origem. Se estiver voando, será levada para outro aeroporto. O mesmo ocorre aqui: se passar da meia-noite, o avião não decola – explica.

Além das obras na pista, o sistema de balizamento também será modificado. Até o final de 2009, estará concluída a instalação do novo sistema de instrumentos para pouso, o Instrument Landing System Categoria II (ILS II), que permitirá ao piloto pousar e decolar mesmo sem boas condições de visibilidade.

– Esse novo sistema ficará pronto, instalado, apenas esperando o aumento da pista. Quando ela estiver ampliada, trocaremos o atual sistema de balizamento por este mais moderno.

Mais passageiros

- A ampliação do aeroporto tenta acompanhar o crescimento do número de passageiros. No primeiro semestre de 2009, foi registrado incremento de 5% no movimento em relação ao mesmo período do ano passado. Veja os números do primeiro semestre, em 2008 e 2009:
> 2009 = 2.573.003
> 2008 = 2.446.258

- O resultado obtido no Rio Grande do Sul está acima da média registrada nos 67 aeroportos administrados pela Infraero no país, que foi de 1,1%;

- Um recorde: em junho, 478 mil passageiros passaram pelo Aeroporto Internacional Salgado Filho, o maior movimento mensal de sua história. Foram, em média, quase 16 mil passageiros por dia.

fonte"Zero Hora" foto: Júlio Cordeiro

PILOTO DE AEROCLUBE É INDICIADO POR QUEDA DE AVIÃO EM SHOPPING DE GOIÂNIA


Foi concluído, nesta sexta-feira (31), o inquérito sobre a morte de um homem e uma menina de 5 anos na queda de um avião em um shopping de Goiânia, em março deste ano. O pai da menina tomou o monomotor no aeroclube de Luziânia (GO) e fez manobras arriscadas até cair no shopping.

A polícia indiciou um piloto do aeroclube por duplo homicídio culposo, aquele em que não há intenção de matar. Na época, o piloto disse que só entregou o avião ao pai da criança porque foi ameaçado, mas não foram encontrados indícios dessa ameaça.

Fonte/foto: G1

JATO PHENOM 300 DA EMBRAER VIAJA PELA AUSTRÁLIA

Uma apresentação especial para a imprensa será realizada nos dias 17 (em Sidney) e 24 de junho (Melbourne), às 11h30, com a presença de José Eduardo Costas, Diretor de Marketing e Vendas da Embraer – Mercado Ásia e Pacífico – Aviação Executiva. “A Austrália apresenta desafios em termos de transporte que demandam viagens para percorrer distâncias continentais de forma rápida e específica. O conforto, conveniência e velocidade do Phenom 300, com sua tecnologia e sistemas de última geração, o tornam a solução ideal para este vasto país”, afirma Costas.

A frota de testes do Phenom 300 é composta por quatro aeronaves: duas totalmente instrumentadas, uma com interior básico e instrumentação para ensaios em vôo e outra com acabamento interno completo que está sendo usada para testes de funcionamento e confiabilidade e participará da campanha de maturidade. Até o momento, a frota já realizou mais de 600 horas de ensaios em vôo. A certificação está planejada para ser concluída no segundo semestre de 2009, com as primeiras entregas sendo realizadas até o final do ano.

Jjato Phenom 300-O Phenom 300, da categoria light, transporta até dez ocupantes em um espaçoso e confortável interior, projetado em parceria com o BMW Group DesignworksUSA. As asas enflechadas e com winglets e os modernos sistemas a bordo foram desenvolvidos com foco no excelente desempenho em vôo. Ponto único de reabastecimento, lavatório com serviço externo e excelente pressurização de cabine são alguns dos diferenciais do jato. O Phenom 300 é um dos aviões mais velozes da categoria light, atingindo 833 km por hora ou 450 nós (KTAS), evoa a uma altitude de 45 mil pés (13.716 metros). Com um alcance de 3.334 km (1.800 milhas náuticas), a aeronave é capaz de voar qualquer rota entre duas cidades australianas na costa leste ou de uma destas cidades para a Nova Zelândia; de Melbourne para Sidney; de Sidney para Darwin; de Perth para Bali (Indonésia); ou de Darwin para Jacarta (Indonésia) sem escalas, incluindo reservas de combustível NBAA IFR.

Para atender às demandas dos clientes de jatos executivos, a Embraer investiu na criação de um sistema de suporte composto por seis unidades próprias e uma ampla rede autorizada em todo o mundo. A Empresa também possui parcerias com renomadas empresas de logística etreinamento de pilotos e mecânicos, além de oferecer inspeções de rotina, manutenção programada e não-programada e programas especiais de solução de serviços como o Embraer Executive Care (EEC). A estrutura de suporte ao produto da Empresa abrange operações de vôoe suporte técnico e de manutenção customizados de acordo com o perfil de operação de cada aeronave, além de um novo Contact Center para os clientes. Tal estrutura possibilita significativa redução dos custos e do tempo de permanência em solo das aeronaves e maximiza os benefícios desta importante ferramenta de negócios. Para mais informações sobre os jatos executivos da Embraer[ www.EmbraerExecutiveJets.com.br]

Perfil:A Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. - NYSE: ERJ; Bovespa: EMBR3) é uma Empresa líder na fabricação de jatos comerciais de até 120 assentos e uma das maiores exportadoras brasileiras. Com sede em São José dos Campos, no Estado de São Paulo, a Empresa mantém escritórios, instalações industriais e oficinas de serviços ao cliente no Brasil, Estados Unidos, França, Portugal, China e Cingapura. Fundada em 1969, a Embraer projeta, desenvolve, fabrica e vende aeronaves para os segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva e Defesa.

A Empresa também fornece suporte e serviços de pós-vendas a clientes em todo o mundo. Em 31 de março de 2009, a Embraer contava com 17.375 empregados – número que não inclui empregados de suas subsidiárias não-integrais OGMA e HEAI – e possuía uma carteira de pedidos firmes a entregar de US$ 19,7 bilhões.|

Fonte: Fator Brasil/foto/divulgação

ACIDENTE COM TREINADOR HPT-32 DA FORÇA AÉREA INDIANA



Treinador HPT-32

Foto: AP

Militar indiano observa destroços de avião de treinamento acidentado nesta sexta-feira (31) próximo à base de Dundigal, na periferia de Hyderabad. Os dois militares que estavam a bordo morreram.

Foto: AP

O desastre ocorreu durante o pouso, e os motivos ainda são desconhecidos.

fonte/foto: AP

AVIÃO COM 16 PESSOAS DESAPARECE NA INDONÉSIA

Um avião De Havilland DHC-6 Twin Otter da companhia aérea indonésia Merpati Nusantara, com 16 pessoas a bordo, foi dado por desaparecido neste domingo (2) durante um voo nacional na província indonésia de Papua, na ilha de Nova Guiné.

Segundo informaram fontes da companhia aérea à rede "Metro TV", o avião desapareceu pouco após decolar do aeroporto de Sentani sob boas condições atmosféricas.

As autoridades iniciaram operações de busca para localizar o avião, que pode ter caído nas espessas florestas da Nova Guiné. O avião estava com combustível para até 3,5 horas de voo.

O aparelho, fabricado em 1979, voava de Sentani, em Papua, até a cidade de Oksibil.

O bimotor DHC-6 tem capacidade para 20 passageiros e pode ser usado em aeródromos de curta longitude.

Fonte: G1 (com agências)

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...