terça-feira, 8 de setembro de 2009

AERONAVE QUE CAIU EM MATO GROSSO DO SUL FAZIA VOOS HÁ PELO MENOS 6 MESES

A aeronave experimental que caiu no aeroporto Santa Maria, em Campo Grande, no início da noite dessa segunda-feira, fazia voos há pelo menos seis meses.

A informação é do gerente do hangar onde o monomotor ficava, Flávio Ribeiro. Segundo ele, a aeronave foi montada com o chamado “kit experimental”.

O interessado compra o kit com motor, hélice e lataria, e então faz a montagem da aeronave, para ser utilizada somente para fins esportivos.

No hangar gerenciado por Flávio há outras quatro aeronaves experimentais. De acordo com ele, os vôos desses monomotores são mais comuns no aeroporto Teruel.

A aeronave Zodiac CH 601 HD de prefixo PU-PJZ (?), de cor azul e branca, era pilotada por Rômolo Donizete da Silva, 48 anos, que morreu no local.

De acordo com Flávio, o monomotor é registrado na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), mas não passa por avaliação periódica, porque tem fim somente experimental.

Conforme Flávio, o voo que Rômolo fazia era para verificar se havia necessidade de ajustes na aeronave. Rômolo era piloto de aviação agrícola e de táxi aéreo, tendo sido até instrutor nesta última modalidade. Ele tinha cerca de 20 anos de profissão.

As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil.

Susto

Celso Renato da Silva, 28 anos, auxiliar de serviços gerais da Amapil Táxi Aéreos e morador do local, conta que jogava futebol em um campo próximo, quando ouviu o barulho provocado pela queda.

Celso então pegou o carro dele e foi até as proximidades da pista de pouso, onde encontrou o monomotor no chão. Ele disse que não levou mais de três minutos para chegar ao local.

Quando Celso chegou, a aeronave começava a pegar fogo. O auxiliar então viu o piloto e verificou, pela pulsação, que ele estava morto e se preocupou somente em retirar o corpo, para que não fosse queimado. “O rosto estava desfigurado, não reconheci ele”, conta Celso, que conhecia Rômolo. Eles conversavam constantemente.

O auxiliar diz que depois que viu o piloto, ficou na expectativa de encontrar pessoas vivas. No entanto, a aeronave começou a pegar fogo e ele pegou o extintor do carro para amenizar o incêndio. Ele morreu fazendo o que mais gostava, que era voar".

Outras pessoas que estavam nas proximidades também ajudaram a combater as chamas, que foram totalmente controladas pelo Corpo de Bombeiros. A corporação gastou 1,5 mil litros de água.

Conforme o Corpo de Bombeiros, o combustível usado pelo monomotor era querosone, que deixou um odor muito forte no local.

O avião caiu de bico após uma das asas quebrar. O buraco provocado pela queda tem cerca de 60 centímetros de profundidade e dois metros de diâmetro.

Na manhã desta terça-feira ainda havia destroços no local. O calçado e o boné usados por Rômolo também.

- Morador há cerca de três quilômetros do local do acidente, Diomedes Papine, 77 anos, foi verificar, na manhã desta terça-feira, o que sobrou da aeronave.

Ele diz que sempre vê aeronaves voando na região, mas não sente mede. No entanto, ficou chocado com a cena que viu. “A gente fica bastante chocado, assustado, porque tem morte, e isso é sempre triste”.

Junto com Diomedes estava o irmão dele, Antônio, 61 anos, e o filho, Marcos Tozeto, 34 anos. A filha de Marcos, de quatro anos, também os acompanhava.

Marcos revela que não ficou assustado porque quando morava na cidade de Campo Verde, Mato Grosso, viu pelo menos oito acidentes aéreos.

Já Antônio, diz que está assustado. Ele mora em Florianópolis, está na Capital a passeio, e vai voltar para casa de avião. “Já estou com a passagem comprada, não dá para mudar”. Ele vai de avião até Curitiba, Paraná, e segue de carro para a capital catarinense.

fonte/ Campo Grande News foto/ Marcelo Victor

CANDIDATURA DE MADRID AOS JOGOS DE 2016 LANÇA AVIÃO OFICIAL

A candidatura de Madri aos Jogos Olímpicos de 2016 lançou nesta terça-feira o avião oficial da campanha. A aeronave é um modelo Airbus A320-100 da Iberia.

A capital espanhola concorre ao direito de sediar a Olimpíada de 2016 com Rio de Janeiro, Tóquio e Chicago. A escolha da cidade será realizada no dia 2 de outubro, em Copenhague, na Dinamarca.

Fonte: Lancepress! - Fotos: Divulgação (Ibéria) / EFE

PORTA-VOZ DA SASSAUL AFIRMA QUE EMPRESA ESPERA CONCLUIR VENDA DOS RAFALE EM 2010

A fabricante francesa Dassault espera concluir a venda de 36 aviões Rafale ao Brasil em 2010, informou nesta segunda-feira um porta-voz da empresa, depois da decisão de princípio anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva de adquirir o avião de combate francês, nunca antes exportado.

“Pensamos que as negociações serão finalizadas no próximo ano”, declarou.

O presidente Lula anunciou nesta segunda-feira em Brasília a seu colega francês, Nicolas Sarkozy, em visita oficial de 24 horas, a decisão de princípio de comprar 36 aviões Rafale, elogiando “a amplitude das transferências de tecnologias” consentidas pela França.

“A declaração do presidente Lula significa claramente que o Rafale ganhou a competição”, garantiu o porta-voz da Dassault.

“Haverá negociações técnicas sobre o perímetro da oferta, o avião, a manutenção e o armamento. Elas serão seguidas por discussões financeiras e comerciais e por uma fase de negociação das cláusulas contratuais”, enumerou.

O porta-voz se recusou a confirmar o valor do contrato, avaliado pela presidência francesa em pelo menos cinco bilhões de euros (13,23 bilhões de reais).

A venda seria a primeira para um país estrangeiro do avião construído pela Dassault, após uma longa série de reveses no exterior.

De acordo com a empresa, a obtenção deste contrato foi possível pelo “forte envolvimento pessoal dos dois chefes de Estado” e pela “atratividade da proposta francesa, especialmente em termos de performances do Rafale e de transferência de tecnologias”.

FONTE: AFP

PANE EM AVIÃO TUMULTUA AEROPORTO DE FLORIANÓPOLIS

Uma aeronave que seguia de Curitiba para o Aeroporto Internacional de Guarulhos sofreu uma pane logo após a decolagem e precisou pousar em Florianópolis na manhã desta terça-feira (8).

Cerca de 120 passageiros do voo Gol 1841 permanecem no saguão do Aeroporto Internacional Hercílio Luz. De acordo com as informações prestadas pela própria companhia, um problema mecânico fez com que a aeronave, que tinha chegada prevista no aeroporto paulista para as 9h05, precisasse alterar sua rota. Parte dos passageiros foi encaminhada a hotéis e outros aguardam para embarcar por volta das 19h.

"Quando aterrissamos, fomos informados para permanecermos no avião, pois uma falha deveria ser corrigida", contou a passageira Heidi Vargas. "Mas estamos até agora aqui e com poucas informações."

Além do problema com a aeronave, o mau tempo causou cerca de atrasos e cancelamentos de voos que tinham como destino à cidade de São Paulo e a região oeste de Santa Catarina.

O voo Gol 1295, com saída prevista para as 8h50 para Congonhas, deixou Florianópolis com cinco horas de atraso. O TAM 3102 só decolou para São Paulo às 13h20, três horas após o previsto. Três partidas foram canceladas, segundo os dados da Infraero.

O empresário Divaldir Dalla, que deixou a cidade de Ribeirão Pires (SP) e foi a Santa Catarina de bicicleta, havia sido informado que seu retorno a São Paulo poderia atrasar.

"Avisaram que o atraso mínimo é de uma hora", disse ele, ainda assustado com o temporal da madrugada. "Ficamos sem luz no hotel por várias horas e o barulho da água foi assustador."

A situação também é grave para quem pretendia viajar para Chapecó, no oeste de Santa Catarina, região mais afetada por um forte temporal durante a madrugada.

Os dois voos com destino à cidade, da Gol e da Ocean Air, não têm previsão de decolagem. No terminal, a informação é para que os passageiros procurem as companhias áreas.

Fonte: Terra

COMPRA DE CAÇAS FRANCESES ILUSTRA CORRIDA ARMAMENTISTA NA AMÉRICA LATINA, DIZ LE MONDE

rafale-13

O acordo para a compra de caças franceses pelo Brasil, anunciado na segunda-feira pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Nicolas Sarkozy, ilustra a corrida armamentista vivida atualmente pela América Latina, diz o jornal francês Le Monde desta terça-feira.

“Sarkozy também finaliza em Brasília a venda de helicópteros de combate e a construção de quatro submarinos convencionais e um submarino nuclear - o que configura o maior contrato militar já assinado pelo Brasil”, afirma o diário.

“Com isso, o Brasil está tentando reforçar sua posição estratégica na região (da América Latina) e se opor à influência americana sobre o continente sul-americano.”

Em entrevista ao Le Monde, analistas ressaltam que a decisão do Brasil de procurar parceiros fora da América Latina para a obtenção de know-how de tecnologia militar pode “provocar uma corrida armamentista no continente e ser um obstáculo a uma maior cooperação com os países vizinhos no setor da defesa”.

Colômbia e EUA

Segundo o jornal, o orçamento militar dos países sul-americanos aumentou 91% entre 2003 e 2008.

O diário cita como exemplos a aquisição pelo Chile de tanques Leopard 2 e o recente acordo de cooperação militar entre os Estados Unidos e a Colômbia, que provocou reações negativas da Venezuela e do próprio Brasil.

“Esses anúncios aceleraram a compra de armamentos por Argentina, Peru, Equador e Bolívia”, afirma o Le Monde.

“Além disso, a tensão se agravou nos últimos meses, com o golpe de Estado em Honduras, que lembrou aos países latino-americanos que as armas ainda têm sua voz no continente.”

Ainda de acordo com os analistas ouvidos pelo jornal, por se oferecer a fabricantes franceses, o Brasil acabou contrariando seu próprio discurso de ser soberano em matéria de armamentos.

“O Brasil deveria dar o exemplo e não contribuir para a criação, no continente, de um cenário de possíveis enfrentamentos geopolíticos entre grandes potências estrangeiras”, disse ao diário o analista brasileiro Thiago de Aragão.

‘Bilhete premiado’

O acordo entre França e Brasil também foi destaque no jornal francês Libération, segundo o qual, trata-se de um “bilhete premiado” para a indústria bélica francesa, que atualmente atravessa uma crise.

O diário informa que os aviões Rafale, que o Brasil deve importar, serão vendidos “nus”, o que deve obrigar o país a comprar também da França os armamentos que vão equipar as aeronaves.

O Libération diz ainda que, sem o mercado brasileiro, a fabricante do Rafale, a Dessault Aviation, poderia fechar.

“Desde sua chegada ao poder, Nicolas Sarkozy se dedica a dar a Serge Dessault, o grande patrão da empresa e também do jornal Le Figaro, um lugar central no jogo industrial francês”, comenta o diário de oposição.

FONTE: BBC Brasil

ESQUADRÃO CARCARÁ RECEBERÁ AERONAVES LEARJET 35 E NOVO EQUIPAMENTO PARA GUERRA ELETRÔNICA

Equipamento DR3000O Esquadrão Carcará (1º/6º GAV), localizado na Base Aérea do Recife, está na iminência de receber o equipamento DR-3000 para o cumprimento de missões de guerra eletrônica.

O novo equipamento dotará as novas aeronaves Learjet 35, oriundas do Grupo de Transporte Especial (GTE), que, brevemente, passarão a fazer parte da dotação do Esquadrão Carcará.

Em função da alta perfomance dessas aeronaves, rebatizadas como R-35AM, a Força Aérea Brasileira aumentará a sua capacidade de realizar o reconhecimento eletrônico em todo o território nacional.
fonte: FAB 1°/6°GAV

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...