quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

EXPLOSÃO EM AEROPORTO DA TURQUIA ATINGE AVIÃO E MATA FUNCIONÁRIA

Aero Istambul Sabiha Gokcen exterior_1000px

A explosão de uma bomba no Aeroporto Internacional Sabiha Gokcen, o segundo mais movimentado da cidade de Istambul, na Turquia, na madrugada desta quarta-feira, dia 23 de dezembro, provocou um morto e um ferido grave, confirmaram as autoridades aeroportuárias e fontes policiais.

Segundo essas fontes, que não revelaram outros pormenores, o rebentamento terá ocorrido numa zona de parqueamento de aviões, tendo atingido uma aeronave da Pegasus Airlines que terá sofrido avarias ainda não quantificadas. As vítimas são duas empregadas de uma empresa de limpeza de aviões. A explosão destruiu ainda alguns vidros do edifício do terminal, frente ao qual estão estacionados os aviões.

Na manhã desta quarta-feira, equipas de especialistas em minas e armadilhas estão a verificar a área, incluindo os aviões que aí se encontram estacionados, a fim de certificar a eventual existência de outros engenhos explosivos.

Todas as entradas do aeroporto estão agora controladas por forte dispositivo militar e um helicóptero da polícia está a sobrevoar as zonas de serviço do Aeroporto Sabiha Gokcen. O tráfego de aviões é normal desde o nascer do dia.

Aguarda-se uma comunicação oficial das autoridades turcas, se bem que já se conheça que a empregada morta era turca e tinha 30 anos de idade. Foi atingida na cabeça por um estilhaço do engenho explosivo. A dúvida que permanece é saber se a explosão foi devida a uma atentado terrorista.

O Aeroporto Sabiha Gpkcen, assim denominado em homenagem à primeira mulher piloto turca, está situado na parte asiática da cidade de Istambul, centro económico e industrial da Turquia. Este ano já movimentou cerca de 26 milhões de passageiros. A estrutura é propriedade da ‘Malaysian Airports Holding’, empresa que também gere os maiores aeroportos da Malásia.

fonte/foto/NewsAvia

JOÃO BOSCO FERREIRA, MINEIRO DE GOVERNADOR VALADARE, É PREMIADO COMO MELHOR INSTRUTOR DE HELICÓPTERO DO MUNDO


Recompensa veio pela implantação de um método de instrução antes inédito na América Latina, que ensina o piloto a reagir diante de uma situação de emergência.

O reconhecimento por parte de centenas de pilotos alunos da Escola de Aviação Civil (EFAI) já existe há muitos anos. O site da escola está repleto de depoimentos de alunos e ex-alunos que conseguiram contornar situações de emergência graças ao treinamento criado pelo comandante João Bosco Ferreira. Mas somente neste ano, a recompensa pela implantação de um método de instrução antes inédito na América Latina, veio em forma de prêmio.

O vencedor, mineiro, de Governador Valadares, foi eleito instrutor de voo do ano pela Helicopter Association International (HAI).

Bosco foi premiado por desenvolver um método que ensina o piloto a reagir diante de uma situação de emergência a bordo. Ele explica que este tipo de procedimento está previsto nos manuais da aeronáutica, mas que, no Brasil, durante muitos anos, permaneceu a lacuna da prática.

“Em 1997 eu percebi que existia a necessidade de um treinamento específico para procedimentos de emergência. Isso era feito lá fora, mas aqui no Brasil, sempre foi descrito, mas nunca realizado na prática”, explica.

Piloto desde 1972, João Bosco foi membro das Forças Aéreas e diretor da Helibras, onde permaneceu por 14 anos. Em 2003, decidiu fundar a própria escola, a Escola de Aviação Civil Ltda.(EFAI), com sede em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, que tem como principal crença que o nível de segurança de voo das aeronaves dependem da formação inicial do piloto.

Foi a partir da fundação da escola que o comandante passou a fazer o treinamento simulado para pilotos mais antigos, além de formar novos pilotos.

No site oficial da EFAI, há depoimentos emocionantes de alunos e ex-alunos que explicam como o método de Bosco os auxiliou no exercício da profissão e, muitas vezes, ajudou a salvar vidas. É o caso do comandante Renato Ramos, que conta sobre uma pane de motor durante um voo em São Paulo. “A tomada da decisão eu acho que foi fundamental pelo treinamento que a gente fez aqui com o Bosco, na EFAI. Eu optei pela autorrotação, que foi o melhor que eu achei para aquele momento. Executei a mesma, e enfim deu tudo certo. O principal fato que me auxiliou muito foi o psicológico. O treinamento enfatiza demais naquele momento, de você tomar decisão e confiar que você é capaz de fazer o procedimento”, conta.

O prêmio de Instrutor de Voo do Ano será entregue no dia 2 de março de 2016, durante a Hai Heli-Expo, em Louisville, Kentucky, nos Estados Unidos. Para Bosco, a homenagem é gratificante, depois de 35 anos na atividade e quase 18 oferecendo o treinamento para a comunidade.

fonte/foto/EstadoDeMinas

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...