quarta-feira, 9 de outubro de 2013

PESQUISA RELACIONA RUÍDO DE AVIÕES A RISCO MAIOR DE DERRAMES E DPENÇAS CARDÍACAS

Viver em uma área com altos níveis de ruídos de aviões aumenta o risco de derrame e doenças cardiovasculares, segundo uma pesquisa recém-publicada no British Medical Journal.

O estudo analisou uma população de 3,6 milhões de pessoas que moram no entorno do aeroporto de Heathrow, no sudoeste de Londres, e sugeriu que nas áreas com maior nível de ruído, os riscos de problemas de saúde desse tipo eram entre 10% e 20% maiores que o normal.

Os pesquisadores concordam com outros cientistas que o barulho não é necessariamente a causa desse risco elevado e sugeriram que serão necessários mais estudos para testar a ligação.

A pesquisa indica um risco maior tanto para hospitalizações quanto para mortes provocadas por derrames e doenças cardiovasculares para uma parcela de 2% da população alvo do estudo - cerca de 70 mil pessoas - que vive onde os ruídos das aeronaves são mais altos.

'O papel exato que a exposição ao ruído pode ter sobre a saúde ainda não está estabelecido', observa a coordenadora do estudo, Anna Hansell, do Imperial College London. 'Mas é plausível que isso pode estar contribuindo - por exemplo, ao elevar a pressão sanguínea ou ao prejudicar o sono das pessoas.'
Segundo ela, o barulho alto provoca uma 'reação de sobressalto', que aumenta o ritmo de batimento cardíaco e a pressão sanguínea.

'O ruído dos aviões também pode ser irritante para algumas pessoas, o que pode afetar sua pressão sanguínea e levar a doenças', afirma.

Estilo de vida
O estudo analisou dados sobre os níveis de ruídos em 2001 da agência de aviação civil da Grã-Bretanha, cobrindo 12 distritos de Londres e nove fora de Londres onde os ruídos de aviões excediam os 50 decibéis - semelhante ao ruído normal de pessoas conversando numa sala quieta.
Os autores dizem que menos pessoas são agora afetadas pelos níveis maiores de ruído (acima de 63 decibéis) - apesar de haver mais aviões cruzando os céus -, por conta de mudanças nos projetos de aeronaves e nas rotas aéreas.

Os pesquisadores do Imperial College e do King's College London adaptaram sua pesquisa em um esforço para eliminar outros fatores que poderiam ter uma relação com derrames e doenças cardíacas, como pobreza, origem étnica do sul da Ásia ou o fumo.

Eles enfatizaram que o risco maior de doenças relacionadas a ruídos de aeronaves é ainda assim menos significativo que os riscos por fatores de estilo de vida - incluindo fumo, falta de exercícios ou dieta não saudável.

fonte/BBC Brasil/MSN

PASSAGEIRO POUSA AVIÃO APÓS PILOTO DESMAIAR NA GRÃ-BRETANHA

Um passageiro conseguiu pousar um pequeno avião num aeroporto britânico na noite desta terça-feira (9), após o piloto da aeronave desmaiar.

Equipes de emergência foram chamadas ao aeroporto de Humberside, no centro da Grã-Bretanha, depois de o avião emitir um pedido de ajuda.

Dois instrutores de voo orientaram o passageiro pelo rádio a pousar o aparelho, que levava apenas duas pessoas.

O passageiro precisou de quatro tentativas até conseguir pousar, ovacionado pelas pessoas que aguardavam na torre de controle.

Segundo testemunhas, o pouso foi praticamente normal, a não ser por algumas faíscas e choques de partes da aeronave no solo.

Um dos instrutores que orientou o pouso, Roy Murray, afirmou que o passageiro não tinha experiência de voo, mas fez um 'trabalho extraordinário'.

'Ele fez um pouso muito bom. Ele não conhecia a disposição dos comandos, não tinha as luzes ligadas, então estava voando totalmente no escuro', disse Murray, que comanda uma escola de aviação no aeroporto de Humberside.

Murray disse ter tentado manter o homem calmo enquanto explicava os procedimentos de pouso. 'A última coisa que você quer é criar pânico, senão todo tipo de problema pode acontecer', afirmou.
'É um sentimento fantástico saber que consegui algo e provavelmente salvei a vida de alguém', comentou. 'Acho que sem qualquer orientação ele provavelmente teria caído no chão.'

O avião, com o piloto e o passageiro, havia decolado da pista de pouso de Sandtoft, a 40 quilômetros de distância.

Não foram divulgados detalhes sobre a condição de saúde do piloto.

fonte/G1
Enhanced by Zemanta

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...