terça-feira, 18 de agosto de 2009

FAB ENCERRA CURSO DE ENSAIOS DE VOO PARA RECEBIMENTO DE AERONAVES

O grupo Especial de Ensaios em Voo (GEEV) realizou no último dia 14 de agosto a cerimônia de conclusão do XXI Curso de Preparação para Recebimento de Aeronaves, que reuniu dez alunos de sete diferentes unidades, inclusive do Exército Brasileiro. A atividade é regulamentada pela portaria interministerial nº 792/GM3, de 1982, e tem como finalidade proporcionar aos militares uma base teórica e conhecimento de técnicas de pilotagem para a realização de voos de recebimento de aeronaves saídas de linhas de produção e oriundas de serviços de manutenção, reparos ou revisão geral.

O curso é realizado desde 82. Desde então, 183 pilotos e 31 engenheiros foram formados pelo GEEV, para atuação na área do Comando da Aeronáutica, do Ministério da Defesa, para as Forças Armadas brasileiras e de nações amigas e para a indústria nacional.
Ao longo de nove semanas, os alunos tiveram aulas sobre aerodinâmica, mecânica de vôo, motores, vibração, sistemas, metrologia, regulamentos aeronáuticos e filosofia do vôo de recebimento. Também participaram de palestras sobre normas de certificação civil e militar, inspeção de conformidade, sistemas de qualidade, aeroelasticidade, gerenciamento do risco e aviônica.
Além da parte teórica, cada aluno realizou, em média, 9 horas de vôo, onde foram transmitidas as técnicas utilizadas para a obtenção dos dados necessários à avaliação do correto funcionamento de uma aeronave e dos vários sistemas que a compõe. Na instrução aérea para a modalidade asas rotativas foram utilizados as aeronaves H-55 (esquilo bimotor) e H-50 (esquilo monomotor).
Como trabalho final, os alunos confeccionaram um manual de procedimentos de verificações funcionais em vôo, bem como uma lista de verificações funcionais em vôo para serem utilizados na aeronave H-55.
Fonte: EFEV/GEEV

NOVO CENTRO DE SERVIÇOS DEDICADO PARA JATOS EXECUTIVOS DA EMBRAER ENTRE EM OPERAÇÃO EM 2009



Com o objetivo de oferecer ao cliente da aviação executiva um ambiente dedicado de manutenção no Brasil, a Embraer está implementando um novo centro de serviços na cidade de São José dos Campos, a 90 km da capital paulista. Localizado dentro da sede da Empresa, a instalação contará com 1.800 metros quadrados e proporcionará agilidade, eficiência e comodidade aos proprietários de jatos executivos da Embraer. O início das operações está previsto para ocorrer até o final de 2009.

“A implementação desta nova instalação dentro da nossa sede de operação trará mais conveniência aos nossos clientes de jatos Phenom e Legacy na América Latina”, disse Edson Carlos Mallaco, Diretor de Suporte ao Cliente e Serviços da Embraer – Aviação Executiva.

“Por ser um centro dedicado à aviação executiva, poderemos oferecer serviços diferenciados, atendendo melhor às expectativas dos nossos clientes.” O novo centro de serviços será localizado ao lado da pista do Aeroporto de São José dos Campos e contará com 1.620 metros quadrados de área para aeronaves e outros 180 metros quadrados destinados à administração. Por meio dele, a Embraer oferecerá manutenção programada e não-programada para as famílias de jatos executivos Phenom e Legacy, bem como assistência remota (atendimentos no local onde a aeronave está quando esta não podese deslocar até o centro de serviços).

Com base em pesquisas realizadas junto a clientes, a Embraer confirmou a importância da localização da nova instalação próxima à cidade de São Paulo. Além disso, o Aeroporto de São José dos Campos está aberto 24 horas por dia, é habilitado para operação por instrumentos e não possui restrição para vôos (slots). A Embraer possui atualmente um centro de serviços na Unidade Gavião Peixoto, no interior do Estado de São Paulo, a cerca de 300 km da capital paulista. Executando operações de Jatos executivos Phenom 100 (frente)e Legacy 600 no novo centro de serviços da Embraer manutenção desde 2005, esta instalação continuará atendendo não somente aos clientes da aviação executiva, mas também aos da aviação comercial e de defesa.

A frota de jatos executivos da Embraer na América Latina tem crescido rapidamente nos últimos anos. Atualmente, a carteira de pedidos firmes a entregar já supera 100 aeronaves. Dez jatos Legacy 600 operam na região e no último mês de junho os primeiros Phenom 100 foram entregues.

Fonte: Portal Fator Brasil - Foto: Divulgação

FAA ORDENA REPARO EM PORTAS DE JATOS DA EMBRAER

Os órgãos reguladores aéreos dos EUA e no exterior uniram forças para exigir reparos e evitar possíveis defeitos nas portas de carga e deslizadores das saídas de emergência em centenas de jatos fabricados pela brasileira Embraer, segundo informa o Wall Street Journal. Os problemas não causaram danos ou acidentes com os populares modelos Embraer 170 e 190, mas os reguladores citaram significativas questões de segurança ao ordenar a intensificação das inspeções, modificações ou revisões das partes suspeitas.

A Administração Federal de Aviação nos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) propôs nesta terça-feira ordenar inspeções e reparos para assegurar que as portas de carga de proa e de popa dos jatos não abram durante o voo, o que a agência diz que “pode resultar em reduzida integridade estrutural” e possivelmente rápida descompressão. A FAA disse que existem informes de dois aviões que partiram com as portas de cargas abertas, mas sem qualquer sinal de alerta no painel para avisar os pilotos sobre o problema. A proposta indica que mais de 150 aviões operados por companhias aéreas nos EUA serão afetados.

Os órgãos reguladores de segurança aérea na Europa também adotaram uma ordem de segurança do órgão brasileiro com objetivo de substituir os deslizadores das saídas de emergência nas portas da proa do modelo Embraer 190. De acordo com a ordem da agência brasileira, o defeito pode impedir a abertura das porta em uma emergência.

FONTE: Yahoo

CONCLUÍDAS AS OBRAS NO AEROPORTO DE PIRACICABA

As atividades do Aeroporto Estadual Pedro Morganti voltaram ao normal no sábado (17). O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), concluiu as obras de recapeamento e pavimentação do local na última sexta-feira. De acordo com o superintendente da autarquia, Sérgio Augusto de Arruda Camargo, a conclusão ficou dentro do prazo previsto e, para 2010, será incluída na proposta orçamentária, recursos para a reforma do terminal de embarque e desembarque de passageiros.

Segundo o assessor de comunicação do Aeroclube de Piracicaba, Robson Filho, por cerca de 40 dias, era proibido decolar e aterrissar no local das 8 às 17 horas, para a execução das obras. "Além de recapear a pista de taxiamento, a sinalização instalada para o balizamento das aeronaves segue o padrão da Infraero, com material refletivo", disse.

O Daesp investiu cerca de R$ 2,9 milhões no aeroporto desde o ano passado. Nas primeiras obras, com recursos de R$ 1,8 milhão, foram executados o fechamento da área patrimonial, com instalação de alambrado em toda a extensão do aeroporto, a pavimentação da pista de rolamento e da via de acesso aos hangares, segundo o Daesp.

Na intervenção que terminou na semana passada, foram gastos R$ 1,1 milhão com o recapeamento da pista de pouso, da pista de táxi de ligação e pátio, ampliação do pátio de aeronaves e construção de uma unidade de serviço (USE). "Só está faltando concluir a construção desse galpão, que será utilizado para guardar máquinas, como trator, equipamentos e ferramentas. Também será instalado nesse espaço o almoxarifado", disse Camargo.

Toda a área do aeroporto passou por drenagem e o estacionamento também foi pavimentado.

Ampliação

O superintendente disse que não há qualquer previsão para a ampliação da pista de rolamento em mais 300 metros para 2010. Atualmente a pista tem 1.200 metros. "Já tivemos reuniões sobre essa ampliação e ela sendo analisada em função do crescimento da região, porém, no momento, não há previsão para que isso aconteça. Há ainda uma implicação local, porque a área para essa ampliação é de propriedade da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz). No orçamento de 2010 não estará prevista essa obra", afirmou.

O secretário de Turismo, Omir José Lourenço, afirmou que a cidade vai continuar solicitando a ampliação da pista, que permitirá mais segurança para as aeronaves de pequeno e médio porte e os pousos de decolagens de aviões com até cem passageiros. "Vamos continuar solicitando a obra. Já conseguimos as primeiras melhorias, principalmente de recapeamento e pavimentação, que eu entendo como primeira e segunda fases. Agora começa a luta pela terceira etapa, que é a ampliação da pista e também a reforma e ampliação da área de embarque e desembarque".

A secretaria já sinalizou o local como sendo ponto turístico de Piracicaba, com placas marrons, que é a cor padrão internacional de indicação de atrativos turísticos. No entanto, falta a melhoria do acesso da estrada do Monte Alegre. Segundo o secretário de Obras, Arthur Ribeiro, um estudo sobre o recapeamento e instalação de calçadas no local já foi elaborado. Ele não informou o valor a ser investido e disse que a obra poderá ser executada somente pela parceria com empresas e com o governo do Estado.

Terminal de passageiros

O terminal de passageiros do Aeroporto de Piracicaba poderá ser reformado em 2010, segundo o superintendente do Daesp, Sérgio Augusto de Arruda Camargo. A obra será incluída na proposta orçamentária do departamento para o próximo ano, que é encaminhada à Secretaria de Estado de Transportes, a qual é vinculado o departamento.

Se aprovada, a obra vai beneficiar mais de 11 mil passageiros, que hoje não contam com uma infraestrutura adequada para aguardar pelo voo, ou mesmo na chegada em Piracicaba. Ele disse que o valor da reforma e ampliação desse setor ainda está em estudo.

A pessoas que utilizam o aeroporto, em sua maioria, são executivos das empresas de Piracicaba e região. "Esse aeroporto está situado em uma das maiores regiões do Estado e, junto com os aeroportos dos Amarais em Campinas, o de Bragança, Sorocaba e Jundiaí, faz parte do que chamamos de Terminal São Paulo no Daesp. Oferecem suporte logístico para a movimentação empresarial dessa região do Estado", disse Camargo.

Em 2008, 11 mil passageiros viajaram pelo aeroporto de Piracicaba, que no ano passado registrou 10.985 pousos e decolagens. De janeiro a junho desse ano, passaram pelo local 3.663 passageiros e ocorreram 3.020 pousos e decolagens, segundo Arruda.

Número

11 mil passageiros utilizaram o Aeroporto de Piracicaba em 2008.

Fonte: Gazeta de Piracicaba - Foto: DAESP

AVIAÇÃO AGRÍCOLA CRESCE 5% AO ANO

Quase seis décadas depois do primeiro avião agrícola do Brasil alçar vôo em Pelotas, no Rio Grande do Sul, o setor da aviação agrícola brasileira representa o segundo maior mercado no segmento do mundo. Com 300 empresas especializadas e uma frota de cerca de 1,4 mil aeronaves, perde apenas para os Estados Unidos.

De acordo com o presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), Júlio Kämpf, o setor tem apresentado um crescimento de 5% ao ano, isso implica a necessidade de 50 novos aviões anualmente. No entanto, adverte Kämpf, o progresso do segmento depende de vários fatores. “Ele varia de acordo com a situação agrícola no País, que nos últimos tempos tem sofrido com a instabilidade econômica, além de outras diversas restrições. Como, por exemplo, o custo elevado dos insumos na última safra, o qual esperamos que se estabilize para a próxima”.

Fonte: tosabendo.com

MIRAGE III VOADO POR AYRTON SENNA É DOADO AO MUSEU ASAS DE UM SONHO DA TAM


O presidente do Museu Tam, João Francisco Amaro, recebeu da Força Aérea Brasileira (Fab) a doação de um caça modelo Mirage, no último sábado (dia 15), em Anápolis (GO). A aeronave foi o primeiro caça da Fab a romper a barreira do som no Brasil, há mais de trinta anos.

Com a reabertura operacional do museu, programada para janeiro, o avião estará entre as mais de 80 peças expostas. O espaço passa por reformas desde julho do ano passado para expandir a antiga área construída coberta, de 9,5 mil m², para mais de 20 mil m².

“Este Mirage está pintado com o nome do nosso querido Ayrton Senna, que teve a oportunidade de voar nele como passageiro, e assim será preservado no Museu. O capacete usado por Senna no voo também será gentilmente doado pelo Instituto Ayrton Senna”, explicou João Amaro.




Era mês de março de 1989, quando Ayrton experimentou uma aventura que nunca chegou a uma mesma velocidade de um F-1. Ayrton embarcou juntamente com o piloto Silvio Potengi hoje coronel, em um avião-caça Mirage III D da Força Aérea Brasileira(FAB), nos céus do Rio de Janeiro, a duas semanas do GP Brasil em Jacarepaguá, em uma emoção eletrizante.

Foto: Avião-caça Mirage III D, usado na experiência de Ayrton Senna

No meio de cada movimento, Ayrton via pequenas bolinhas e perdia os sentidos por alguns segundos, no cockpit da frente, e Potengi no de trás indicado para os caronas.Foram quatro vezes. Potengi achou o suficiente e o avisou que poderia desmaiar, mas ele queria mais.Foto: Avião-caça Mirage III D,usado naexperiência de Ayrton Senna

Foram loopings!!!! Já tinham feito um belo rasante na grande reta do autódromo de Jacarepaguá e ultrapassado a barreira do som a 1165 km/h, a uma distância segura para que não quebrasse os vidros das janelas das cidades . Não houve mais loopings , mas Potengi pediu permissão de Senna para mais manobras radicais. E o fez. Depois de um grande mergulho,seguido de um rasante que deixou o avião a poucos metros do mar, na região de Ubatuba, voando rente as ondas em direção ao continente, Potengi fez um movimento brusco de 180 graus.
Experiência do Senna em um avião caça F-5 em 1987.

De cabeça para baixo, tendo a água como sua única visão muito próxima ao cockpit. Sentiu algo que não esperava : Pânico.Desembarcaram daquele caça, em uma experiência de 40 minutos. Senna estava pálido e meio tonto, mas muito feliz principalmente tomado por um sentimento patriota:“Se todos os brasileiros pudessem experimentar o que senti, talvez tivessem mais amor a Pátria”.Essa frase foi estampada em todos os jornais e todas as revistas, o que aparentemente parecia um jogo de marketing.Provou anos depois, que foi o início de uma grande amizade leal e freqüente dos pilotos oficias da FAB, a ponto de , nos anos seguintes, pousar algumas vezes seu helicóptero na Base Aérea da Santa Cruz, e passar dias inteiros com eles, falando sobre aviões e aeromodelismo.

Senna também mandava vários presentes de forma discreta, um deles foi uma moderna tenda semelhante às usadas na F-1, para substituir um velho palanque de madeira que era usado em solenidades.Ayrton usou um adesivo com o símbolo do 1º Grupo de Aviação de Caça de Santa Cruz no lado esquerdo do capacete durante o GP Brasil daquele ano. E deu por encerradas as experiências supersônicas, mesmo quando anos depois, o piloto de seu jato particular , Owen O’Mahony, com ótimas relações na Royal Air Force, se ofereceu para conseguir para ele, a experiência de voar num dos jatos da Red Arrows, a famosa esquadrilha inglesa.

fonte: PANRotas, Paddock F1

COMANDANTE DA CVW-11 COMEMORA MIL CATRAPOS

1000traps-fotousn

O capitão-de- mar-e-guerra Bret “Pops” Batchelder, comandante da CVW-11 (Carrier Air Wing), realizou um marco histórico no último ida 10 de agosto. A bordo de um F/A-18C, o comandante pousou no USS Nimitz por volta das 14:45h e completou mil ‘catrapos’ em sua carreira de aviador naval.

Este é um marco importante na carreria de um aviador naval pois são poucos os que atingiram esta marca ao longo da história.

Batchelder tornou-se aviador naval em maio de 1986 e desde então acumulou 4.500 horas de voo.

FOTO: USNavy

ANIVERSÁRIO DA AVIAÇÃO NAVAL - ESQUADRÃO VF-1

AF-1 Falcão

bolacha_vf1.jpgEm 29 de julho de 1996, o então Ministro de Estado da Marinha encaminhou ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República, a carta de exposição de motivos n° 091/96 onde, com base na edição da Lei Complementar n° 069/91, que dispõe sobre o preparo e o emprego das Forças Armadas, participou que a Marinha havia iniciado seus esforços para a correção da grande deficiência com que convivia a Esquadra: a falta de uma arma de interceptação e ataque. Foram iniciados então estudos preliminares visando a possibilidade de aquisição de aeronaves de asa fixa, com a missão principal de prover meios aéreos de interceptação e ataque às unidades navais e de fuzileiros navais, a fim de contribuir para o aumento da capacidade operativa das Forças Navais e secundariamente, em outras tarefas de interesse da MB.
Durante a condução dos trabalhos, a análise do elenco de propostas apresentadas por fornecedores e empresas à Marinha indicou que as aeronaves A-4 Skyhawk pertencentes à Força Aérea do Kuwait, e em disponibilidade para venda, atendiam às necessidades da MB. Foi então realizada uma Inspeção Técnica no Exterior, na Cidade do Kuwait, que avaliou como satisfatório o estado das aeronaves e de interesse para a Marinha.

Além das aeronaves, foram também vistoriados equipamentos de aviônica, armamento, material de apoio e sobressalentes incluídos no pacote de oferta. Estes itens, apesar de estarem na condição de usados, também foram considerados de interesse para aquisição.

Pelo Decreto Presidencial nº2.538, de 8 de abril de 1998, que dispõe sobre os meios aéreos da Marinha e dá outras providências, foi estabelecido, no Art. 1º. Que “a Marinha disporá de aviões e helicópteros destinados ao guarnecimento dos navios de superfície e helicópteros de emprego geral, todos orgânicos e por ela operados, necessários ao cumprimento de sua destinação constitucional”.

Em 30 de abril de 1998, foi assinado um “Purchase Agreement” entre a MB e o Governo do Kuwait para a obtenção de 20 aeronaves tipo A-4KU monoplace e 3 TA-4KU biplace.

A Marinha contratou a Boeing para, junto com um grupo por ela designado, realizar um teste de aceitação de fábrica e supervisionar as ações necessárias à inspeção, preparo, embarque e translado das aeronaves e itens associados do Kuwait para o Brasil.

Os aviões e todo o seu material chegaram ao Brasil no dia 5 de setembro de 1998, no Porto do Forno, em Arraial do Cabo/ RJ, de onde foram levados para a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA).

O 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (EsqdVF-1), que opera os jatos Skyhawk, designados na MB como AF-1 Falcão (monoplace) e AF-1A Falcão (biplace) que devido aos sucessivos cortes de verbas impostos à Marinha desde o início do atual Governo, viu seus aviões diminuírem cada vez mais a sua disponibilidade para voo, a ponto de o VF-1 ficar sem nenhuma aeronave disponível por meses.

Cada piloto deve cumprir, no mínimo, 100 horas de voo por ano, para manter a qualificação obtida na formação feita na US Navy, ao custo de US$ 1 milhão por piloto.

Com a falta de disponibilidade das aeronaves, a qualificação dos pilotos foi afetada e a Marinha terá de recuperar o tempo perdido quando o NAe “São Paulo” A-12, voltar a operar normalmente.

Durante a LAAD 2009 foi assinado um contrato entre a MB e a EMBRAER para modernização de 12 aeronaves A-4Ku Skyhawk. Serão modernizadas 10 unidades AF-1 e 2 unidades AF-1A. A modernização será semelhante àquela realizada nos F-5 da FAB e visando manter as aeronaves operacionais até 2025.

fonte/fotos: Blog Poder Naval

PORTÕES ABERTOS NO PRÓXIMO DOMINGO NA BACG

A Base Aérea de Campo Grande (BACG) promove no próximo domingo, dia 23 de agosto, a partir das 9 horas, o seu tradicional Dia dos Portões Abertos, com diversas atrações, como a apresentação da Esquadrilha da Fumaça, exposição de aviões de caças, de aeronaves de transporte e de helicópteros, além de demonstração de resgate e salto de paraquedistas. Os visitantes poderão ainda ver de perto os mais de 160 carros antigos que participarão do VII Encontro de Veículos Antigos de Campo. O Exército fará apresentações de seus Cães de Combate e deixará em exposição Carros de Combate. Outra novidade deste ano são os voos de balões que acontecerão no local.

O evento, segundo estimativas, deverá atrair um público ainda maior que as cerca de 40 mil pessoas que participaram no ano passado. A entrada é um quilo de alimento não perecível, que será revertido para instituições de caridade de cidade. No último evento foram arrecadas mais de 12 toneladas de alimentos.

O objetivo maior dos Portões Abertos é a integração com a comunidade, que poderá conhecer mais de perto o trabalho realizado pelos militares da Força Aérea Brasileira. A festa entra como parte das comemorações do aniversario de Campo Grande e também em comemoração aos 65 anos da Base Aérea.

Mais informações, imagens de TV e fotos, podem ser obtidas pelos telefones (67) 3368-3122, 3368-3123, 8402-4468 e 9258-2616.

Fonte/Foto: BACG

CURSO DE DATALINK NA FAB

A Força Aérea Brasileira iniciou nesta semana (17 de agosto) o segundo Curso Básico de Enlace de Dados Táticos (CBEDAT-2, outrora chamado de DATALINK) e o segundo Curso de Operador de Centro de Operações Aéreas (COPCOA-2), ambos com duração de cinco dias.

O CBEDAT, cuja finalidade é habilitar oficiais e graduados a operar o Sistema de VHF/UHF fornecido para o Sistema de Enlace de Dados, possui o corpo discente composto por dois oficiais superiores (dentre eles um do Exército Brasileiro), sete oficiais intermediários, doze oficiais subalternos e onze graduados, perfazendo um total de trinta e dois alunos. Seus participantes terão oportunidade de realizar uma visita à Estação de Carregamento de Chaves de Criptografia do Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (2º/5º GAV), além de uma aula prática sobre o Sistema de Enlace de Dados das aeronaves A-29 e R-99.

O COPCOA, que tem por finalidade treinar graduados e praças nas atividades relativas aos sistemas de Tecnologia da Informação (TI) e procedimentos do Sistema de Comando e Controle de Operações Aéreas, possui seu corpo discente composto por dezenove graduados e quatro praças, perfazendo um total de vinte e três alunos. Seus participantes travarão contato com as diversas Diretrizes Operacionais (DIROP) e Diretrizes do Comando da Aeronáutica (DCAR) que regulam o Sistema de Comunicações e Controle (C2), realizarão uma avaliação e um exercício sobre o Sistema Hércules e sobre a rede de comunicações do Comando-Geral de Operações Aéreas (INTRAGAR).

O Grupo de Instrução Tática e Especializada, com a realização desses dois cursos, acumula um total de catorze no ano, e seiscentos e trinta e oito alunos formados firmando-se como a escola de ensino operacional do Comando-Geral de Operações Aéreas.

Fonte/Foto: GITE

FAB OFERECE 128 VAGAS PARA A CARREIRA DE OFICIAL

A Força Aérea Brasileira inscreve entre os dias 17 de agosto e 02 de outubro para os exames de admissão ao Estágio de Adaptação de Oficiais Temporários (EAOT) e ao Estágio de Instrução e de Adaptação para Capelães (EIAC). Esse ano estão abertas 125 vagas para 22 profissões no EAOT e, também, duas vagas para sacerdotes católicos e uma vaga para pastores evangélicos no EIAC.

O Processo Seletivo é constituído das seguintes etapas: Exame de Escolaridade e Conhecimentos Específicos, Prova de Títulos, Inspeção de Saúde (INSPSAU), Exame de Aptidão Psicológica (EAP) e Teste de Avaliação do Condicionamento Físico (TACF). A prova escrita acontece no dia 22 de novembro em dezesseis cidades brasileiras.

O candidato aprovado fará o respectivo estágio, que tem duração de 13 semanas, no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), em Belo Horizonte (MG). Concluindo-o com aproveitamento, será nomeado Segundo-Tenente, sendo designado para servir em Organização Militar da localidade escolhida no ato da inscrição, para o caso dos candidatos do EAOT, e na localidade onde há a vaga, no caso dos candidatos do EIAC; respeitando a classificação obtida no processo seletivo.

As Instruções Específicas podem ser acessadas na página www.fab.mil.br ou diretamente no site da escola www.ciaar.com.br/concursos.html

AVIÕES MILITARES SE APRESENTAM EM SHOW AÉREO NA RÚSSIA


Avião militar Mig-29 faz apresentação durante MAKS, show internacional de aviação e espaço, na Rússia (Foto: AP)


Jatos Mig-29 fizeram acrobacias no ar.
Maior show aéreo da Rússia foi aberto pelo premiê, Vladimir Putin.
O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, durante a inauguração do Maks, maior show aéreo do país (Foto: AP)


Fonte: AP - G1

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...