quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

BOEING DA GARUDA SAI DA PISTA NA INDONÉSIA



Um avião Boeing 737-800 da Garuda Indonesia, matrícula PK-GNK, saiu da pista na terça-feira, dia 31 de janeiro, depois de aterrar no Aeroporto de Yogyakarta, na ilha de Java.

Os 123 passageiros e cinco tripulantes desembarcaram pelos seus próprios meios através de escadas que foram colocadas nas portas do avião. Não foi necessário abrir as mangas de emergência, refere a imprensa indonésia.

O aparelho, que fazia o voo GA258 procedente de Jakarta, capital da Indonésia, ficou atolado na cabeceira de uma das pistas e sofreu diversas avarias sobretudo nos trens de aterragem, nas asas e no motor esquerdo.

Fotos © Swaragama.

Fontes aeroportuárias disseram que chovia torrencialmente na ocasião em que o avião pousou. Este aeroporto já tem sido cenário de diversos acidentes com aeronaves comerciais, alguns muito graves e com destruição total dos aparelhos.
O avião que sofreu esta saída de pista é praticamente novo. Tem apenas dois anos e meio de serviço, tendo entrado na frota da Garuda, diretamente da fábrica da Boeing, em 21 de agosto de 2014.

fonte/foto/NewsAvia

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS QUER CONCENTRAR A PRODUÇÃO DO GRIPEN

Futuro caça da FAB,
 Futuro caça da FAB, 'Gripen E' é apresentado na Suécia. Foto: Saab/Divulgação.

A Akaer, empresa do setor tecnológico de São José dos Campos que vai desenvolver peças da fuselagem do caça Gripen NG, fabricado pela sueca Saab, defende que toda a produção do avião da Força Aérea Brasileira seja concentrada na cidade da região.

A ideia foi exposta pelo presidente da empresa, Cesar Augusto Andrade e Silva, durante uma palestra ministrada anteontem na sede da regional da Ciesp São José (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo). Atualmente, a empresa sueca prevê a construção de um parque aeronáutico em São Bernardo do Campo, no Grande ABC.

A Saab, inclusive, adquiriu na semana passada mais 10% das ações da Akaer e, agora, totaliza 25% sobre a empresa. Durante o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o país fez um acordo para a compra de 36 caças, no valor de US$ 5,4 bilhões, além da construção da fábrica no ABC. Ontem, nenhum representante da Akaer foi localizado para falar sobre o assunto.

Apoio. O secretário de Inovação e Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de São José, Alberto ‘Mano’ Marques, que esteve na palestra, também defende que as peças do caça sejam produzidas na cidade. “A Prefeitura de São José vem acompanhando todo o processo e faz esforços para aquecer o mercado local”, disse ontem ao O VALE.

“A Saab adquiriu mais 10% da Akaer na semana passada. Ou seja, tem interesse na empresa, que tem toda a estrutura pronta na cidade. Não faz o menor sentido que seja produzido em outro lugar que não seja aqui”, afirmou Mano, que prevê a geração de 200 a 500 empregos na cidade. “São três pontos importantes. Primeiro, que a Saab é parceira da Akaer. Segundo, que a empresa tem a estrutura pronta na cidade. E, terceiro, que toda a cadeia produtiva de aviação está em São José”.

fonte/foto/OVale

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...