quinta-feira, 18 de agosto de 2016

PRIMEIRO VOO DO AIRLANDER 10



A Airlander 10 é a maior aeronave do mundo, e fez nesta semana o seu primeiro voo.

A “bunda voadora”, como aparentemente é chamado deveria ter feito a sua primeira viagem no último domingo, mas o voo foi adiado devido a um “pequeno problema técnico”. A fabricante do dirigível, a Hybrid Air Vehicles, não tinha revelado quando o o voo aconteceria, mas o veículo finalmente decolou do aeroporto de Cardington, perto de Londres.

O voo em si não foi muito longo – apenas meia hora, de acordo com AP – mas aparentemente atraiu centenas de pessoas. O dirigível de 90 metros de comprimento combina elementos como “asa fixa de aviões e helicópteros com uma tecnologia mais leve que o ar”, resultando numa espécie de Frankenstein colossal. Os criadores afirmam que a aeronave pode ficar no ar por mais de duas semanas, sem tripulação.

A Airlander 10 é um dirigível 25% maior que um Boeing 747. O volume dele é de cerca de 38 milhões de metros cúbicos; ele pode atingir mais de 6.000 metros de altura e voar a 144 km/h.

Segundo a AP, a Airlander 10 foi originalmente criada para o serviço militar dos EUA, que queria usá-lo para “vigilância no Afeganistão”, mas o plano foi deixado de lado em 2013. (É difícil não perceber uma bunda gigante no céu.)

Ao contrário de outras aeronaves notáveis – como, por exemplo, a Hindenburg – a Airlander 10 usa hélio para se manter no ar. De acorodo com a Hybrid Air Vehicles, ela consegue resistir a “diversos buracos de bala” e operar “em qualquer condição climática”. O avião pode ser usado para pesquisas acadêmicas e transportes, inclusive para lugares remotos.

fonte/foto/Gizmodo

QUATRO MORTES EM DOIS ACIDENTES NA VENEZUELA




Um avião executivo Cessna 550 Citation ll, matrícula YV3051, despenhou-se pelas 15h40 locais desta terça-feira, dia 16 de agosto, no Aeroporto de Charallave/Caracas ‘Óscar Machado Zuloaga’, no Estado Miranda, em Venezuela, tendo morrido os dois pilotos, únicos ocupantes da aeronave.

O avião terá caído no final da pista 28, no lado direito à sua direção. o avião conseguiu ainda levantar do solo, mas ainda sobre a pista não ganhou altitude e descaiu para a direita importando no solo. Incendiou-se imediatamente próximo da auto-estrada Francisco de Miranda, uma das principais vias de acesso e de saída da capital venezuelana.

Segundo a imprensa de Caracas e outras notícias confirmadas por profissionais da aviação e divulgadas nas redes sociais, a aeronave era tripulada pelos pilotos Luís Mosciolo (comandante) e José Rebolledo (co-piloto), que morreram no acidente. O aparelho seguia viagem com destino a Barinas.

Avião com droga caiu no Estado de Apure
Num outro acidente aéreo, ocorrido no passado domingo, dia 14 de agosto, também morreram os dois únicos ocupantes de avião ligeiro Beechcraft Super King 200 que caiu no sector Orillas del Rio Meta, no Estado de Apure, no interior da Venezuela. Alertados por camponeses para a queda da aeronave, militares do Exército que se deslocaram ao local depararam-se com o avião completamente destroçado e ardido e com os dois pilotos carbonizados. O caso foi entregue ao Ministério Público, já que os militares encontram nos destroços nove pacotes de cocaína.
As autoridades admitem que este avião e os dois tripulantes mortos no acidente se dedicam ao contrabando de cocaína, infelizmente muito frequente naquela zona da Venezuela.
Desde há três anos as Forças Armadas já imobilizaram e/ou abateram cerca de meia centena de aviões ligeiros e executivos utilizados no transporte de droga entre aeroportos clandestinos no interior da Venezuela e dos países fronteiriços.

fonte/foto/OSapo

CISCO VAI DEMITIR 5.500 FUNCIONÁRIOS



tek Cisco openBerlin
Ontem o mundo online foi inundado com rumores de que a tecnológica norte-americana se estava a preparar para despedir entre 9.000 a 14.000 funcionários em todo o mundo, ou seja, aproximadamente 20% da sua força laboral mundial.

Depois de muita especulação, a Cisco finalmente pronunciou-se sobre a situação. Afinal, a empresa está a planear despedir 5.500 funcionários, ou seja, perto de 7% da sua força de trabalho a nível mundial.

Como o TEK já noticiou, este demissão em massa é parte do plano de reestruturação do negócio da Cisco, que procura cada vez mais afastar-se do mundo do hardware e cimentar a sua posição no mercado do software.

De acordo com o TechCrunch, a Cisco explica que esta reestruturação tem como objetivo mitigar despesas em segmentos do negócio que não registam níveis de produtividade que justifiquem a sua continuidade. Para além disso, a empresa pretende aprofundar a sua presença em áreas que considerem serem essenciais ao seu crescimento, como a Internet da Coisas, a computação cloud, a cibersegurança, os data centers de nova geração e sistemas de colaboração.

fonte/foto/Sapo.pt

EMBRAER OFERECE INDENIZAÇÃO E BENEFÍCIO POR ADESÃO AO PDV


Produção de avião na Embraer. Foto: Cláudio Vieira/O VALE.
Produção de avião na Embraer. Foto: Cláudio Vieira/O VALE.


A Embraer vai pagar indenização de 40% do salário nominal (registrado em carteira) por ano trabalhado na empresa para cada empregado que aderir ao PDV (Plano de Demissões Voluntárias), além das verbas rescisórias.
Também será garantido o pagamento mínimo de dois salários nominais. O funcionário demitido terá um salário inteiro de indenização para cada dois anos e meio de trabalho. O valor vai ser isento de impostos. Essas regras foram divulgadas ontem.
A medida pretende economizar US$ 200 milhões (cerca de R$ 650 milhões) por ano e a inclui ainda seis meses de assistência médica e odontológi-ca e orientação para recoloca-ção ou aposentadoria.
Levando-se em conta o salário médio de R$ 4.000 no setor de produção em São José, segundo o Sindicato dos Meta-lúrgicos, a fabricante teria que demitir cerca de 4.700 trabalhadores para atingir a meta apenas com o PDV.
A Embraer não divulgou a expectativa de adesão ao programa. Informou que o número variará dependendo dos cargos dos demitidos. Disse ainda que aplicará outras ações para cortar gastos, como a redução de estoque e a reprogramação com fornecedores.

No Brasil. Poderão aderir trabalhadores de qualquer nível hierárquico das cinco fábricas da Embraer no país, que empregam 17 mil dos 19 mil funcionários. As unidades do exterior estão fora do PDV. Com 12,3 mil empregados só em São José, a cidade deve ser a mais atingida. Há unidades também em Taubaté, Sorocaba, Botucatu e Gavião Peixoto.
O período de adesão ao PDV começa na próxima terça-feira e segue até 14 de setembro. Os demitidos terão seu desligamento efetivado na primeira semana de outubro.
Contrário ao desligamento, o sindicato vai propor alternativas à Embraer em substituição ao programa. "Não existe PDV bom. É demissão e não podemos aceitar. Não aceitaremos mais esse grave ataque contra os trabalhadores", disse o vice-presidente Herbert Claros.
"Vamos discutir com os trabalhadores e propor alternativas à empresa". 

fonte/foto/OVale

ATUALIZADO - AIRBUS DA QATAR REGRESSA AO AEROPORTO DE ISTAMBUL APÓS BIRD STRIKE


Um avião Airbus A330-300 da Qatar Airways, matrícula A7-AEO, que descolou na manhã desta quinta-feira, dia 18 de agosto, do Aeroporto de Istambul/Ataturk, pelas 13h41 locais (10h41 UTC), viu-se obrigado a regressar à cidade turca poucos minutos depois, devido a uma avaria grave num dos dois motores da aeronave.

A companhia aérea já confirmou o incidente e disse que o avião que realizava o voo QR240 com destino ao Aeroporto Internacional de Doha, no Catar, retornou ao aeroporto de origem e pousou em segurança, tendo os ocupantes abandonado o aparelho de forma normal. Os pilotos agiram em conformidade com as regras de segurança na empresa, diz o comunicado distribuído na conta de Twitter da empresa, pelas 11h30 UTC.

Fontes aeroportuárias, citadas pela televisão turca, referiram que o Airbus A330-300 colidiu com um bando de pássaros de grande porte no momento da descolagem, tendo a tripulação pedido imediatamente um retorno ao aeroporto, dada a situação de emergência.
Desconhecem-se, por enquanto, outros pormenores. De certo, sabe-se que não há vítimas pessoais.

fonte/NewsAvia

AIRBUS DA QATAR REGRESSA AO AEROPORTO DE ISTAMBUL APÓS PROBLEMA EM UM DOS MOTORES


Um avião Airbus A330-300 da Qatar Airways, matrícula A7-AEO, que descolou na manhã desta quinta-feira, dia 18 de agosto, do Aeroporto de Istambul/Ataturk, pelas 13h41 locais (10h41 UTC), viu-se obrigado a regressar à cidade turca poucos minutos depois, devido a uma avaria grave num dos dois motores da aeronave.

A companhia aérea já confirmou o incidente e disse que o avião que realizava o voo QR240 com destino ao Aeroporto Internacional de Doha, no Catar, retornou ao aeroporto de origem e pousou em segurança, tendo os ocupantes abandonado o aparelho de forma normal. Os pilotos agiram em conformidade com as regras de segurança na empresa, diz o comunicado distribuído na conta de Twitter da empresa, pelas 11h30 UTC.

Fontes aeroportuárias, citadas pela televisão turca, referiram que o Airbus A330-300 colidiu com um bando de pássaros de grande porte no momento da descolagem, tendo a tripulação pedido imediatamente um retorno ao aeroporto, dada a situação de emergência.
Desconhecem-se, por enquanto, outros pormenores. De certo, sabe-se que não há vítimas pessoais.

fonte/NewsAvia

CHINA PRECISA CONTRATAR 100 PILOTOS POR SEMANA DURANTE 20 ANOS

China precisa de contratar 100 pilotos por semana durante 20 anos
 
Parece ser um número exorbitante, e é, mas seria o necessário para resposta à elevada procura na aviação chinesa. A frota triplicou, e o número de passageiros não para de aumentar. As companhias chinesas precisam de pilotos e acenam com dinheiro, muito dinheiro.

 A China vive um boom na aviação. No último ano, o número de passageiros aumentou 11%. Nos últimos cinco anos, o número de companhias aéreas aumentou 55%, e nos últimos dez anos a frota aérea chinesa triplicou e ultrapassou os dois milhares, 2.650 aparelhos.

O crescimento tem sido acentuado, mas ainda não acompanha a procura. Na realidade, ainda está muito longe de o conseguir. Para que a procura fosse totalmente correspondida, as companhias aéreas chinesas teriam que contratar quase 100 pilotos por semana nos próximos 20 anos. Com falta de soluções dentro do próprio país, o gigante asiático vira-se para o estrangeiro à procura de pilotos. E como o fazem? Acenam. Acenam com dinheiro, com muito dinheiro.


Giacomo Palombo é um antigo piloto da United Airlines. Em declarações à Blomberg, Palombo conta que, durante semanas a fio, foi constantemente bombardeado com propostas para pilotar um Airbus A320 na China. A transportadora regional Qingdao Airlines ofereceu-lhe um vencimento de 318 mil dólares por ano (282 mil euros, ao câmbio atual). E a Sichuan Airlines, que já tem rotas intercontinentais, acenava com uma proposta de 302 mil dólares anuais (cerca de 268 mil euros, ao câmbio atual). As duas companhias aéreas ofereciam-se ainda para pagar as suas despesas durante o tempo em que estivesse a viver na China.

As companhias chinesas estão a oferecer contratos 5 vezes superiores aos dos seus rivais no resto da Ásia, escreve a Bloomberg.

Com ofertas a chegar aos 26 mil dólares mensais (cerca de 23 mil euros), pilotos de países de economias emergentes, como é o caso da Rússia e do Brasil, vêm-se na iminência de quadruplicar os seus salários na China. As palavras são de Dave Ross, presidente da Wasinc International, uma empresa que tem feito a ponte entre a China e o resto do mundo, estando a recrutar dezenas de pilotos para as transportadoras aéreas chinesas como a Chengdu Airlines, a Qingdao Airlines e a Ruili Airlines.

Ross diz que a situação chega ao mesmo ao extremo de se perguntar a uma companhia chinesa quantos pilotos precisam, e eles responderem: “tragam os que tiverem”. É um valor quase ilimitado, conta.

Os números chineses ganham uma dimensão ainda maior quando os comparamos com o salário médio anual de um piloto de uma grande companhia americana como a Delta, onde os números andam à volta dos 209 mil dólares anuais (185 mil euros). Há inclusive, nos Estados Unidos da América, transportadoras regionais que pagam menos de 25 mil dólares (22 mil euros) anuais, de acordo com a Air Line Pilots Association.

Nem tudo é um mar de rosas
Os "zeros" são chamativos, mas nem tudo é apelativo quando o que está em causa é mudar para a China. Basta olhar para toda a burocracia que é exigida. Depois de se candidatar a um trabalho na China, o processo de admissão de um piloto pode demorar até dois anos.
A segurança também será um fator a ter em conta. A zona da Ásia tem o pior ‘rating’ de acidentes. Há 3,2 acidentes por cada milhão de voos. Enquanto no resto do mundo este valor não chega aos 2 acidentes por um milhão de voos (1,8).

fonte/ Sapo.pt

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...