quarta-feira, 22 de julho de 2009

TAM É ADVERTIDA POR CONSULADO NA FRANÇA


A TAM, única companhia nacional a ligar Brasil e França, foi advertida pelo consulado do Brasil em Paris por negligência no embarque no Brasil. Mesmo tendo pago multas por transportar passageiros com documentação insuficiente, a companhia não se mostrava atenta às exigências francesas, segundo o consulado.

Entre as insuficiências estariam informações incompletas no site da companhia. A direção da TAM em Paris não se manifestou, por não ter autorização da matriz.

Fonte: Zero Hora

SUSPEITA DE FOGO FAZ AVIÃO RETORNAR A AEROPORTO NOS EUA

Um avião da Air France retornou hoje (22) ao aeroporto internacional de Boston, EUA, após a suspeita de fogo no motor, segundo informações das autoridades locais.

Uma luz de alerta foi acionada e obrigou o voo 332 a retornar a Boston 31 minutos após a decolagem, segundo o porta-voz do aeroporto, Phil Orlandella.

O Airbus A340-300, prefixo F-GLZI, deveria pousar no aeroporto internacional Charles De Gaulle, em Paris, França.

Todos os 112 passageiros e os 13 tripulantes desembarcaram sem ferimentos.

Fonte: UOL Notícias (com informações do Boston Herald) - Foto: reprodução/WCVB TV

TERMINAL DE CARGAS COMEÇA A OPERAR COM RESTRIÇÃO DE PISTA

Terminal começa a operar com restrição de pista


Transporte de cargas, em Fortaleza: problemas de pista (Foto: Fco Fontenele)
A partir de hoje começa a operar o Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aeroporto Internacional Pinto Martins, modal aéreo que viabilizará a importação e a exportação de produtos no Ceará. Os produtores e exportadores de frutas e flores do Estado, entretanto, se queixam da extensão da pista do aeroporto, que estaria abaixo da metragem exigida para pouso e decolagem de grandes cargueiros.

“A falta da pista fez com que a a gente botasse o pé no freio na produção”, conta Hermes de Paula, gerente geral da Flora Reijers, maior produtor em estufa e exportador de rosas do País, presente na Serra da Ibiapaba.

Hoje as exportações de frutas e flores realizadas via modal aéreo é realizado em aeronaves mistas, que comportam passageiros, bagagens e cargas. “Como nesses aviões a prioridade é sempre dos passageiros, muitas vezes não conseguimos enviar nossa mercadoria. Isso pelo fato de a aeronave estar cheia”, queixa-se.

Segundo Hermes, desde maio a empresa não exporta para a Holanda, seu principal mercado. Isso porque não há mais demanda de turistas daquele País para vir à Fortaleza. Até o início do ano, a Reijers enviava cerca de 21 mil rosas para o Exterior, em três embarques por semana.

Já os exportadores de frutas frescas estão escoando suas mercadorias Rio Grande do Norte e Bahia. O produtor de mamão da região do Tabuleiro de Russas, João Teixeira, estima que a operação de grandes aviões exclusivamente cargueiros para o Pinto Martins faria o custo das exportações cair.

Logística
Por semana, Teixeira exporta 100 toneladas de frutas via aeroporto de São Paulo e de outros estados nordestinos. “Gastamos 40 centavos a mais por quilo, por conta da logística precária”, contabiliza. Assim, por semana, ele acumula gasto adicional de R$ 40 mil.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que administra o aeroporto de Fortaleza, afirma que a pista está homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para receber aviões cargueiros. Mas que teria 10% de restrição de pista para operação do grande cargueiro Boeing 747-400 (Jumbo), com carregamento e tanque cheios. Isso, entretanto, não inviabilizaria a operação de outros cargueiros como o MD11.

A assessoria de imprensa da Infraero cita o exemplo do aeroporto de Manaus (AM), que tem 15% de restrição. Ainda assim, é o terceiro maior modal aéreo de cargas do País. Segundo a Infraero, a operação de cargueiros no Ceará ainda não seria viável economicamente.

- O Teca, com capacidade total de cinco mil toneladas, terá duas câmaras frias e uma frigorífica, voltadas cada uma para frutas, flores e pescados

- Em 2008, foram exportados 733 toneladas de produtos via Pinto Martins, tendo como principais destinos os EUA, Holanda, Portugal, França, China e Japão. Os principais produtos foram flores, frutas, confecção, peixes ornamentais, calçados e couro.

fonte: O Povo-Ceará

PILOTO SOBREVIVE A QUEDA DE AVIÃO QUE FAZIA ACROBACIAS NO CHILE



Um piloto militar sobreviveu a um acidente aéreo em Santiago do Chile na terça-feira (21). O acidente foi registrado por um cinegrafista amador.

O tenente Eduardo Varas de la Fuente fazia acrobacias aéreas quando a aeronave Extra 300L caiu em uma estrada próximo a uma empresa que instala aparelhos de GPS em ônibus.

Testemunhas disseram que o monomotor parecia estar planando antes de virar e cair, envolto em uma nuvem de fumaça.

Os funcionários da empresa correram para ajudar o piloto, que continuava na cabine. Eles extinguiram o fogo que tomava o avião e o retiraram.

O piloto parecia em choque. Ele foi levado a um hospital para ser tratado de ferimentos múltiplos, incluindo uma lesão na coluna, um pulmão perfurado e um braço quebrado.


Fonte: AP via G1 - Fotos: Mario Ruiz / UPI

ANAC VAI FAZER AUDITORIA EM EMPRESA QUE FRETOU AVIÃO PARA O SKANK


A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai fazer uma auditoria operacional de segurança na empresa Líder Táxi Aéreo, que fretou um avião para o grupo Skank, na manhã deste domingo (19), em Minas Gerais. A aeronave enfrentou problemas após a decolagem e perdeu a porta durante o voo.

Ainda segundo informações da agência, se for constatado o descumprimento de alguma norma de segurança, um processo administrativo será aberto para apurar o ocorrido. A empresa aérea poderá ser multada e o valor da multa só deve ser estipulado durante o andamento do processo.

A Anac informou ainda que a aeronave usada pelo grupo Skank estava com a documentação regular e o certificado de manutenção anual em dia. A tripulação também estava com os documentos em ordem.

A investigação sobre a as causas do incidente aéreo será feita por técnicos do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa).

A assessoria de imprensa da Líder Táxi Aéreo informou que a empresa não vai se pronunciar sobre o caso.

Os músicos
Os integrantes do grupo Skank tiveram de trocar a aeronave logo após o problema no voo até Belo Horizonte. De acordo com a assessoria de imprensa da banda, o Skank fez um show em Capelinha (MG), na noite de sábado (18), onde pernoitaram.

A cabine sofreu despressurização e o piloto teve de fazer um pouso de emergência no mesmo local de onde o avião tinha decolado, em uma fazenda em Capelinha. Ainda segundo a assessoria do grupo, os integrantes do Skank estão tranquilos e passam bem.

fonte: G1/foto :divulgação

AVIÃO PERDE A PORTA APÓS DECOLAR, A BORDO A BANDA SKANK









Os integrantes da banda Skank levaram um susto no domingo (19) minutos após embarcarem no avião que os levaria da cidade de Capelinha a Belo Horizonte, em Minas. A aeronave (de pequeno porte) fretada pelo grupo --um King Air, da empresa Líder Aviação-- sofreu uma pane e perdeu a porta cerca de cinco minutos após decolar. Ninguém ficou ferido.

De acordo com a assessoria de imprensa do grupo, estavam no avião os quatro integrantes da banda, um empresário, um segurança, um produtor, além do piloto e do copiloto da aeronave.

O avião havia partido de uma pista em uma fazenda em Capelinha --onde o grupo se apresentou na noite de sábado (18)--, pois o aeroporto da cidade estava fechado para reformas. A pane ocorreu cerca de cinco minutos após a decolagem, no final da manhã de ontem.

De acordo com a assessoria de imprensa da Líder --que confirmou apenas a pane, mas disse não ter informações sobre o incidente com a porta--, o piloto conseguiu pousar na mesma pista e o grupo seguiu viagem em outro avião enviado pela empresa.

Ainda não há informações sobre o que teria causado o acidente.

fonte: UOL foto/Divulgação

PILOTOS DA IAI SE ACIDENTAM EM CARTAGENA COM CAÇA KFIR RECÉM ENTREGUE A COLÔMBIA


Oficiais da Força Aérea da Colômbia informaram nesta terça que dois pilotos israelenses da IAI - Israel Aerospace Industries se acidentaram na cidade de Cartagena na Colômbia nesta ultima em segunda-feira. Bombeiros efetuaram o resgate dos pilotos israelenses que saíram ilesos do sinistro.

A aeronave matricula 3004 tentou decolar do aeroporto Rafael Núñez em Cartagena na Colômbia as 4: 45 da tarde para um vôo de checagem de sistemas. Aparentemente o avião não desenvolveu velocidade suficiente para decolar, tentou abortar, mas em razão da pista muito lisa (o aeroporto Rafael Núñez fica a beira mar) acabou atravessando a cerca no limite do aeroporto indo cair em pedras à beira mar.


A Colômbia comprou 24 aviões de combate de Kfir de Israel, em um negócio estimado em 150 milhões de dólares. A aeronave acidentada 3004 faz parte das primeiras 4 unidades modernizadas do Kfir foram oficialmente entregues em Israel a pouco menos de um mês.


fonte: Jerusalem Post, Haaretz.com e El Tiempo/Caribe

FORÇA AÉREA DA ÁFRICA DO SUL ESTÁ ALAVANCANDO O SETOR DE TECNOLOGIA



A Força Aérea da África do Sul (SAAF) está promovendo o desenvolvimento de alta tecnologia no país. “Nos últimos anos, trouxemos bastante tecnologia para o país”, afirma o tenente general Carlo Gagiano, comandante em chefe da SAAF. “Se considerarmos nossas últimas aquisições, as aeronaves A109, Lynx Mk 300, Hawk e Gripen, todas representam a última palavra em avanço tecnológico no mercado.”

http://www.defesanet.com.br/imagens/south_africa/hawk_3.jpg

“O Hawk, por exemplo”, cita Gagiano. “Os aviônicos do Hawk foram projetados pela ATE, uma empresa sul-africana. A ATE qualificou os aviônicos que foram testados em voo, na África do Sul. Há várias empresas no país, envolvidas com nossas novas tecnologias, na sua manutenção. Além disso, já estão procurando atualizá-las.”

A Denel Dynamics está desenvolvendo (em cooperação com o Brasil) a quinta geração (ou seja, a última) de mísseis ar-ar A-Darter que têm alcance curto e são guiados por infravermelho. Estes mísseis equiparão tanto os Gripens como os Hawks, a serviço da SAAF.

Nestes últimos anos, a SAAF recebeu ou começou a receber 30 helicópteros leves AugustaWestland A109, quatro helicópteros navais AugustaWestland Lynx Mk 300 (que deverão operar a partir de fragatas da Marinha), 24 aeronaves de treinamento BAE Systems Hawk (com capacidade secundária de combate), bem como 26 avançados caças leves Saab Gripen. Os A109s estão substituindo os antigos helicópteros Alouette III, que atuaram na SAAF por 44 anos, e os Hawks, as aeronaves Atlas Impala Mk I e Mk II (versões sul-africanas, fabricadas sob licença, dos aviões Italian Aermacchi MB326M e MB326K, respectivamente), que serviram o país por 40 anos. Os Gripens, por sua vez, estão substituindo os Denel Cheetahs, versões muito mais modernizadas do caça Dassault Mirage III. No papel, os Lynxes deveriam substituir os Alouette IIIs que operavam a bordo de navios, mas, na realidade, eles representam a restauração de uma capacidade dedicada de helicópteros marítimos perdida há uns 20 anos, com a aposentadoria dos Westland Wasps.

Exceto pelos aviônicos do Cheetah, todas as aeronaves antigas basicamente empregavam tecnologias da década de 60 ou com mais de 40 anos de idade. Todas as novas aeronaves utilizam tecnologias contemporâneas.

“Eu poderia começar com os equipamentos de vigilância, a exemplo da tecnologia de imagem por infravermelho FLIR (forward-looking infrared), da telemetria por radar e dos controles de voo — os controles mais avançados, existentes hoje em dia, estão no Gripen”, afirma Gagiano entusiasmado. “Até mesmo no A109, você tem um sistema de controle de voo e piloto automático de quatro eixos, facilitando muito a vida da tripulação de bordo. Esta pequena aeronave também conta com avançadíssimos aviônicos, um salto enorme em relação aos antigos Alouette III, cuja instrumentação era acionada por meio de diais. O A109 tem um sistema digital de geração de mapas, três telas multifuncionais, um piloto automático, além de poder pairar no ar. Incorpora ainda tecnologia de imagem FLIR e de telemetria por radar, além de oferecer uma excelente capacidade para içar.”

Traduzindo tudo isso em termos práticos, isso significa que o A109 pode localizar, com precisão, o local de uma emergência, alcançá-lo mais rapidamente e executar as operações de resgate com maior segurança, até mesmo em condições adversas, por um tempo maior, em comparação com o antigo Alouette III.


Mesmo os aviônicos da década de 90, integrados no Cheetah, já estão ultrapassados. “Temos um sistema de armamentos muito bom no Cheetah, mas tudo ainda era controlado por voz, através do rádio”, explica Gagiano. “Agora, pela primeira vez, estamos usado sistemas de datalink no Gripen, representando um salto enorme de onde nos encontrávamos antes”.

http://www.defesanet.com.br/imagens/saab/sa/j-39_saaf.jpg

Com um sistema de datalink, os aviônicos da aeronave podem se comunicar diretamente entre si e com os sistemas eletrônicos baseados em terra, sem que seja necessário o piloto olhar seus instrumentos e comunicar as leituras oralmente, através do rádio. Graças a esta capacidade, por exemplo, o Gripen pode voar com o radar desligado, evitando dar sua posição a aeronaves hostis ou suspeitas, mas retendo a capacidade de receber dados de radar da base terrestre ou de outras aeronaves (inclusive de outros Gripens). Portanto, estas aeronaves contam com as vantagens oferecidas pela utilização de um radar, sem as suas desvantagens. Como os sistemas de datalink são padrão agora, nas principais forças aéreas do mundo, isso também significa que a SAAF está apta agora para interagir, mais efetivamente, com estas forças.

fonte: Portal Brasil

CONTINENTAL AIRLINES VAI CORTAR 1,7 MIL VAGAS


A Continental Airlines fechou o segundo trimestre de 2009 com um prejuízo líquido de US$ 213 milhões, ou US$ 1,72 por ação. A perda foi mais expressiva do que aquela verificada um ano antes, de US$ 5 milhões, ou US$ 0,05 o papel.

Com as perdas, a empresa informou ainda que irá demitir cerca de 1,7 mil funcionários. Os cortes vão se somar às 500 demissões de agentes de reservas já anunciadas e às licenças oferecidas pela empresas a 700 comissários de bordo.

Excluindo US$ 44 milhões em despesas extraordinárias, a empresa aérea teria um prejuízo de US$ 169 milhões no trimestre recente, o correspondente a US$ 1,36 por ação. A receita total somou US$ 3,126 bilhões, ou 22,7% mais enxuta do que os US$ 4,044 bilhões registrados nos três meses encerrados em junho de 2008.

"Os resultados do segundo trimestre foram afetados adversamente por quedas significativas no tráfego uma vez que muitos clientes reduziram suas viagens ou compraram passagens econômicas devido à debilidade da economia. Além disso, o vírus H1N1 diminuiu a receita consolidada com passageiro em estimados US$ 50 milhões", ressaltou a Continental em nota em sua página eletrônica.

As despesas com combustível declinaram em US$ 762 milhões no segundo trimestre, perante um ano antes, indo de US$ 1,653 bilhão para US$ 891 milhões.

Para fazer frente às perdas, além das demissões a empresa anunciou ainda que vai aumentar o valor cobrado por bagagens despachadas e pelo serviço de reservas pelo telefone.

Fonte: Valor Online via G1 - Foto: AP

EMBRAER LEVA DOIS JATOS EXECUTIVOS PARA OSHKOSH

A Embraer estará presente pelo quarto ano consecutivo na AirVenture, exposição aeronáutica promovida pela Experimental Aircraft Association (EAA) em Oshkosh, Estado de Wisconsin, Estados Unidos. O evento anual, em sua 57ª edição, é um dos mais famosos encontros internacionais para entusiastas da aviação (www.AirVenture.org) e será realizado de 27 de julho a 2 de agosto, das 9 às 17 horas. Um jato Phenom 100, da categoria entry level, será exibido pela primeira vez na exposição, assim como um modelo em tamanho real do jato Phenom 300, da categoria light, no novo endereço da Empresa: Static número 347, AeroShell Square.

“A estréia do Phenom 100 nesta edição da EAA AirVenture é muito significativa, uma vez que o primeiro vôo da aeronave ocorreu há apenas dois anos, simultaneamente à Oshkosh 2007”, disse Ernest Edwards, Diretor de Marketing e Vendas da Embraer para os Estados Unidos, Canadá, México e Caribe – Aviação Executiva. “O Phenom 100 foi certificado conforme o planejado e atendeu, ou excedeu, muitas das metas de projeto, tornando-se a mais rápida aeronave, com o mais longo alcance e a maior cabine em sua categoria.”

A Embraer promoverá uma coletiva de imprensa na quarta-feira, dia 29 de julho, às 11 horas, no Centro de Imprensa da EAA, localizada ao norte do edifício da Federal Aviation Administration (FAA). Ernie Edwards apresentará as últimas conquistas do portfólio expandido de jatos executivos da Empresa, composto pelo Phenom 100, Phenom 300, Legacy 450, Legacy 500, Legacy 600 e Lineage 1000, das categorias entry level, light, midlight, midsize, super midsize e ultra-large.

As entregas do Phenom 100 começaram em dezembro de 2008, com um retorno muito positivo dos clientes. A certificação e entrada e operação do Phenom 300 estão programadas para o final deste ano. Os novos Legacy 500 e Legacy 450 deverão iniciar operações no segundo semestre de 2012 e 2013, respectivamente. O Legacy 600 entrou em serviço em 2002 e atualmente conta com mais de 170 jatos em 26 países. O primeiro Lineage 1000, maior aeronave do portfólio, foi entregue em maio passado.

Os jatos executivos da Embraer

O portfólio de jatos executivos da Embraer oferece aeronaves com tamanhos de cabine e flexibilidade de alcance adequados para as mais variadas demandas, permitindo maior produtividade no trabalho e economia de tempo nas viagens, com conforto e privacidade.

O Phenom 100 tem capacidade para até oito ocupantes e sete opções de interior, projetadas em parceria com o BMW Group DesignworksUSA. Com alcance de 2.182 km (1.178 milhas náuticas), incluindo reservas de combustível NBAA IFR, é capaz de voar de São Paulo para Montevidéu sem escalas. O jato foi certificado em dezembro de 2008 e confirmou ser o mais rápido e com a maior capacidade de bagagem da sua categoria. O Phenom 100 tem uma avançada cabine de pilotagem e possui um lavatório traseiro privativo como alguns de seus diferenciais competitivos.

O Phenom 300 transporta até dez ocupantes em um espaçoso e confortável interior, também projetado em parceria com o BMW Group DesignworksUSA. As asas enflechadas e com winglets e os modernos sistemas a bordo foram desenvolvidos com foco no excelente desempenho em vôo. Ponto único de reabastecimento, lavatório com serviço externo e excelente pressurização de cabine são alguns dos diferenciais do jato. O Phenom 300 é um dos aviões mais velozes da categoria light, atingindo 833 km por hora ou 450 nós (KTAS), e voa a uma altitude de 45 mil pés (13.716 metros). Com um alcance de 3.334 km (1.800 milhas náuticas), a aeronave é capaz de voar de Brasília para Buenos Aires sem escalas incluindo reservas de combustível NBAA IFR.

Lançados em 2008, o Legacy 450 e o Legacy 500 são jatos executivos de médio porte que estabeleceram um novo paradigma nas suas respectivas categorias. Os interiores foram projetados em parceria com o BMW Group DesignworksUSA e oferece espaço e estilo inigualáveis. Estas aeronaves terão a maior cabine e o melhor isolamento acústico das suas classes. Piso plano, altura de cabine de 1,82 metro, ótima pressurização e toalete a vácuo são outras características de destaque do Legacy 450 e do Legacy 500 que complementam o desempenho superior e os baixos custos operacionais.

O avançado sistema aviônico da Rockwell Collins – Pro Line Fusion™ – oferecerá um amplo alerta situacional com interface altamente intuitiva. Os motores de última geração HTF7500E, fabricados pela Honeywell, incorporam as mais recentes tecnologias para atender aos requisitos de desempenho com aprimorada eficiência em termos de consumo de combustível, facilidade de manutenção, baixos custos operacionais e reduzido nível de emissão de ruídos e poluentes, diminuindo o impacto ambiental. Os jatos serão os mais rápidos das suas categorias e os únicos equipados com o moderno sistema eletrônico de comandos de vôos flyby-wire, tecnologia de última geração que aumenta a segurança das operações e o conforto dos passageiros, além de reduzir a carga de trabalho dos pilotos e o consumo de combustível.

O Legacy 450 está sendo projetado para transportar até nove passageiros e terá alcance de 4.260 km (2.300 milhas náuticas) com quatro passageiros ou 4.070 km (2.200 milhas náuticas) com oito passageiros, ambos incluindo reservas de combustível NBAA IFR. O jato poderá voar sem escalas do Rio de Janeiro para Bariloche, na Argentina.

O Legacy 500 levará até 12 passageiros e está sendo projetado para ter alcance de 5.560 km (3.000 milhas náuticas) com quatro passageiros ou 5.190 km (2.800 milhas náuticas) com oito passageiros, ambos incluindo reservas de combustível NBAA IFR. Estas características permitirão aos clientes voar do Rio de Janeiro para Chicago, nos EUA, com uma única parada em Caracas, na Venezuela.

Transportando 13 passageiros (configuração padrão) com conforto e privacidade, o Legacy 600 possui três ambientes distintos de cabine. O refinado interior oferece poltronas revestidas em couro, divã, aparador lateral, e mesas para refeição ou reunião. O avião também tem uma espaçosa cozinha (galley) para o preparo de alimentos quentes e frios, amplo lavatório na parte traseira, guardaroupas, armários e sistema de entretenimento com DVD e comunicação via satélite. O equipamento opcional High-Speed Data (HSD) e a tecnologia Wi-Fi permitem que os clientes naveguem na Internet, acessem e-mail e transfiram arquivos durante as viagens, proporcionando uma melhor utilização do tempo, aumento da produtividade no trabalho e mais opções de entretenimento. A aeronave conta com um amplo compartimento de bagagem facilmente acessível em vôo e tem capacidade total de carga de 8.100 litros (8,1 metros cúbicos ou 286 pés cúbicos). O jato atinge velocidade de cruzeiro Mach 0,80 e tem alcance de 6.019 km (3.250 milhas náuticas) com oito passageiros ou 6.297 km (3.400 milhas náuticas) com quatro passageiros, ambos com reservas de combustível NBAA IFR, podendo voar sem escalas de Manaus para Nova York, nos EUA, ou de Nova York para Londres, no Reino Unido. Mais de 170 jatos Legacy 600 operam atualmente em 26 países com altos índices de confiabilidade e baixos custos operacionais.

O Lineage 1000 é o maior jato executivo da Embraer e tem capacidade para transportar 19 passageiros em cinco zonas de cabine. Com alcance de 8.149 km (4.400 milhas náuticas) com oito passageiros ou 8.334 km (4.500 milhas náuticas) com quatro passageiros, ambos incluindo reservas de combustível NBAA IFR, o jato é capaz de voar sem escalas de São Paulo para Miami ou Nova York, nos EUA, ou para Lisboa (Portugal). O design do interior prioriza conforto e requinte e foi desenvolvido em parceria com a Priestman Goode, do Reino Unido. A cabine utiliza os materiais mais refinados da categoria e a grande variedade de configurações atende a todas as necessidades dos passageiros com espaço suficiente para trabalho, descanso e reuniões.

Equipamentos de bordo incluem opcionais como a tecnologia Wi-Fi, acesso à Internet e Electronic Flight Bag (EFB). Um amplo bagageiro traseiro, pressurizado e convenientemente acessível em vôo, tem capacidade total de 9.140 litros (9,14 metros cúbicos ou 323 pés cúbicos) e é o maior entre todos os concorrentes. O sistema aviônico integrado Primus Epic®, fabricado pela Honeywell, possui cinco telas de controle multifuncionais em cristal líquido (Liquid Crystal Display – LCD), dispositivo de controle de cursor (Cursor Control Device – CCD), ajuste de potência automático (auto-throttle), radar meteorológico com detector de turbulência e outras tecnologias de última geração. O Lineage 1000 é equipado com o moderno sistema eletrônico de comandos de vôo fly-by-wire.

Para atender às demandas dos clientes de jatos executivos, a Embraer investiu na criação de um sistema de suporte composto por seis unidades próprias e uma ampla rede autorizada em todo o mundo. A Empresa também possui parcerias com renomadas empresas de logística e treinamento de pilotos e mecânicos, além de oferecer inspeções de rotina, manutenção programada e não-programada e programas especiais de solução de serviços como o Embraer Executive Care (EEC). A estrutura de suporte ao produto da Empresa abrange operações de vôo e suporte técnico e de manutenção customizados de acordo com o perfil de operação de cada aeronave, além de um novo Contact Center para os clientes. Tal estrutura possibilita significativa redução dos custos e do tempo de permanência em solo das aeronaves e maximiza os benefícios desta importante ferramenta de negócios. [ www.EmbraerExecutiveJets.com.br].

Fonte: Portal Fator Brasil - Foto: Divulgação

APRESENTADO O PRIMEIRO MIRAGE F1 COM RADAR RDY-3 DO MARROCOS

A empresa francesa Sagem Défense Sécurité apresentou a primeira unidade do caça Mirage F1 da força Aérea do Marrocos (Alkowat al Malakiya al Jawiya) modernizado para o padrão MF-2000. No final de 2005, o país Africano firmou com o consórcio francês Sagem Défense Sécurité (SAFRAN Group) e Thales Airborne Systems a atualização da frota de 27 caças ao custo de 420 milhões de dólares.

A atualização inclui a instalação do sistema SIGMA-95 de navegação inercial, radar Thales RDY-3, alerta radar, melhoramentos no motor Snecma Atar 9K-50, designador laser Thales Damocles, cabine de pilotagem modernizado com telas de LCD novo computador central, interface para mísseis ar-ar MBDA MICA (Missile d’Interception, de Combat et d’Autodéfense) nas versões EM e IR. O avião também está capacitado a lançar bombas inteligentes AASM (Armement Ar Sol modulaire) de 250 kg, AM-39 Exocet antinavio e os tradicionais mísseis Magic II. A Sagem tem mantido entendimentos com vários usuários do Mirage F1 no sentido de oferecer uma atualização similar a contratada pelo Marrocos.

A imagem “http://www.defensa.com/images/stories/noticias/2009/07/mirage.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

O Marrocos vem gradativamente modernizando sua Força Aérea. Além de firmar contrato com Portugal para revitalização e manutenção de sua frota de C-130, a Força Aérea também irá receber 24 Lockheed Martin F-16C / D Block 52 e quatro aeronaves de transporte táctico C-27J Spartan.


fonte: Defesa.com

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...