domingo, 10 de agosto de 2014

SWISSAIR .? NÃO, OBRIGADO........


O voo LX-092, da Swiss International Airlines, com destino ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, precisou voltar ao aeroporto de Zurique, na Suíça, devido a um problema no trem de pouso na quinta-feira (8) à noite.

Os passageiros, dentre os quais 150 brasileiros, foram obrigados a se acomodar no chão frio do saguão do aeroporto suíço. A companhia aérea cedeu apenas colchões e almofadas, uma situação cujo descaso gerou revolta e até a polícia foi chamada.

Os viajantes precisaram ficar nessa situação por mais de 5 horas. Havia muitos idosos no voo, e nenhuma atenção extra lhes foi dada. Nenhum tipo de alimento foi fornecido enquanto estiveram alojados no sagão. Para usar o banheiro ou obter água, os passageiros deveriam caminhar cerca de 1 km no interior do aeroporto.

Por telefone, um passageiro identificado como Manuel deu detalhes do drama à Rede Record.

- A primeira classe saiu primeiro, deve ter ido para o hotel. Nós, como somos da classe econômica, jantamos dentro do avião. Aí depois saímos e fomos então pernoitar nos colchões que eles nos deram no chão frio do saguão. Nem uma água eles ofereceram pra gente. Se você quisesse, teria que subir no banheiro e tomar água do banheiro.

Por volta das 22h (horário local) da quinta-feira (8), os passageiros embarcaram no aeroporto de Zurique com destino a são Paulo. O voo havia saído de Lisboa, em Portugal, e fez conexão na Suíça, mas a aeronave apresentou problemas nas rodas utilizadas para o pouso e precisou retornar ao aeroporto após cerca de 1h de voo.

Durante o período em que ficaram no aeroporto, os brasileiros tentaram contato com a Embaixada, mas não tiveram resposta. Outros passageiros de nacionalidades diferentes buscaram o mesmo apoio, também sem sucesso. A situação só melhorou quando a empresa disponibilizou outro voo para o Brasil.
 
fonte/foto/R7/NewsAvia

AUTORIDADES IRANIANAS REDUZEM PARA 40 NÚMEROS DE MORTOS EM ACIDENTE AÉREO


Avião caiu minutos após decolar, neste domingo, em aeroporto de Teerã (Foto: Atta Kenare/AFP)Avião caiu minutos após decolar, neste domingo, em aeroporto de Teerã (Foto: Atta Kenare/AFP)
 
As autoridades iranianas reduziram para 40, em vez de 48, o número de mortos no acidente de avião ocorrido neste domingo (10), na capital Teerã, após comprovar que alguns passageiros sobreviveram.
 
Segundo confirmou um porta-voz aeroportuário, dos 40 passageiros e oito membros da tripulação que viajavam no avião, 38 morreram no ato e outros dez sofreram ferimentos e foram levados a hospitais, onde dois deles morreram pouco mais tarde.

Dos oito sobreviventes - a metade homens e a outra metade mulheres -, cinco são membros da mesma família, incluindo uma criança, segundo a agência local "Isna", e dois se encontram em estado de extrema gravidade.

Os mortos são todos iranianos, confirmaram à Agência Efe fontes diplomáticas em Teerã.

Forças de segurança iranianas pede para que não façam fotos dos destroços do avião (Foto: AFP)Forças de segurança iranianas pede para que não façam fotos dos destroços do avião (Foto: AFP)
 
Diversos meios de comunicação indicam que também ficaram feridas sete pessoas que passavam pelo local onde caiu a aeronave.

O aparelho, um Antonov-140 de fabricação iraniana (conhecidos também como IRÃ-140), caiu minutos após decolar, ao sul do aeroporto de Meharabad, perto do estádio esportivo Azadi, no sudeste de Teerã.

"O avião caiu no boulevar número seis do complexo habitado Azadi. Não temos informações exatas sobre as causas do acidente", declarou o porta-voz do Crescente Vermelho, Hossein Derajshan à agência nacional de notícias iraniana 'Irna'.

A aeronave pertencia a uma companhia aérea local iraniana e voava desde Teerã à cidade de Tabas, em uma zona desértica no leste do país, quando pouco depois da decolagem um de seus motores parou, segundo as primeiras informações.

O Irã conta com uma frota aérea obsoleta e há vários anos enfrenta grandes dificuldades para encontrar peças de reposição devido às sanções internacionais, o que costuma ocasionar graves atrasos nos voos internos.

O último acidente grave aconteceu em janeiro de 2011, quando um avião comercial caiu enquanto tentava fazer uma aterrissagem de emergência durante uma tempestade de neve no norte do Irã, o que provocou a morte de 77 pessoas, informou a cadeia de notícias "Press TV".

Em julho de 2009, outras 168 pessoas morreram com a queda outro aparelho no noroeste do país após decolar da capital.

fonte/foto/AFP/G1

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...