sexta-feira, 28 de setembro de 2012

VÍDEO DO POUSO DO AVIÃO DA AZUL EM CASCAVEL


VOOS DA TAM NO EXTERIOR TERÃO ASSISTÊNCIA MÉDICA REMOTA

A Tam assinou hoje contrato com a Medaire, empresa americana de aconselhamento médico remoto, que, a partir do acordo, contarão com apoio e orientação, em português, de profissionais especializados em medicina aeroespacial 24 horas por dia.

Quando constatar que algum passageiro necessita de auxílio médico, o comissário acionará o piloto da aeronave, que entrará em contato com a Medaire. Com base nos sintomas descritos, o médico dessa empresa indicará os procedimentos que deverão ser tomados.

Caso entenda que o paciente precise de atendimento hospitalar, poderá aconselhar, inclusive, que a aeronave alterne para o aeroporto mais próximo. Atualmente, a companhia é a única empresa na América Latina a contar com esse tipo de suporte.

Além do apoio remoto em
voo, o contrato com a Medaire prevê treinamento para tripulação e para o gerenciamento de passageiros com necessidades especiais, avaliação médica pré-voo, ativação de equipe médica na chegada da aeronave, verificação de recursos médicos no destino e retorno do caso.

O projeto prevê, ainda este ano, a aquisição de desfibriladores — aparelho utilizado para restabelecer ou reorganizar o ritmo cardíaco — para todas as aeronaves que fazem voos internacionais. Essas rotas foram escolhidas porque a maior incidência de complicações de saúde mais graves ocorrem em viagens com mais de quatro horas de duração. 
fonte/PanRotas

AERONAVE MILITAR SAI DA PISTA NO AEROPORTO DE BACACHERI, PARANÁ

Conforme notam (abaixo), uma aeronave militar, FAB5960,  saiu da pista ao pousar no Aeroporto de Bacacheri, não houve feridos, apenas danos materiais, aguardamos novas informações.

Notan  SBBI E3333/2012 B 28/09/12 22:44 C 29/09/12 23:59 E RWY 18/36 CLSD DEVIDO ACFT ACIDENTADA)

 

fonte/Notan/FuncionáriosDo Aeroporto

AVIAO DA AZUL SAI DA PISTA APÓS DUAS TENTATIVAS DE POUSO NO , NO PARANA






Um avião da companhia aérea Azul, que vinha de Campinas, em São Paulo, saiu da pista após tentar, por duas vezes, pousar no Aeroporto Municipal de Cascavel, no oeste do Paraná, na tarde desta sexta-feira (28).
Devido ao forte vento, o piloto teve de arremeter e quase encostou com uma das asas no chão. Na segunda tentativa, quando conseguiu pousar, acabou saindo da pista. A aeronave levava 49 passageiros e ninguém ficou ferido.
O avião teve de ser levado para manutenção e o voo seguinte, que seguiria de volta aCampinas, às 14h46, foi cancelado. Em nota, a assessoria da empresa disse que a companhia está investigando o ocorrido.

AZUL ENVIA NOTA DE ESCLARECIMENTO

"A Azul Linhas Aéreas informa que a aeronave que fazia o voo de Campinas para Cascavel na tarde de hoje (28/9) pousou sob condições de ventos fortes e ultrapassou momentaneamente o limite lateral da pista. Na sequência, a aeronave taxiou para o pátio e todos os 49 Clientes a bordo desembarcaram normalmente sem qualquer alteração. A companhia está investigando o ocorrido e a aeronave está em solo para avaliação de manutenção, procedimento comum adotado pela companhia. Por esse motivo, o voo 6903 que sairia para Campinas às 14h46 de hoje foi cancelado e os clientes estão sendo atendidos de acordo com a Resolução 141 da Anac. A empresa lamenta os transtornos e se coloca à disposição para mais esclarecimentos."

Azul Linhas Aéreas Brasileiras
fonte/G1/CATVE/foto/CATVE

AERONÁUTICA DEIXA BUSCAS POR AVIÃO QUE DESAPARECEU NO SUL DA BAHIA


A participação da Aeronáutica nas buscas pela aeronave que desapareceu após levantar voo no sul da Bahia foi suspensa nesta quinta-feira (27), situação que será mantida até que surjam novos indícios da localização do bimotor, segundo o órgão. Ao todo, o helicóptero sobrevoou área de 456 km² e não encontrou o corpo da mulher de 61 anos, que era transportado de Ilhéus até Brasília, além do seu marido, de 58 anos.

O piloto do avião foi localizado morto na quarta-feira (26). A mulher se afogou em uma praia de Porto Seguro no sábado (22). A Capitania dos Portos inforna que o bimotor continua sendo procurado pelas duas lanchas da Marinha e pelo Corpo de Bombeiros.

Segundo a Infraero, o piloto vestia uniforme e estava com a documentação quando foi achado, a 17 km da praia, ao norte de Ilhéus, próximo ao condomínio Joia do Atlântico. Ele foi identificado como Joás Cardoso Ribeiro, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Foram encontrados, ainda, destroços da aeronave, um pedaço da urna funerária em que era transportada o corpo da mulher, além de documentos de navegação do bimotor e uma bolsa.

"Recebemos uma ligação por volta das 00h30 de uma pessoa que se identificou como pescador dizendo que havia achado partes da aeronave. Deslocamos uma equipe para lá e verificamos que era verdade. Aguardamos agora a chegada da polícia e do DPT", disse a sargento Edileusa, que estava no plantão dos Bombeiros no momento do telefonema.

Investigação
A delegacia da cidade de Illhéus, na Bahia, confirmou no fim da manhã desta quinta-feira (27) que o dono da aeronave, Bruno de Sá Martins de Araújo, irá prestar depoimento na unidade policial. A previsão é que o proprietário do bimotor chegue à Bahia até a manhã desta sexta-feira (28). Além do proprietário da aeronave, um irmão e um cunhado do advogado de 57 anos que estava no avião acompanhando o corpo da esposa até Brasília.

fonte/G1/BA

ATUALIZADO - ACIDENTE NO NEPAL


Segundo informações das autoridades do aeroporto a aeronave havia sido liberado para decolar às 06:17 L, o último contato com a tripulação foi às 06:18 L. A tripulação relatou uma colisão com aves e  a falha de um motor em subir. A ave foi identificada como uma águia negra (envergadura de até 70 inches/178cm, peso de até 4 lbs/1.8kg - foto), confirmada também pela Aviação Civil do Nepal.

O
AAIB britânico anunciaram que enviou dois investigadores ao Nepal para ajudar na investigação sobre o acidente.

Observadores
terrestres informaram que a aeronave parecia tentar uma aterragem no rio. A aeronave não estava pegando fogo nesse momento, até depois de parar após o pouso, e podiam ser ouvidos os gritos dos ocupantes, mas alguns segundos depois, os tanques de combustível explodiram.

fonte/AvHerald/foto/A black eagle, photo taken in Malaysia Dec 1st 2011 (Photo: Tu7uh):
Enhanced by Zemanta

QUEDA DE AVIÃO MATA 19 NO NEPAL


Um avião Dornier DO-228 da Sita Air,registro 9N-AHA , realizando o voo 601 de Kathmandu para Lukla (Nepal)  com 19 pessoas a bordo caiu nesta sexta-feira (28) próximo ao Aeroporto de Katmandu, capital do Nepal, e não há sobreviventes, informou a polícia. "Os 19 passageiros do avião da Sita Air estão mortos. O acidente ocorreu a menos de 1 km do aeroporto", disse o porta-voz da polícia Binod Singh.

"O acidente matou 12 estrangeiros, sendo sete turistas britânicos e cinco chineses. Os outros sete mortos são nepaleses, incluindo os integrantes da tripulação", afirmou Singh.

O avião seguia para Lukla, uma pequena cidade do noroeste do país que é ponto de partida para o Everest, a montanha mais alta do planeta.

O acidente ocorreu por volta das 6h30 (21h45 de quinta-feira, 27, em Brasília) e logo após a queda, dezenas de soldados que estavam na região para apagar as chamas. "Parece que o piloto tentou pousar no leito do rio Manohara, mas o avião se incendiou", disse Singh.
"Viu que o avião tentou pousar. Ele pegou fogo e havia pessoas gritando em seu interior. Acredito que os pilotos tentaram pousar no rio", revelou uma testemunha à "Kantipur Television".

Funcionários do aeroporto informaram que  a aeronave pegou fogo durante o voo, depois de colidir com um pássaro no momento da decolagem e a causa do acidente no entanto deve ser confirmado. As caixas-pretas foram encontradas e recuperadas.

Os aviões são um importante meio de transporte no Nepal, país de montanhas e de estradas precárias.

O Nepal tem 16 companhias aéreas domésticas e 49 aeroportos.

Os acidentes aéreos são relativamente frequentes no Nepal, em meio a condições meteorológicas adversas e a pistas de pouso difíceis.

fonte/AvHerald/G1/foto/AP

Enhanced by Zemanta

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

PILATUS PC-9 CAI NA ALEMANHA




Uma aeronave Pilatus PC-9, operado pela EIS Aircraft, caiu durante exercício de reboque de alvo para a Força Aérea Alemã.

O acidente ocorreu ao meio-dia desta quinta-feira,  perto da aldeia Warbelow e a cerca de 500 metros de distância das casas, os dois ocupantes morreram.

fonte/ASN/RP/foto/BerndWüstneck

ANAC APURA SUPOSTA TROCA DE PILTO DE AVIÃO QUE SUMIU A CAMINHO DO DISTRITO FEDERAL

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou na tarde desta quarta-feira (26) que abriu processo administrativo contra o proprietário e operador do avião bimotor que partiu de Ilhéus em direção a Brasília na noite da última segunda (24) e desapareceu logo após a decolagem. Há a suspeita de que o piloto que conduzia o avião não era o mesno registrado no plano de voo autorizado pelo órgão.

Foto do avião que desapareceu na Bahia tirada pelo internauta Leonardo Henrique Oliveira de Souza no início do mês no aeroporto de Brasília; nos destaques, a matrícula do bimotor (Foto: Leonardo Henrique Oliveira de Souza/VC no G1) 
Foto do avião que desapareceu na Bahia tirada pelo internauta Leonardo Henrique Oliveira de Souza no início do mês no aeroporto de Brasília; nos destaques, a matrícula do bimotor (Foto: Leonardo Henrique Oliveira de Souza/VC no G1)
 
Bruno de Sá Martins de Araújo, proprietário da aeronave, segundo a Anac, será alvo do processo junto com o piloto Amilcar de Carvalho Jacobina, que havia recebido autorização para o plano de voo. O G1 não conseguiu contato com Araújo e Jacobina.

De acordo com a Anac, há uma divergência entre o piloto autorizado a voar e o que supostamente comandava o avião. O corpo do piloto identificado como a pessoa que estava no comando do avião no momento do acidente, Joas Cardoso Ribeiro, foi encontrado na manhã de quarta-feira por pescadores 17 Km ao norte de Ilhéus.

A Anac informou que Ribeiro tinha habilitação regular, mas incompatível com a aeronave usada – um bimotor Sêneca EMB-810 .

Se constatadas as irregularidades, a Anac poderá aplicar multa, suspensão ou cassação de licenças e certificados emitidas ao piloto autorizado a fazer o voo e ao operador da aeronave. 

 
Veja a nota da Anac
"Anac detecta indícios de irregularidade em voo de Ilhéus
A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) abriu processo administrativo contra Bruno de Sá Martins de Araújo, proprietário e operador da aeronave EMB 810 Sêneca, matrícula PT-RDG, que decolou de Ilhéus (BA) às 22h50 da última terça-feira (24/09), com destino à Brasília (DF), e contra o piloto Amilcar de Carvalho Jacobina. A Agência vai apurar indícios de que a operação da aeronave aconteceu por piloto não qualificado e de realização de serviço aéreo público sem a devida autorização da ANAC.

A Agência, por meio do Sistema Decolagem Certa (DCerta), verificou divergência entre o nome do piloto que recebeu autorização para o plano de voo da aeronave e os documentos localizados por equipe da Força Aérea Brasileira às 6h55 desta manhã (26/09), quando também foram resgatados um corpo e destroços de urna funerária.

 No plano de voo apresentado à Aeronáutica, o Código Anac informado foi o do piloto Amilcar de Carvalho Jacobina, entretanto, há indícios de que o voo tenha sido realizado pelo piloto Joas Cardoso Ribeiro, cuja habilitação, apesar de regular, era incompatível com o modelo de aeronave utilizado.

Ao final do processo, se constatadas as irregularidades, as sanções administrativas aplicadas pela Anac poderão ser multa, suspensão ou cassação de licenças e certificados emitidas pela Agência ao piloto cujo Código ANAC foi utilizado e ao operador da aeronave.

Sistema DCerta - Desde dezembro de 2010, a ANAC aprimorou o sistema DCerta e os pilotos passaram a receber por e-mail a informação do plano de voo solicitado com seu código, além deixar disponível, no sítio da Agência, o relatório de todos os voos realizados.

Se encontrar divergência, ou seja, se verificar que algum voo foi realizado indevidamente com seu Código, o piloto deve informar imediatamente à Agência. Encontra-se em audiência pública na Agência a revisão de norma na qual está sendo proposto o envio dessa informação aos operadores de aeronaves, para que possam acompanhar a utilização de suas aeronaves nos voos realizados, também com a responsabilidade de comunicar inconsistências de informação imediatamente ao órgão regulador.

O DCERTA, criado em 2009, faz do Brasil o único país do mundo a contar com uma ferramenta de segurança operacional de tal porte voltada especificamente para a aviação geral, tendo alcançado um patamar extremamente elevado em termos de vigilância continuada e monitoramento em seus voos."

fonte/G1/DF

"TRÊS É DEMAIS NO SETOR AÉREO", DIZ PRESIDENTE DA GOL

Na atual conjuntura de combustível em alta e baixo crescimento econômico, o setor aéreo está ficando apertado. "Três já é demais", diz o presidente da Gol, Paulo Sérgio Kakinoff.

Para o executivo, que assumiu o posto em julho, não há espaço para discussões sobre concorrência no setor e abertura do aeroporto de Congonhas para mais empresas. 

Kakinoff conversou com a Folha no final de agosto, a bordo de um voo de translado de Seattle para Belo Horizonte, no Boeing-737/800 prefixo GUQ, saído da fábrica. Veja os principais trechos da entrevista.


Folha - A Gol vem registrando prejuízos sucessivos. Só no último trimestre foram R$ 715 milhões. Qual a perspectiva de reverter essa situação?
Paulo Sérgio Kakinoff - Em se mantendo o cenário atual -combustível em alta, dólar valorizado, e baixo crescimento econômico-, nosso esforço de reestruturação é insuficiente para trazer a companhia para um resultado positivo. Por isso também estamos trabalhando do lado da receita. Esperamos, no segundo semestre de 2012, levar a operação para um cenário mais próximo do equilíbrio. 

O modelo de negócios da Gol pressupõe ganhos de escala. Este ano, pela primeira vez, houve freio na expansão. Ainda há espaço para crescer no Brasil?
No atual momento, apenas de forma marginal, devido à desaceleração do crescimento. Mas com o crescimento esperado para os próximos cinco anos e os investimentos nos aeroportos, a expectativa é positiva. Mas não a taxas de dois dígitos. 

A Gol atingiu um tamanho que não comporta mais grandes crescimentos?
Nosso modelo é de expansão. Dentro de um cenário otimista, com a eliminação de gargalos nos aeroportos e com a economia voltando a crescer, a gente fala em taxas de 5%, 6%, 7%. 

Vai ser preciso olhar mais para fora do país?
Na América Latina o potencial é maior. Temos estudos avançados de expansão de malha dentro do raio de atuação operacional do 737-800. Isso engloba o Caribe todo e até operações na Flórida. Há potencial crescimento de até 20% nessa região nos próximos 3 a 4 anos. 

Qual sua expectativa em relação aos aeroportos?
O que vimos até agora de Guarulhos é muito motivador. Só reforça a assertividade da decisão de privatizar. 

O sr. teme aumento de tarifas aeroportuárias?
Aumento de tarifa já está acontecendo, com intensidade e frequência de fato preocupante. Especialmente em um momento tão adverso para o setor. Mas só privatizamos três. Há outros ainda na pauta que serão privatizados com base em uma determinada estrutura tarifária. 

Mas as tarifas ficaram praticamente congeladas durante uma década.
Assim ficaram também os investimentos (em infraestrutura). Não sei dizer quanto tempo e se de fato ficaram congeladas. Mas não há mais espaço para aumento de taxa ou tributação. Elas já são altas em quase a totalidade dos setores. 

Reduzir o duopólio e estimular a competição pode ajudar a melhorar o serviço?
Que duopólio é esse em que a terceira empresa já tem quase 15% do mercado? Há dois modelos para esse setor em todo o mundo: uma ou duas companhias que se mantêm saudáveis e equilibradas, com oferta competitiva de tarifas. Ou um mercado com três, quatro empresas onde duas estão com resultados fracos e as demais em situação periclitante.
É um setor de baixas margens, de alta volatilidade, sujeito a fatores exógenos. 

Mas há uma pressão para que mais empresas operem em Congonhas.
As pessoas voam no Brasil com o que há de mais avançado em termos de tecnologia e com tarifas que só diminuíram nos últimos cinco anos.
Temos uma das operações mais eficientes do mundo e ainda assim tivemos resultados extremamente negativos. Que benefício a concorrência trará para o consumidor? 

Passagens mais baratas.
Temos que viabilizar o setor para manter as tarifas baixas. Temos um modelo de preços em que as tarifas mais altas são as mais próximas da data do embarque. E normalmente são esses os exemplos usados. Mas eles são a exceção. Quem compra com 60 ou 30 dias de antecedência, paga menos do que de ônibus. 

A ponte aérea RJ-SP não é a rota mais lucrativa?
É a maior receita em volume de passageiro, não necessariamente a mais rentável. 

Está dando prejuízo?
Hoje nada dá resultado. A eventual abertura de Congonhas diminuirá ainda mais a viabilidade econômica das empresas que continuam investindo para oferecer nível mundial de segurança e tecnologia. Reduzimos nossos voos, mas não paramos nossa frequência de renovação de frota. Isso custa. Bastante. Não há espaço para a discussão de mais concorrência. 

Três é demais?
Para mais do que três, não há espaço. Três já é demais. 

Alguém vai ser comprado? A Gol vai comprar a Azul?
De forma alguma. Com o atual cenário, três é demais. Está todo mundo perdendo dinheiro. Três pode ser bom? Pode. Como? Expandindo o mercado, investindo em tecnologia para menor espaçamento entre pousos e decolagens. Com eficiência podemos ser competitivos. 


fonte/FolhaSP

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

POSSÍVEL TROCA DE PILOTO DE AVIÃO QUE CAIU EM ILHÉUS É INVESTIGADA PELA ANAC


A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) abriu processo administrativo  sobre uma suposta troca de piloto da aeronave, matrícula PT-RDG, que decolou de Ilhéus (BA) às 22h50 da última terça-feira (24), com destino à Brasília, e contra o piloto Amilcar de Carvalho Jacobina. O avião transportava o corpo de Cárita Souza Ramos, 61 anos, que  morreu afogada  em Porto Seguro (BA), e o marido dela.

O processo foi aberto contra Bruno de Sá Martins de Araújo, proprietário e operador da aeronave. A Agência vai apurar indícios de que a operação da aeronave aconteceu por piloto não qualificado e de realização de serviço aéreo público sem a devida autorização da ANAC.

A Anac, por meio do Sistema Decolagem Certa (DCerta), verificou  divergência entre o nome do piloto que recebeu autorização para o plano de voo da aeronave e os documentos localizados por equipe da FAB (Força Aérea Brasileira) às 6h55 desta manhã (26), quando também foram resgatados um corpo e destroços de urna funerária.

No plano de voo apresentado à Aeronáutica, o Código Anac informado foi o do piloto Amilcar de Carvalho Jacobina, entretanto, há indícios de que o voo tenha sido realizado pelo piloto Joas Cardoso Ribeiro, cuja habilitação, apesar de regular, era incompatível com o modelo de aeronave utilizado.

Ao final do processo, se constatadas as irregularidades, as sanções administrativas aplicadas pela Anac poderão ser multa, suspensão ou cassação de licenças e certificados emitidas pela agência ao piloto.

Nesta quarta-feira (26), o Comando da Aeronáutica informou que pedaços do bimotor, da urna funerária e um corpo foram encontrados em uma praia localizada a 17km do litoral norte de Ilhéus, próximo ao condomínio Joia do Atlântico.


fonte/R7

VOO DA TAM FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA EM AEROPORTO DE NOVA YORK

 foto/AvHerald

Um voo da TAM que decolou do Rio de Janeiro com destino a Nova York, fez um pouso de emergência no Aeroporto John F. Kennedy na manhã desta quarta-feira (26).

De acordo com a emissora WABC, a aeronave, com 190 passageiros a bordo, teve um problema no trem de pouso dianteiro, e teria circulado pelo aeroporto antes de aterrissar.


Em nota, a TAM disse que o voo JJ8078, que decolou à 01h09 do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, “apresentou uma indicação de anormalidade no trem de pouso dianteiro na aproximação para o pouso”.

“A tripulação tomou todas as medidas de precaução necessárias, e a aterrissagem ocorreu em total segurança, às 11h56”, diz o texto.

Segundo a assessoria da empresa, não houve nenhum passageiro ferido.

A agência de aviação dos EUA (FAA, na sigla em inglês) afirmou que vai cooperar com a empresa para verificar se houve algum acidente com a roda.

Segundo a WABC, o avião deu uma volta pela área do aeroporto para que a torre de controle pudesse ver se havia condições para a aterrissagem, liberada às 11h.




fonte/G1

FOTO DO ACIDENTE COM AIRBUS E HELICÓPTERO EM DAMASCO, SÍRIA

Um Airbus A320-200 da Síria Airlines, matrícula YK-AKF ,  realizando o voo RB-501 de Damasco para Latakia (Síria), foi atingido por um helicóptero quando voava no FL120.

O rotor principal de um helicóptero militar cortou a metade superior do estabilizador vertical e leme  do avião.  

O helicóptero caiu, e o A320 foi capaz de voltar a Damasco para um pouso seguro. 

A tripulação do helicóptero morreu, não houve feridos a bordo do A320,  e o A320 recebeu danos substanciais.

fonte/foto/AvHerald

TAIL STRIKE DURANTE POUSO DE AIRBUS EM ISTAMBUL, TURQUIA


Um Airbus A320-200 da Air Astana, matrícula P4-XAS, realizando o voo KC-869, que partiu de Atyrau (Cazaquistão) para Istambul (Turquia), com 136 passageiros e oito tripulantes, sofreu TAIL STRIKE durante pouso na pista 05 do Aeroporto Ataturk às 10: 20L (07:20 Z). A aeronave continuou a aterrissagem e taxiou para fora sem mais incidentes. Nenhum ferimento ocorreu, a aeronave recebeu danos substanciais à sua cauda (foto).

fonte/foto/AvHertald

CRISE NA AVIAÇÃO EXECUTIVA AMEAÇA ENTREGA DA EMBRAER


Linha de produção da Embraer - Foto: Claudio Capucho Linha de produção da Embraer - Foto: Claudio Capucho

Nova crise volta a rondar a Embraer, após tímida recuperação do ‘baque’ sofrido em 2009 por conta da recessão mundial. A fabricante, com sede em São José, está de olho no mercado executivo e prevê novos cancelamentos de pedidos de jatos do segmento, que responde por 20% de sua receita.
 
A informação foi divulgada ontem pelo diretor-presidente da companhia, Frederico Curado, que participa de conferência da OMC (Organização Mundial do Comércio), em Genebra, Suíça. “Em jatos executivos, temos visto um movimento de vendas relativamente bom, mas ainda estamos vendo alguns cancelamentos”, afirmou Curado à agência de notícias Reuters, no intervalo da conferência da OMC.
 
Curado disse acreditar que a aviação executiva precisará de alguns anos para voltar ao nível de 2007 e 2008.
 
No ano passado, a fabricante entregou 99 jatos executivos, 20 unidades a menos que a meta original, já que a crise de dívida soberana na Europa e seus efeitos na economia global provocaram uma onda de cancelamentos. No primeiro semestre deste ano, foram entregues 33 aviões do segmento. A meta é entregar de 90 a 105 jatos executivos este ano.

Análise
As dificuldades na aviação executiva foram relatadas pela Embraer no seu balanço financeiro de 2011.
 
Ao comentar o desempenho do setor, a empresa relata que o ano de 2011 “foi marcado por sinais da continuidade da recessão, principalmente na região europeia. A recuperação das vendas de jatos novos esteve ameaçada principalmente pela grande oferta de aeronaves usadas seminovas a preços muito competitivos. Além disso, por conta do cenário recessivo nas economias desenvolvidas, a disponibilidade de financiamento para categoria de jatos menores mantem-se restrita e seletiva”.
 
O especialista em mercado aeronáutico, Marcos Barbieri, professor de economia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), afirmou que a aviação executiva é um segmento sensível e sente primeiro o impacto em período de crise. “As encomendas são individuais, feitas por pessoas físicas ou empresas. Em situação de crise, a compra de jatos executivas é reduzida para cortar custos”, disse.

Comercial
Na aviação comercial, a meta é manter o ‘backlog’ (pedidos firmes) estável. “Ainda temos como meta manter nosso backlog estável no fim do ano, mas é claro que existe uma fraqueza no mercado e temos que reconhecer isso”, disse Curado.
 
A empresa fechou o primeiro semestre com backlog de US$ 12,9 bilhões, o menor patamar em seis anos.

fonte/OVale/foto/ClaudioCapucho

CORPO DE PILOTO É ACHADO EM PRAIA DA BAHIA, APÓS SUMIÇO DO AVIÃO

Foi encontrado na manhã desta quarta-feira (26) o corpo do piloto da aeronave que desapareceu no sul da Bahia, na noite de segunda-feira (24), ao decolar em direção a Brasília, Distrito Federal, informou a Aeronáutica. Segundo a Infraero, o homem, que vestia uniforme de piloto e estava com a documentação, foi achado a 17 Km da praia, ao norte de Ilhéus, próximo ao condomínio Joia do Atlântico, por volta das 7h. Ele foi identificado como Joá Cardoso Ribeiro, segundo o Corpo de Bombeiros. Foram encontrados ainda destroços da aeronave, um pedaço da urna funerária onde era transportada uma mulher morta, documentos de navegação do bimotor e uma bolsa.

Equipes da Infraero e da Capitania dos Portos se deslocaram para a região onde os destroços foram achados. Homens do Corpo de Bombeiros estão na praia desde a madrugada, quando foram acionados por pescadores locais.

"Recebemos uma ligação por volta das 00h30 de uma pessoa que se identificou como pescador dizendo que havia achado partes da aeronave. Deslocamos uma equipe para lá e verificamos que era verdade. Aguardamos agora a chegada da polícia e do DPT", diz sargento Edileusa, que estava no plantão dos Bombeiros no momento do telefonema.

Buscas
As buscas pela aeronave foram retomadas no início da manhã desta quarta-feira (26), informou a Infraero. De acordo com o órgão, a Marinha também está na região e já acionou uma equipe de mergulhadores para auxiliar nas buscas.

Na terça-feira (25), um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), duas lanchas da Marinha e o Corpo de Bombeiros procuraram em terra e mar o bimotor Sêneca EMB-810, que transportava o corpo de uma mulher de 61 anos, que morreu afogada na Bahia no sábado (22), além do piloto e o marido da vítima, de 58 anos.

A Aeronáutica afirmou que o helicóptero da FAB percorreu área de 312 km², a pelo menos 20 km da costa. O Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus, ficou fechado das 15h45 às 17h30 de terça-feira, devido à ação da Força Aérea Brasileira (FAB) dentro da unidade.

“Os aviões da FAB precisam fazer o procedimento livre de qualquer operação de outros aviões. Nesse período teríamos dois voos, que foram cancelados. As empresas fizeram a remarcação e acomodaram em hotéis as pessoas que viajariam nesses voos", informou o superintendente da Infraero do município, João Bosco Bezerra.


O bimotor saiu de Ilhéus às 22h15 de segunda-feira. A viagem até Brasília deveria durar 3h20, mas, sete minutos depois da decolagem, a torre de controle perdeu contato com o piloto. O pintor Luiz Oliveira observou a partida do avião. "Um jatinho... e logo depois, dez minutos, quando eu vi a sirene do aeroporto tocando bem alta", disse.

A aeronave, de prefixo PT-RDG, estava com documentação em dia, segundo registro na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ela tinha capacidade para cinco passageiros e peso máximo de decolagem de 2.073 quilos.

fonte/G1/foto/AbelDias

terça-feira, 25 de setembro de 2012

PILOTO E 3 PASSAGEIROS FICAM FERIDOS EM ACIDENTE COM HELICÓPTERO EM FOZ DO IGUAÇÚ, PARANÁ

 Quatro pessoas ficaram feridas em um acidente com um helicóptero em Foz do Iguaçú, no oeste do Paraná, no fim da manhã desta terça-feira (25). De acordo com o Corpo de Bombeiros, a aeronave apresentou um problema no momento da decolagem do heliponto, que fica na entrada do Parque Nacional do Iguaçu, e caiu cerca de cinco metros de altura.

A queda foi dentro do heliponto. Segundo o tenente Renato, que atendeu a ocorrência, a aeronave ficou "bastante danificada".

Os três homens e uma mulher que estavam no helicóptero foram encaminhados para dois hospitais da cidade com fraturas e lesões. As vítimas são três turistas e o piloto da aeronave.

Às 13h40, o Hospital Costa Cavalcanti informou ao G1 que recebeu dois homens feridos, de 44 e 29 anos. Eles ainda estavam imobilizados em maca e passavam por exames. Os outros dois feridos foram levados para  Hospital Municipal.

As causas do acidente serão apuradas pela Aeronáutica. A empresa proprietária do helicóptero é uma concessionária do Paraque Nacional que vende o serviço de passeios aéreos sobre as Cataratas do Iguaçu.
 
fonte/G1/foto/GiovaniSilva

FAMÍLIA CANCELA VELÓRIO APÓS AVIÃO QUE TRAZIA CORPO PARA BRASÍLIA DESAPARECEU

A família que aguardava a chegada de um corpo que estava no avião que desapareceu na noite desta segunda-feira (24) após decolar de Ilhéus, na Bahia, suspendeu o velório que estava marcado para a manhã desta terça, em Brasília. O bimotor Sêneca EMB-810 transportava o corpo de uma mulher de 61 anos que morreu afogada na Bahia no último sábado (22).

Além do piloto, o marido da vítima do afogamento também estava no avião, disse ao G1 Ivone Cardoso, amiga da família. “Estava saindo para o velório quando a irmã da falecida me ligou avisando que o avião com o corpo não chegou e estava desaparecido.”

Segundo ela, a mulher que morreu afogada viajava com o marido, a sogra e mais um casal de parentes. Ela se afogou ao cair em um buraco em uma praia do sul da Bahia no sábado. Os parentes retornaram a Brasília no domingo e o marido permaneceu na Bahia esperando a liberação do corpo, que ocorre nesta segunda. Ele então alugou a aeronave para fazer o traslado.

Ivone Cardoso afirma que a família não tem muitas informações sobre o desaparecimento do bimotor. “A última notícia que a família teve foi por meio de uma ligação do marido, dizendo que estava embarcando. A família estava esperando no aeroporto e ninguém chegou. Foi aí que a Infraero falou que o avião não havia chegado.”

O superintendente da Infraero em Ilhéus, João Bosco Bezerra, disse que o contato com o piloto foi perdido logo após o início do voo. "Logo depois da decolagem, que ocorreu por volta das 23h, não obtivemos mais contato com o piloto, chamamos e ele não retornou. Depois constatamos que a aeronave não chegou ao seu destino e acionamos os órgãos de salvamento."

Segundo Bezerra, as buscas pelo bimotor são realizadas em terra e mar. Uma área de aproximadamente um quilômetro, situada entre dois hotéis do litoral, são percorridas, além de cerca de três milhas adentrando o mar.

A Salvaero e a Marinha trabalham nas buscas e contam com o apoio de barcos pesqueiros da região. Um helicóptero da Aeronáutica saiu do Rio de Janeiro no início da tarde para auxiliar a busca em Ilhéus.

A aeronave, de prefixo PT-RDG, estava com a documentação em dia, segundo registro na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O avião tinha capacidade para cinco passageiros e peso máximo de decolagem de 2.073 quilos.

fonte/G1

AERONAVE COM DESTINO A BRASÍLIA DESAPARECE APÓS DECOLAR DE ILHÉUS, BAHIA

Um bimotor Sêneca PA-34 desapareceu na madrugada desta terça-feira (25) após decolar do aeroporto de ILHÉUS, região sul da Bahia, para a cidade de BRASÍLIA, no Distrito Federal, informou a superintendência da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) em Ilhéus. Informações preliminares do órgão apontam que além do piloto, outras duas pessoas estavam na aeronave.

"Logo depois da decolagem, que ocorreu por volta das 23h, não obtivemos mais contato com o piloto, chamamos e ele não retornou. Depois constatamos que a aeronave não chegou ao seu destino e acionamos os órgãos de salvamento", diz João Bosco Bezerra, superintendente da Infraero em Ilhéus.

Ainda de acordo com a Infraero, o tempo era considerado bom no momento da decolagem da aeronave de pequeno porte, com a presença de poucas nuvens no céu, que não comprometeriam o voo. "Trabalhamos com hipóteses, não há nada de concreto ainda. Provavelmente a aeronave tomou outro destino, que estamos fazendo levantamento, ou acusou algum problema e pousou em outra área. Aguardamos o contato do piloto, essa é a expectativa de todos", afirma João Bosco.

O superintendente da Infraero explica que buscas são realizadas tanto em terra quanto no mar. Uma área de aproximadamente um quilômetro, situada entre dois hotéis do litoral, são percorridas, além de cerca de três milhas adentrando o mar.  A Salvaero e a Marinha trabalham nas buscas, contando com o apoio de barcos pesqueiros da região.

Outras ocorrências
Na tarde de sábado (22), uma aeronave que fazia propaganda política em Tapiramutá, região da Chapada Diamantina, caiu e se chocou contra uma casa. O piloto ficou ferido e foi socorrido para unidade de saúde de Salvador, onde foi submetido a uma cirurgia ortopédica na segunda-feira (24).
Uma equipe da Aeronáutica foi deslocada para a cidade a fim de realizar uma perícia para identificar as causas do acidente. A polícia local investiga a situação.

Na madrugada de quinta-feira (20), um helicóptero caiu em uma fazenda de Itamaraju, no extremo sul do estado. O piloto Mário Lopes, de 49 anos, morreu no acidente e foi velado e sepultado na sexta-feira (21), em Ribeirão Preto (SP). Os laudos da perícia referentes ao corpo e ao local do acidente devem ficar prontos em 30 dias.


fonte/G1

ANAC INVESTIGA TRIP LINHAS AÉREAS POR SUSPEITA DE ATERRISAGENS IRREGULARES

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) iniciou nesta segunda-feira (24) uma auditoria na companhia Trip Linhas Aéreas após encontrar indícios de irregularidades em procedimentos de pouso realizados por aviões da empresa durante fiscalização. Um processo administrativo foi aberto pela Anac para investigar as operações, que não teriam certificação para serem realizadas. A Trip tem sede em Caminas (SP) e está em processo de fusão com a aérea Azul.

De acordo com reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo", a agência reguladora recebeu denúncia anônima sobre o uso pela Trip de uma técnica de pouso chamada RNAV Approach, considerada de "alto risco". O jornal teve acesso ao relatório da Anac e aponta que a fiscalização teria flagrado o uso do procedimento em pelo menos três voos da Trip em agosto, nos aeroportos de Juiz de Fora (MG), Criciúma (SC) e Joinville (SC), segundo o documento de 27 de agosto.

Ainda segundo o jornal, em um outro relatório, de 4 de setembro, consta que a Anac teria encontrado anotações de pilotos da Trip que definem alturas mínimas para o pouso com a técnica de aproximação por instrumentos em 15 aeroportos onde o procedimento não é autorizado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea). Segundo quatro especialistas consultados pelo jornal, o uso da técnica sem certificação compromete a segurança.

A agência reguladora determinou que empresa adotasse imediatamente medidas preventivas para garantir a segurança das operações. Em nota, a Trip confirmou que recebeu as recomendações da Anac para que realizasse modificações de caráter operacional relativas aos procedimentos de aproximação, que foram "prontamente implementadas", de acordo com a companhia aérea.

Em relação à auditora, a Anac informou que os trabalhos serão realizados nos locais que a equipe de fiscalização julgar necessário. Os detalhes da investigação só serão divulgados ao término do processo administrativo. Caso as suspeitas de irregularidades sejam confirmadas, a Trip poderá ser autuada e estará sujeita à imposição de sanções administrativas. A companhia aérea diz estar cooperando com a auditoria.

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo também foi comunicado pela Anac sobre os fatos para adoção de eventuais providências a cargo da autoridade responsável pelo controle do tráfego aéreo.
 
Fusão
As companhias aéreas Azul e Trip assinaram acordo de associação em 28 de maio deste ano. Se aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômico (Cade) e pela Anac, as empresas passarão a operar sob a holding Azul Trip S/A. A nova companhia aérea irá operar cerca de 800 voos diários, com 99 destinos e 249 mercados atendidos.

Nota na íntegra - Trip Linhas Aéreas
"Como de costume, a Trip Linhas Aéreas está colaborando para que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e demais autoridades aeronáuticas trabalhem com absoluto rigor e total transparência para fazer da aviação brasileira uma atividade cada vez mais segura. Por este motivo, a companhia reafirma sua total cooperação à auditoria.
Em relação às notícias veiculadas pela imprensa que dizem que a Anac teria questionado o nível de segurança operacional da Trip, a empresa esclarece que, na verdade, a Anac recomendou algumas modificações de caráter operacional relativas aos procedimentos de aproximação (RNAV Approach), as quais prontamente foram implementadas pela Trip.
A Trip sempre se pautou, ao longo destes mais de 14 anos de atividade, pela seriedade com que trata a questão de segurança em suas operações, seriedade esta refletida nos elevados índices de segurança operacional alcançados". (24/09/2012) 

fonte/G1

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

MONOMOTOR CAI EM CANTÁ, RORAIMA

O coronel Rosael da Silva Dias, responsável pelo Comando de Policiamento da Capital (CPC), confirmou para a Folha, agora há pouco, que o empresário Vibaldo Nogueira Barros, o Vivi, de fato fugiu da sede do CPC, provavelmente na noite de domingo ou madrugada desta segunda-feira. Ele disse que foi informado da fuga por volta das 7h30.

O comandante do CPC também afirmou que pode haver ligação da fuga de Vivi com um avião monomotor que caiu na madrugada desta segunda-feira, no Município do Cantá, entre 3h30 e 4h. A aeronave explodiu ao cair e entre os escombros há um corpo carbonizado que pode ou não ser de Vivi.

Conforme a PM, trata-se de um avião da empresa Paramazônia, de propriedade de Vivi. A queda foi informada para a PM por volta das 4h30, quando o oficial do dia, o capitão Alves Fernandes, se dirigiu para a região. Antes de encontrar o local exato da queda, ele viu um helicóptero preto baixando no local e depois saindo imediatamente. Não deu para ver o prefixo do helicóptero nem se levou alguém que poderia ter sobrevivido.

A queda foi em um canavial de uma fazenda, nas proximidades do balneário Aracati, no Cantá, ao longo da BR-401, que dá acesso à Guiana.

fonte/foto/FolhaDeBoaVista

AVIÃO MONOMOTOR CAI NA REGIÃO DE LONDRINA

 Um avião monomotor caiu na zona rural do município de Bela Vista do Paraíso (40 km ao norte de Londrina), por volta das 14h desta segunda-feira (24), após um choque com a fiação elétrica, o que provocou um pouso forçado em um sítio do Distrito Trinta.

De acordo com o sargento Giovani Bordin, da Defesa Civil de Bela Vista do Paraíso, um instrutor e um aluno estavam na aeronave para uma aula sobre voos de emergência. Durante a simulação de queda de potência do motor, quando o avião passou a voar em baixa atitude, houve um problema que não permitiu a retomada.

O monomotor chegou a derrubar alguns postes antes do choque com o solo. O voo havia partido do aeroporto 14 Bis, zona norte de Londrina.

Ele informou que o aluno Rafael Bosco Bernardo, 25 anos, sofreu apenas um corte no nariz e o instrutor Guilherme Garcia Machado, 26 anos, saiu ileso do incidente.

O piloto da Volare Escola de Avião Civil tem mais de 600 horas de voo e o aluno estava na décima aula. A revisão do monomotor foi realizada no dia 20 de setembro. (Colaborou o repórter Vitor Ogawa, da Folha de Londrina)

fonte/Bonde/foto/Carlos Costa

HELICÓPTERO DERRUBA POSTE NO AEROPORTO DE BELÉM, PARÁ


Um helicóptero derrubou um poste ao finalizar um procedimento de pouso, ontem à tarde, no Aeroporto Internacional de Belém, em Val-de-Cães. O piloto e os dois passageiros ficaram feridos no acidente, mas sem gravidade. A aeronave, pertencente à empresa Morro Vermelho Táxi Aéreo, se deslocava na pista a poucos centímetros do chão, manobrando até a posição em que deveria permanecer, quando uma das hélices bateu no poste, derrubando-o sobre a própria aeronave. 

Segundo a assessoria de imprensa da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) de Belém, os três ocupantes do helicóptero tiveram apenas ferimentos leves. A Infraero não divulgou o nome dos feridos. 

A aterrissagem malsucedida estava prevista para a área conhecida como pátio-remoto. O acidente foi registrado por volta das 15h35, no momento em que chovia forte. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado para resgatar os passageiros do helicóptero. O pouso e a decolagem de outras aeronaves não foram prejudicados pelo acidente. 

Testemunhas disseram que um forte barulho foi ouvido quando a aeronave bateu no poste. "Todos ficaram assustados com o que ocorreu. Foi na hora da chuva e as pessoas que estavam na aeronave tiveram sorte de não se machucar com gravidade. Sofreram apenas arranhões", contou uma testemunha, que pediu para não ser identificada. A testemunha contou, ainda, que não faltou luz no local por causa da batida e que os bombeiros foram ao local para atender os ocupantes da aeronave.

A assessoria da Infraero informou que o Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) ficará responsável por investigar as causas do acidente. Até o início da noite de ontem, o helicóptero ainda não havia sido removido da pista, mas foi envolto em uma lona preta. A imprensa não teve acesso ao local do acidente.

fonte/AmazoniaHoje/foto/TarsoSarraf

 

BOLETIM ESPECIAL DA METSUL SOBRE O TEMPO SEVERO QUE ATINGIU O RIO GRANDE DO SUL E O CONE SUL NA TERCEIRA SEMANA DE SETEMBRO

Histórica onda de tempo severo trouxe destruição ao Cone Sul
Por: Setembro, 23-09-2012 | 17:10 | Categoria:






A terceira semana de setembro entra para a história climática do Cone Sul da América do Sul por uma sequência de condições extremas do tempo que culminaram em grande onda de tempestades e um dos mais intensos ciclones dos últimos anos na região. Foram vários dias seguidos de enorme instabilidade com muitos transtornos e estragos, além de mortes. Houve o ingresso de ar muito quente para esta época do ano no Sul do Brasil, o que veio a favorecer condições muito extremas. No domingo (16), a temperatura alcançou 38,6ºC em pleno inverno em Santa Rosa, no Noroeste gaúcho. Na segunda (17), o município de Antonina, no Paraná, teve 42,1ºC, segundo dados do Simepar. Não há precedente de uma temperatura tão alta em estação meteorológica no Sul do Brasil no inverno. Mesmo para o verão não se encontra registro tão elevado na parte meridional do país entre os dados do Instituto Nacional de Meteorologia ou centros regionais.
O avanço de ar quente de Norte favoreceu muitos raios. Porto Alegre teve uma sequência de noites com muitas descargas elétricas. Relâmpagos iluminaram a cidade (fotos acima de Fernando Mainar) nas noites de domingo (16), segunda (17) e terça (17). Os números de raios registrados no Rio Grande do Sul entre sábado (15/9) e a quarta-feira (19) são impressionantes. Os sensores do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), indicaram no período de 15 a 19 de setembro quase 300 mil descargas atmosféricas no território gaúcho. Foram 99 mil raios nuvem-solo e 192 mil raios intra-nuvem. Só na quarta-feira (19) foram cerca de 40 mil, a metade na madrugada, quando o Norte gaúcho sofria com violentos temporais. Um homem morreu atingido por raio em Tupanciretã no sábado (15). Mapas abaixo (Elat) mostram onde se concentraram os raios entre os dias 15 e 18 no Rio Grande do Sul (cores sinalizam hora do dia e não intensidade, frequência ou número).
Porto Alegre experimentou ainda enormes volumes de chuva. Desde 2009, a cidade não enfrentava um período tão chuvoso. Dados do Sistema Metroclima da Prefeitura acusam que entre os dias 15 e 19 a precipitação variou entre 170 e 220 mm na cidade com o mais alto volume no ponto de medição do bairro São Geraldo. A Capital sofreu com torrencial chuva na tarde de segunda-feira e ao redor das 23h da terça-feira com alagamentos em vários pontos da cidade. Na segunda-feira, o dia virou noite no começo da tarde antes da chuva intensa que transtornou a Capital.
Porto Alegre às 13h25m de segunda-feira por Ricardo Giusti do Correio do Povo
Corte vertical (fatiado) das nuvens de tempestade que estavam sobre Porto Alegre ao redor das 14h25m de segunda-feira a partir de observação de satélite que carrega equipamento de radar a bordo
A chuva caiu em grande quantidade, em muitos locais com volumes extremos, também no interior do Estado. Estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia, entre os dias 15 e 19, acusaram 262,3 mm em Camaquã, 212,2 mm em Caçapava do Sul, 178,2 mm em Rio Pardo, 150,8 mm em São Gabriel, 139,8 mm em Santa Maria, 102,0 mm em Soledade, e 101,7 mm em Bento Gonçalves na Serra. Estações convencionais  indicaram 214,6 mm em Porto Alegre durante o período chuvoso, 134,2 mm em Caxias do Sul, 129,9 em Santa Maria, 128,9 mm em Cruz Alta, 128,7 mm em Bagé (com término do longo racionamento de água), 128,4 mm em Rio Grande, 115 mm em Livramento, 103 mm em Uruguaiana e 100,2 mm em Bom Jesus. Os maiores acumulados, assim, se deram na área de entorno da Lagoa dos Patos com volumes extremos na região entre Camaquã, Tapes e Barra do Ribeiro na segunda e na terça-feira, onde medições locais até acusaram volumes superiores a 300 mm no período. Com isso, a região sofreu alagamentos e inundações. A BR-116 teve que ser interrompida pelo avanço rápido das águas e uma ponte chegou a cair no interior de Camaquã (foto de Paulo Nunes do Correio do Povo).
A maior destruição, contudo, estaria reservada para o fim da tarde e noite da terça-feira, e a madrugada de quarta-feira. O aprofundamento de uma área de baixa pressão no Rio da Prata (ciclogênese) deu origem a uma frente fria que avançou sobre a atmosfera quente no Sul do Brasil. Ao encontrar o ar muito quente na Metade Norte do Rio Grande do Sul houve a formação de supercélulas de tempestade com muitos estragos por vento e queda de granizo. Dezenas de municípios, sobretudo do Noroeste, enfrentaram granizo grande e vendavais severos. 
Granizo em Giruá por Andrigo Zambonatto
Granizo em Constantina
Vendaval em Ijuí por Keller Steglich da Rádio Progresso
Vendaval em Ijuí por Roseane Barbian do Portal Ijuí
Granizo em Chiapeta por Rádio Ciranda
Vendaval em São Valério do Sul por Rádio Ciranda
Vendaval em Santo Augusto por Rádio Querência
Vendaval em Santo Augusto por Rádio Ciranda
Granizo em Porto Lucena por Jornal Noroeste
Vendaval em Tapera por Rádio Studio FM
Vendaval em Pejuçara por Prefeitura Municipal
Vendaval em Santo Ângelo por Jornal das Missões
A maior rajada de vento registrada por estação automática se deu em Santo Augusto com  120 km/h. Santa Rosa também teve vento superior a 100 km/h. Acreditamos, contudo, que o vento pode ter atingido rajadas muitos mais intensas em outros locais com marcas de até 150 km/h ou superiores. Na tarde e noite da terça, disparamos repetidos e pesados alertas, por Twitter e rádio, sobre extremo perigo e risco de destruição para o Noroeste. O satélite mostrava nuvens de grande desenvolvimento vertical.
Podemos dizer agora o que não podíamos afirmar publicamente naquela hora sob risco de se gerar pânico. Vendo imagens de radar estávamos muito, mas muito assustados. Era a certeza que alguns locais poderiam ter danos gravíssimos, como se deu. Formações do tipo bow echo (eco em arco) e hook echo (eco em ganho), favoráveis à vento lineares de caráter destrutivo e tornados apareceram sucessivamente por, pelo menos quatro horas seguidas, nas imagens de radar que tínhamos do Oeste e o Noroeste do Rio Grande do Sul, em cenário de tempo extremamente severo.
A instabilidade que assolava o Rio Grande do Sul na noite de terça-feira era tão violenta que forçou grandes desvios de rota de aviões que faziam trechos internacionais na região. Caso do voo da Gol 7680 entre Guarulhos e Buenos Aires (cortesia do @leandrodeps).
A intensa área de instabilidade que castigou o Noroeste do Rio Grande do Sul afetou na mesma hora o Norte da Argentina com temporais destrutivos em Corrientes e, sobretudo, Misiones, onde mil casas tiveram danos. Houve importantes estragos na área de Posadas, onde os telefones de emergência deixaram de funcionar e até antenas foram derrubadas pelo vento. Meteorologistas locais chegaram a descrever a formação de mesociclones.
Na sequência, com o deslocamento para o Norte da instabilidade, violentos temporais de vento e granizo atingiram o Centro e o Sul do Paraguai no fim da tarde e noite da terça-feira. Cinco mil casas foram total ou parcialmente destruídas. Cinco pessoas morreram e um pescador desapareceu no Rio Paraná. Houve prejuízos em Assunção e Encarnación, mas a cidade mais atingida foi Mariano Roque Alonso, descrita pela imprensa paraguaia como “zona de guerra” após a passagem do vento que, segundo análise da Meteorologia do governo paraguaio, tratou-se sim de um tornado (fotos abaixo do jornal ABC).
Na mesma terça-feira, o vento fez estragos também muito ao Norte da Argentina, porém não associado a temporal. Vento seco e quente Zonda que sopra da cordilheira atingiu até 150 km/h em Salta. Houve queda de árvores, destelhamentos, falta de luz e incêndios. Uma pessoa morreu e várias ficaram feridas na cidade.
Muito mais ao Sul, uma área de baixa pressão (que depois daria origem a um ciclone na região) provocou Sudestada no Rio da Prata que castigou duramente a costa de Buenos Aires. O nível do Rio da Prata alcançou 2,7 metros na costa portenha, e provocou muitos alagamentos em áreas costeiras da cidade de Buenos Aires e Grande Buenos Aires como em Quilmes e Tigre (reprodução do jornal Clarin).
O ápice da instabilidade no Cone Sul se deu na quarta (19) com a intensificação de um ciclone extratropical no Rio da Prata. Montevidéu experimentou um dia de pânico, que o jornal El País chamou de “psicose”, e destruição. O ciclone castigou durante toda a quarta a capital uruguaia com chuva forte e vento destrutivo. O maior registro oficial foi de 122 km/h no Aeroporto Internacional de Carrasco, ao meio-dia. Centenas de árvores caíram na cidade. A faixa de areia desapareceu na praia de Pocitos, cartão postal de Montevidéu. Barcos do porto de Buceo foram jogados pelo vento em terra.
Imagens do Subrayado e El Pais
O medo tomou conta da capital uruguaia a partir da metade da manhã, quando o vento se intensificou muito. Vidros de prédios residenciais e torres de escritório eram destroçados. Telhas voavam sobre as ruas. Até o revestimento de prédio chegou a ser arrancado pela força da ventania. Bancos não abriram e empresas interromperam o expediente. Todos shopping centers da cidade foram fechados e alguns dos maiores prédios de Montevidéu como da Prefeitura, Congresso Nacional e World Trade Center foram evacuados pelos danos. Autoridades e imprensa recomendavam à população que não saísse à rua, exceto em caso de extrema necessidade.
Imagens retiradas do Facebook e Twitter
A famosa Rambla costeira de Montevidéu era uma paisagem irreconhecível. Enormes ondas estouravam contra os muros, alagando a avenida que margeia o Rio da Prata. Pelo rádio, os uruguaios eram orientados a evitar a avenida. As cenas do vento extremo e da chuva horizontal na Rambla com as ondas estourando lembravam o que costuma se ver em furacões (impressionante vídeo). Na Plaza Independencia, quase na 18 de Julio, mais importante avenida do Centro de Montevidéu, cordas foram colocadas para que as pessoas atravessam de um lado para o outro da rua sem que fossem arrastadas pelo vento (video).
O vento intenso castigou grande parte do Uruguai. Os departamentos mais afetados foram do Sul e do Leste do país como Rocha e Maldonado. Em Punta del Este, de acordo com a Meteorologia do governo uruguaio, o vento atingiu 172 km/h às 17h. As ruas ficaram tomadas por grande quantidade de areia. Houve casos de pessoas feridas pela força do vento, incluindo o próprio presidente uruguaio José Mujica que lesionou o nariz ao tentar ajudar vizinho com a casa destelhada. Centenas de pessoas ficaram desabrigadas e três morreram.
Beira-mar de Punta del Este ficou coberta de areia (Twitter)
Em Piriáopolis, rua costeira foi tomada de espuma do mar (Twitter)
No Rio Grande do Sul, o vento provocou destelhamentos, muitas quedas de árvores e graves transtornos no abastecimento de energia. Em determinado momento, na noite de quarta, nada menos que 450 mil clientes – entre 1,5 e 2 milhões de pessoas – estavam sem luz nas três áreas de concessão (CEEE, RGE e AES), mas, especialmente, na região da CEEE que teve o vento mais forte no Sul e no Leste do Estado. A rajada máxima de vento decorrente do ciclone no Estado foi observada na barra do Porto de Rio Grande com 65,2 nós ou 120,7 km/h. Estações automáticas do Inmet indicaram 108 km/h em Canguçu, 103,3 km/h em Mostardas, 101,9 km/h em Bagé e Ausentes, 95,4 km/h em Jaguarão, 91,8 km/h em Caçapava do Sul, e 89,6 km/h em Tramandaí. Em Porto Alegre, onde as rajadas ficaram entre 80 e 90 km/h, houve queda de árvores e muita agitação das águas do Guaíba (fotos de Vinicius Roratto, do Instituto de Educação, e Fabiano do Amaral, do Guaíba, do Correio do Povo).
A instabilidade ainda alcançou a Bolívia com dois mortos por chuva na região de Santa Cruz. Chuva intensa e vendavais atingiram ainda o Mato Grosso do Sul e São Paulo com o avanço da frente fria para Norte, mas sem causar vítimas. No total, houve 5 mortes no Paraguai, 3 no Uruguai, 2 no Rio Grande do Sul, 2 na Bolívia e 1 na Argentina. Uma pessoa continua desaparecida na costa gaúcha e outra no Paraguai. (Colaboraram Estael Sias, Luiz Fernando Nachtigall e Alexandre Aguiar)

fonte/MetSul Blog

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...