quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

HELICÓPTERO CAI COM QUATRO PESSOAS NO LAGO PARANOÁ, BRASÍLIA


Durante a saída da aeronave, os motores perderam potência e o veículo caiu à beira do lago (Carlos Moura/CB/D.A Press)
Durante a saída da aeronave, os motores perderam potência e o veículo caiu à beira do lago

Um helicóptero particular, Robinson R44 prefixo PR-MDF, caiu no Lago Paranoá quando tentava levantar voo ao lado do Shopping Pier 21, no Lago Sul, no início da noite desta quinta-feira (19/1). Segundo informações do Corpo de Bombeiros, durante a saída da aeronave, os motores perderam potência e o veículo caiu à beira do lago.

Havia quatro pessoas no helicóptero e todos conseguiram sair sozinhos. Ninguém se feriu. Inicialmente os bombeiros tinham divulgado que apenas três tripulantes estavam na aeronave. O veículo está parcialmente submerso e a perícia da Polícia Civil já chegou no local. O acidente ocorreu por volta de 19h30.

Flávio Lord, 36 anos, estava trabalhando no shopping e viu o helicóptero sobrevoando o local. De acordo com o homem, um vídeo registrado por uma colega de Flávio mostra o momento que a aeronave tenta decolar e, sem ganhar muita altura, roda e cai no lago. "Quando eu sai do Pier, o veículo já estava na água", conta Lord.

fonte/foto/CorreioBraziliense

ATR GANHANDO TERRENO À CUSTA DE JATOS COM MENOS DE 90 ASSENTOS

English: Left propeller of Precision air ATR72...Image via WikipediaO sucesso de vendas da fabricante ítalo-francesa o leva a proclamar que em 2011 houve "mudanças estruturais no mercado de aviação regional" em que as hélices são o "novo padrão", segundo a empresa.

E é que 2011 foi um bom para a ATR, cujos aviões representaram 80% do total de vendas de aviões regionais.

Fatores de sucesso são duas: o baixo consumo da aeronave turboélice e o preço do petróleo  que está nas nuvens e escasso. O conforto interior da série-600 e os avanços tecnológicos incorporados tornaram a aceitação crescente.
O fabricante assinou vendas no ano passado de 157 aeronaves e opções para mais 79. Desse total de 236 unidades é 5300 milhões de dólares. Os 157 pedidos firmes (13 ATR 42 e 144 ATR 72) aumentaram a carteira de encomendas para 224 aeronavese assegurando a produção para os próximos três anos.

Como parte de uma conferência de imprensa esta manhã em Paris, Filippo Bagnato, CEO da ATR, disse que estava "muito feliz com o desempenho de vendas alcançado em 2011. Nosso sucesso é baseado na nossa capacidade de responder às demandas do mercado. As empresas estão procurando cada vez mais aviões que combinam baixos custos operacionais com tecnologia avançada, conforto e compatibilidade ambiental. Neste contexto os aviões  ATR da série -600 especialmente os novos, provou ser a melhor opção para atender a esses requisitos. "
ATR tem registrado os  nos seus 157 pedidos firmes e 79 opções de 18 clientes no mundo inteiro, incluindo o fato significativo de que 10 compradores  são novos clientes. Clientes existentes têm renovado a sua confiança na ATR para desenvolver suas redes e atender a crescente demanda de tráfego regional. Entre os novos clientes, a maioria estão renovando a frota de jatos regionais ou turboélices de primeira geração.

Empresas de leasing representam mais de 20% das vendas. Isto confirma o crescente atração  pelo ATR dos arrendadores. Seus baixos custos de operação e manutenção, o alto nível de conforto, são frutos do novo interior "Harmonia" da série -600, e com uma base de cerca de 180 operadores em 90 países  os ATR são fundamentais para os proprietários.


A ATR entregou 54 aeronaves em 2011, dos quais 10 são ATR 72-600 modelo. 2012,  e está se preparando para aumentar a produção para entregar 70 aeronaves, e planeja 80 em 2013, e assim para atender às demandas de seus clientes.

Filippo Bagnato disse que "estamos vivendo uma mudança real no mercado regional. Jets com capacidade inferior a 90 assentos têm aceitação cada vez menos. " Ele acrescentou: "hoje ATR detém 70% do backlog de aeronaves regionais de menos de 90 assentos. Este sucesso é o resultado de uma política de melhoria contínua, o desempenho económico e conforto de nossas aeronaves. Isto traz-nos agora para uma mudança considerável na percepção de nossos turboélices pelas companhias aéreas regionais e seus passageiros. "


fonte/Aerotendencias/foto/Divulgação
Enhanced by Zemanta

OBAMA IGNORA PEDIDOS PARA RETIRAR A TAXA DE US 100,00 PARA CADA VOO DA AVIAÇÃO GERAL NOS ESTADOS UNIDOS

Official photographic portrait of US President...Image via Wikipedia
Se a moda pega......


A Casa Branca se fez de surdo com a petição assinada por mais de 8.000 pessoas para analisar o projeto de imposto de US$ 100 por voo para os usuários da aviação geral nos Estados Unidos.  

Os candidatos procuraram a revisão desta medida através de um sistema on-line criado pela administração do presidente Barack Obama chamada de "We the People" (Nós, o Povo).

Os proponentes da iniciativa do governo estabeleceu que deveria atingir um mínimo de 5.000 pedidos, a equipe da Casa Branca será responsável por analisar a taxa proposta. Mas neste caso a Casa Branca tem apoio reafirado para o imposto.

A declaração do  presidente da General Aviation Manufacturers Association (GAMA), que representa fabricantes de aeronaves para o setor, Peter Bunce, disse que "esperavamos que a Casa Branca iria considerar a alegação e que reveria cuidadosamente e de forma construtiva a taxa de US$ 100 para aviação geral. 


No entanto, a Administração tem dado uma resposta aos argumentos dos formulário, e sim em relatórios, independentemente das consequências economicas adversas do imposto. Se a Administração adotou uma abordagem mais liberal, acreditamos que ela teria chegado à mesma conclusão que o Congresso tem sobre este assunto: que as taxas de utilização geral para a aviação são uma má idéia ".

Bunce acrescentou que a "GAMA" continua a expressar a sua oposição aos esforços contínuos para implementar uma taxa de 100 dólares para cada vôo. Acreditamos que este imposto não só impõe nova carga significativa para os operadores da aviação geral e que atualmente, pagam um imposto sobre o consumo de combustível, mas também exige a criação de uma burocracia federal dispendiosa. Nós não precisamos de políticas que dificultam a recuperação econômica na indústria da aviação geral ".

fonte/Aerotendencias
Enhanced by Zemanta

ETHIAD AIRWAYS ELEITA PELA TERCEIRA VEZ A MELHOR COMPANHIA AÉREA DO MUNDO

REGULADORES ACHAM NOVAS RACHADURAS EM ASAS DO A380, DA AIRBUS

English: Qantas Airbus A380 (VH-OQA) takes off...Image via Wikipedia

Reguladores europeus de segurança aérea estão prontos para ordenar um reforço nas inspeções para combater novas rachaduras encontradas em alguns componentes estruturais dentro das asas do superjumbo Airbus A380, segundo autoridades governamentais e da indústria aeronáutica.

A esperada diretriz da Agência Europeia de Segurança da Aviação (Aesa), que talvez seja anunciada nos próximos dias, marca a segunda vez nos últimos meses em que autoridades da indústria aérea e de vários governos concentram a atenção nas rachaduras dentro das asas do A380. A iniciativa mais recente destaca os programas de manutenção, em aperfeiçoamento, destinados a detectar e remediar questões estruturais, por vezes durante a introdução de novos modelos de aviões ou nos primeiros meses de uso.

Um porta-voz da Airbus, divisão da European Aeronautic Defence & Space Co., confirmou a descoberta de novas rachaduras em componentes da asa nos seus jatos superjumbo A380. Mas disse que as fissuras, que são distintas daquelas já encontradas em vários aviões, não afetam a segurança da aeronave de dois andares.

Todas as rachaduras foram encontradas nos suportes em forma de L que prendem o revestimento metálico das asas às barras estruturais dentro delas, disse o porta-voz Stefan Schaffrath. Ele acrescentou que a Airbus já criou, juntamente com a Aesa, um programa de inspeção e reparação da primeira categoria de rachaduras. Os reparos no segundo tipo são idênticos, segundo pessoas a par dos planos: consistem em substituir os suportes afetados. Os novos A380s atualmente em produção vão incorporar mudanças para resolver o problema, disse uma dessas pessoas.

As rachaduras iniciais, originadas em furos feitos para a fixação dos suportes, foram associadas a problemas de produção resultantes de uma combinação da liga metálica dos suportes e da maneira como eles são presos às barras que formam a estrutura. A causa do segundo tipo de fissura, que foi encontrado em outra parte dos suportes em dois A380, ainda não foi totalmente determinada, disseram as pessoas a par da situação.

Um porta-voz da Aesa disse que a agência, uma divisão da União Europeia, está em negociações com a Airbus sobre a questão. A Aesa pode emitir ordens oficiais às companhias aéreas, conhecidas como "diretivas de aeronavegabilidade", ainda nesta semana, disseram as pessoas a par da situação. Espera-se que órgãos reguladores de outros países sigam o exemplo da Aesa.

A rachaduras foram encontradas inicialmente nos suportes das asas durante inspeções de um A380 da australiana Qantas Airways Ltd. que sofreu uma explosão do motor em pleno ar após decolar de Cingapura, em novembro de 2010. Inspeções subsequentes encontraram rachaduras semelhantes em vários dos 68 superjumbos que hoje são operados por sete companhias aéreas.

A Airbus qualificou as rachaduras originais como "pequenas". As inspeções também detectaram o segundo tipo de fissuras, disse Schaffrath.

A fabricante havia orientado as companhias aéreas para inspecionar a primeira categoria de fissuras durante as grandes operações de controle e manutenção realizadas rotineiramente a cada quatro anos, e reparar as que forem encontradas. Agora a Airbus está debatendo com a Aesa se deve modificar essas instruções de modo a incorporar as descobertas mais recentes. Ainda não está claro qual será a frequência e a urgência de quaisquer novas inspeções.

Fonte: The Wall Street Journal Americas/DiretoDaPista
Enhanced by Zemanta

ESTES AVIÕES SEM PILOTOS DA FORÇA AÉREA AMERICANA SÃO MAIORES DO QUE VOCÊ IMAGINA


 

Às vezes eu me esqueço como  veículos aéreos não-tripulados (ou UAVs) são enormes. A maioria das pessoas acha que eles são pequenos, como aviões de brinquedo. Como mostra esta foto de um Northrop Grumman RQ-4 Global Hawk, eles são enormes. Pra um veículo comandado de longe, ele é colossal.

A imagem foi tirada no Seoul Air Show, da Coreia do Sul, no ano passado. Eu vi um destes ao vivo no Dubai Air Show e fiquei verdadeiramente impressionado. Eles são de fato gigantescos.

O Global Hawk é um UAV usado pela Força Aérea e Marinha americanas. Como o bom e velho U-2, o Global Hawk é uma nave de espionagem e monitoramento capaz de várias maravilhas digitais, fornecendo tanto dados óticos como de radar. Ele consegue cobrir uma área de até 100.000km² por dia. 

fonte/Gizmodo
Enhanced by Zemanta

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...