terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

DIORAMA DE AEROPORTO NA ESCALA HO 1:87 NA ALEMANHA


ATUALIZADO - HELICÓPTERO CAI EM BARRA DE GUARATIBA, RIO

 O instrutor de helicópteros Rafael Luz André, desaparecido após a queda de uma aeronave no mar da Praia do Perigoso, em Barra de Guaratiba, Zona Oeste do Rio, nesta terça-feira (18), postou uma mensagem sobre segurança em voos em uma rede social um dia antes do acidente. Amigos do profissional deixaram recados na página dele na internet à procura de informações sobre seu estado de saúde. Até 16h desta terça, o Corpo de Bombeiros não havia o piloto. O aluno dele, Sérgio Mauro, de 24 anos, foi resgatado com vida e morreu no Hospital Miguel Couto, na Zona Sul.

Sérgio era ex-jogador de futebol e defendeu o Macaé, onde era conhecido como Sérginho, como publicou o Globoesporte.com.

Rafael Luz publicou uma foto na internet, às 13h02 de segunda-feira (17), com a seguinte mensagem. “Uma vez me disseram o seguinte. Aviação é o meio de transporte mais rápido pra quem não tem pressa, pois está sujeita a intempéries que independem de nossa vontade. Por isso meus amigos, digam não quando precisarem, sejam prudentes e sempre escutem seu coração !!! Bons voos com segurança para todos nós e uma excelente semana para todos !!!”, dizia a postagem.

Após o acidente, amigos do piloto comentaram na mensagem publicada em sua página. Os recados pediam orações e desejavam força a Rafael. “Amigo, você é forte e guerreiro, tenho certeza que está bem!”, dizia uma das mensagens. Outro usuário lamentou o acidente. “Parece que você estava prevendo, né, amigo?! Triste.”, disse.



Rio - Um helicóptero de treinamento da Escola Nacional de Pilotagem, modelo Robison R22, matrícula PT-YFV,  caiu na manhã desta terça-feira, no mar da Praia do Perigoso, em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. A queda ocorreu por volta das 9h40. De acordo com informações do Quartel de Barra de Guaratiba, pelo menos 25 homens do Corpo dos Bombeiros estão no local tentando fazer o resgate. 

Às 11h, um tripulante identificado como Sérgio Mauro, de 24 anos, foi resgatado e chegou a ser encaminhado ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu e morreu. A aeronave tinha duas pessoas a bordo e uma vítima ainda está desaparecida.

fonte/ODIA/G1

Dados da aeronave/Via RAB


MATRÍCULA: PTYFV
 
 
Proprietário:
NEP-NACIONAL ESCOLA DE PILOTAGEM LTDA
CPF/CGC:
02759552000103
Operador:
NEP-NACIONAL ESCOLA DE PILOTAGEM LTDA
CPF/CGC:
02759552000103
 
Fabricante:
ROBINSON HELICOPTER
Modelo:
R22
Número de Série:
2780
Tipo ICAO :
R22
Tipo de Habilitação para Pilotos:
R22
Classe da Aeronave:
HELICOPTERO 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
590 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
001


Categoria de Registro:
PRIVADA INSTRUCAO
Número dos Certificados (CM - CA):
15155
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
030806


Data de Validade do CA:
15/06/16
Data de Validade da IAM:
070614
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 18/02/2014 19:34:46

GLOBAL AIR PROJETA CRESCIMENTO DE 30% ESTE ANO COM MERCADO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO PARA HELICÓPTEROS

O fato de o Brasil já possuir a segunda maior frota do mundo de helicópteros de uso civil e a segunda maior de aeronaves da chamada aviação comercial vem impulsionando o crescimento de outros negócios. Entre eles, o de peças de reposição para helicópteros. A Global Air, empresa especializada em importação de peças para este tipo de aeronave, projeta um crescimento de 27% para este ano, porém mantém em segredo o faturamento. 

Dono de uma rede de contatos em todo o mundo, Ricardo Ralston, CEO da Global Air, trabalha com uma uma base de apoio em São Paulo, um depósito em Miami, e escritórios em Londres, na Inglaterra, e em Le Bourget, na França. Dos quatro pontos, coordena a importação de peças em tempo menor que os principais concorrentes e com margens de lucro bem inferiores. 

“Temos preços entre 25% até 40% menores que a concorrência e uma agilidade que me rendeu o apelido de “Heligeiro”, brinca o executivo. Mas faz sentido. Recentemente, um proprietário de helicóptero teve a antena danificada e procurou o fabricante para fazer o reparo. “Informaram a ele que o conserto da peça sairia por US$ 9 mil, mas a Global Air trouxe uma antena nova por US$ 5 mil”, relembra.

Além do custo, claro, uma demanda dos clientes da Global Air é por agilidade. Quem tem uma aeronave precisa se deslocar bastante e não pode ficar parado por falta de peças. “Há algumas semanas recebemos a ligação de um empresário desesperado porque o ECU (computador de bordo) da aeronave dele havia parado de funcionar e o fabricante pediu 90 dias para a reposição do sistema. Nós conseguimos trazer um novo, a base de troca em três dias e ele ficou eternamente grato”, explica Ralston. A explicação para tamanha demora está no excesso de demanda do setor e no descaso em relação ao pós-venda, na visão do executivo.

Segundo o CEO da Global Air, ao prover soluções rápidas e com menor custo, a empresa fideliza o cliente e se torna cada vez mais conhecida no meio. Com 30 anos de experiência, a Global Air segue os procedimentos normais de importação, mas pode ser mais rápida porque tem canais de contato muito bem desenvolvidos com seus fornecedores, e estoque próprio de partes. “Dos 500 helicópteros que voam hoje no Brasil, podemos atender cerca de 200, pois estão entre as nossas especialidades que são, Eurocopter, Turbomeca e Agusta“, afirma. Mais informações em São Paulo no (11) 3230 8350 ou nos Estados Unidos em 305-432-2460.


fonte/Egom Assessoria de Imprensa

DIVULGAÇÃO - MINIATURAS DE AVIÃO

Você também se perguntou o que era aquele aviãozinho de papel na fotografia do pedido #640 que foi de presente para o membro 10.000 da nossa FanPage no Facebook?

Pois bem, desculpe não ter avisado, rs, mas só aqueles que fizeram um pedidos em menos de 15 dias sabem o que é isso....


O Avião de Papel da Loja Miniaturas de Avião

Em TODOS os pedidos da nossa loja, o cliente recebe um Avião de Papel. Não é um brinde qualquer, é uma forma de disseminar a descontração e a alegria. Os nossos clientes além de receber os produtos comprados recebem um pouco de diversão da nossa loja, totalmente grátis. Não é uma forma de marketing, é uma forma de ser realmente útil, duvida?
 
O cara que recebe um avião de papel, escrito em cima “Me faça voar”, vai ficar desconfiado, vai olhar para os lados, hesitar e talvez jogar. Repare o sorriso aberto depois de atirar um aviãozinho de papel? 
 
É divertido,
é bobo (e dai?),
é infantil (sim, e daí?),
é uma forma de sorrir. É sério!!!
 
Possivelmente a forma de encarar o dia do cara que atirou o avião de papel vai mudar. Quem sabe ele não brigue com a empregada por causa da mistura, não chute o cachorro por um motivo fútil, não brigue no trânsito, pois simplesmente ele atirou um avião de papel.
 
Acredite, isso acontece! Não é fantástico isso?
 
As pessoas precisam se divertir mais com as coisas simples da vida, como um avião de papel.
 
Tudo o que você precisa para fazer um está a sua mão, na sua impressora ou no máximo lá na sala da Xerox. Vai lá, faça um!
 
Quando você fizer o próximo pedido da nossa loja você vai receber um desses, e se você não quiser fazer um pedido, por qualquer motivo, e mesmo assim quiser ter um de nossos aviões de papel, me envie uma DM, ou um e-mail que eu mando o template.
 
Conheça a nova linha de Camisetas de Aviação

http://ww2.miniaturasdeaviao.com.br/novas-camisetas-de-aviacao/


 


Marcelo Bresciani
Gerente de e-commerce
marcelo@grupombmidia.com.br
telefone: +55 11 98408-5194
Skype: marcelob16

www.miniaturasdeaviao.com.br
Conheça a loja dedicada aos apaixonados por aviões

http://www.facebook.com/avioesepilotos
 

HELICÓPTERO ACIDENTADO NO PARÁ FOI REMONTADO

Um helicóptero que caiu no último sábado, no Pará, já tinha sofrido um acidente em 2007. Na ocasião, três pessoas morreram. As informações foram obtidas com exclusividade pelo Jornal da Band. O aparelho reconstruído foi vendido à escola de pilotagem de um dos presos por transportar meia tonelada de cocaína em um helicóptero da família do deputado Gustavo Perella no ano passado.

A aeronáutica começou a investigar o acidente em que morreram duas pessoas. O impacto do helicóptero no solo foi tão forte que as peças ficaram espalhadas por boa parte da mata. Imagens exclusivas mostram o trabalho do Corpo de Bombeiros em uma vila do município de Tracuateua.

A aeronave é a mesma que se envolveu em outro grave acidente em 2007 em Carapicuíba, na Grande São Paulo, que causou a morte de três pessoas. O relatório final do centro de investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos feito no mês passado concluiu que os danos ao helicóptero foram graves. Os técnicos ainda definiram que toda a parte inferior da fuselagem foi cortada e até os controles do piloto acabaram danificados.

A aeronave com o mesmo prefixo foi remontada e passou a fazer sobrevoos. Imagens de 2012 publicadas na internet mostram que o helicóptero do modelo Robinson 44 era um dos aparelhos da escola de pilotagem Jr Helicópteros, que pertence a Alexandre José de Oliveira Júnior. Ele é um dos presos flagrados com 445 quilos de cocaína na aeronave da família do deputado Gustavo Perrella, em novembro do ano passado, no Espírito Santo.    

A Aeronáutica vai agora apurar como foi feita a reconstrução do helicóptero e quem foi o responsável por isso. Tudo para saber se a reutilização e o estado da aeronave têm relação com o acidente de sábado.

Em nota, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) confirmou que o helicóptero é o mesmo que se envolveu em um acidente na Grande São Paulo em 2007. 

“A legislação não permite que uma aeronave com ‘perda total’ seja ‘reaproveitada’”, diz a nota. 

fonte/UOL
Enhanced by Zemanta

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...