GLOBAL AIR PROJETA CRESCIMENTO DE 30% ESTE ANO COM MERCADO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO PARA HELICÓPTEROS

O fato de o Brasil já possuir a segunda maior frota do mundo de helicópteros de uso civil e a segunda maior de aeronaves da chamada aviação comercial vem impulsionando o crescimento de outros negócios. Entre eles, o de peças de reposição para helicópteros. A Global Air, empresa especializada em importação de peças para este tipo de aeronave, projeta um crescimento de 27% para este ano, porém mantém em segredo o faturamento. 

Dono de uma rede de contatos em todo o mundo, Ricardo Ralston, CEO da Global Air, trabalha com uma uma base de apoio em São Paulo, um depósito em Miami, e escritórios em Londres, na Inglaterra, e em Le Bourget, na França. Dos quatro pontos, coordena a importação de peças em tempo menor que os principais concorrentes e com margens de lucro bem inferiores. 

“Temos preços entre 25% até 40% menores que a concorrência e uma agilidade que me rendeu o apelido de “Heligeiro”, brinca o executivo. Mas faz sentido. Recentemente, um proprietário de helicóptero teve a antena danificada e procurou o fabricante para fazer o reparo. “Informaram a ele que o conserto da peça sairia por US$ 9 mil, mas a Global Air trouxe uma antena nova por US$ 5 mil”, relembra.

Além do custo, claro, uma demanda dos clientes da Global Air é por agilidade. Quem tem uma aeronave precisa se deslocar bastante e não pode ficar parado por falta de peças. “Há algumas semanas recebemos a ligação de um empresário desesperado porque o ECU (computador de bordo) da aeronave dele havia parado de funcionar e o fabricante pediu 90 dias para a reposição do sistema. Nós conseguimos trazer um novo, a base de troca em três dias e ele ficou eternamente grato”, explica Ralston. A explicação para tamanha demora está no excesso de demanda do setor e no descaso em relação ao pós-venda, na visão do executivo.

Segundo o CEO da Global Air, ao prover soluções rápidas e com menor custo, a empresa fideliza o cliente e se torna cada vez mais conhecida no meio. Com 30 anos de experiência, a Global Air segue os procedimentos normais de importação, mas pode ser mais rápida porque tem canais de contato muito bem desenvolvidos com seus fornecedores, e estoque próprio de partes. “Dos 500 helicópteros que voam hoje no Brasil, podemos atender cerca de 200, pois estão entre as nossas especialidades que são, Eurocopter, Turbomeca e Agusta“, afirma. Mais informações em São Paulo no (11) 3230 8350 ou nos Estados Unidos em 305-432-2460.


fonte/Egom Assessoria de Imprensa

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas