sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

VÍDEO - AIRSHOW

GRIPEN SERIA O ÚNICO CAÇA TOTALMENTE COMPATÍVEL COM O SIVAN

Segundo a imprensa, o relatório da FAB sobre a compra de caças teria sido entregue a ministro Jobim sem uma indicação de preferência e afirmando que o Rafale e o F-18 seriam superiores ao Gripen.

Mesmo assim, a opção da FAB seria pelo avião sueco por uma séria de razões: custo de aquisição, custo de manutenção, desenvolvimento comum de tecnologia e, sobretudo, pelo fato de que o sistema de comunicação do avião - o Datalink - é considerado o melhor do mundo.

O Datalink é capaz de dialogar com os aviões do Sivam e com os sistemas de proteção aérea por meio criptografado e sem voz.

O SIVAM é um sistema de radares que cobre toda a região amazônica e se baseia em aviões da Embraer e em radares suecos da Ericsson.

Na prática, significa que um Gripen pode receber ordem de interceptar um avião e abatê-lo sem que seja necessário trocar uma palavra com o piloto.

Toda a comunicação é feita criptografada e por transmissão digital. Pelo fato de o sistema de radares do Sivam serem suecos, a compatibilização dos equipamentos é total. Outro fato que não está totalmente esclarecido é a oferta de que o Datalink passe a ser utilizado nos Super Tucanos tornando o sistema de defesa totalmente integrado entre o Sivam, os Super Tucanos e os Gripen.

fonte/Brasília em Tempo Real

TRÊS AVIÕES COLIDEM COM PASSÁROS EM MESMO AEROPORTO NOS EUA




É de conhecimento geral que o Aeroporto Internacional de Sacramento está localizado numa rota de migração das aves. Mas o que aconteceu na terça-feira foi incomum. Dois aviões da mesma companhia aérea atingiram aves, quase na mesma hora. E um terceiro avião foi atingido no final do dia.

O primeiro foi o Boeing 737-300, da Southwest Airlines, que estava em fase final de aproximação para a pista 16L, ao meio-dia, prestes a completar o voo WN-549, vindo de Ontário, no Canadá, descendo até 1300 pés, quando um pássaro atingiu o nariz do avião. A tripulação prosseguiu e realizou uma aterrissagem segura dois minutos depois. O avião foi capaz de partir para seu próximo destino com um atraso de 40 minutos.

O segundo incidente ocorreu 50 minutos depois, com um Boeing 737-700, também da Southwest Airlines, que realizava o voo WN-2217, partindo de Sacramento em direção a Las Vegas, em Nevada, nos EUA. Após a decolagem, a cerca de 500 pés fora do aeroporto, um pássaro atingiu o para-brisas da aeronave. A tripulação decidiu retornar ao Aeroporto de Sacramento, onde realizou uma aterrissagem segura 11 minutos após a partida. O avião voltou a decolar cerca de 50 minutos mais tarde, depois de ter seu para-brisas substituído.

A terceira vítima de "bird-strike" foi o Boeing 767-300, prefixo N597HA, da Hawaiian Airlines, que realizava o voo HA-20 oriundo de a partir de Honolulu, no Havaí. Oito horas depois do segundo incidente, no momento da aproximação final para a pista 16R do Aeroporto de Sacramento, um pássaro atingiu a aeronave da Hawaiian Airlines sendo foi ingerido pelo motor número dois. A tripulação continuou e efetuou uma aterrissagem segura.

Segundo a FAA (Administração Federal de Aviação), no Aeroporto Internacional de Sacramento, acontecem - em média - mais colisões entre aves e aviões todos os anos do que em qualquer outro aeroporto da costa oeste dos EUA. Entre 1990 e 2007, cerca de 1.300 colisões foram relatadas.

O aeroporto usa técnicas como a soltura de rojões e o uso sirenes de socorro para assustar as aves fora das pistas.

fonte/Fox40 News / Aviation Herald/NoticiasSobreAviação

ANAC ABRE INSCRIÇÕES PARA 213 BOLSAS DE ESTUDOS PARA PILOTOS

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) abriu inscrições para 213 bolsas de estudo para formação de pilotos para a aviação civil. As vagas são oferecidas em convênio com 19 aeroclubes de oito estados (veja aqui o edital).

O projeto de bolsas de estudo é direcionado a candidatos de 18 a 36 anos incompletos (não completados até 4 de janeiro) que pretendam concluir o curso de piloto privado ou de piloto comercial – para piloto privado são 31 anos incompletos e para comercial, 36 anos.

Os candidatos já deverão ter realizado pelo menos 25% das horas previstas no curso desejado (veja detalhes abaixo) e passarão por um processo seletivo que contempla uma prova teórica e uma avaliação prática de proficiência em aeronave de instrução.
A Anac já selecionou os aeroclubes que participarão do processo para garantir elevado nível de qualidade e segurança durante todas as etapas do treinamento – veja aqui a lista.

Serão 139 bolsas para o curso prático de piloto privado de avião e 74 para o curso de piloto comercial – veja aqui a relação. As inscrições, que são gratuitas, podem ser feitas até 12 de fevereiro e as bolsas cobrem 75% das horas de voo necessárias para a formação dos pilotos.

As provas objetivas serão realizadas no dia 14 de março, em Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Porto Alegre (RS), Porto Nacional (TO), Rio Claro (SP) ou São Luís.

Os candidatos deverão obter, no mínimo, 70 % de aproveitamento na prova objetiva. Pré-requisitos do candidato à bolsa de piloto privado de avião: Possuir idade mínima de 18 anos e não haver completado 31 anos até a data de 04/01/2010. Possuir ensino fundamental completo reconhecido pelo Mec. Possuir Certificado de Capacidade Física de 2ª classe – nível piloto privado. Ter sido aprovado em banca de exames da Anac para piloto privado de avião, com data de validade posterior a dezembro de 2010.

Possuir, no mínimo, a seguinte quantidade de horas de voo de instrução em avião: 9 horas, se realizadas em entidade de ensino homologada pela ANAC; ou 14 horas, se não realizadas em entidade de ensino homologada pela Anac. Pré-requisitos do candidato à bolsa de piloto comercial de avião: Não haver completado 36 anos até a data de 04/01/2010. Possuir ensino médio completo reconhecido pelo Mec. Possuir Certificado de Capacidade Física de 1ª classe – nível piloto comercial. Ter sido aprovado em banca de exames da Anac para piloto comercial de avião/IFR, com data de validade posterior a Dezembro de 2010. Possuir, no mínimo, a seguinte quantidade de horas de voo de instrução em avião: - 29 horas, se realizadas em curso de piloto comercial (após cheque de piloto privado) em entidade homologada pela Anac; ou 79 horas, se não realizadas em curso de piloto comercial (após cheque de piloto privado) em entidade de ensino homologada pela Anac.

Fonte: G1

FAVORITO DA FAB, CAÇA DA SAAB NÃO VOOU E EXISTE SÓ NO PAPEL


O vazamento do informe técnico da Comissão Coordenadora do Programa Aeronaves de Combate (Copac) expôs claramente que a preferência pelo avião Gripen NG, da sueca Saab , se deu através de uma comparação míope, segundo fontes do setor. Isso porque o quesito com maior peso nessa escolha - o preço do jato - leva em conta apenas o valor do avião, enquanto os preços do Rafale, da francesa Dassault, e do F/A-18 Super Hornet, da americana Boeing, abrangem tanto a aeronave quanto o armamento.

Este é o motivo pelo qual o Gripen NG aparece como sendo equivalente à metade do valor do jato francês (que custaria US$ 70 milhões, enquanto o americano sairia por US$ 55 milhões). Pilotos da Força Aérea Brasileira e alguns brigadeiros, que dão preferência ao jato da Boeing, dizem que a proposta sueca "é honesta, mas de alto risco". O problema básico é o de que o avião da Saab existe apenas no papel. Ainda não voou. Não há sequer um protótipo pronto. Os outros dois jatos já operam há anos.

Outro detalhe intriga o Palácio do Planalto, que se inclina mais para o avião francês : o fato de que nem o próprio governo da Suécia se comprometeu a comprar o jato da Saab:

- Se ele é tão bom, por que não compram logo? - perguntou um funcionário federal que acompanha a licitação.

Um terceiro fator comprometeria a oferta sueca: tanto o motor quanto o software utilizados no Gripen NG são made in USA. Ou seja: ao optar por esse avião, o Brasil teria de pedir autorização de transferência de tecnologia aos EUA. A proposta americana tem como principal isca a oferta de a Embraer vir a fabricar as asas e a fuselagem do F/A-18 Super Hornet. Além disso, a Boeing abriria à indústria brasileira o acesso à sua linha completa de produtos (caças, helicópteros e satélites).

A França, por sua vez, prometeu uma transferência irrestrita de tecnologia do Rafale. E, além disso, se dispõe a transmitir os segredos de fabricação de mísseis, permitindo ao Brasil produzir o armamento a ser utilizado no caça.

fonte/O Globo

O BARATO ÃS VEZES SAI CARO, DIZ O MINISTRO CELSO AMORIM SOBRE CAÇAS

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, reafirmou hoje, em Paris, que a decisão sobre a aeronave vencedora da concorrência FX-2 será política, ainda que leve em consideração o parecer técnico elaborado pela Força Aérea Brasileira (FAB). Em referência indireta ao Gripen NG - ainda que sem citar nomes da empresas -, o chanceler afirmou: "O barato às vezes sai caro". Durante sua agenda na capital francesa, o ministro tratou do tema com o conselheiro diplomático do Palácio do Eliseu, Jean-David Levitte.

Amorim esteve em Paris para participar do seminário Novo Mundo, Novo Capitalismo, promovido pelo governo da França e realizado na Escola Militar. Antes de se apresentar, o chanceler ouviu múltiplos afagos do presidente francês, Nicolas Sarkozy, ao Brasil. Ao se pronunciar, fez uma análise da crise econômica e da reforma do sistema financeiro, tema do colóquio.

Na sua saída, entretanto, o ministro falou à imprensa sobre a polêmica envolvendo a licitação FX-2 e, em especial, sobre os aviões Rafale, fabricados pela francesa Dassault e classificados por um relatório da Força Aérea Brasileira (FAB) como terceira e última opção, na concorrência com o sueco Saab Gripen NG e com o norte-americano Boeing F/A-18 Super Hornet.

Amorim reforçou a autonomia de que dispõe o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para decidir o vencedor, mesmo que leve em consideração o relatório da FAB. "Caberá ao presidente, que lidera o País politicamente, tomar a decisão, levando em conta todos os dados, técnicos e outros". A seguir, sem citar nomes de companhias ou de aeronaves, o chanceler ponderou: "As vezes os técnicos dão uma impressão que vai num sentido e muitas vezes o barato sai caro".

O argumento foi um contraponto indireto à opinião da Aeronáutica, cujo relatório avaliou que um dos fatores que deveriam levar o Gripen NG à vitória na concorrência seria o preço. A Saab promete fornecer dois jatos pelo preço de um Rafale. "É claro que os dados técnicos também são importantes, mas outras considerações também são importantes", ressaltou. "Não estou diminuindo o valor do trabalho feito (pela FAB), nem estou dizendo que ele é o único fator."

fonte/Agência Estado

REGRAS TESTAM PACIÊNCIA A BORDO

Quem está com viagem marcada para os Estados Unidos neste verão vai precisar de doses extras de paciência. Depois da prisão do nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, 23 anos, com explosivos durante voo da empresa Northwest Airlines que ia de Amsterdã, na Holanda, para Detroit, no Estados Unidos, no dia 25, o esquema de segurança em aeroportos norte-americanos e europeus foi intensificado, tanto na revista de passageiros nos aeroportos quanto nos procedimentos dentro da aeronave.

O Transportation Security Administration, órgão norte-americano que regulamenta a segurança dos transportes, determinou que as bagagens de mão passem a ser revistadas pelos funcionários da empresa aérea antes do embarque e todos os passageiros sejam submetidos à revista com bastão detector de metais. Nos Estados Unidos, cães farejadores também têm sido utilizados para identificar explosivos e produtos tóxicos nas bagagens. As restrições formaram longas filas em aeroportos americanos e europeus, além de atrasos.

No Brasil, as companhias também reforçaram os procedimentos de segurança, principalmente em voos com destino aos Estados Unidos. E o desconforto não se restringe apenas aos aeroportos. A bordo da aeronave, o viajante também terá de obedecer a uma série de restrições.

Pelas novas regras, quando faltar uma hora para o avião aterrissar, os passageiros devem permanecer em seus assentos. Ninguém pode usar cobertor ou travesseiro, mexer na bagagem de mão ou ir ao banheiro. E enquanto a aeronave sobrevoar o espaço aéreo norte-americano, a tripulação não poderá informar os passageiros sobre a trajetória do voo nem sobre sua posição em relação às cidades.

Dia 25, Abdulmutallab ficou 20 minutos no banheiro do avião. Quando voltou ao seu assento, cobriu-se com um cobertor. Em seguida, os passageiros perceberam cheiro de queimado e viram a perna da calça do nigeriano e a parede do avião pegando fogo. A rede terrorista Al-Qaeda assumiu a responsabilidade pela tentativa frustrada do nigeriano de explodir uma bomba dentro da aeronave.

PAÍSES NON GRATOS

Domingo, os Estados Unidos anunciaram reforço do controle sobre passageiros procedentes de países considerados patrocinadores do terrorismo "ou de qualquer outro país envolvido".

O TSA não precisa que países integram a lista, mas Cuba, Irã, Sudão e Síria são os quatro Estados que figuram na relação dos patrocinadores do terrorismo internacional. Ao todo, a medida incluiria 14 países, entre eles Afeganistão, Líbia, Nigéria, Paquistão, Somália e Iêmen.

Quem vier destas nações será submetido a "revista pessoal completa" e terá as malas inspecionadas manualmente. Detectores de explosivos e tecnologia avançada de imagem também deverão ser utilizados no controle de bagagens e passageiros.

fonte/Diário do Grande ABC/Agências

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...