segunda-feira, 23 de junho de 2014

CURTINHAS.....

Air France aporta R$ 116 mi na Gol e US$ 33 mi na Varig

A Gol anunciou que recebeu na última sexta-feira (20) um aporte de R$ 116,4 milhões da Air France-KLM a título, segundo comunicado da empresa, “de subscrição e integralização de 4.246.620 ações preferenciais da companhia no âmbito do aumento de capital social aprovado em Reunião do Conselho de Administração da Companhia, de 28 de maio de 2014, e objeto do Aviso aos Acionistas, de 29 de maio de 2014.”

A aérea divulgou também que outros US$ 33 milhões foram incorporados à Varig “como parte de uma contribuição total contratada de US$ 48 milhões relativa à cooperação comercial entre a companhia e a Air France-KLM”.

“Tais aportes marcam a consumação da parceria exclusiva estratégica de longo prazo para cooperação comercial entre a Companhia e a Air France KLM, que foi noticiada no Fato Relevante de 19 de fevereiro de 2014”, finaliza o comunicado da Gol. 



Sita disponibiliza tecnologia Ibeacon em aeroportos

Tecnologia , American Airlines se tornará a primeira companhia a utilizar o Sita Common-use Beacon Registry (Foto: divulgação)
American Airlines se tornará a primeira companhia a utilizar o Sita Common-use Beacon Registry (Foto: divulgação)
A Sita está abrindo o caminho para as companhias aéreas e aeroportos usarem a tecnologia Ibeacon, criada pela Apple. Com isso, a American Airlines se tornará a primeira empresa do setor a utilizar o Sita Common-use Beacon Registry. O novo serviço dará permissão aos passageiros para que se atualizem e recebam informações importantes em seus dispositivos móveis nos aeroportos de todo o mundo.

A tecnologia Ibeacon é introduzida com o iOS 7 e aciona a exibição de informações relevantes sobre localização no momento certo e na situação certa. Com os beacons, as companhias aéreas podem facilmente fornecer direções aos passageiros, tempo de caminhada entre os portões, acesso ao lounge e alertas sobre embarque.

“Nós lançamos esta tecnologia para oferecer à indústria um único ponto de contato para uso comum de beacons implementado em qualquer aeroporto do mundo. Com ele, os aeroportos podem controlar e compartilhar dados como a exata localização, incluindo informação dos portões e terminais, enquanto as companhias aéreas podem permitir que os passageiros recebam informações precisas e relevantes”, disse o diretor de tecnologia da Sita, Jim Peters.

O programa piloto da American Airlines que está sendo implementado no Aeroporto Internacional de Dallas/Fort Worth é o maior do mundo em implantação de beacons. A empresa aérea planeja lançar o programa para usuários em determinadas rotas e aeroportos da América do Norte. “A tecnologia da Sita nos permitirá fornecer uma experiência satisfatória para nossos passageiros, fazendo uso do nosso aplicativo em aeroportos, não apenas na América do Norte, como também em toda a nossa rede global”, concluiu o diretor de Aplicativos de Dispositivos Móveis da American, Phil Easter. 
fonte/PanRotas

GRU AIRPORT RECEBE SEGUNDO CAMINHÃO CONTRA INCÊNDIOS


Aviação , Foto: divulgação

O novo caminhão de combate a incêndios adquirido pelo GRU Airport, o Aeroporto Internacional de São Paulo, tem performance 50% superior às exigências da Anac, segundo a concessionária do aeroporto. Trata-se do segundo equipamento desse tipo adquirido pela GRU Airport, dando continuidade ao programa de modernização do aeroporto.

O caminhão é do modelo Panther Rosembauer 6X6, utilizado nos maiores aeroportos do mundo para atendimento a emergências, destacando-se pela tecnologia e pelo conjunto de equipamentos disponíveis. O jato d’água, por exemplo, atinge uma distância de 90 metros, o que permite cobrir as maiores aeronaves do mundo. O veículo vai de 0 a 80 Km/h em apenas 30 segundos, uma performance 50% superior à exigência da Anac, de acordo com o GRU Airport, e a cabine comporta até cinco bombeiros, dois a mais que o mínimo estabelecido pelo órgão regulador.

fonte/PanRotas/foto/Divulgação

RÚSSIA PODE PARAR ENVIO DE CARGAS E CORREIO PARA EUROPA APÓS 1 DE JULHO


O Ministério dos Transportes da Rússia e a Comissão Europeia não conseguiram chegar a um acordo sobre novas regras de segurança aérea para transporte de carga.

Isso ameaça parar completamente a corrente de carga e correio para a Europa a 1 de julho. O Ministério dos Transportes quer pedir a Bruxelas que adie a entrada em vigor das regras ou suspenderá a carga aérea em trânsito para a UE através da Rússia.

Valeri Okulov, vice-ministro dos Transportes, realizou uma reunião com vista à introdução na prática, a partir de 1 de julho, do regulamento da UE sobre a segurança aérea para o transporte de carga. 


Dentro de uma semana, poderão descarregar cargas na UE apenas as companhias que receberam o estatuto de “transportador de terceiros países”. Para isso é necessário acordar com Bruxelas um programa de medidas de segurança para as cargas e o correio e o validador da UE deve inspecionar os aeroportos de envio de cargas se respeitam as respectivas exigências. Estes devem dar informação pormenorizada sobre a infraestrutura e os sistemas de segurança.

Segundo o diário Kommersant, os serviços do validador custam mais de 200 mil rublos. O Ministério dos Transportes mantém uma posição firme face ao regulamento. “A Rússia não pretende fazer inspeções suplementares ou fornecer informação secreta, os aeroportos e os transportadores são regularmente inspecionados na ICAO e IOSA, o que é suficiente”, declarou um dos interlocutores do jornal. Mas, nesta situação, o Ministério dos Transportes pediu à UE um adiamento durante as conversações.


Durante esse período, Moscou quer conseguir da UE a inclusão da Rússia na “lista verde”, acordo sobre a segurança aérea que permite aos transportadores receber o estatuto e voar para a UE sem mais inspeções.

Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_06_23/Russia-pode-parar-envio-de-carga-e-correio-para-Europa-apos-1-de-julho-2898/

fonte/VozDaRússia

COLISÃO DURANTE EXERCÍCIO DE INTERCEPTAÇÃO DERRUBA LEARJET NA ALEMANHA







Um Learjet 35-A, prefixo D-CGFI, foi destruído após colisão no ar com um  Eurofighter Typhoom da Luftwaffe (Força Aérea Alemã) sobre a região de  Elpe, Alemanha.
 
O Learjet civil e dois caças Typhoon estavam envolvidos em um exercício de interceptação quando a colisão ocorreu  e o Learjet  operado pela GFD Gesellschaft für Flugzieldarstellung caiu.  

Os dois tripulantes do Learjet morreram, mas somente um corpo foi encontrado morto perto dos destroços. 

O Eurofighter danificado realizou um pouso de emergência no Nörvenich Air Base.

fonte/foto/ASN/DieWelt

POLÍCIA FEDERAL APREENDE 320 KG DE COCAÍNA DESCARREGADA DE AVIÃO EM MATO GROSSO

Avião carregado com droga foi avistado prestes a pousar em pista clandestina perto de Poxoréo, segundo a PF. (Foto: Assessoria / Polícia Federal)Avião carregado com droga foi avistado prestes a pousar em pista clandestina perto de Poxoréo, segundo a PF. Material foi descarregado em veículo posicionado na pista. (Foto: Assessoria / Polícia Federal)

A Polícia Federal (PF) apreendeu 320 quilos de cocaína durante uma operação contra o tráfico internacional de drogas neste domingo (22) numa fazenda próxima ao município de Poxoréo, a 259 km de Cuiabá. Os agentes flagraram o momento em que a droga era descarregada e prenderam os envolvidos.

A entrada de droga oriunda de países vizinhos como a Bolívia por meio de arremessos e descarregamento de aeronaves pequenas em pistas clandestinas tem sido recorrente em Mato Grosso, conforme as últimas apreensões policiais.


A assessoria de imprensa da PF, que divulgou a ocorrência deste domingo, não informou o número total de presos, limitando-se a anunciar que, entre eles, estão um boliviano e um espanhol. Eles devem responder por tráfico internacional de drogas. As poucas informações divulgadas pela PF até o momento dão conta de que a operação foi motivada por denúncia de uma pista de pouso clandestina que estaria sendo utilizada para descarregamento de droga oriunda da Bolívia por meio de pequenas aeronaves. A propriedade rural seria próxima à terra indígena de Jarudore.

Entrada de droga oriunda da Bolívia por meio de aeronaves em pistas clandestinas tem sido recorrente em Mato Grosso. (Foto: Assessoria / Polícia Federal)Entrada de droga oriunda da Bolívia por meio de aeronaves em pistas clandestinas tem sido recorrente em Mato Grosso. (Foto: Assessoria / Polícia Federal)

De acordo com a PF, ao chegarem à fazenda os agentes conseguiram visualizar um avião prestes a pousar na pista. Dois veículos já estavam posicionados ao lado. Assim que o avião conseguiu pousar, teve início o descarregamento da droga para um dos carros. O entorpecente estava armazenado em tabletes enrolados com sacos plásticos.

Segundo a assessoria de imprensa, assim que o descarregamento foi concluído os agentes da PF deram voz de prisão aos envolvidos, inclusive aos estrangeiros. Os dois veículos utilizados no descarregamento da droga também foram apreendidos.

Todos foram encaminhados à Delegacia da PF em Rondonópolis, a 212 km de Cuiabá. A pena pelo crime de tráfico de drogas internacional varia de cinco a 15 anos de reclusão.

fonte/G1/foto/PFdivulgação

DRONES SURGEM COMO ALTERNATIVA PARA MONITORAR LAVOURAS


Drones surgem como alternativa para monitorar lavouras Luis Afonso Costa/Especial
O agricultor Rogério Ceolin, 38 anos, comprou um equipamento para fotografar uma obra de silos na propriedade Foto: Luis Afonso Costa / Especial
Em rasantes sobre as lavouras, veículos aéreos não tripulados (vants), também chamados de drones, começam a se tornar ferramenta para aumentar a produtividade no campo. Hoje no mercado com preços mais acessíveis, sobrevoam o campo e funcionam com se fosse um olhar apurado sobre a propriedade. Com câmeras potentes, permitem, por exemplo, identificar pragas e doenças precocemente.

Desenvolvidos para uso militar, esses equipamentos passaram a ser testados no Brasil nos últimos anos por centros de pesquisa e grandes grupos do agronegócio. Mais recentemente, começaram a despertar a curiosidade de produtores. Concorrendo com imagens de satélite e fotografias aéreas feitas de avião, têm a vantagem do custo menor e mais agilidade no resultado.
– Os equipamentos mais modernos conseguem fazer imagens com qualidade superior à de satélites, ajudando a localizar deficiências no plantio a tempo de correção. É o olho do agricultor por cima da lavoura – explica Lúcio Jorge, que coordena as pesquisas com drones na Embrapa Instrumentação, com sede em São Carlos (SP). 

Ao captar imagens aéreas, o equipamento ajuda a localizar falhas na plantação, áreas com excesso ou falta de água ou onde é preciso utilizar defensivos agrícolas. As fotografias feitas pelo drones são utilizadas para formar um mapa da lavoura. Há 15 dias, um dos drones da Embrapa sobrevoou, em caráter experimental, 150 hectares de uma plantação de algodão do grupo gaúcho SLC Agrícola, em Cristalina (GO). As mais de 2 mil fotos tiradas serão processadas em formato de mosaico e avaliadas para verificar se há alguma deficiência nutricional nas plantas.
— Estamos avaliando o quanto isso é eficiente para se observar diferentes problemas — ressalta Ronei Sana, coordenador de agricultura de precisão da SLC Agrícola.

Ao mesmo tempo em que centros de pesquisas e empresas testam os drones, produtores curiosos também começam a se aventurar na tecnologia. O agricultor Rogério Ceolin, 38 anos, comprou um equipamento há dois meses, por R$ 5 mil, para fotografar as obras nos silos da propriedade, em Tupanciretã.
— Não tinha muita ideia de como funcionava. Depois, vi que não era tão difícil de operar e já encomendei um software para programar o equipamento — explica o agricultor.

A ideia é usar o drone para monitorar áreas de lavouras e identificar problemas de fertilidade.
— Fazer imagens por satélite é muito caro — justifica Ceolin, que investiu mais R$ 2 mil em um software para o drone.

Senai incentiva projeto de empresa de canoas
Desde março, a gaúcha Creare Sistemas desenvolve projeto em conjunto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) para utilizar drones em lavouras de cana-de-açúcar. Com o equipamento, câmera fotográfica de alta resolução e software de análise de imagens, a ideia é ter informações detalhadas nas diferentes fases de plantio – identificando a sanidade dos canaviais e a presença de ervas daninhas ou pragas no campo.

— É uma ferramenta que poderá aumentar a produtividade das lavouras ao apontar falhas ou imperfeições no plantio que o olho não tem capacidade de enxergar nem mesmo de perto — explica Paulo Renato Jotz, diretor de marketing da Creare, sediada na Ulbratech, em Canoas.
Restrições para uso dificultam o avanço
Embora o Brasil seja um dos países pioneiros no emprego de drones, assim como os Estados Unidos, a falta de regras específicas para esses aparelhos dificulta o avanço da tecnologia. Existem cerca de 15 fabricantes brasileiros desses equipamentos, e a venda é permitida, mas o uso tem restrições por parte da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Para operar um drone, o produtor ou a empresa interessada devem solicitar o Certificado de Autorização de Voo Experimental (Cave), que permite operações de testes, sem fins lucrativos e somente em áreas rurais.

A regulamentação específica para operação de veículo aéreo não tripulado no Brasil ainda está em processo de elaboração pela agência. Enquanto isso, os pedidos para esse tipo de operação são avaliados caso a caso, dependendo do uso pretendido pelo solicitante. Conforme a Anac, somente sete equipamentos estão autorizados a operar no país – nenhum para agricultura, até o momento.

As regras têm como objetivo zelar pela segurança na aviação e evitar, por exemplo, que o equipamento caia na cabeça de alguém ou que cause algum acidente no espaço aéreo, explica Lucas Henrique Farracini, tecnólogo em manutenção aeronáutica e bolsista da Embrapa. 
– Mais de 95% dos drones em operação no país não têm autorização – calcula o pesquisador, ressaltando que a Embrapa opera cinco drones com pedidos de uso já encaminhados à Anac.



fonte/foto/ZeroHora

CESSNA 152 DA ESCOLA EJ PEGA FOGO DENTRO DO HANGAR EM ITÁPOLIS NA NOITE DE SEXTA-FEIRA

NOTA DA ESCOLA EJ

Prezados clientes e amigos da EJ,

No início da noite de sexta feira do dia 20/06/2014 na Unidade EJ de Itápolis, uma de nossas aeronaves Cessna 152 PR-EJC pegou fogo dentro do hangar e foi destruída pelo fogo.

O hangar é aberto e com os trabalhos eficiente dos bombeiros, funcionários e alunos, felizmente não machucou ninguém. O prejuízo foi material com a perda de uma aeronave da frota.

Ainda não sabemos a origem do fogo, a perícia técnica está investigando o caso.

A aeronave estava em perfeitas condições e nenhuma anormalidade fora reportada nos voos daquele dia.

A EJ está operando normalmente.

Agradecemos a todos os amigos pela força e bola pra frente.

Grande abraço a todos.

Edmir e Josué

fonte/via Facebook 

Dados da aeronave via RAB


MATRÍCULA: PREJC
Proprietário:
EJ ESCOLA DE AERONAUTICA LTDA ME
CPF/CGC:
XXXXXXXXX
Operador:
EJ ESCOLA DE AERONAUTICA LTDA ME
CPF/CGC:
XXXXXXXX
Fabricante:
CESSNA AIRCRAFT
Modelo:
152
Número de Série:
15282884
Tipo ICAO :
C152
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
758 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
001


Categoria de Registro:
PRIVADA INSTRUCAO
Número dos Certificados (CM - CA):
17077
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
231106


Data de Validade do CA:
09/04/18
Data de Validade da IAM:
220415
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 22/06/2014 23:23:42

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...