quarta-feira, 23 de setembro de 2015

ULTRALEVE CAI LOGO APÓS DECOLAGEM EM CEARÁ-MIRIM, RIO GRANDE DO NORTE


Um ultraleve caiu, na manhã desta quarta-feira (23), no município de Ceará-Mirim, na Grande Natal, poucos segundos após decolar da pista da cidade. Após a queda, o ultraleve ficou em chamas e o Corpo de Bombeiros foi acionado. O piloto foi levado a um hospital por populares e as causas do acidente ainda não foram confirmadas.

CedidaUltraleve cai em Ceará-Mirim e deixa piloto feridoUltraleve cai em Ceará-Mirim e deixa piloto ferido

O Corpo de Bombeiros informou que o acidente ocorreu por volta das 10h45, no matagal ao redor da pista. Pouco após decolar, ultraleve perdeu altitude e iniciou a queda. O piloto ainda tentou controlar o planador no momento da descida, mas o ultraleve caiu e pegou fogo logo após atingir o solo. No entanto, o hangar onde ficam localizados outros aviões de pequeno portes e ultraleves não foi atingido.

Ultraleve cai em Ceará-MirimReproduçãoUltraleve cai em Ceará-Mirim

Após a queda, o piloto, consciente e caminhando, foi socorrido por um popular e levado em carro particular para o hospital da cidade. Em seguida, o Corpo de Bombeiros foi acionado para combater as chamas.

A Aeronáutica também foi acionada para realizar a perícia sobre o caso e definir quais as causas do acidente. O piloto, identificado somente como Cícero, também deverá ser ouvido.

fonte/foto/TribunaDoNorte

HELICÓPTERO USADO PELO GRUPAMENTO DA POLÍCIA MILITAR CAI EM MACEIÓ, ALAGOAS


Um helicóptero usado pelo Grupamento Aéreo da Polícia Militar caiu no bairro da Santa Lúcia, parte alta de Maceió. De acordo com as informações oficiais repassadas pela PM, a aeronave explodiu ao cair no solo. Quatro pessoas que estavam a bordo morreram.
Vídeos gravados por testemunhas que mostram os destroços da aeronave em chamas foram encaminhados ao AL TV 1ª edição. Nas imagens, é possível ver bastante fumaça e fogo, momentos depois da explosão (veja acima).

O acidente aconteceu próximo ao Aeroclube de Maceió. Ainda segundo informações da PM, a aeronave caiu sobre um veículo que estava estacionado na rua, mas não feriu ninguém no solo. O Corpo de Bombeiros foi acionado ao local e encaminhou diversas viaturas de resgate e de combate a incêndio.

Aeronave explodiu ao cair sobre um carro (Foto: Carolina Sanches/G1)Aeronave explodiu ao cair sobre um carro
(Foto: Carolina Sanches/G1)
As vítimas foram identificadas como capitão Assunção, major Milton Carnaúba e os soldados Melo e Moura, todos do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Segundo testemunhas, um dos militares ainda tentou sair da aeronave após o acidente, mas não conseguiu.

As residências no entorno do local onde aconteceu o acidente foram isoladas, devido ao risco. O governador Renan Filho (PMDB) e o secretário de estado da Segurança Pública, titular da pasta responsável pela aeronave, foram ao local.

"Tinham dois pilotos experientes [a bordo], dois tripulantes, todos militares. Estamos muito surpresos com o que aconteceu, mas vamos aguardar as investigações para determinar o que verdadeiramente aconteceu", afirmou o governador ao ressaltar que o Estado vai prestar total apoio às famílias das vítimas.

O coronel André, do setor de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros, afirmou que a aeronave, Falcão 02, estava em perfeitas condições e não tinha histórico de mau funcionamento. "Decolou do aeroporto e foi simplesmente fazer um patrulhamento. Dizer o que realmente aconteceu é muito preliminar", avaliou.

Ainda de acordo com o coronel, a aeronave era de 1992, mas estava em perfeitas condições. "O que importa são as condições da aeronave e as substituições das peças". Ele disse também que a perícia do acidente ficará a cargo da Aeronáutica.

Peritos fazem os primeiros levantamento no local (Foto: Jonathan Lins/G1)Peritos fazem os primeiros levantamento no local (Foto: Jonathan Lins/G1)
Militar lamenta cena encontrada no local do acidente (Foto: Carolina Sanches/G1)Militar lamenta cena encontrada no local do acidente (Foto: Carolina Sanches/G1)
fonte/foto/G1 

Dados da aeronave via RAB

MATRÍCULA: PPELA
 
 
Proprietário:
GOV.DO ESTADO DE ALAGOAS GAB.MILITAR
CPF/CGC:

Operador:
GOV.DO ESTADO DE ALAGOAS GAB.MILITAR
CPF/CGC:

 
Fabricante:
BELL HELICOPTER
Modelo:
206L-3
Número de Série:
51536
Tipo ICAO :
B06
Tipo de Habilitação para Pilotos:
BH06
Classe da Aeronave:
HELICOPTERO 1 MOTOR TURBOEIXO
Peso Máximo de Decolagem:
1882 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
006


Categoria de Registro:
PUBLICA ADMINISTRACAO DIRETA ESTADUAL
Número dos Certificados (CM - CA):
13721
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
100309


Data de Validade do CA:
05/08/20
Data de Validade da IAM:
100816
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 23/09/2015 14:03:09

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

AEROESPACE MEETINGS BRAZIL 2015 - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - EVENTO AEROESPACIAL INÉDITO NO BRASIL

Aerospace Meetings Brazil 2015, o único evento de mediação para cadeia de suprimentos aeroespacial no Brasil, é a primeira a acontecer para BCI Aerospace, líder mundial em eventos B to B aeroespacial. A grande reputação da indústria aeroespacial brasileira precede a si mesma e mostra um momento empolgante para construir este grande legado já existente.

Esta convenção de negócios internacionais é uma oportunidade única para que a cadeia de fornecimento global aeroespacial encontre-se no coração do espaço aéreo brasileiro, em São José dos Campos, em um evento de 3 dias que conecta as OEMs (Original Equipment Manufacturer) de primeiro e segundo escalão com fornecedores de todo o mundo.

Ao contrário de outras feiras típicas, a Aerospace Meetings Brazil oferece aos participantes um meio exclusivo de se encontrar com os principais agentes da cadeia de abastecimento global, através de reuniões individuais (one-to-one) adaptadas, acomodando ambas as partes e otimizando o seu tempo.

fonte/Divulgação/Site

EMBRAER INVESTE NA PRODUÇÃO E ALAVANCA AVIAÇÃO COMERCIAL

Linha de produção da Embraer em São José. Foto: Claudio Vieira Linha de produção da Embraer em São José. Foto: Claudio Vieira
Para 2015, a previsão de investimentos é de US$ 650 milhões, sendo US$ 350 milhões em pesquisa e desenvolvimento

Embraer 2.0. A terceira maior fabricante de jatos comerciais do mundo se prepara para o salto tecnológico que a levará ao futuro da aviação em escala global.
Mudanças nas linhas de produção da maior unidade e sede da empresa, em São José, estão em curso para montar em série a nova família de jatos comerciais, batizada de E-Jets 2 ou E2.
São os três aviões da família (E175, E190 e E195, todos com o sobrenome 2) que levarão a Embraer a um novo patamar na aviação comercial, que responde por 50,3% do faturamento da empresa.
A meta é impulsionar a receita líquida da Embraer, que oscila entre 5,8 e 6,2 bilhões de dólares por ano, com os novos jatos, que foram lançados em junho de 2013 e são mais econômicos, potentes e inovadores.
“A nova família de jatos terá um impacto a longo prazo na empresa”, disse André Luiz Soriani, diretor de Produção da Embraer. “Eles são a maior aposta da companhia e vão aos poucos substituindo a família E1”.
Pedidos. No segundo trimestre deste ano, a carteira de pedidos firmes e opções de compra da Embraer registrava 532 unidades dos novos jatos, sendo 200 do E175, 162 do E190 e 170 do E195.
A primeira entrega de um avião da nova família, o E190-E2, está prevista para o primeiro semestre de 2018. O E195-E2 está programado para entrar em serviço em 2019 e o E175-E2, em 2020.
A fabricante faz ajustes na linha de produção para absorver a montagem dos novos aviões. Tecnologia vai ajudar a otimizar o circuito produtivo em hangares nos quais os aviões são feitos quase artesanalmente.
A Embraer investiu cerca de US$ 560 milhões em 2014 (8,9 % da receita). Para 2015, a previsão de investimentos é de US$ 650 milhões, sendo US$ 350 milhões em pesquisa e desenvolvimento e US$ 300 milhões, na fábrica.
Robôs. Trata-se da mais alta tecnologia aliada ao talento humano para fabricar aeronaves modernas. Uma das novidades é a inclusão de um robô que move carrinhos levando peças para funcionários na linha de produção. A máquina percorre o hangar em até 80 pontos, nos quais abastece os montadores.
A produção dos E2 também adotará inovação já implantada no Legacy 500, de acabar com manuais em papel e deixar tudo digital. Um tablet ajudará a montar o avião.
Saiba mais
Funcionários
Embraer emprega 19 mil pessoas no mundo, sendo 17 mil no país, dos quais 13 mil em São José dos Campos

Parceiros
Outros 2.300 funcionários estão em joint ventures e empresas coligadas

Contratações
Desde 2009, a Embraer contratou 2.000 funcionários

Receita
O faturamento da empresa vem das seguintes áreas:
Aviação comercial: 50,3%
Aviação executiva: 25,3%
Aviação defesa: 23,2%
Outros: 1,2%

Talentos

Empresa lançará programa de trainee
Ainda em setembro, a Embraer vai lançar um novo programa de trainee, voltado para as áreas de gestão e negócios. Serão ofertadas cerca de 20 vagas em escala global para universitários recém-formados, que poderão trabalhar por até dois anos na fabricante. Eles terão que passar por seletiva com provas, dinâmicas e entrevistas. Segundo Daniela Sena, diretora de Estratégia e Desenvolvimento de Pessoas, o programa vai começar em 2016. “Estamos em busca de talentos”, afirmou ela.


fonte/foto/OVale

HAINAN AIRLINES LIGARÁ CHINA AO NORDESTE BRASILEIRO COM ESCALA EM LISBOA

Hainan Airlines Boeing787-8 Dreamliner 900dpi

O Aeroporto Internacional Pinto Martins terá voos para a China, noticiou nesta quinta-feira, dia 3 de Setembro, a imprensa que se publica na cidade de Fortaleza, no Estado do Ceará.

Refere o jornal " O POVO" que os presidentes executivos da Azul Linhas Aéreas, Antonoaldo Neves, e da companhia chinesa Hainan Airlines, Chen Ming, assinaram, em Pequim, na quarta-feira, dia 2 de setembro, um termo de cooperação para operacionalizar a rota.

A reunião envolveu os representantes das companhias aéreas e o governador do Ceará Camilo Santana, que está em missão de trabalho na China.

O voo terá apenas uma escala que será no Aeroporto Internacional da Portela, em Lisboa.
Segundo o jornal, que cita o governador Camilo Santana, a companhia chinesa também “reafirmou o interesse na concessão do aeroporto de Fortaleza”.

Sobre a abertura da nova linha aérea para a China, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que regulariza e fiscaliza as atividades de aviação civil no Brasil, ressaltou que Fortaleza não dispõe de voos com destino ao país asiático.

O jornal cearense procurou a Azul para comentar sobre a frequência de uma futura rota, horários e a possibilidade de operar ainda em 2015. A companhia aérea informou que ainda não iria se posicionar sobre o assunto.

A imprensa brasileira destaca o fato do fundador e controlador da AZUL Linhas Aéreas Brasileiras ser David Neeleman, que é sócio do consórcio que adquirir 61% do capital da TAP.

Pelo que sabe o ‘NewsAvia’, a Ásia e, nomeadamente a República Popular da China, tem sido apontada como uma área geográfica prioritária para a rede de longo curso da TAP. Contudo, isso não significa que a companhia passe a voar para a Ásia com os seus aviões.

Por outro lado, a equipa que elaborou o projeto de desenvolvimento de negócios da futura TAP – e que liderará a companhia após a entrada efetiva do consórcio ‘Atlantic Gateway’ no grupo aéreo português, o que ainda não se verificou, por imperativos legais – está apostada em criar alternativas que possam confrontar-se com a anunciada instalação de um hub do Grupo LATAM (que integra a TAM, concorrente da Azul) no Nordeste do Brasil.

Hainan AZUL Acordo set2015 900px
Nesta imagem obtida na cidade de Pequim, no dia 2 de setembro, vêem-se os dois executivos da Hainan Airlines, rodeados pelo Governador Camilo Santana, à esquerda na foto, e por Antonoaldo Neves, presidente executivo da AZUL Linhas Aéreas Brasileiras.

Em círculos da aviação comercial do Nordeste Brasileiro admite-se que a vontade do governador Camilo Santana (eleito pelo PT – Partido dos Trabalhadores) mostrar trabalho feito nesta viagem à China apressou a notícia que seria guardada para um anúncio posterior, dadas as suas implicações em Portugal. A informação está disponível no website da Assessoria de Imprensa do Governador.
De qualquer modo, é considerada uma excelente notícia, com interesse em ambos os países, e que no caso do Nordeste Brasileiro cria uma ponte inexistente entre esta área geográfica e a China.

Em Portugal, em maio de 2014, aquando da visita do Presidente da República Portuguesa à República Portuguesa à China, o jornal ‘Diário Económico’ publicou uma matéria sobre a questão das ligações diretas entre Lisboa e uma grande chinesa, tendo reportado que a ANA – Aeroportos de Portugal confirmou “a troca de informações com a Air China e a China Eastern Airlines”, mas que não existem desenvolvimentos que permitam pensar na criação a breve trecho de um voo direto.

A companhia aérea portuguesa tem, desde 2010, um acordo de ‘code-share’ com a Air China, parceira da TAP na Star Alliance, para a exploração de serviços regulares nas rotas Porto-Pequim, Lisboa-Pequim e Lisboa-Xangai. No âmbito deste acordo, a TAP transporta os passageiros com destino à China até Frankfurt, Madrid, Roma ou Milão, e a China assegura o resto da viagem.
“Achamos que a partir de 2017, com aviões adequados que nos permitam reduzir em muito os custos da operação, e com a expectativa de que o tráfego cresça com o aumento do turismo e das relações economicas, fará sentido [lançar voos diretos”, mas para já não temos aviões nem essas condições existem”, avançou uma fonte oficial da TAP ao ‘Diário Económico’.

Em Xangai, aquando dessa visita do Presidente da República Portuguesa, Cavaco Silva, que esteve acompanhado pelos ministros da Economia, Pires de Lima, e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, teve uma reunião de trabalho com representantes de três companhias aéreas chinesas: China Eastern Airlines, HNA Group e JuneYao Group. A Hainan Airlines pertence ao HNA Group.

Hoje, em Setembro de 2015, os cenários são diferentes, até a própria estrutura da TAP como companhia aérea e projeto de desenvolvimento, com estrutura acionista modificado pela entrada de sócios privados que dominam a maioria do capital, e com uma perspetiva de forte cooperação e integração com a companhia brasileira AZUL, que ainda não é oficial.

fonte/foto/NewsAvia

DRONES SÓ PODERÃO VOAR A 30 METROS DE DISTÂNCIAS DAS PESSOAS, SEGUNDO REGULAMENTAÇÃO DA ANAC


drone_pl_mg

Quer pilotar um drone? Então é melhor começar a ir buscar autorização de quem for ficar embaixo dele. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) quer permitir apenas o voo de drones com os pilotos que tiverem a permissão de quem estiver embaixo da nave em um raio de até 30 m de distância. O que, basicamente, proibiria o uso dos drones em áreas urbanas.

A ANAC abre nesta quinta-feira (3) uma audiência pública para ouvir e discutir ideias que possam melhorar e evoluir a regulamentação.  À Folha de S. Paulo, Marcelo Guaranys, diretor-geral da agência, diz que a proposta é mais dura, mas ela pode ser mudada e amenizada com avisos no local de onde ocorrerá o voo. “Queremos garantir a segurança das pessoas em solo e que essas operações não ofereçam perigos às nossas cabeças”, explica.
A ANAC quer regulamentar o voo para que “a segurança das pessoas possa ser preservada”, como dita o texto:
A proposta de norma tem como premissas viabilizar as operações, desde que a segurança das pessoas possa ser preservada, minimizar ônus administrativos e burocracia, tendo em vista que as regras estarão estabelecidas de acordo com o nível de complexidade e risco envolvido nas operações, e permitir evolução do regulamento conforme o desenvolvimento do setor.
A regulamentação cria duas categorias de uso: recreativo e comercial; e três categorias de equipamentos, classificados por peso e operação comercial:
  • Classe 1 (peso maior que 150 kg) — permite apenas drones certificados pela ANAC e registradas no Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB). Os pilotos destas naves também precisam de Certificado Médico Aeronáutico (CMA), licença, habilitação e todos os voos deverão ser registrados.
  • Classe 2 (peso maior que 25 kg e menor/igual a 150 kg) — Exige CMA licença e habilitação dos pilotos e todos os voo devem ser registrados.
  • Classe 3 (menor/igual a 25 kg) — Não requer CMA e nem registro dos voos, caso o drone opere a até 400 pés (cerca de 120 m). Voos acima desta altura requerem que o piloto tenha licença. Além disso, os voos devem ocorrer a uma distância mínima de 30 m de uma pessoa; para distâncias menores, é necessário autorização dos indivíduos envolvidos.
Será regulamentado também que os pilotos de drone tenham mais de 18 anos e uso de aeromodelos (aeronaves destinadas à recreação) estão isentos de autorização da ANAC, mas ainda deverão respeitar a nova regra de manter a distância mínima de 30 m de pessoas. Defesa civil e segurança pública estão livres de qualquer regulamentação imposta pela agência.
Contribuições à regulamentação podem ser enviadas para o email rpas@anac.gov.br por um mês, até o dia 3 de outubro. Elas serão analisadas pela ANAC até o fim deste ano. Só depois desse processo a regra passará a valer.
E por mais rígida que a regra possa parecer, é sempre bom lembrar que drones podem ser bem perigosos, especialmente quando você é um cantor que costuma agarrar os drones que gravam o seu show. Todo cuidado é pouco para manter o rosto intacto e os dedos no lugar. [Folha via ANAC].

fonte/foto/Gizmodo

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...