terça-feira, 30 de abril de 2013

UMA HORA DE VÍDEO - AVIÕES ANTIGOS - SHUTTLEWORTH COLLECTION


INCIDENTE ASSUSTA PASSAGEIROS DE VOO DA GOL, QUE IA DE BRASÍLIA A SALVADOR

O voo 1866, que saiu de Brasília com destino a Salvador no fim da tarde desta terça-feira (30/4), teve problemas no momento do pouso no Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães. O pneu da aeronave, modelo 737, estourou e o avião teve que ser rebocado após o pouso.

De acordo com informações da Infraero, equipes de resgate foram acionadas e estiveram a postos em solo, mas não há relato de feridos.

Informações preliminares indicam que 174 passageiros estavam a bordo. Segundo relatos de passageiros, o avião teve um pneu estourado ao passar em cima de uma lâmpada, enquanto ainda taxiava no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que vai apurar as responsabilidades pelo incidente. A Gol, procurada pela reportagem, confirmou o incidente, mas ainda não encaminhou nota de esclarecimento.

fonte/CorreioBraziliense

VÍDEO DO ACIDENTE NO AFEGANISTÃO


NASA USA SMARTPHONES COMO SATÉLITES


No último fim de semana, a NASA lançou com sucesso no espaço três satélites que consistiam substancialmente em smartphones a bordo de um foguete. Os nanosatélites, chamados de PhoneSats, estão transmitindo sinais à estações em solo terrestre e vão ficar em órbita por mais duas semanas.

O foguete Antares foi lançado da base Wallops Island Flight Facility da NASA em Virgínia (EUA) contendo dois satélites PhoneSat 1.0, apelidados de Graham e Bell, e o novo protótipo do PhoneSat 2.0, chamado de Alexander. O que faz os satélites serem únicos é o uso de componentes comerciais customizados de smartphones. O PhoneSat 1.0 foi construído utilizando o HTC Nexus One, enquanto o PhoneSat 2.0 – que contém software mais avançado e mais sensores – é alimentado pelo Nexus S da Samsung.

Os smartphones possuem mais de 100 vezes o poder computacional do que os satélites, incluindo processadores rápidos, sensores múltiplos, câmeras de alta resolução, receptores de GPS e rádios. Essa é a principal razão pela qual eles foram escolhidos como microprocessadores para os PhoneSats, explica a Nasa. No entanto, alguns componentes que não integram os smartphones tiveram que ser acrescentados, incluindo uma bateria externa de lítio-íon maior e outra de rádio mais potente para enviar mensagens a partir do espaço.

Cada satélite em miniatura, medindo apenas quatro centímetros de cada lado e pesando menos de quatro quilos, custa US$ 3.500 para ser construído. A Nasa disse que seu objetivo com os PhoneSats é enviar satélites mais baratos e mais fáceis de construir para o espaço. Estima-se que o custo do lançamento feito no domingo é próximo a U$50.000. Como comparação, o custo típico de um satélite gira em torno de U$500 milhões.

“Os smartphones oferecem uma riqueza de recursos potenciais por serem pequenos, de baixo custo e por serem poderosos satélites para as ciências, comunicações ou outras aplicações espaciais”, afirma Michael Gazarik, administrador associado da NASA para a tecnologia espacial, em uma declaração escrita. “Eles também podem abrir espaço para toda uma nova geração de usuários comerciais, acadêmicos e cidadãos do espaço.”

Desde que o início do voo de demonstração, Alexander, Graham e Bell transmitiram sinais a partir da banda de rádio amador em 437,425 MHz. A NASA criou o Phonesat.org, um site onde qualquer pessoa no mundo pode fazer o upload de “pacotes” de dados que recebem dos PhoneSats. O site já recolheu mais de 200 pacotes de operadores de rádio amador que foram rastreados dos satélites.

A NASA tem trabalhado neste projeto desde 2010, buscando maneiras diferentes de usar smartphones para tornar os satélites mais inteligentes. O projeto faz parte Small Spacecraft Technology Program. Os PhoneSats foram criados por uma pequena equipe de engenheiros do Centro de Pesquisa Ames da NASA no Vale do Silício, na Califórnia.

O foguete Antares, que o parceiro comercial Orbital Sciences da Nasa está testando em órbita com as PhoneSats, será eventualmente usado para transportar experimentos e suprimentos para a Estação Espacial Internacional.

fonte/ITWeb
Enhanced by Zemanta

DIORAMA NOTA DEZ



EMBRAER AMARGA QUEDA DE 67% NO LUCRO LÍQUIDO NO 1o. TRIMESTRE


A Embraer registrou queda de 67% no lucro líquido do primeiro trimestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2012.


Balanço financeiro divulgado ontem à noite pela companhia mostra que o lucro da empresa no período foi de R$ 61,7 milhões ante R$ 187,6 milhões na mesma base de comparação de 2012.
A receita líquida da empresa cresceu 5,6% e saltou de R$ 2,042 bilhões para R$ 2,15 bilhões no período comparado, segundo o relatório.
A empresa informa que a receita cresceu impulsionada pela desvalorização do real frente ao dólar.
No entanto, a redução do volume de entregas de aeronaves e os custos impactaram o resultado financeiro do trimestre.
O balanço mostra que os custos de mão de obra e o mix de produtos com menor valor agregado entregues no período derrubaram a rentabilidade da empresa.


Os custos cresceram 6,8%, acima do aumento da receita, o que levou a margem bruta a uma queda de 1,2 ponto percentual na comparação anual, para 22,3%.


“O mix de produtos e as receitas de diferentes segmentos de negócio, em conjunto como díssidio coletivo no final de 2012, contribuiram para uma menor Margem Bruta no primeiro trimestre de 2013”, informa o relatório financeiro.


As despesas operacionais cresceram 25,6% e somaram R$ 400,7 milhões, levando o lucro antes de juros, impostos e depreciação e amortização (Ebtda, na sigla em inglês) a um recuo de 23,8%, para R$ 200 milhões. A margem Ebtda caiu de 12,9% no primeiro trimestre do ano passado para 9,3%.
Outro fator apontado pela companhia que impactou as finanças foi o Imposto de Renda. No primeiro trimestre deste ano, a Embraer pagou R$ 4milhões de IR.


No ano passado, a companhia registrou receita de R$ 50,1 milhões com a reversão de impostos.


Segmentos. 
O balanço mostra que a receita da aviação comercial no primeiro trimestre foi de R$ 1,272 bilhão ante R$ 1,345 bilhão em igual período do ano passado.
O segmento de Defesa & e Segurança registrou crescimento de receita no período.
Os dados mostram que o setor atingiu receita de R$ 498 milhões ante R$ 404 milhões na base de comparação do ano passado.
A Aviação Executiva atingiu receita de R$ 347 milhões no primeiro trimestre deste ano. No ano passado, o segmento faturou R$ 270 milhões no período comparado.
A empresa entregou 17 aeronaves comerciais e 12 aeronaves executivas no primeiro trimestre.
Isso representa uma redução de 4 aeronaves comerciais e 1 aeronave executiva em relação ao mesmo período do ano passado.


Empresa faz acordo para venda de 30 jatos
São José dos Campos

A Embraer anunciou ontem assinatura de um contrato com a United Airlines, dos Estados Unidos, para a venda de 30 jatos Embraer 175, com opções para mais 40 aeronaves do mesmo modelo, com potencial para um total de até 70 aviões. Se todas as opções forem exercidas, a encomenda combinada tem um valor estimado de US$ 2,9 bilhões a preços de lista.


Este é o segundo maior contrato para a venda do modelo dessa aeronave efetivada este ano. Em janeiro, a companhia anunciou a venda de 47 jatos E175 para a Republic Airways, com opção para 47 unidades, em contrato que pode chegar a US$ 4 bilhões, se todas as opções foram exercidas pela aérea norte-americana.


Os E175 para a United Airlines serão operados sob a marca United Express. Os aviões serão configurados com 76 assentos e a primeira entrega está prevista para o primeiro trimestre de 2014. “Estamos muito satisfeitos com este pedido, pois reforça e amplia a nossa parceria com a United Airlines, então como Continental Airlines”, disse em Paulo Cesar Silva, presidente da Embraer Aviação Comercial.


BALANÇO FINANCEIRO
Queda
Embraer registrou recuou de 67% no lucro líquido no primeiro trimestre deste ano no comparativo com o mesmo período do ano passado

Receita
1° trimestre de 2012:
R$ 2,042 bilhões
1° trimestre de 2013:
R$ 2,156 bilhões
Alta: 5,6%

Lucro

1° trimestre de 2012
R$ 187,6 milhões
1° trimestre de 2013:
R$ 61,7 milhões
Queda: 67%

Pedidos firmes
A carteira de pedidos firmes atingiu US$ 13,3 bilhões

Aviação comercial

O faturamento da aviação comercial no primeiro trimestre deste ano foi de R$ 1,272 bilhão ante R$ 1,345 bilhão no mesmo período de 2012

Defesa & Segurança
O segmento registrou faturamento de R$ 498 milhões no período com crescimento em relação ao ano passado. No primeiro trimestre do ano passado, a receita foi de R$ 404 milhões

Aviação executiva

O segmento obteve receita de R$ 347,8 milhões no primeiro trimestre deste ano contra
R$ 270,1 milhões no comparativo com o ano anterior

Entregas

A empresa entregou 17 aeronaves comerciais e 12 executivas no trimestre, uma redução de 4 aeronaves comerciais e 1 executiva em relação ao mesmo período de 2012

Impacto
Despesas aumentaram 25,6% 

fonte/OVale

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...