terça-feira, 18 de novembro de 2008

EMBRAER IPANEMA BIOCOMBUSTÍVEL MOSTRADO NA EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL SOBRE BIOCOMBUSTÍVEL EM SÃO PAULO

A Embraer mostrará a aeronave Ipanema movida a álcool na Exposição Internacional sobre Biocombustíveis, que acontece no Hotel Hyatt, em São Paulo, entre os dias 17 e 21 de novembro. Paralelamente ao evento, ocorrerá a primeira Conferência Internacional sobre Biocombustíveis, cujo tema será "Os biocombustíveis como vetor do desenvolvimento sustentável"."A Embraer acredita que o crescimento da indústria da aviação passará pela utilização dos biocombustíveis sustentáveis, a médio-longo prazo", disse Satoshi Yokota, Vice-Presidente Executivo de Planejamento Estratégico e Desenvolvimento Tecnológico da Embraer. "É por isso que a Empresa investe em pesquisa e desenvolvimento de produtos ambientalmente eficientes, incluindo os biocombustíveis. O Ipanema é uma prova disso, sendo o primeiro avião no mundo produzido em série certificado para voar com álcool."Com o objetivo de contribuir para a discussão internacional sobre os desafios e oportunidades apresentados pelos biocombustíveis, o evento contará com a participação de representantes de governos, entidades internacionais, parlamentares, comunidade científica e acadêmica, iniciativa privada, sociedade civil e Organizações Não-Governamentais (ONG), entre outros.Líder no mercado de aviação agrícola no Brasil, com cerca de 75% de participação, o Ipanema é fabricado pela Embraer e comercializado pela Neiva, subsidiária integral da Embraer localizada no município de Botucatu, no interior do Estado de São Paulo. Em 35 anos de produção ininterrupta, mais de mil unidades foram entregues.O Ipanema é utilizado na aplicação e pulverização de defensivos agrícolas, e também pode ser usado no combate a incêndios, reboque de planadores, entre outras aplicações. Originalmente movido à gasolina, o Ipanema é a primeira aeronave do mundo fabricada em série certificada para voar com álcool combustível. Desde 2005, foram entregues 54 aeronaves a álcool e 170 kits de conversão, totalizando uma frota de 224 aviões voando no Brasil com este tipo de combustível, que é de duas a três vezes mais barato que a gasolina de aviação. O álcool combustível melhora o desempenho geral do avião e reduz os custos de operação e manutenção, além de apresentar impacto consideravelmente menor sobre o meio ambiente.Esse projeto é uma das práticas implementadas pela Embraer nos últimos anos para mitigar a emissão de gases que causam o efeito estufa e outros problemas ambientais. Nesse sentido, a Embraer foi a primeira empresa do setor aeronáutico no mundo a conquistar a certificação internacional ISO 14001, que é um atestado das corretas práticas ambientais.Perfil - A Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. - NYSE: ERJ; Bovespa: EMBR3) é uma Empresa líder na fabricação de jatos comerciais de até 110 assentos que tem 36 anos de experiência em projeto, desenvolvimento, fabricação, venda e suporte pós-vendas de aeronaves destinadas aos mercados globais de aviação Comercial, Executiva, e de Defesa e Governo. Sediada em São José dos Campos, no Estado de São Paulo, a Embraer mantém escritórios e bases de serviços ao cliente nos Estados Unidos, França, Portugal, China e Cingapura. A Embraer está entre os principais exportadores brasileiros. Em 31 de março de 2006, a Embraer contava com 17.144 empregados e sua carteira de pedidos firmes totalizava US$ 21,6 bilhões.
Fonte: Revista Fator

ACIDENTE HELICÓPTERO DA FAB

Os restos mortais dos três tripulantes do helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), que caiu no Município de Icapuí (a 202Km de Fortaleza), na tarde de sexta-feira, já estão no Instituto Médico Legal da Capital e serão submetidos a exames periciais, incluindo o de DNA para a comprovação oficial das identidades. Durante a madrugada, oficiais da Aeronáutica solicitaram da Polícia Civil a expedição de guias cadavéricas e identificaram os mortos.Conforme o chefe da Unidade Policial de Icapuí, inspetor Raimundo Moreira da Silva, os mortos no acidente aeronáutico foram: Leonardo Lourenço Barbosa, 25 (tenente); Lamberto Morais Ferreira, 46 (suboficial) e Ulisses Nogueira Rego, 26 (tenente). Eles pertenciam ao Esquadrão Falcão, sediado na Base Aérea de Belém (PA), e participavam dos exercícios de guerra simulada - a ´Operação Cruzeiro do Sul IV´ - no Ceará e Rio Grande do Norte.Os restos mortais dos três tripulantes - que morreram carbonizados - foram recolhidos no local do desastre, na comunidade de Berimbau, por volta de uma hora da madrugada de sábado. A princípio, seriam levados para o Núcleo de Ciências Forenses de Quixeramobim, mas, pela necessidades de exames mais apurados, o Comando da Base Aérea de Fortaleza solicitou que os restos mortais fossem encaminhados ao Instituto Médico Legal da Capital. Peritos da Aeronáutica acompanham o trabalho de necropsia realizado pelos médicos legistas do IML.FeridosDos três tripulantes que sobreviveram ao desastre com o helicóptero, somente um permanece no Instituto Doutor José Frota. Um deles, o oficial Fábio Marinho Freire, teve ferimentos leves e está sendo acompanhado pela equipe médica da própria Base Aérea. O sargento Ernesto Francisco Barreta Júnior, 38, sofreu queimaduras e deu entrada no IJF com suspeita de trauma na bacia. Outro ferido grave, o sargento André Luiz Barbosa, 38, foi transferido para um hospital particular da Capital.Ontem, dois helicópteros da FAB pousaram na cidade de Icapuí com oficiais da Aeronáutica. São peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que serão os responsáveis pela apuração das causas do acidente.Durante toda a madrugada, o local onde o helicóptero caiu permaneceu isolado por soldados da Base Aérea de Fortaleza. Pela manhã, os peritos fizeram medições, fotografaram e filmaram a cena do desastre e recolheram todas as peças que sobraram da aeronave. Apenas um pedaço da cauda estava intacto. A fuselagem ficou completamente destruída por conta do incêndio que atingiu a aeronave, causando a morte de três dos seis ocupantes.
Fonte: Diário do Nordeste

ACIDENTE AÉREO NO CANADÁ

Sete pessoas morreram e uma sobreviveu na queda de um avião em uma ilha da costa oeste do Canadá, informaram as autoridades locais nesta segunda-feira (17). A aeronave Grumman Goose transportava oito passageiros quando caiu em Thormanby, pequenha ilha 50 km ao noroeste de Vancouver, segundo o major Mitch Leenders, do centro de coordenação de resgates. Leenders informou que o sobrevivente caminhou quase dois quilômetros do local do acidente até a costa da ilha, onde foi encontrado por um barco da Guarda Costeira. A imprensa revelou que a aeronave era um avião comercial da companhia Pacific Coastal que transportava funcionários de um projeto hidrelétrico em uma costa remota da província canadense de Columbia Britânica.
Fonte: France Presse

AZUL ENCOMENDA EMBRAER 190

A Azul alterou sua encomenda à Embraer para ter mais aviões adequados à operação no Santos Dumont, aeroporto carioca que tem duas das pistas mais curtas do mundo. A companhia aérea novata, que inicialmente compraria apenas jatos do modelo 195, incluiu no seu pedido aviões do modelo 190, ligeiramente menores.Se fosse hoje, a empresa não poderia operar no Santos Dumont porque o aeroporto está restrito para vôos a Congonhas, em São Paulo, e uso de avião turboélice. A limitação foi criada para estimular o uso do Galeão, mas não tem fundamentos técnicos. A Azul, que fará seu primeiro vôo comercial em 15 de dezembro, conta com a abertura do aeroporto em breve, uma vez que a própria Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é contra as atuais limitações. Nesta semana, a Anac abre uma consulta pública sobre o assunto." A possibilidade de usar o 190 só surgiu depois que o Santos Dumont entrou na equação " , diz Adalberto Febeliano, diretor de relações institucionais da empresa. Segundo ele, a Azul não planejava voar no aeroporto carioca quando foi criada, em março. A perspectiva só mudou em meados deste ano quando o governo acenou com a possibilidade de abrir completamente o local.Com plano de servir 22 cidades a partir do aeroporto central do Rio de Janeiro, a Azul fez os cálculos e concluiu que teria limitações para usar o Embraer 195. Como as pistas do Santos Dumont são curtas - a maior mede 1.323 metros, contra 3.180 metros da menor pista do Galeão, por exemplo -, há restrição técnica quanto ao peso dos aviões. Para adequar o 195, a Azul teria que voar com parte das 118 poltronas vazias ou fazer apenas vôos curtos, em que os jatos podem decolar com menos combustível e, portanto, mais leves.Já com o modelo 190, que transportará até 106 passageiros, a Azul poderá vender todos os assentos e também partir do Rio para destinos mais longínquos, como algumas capitais nordestinas. A possibilidade de fazer vôos mais longos pode ser uma vantagem competitiva, à medida que empresas como TAM e Gol, cujos aviões levam mais de 140 pessoas, teriam dificuldades de fazer os mesmos trajetos devido ao peso dos jatos.Até o fim de 2009, a Azul terá dez aviões 190 e mais seis jatos 195, num total de 16. A Azul já tem dois aviões 190 que alugou da americana JetBlue e receberá sete aeronaves novas até janeiro, sendo cinco 195 e dois 190. " Não deu tempo de converter esses 195 em 190 porque já estavam sendo fabricados " , diz Miguel Dau, vice-presidente de operações da Azul. A aérea tem 40 pedidos firmes e mais 36 opções com a Embraer.Por ter localização privilegiada na capital carioca, o Santos Dumont é tão atraente quanto Congonhas. Segundo Alexandre Gomes de Barros, diretor da Anac, a agência também vai levar à consulta pública uma regra para distribuir novos horários de vôo no aeroporto. Com a perspectiva de sua abertura completa, TAM e Gol já pediram mais espaço e empresas como a WebJet, cuja sede é no Rio, também têm interesse em crescer no local.
Fonte: Roberta Campassi (Valor Econômico)

American Airlines - Tripulação acusada de praticar agressão e ofensas de cunho racista.

Na viagem de volta dos Estados Unidos, o sambista Dudu Nobre e sua mulher, Adriana Bombom, aterrissaram na delegacia da Polícia Federal, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro.O casal desembarcou na noite de segunda-feira (17) fazendo queixa de agressão e racismo, sofridos, supostamente, num vôo da American Airlines.Segundo Adriana, um comissário teria chamado seu marido de macaco no desembarque; e ainda, numa discussão, o tripulante teria cravado uma caneta no ombro de Júnior, produtor de Dudu Nobre.A assessoria da American Ailines informou que só tomou conhecimento do incidente na manhã desta terça-feira (18). A empresa está averiguando o que ocorreu no vôo 951 entre a tripulação e os passageiros.Rainha de bateria da Portela, Adriana contou que desde o início da vôo, que partiu de Nova York, ela teria sido alvo do preconceito da tripulação.A comissária da primeira classe teria debochado que teve dificuldades para abrir a porta do banheiro do avião.“Desde o início eles estavam de implicância. Durante todo o vôo, essa mulher me perturbou. Mas não quis fazer alarde para não criar confusão. Fui levando. Quando o avião pousou em São Paulo, demoramos um pouco a descer, porque eu estava calçando o sapato das crianças. Aí, a mulher me chamou de estúpida, em inglês. Dudu ouviu e resolveu comprar minha briga”, contou a passista.Segundo Adriana, houve discussão e um comissário, que ela identificou como sendo um chileno chamado Carlos, começou a imitar macaco e a xingar Dudu Nobre.“Houve briga, mas o Dudu evitou bater no cara para não perder a razão. Eles ficaram discutindo e aí surgiu o piloto e co-piloto. Nessa confusão toda, o tal comissário pegou uma caneta e enfiou no braço do Júnior. Ele queria acertar o pescoço do Júnior, mas não conseguiu”, disse Adriana, contando que, para não perder o vôo de conexão para o Rio, decidiram registrar o caso no aeroporto Tom Jobim.Comissário teria agredido produtor Júnior, que teve a camisa rasgada e o ombro machucado, foi encaminhado para fazer exame de corpo de delito. Adriana disse que, segundo ouviu de brasileiros que trabalham na American Airline, o comissário envolvido no caso já teria sido demitido depois de reclamações de passageiros.“Não dá para dizer que não vou mais viajar pela American. A companhia não tem culpa. Mas deveria dar uma formação melhor para os funcionários, principalmente para quem tem de lidar com o público. Nunca passei por isso na minha vida. Fiquei muito triste. A gente sai do país da gente, gasta no país deles e ainda é esculachado desse jeito. Isso é um absurdo”, reclamou Bombom.O casal passou duas semanas nos Estados Unidos. Dudu Nobre fez apresentações em Miami e Nova York, enquanto Bombom passeou com as filhas na Disney.
Fonte: G1

INFRAERO - Protesto de funcionários contra privatização.

Cerca de 40 funcionários da Infraero fizeram um protesto, na manhã desta terça-feira (18), no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, subúrbio do Rio.A manifestação é contra a privatização do aeroporto e a possível demissão de 600 funcionários, o que representa 50% do efetivo que trabalha no Galeão.Com faixas e cartazes, eles criticaram o governador Sérgio Cabral, que defende o projeto.Os funcionários acreditam que, com a privatização, alguns serviços como o uso de carrinhos de bagagem e a limpeza do local passem a ser cobrados aos passageiros. No dia 26 de setembro, a Infraero já tinha protestado contra a privatização.
Fonte: G1/GloboNews

BOEING 747-8 SOFRE ATRASO

A Boeing vai atrasar as entregas da nova versão do seu jumbo 747. A companhia alega que os motivos do atraso são limitações de recursos de engenharia e também a recente greve de operários, que durou 58 dias.
A Japan Airlines Cargo e a Cargolux Airlines, de Luxemburgo, que receberiam o novo 747-8 nos últimos meses de 2009, tiveram as entregas adiadas para o segundo trimestre de 2010. As encomendas das aeronaves foram feitas em 2005.
A Lufthansa, que encomendou a versão para passageiros do 747-8, chamada de Intercontinental, com capacidade para 467 passageiros, receberá somente no segundo trimestre de 2011.
Fonte: Agência Reuters

Quem ganhou a CRUZEX IV?

A quarta edição da Operação Cruzeiro do Sul (CRUZEX IV) chega ao fim, após 14 dias de trabalho árduo e mais de 650 missões realizadas. Todas estas missões ocorreram em intensa atividade de treinamento de combate para pilotos e planejadores e, o mais importante: sem a ocorrência de nenhum acidente aéreo.
Na guerra simulada, a Força de Coalizão atingiu todos os objetivos militares previstos, o que propiciaria a expulsão das Forças invasoras do país Vermelho e a restauração da liberdade e da ordem no país Amarelo.
No treinamento real, a Força Aérea Brasileira (FAB) ganhou de diversas formas. Primeiro, por treinar nossos pilotos a combater numa Força de Coalizão. E, fundamentalmente, por permitir aos nossos militares aperfeiçoar a qualidade de planejamento de emprego do poder aéreo.
Apesar dos números superlativos, a avaliação positiva da Operação CRUZEX IV não pode ser aferida apenas pela frieza do cálculo, uma vez que os ensinamentos provenientes do convívio amigável e da troca de experiência entre os 2,4 mil participantes do exercício, vindos de diversas nações diferentes, é imensurável.
Por todo o profissionalismo dos militares e pela demonstração pública de reconhecimento da população nordestina, esta Operação CRUZEX foi um sucesso e destaca a Força Aérea Brasileira no cenário continental.
A vitória final da Operação Cruzeiro do Sul é da população brasileira que teve, por meio deste exercício, a inequívoca percepção de possuír uma instituição que tem por objetivo buscar o constante aperfeiçoamento na missão de proteger o Espaço Aéreo Brasileiro.
Que venha a CRUZEX V!
Fonte: CECOMSAER

Mulheres em combate na CRUZEX IV

Mulher, do latin Muliere: Pessoa do sexo feminino; esposa; senhora; mãe. Pensando bem, essa é uma definição generalizada daquele que ficou popularizado como “sexo frágil”, mas não é bem assim. Na CRUZEX IV, as mulheres estão em combate lado a lado com os homens. E mais, prontas para a guerra como nunca.
Há 25 anos as mulheres conquistam um espaço significativo na Força Aérea Brasileira. Enfermeiras, médicas, jornalistas e, mais recentemente, aviadoras. Daniele Lins, de 23 anos, entrou para a aviação na primeira turma feminina da Academia da Força Aérea, a AFA, em Pirassununga. “ Como não existia mulheres como piloto na Força Aérea, nem tive condições de sonhar em ser aviadora. Apareceu a oportunidade de entrar para o curso e eu fui, sem muitas expectativas, mas hoje sou realizada”, diz Daniele, piloto do Esquadrão Flecha.
Outra pioneira na aviação feminina foi Maria Eugênia Etcheverry, piloto da Força Aérea Uruguaia, que está participando da operação pela segunda vez. Envolvida pela idéia de entrar na aviação, ela teve que passar por diversas dificuldades para conquistar espaço nesse universo tão masculino. “No começo houve um pouco de estranhamento por parte dos homens, principalmente porque a mídia deu muito destaque ao fato de sermos pioneiras aviadoras. Mas depois do convívio profissional tudo mudou”, ressalta ela.
Aviadoras, jornalistas, enfermeiras e até mecânicas. Ao caminhar pela Base Aérea não é tão difícil encontrá-las trabalhando. Em um ambiente que até bem pouco tempo era predominantemente masculino, já se pode ver mulheres prontas para a guerra.
Fonte: Laila Lopes/UFRN/CECOMSAER

CRUZEX IV - Jogos de Guerra no Nordeste

Quanto mais próximo de uma situação real de conflito tanto melhor será o exercício militar. E a CRUZEX tem esse mérito. É a copia fiel do que aconteceria num conflito real, de média intensidade. O País Vermelho invadiu o País Amarelo e a coalizão liderada pelo País Azul vai entrar em ação para restaurar a paz.
A CRUZEX IV é um Exercício Aéreo, de dupla-ação, ou seja, existem Forças de Coalizão e uma Força Oponente Real. A operação coordenada pela Força Aérea Brasileira conta com 2500 militares e aeronaves das Forças Aéreas da França, Argentina, Chile, Venezuela e Uruguai. Estas máquinas vão esquentar o céu do Nordeste no período de 1º a 14 de Novembro de 2008. O Teatro de Operações ou área de operação abrange os Estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco.Tensão crescente entre países vizinhos. A diplomacia falha, e a escalada de violência culmina com uma invasão de território. Uma Grande Força de Coalizão é criada, com o respaldo do Conselho de Segurança da ONU, para expulsar o país invasor e restabelecer a integridade territorial da nação agredida. Este enredo é o pano de fundo da quarta edição da Operação Cruzeiro do Sul (CRUZEX IV).
Fonte: CECOMSAER

PASSAREDO alugará jatos da EMBRAER

A Passaredo, companhia aérea regional de Ribeirão Preto (SP), começará a usar o jato mais vendido na história da Embraer e que há anos não voa comercialmente em céus brasileiros: o ERJ 145, para 50 passageiros. Otimista com a demanda, apesar da desaceleração do crescimento econômico prevista, a empresa receberá cinco desses aviões em 2009 e mais do que dobrará sua capacidade.
A Passaredo vai alugar parte dos jatos ERJ 145, que têm de cinco a sete anos de uso, da própria Embraer. Ao todo, vai gastar US$ 75 milhões com os aviões nos próximos quatro anos, diz José Luiz Felício Filho, presidente da empresa. As aeronaves serão entregues a partir do segundo trimestre de 2009. Hoje, a Passaredo opera seis aviões turboélice do modelo Embraer 120 (o Brasília), com trinta assentos cada um. Com os ERJ 145, serão 11 aviões e mais do que o dobro da oferta de assentos.
Fonte : Valor Econômico.

AZUL troca o Rio por Campinas

RIO - A Azul Linhas Aéreas trocou o Rio por Campinas (SP) para iniciar suas operações, a partir de 15 de dezembro. A empresa voará do aeroporto local para cidades como Goiânia, Londrina, Aracaju e Recife, com a promessa de tarifas até 35% menores do que as da concorrência e vôos ponto a ponto (sem conexões). Nenhum vôo saindo de Campinas pousará no Rio.
O presidente da Azul, Pedro Janot, disse que todas as explicações técnicas sobre a necessidade de iniciar vôos partindo do Santos Dumont foram detalhadas ao governo do Estado, que ofereceu o Galeão como alternativa, durante cinco meses de conversações. Mas não houve avanço.
- Voar do Galeão não nos traz competitividade hoje. Os planos para o Galeão serão em 2013. Não iremos para lá antes de estarmos no Santos Dumont. Se o Santos Dumont for aberto, faremos uma base lá.
Fonte: O Globo

ESCUTA AÉREA

Para quem gosta de ouvir a fonia entre os órgãos de Controle de Tráfego Aéreo e as aeronaves em vôo ao vivo, com a visualização da tela do radar.
Visite o site www.maquinasvoadoras.com.br

FAB anuncia lista dos finalistas do programa F-X2

No dia 2 de outubro o Comando da Aeronáutica anunciou os finalistas do programa F-X2 (caça de nova geração que irá equipar a Força Aérea Brasileira), os 36 jatos do primeiro lote serão escolhidos entre os Boeing F/A-18E/F Super Hornet, o francês Dassault Rafaele e o sueco Saab Gripen NG. Em 2009 será divulgado o vencedor do F-X2.

CELULARES autorizado o uso em aviões na União Européia

União Européia aprova o uso de celulares em aeronaves comerciais que sobrevoam os países da comunidade, diversas cias. já estão testando os equipamentos que possibilitam essas ligações sem afetar a segurança do vôo.

LIVRO "Boeing versus Airbus"

Livro do jornalista e consultor político John Newhouse descreve a batalha comercial entre os dois maiores fabricantes de aeeronaves do mundo. Publicado pela Editora Novo Século, com 288 páginas, tradução de Ana Maria Mandim.
Visite o site www.novoseculo.com.br.

VOE UM MUSTANG P-51 POR US$ 4.500,00 A HORA

A aeronave de dois lugares está disponível no aeroporto de Kissimmee, Orlando, Flórida, o preço não é dos mais baratos, mas vale cada centavo para os fãs de aventura aérea. Visite o site www.stallion51.com.

COPA Airlines

Companhia panamenha recebe mais um jato E190, somando 13 aeronaves do tipo na frota.

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...