quinta-feira, 20 de novembro de 2014

PRESIDENTE DA QATAR AIRWAYS "DISPARA" CONTRA COMPANHIAS EUROPÉIAS E SINDICATOS





As companhias aéreas da Europa, que se queixam  da concorrência das transportadoras do Golfo, são "ineficazes", afirmou  hoje, dia 19 de Novembro, o presidente da Qatar Airways, insurgindo-se contra a política protecionista  da União Europeia.
As companhias europeias "não param de gritar contra as três companhias  do Golfo", declarou Akhbar al-Baker em alusão à sua empresa, à Emirates  e à Ethiad, que estão em pleno crescimento.
"Há mercado suficiente (...) e elas são ineficazes", criticou.
Akhbar al-Baker, que falava num fórum sobre transporte aéreo, no Dubai,  considerou que os sindicatos estão na origem das dificuldades nas companhias  europeias numa altura em que as transportadoras do Golfo conseguem apropriar-se  de parte importante do mercado de voos intercontinentais entre países ocidentais,  a Ásia e a Austrália.
"Os sindicatos devem ser responsabilizados", afirmou.
A Air France-KLM e a Lufthansa registaram greves em Setembro e Outubro  que afectaram gravemente os passageiros e causaram prejuízos de milhões de  euros.
O presidente da Qatar Airways acusou ainda a União Europeia de ser bem  pior do que os Estados Unidos quando se trata de proteger as companhias  europeias.
"Temos problemas com a França, Alemanha e Holanda", declarou, apontando  em particular os dois primeiros países.
Transportadoras europeias como a Air-France-KLM e a Lufthansa têm criticado  e acusado as companhias do Golfo de serem subvencionadas pelos Estados.
fonte/NewsAvia

SAAB INVESTE US$ 9 BI NA PRODUÇÃO DO GRIPEN NG

 Na fábrica. Técnicos da Saab, fabricante do Gripen, trabalham na estrutura do avião na fábrica da empresa em Linköping, no sul da Suécia. Parceria de produção do novo modelo, o New Generation, que será feita com o Brasil, criou um clima de otimismo entre os suecos, que aguardam a chegada de engenheiros brasileiros

A empresa sueca Saab vai investir US$ 9 bilhões nos próximos 30 anos no desenvolvimento do caça supersônico Gripen NG (New Generation), ou Gripen E, como é conhecido na Suécia.
O alto investimento será aplicado no desenvolvimento do novo modelo, produção, operação, manutenção e treinamento de pilotos, segundo informou o CEO e presidente da Saab, Häkan Buskle, em entrevista em Estocolmo.

Queridinho dos especialistas e técnicos ligados à aviação de caça, o Gripen é o avião escolhido pela FAB (Força Aérea Brasileira) para substituir os F-5. O Brasil assinou contrato para comprar 36 Gripen NG, que serão feitos pela Saab e Embraer, com transferência de tecnologia. O valor do contrato é US$ 5,4 bilhões. 

O Gripen também era o preferido da Aeronáutica quando a Presidência da República ai nda não tinha se definido por ele, entre os concorrentes F-18 (Boeing, EUA) e Rafale (Dassault, França). Hoje o modelo também é apontado como o sendo de melhor custo de aquisição, operação e suporte.

Vantagem. Para o Brasil, a vantagem é que o avião escolhido é um modelo em desenvolvimento de caças já existentes --Gripen C e Gripen D. Isso dará ao Brasil, autonomia para produção de caças de última geração, por meio da parceria.
Segundo a Saab, a Embraer tem total condição de absorver e desenvolver excelência em tecnologia para ser fabricante da nova aeronave. O Gripen NG é considerado o mais moderno caça multimissão do mundo, com 10 anos de tecnologia à frente dos rivais.
Segundo a Saab, o custo por hora de vôo do Gripen é o menor entre os concorrentes. "Nossos engenheiros tiveram que maximizar o desempenho sem modificar custos", disse Ulf Nilsson, chefe do Gripen na Área Aeronáutica.
Outra vantagem apontada pela Saab para o Gripen NG é a capacidade de encontrar e explorar informações. Sensores avançados fazem a comunicação e detecção de todos os alvos e fornecem dados de rastreamento para os pilotos.


Compra prevê 36 unidades do caça
O contrato assinado entre o Brasil e a Suécia prevê a compra de 36 aviões Gripen NG, 28 de um lugar e 8 de dois lugares (biposto), que podem ser produzidos no Brasil. A Embraer é a principal parceira do programa e assumirá a liderança no processo de transferência de tecnologia. Contrato dessa etapa está previsto para ser assinado em março de 2015.

fonte/foto/OVale

TRANSAERO ADMITE COMANDATES ESTRANGEIROS PARA A FROTA BOEING

Transaero B747 aterrando 800dpi

A companhia aérea russa Transaero abriu candidaturas para os lugares de comandantes para aviões Boeing – B737, B767, B777 e B747 – aos quais podem concorrer estrangeiros não residentes nos países da Federação Russa, desde que estejam habilitados com as necessárias licenças internacionais, e entendam e falem bem o Inglês (nível 4 de proficiência operacional em inglês). É condição fundamental que tenham 3.000 horas de voo em aeronaves comerciais, 500 das quais aos comandos de um dos quatro modelos atrás referidos.

A Transaero é hoje a maior companhia aérea de aviação na Rússia, tendo a melhor taxa de ocupação (84,8%) entre as cinco principais do país. É a única empresa aérea que opera com os Boeing 747-400 no longo curso. Tem a maior frota de aparelhos comerciais de dois corredores de entre as companhias concorrentes, quer na Comunidade de Estados Independentes que agrega 11 repúblicas que antes estavam integradas na ex-União Soviética, quer da Europa de Leste. Entre os 103 aviões da sua frota contam-se 20 B747-400, 14 B777 e 18 B767.

A companhia tem se destacado pela sua rápida evolução, para padrões de equipamento ocidental, com uma gestão moderna e uma estrutura operacional montada à semelhança das companhias ocidentais.

A Transaero promete no anúncio de abertura das candidaturas um alto salário aos seus novos comandantes, 70 dias de férias, plano de saúde e seguros pagos, assim como viagens ilimitadas nas rotas para onde voa a companhia (215 destinos até meados do próximo ano).

fonte/foto/NewsAvia

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...