quinta-feira, 23 de outubro de 2014

QUATRO FUNCIONÁRIOS DO AEROPORTO DE VNUKOVO/MOSCOVO FORAM DETIDOS


As autoridades russas estão cumprindo o que prometeram quando anunciaram uma investigação rigorosíssima ao acidente que provocou a morte do presidente do Conselho de Administração e director-geral executivo da petrolífera francesa Total, Christophe de Margerie, ocorrido na madrugada da passada terça-feira no Aeroporto de Vnokovo, em Moscovo.

Na ocasião um porta-voz governamental chegou a ameaçar todos quantos se interpusessem ao andamento do inquérito com prisão, pois o Governo de Vladimir Putin está disposto a ir até às últimas consequências no apuramento das causas do desastre e da eventual negligência de funcionários aeroportuários no acidente.

A notícia desta manhã das agências noticiosas dá conta que quatro funcionários já foram interrogados e colocados sob custódia, o que significa que se encontram detidos à ordem dos instrutores do processo em curso.

O chefe dos limpa-neves das pistas, o responsável pelo controlo dos voos, o controlador do tráfego aéreo (que era um estagiário) que controlava a decolagem do avião Falcon 50 da Total e o superior que o supervisionava foram interrogados e colocados sob custódia no âmbito do inquérito, informou a comissão de investigação russa em comunicado distribuído na manhã de hoje, dia 23 de Outubro, em Moscovo.

O acidente em que morreu o presidente da Total provocou a morte de quatro pessoas, incluindo os três membros da tripulação. A aeronave colidiu com a asa esquerda numa máquina limpa-neves que estava na pista no momento em que rolava para a decolagem, com destino a Paris. A colisão verificou-se pelas 23h57 da segunda-feira, dia 20 de Outubro, segundo um relatório oficial preliminar. Na imprensa internacional é dado como adquirido que o acidente verificou-se pela meia-noite, já aos primeiros minutos de terça-feira.

fonte/NewsAvia

23 DE OUTUBRO - DIA DO AVIADOR


ARGENTINA QUER COMPRAR 24 CAÇAS PRODUZIDOS NO BRASIL


A Argentina anunciou anteontem que tem interesse em comprar 24 caças suecos Gripen NG que forem produzidos no Brasil.

A informação foi divulgada pelo Ministério da Defesa após a assinatura de um acordo de cooperação bilateral entre Brasil e Argentina, que garantirá base jurídica e política para a ampliação de projetos conjuntos no setor aeronáutico.

O ministro da Defesa da Argentina, Agustin Rossi, anunciou a decisão do governo argentino de iniciar as negociações para aquisição de 24 caças suecos Gripen NG que serão produzidos no Brasil. As condições da compra, assim como a eventual participação argentina na produção desses aviões, serão objeto de tratativas, nos próximos meses, entre representantes dos dois países.

Caças. 
 O Brasil deve assinar em dezembro o contrato com a sueca Saab para a compra de 36 caças Gripen NG para a frota da FAB (Força Aérea Brasileira).

O contrato do Brasil com a Saab é no valor de US$ 4,5 bilhões e envolve a transferência de tecnologia do caça para o país, bem como a produção da aeronave no Brasil.

De acordo com o Ministério da Defesa, o ministro Celso Amorim afirmou que o Brasil estudará “com empenho” a possibilidade de participação argentina no projeto do Gripen NG. Em sua avaliação, há um extenso campo a ser explorado na cooperação em defesa entre os dois países.

O acordo bilateral foi assinado anteontem, na unidade da Embraer Defesa & e Segurança, em Gavião Peixoto, após a apresentação oficial ( rollout) do jato de transporte militar KC-390, o maio avião projetado no Brasil, pela Embraer, sob encomenda da FAB.

O ministro Celso Amorim comemorou a assinatura do acordo com a Argentina, classificando-a como simbólica e “duplamente estratégica” por juntar os setores de defesa e aeroespacial.

Cargueiro. “Nossa disposição de cooperar com a Argentina, país vizinho e amigo, é total”, disse durante o evento.

A Argentina é um dos países parceiros do programa do KC-390. O ministro Rossi declarou que a Argentina deve comprar ao menos seis unidades do novo avião, mas ainda não há prazo definido para isso.

A assessoria do Ministério da Defesa do Brasil informou que, em pronunciamento realizado durante a assinatura do acordo, o ministro da Defesa argentino ressaltou a importância da participação da indústria de seu país na fabricação do cargueiro da Embraer.

Segundo ele, os investimentos feitos para a produção de peças do KC-390 na Fábrica Argentina de Aviões (FAdeA), em Córdoba, foram fundamentais para revitalizar a indústria aeronáutica de seu país.
Os dois países também poderão desenvolver projetos no setor naval.



Funcionários da Embraer retomam as atividades
São José dos Campos

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos informou que trabalhadores da Embraer realizaram ontem um novo protesto na sede da empresa com um atraso de três horas na produção da matriz da fábrica, em São José dos Campos.
Anteontem, os metalúrgicos da indústria cruzaram os braços por 24 horas. O sindicato reivindica ao menos reajuste salarial de 10%. A empresa ofereceu 6,6%.
Segundo a entidade, os metalúrgicos da produção, que iniciam o expediente às 6h, entraram às 9h.
Já os funcionários administrativos entrariam às 7h, mas também entraram às 9h.
Em nota, a Embraer informou ontem que a negociação salarial da data-base 2014 com o sindicato segue a cargo da Fiesp (que representa legalmente as empresas do seu setor na região).
“Embora não tenha ainda se chegado a acordo entre as partes, a empresa aplicou reajuste de 5,30% nos salários de seus empregados a partir de setembro como uma antecipação por conta da data-base”.


Legacy 500 recebe aval americano
A Embraer divulgou ontem que o jato executivo Legacy 500 recebeu a certificação da FAA (Federal Aviation Administration), autoridade aeronáutica dos Estados Unidos. Esta autorização permite o inicio das operações da aeronave naquele país ou em outros lugares que requerem essa homologação específica, informou a empresa.

fonte/OVale

AVIÃO DA TUIFLY POUSANDO COM VENTO FORTE NA ILHA DA MADEIRA


AVIÃO DO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL FAZ POUSO DE BARRIGA

Avião do Governo do Estado realizou pouso de emergência no final da manhã de hoje (22) no Aeroporto Internacional de Campo Grande. O compartimento do trem de pouso da aeronave não abriu, com isso aterrissagem foi de “barriga”.

De acordo com informações do hangar do Governo do Estado, o avião bimotor Baron 56 teve uma pane mecânica no trem de pouso e precisou realizar a aterrissagem de emergência na pista principal do aeroporto.

Não foi divulgado o número de passageiros do avião, porém o hangar afirmou que ninguém ficou ferido e todos já foram retirados da aeronave, mas acompanham o processo de perícia. A pista auxiliar, neste caso, é utilizada para pousos e decolagens.

Equipes do aeroporto e da Infraero estão avaliando os motivos da pane mecânica e tão logo irão retirar o avião da pista, uma vez que a partir das 12h45 seis pousos estão programados, sendo o primeiro deles de grande porte.

De acordo com a Infraero, a previsão é de que a pista seja liberada até às 13h. Os próximos pousos previstos incluem uma aeronave TAM, às 12h30, proveniente de Brasília (DF) e outra da Azul às 12h45 proveniente do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP).

fonte/CampoGrande News

AIR FRANCE GO AROUNDS


MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...