quarta-feira, 31 de agosto de 2011

EUA TENTAM CONTROLAR ESCOLAS DE VOO PARA EVITAR TREINAR NOVOS TERRORISTAS


Patrick Murphy, diretor de uma escola de aviação dos EUA (Foto: AP) 
Patrick Murphy, diretor de uma escola de aviação
dos EUA (Foto: AP)
 
Dez anos após os ataques de 11 de Setembro, um sistema de triagem do governo tornou mais difícil para estudantes estrangeiros se matricularem em escolas de aviação civil do país, como um grupo de terroristas fez nos atentados. Os controles mais rigorosos, entretanto, não se aplicam a todos os alunos e instrutores. Escolas e formadores ainda têm de ser especialmente alerta para evitar possíveis terroristas.

"Antes do 11 de Setembro, eu não teria pendurado o número de telefone e o nome do agente local do FBI na minha parede. Hoje eu tenho", disse Patrick Murphy, diretor do treinamento na Sunrise Aviation, em Ormond Beach, Flórida, perto de Daytona Beach.

Centenas de escolas de voo dos EUA competem ferozmente pelos alunos. Na Flórida, alguns ainda se aproveitam do clima como um diferencial que permite aos estudantes voarem mais vezes e terminar programas mais rapidamente. Este foi um dos motivos que atraíram os terroristas para escolas de aviação dos EUA.

Escolas da Flórida têm razão para ter cuidado: três dos sequestradores de 11 de Setembro foram simular voos em jatos grandes apenas seis meses depois de chegar para o treinamento ali. Mohamed Atta (líder operacional do sequestro), Marwan al Shehhi e Ziad Jarrah fizeram cursos no Estado.

Os terroristas obtiveram licenças e certificações, apesar de indisciplinados e, muitas vezes, exibirem uma performance insatisfatória.

Hoje, seria mais difícil para os quatro homens entrar escolas de voo dos EUA. Há um processo mais rigoroso de visto para estudantes estrangeiros que procuram o treinamento de voo no país. Eles não podem começar até que a Administração de Segurança dos Transportes, criada após o 11 de Setembro para proteger as viagens aéreas dos Estados Unidos, analisem o pedido. 

Agora inspetores visitam as escolas com certificação pelo menos uma vez por ano para garantir que os alunos tenham documentação adequada à verificação da sua identidade e seus vistos.

Culpa indireta
Apesar das medidas do governo, o dono da escola onde Atta e Shehhi treinaram, Rudi Dekkers, diz que não está convencido de que pode-se evitar que o mesmo possa acontecer em outras escolas. "Se uma pessoa não se comporta, isso faz dela um terrorista? Então metade do país é terrorista", disse Dekkers.
Sua escola, a Huffman Aviation, foi fechada após os atentados de 11 de Setembro. Ele diz que acabou julgado pelo público sem ter culpa. Dekkers alega ter perdido US$ 12 milhões por causa do fechamento da empresa, afirma ter sido ameaçado após os atentados e viu circularem boatos de que teria ajudado os terroristas deliberadamente - acusação que nunca foi fundamentada.

Segundo ele, os terroristas treinaram para os atentados usando um simulador de voo da Microsoft e, pela lógica usada para acusá-lo, "Bill Gates é culpado porque escreveu os planos para o simulador de voo", disse, se defendendo, em entrevista a um jornal de Tampa, na Flórida.

Dez anos depois, Dekkers tem viajado para promover "Guilty by association" (Culpado por associação), um livro sobre o fato de ter sido responsável por pelo menos parte do treinamento dos terroristas envolvidos no maior ataque já realizado em solo norte-americano.

Em entrevistas recentes, ele fala desta relação de "culpa" pelos atentados. Diz ter "calafrios" sempre que toca no assunto e se sente mal ao lembrar que se viu "envolvido no maior desastre que já aconteceu nos Estados Unidos".

fonte/G1

MAIOR JATO DA EMBRAER RECEBE CERTIFICAÇÃO PARA VOAR NA CHINA

Modelo está apto para ser registrado e operado na China

O avião executivo Lineage 1000, da Embraer, recebeu nesta quarta-feira o certificado da Administração de Aviação Civil da China (CAAC) para voos, o que torna o modelo apto a ser registrado e operado na China. O jato - maior dos sete modelos da fabricante brasileira no segmento de aviação executiva - já havia recebido certificações da Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos, da Agência Europeia para a Segurança na Aviação e da Agência Brasileira de Aviação Civil (Anac).

O modelo tem capacidade para voar 8.139 km sem escalas com oito passageiros e possui até 19 assentos, dependendo da configuração. Uma cama "queen-size" e um chuveiro a bordo também completam a estrutura do Lineage 1000, maior jato executivo da Embraer, segundo a empresa.
 
fonte/Reuters/Terra/foto/Divulgação
Enhanced by Zemanta

FAB RETOMA BUSCAS POR HELICÓPTERO DE EMPRESÁRIO CAMPINEIRO


A Força Aérea Brasileira (FAB) retomou às 6h desta quarta-feira (31) as buscas por um helicóptero que está desaparecido desde terça-feira (30) depois de decolar do Aeroporto dos Amarais, em Campinas, com destino a Angra dos Reis. O piloto e dono do modelo Robinson 44, com prefixo PP-CLE, é o empresário André Martins, proprietário da loja de carros André Veículos, que fica na Avenida Norte-Sul, em Campinas. Um casal que não teve os nomes e profissões divulgadas também estavam na aeronave.

Segundo a FAB, o helicóptero decolou às 8h de terça e tinha um pouso previsto no Guarujá, no litoral paulista, por volta das 11h. O último contato foi feito entre 10 e 10h15, quando a aeronave sobrevoava a cidade de Mauá. Durante a noite, amigos e familiares buscavam informações no Aeroporto dos Amarais, mas ninguém quis conversar com a imprensa.

As buscas estão concentradas na região da Serra do Mar, próximo ao Guarujá.

FONTE/g1
Enhanced by Zemanta

FAB PROCURA HELICÓPTERO DESAPARECIDO EM SÃO PAULO

Um helicóptero desapareceu em São Paulo nesta terça-feira (30). Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), até as 19h30 não havia informações oficiais sobre o número de pessoas que estavam a bordo.

A aeronave de prefixo PP-CLE decolou do Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas, no interior do estado, às 8h, com destino ao Guarujá, na Baixada Santista. A previsão era que o avião chegasse à cidade no fim da manhã.

A FAB fez buscas pelo helicóptero durante a tarde, mas nada foi encontrado. O trabalho será retomado na manhã desta quarta-feira (31).

fonte/G1

CUMBICA ABRE HOJE PUXADINHO PARA 1 MILHÃO DE PASSAGEIROS


Início do conteúdo

Sob ameaça de embargo das obras dos novos terminais remotos, o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, inaugura hoje um Módulo Operacional Provisório - o chamado "puxadinho" - que vai ampliar a capacidade do aeroporto em mais 1 milhão de passageiros.

Hoje, Cumbica tem estrutura para 20,5 milhões de pessoas e já recebe 30% mais que isso. Números da própria Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) mostram que o aeroporto vai fechar o ano com 31 milhões de passageiros.

O novo puxadinho tem 1,2 mil m² e seis portões de embarque remotos - nos quais passageiros pegam ônibus até aviões. A obra custou R$ 2,8 milhões. 

As próximas obras de infraestrutura previstas para Cumbica, porém, estão na mira da Justiça Federal. O Estado revelou ontem que a Procuradoria da República pediu a imediata paralisação das obras dos "puxadões", os terminais remotos de 24 mil m² que vão ocupar a antiga área dos galpões de carga da Vasp e da Transbrasil. A justificativa é que o contrato da obra foi feito sem licitação pela Infraero, ao preço de R$ 85,75 milhões, com previsão de entrega da primeira parte em dezembro. A Procuradoria quer agora que o contrato com a Delta - construtora escolhida para fazer a obra - seja anulado e a estatal abra um processo de concorrência.

Congonhas. Ontem, a Justiça Federal negou o pedido do Ministério Público Federal (MPF) de suspender as operações do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo - o MPF questionava a segurança da pista depois do acidente com a avião da TAM em 2007, que matou 199 pessoas. 
 
Para a Justiça, os peritos que avaliaram a pista de Congonhas na época do acidente não julgaram necessária a interdição, e sim fizeram recomendações de segurança que já estão sendo seguidas. 
fonte/AgEstado

ONZE LOJAS VÃO FECHAR AS PORTAS A PARTIR DESTA QUINTA-FEIRA NO AEROPORTO SALGADO FILHO

 A partir de amanhã, deverá ficar mais difícil encontrar serviços de conveniência, como farmácia e alimentação, no aeroporto Salgado Filho.

Os contratos de 11 operações comerciais que vencem hoje não serão prorrogados pela Infraero, estatal administradora do terminal, mesmo que ainda não haja substitutos para as atividades.

Amedida atinge a única drogaria do terminal, bem como a livraria que funciona fora da área de embarque. Também afeta cinco pontos da praça de alimentação.

O Banco do Brasil já comunicou que irá transferir suas operações – incluindo os quatro terminais automáticos – para a agência Anchieta, a mais de um quilômetro do aeroporto. O espaço será ocupado por uma agência do Bradesco, que venceu a licitação ao oferecer um aluguel de R$ 45,5 mil.

Na sexta-feira, a Infraero comunicou oficialmente aos concessionários que as áreas deverão ser devolvidas respeitando os prazos contratuais. Os empresários, a partir de amanhã, terão 10 dias para entregar as lojas, sob pena de serem despejados judicialmente.

— A orientação é endurecer o jogo — disse o superintendente do Salgado Filho, Jorge Herdina.

fonte/ZeroHora

terça-feira, 30 de agosto de 2011

PASSAGEIRO PASSA MAL E MORRE DURANTE VOO DO ESPIRITO SANTO PARA O RIO DE JANEIRO


Um passageiro que seguia de Vitória (ES) para o Rio de Janeiro passou mal e morreu durante o voo 5353, da Trip Linhas Aáreas, na tarde desta terça-feira. A aeronave pousou no aeroporto Santos Dumont. 

A Trip Linhas Aéreas informou apenas que o passageiro foi "acometido por um problema de saúde quando a aeronave se aproximava de seu destino". A empresa afirmou, em nota, que acionou a equipe médica do aeroporto, que deu sequência a atendimento iniciado ainda dentro da aeronave. De acordo com a companhia, está sendo disponibilizada assistência aos familiares do passageiro. 

fonte/Terra
Enhanced by Zemanta

PORTA-AVIÕES SÃO PAULO SOFRE MAIS UM INCÊNDIO APÓS SER REFORMADO

 

Novo acidente interno no porta-aviões São Paulo está tirando o sono de familiares dos militares a bordo. “Pior que ele ocorre para piorar um clima interno que já não está bom há muito tempo”, conta militar ouvido pela Coluna. 
 
O acidente aconteceu quando o São Paulo estava em uma nova etapa de adestramentos e preparação do porta-aviões para voltar à ativa. A embarcação suspendeu âncora segunda-feira passada com previsão de retorno para a tarde de ontem. Na quarta-feira de manhã, porém já estava de volta.

“Saímos dia 15 (segunda-feira) e no mesmo dia aconteceu o primeiro incêndio na caldeira. No dia seguinte, outro incêndio ocorreu na chaminé. Na quarta, ficamos sabendo através de pessoas que trabalham diretamente nas máquinas que outros dois incêndios aconteceram, mas não foram divulgados à tripulação”, relata um militar que estava embarcado na missão dessa semana. Versão repetida à Coluna por outros dois militares e um familiar.

Os incidentes apavoram a tripulação do porta-aviões São Paulo porque trazem à memória o trágico acidente ocorrido em maio de 2005, quando vazamento de vapor causou a morte de um terceiro-sargento e feriu dez militares. Desde então a embarcação passa por reparos. O local do vazamento de vapor, a catapulta responsável pelo lançamento das aeronaves, foi totalmente reparado, mas, como dizem os militares, outros setores ainda requerem maior atenção.

fonte/ODia/HangarDoVinna

GOL COMPRA PÁSSARO MARROM


Fim da parceria com Pássaro Marron diminui as opções de diversificação de vendas de passagens aéreas da TAM

São Paulo – A recente parceria fechada entre a TAM e a Pássaro Marron está com os dias contatos, literalmente. Isso porque, o contrato entre as duas empresas termina no fim deste mês e não será renovado, segundo informou a assessoria de imprensa da companhia rodoviária. E quem tem mais a ganhar com isso é a sua maior rival: a Gol.

Na última sexta-feira, os donos da Gol compraram a Pássaro Marron e a Litorânea, empresa do mesmo grupo,  por cerca de 400 milhões de reais, conforme antecipou a blog Primeiro Lugar, de EXAME.com.
Seria, no mínimo, estranho que os donos da maior concorrente da TAM, e agora da Pássaro Marron, mantivessem a parceria com a TAM. Ainda não existe nenhum anúncio oficial de que a Gol vá ocupar o lugar da TAM nas dezenas de guichês de venda da companhia de ônibus, mas a estratégia faz muito sentindo, uma vez que, agora, elas pertencem aos mesmos controladores.

Além de tomar o lugar da sua principal concorrente, o fim da parceria diminui as opções de diversificação de vendas de passagens aéreas da TAM.

Perto das massas
Ao fechar um acordo com a Pássaro Marron, a TAM pretendia popularizar a venda de passagens aéreas. Sem a parceria, a TAM vai perder cerca de 50 pontos de venda em regiões estratégicas de São Paulo e Minas Gerais. Procurada, a companhia disse que haverá uma reunião até amanhã para que o assunto seja discutido, mas que no momento não há nada oficial. “Ainda não fomos comunicados oficialmente pela Pássaro Marron sobre a nova estrutura societária da empresa”, disse a empresa em nota.
Esta era a maior parceria do tipo fechada pela TAM. A outra foi assinada com a Princesa do Agreste, empresa rodoviária que atende 29 cidades do Nordeste.

O acordo entre a TAM e Pássaro Marron foi fechado em março deste ano e tem vigência de seis meses. A parceria tinha a finalidade de vender passagens da TAM em guichês da Pássaro Marron em todos os munícipios em que a empresa está presente. O acordo previa também,  a venda combinada de passagens de ônibus e bilhetes aéreos em todas as lojas da rede TAM Viagens no Brasil.


Mesmo que a Gol não feche nenhuma parceria com a Pássaro Marron, o simples fato de ver a concorrente longe de seus guichês já ajuda – e muito – na briga pelos passageiros da classe C. E, como se sabe, no mundo dos negócios, não perder para os outros já é lucro.

fonte/VEJA
Enhanced by Zemanta

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

QATAR BOEING 773 X JUNEYAO AIRBUS A320 - SHANGAI - EMERGÊNCIA ????

Juneyao Airlines A320Image via Wikipedia
Incidente (emergência ou não de combustível) com Qatar B773 e A320 Juneyao perto de Xangai em 13 agosto de 2011.

Autoridades de Aviação Civil da China (CAAC) disseram  que após cuidadosa investigação o inquérito foi concluído e divulgado com as seguintes informações:
 
- A tripulação do Qatar não estava em violação dos regulamentos, no entanto mostrou deficiências na previsão de combustível restante, de acordo com uma carta foi enviada à Autoridade de Aviação Civil Qatar.

- A tripulação do Juneyao cometeu um ato ilegal grave  e violação do "Regulamento Geral de Operação deVoo" quando eles não dão cederam lugar para a aeronave em perigo( QATAR).



A tripulação do Boeing 777-300 Qatar Airways, tinham que pousar no Aerporto de Pudong, porém era o número 21 na espera para o procedimento de aproximação.

A tripulação do Catar decidiu, então, desviar para o Aeroporto de Hongqiao  e pediu prioridade, indicando, que estimava ter apenas 5 minutos de combustível acima de reserva de combustível finais restantes (nota editorial: um total de 35 minutos de combustível restante).

A China Southern Airlines imediatamente seguiu as instruções do controlador para sair da rota da Boeing Qatar, a tripulação do Juneayo no entanto recusou as instruções - sem declarar prioridade ou emergência.

A tripulação Qatar em resposta declarou emergência, o controlador novamente deu instruções para a Airbus Juneayo a ceder, as instruções foram novamente recusados ​​(nota editorial: CAAC definitivamente usou a palavra não se recusou, a frase de "não cumprir"). 

Durante um período de 6 a 7 minutos o controlador tentou abrir o caminho para o  Boeing 777, as instruções foram em vão e os tripulantes do Airbus recusaram  repetidamente forçando o controlador a reorganizar a seqüência de pouso.

A CAAC relatou  que o combustível restante no Airbus A320  da Juneyao foi 2,900 kg, suficiente para 42 minutos de espera mais 30 minutos de reserva final, enquanto o Qatar Boeing 777 pousou com 5,200 kg de combustível suficiente para 18 minutos de espera com 30 minutos de reserva.

Com o resultado das investigações, o CAAC decidiu:

- Revogar a licença de piloto do comandante coreano do A320 da Juneyao, sem possibilidade de voltar ao comado ou obter uma renovação da licença e suspender a licença de piloto do primeiro oficial por um período de seis meses. Na China, o capitão é proibida de operar como qualquer membro da tripulação.

- Reduzir vôos Juneyao Airline em 10% para os próximos três meses
 
- Parar os planos de expansão da Juneyao Airlines

- Suspensão do direito da companhia aérea Juneyao aérea para contratar pilotos estrangeiros

- Exigir da Juneyao o treinamento, cerca de 40 horas para todos os pilotos estrangeiros, a fim de educá-los nas regras da aviação civil da China, regras de vôo, regras de funcionamento, manual operacional da empresa e gestão de recursos cockpit.

fonte/AvHerald
Enhanced by Zemanta

RESUMO 11

Trip inicia hoje operações em Chapecó (SC)

A Trip inicia hoje as operações na cidade de Chapecó (SC), a 500 quilômetros da capital catarinense. Com a chegada ao município, a Trip amplia a malha aérea no Estado, onde já opera em Criciúma, Joinville e Florianópolis.

“Apostamos muito no sucesso das operações na cidade. A rota para a cidade certamente auxiliará o tráfego de passageiros a negócios ou a turismo”, afirma o diretor de Marketing e Vendas da Trip, Evaristo Mascarenhas.

A compra de bilhetes pode ser realizada nas agências de viagens credenciadas, pelo portal www.voetrip.com.br, nos aeroportos ou na central de vendas 0300-789-8747 ou 3003-8747 (regiões metropolitanas). 
 

Tam oferece novos voos para Vitória e Maceió

A Tam oferecerá, a partir de 1º de setembro, dois novos voos diários para Vitória desde Guarulhos (SP) e Galeão (RJ). As novas frequências serão operadas por aeronave Airbus A320 com capacidade para 174 passageiros.

A partir de 5 de setembro, a companhia também terá um novo voo entre o aeroporto Santos Dumont (SP) e a capital capixaba. A frequência, disponível de segunda a sábado, será operada com aeronave Airbus A319, com 144 assentos, e volta programada para o aeroporto do Galeão.

Na mesma data, Maceió ganha novas opções de horários para conexões internacionais. O novo voo entre a capital alagoana e o Rio de Janeiro será operado por aeronave Airbus A320 com capacidade para 174 passageiros e terá frequência diária.
 
 

Tam terá novo voo BH – BUE (Ezeiza)

A Tam anuncia que a partir desta sexta-feira (dia 2) inicia um novo voo entre Belo Horizonte e Buenos Aires, aeroporto de Ezeiza. A operação com o Airbus A320 será diária e parte de CNF às 11h52 e chega em EZE às 17h10.
 

Tam é a aérea brasileira que mais interage na internet

A Tam foi indicada como a companhia aérea brasileira mais sociável da internet, de acordo com pesquisa realizada pela E-Consulting Corp. A consultoria analisou o Índice de Presença On-line (POL) de 130 das 1.000 maiores empresas presentes no País no primeiro semestre deste ano. No ranking geral, a companhia ficou em 15º lugar.

O estudo observou Twitter, LinkedIn, YouTube, Reclame Aqui, Google, Facebook e Orkut para avaliar o desempenho on-line das corporações e considerou a qualidade das interações e as iniciativas de Branding, Vendas e Relacionamento (BVR).

“Trabalhamos em nossos canais on-line para dar respostas rápidas e monitorar assuntos relevantes ou destacar novidades, ofertas e conteúdos de interesse para diversos públicos”, afirma o gerente de Engagement Marketing da Tam, Renato Ramos.

O coordenador da pesquisa, Daniel Domeneghetti, fala sobre os conceitos da análise. “Presença on-line é a capacidade de escolher os canais corretos, com as mensagens corretas, para os públicos relevantes. Em nosso estudo, consideramos 23 variáveis para avaliar o nível da visão multicanal das empresas nas redes sociais.”

RANKING
1 – Coca-Cola
2 – Google
3 – Apple
4 – Fiat
5 – Natura
6 – Ford
7 – Volkswagen
8 – Nokia
9 – TV Record
10 – IBM
11 – Petrobras
12 – Microsoft
13 – Toyota
14 – Motorola
15 – Tam 
 

Azul quer quarta frequência entre Campinas e Florianópolis

A Azul Linhas Aéreas solicitou autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para incluir a quarta frequência entre o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), e o Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis.

Se aprovada pela Anac, Campinas terá mais uma frequência diária, exceto aos sábados, para Florianópolis com início previsto para 10/11.

OPERAÇÃO
A saída de Campinas acontecerá às 12h46 e chegada às 14h10 na capital catarinense. No sentido oposto, o voo também é diário, exceto aos sábados, com saída prevista para às 14h30 e chegada às 15h48 no aeroporto campineiro. Os voos serão operados por jatos Embraer 190 e 195.
 
 

Iberia e British Airways ampliam acordo de code-share

A Iberia ampliou o acordo de code-share com a British Airways, nas rotas das duas companhias no Brasil. As vendas com este compartilhamento serão iniciadas na quarta-feira (31). As operações, no entanto, somente dia 7/9 - feriado brasileiro.

O código da Iberia será colocado nos voos operados pela British entre Londres Heathrow e São Paulo/Rio de Janeiro, em conexão com voos MAD-LHR.

A British Airways, por outro lado, irá colocar o código nos voos operados pela Iberia de Madri para São Paulo e Rio, em conexão com voos LHR-MAD e no sentido contrário.
 
 

VÍDEO, FLIGHT SIMULATOR, ESQUADRÃO BRASIL


AIRBUS DA GULF AIR DERRAPA E SAI DA PISTA




Um Airbus A320-200,da Gulf Air, matrícula A9C-AG realizando vôo GF-270 (decolou dia 28 de agosto) a  de Bahrein (Bahrein) para Kochi (Índia) com 137 passageiros e 6 tripulantes, pousou na pista 27 do Aeroporto Internacional de Cochin às 03: 55L (22:25 Z 28 de agosto), mas saiu  a direita da pista e parou com a aeronave cerca de 5 metros para fora da superfície pavimentada. O avião foi evacuado. Um dos passageiros sofreu ferimentos graves (fraturas) e está internado no hospital, e outros sete com pequenos ferimentos e foram liberados do hospital após atendimento. A aeronave recebeu danos substanciais no trem de pouso do nariz.
O aeroporto disse que a pista ficou fechada para cerca de 10 horas, embora pequenos turboélices podem operar na pista. Ventos fortes, chuva e visibilidade reduzida de 2.000 metros prevaleceu no momento da aterrissagem.
Gulf Air confirmou que trem de pouso do nariz entrou em colapso.
Os representantes do Departamento de Aviação Civil  da Índia, informaram que os pilotos foram capazes de ver a pista de cerca de 6nm fora. Ao descer a 2000 pés encontraram chuva moderada, mas depois que a aeronave havia descido abaixo da altura de decisão havia rajadas de vento repentina e chuva intensa.
Um dos passageiros reportou que o avião havia pousado normalmente, mas derrapou na pista e foi para a grama e lama. Alertas do comandante pra os passageiros foram escutados "MAYDAY, MAYDAY, evacuar", a fumaça começou a encher a cabine, o passageiro notou um cheiro estranho de alguns gases.  A tripulação de cabina  disse que o avião tinha sido evacuado em 20 segundos e o capitão parecia estar em choque total após a evacuação.

O Aeroporto Internacional de Cochin tem uma pista (27/09 ) de 3400 metros de comprimento com ILS e VOR para aproximação da 27 e VOR para a pista 09.

Metars:
VOCI 290000Z 26003KT 4000 HZ FEW008 SCT015 OVC080 26/24 Q1008 TEMPO VIS 2000M RA
VOCI 282330Z 28005KT 4000 HZ FEW006 SCT015 OVC080 26/24 Q1008 NOSIG
VOCI 282300Z 00000KT 4000 HZ FEW005 SCT015 OVC080 26/24 Q1008 NOSIG
VOCI 282130Z 29005KT 3000 HZ SCT010 SCT080 26/24 Q1008 NOSIG
VOCI 282100Z 04004KT 3000 HZ SCT010 BKN080 26/24 Q1008 NOSIG
VOCI 282030Z 00000KT 3000 HZ FEW010 SCT015 BKN080 26/25 Q1009 NOSIG
VOCI 281800Z 00000KT 3000 HZ FEW010 SCT015 BKN080 27/25 Q1010 NOSIG

fonte/AvHerald/foto/AP

AEROPORTOS DO PAÍS TERÃO SISTEMA PARA POUSO COM VISIBILIDADE ZERO

A Infraero está investindo R$ 35 milhões nos aeroportos de Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Curitiba (PR) para permitir o pouso de aeronaves mesmo em condições de visibilidade zero.

Os três aeroportos serão os primeiros do país a contar com um equipamento chamado ILS (sigla em inglês para sistema de pouso por instrumento) categoria três, de acordo com a Infraero. 

Com ele, os pousos poderão continuar ocorrendo mesmo em dias de forte neblina ou nebulosidade. Hoje, quando isso acontece, esses aeroportos chegam a suspender suas operações.

No aeroporto de Guarulhos, o maior do país, o ILS categoria três deve começar a funcionar em setembro.

Nos outros dois, o prazo para a conclusão das obras necessárias é o final de 2013.

Hoje, os três aeroportos contam com o ILS categoria dois, que também auxilia pousos com pouca visibilidade, mas não chega a permitir essas operações em casos extremos, de visibilidade zero.

O ILS é composto de dois tipos de antenas, instaladas na ponta e na lateral da pista de pouso. Elas informam as aeronaves sobre a distância e a inclinação delas em relação à pista.
Equipamento e treinamento
Para que o ILS categoria três seja utilizado, o avião precisa contar com um equipamento específico, que interage com as antenas, e os pilotos e copilotos devem estar treinados para operá-lo. A maioria das empresas aéreas estrangeiras já está capacitada para isso. Mas as nacionais ainda não.

“Com esse equipamento o piloto pousa sem visibilidade nenhuma. Agora, para que isso funcione, os pilotos e copilotos precisam estar treinados e as aeronaves dotadas de equipamentos”, disse o diretor de Aeroportos da Infraero, João Márcio Jordão.

Ele afirmou que a realização da Copa de 2014, que vai acontecer no Brasil entre os meses de junho e julho, período em que se costuma registrar fechamento de aeroportos no país devido a más condições climáticas, influenciou na decisão da Infraero de investir no novo sistema.

O G1 apurou que o governo exigiu que as empresas aéreas brasileiras façam os investimentos necessários para operar com o ILS categoria três. As empresas, porém, consideram que o custo de treinar funcionários e equipar as aeronaves é muito alto e o investimento não compensa, já que o novo sistema vai ser pouco usado. Diante da pressão do governo, porém, as empresas devem aceitar fazer o investimento.

A TAM informou que todas as suas 153 aeronaves têm condições de operar com o ILS categoria três. Entretanto, falta treinar seus pilotos e co-pilotos. A empresa informou ainda que está “avaliando os requisitos para o treinamento dos tripulantes e os custos da manutenção dessa certificação.”

A Gol não respondeu a perguntas sobre presença de equipamentos em seus jatos nem sobre treinamento de funcionários para operar com o ILS categoria três. A assessoria da empresa pediu para que o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) fosse ouvido sobre o assunto.

O diretor técnico do Snea, Ronaldo Jenkins, disse que o sindicato ainda não tem uma posição sobre o início da operação do novo sistema e que vai discutir o assunto com as empresas aéreas.

fonte/G1

UNIÃO ESTUDA DESMILITARIZAR SISTEMA QUE CONTROLA TRÁFEGO AÉREO NO BRASIL

Preocupado com o crescimento do tráfego aéreo no país e as falhas nos mecanismos de segurança, o Planalto voltou a negociar com os controladores de voo. Na quinta-feira, o ministro da Aviação Civil, Wagner Bittencourt, conversou por três horas com representantes da categoria, reabrindo as discussões sobre a desmilitarização do setor.

Os controladores apresentaram ao ministro uma radiografia do sistema. Entre os participantes da reunião, estavam militares afastados das funções e que respondem a processo no Superior Tribunal Militar pelo motim de 2007.

Foi mais um passo nessa reaproximação. Na segunda-feira passada, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, já havia prestado depoimento em defesa dos 51 réus da greve branca que paralisou os principais aeroportos do país naquele ano.

Um dia antes do encontro com os controladores, Bittencourt havia dito em entrevista a ZH que os problemas da categoria “estavam superados”. Na edição de domingo, ZH revelou como erros sucessivos no controle de tráfego aéreo quase resultaram em novos acidentes.
 
fonte/ZeroHora

IRENE CANCELOU 10 MIL VOOS - CAOS AÉREO DEV CONTINUAR

O caos provocado pelo furacão Irene nos terminais aéreos do leste dos Estados Unidos poderá continuar durante a semana, depois que a tempestade obrigou o cancelamento de mais de 10 mil voos, informaram neste domingo autoridades locais.

Funcionários da indústria de aviação disseram que os aeroportos internacionais de Nova York reabrirão na segunda-feira à tarde. American Airlines, British Airways, Air France e outras companhias já cancelaram vários voos com destino e provenientes de Europa e Ásia, que estavam programados para a segunda-feira.

Os voos retomaram suas operações na região de Washington, mas continuam gravemente afetados.

A Administração Federal de Aviação americana disse que mais de 10 mil voos foram cancelados devido ao Irene desde sexta-feira, enquanto o número de voos alterados não deixa de subir.
Apesar de o Irene ter sido rebaixado a categoria de tempestade tropical neste domingo, os serviços de transporte público de Nova York continuam suspensos. O mesmo ocorre com os serviços ferroviários que atravessam o leste do país e em vários de seus portos.

A autoridade portuária de Nova York e Nova Jersey, que regula os aeroportos de Nova York e os serviços do porto, disse não ter determinado até o momento quando os terminais aéreos serão abertos. "Nem sequer posso dar uma estimativa", disse à AFP Steve Coleman, porta-voz da autoridade.

Por sua vez, Tom Hendricks, vice-presidente da Air Transport Association, uma instituição da indústria da aviação, disse que as operações serão retomadas em Nova York na segunda-feira à tarde, mas que "levará ao menos dois dias para recuperar todas as conexões".

fonte/AFP/Terra

CHINA AUMENTA NÍVEL DE ALERTA NOS AEROPORTOS SEM CITAR O MOTIVO

A China aumentou o nível de alerta em todos seus aeroportos do grau 1 para o 2 (estado de vigilância) sem citar o motivo de tal medida, provocando confrontos entre viajantes e forças de segurança por causa dos atrasos e perdas de voos ocasionadas pelos controles. 

Segundo declarou uma empregada da segurança aeroportuária, a medida "veio imposta" do governo e sua aplicação "teve de ser imediata", por isso que se formaram longas filas de viajantes, alguns dos quais protagonizaram violentos episódios. "Já vi três brigas aqui e me parece normal. Levamos mais de uma hora esperando para passar o controle de bagagens e ninguém nos explica por que demoram tanto nem o que fazer se perdermos os voos", declarou um viajante ao China Daily

A principal consequência deste aumento no nível de alerta é que os controles de bagagens de mão são feitos de forma mais minuciosa e se inspecionam de forma obrigatória elementos como os calçados, ao mesmo tempo em que se obriga a abrir todas as bagagens, o que desacelera de forma notável o processo. 

O novo estado de vigilância, segundo as mesmas fontes, se prolongará durante os próximos dias à espera de um anúncio oficial que explique os motivos da mudança.

fonte/EFE/Teerra

domingo, 28 de agosto de 2011

JATO DECOLA ANTES PARA NÃO BATER EM AVIÃO NO AEROPORTO DE CARUARU, PERNAMBUCO


Um avião monomotor acaba de pousar no pequeno aeroporto de Caruaru (PE). Na mesma pista, na direção contrária, um jatinho com membros da banda Asa de Águia acelera para decolar.

Cerca de 50 m separam as duas aeronaves da colisão quando o jato sai do chão e voa sobre o monomotor --entre um e outro, 5 m de altura.


Uma série de desencontros, o que costuma ocorrer em acidentes aéreos, precedeu a quase colisão.O episódio ocorreu na manhã de domingo passado e, segundo os envolvidos, por pouco não virou tragédia. A Aeronáutica investiga os fatos. A Folha obteve um relatório do caso.


Tudo começou quando o monomotor, de uma escola de pilotos, estava prestes a pousar. Embora tenha visto o jato na mesma pista, na direção oposta, aterrissou.

Ao pousar, o monomotor, modelo Paulistinha, presumiu que o jato o esperaria sair da pista. O comandante do jato, por sua vez, disse não ter visto a aeronave a sua frente.

Dois fatores levaram que um não visse o outro: 1) o Paulistinha, quando está no chão, fica com a frente elevada, o que impede o piloto de ver o que está adiante; 2) o lado da pista onde o jato estava tem uma leve inclinação.

Para piorar, não há torre de controle no local e o Paulistinha é incomunicável por não ter rádio. Tudo somado, um foi em direção ao outro --o jatinho a 150 km/h.

QUASE CAIU
Ao notar que estava diante do Paulistinha, o jato, um Citation 550, decolou antes da hora, o que ameaçou a sustentação que lhe permite voar. Dentro estavam dois pilotos e seis músicos do Asa de Águia voltando de um show.

"Foi uma situação de emergência. Ou o piloto fazia aquilo ou matava todo mundo", disse Jorge Mello, dono da aeronave e da Abaeté Táxi Aéreo, que elogiou o piloto.

À FAB a Bras Flight, responsável pelo monomotor, afirma que um piloto de ultraleve avisou o jato, via rádio, sobre o outro avião na pista. O jato, diz o relato, não respondeu. A Abaeté nega.

No mesmo documento, a escola de aviação diz que o piloto do monomotor só percebeu o jato ao vê-lo decolar.
A assessoria do Asa de Águia disse que a banda estava em viagem e não poderia falar àFolha. O avião era fretado, diz a assessoria. Mello negou. Ele disse ter emprestado o jato a Durval Lelys. O avião é particular e não pode, por lei, fazer táxi aéreo.

Mello diz que Lelys usa a aeronave pois quer comprá-la. Segundo ele, a assessora se confundiu com outro avião, esse táxi aéreo, que a Abaeté freta para a banda.

fonte/UOL


 PT-LPK iniciando a corrida pela RWY 31

 Passando pela frente do Hangar 01 (Aeroclube / Bras Flight)

 PT-LPK a 50 m do PP-RTO. Altura: 2,5 m. A partir deste ponto, o PT-LPK foi avistado pelo PP-RTO.

 PT-LPK, fortemente cabrado, sobrevoa o PP-RTO, a aproximadamente 5 m do solo.


PT-LPK cedendo o nariz para ganhar velocidade normal. Observe que o PP-RTO não teve tempo de sequer modificar sua trajetória.

fotos/SBKGAir

Tempo decorrido entre a quarta e a última foto: cerca de 2 segundos.
Todas as fotos estão em formato digital, e podem ser disponibilizadas pela Bras Flight



RELATÓRIO DE INCIDENTE AERONÁUTICO

Categoria: Quase Colisão.
Local: Caruaru / PE (SNRU)
Data: 20 e 21/08/2011.
Aeronaves: PT-LPK Cessna Citation 550 (da banda “Asa de Águia”)
PP-RTO CAP-4 Paulistinha (treinador da ____________).
Autor:__________
Coordenador de Ensino da____________________
Tels. _______________________________
e-mail:_______________________
Anexos:
1. Pagina do ROTAER;
2. Fotos do Segundo Incidente Relatado;
3. Relação dos Envolvidos e das Testemunhas do(s) incidente(s).
Descrição: Trata de 2 (duas) quase colisões, neste Aeródromo de Caruaru/PE (SNRU), ambas entre o Paulistinha CAP-4 prefixo PP-RTO e o Cessna Citation PT-LPK. Os horários neste relato são locais. O CAP-4 PP-RTO não possui rádio-comunicação, por se tratar de aeronave de instrução homologada para voar sem o equipamento. Nos dois casos, o piloto do PP-RTO era o Cmte._______, Instrutor de Vôo da____________________., e ambos os incidentes foram observados, entre outras, pelas testemunhas citadas em anexo.
O primeiro, em 20/08/2011, por volta das 16:10 h, quando o PP-RTO se encontrava alinhando para decolar pela THR (Cabeceira) 13 de SNRU. Neste horário, sem nuvens, com visibilidade ilimitada, e devido à orientação da pista, o Sol encontra-se baixo sobre o horizonte, no sentido da aproximação. No momento em que iniciava a curva para ingresso na pista, o Cmte. do RTO percebeu a aproximação do PT-LPK, em aproximação direta e sem ter executado tráfego. Graças a essa percepção, conseguiu evitar a colisão entre as aeronaves, executando uma rápida manobra evasiva, retornando ao recuo existente na cabeceira. Devemos lembrar que, em AD desprovido de ATS, são proibidas as aproximações diretas.
O segundo, extremamente grave, ocorreu às 08:46 h de 21/08/2011. O aeródromo estava sob VMC, com vento de 135/10 (dados da Estação Meteorológica), OVC a aproximadamente 2.000 ft AGL, com boas condições de luminosidade, e alcance visual maior que 10 km. A pista iniciada na Cabeceira 31 apresenta um leve aclive, razão pela qual é evitada, até em condições de vento calmo. Deve-se acrescentar que, a partir de uma das cabeceiras, uma pessoa em pé avista a outra (olhos a aproximadamente 1,70 m). A TWY “A” forma, com a RWY, um ângulo de 45º, o que favorece a observação da Perna do Vento da 13.
Pouco antes do incidente relatado, o PT-LPK havia acionado, e iniciado o táxi para a THR 13, através da TWY “A”. Nesse momento, o PP-RTO estava ingressando na Perna do Vento da 13, retornando de vôo de instrução pelo Setor “N”. O PT-LPK, então já ingressado na principal, no sentido da 13, executou uma curva de 180º, e iniciou back-track para a 31. O PP-RTO não havia ainda girado base, mas, ao perceber a manobra do Citation, prosseguiu para o pouso. Este ocorreu normalmente pela 13, no instante em que o PT-LPK iniciou o alinhamento para decolar com vento de cauda, pela 31.
Nesse momento, o PT-LPK foi interpelado via RTF em VHF, pela Freqüência 123.450, por um Piloto de Ultraleve, que perguntou se ia decolar mesmo com vento de cauda, o que foi confirmado. O Piloto de Ultraleve, então, o informou da presença de aeronave na pista, mas não obteve resposta do PT-LPK, que iniciou a corrida para decolagem.
Devemos lembrar que o PP-RTO é um CAP-4, um avião convencional, de nariz alto (no táxi, não se vê à frente). Já pousado, o PP-RTO continuava seu taxi em direção à interseção da RWY 13 com a TWY “A”.
Ao contrário do CAP-4, o Citation é uma aeronave com excelente campo de visão para os pilotos, e, em ambos os casos, o PT-LPK tinha a seu favor a posição da fonte de luz (Sol), a própria posição (na final da 13, num caso, e na Cabeceira 31, no outro), além do posicionamento na TWY “A”, que favorece sobremaneira a observação dos eventuais tráfegos.
Na intenção de livrar rapidamente a pista para a decolagem do PT-LPK, o Cmte. do RTO taxiava em linha reta, o que o impediu de perceber o PT-LPK acelerando em sua direção. Mesmo se o PP-RTO estivesse taxiando em “S”, de seu ponto de visada seria difícil perceber a aproximação do Citation, o que não lhe daria tempo hábil para uma saída para a Área de Escape. A seqüência de fotos anexas comprovam o descrito. O Cmte. do RTO, bem como o aluno em instrução, só perceberam a ação do PT-LPK quando este os sobrevoou, após uma decolagem aparentemente crítica.
Não sabemos, ainda, as razões para o Cmte. do PT-LPK ter feito o que fez, nos dois casos.
Acreditamos que a atenção excessiva com o Landing Check-List e o Take-Off Check-List possa explicar tais procedimentos. Talvez a pressão dos patrões também tenha sido fator contribuinte.
Vale ressaltar que o ROTAER chama a atenção para o vôo de ANV em FLT de instrução nas vizinhanças do AD.
Mesmo que a ausência de RTF por VHF no CAP-4 não tenha sido fator contribuinte para os incidentes relatados, o Operador do PP-RTO decidiu, unilateralmente, voltar a voar apenas quando tiver condições de obter e efetuar FIS, ainda que pela Freqüência Livre (123,450 MHz).
De qualquer maneira, fica o relato dessas ocorrências, que, esperamos, sirva para aumentar o nível de alerta para a separação visual, e o correto cumprimento das Regras do Ar.

fonte/ContatoRadar/Forum

HIDROAVÃO COM TRÊS PESSOAS CAI NO LAGO PARANOÁ, NO DISTRITO FEDERAL

Um avião de pequeno porte caiu no fim da tarde deste sábado (27) no Lago Paranoá, perto do Hospital Sarah Kubitschek, na QI 13 do Lago Norte, em Brasília. Segundo testemunhas que estavam no Piscinão do Lago Norte, um hidroavião teria realizado três tentativas de pouso forçado quando perdeu o controle e afundou.

Segundo os bombeiros, três pessoas estavam dentro do avião no momento do acidente, mas ninguém ficou ferido.

Uma equipe de mergulhadores do Corpo de Bombeiros está trabalhando na retirada do hidroavião do Lago Paranoá.

fonte/G1

sábado, 27 de agosto de 2011

EMBRAER 120 BRASÍLIA, FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA EM ANGOLA

Uma aeronave Embraer EMB-120 Brasilia,voando pela Fly540, vôo F5-212 de Cabinda para Luanda (Angola) com 29 passageiros e três tripulantes, teve  problemas de controle (TRIM) após decolar de Cabinda. A aeronave não respondia aos comandos e a tripulação após tentativas de estabelecer os comandos do estabilizador resolveu alternar para Soyo (Angola), cerca de 37nm sul de Cabinda para uma aterrissagem de emergência. 

Apesar do pouso seguro, oito passageiros tiveram que ser levados para um hospital devido a ataques de ansiedade e problemas de pressão arterial, e uma mulher permaneceu no hospital em razão de insuficiência circulatória, os outros 7 foram liberados apósatendimento..

A empresa Fly540 confirmou que a aeronave teve falhas nos comandos de TRIM, causando alterações no comportamento em voo, ora nariz pesado ora cauda.

Os passageiros relataram que o avião fez subia e descia repentinamente, causando fortes acelerações verticais e quedas por cerca de 2 minutos.

fonte/AvHerald/foto/JornalDeAngola

HELICÓPTEROS DA PREFEITURA DE SÃO PAULO LEVAM "CARONAS" PARA PASSEAR PELA CIDADE

SÃO PAULO - Os helicópteros estão pousando e decolando do terraço do Edifício Matarazzo, sede da Prefeitura de São Paulo, em ritmo jamais visto. Neste ano, de janeiro até o último dia 22, foram em média 107 voos por mês, quase o dobro de 2010. O objetivo oficial é monitorar os 1,5 mil quilômetros quadrados da cidade. Na prática, o que também se vê é uma farra dos voos - os passeios chegam a virar presente de aniversário para servidores municipais.


Em uma análise dos ocupantes desses voos, a reportagem do Estado encontrou pelo menos 25 pessoas que acompanharam técnicos da Prefeitura sem nada ter a ver com o propósito das viagens.

O serviço de monitoramento por helicópteros, que já custou R$ 1,5 milhão à administração municipal em 2011, começou em fevereiro do ano passado com o objetivo de fiscalizar obras, serviços, parques, áreas de risco e invasões de terreno. 


Os "caronas" dos voos oficiais são faxineiros, motoristas, técnico de informática, de recursos humanos, auxiliar de compras, secretária e estagiários. Como quase todas as viagens ocorrem em horário comercial, há indício de que eles abandonaram as atividades nesses dias.


"Os voos precisam ter um responsável, que pode ser o secretário, subprefeito, o chefe de gabinete ou um coordenador", diz Ronaldo Camargo, secretário de Coordenação das Subprefeituras, pasta que mais usa o serviço. Ele acrescenta que os demais ocupantes devem ser técnicos ligados aos objetivos dos voos, como das áreas de obras e desenvolvimento urbano, integrantes da Defesa Civil e da Guarda Civil Metropolitana.

Na Subprefeitura da Vila Prudente, duas pessoas confirmaram que o sobrevoo com os técnicos já virou presente de aniversário para servidor. O ajudante-geral Boaventura Alves de Mello, mais conhecido como Bahia, foi agraciado. A rotina de retirar o lixo, varrer o pátio e cuidar do jardim na subprefeitura foi quebrada no voo de 29 de junho. 


"Fazia aniversário naquele dia. Então, foi um presente que me deram", disse Mello, sem ter noção da irregularidade. Pela mesma subprefeitura também voaram um auxiliar de compras, dois funcionários do RH e um motorista. O subprefeito Roberto Alves dos Santos nega a prática. "Se fosse dar voo para cada aniversariante, precisaria de uma frota de helicópteros."

Motorista. Um motorista da Subprefeitura de Pirituba também pegou a carona de helicóptero. José Messias Pereira disse que foi convidado a voar pelo chefe de gabinete. "Primeiro fiquei com medo, mas depois foi legal. Achei muito gostoso", diz, revelando uma promessa não cumprida. "Disseram que iam me colocar de novo, mas não colocaram." Na Subprefeitura da Vila Maria, uma encarregada de serviços gerais também ganhou a oportunidade de viajar. 

fonte/AgEstado

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...