segunda-feira, 17 de agosto de 2009

NÚMEROS DA EMBRAER - 40 ANOS




Funcionários: 17.237
Carteira de Pedidos: US 19,8 bilhões
Faturamento: US 3,019 bilhões
Lucro: US 467 milhões

Entrega de Aeronaves: 96
Aviação Comercial: 67
Aviação Executiva: 27
Defesa e Governo: 2

Pedidos firmes na Aviação Comercial
ERJ-145: 2
ERJ-170/190: 328

Receitas por Segmento:
Aviação Comercial: 66,7 %
Aviação Executiva: 14,3 %
Defesa: 6,9 %
Outros: 1,7 %
Serviços Aeronáuticos: 10,4 %

fonte: EMBRAER/1. semestre 2009

HELICÓPTERO DE ATAQUE WZ-9G EM CONFIGURAÇÃO AR-AR


A versões chinesas do Esquilo e do Pantera (WZ-11 e WZ-9, respectivamente) são armadas e realizam as missões de reconhecimento e ataque.

O Aircraft Manufacturing Corporation of Harbin WZ-9 é a cópia autorizada do helicóptero Eurocopter Dauphin francês. O primeiro Z-9 voou em 1981 e foi construído na China a partir de componentes fornecidos pela Aerospatiale. No início da década de 1990, o Z-9B era a versão que chinesa que possuía índice de nacionalização superior a 70% e voou em 16 de janeiro de 1992.

Os vôos de ensaio foram concluídos em novembro de 1992, tendo recebido a certificação de produção já no início de 1993. A entrada em serviço ocorreu em 1994 no PLA – Exercito Chinês. A missão da unidade era a tática com o transporte de tropas, já que a aeronave tem capacidade para transportar 10 homens armados.

O Hiato entre as deseignações se refere ao WZ-10. que deve ser o seu helicóptero de ataque “puro” do exercito popular chinês cuja a inspiração para construção é o Tiger e o Mangusta europeus.

Em geral, o Z-9 chinês é idêntico ao AS 365N Dauphin. Aos poucos os chineses foram nacionalizando mais e mais a aeronave, a medida que avançavam na nacionalização de componentes introduziam mais e mais materiais compostos a aeronave com o objetivo de incrementar a resistência estrutural da célula e reduzir a assinatura radar.

A versão naval foi introduzida ainda na década de 1990, e é denominada Z-9C e está equipada para busca e salvamento missões, e missões ASW. A versão militar mais importante é denominada WZ-9 é equipada com mísseis antiradar, ar-terra, ar-ar e antitanque. A versão “longbow” foi introduzida em 2005 e tem a total capacidade navegação e ataque noturno.

TITÂNIO RUSSO PARA A INDUSTRIA AEROESPACIAL AMERICANA


Num marco de cooperação aeroespacial entre Rússia e Estados Unidos, a Boeing e a Russian Technologies criam empresa para manufatura de componentes de titânio com finalidades aeroespaciais.

A Boeing e a JSC VSMPO-AVISMA Corporation, empresa integrante do grupo estatal russo Russian Technologies (controladora da Rosoboronexport, Oboronprom, dentre outras companhias russas dos setores Aeroespacial e de Defesa) anunciaram no início de julho a abertura das instalações da joint-venture Ural Boeing Manufacturing (UBM), na cidade de Verkhnyaya Salda, na região de Sverdlovsk. As instalações, equipadas com equipamentos e tecnologias no estado-da-arte, irão manufaturar componentes em titânio para diversas aeronaves, como o Boeing 787 Dreamliner, e outros modelos russos. A criação da UBM é um marco na cooperação entre os Estados Unidos e a Rússia no setor Aeroespacial.

Sergey Viktorovich Chemezov, diretor-geral da Russian Technologies comentou em entrevista distribuída pela Russian Technologies, e traduzida para o português pela reportagem de Tecnologia & Defesa, os planos e atividades desta nova joint-venture.

http://www.interpolitex.ru/im.xp/050054051052054052.jpg
Sergey Viktorovich Chemezov

Todos conhecem sua biografia perfeitamente bem. Mas, para, em segredo, construir sobre os Urais em tempos de crise um das empresas mais modernas do mundo, e juntamente com os americanos - isto é o que eu chamo de façanha! Como você gerenciou isto?

Na Rússia, temos um dizer a esta respeito: "Uma colher é desejada quando o horário do almoço está próximo".

É verdade que nós, digo a VSMPO-AVISMA e a Boeing, não tornamos pública, de modo geral, a construção. Nós planejamos o tempo para a inauguração destas instalações, usando suas palavras, uma das mais modernas empresas do mundo, ou segundo alguns analistas, a mais moderna empresa do mundo, para coincidir com a visita do presidente dos Estados Unidos à Rússia. Eu acredito que os motivos por trás de nossas ações são óbvios e claros para todos.

Com a ideia de criar nossa joint-venture Ural Boeing Manufacturing - este é o seu nome exato, nós acordamos com a Boeing de constituir a joint-venture em 2006, e em 2007 assinamos um acordo com este objetivo. A construção da nova planta, sua montagem, treinamento de pessoal e equipagem com máquinas de cinco eixos levaram dois anos. Nós estamos muito satisfeitos de termos feito tudo em tempo para a sua inauguração durante a visita do novo presidente dos Estados Unidos à Rússia.

A joint-venture é de fato uma união de líderes em seus ramos de atuação na Rússia e Estados Unidos - Russian Technologies State Corporation, representada pelo maior fabricante mundial de titânio, a VSMPO-AVISMA, e a Boeing, líder mundial na indústria aeronáutica.

Como um industrial, eu acredito que os laços econômicos não são menos instrumentais em desenvolver relações entre duas grandes potências do que contatos políticos. E em certos casos, tais laços mesmo predeterminam estes contatos políticos. Nós estamos orgulhosos de estarmos contribuindo para o desenvolvimento de laços econômicos mutuamente benéficos para os dois países.

E qual é o interesse da VSMPO-AVISMA, a maior fabricante de titânio do mundo, em constituir uma joint-venture com a Boeing?

O fato é que a mais moderna aeronave, o Boeing 787 Dreamliner, nunca decolará sem o titânio russo, que é o mais leve e forte metal existente. O titânio russo voa também com todas as outras aeronaves fabricadas pela Boeing: 737, 747, 767 e 777. E, é claro, é também usado em modelos avançados de aeronaves russas.

Nós fechamos com a Boeing um portfólio de encomendas e garantimos contratos de longa-duração até 2015. Contratos nos valores de bilhões de dólares já foram implementados. Nós nunca deixamos a Boeing, e a companhia americana também não nos deixou. Eu espero que esta situação permaneça no futuro! A Boeing, a VSMPO-AVISMA e a Russian Technologies se dedicaram a criar uma potente aliança mutuamente benéfica. Ela é capaz de lidar com as mais desafiantes tarefas industriais do século 21 com padrões mundiais de qualidade usando tecnologias do estado-da-arte.

Vender barras de titânio é muito fácil, mas é atividade menos lucrativa. Por isto é que desde o início da cooperação com a Boeing, a VSMPO-AVISMA Corporation foi gradualmente se movendo em direção à produção e venda de produtos com valor-adicionado. A criação do complexo de fabricação é um lógico elemento desta política.

E por que exatamente a joint-venture?

O ponto é que até agora nós tínhamos falta de experiência na fabricação que nós precisamos, e outra razão é que sem a joint-venture nós teríamos dificuldades em obter todo o maquinário e outros equipamentos.

Ontem, nós lançamos o complexo de máquinas mais avançado do mundo. Ele tem equipamentos únicos em termos de modernidade. Entre outras coisas, a tecnologia empregada na UBM permite à empresa valiosos conhecimentos na produção de titânio e num futuro próximo possibilitará a ela que inicie a produção de placas finalizadas. De qualquer modo, este é nosso objetivo imediato.

O que são esses equipamentos únicos?

Eles são as mais avançadas máquinas de cinco eixos da MAG Cincinnati para aplicações robustas, no caso, o processamento de titânio. Eu não quero incomodá-lo com termos técnicos. Eu apenas digo que as máquinas podem cortar uma esfera numa placa de titânio com uma precisão do tamanho de um terço de um fio de cabelo humano. Acredito que esta comparação é suficiente para indicar o potencial dessas máquinas.

Mas o que é também importante é que a administração anterior do governo dos Estados Unidos, referindo-se a medidas de proibição aplicáveis, muitas vezes impediu a exportação de modernos equipamentos para a Rússia. O presidente Obama aboliu esta discriminação, e somos gratos a ele por esta decisão.

Estou certo de que você ouviu diversas opiniões de que o fato de fornecedores russos responderem por 40% da demanda da Boeing por titânio, a estadunidense Boeing supostamente acaba se apoderando do titânio russo. Qual é a sua opinião a respeito?

Isto não é verdade. Deve ser lembrado que a Rússia não é somente uma fornecedora de titânio, mas também é uma fonte de conhecimento, know-how e ideias necessárias para a fabricação de equipamentos aeronáuticos americanos modernos. Por exemplo, os escritórios da Boeing nos EUA e em Moscou estão cheios de empregados de alto-nível que tomarão parte da fabricação do Dreamliner. Isto não é uma surpresa. Hoje, um produtivo competitivo de alta-tecnologia criado sem cooperação internacional é difícil de imaginar.

A aeronave russa Sukhoi Superjet 100, que foi apresentada internacionalmente no recente salão de Le Bourget, foi desenvolvida em cooperação com a companhia italiana Alenia Aeronautica e com a Boeing. Os fornecedores dos principais sistemas do Superjet incluem nomes como as francesas Snecma e Thales, a alemã Liebherr, a estadunidense Honeywell, e outras companhias líderes do Ocidente.

Quais serão as tarefas com as quais a joint-venture terá que lidar e como ela irá se integrar com a cadeia de produção da VSMPO?

A UBM executará atividades de manufatura primária sobre placas de titânio produzidas pela VSMPO-AVISMA. A manufatura final sobre as estruturas de titânio devem ser realizadas na planta da Boeing em Portland, nos Estados Unidos, e em outras empresas de processamento ou subcontratadas. Além do mais, os restos do titânio trabalhado serão imediatamente enviados para a VSMPO-AVISMA para reciclagem. Isto tornará possível criar uma cadeia cíclica próxima única para apoiar a fabricação de produtos de titânio semi-acabados, placas e outros tipos de produtos.

Então, eu gostaria de desejar a este novo negócio um trabalho muito bem coordenado e novos contratos. Eu desejo a nós, quero dizer, às partes russas e estadunidenses, novos modelos de aeronaves e equipamentos espaciais, naturalmente com titânio russo, e também modernas tecnologias russas e estadunidenses.
fonte: tecnologia&Defesa

CISNE BRANCO VENCE REGATA INTERNACIONAL

cisnebranco

Como parte integrante das atividades programadas pela “Sail Training International” (organização europeia sem fins lucrativos, criada com o objetivo de formar jovens pela arte de navegar), o Navio-Veleiro (NVe) “Cisne Branco” venceu, no dia 5 de agosto, a 5ª etapa das regatas que compuseram a “Tall Ships Atlantic Challenge 2009”, maior evento náutico realizado esse ano, sendo a única de que participou.

Este grande evento náutico começou em Vigo (Espanha), em maio, passando por Tenerife (Espanha), Bermuda, Estados Unidos, Canadá e Irlanda, com veleiros de várias nacionalidades, alguns integrando a frota durante todo o percurso e outros apenas parcialmente, como foi o caso do NVe “Cisne Branco”.

A regata estava prevista para cruzar o Atlântico Norte, saindo de Halifax (Canadá), indo até Belfast (Irlanda), retornando a Europa. O tempo total estimado para a travessia era de 23 dias, sendo que o veleiro brasileiro completou o percurso em apenas 15 dias, sendo o “Fita Azul” (Line of Honours), prêmio destinado ao primeiro navio a cruzar a linha de chegada, independente da classe e do tempo corrigido (fator utilizado para equalizar o tempo entre veleiros de características distintas).

Além do “Cisne Branco”, estavam inscritos na regata veleiros da Alemanha, Bélgica, França, Holanda, Portugal, Reino Unido, Rússia e Uruguai. O navio veleiro russo “Kruzenshtern” participou apenas da largada, em virtude de séria avaria sofrida no mastro do traquete (mastro mais avante dos quatro que possui), ocorrida dias antes da largada.

A derrota inicialmente traçada passaria próximo à área onde houve o acidente com o Titanic, em 1912, porém os organizadores da regata propuseram que os navios montassem uma boia localizada mais ao sul para evitar a rota dos icebergs, tornando impossível a navegação direta para Belfast e acrescentando dose extra de desafio para os competidores.

Foram 15 dias de navegação, onde o navio enfrentou calmarias e mares agitados, com ventos de até 48 nós, (89 km/h) e ondas de 7 metros de altura, totalizando cerca de 2.350 milhas náuticas (4.350 km) e variações de pressão atmosférica de 25 milibares, muito acentuada se comparada com a média encontrada no Atlântico Sul, alcançando o máximo de 16,3 nós de velocidade.

Além de ser o “Fita Azul”, o NVe “Cisne Branco” recebeu os prêmios de primeiro lugar entre os navios de sua classe e o de segundo lugar geral (considerando-se todos os navios das demais classes participantes) entre os 12 competidores, elevando o nome do Brasil à posição mais alta do pódio das regatas internacionais de veleiros clássicos.

fonte/foto: Marinha do Brasil

O MAIOR AVIÃO DO MUNDO ESTÁ DE VOLTA


O Antonov An-225 voltou depois de uma longa manutenção em Kiev (Ucrânia). A mudança externa que mais chama a atenção é a nova pintura com as cores do seu país.

Somente um An-225 foi construído. Planos para uma segunda unidade foram abandonados.



RÚSSIA PODE COMPRAR MAIS 60 CAÇAS SUKHOI ATÉ 2015

su-35-foto-knaapo

A Força Aérea da Rússia deve receber mais de 60 caças Sukhoi até 2015. Este acordo deve ser assinado em breve, durante a MAKS-09. A negociação inckui 48 Su-35, quatro Su-30M2 e 12 Su-27M. O valor estimado do contrato é de 1,9 bilhão de dólares. Nenhuma fonte oficial se manifestou sobre o assunto até o momento.

O Su-35 é considerado pelos russos um caça de geração 4++ por incorporar tecnologias de aeronaves de quinta geração.

A Rússia espera vender no mercado externo pelo menos 160 caças Su-35. Clientes potenciais incluem Índia, Malásia e Argélia.

FONTE: Ria Novosti / FOTO: Sukhoi

CABO VERDE UMA NOVA BASE PARA 4A. FROTA


http://www.parceria.nl/assets/images/otan-banderas2.jpg

Visita de Hillary Clinton a Cabo Verde é um reconhecimento da democracia e segurança.

O analista político e escritor cabo-verdiano, António Ludgero Correia, considera que a visita da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton a Cabo Verde, é um reconhecimento por parte dos Estados Unidos de que há democracia no arquipélago, mas também, segurança do Aeroporto Internacional do Sal.

Lugdero Correia, que falava em entrevista à Inforpress, está contudo convicto de que essa decisão não contempla a vertente boa governação do país, “porque se assim fosse Hillary Clinton não passaria ainda por Angola”, sublinha.

De acordo com esse analista, a política externa dos Estados Unidos não é feita ao acaso e essa digressão à África significa uma importância capital e, para Cabo Verde, poderá traduzir-se no novo prolongamento do projecto AGOA, que apontou de resto, como sendo um dos assuntos a figurar na agenda da secretária de Estado por ocasião da sua visita ao arquipélago.

A imagem “http://4.bp.blogspot.com/_fOJD67rCP10/R45zjva99NI/AAAAAAAAEAU/DpT6qfYqgZM/s400/cape-verde.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

“Cabo Verde não beneficiou muito da AGOA, porque de facto a promoção das exportações não foi bem cuidada a nível interno. Não basta que os EUA nos abram as portas para as nossas exportações, temos que ser capazes de produzir com qualidade e a preços concorrenciais para entrar no mercado dos EUA”, refere.

Ludgero Correia enaltece, entretanto, a importância do projecto AGOA e considera que seria mais importante ainda para Cabo Verde se esta visita trouxer o “know-how”.

“Mas, para isso Cabo Verde teria de fazer o “trabalho de casa” aproveitando o factor adesão à Organização Mundial do Comércio que representa uma ajuda fundamental”, adverte.

Segundo Correia, ajustava ainda à agenda de Hillary Clinton em Cabo Verde, mais duas questões: NATO, e um novo pacote Millennium Challenge Account, porquanto, o ainda em exercício já está a esgotar, razão por que, segundo disse, acredita que se possa começar a lançar algumas pedras para um próximo pacote, o MCA III.

“De facto se houvesse uma transferência de tecnologias de Norte a Sul para que a nossa exportação pudesse ser de qualidade, se houvesse uma abertura para a nossa colaboração com a NATO sem que trouxesse “dores de cabeça”, e se houvesse a possibilidade de começar a traçar as linhas para um próximo pacote do MCA seria fantástico”, enfatizou.

Entretanto, Ludgero Correia apontou ainda as condições geoestratégicas de Cabo Verde como sendo fundamentais para os interesses e a política externa dos Estados Unidos, designadamente na hipotética utilização do arquipélago como uma “zona tampão” da NATO, onde Cabo Verde seria uma espécie de uma porta-aviões estacionado no Atlântico, que serve de fronteira entre a América e o Sul da África e o outro lado do mundo.

“Quem quer de facto defender as suas fronteiras longe de casa tem interesse em Cabo Verde e a operação da NATO em S. Vicente, mostrou um pouco quais são os “apetites” da NATO e leia-se também dos Estados Unidos”, reforça.

Conforme Correia, Cabo Verde tem muita coisa a dar, se servir de facto de ponto de reabastecimento ou, se se quiser ainda, como um ponto de defesa avançado na África do Sul.

No meio deste cenário, Ludgero Correia alerta no entanto que o governo de Cabo Verde precisa ter muito cuidado com o que pedir em troca e até que nível abranger, na medida em que, “esses interesses quebram a neutralidade que se espera de Cabo Verde num eventual conflito planetário”, disse.

A partir do momento em que Cabo Verde por exemplo entrar para NATO, não poderá ficar alheio a alguns conflitos que possam acontecer. Ao mesmo tempo, sendo membro do grupo dos países não alinhados, se entrar na NATO ou se ceder o espaço para a base da NATO, Cabo Verde deixará de ser neutral e isso é uma contrapartida muito grande, pelo que deve calcular muito bem esse risco”, adverte.
fonte:
Inofrpress - Via Africa 21

PISTA DE AVIAÇÃO É INAUGURADA EM CABECEIRAS DE BASTOS, PORTUGAL



Foto: António Silva

A Vila de Cabeceiras de Basto e o Exército Português inauguraram, ontem, a Pista de Aviação de Abadim, uma infra-estrutura destinada a pequenas aeronaves, com uma extensão de aproximadamente mil metros. Construída com a principal missão de responder a situações de emergência e auxiliar no combate aos incêndios florestais, a nova pista permite também a aterragem de aeronaves civis. A autarquia considera que esta obra, que custou mais de um milhão e 250 mil euros, é «estruturante para a região», pois promete atrair novas oportunidades de negócio, com destaque para o turismo e o lazer.

Fonte: Carla Esteves (Diário do Minho)

Pista para Aeronaves de Cabeceiras de Basto

Pista para Aeronaves de Cabeceiras de Basto
Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto
Telefones:253 669100 - 966620449
Responsável pela Pista: Engº Luís Dourado: 925010623

Fonte: cm-cabeceiras-basto.pt

Cabeceiras de Basto

Cabeceiras de Basto é uma vila portuguesa no Distrito de Braga, região Norte e subregião do Ave, com cerca de 4 400 habitantes.

É sede de um município com 240,88 km² de área e 17 744 habitantes (2006) [1], subdividido em 17 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Montalegre, a nordeste por Boticas, a leste por Ribeira de Pena, a sueste por Mondim de Basto, a sul por Celorico de Basto, a oeste por Fafe e a noroeste por Vieira do Minho.



No mapa de Portugal, a localização de Cabeceiras de Basto

Fonte: Wikipédia - Mapa: Rei-artur

NOVO AIRBUS A320 DA SATA PARADO ATÉ SETEMBRO PARA MANUTENÇÃO

O Airbus A320 da SATA, o "Diáspora", fez uma aterrissagem brusca em Lisboa, tendo danificado o trem de pouso e uma asa.

O novo avião Airbus A320 da Sata, adquirido em maio pela transportadora aérea açoriana, efetuou uma aterrissagem dura (hard landing), no aeroporto de Lisboa, segundo informa a empresa em comunicado.

O "Diáspora" fez uma aterrissagem, na qual o impato do avião no solo chegou aos 4,6 Gs de força, um valor consideravelmente superior ao permitido pela aviação internacional, que é de 2,5 Gs. O incidente ocorreu dia seis deste mês, no final de uma viagem proveniente de Ponta Delgada (Açores).

O A320-214 da SATA, prefixo F-WWDC, teve danificado alguns componentes do trem de aterrissagem e de uma das asas, encontrando-se neste momento em manutenção, estando previsto que apenas regresse aos céus em setembro.

Em comunicado, a transportadora regional açoriana informa não terem sido “encontrados indícios de danos na estrutura do avião”, estando o aparelho “a ser submetido a uma inspeção específica, seguindo o protocolo definido pelo fabricante”.

Não houve registo de feridos entre os passageiros ou tripulação.

Fonte: Jornal Diário (Portugal)

NOVO JATO DA PASSAREDO COMEÇA A OPERAR

O terceiro dos quatro jatos ERJ 145 adquiridos pela Passaredo Linhas Aéreas, no final de 2008, entra em operação a partir de hoje.. A nova aeronave atenderá as rotas Ribeirão Preto/Belo Horizonte, Belo Horizonte/Ribeirão Preto e Ribeirão Preto/Brasília, Brasília/Ribeirão Preto. "O início da operação do novo jato vai agregar ainda mais valor aos nossos serviços nestas localidades", afirma Comandante Felício, presidente da empresa.

Com a chegada do novo jato, a Passaredo começará a atuar com nove aeronaves sendo seis EMB 120 Brasília e três jatos ERJ 145. Até o final de agosto outro jato deve chegar e iniciar as operações em rota ainda a ser divulgada pela empresa.

As passagens Ribeirão Preto/Belo Horizonte, Belo Horizonte/Ribeirão Preto terão o preço a partir de R$ 145 em cada trecho, já a passagem Ribeirão Preto/Brasília, Brasília/Ribeirão Preto, custará a partir de R$ 202.

A Passaredo opera com uma frota 100% brasileira atendendo as cidades de Ribeirão Preto, Brasília, Belo Horizonte, Barreiras, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Goiânia, Ji-Paraná, São José do Rio Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Guarulhos, Uberlândia e Vitória da Conquista.

O último jato dos quatros adquiridos pela empresa começa a operar até o final do mês de agosto. Mais informações no site www.voepassaredo.com.br.

Fonte: Mercado & Eventos - Fotos: Divulgação

RYNAIR CORTA 600 EMPREGOS AO ELIMINART VOOS DO AEROPORTO DE MANCHESTER

A Ryanair, principal companhia aérea de baixo custo da Europa, anunciou hoje que cortará até 600 empregos como resultado da eliminação de nove das dez rotas que opera no aeroporto de Manchester, no norte da Inglaterra.

A medida, que entrará em vigor em 1º de outubro e representará a suspensão de 44 voos semanais (600 mil passageiros ao ano), deve-se à recusa da autoridade portuária de reduzir tarifas, disse a companhia aérea irlandesa.

Assim, a Ryanair cancelará seus voos de Manchester a Gerona (Espanha), Brêmen (Alemanha), Bruxelas (Bélgica), Cagliari (Itália), Düsseldorf (Alemanha), Frankfurt (Alemanha), Marselha (França), Milão (Itália) e Shannon (Irlanda).

Os passageiros afetados receberão a devolução do valor da passagem ou terão a possibilidade de ir para outros destinos de aeroportos próximos.

A companhia aérea tomou esta decisão após anunciar no mês passado a redução de voos semanais no aeroporto londrino de Stansted em 30% entre outubro e março de 2010, o que supõe a perda de 2,5 milhões de passageiros.

Fonte: EFE

ERROS TÉCNICOS E HUMANO CAUSARAM QUEDA DE AVIÃO EM MADRI

Uma falha de sistema associada a um erro dos pilotos provocou a queda de um avião da Spanair no ano passado em Madri, concluiu um relatório apresentado nesta segunda-feira sobre o acidente que matou 154 pessoas.

Os flaps e os slats do avião MD82 da Spanair não estavam abertos enquanto a aeronave se preparava para a decolagem, mas nem os pilotos nem o sistema automático perceberam o problema nos procedimentos antes da partida, afirmou a Comissão para Acidentes da Avião Civil da Espanha no relatório.

"A aeronave tinha seus procedimentos padrão e suas listas de tarefas... o que incluía a seleção e a confirmação da configuração correta para a decolagem", diz o relatório.

"Os pilotos usaram esses procedimentos como referência, mas por alguma razão -- seja por uma interrupção provocada pelo primeiro retorno da aeronave ao terminal, devido a problemas mecânicos, seja pela pressão contra atrasos ou por falhas nos métodos de trabalho da tripulação --, esses procedimentos não foram seguidos de forma estrita", acrescenta.

O voo em direção às Ilhas Canárias saiu da pista e pegou fogo em 20 de agosto de 2008. Foi o pior acidente aéreo da Espanha em 25 anos. Dezoito pessoas sobreviveram.

A comissão também fez sete recomendações para melhorar a segurança aérea, que serão enviadas para a Agência Europeia de Segurança Aérea, para a Organização Internacional da Aviação Civil, e para a Administração Federal de Aviação dos EUA.

Entre as recomendações está a verificação do sistema de alerta de decolagem por parte dos pilotos antes de cada partida, em vez de fazê-lo somente no primeiro voo do dia, e um pedido para que a Boeing revise esses sistemas.

Os modelos MD-80 são fabricados pela McDonnel Douglas, que agora faz parte da Boeing.
fonte: Estado SPaulo

PRIMEIRO REABASTECIMENTO EM VOO DO F-35B

f35b_first-refuel

O segundo protótipo da variante F-35B do Lightning II realizou com sucesso seu primeiro reabastecimento em voo. Este foi o primeiro F-35 a completar o reabastecimento usando o sistema “probe-and-drogue”, usado pela US Navy e USMC.

fonte: US Navy

VÍDEO - 40 ANOS EMBRAER BANDEIRANTE





MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...