segunda-feira, 31 de agosto de 2009

PRESO SUPOSTO PILOTO DE AVIÃO COM DROGAS PERSEGUIDO PELA FAB

Uma equipe da Polícia Federal de Rondonópolis (MT), 200 km ao norte de Cuiabá, prendeu um homem boliviano, de 51 anos, suspeito de ser o piloto de um avião localizado na semana passada em uma fazenda do pantanal matogrossense. Segundo a PF, que divulgou os resultados da operação apenas nesta segunda-feira, a aeronave teria sido utilizada para a entrega de 460 kg de cocaína apreendida na zona rural de Caiapônia (GO), no dia 21 de agosto.

Avião apreendido foi perseguido pela Força Aérea Brasileira

Segundo nota da Delegacia de Polícia Federal em Rondonópolis, o avião Cessna modelo 206C havia sido perseguido pela Força Aérea Brasileira após realizar a entrega em Goiás no último dia 21. Para fugir, o piloto executou um pouso em uma clareira localizada entre os municípios de Santo Antônio do Leverger e Itiquira, em Mato Grosso. Após o pouso, o piloto e um copiloto fugiram pela mata, abandonando o avião.

Policiais federais encontraram nesta sexta-feira o piloto boliviano em uma fazenda localizada a mais de 40 km do local do pouso. Segundo a PF, o piloto afirma que se separou do outro tripulante da aeronave após alguns quilômetros e que, quatro dias após o pouso, foi encontrado por um funcionário da fazenda onde foi realizada a prisão.

O piloto teria recebido, segundo a PF, cerca de R$ 8 mil para realizar o voo desde o território boliviano até Goiás. O acusado está preso no município de Rondonópolis com mandado expedido pela Justiça Federal goiana.

O avião foi encontrado pela PF na última quarta-feira em local de difícil acesso e bastante danificado. Equipes policiais ficaram acampadas na guarda do aparelho e organizaram os reparos necessários para retirar o aparelho do local.

A aeronave, cujo valor de mercado é de cerca de R$ 250 mil, foi apreendida e está a disposição da Justiça Federal de Rio Verde (GO).

Fonte: Terra - Foto: Polícia Federal/Divulgação

SKYEUROPE SUSPENDE OPERAÇÃO EM TODA EUROPA


A Portway confirmou hoje, terça-feira, que a SkyEurope suspendeu "por hoje" toda a sua operação na Europa, acrescentando que desconhece o que se poderá passar daqui em diante.

"A SkyEurope suspendeu por hoje [quarta-feira] toda a operação na Europa. Não tenho mais informação sobre se vão operar amanhã (quarta-feira) ou não. Não temos contacto nenhum com eles e é isso que temos estado a dizer aos passageiros", disse à agência Lusa Bruno Andrade, supervisor da área de passageiros da Portway.

Questionado sobre a situação dos passageiros que não puderam embarcar, Bruno Andrade disse que "o aeroporto não pode fazer nada", pelo que todos os problemas "terão de ser resolvidos pelos passageiros".

fonte: Sapo/pt/foto/divulgação

RAF ESTUDA PROLONGAR VIDA DOS TYPHOON

typhoon-raf-foto-eurofighter

O Reino Unido está avaliando a possibilidade de estender a vida útil da estrutura do Typhoon para mais de 6.000 horas de voo. Desta maneira os aviões de construção mais antiga poderão voar além de 2030, data provável de sua retirada de serviço.

No entando, estas projeções podem mudar, pois são constantemente atualizadas. Tudo depende de como as aeronaves serão utilizadas operacionalmente e a frequência dessas operações. Como comparação, a vida útil da estrutura do Tornado possui cerca de 8.000 horas de voo, ou seja, 33% a mais que o Typhoon.

Além de ter a maior frota de Typhoon, a RAF também é a que mais voa. Até o momento o Reino Unido acumulou mais horas de voo que os seus parceiros do consórcio (Alemanha, Itália e Espanha). Na RAF os Typhoon voam, em média, 30 horas por mês, por célula. Os outros países voam no máximo 15 horas.

Segundo o Ministério da Defesa do Reino Unido a frota de caças Typhoon atingiu 25.000 horas de voo no final de 2008. Nos outros países o valor anual chega a 10.000 ou menos.

A frota atual da RAF conta com 49 aeronaves do modelo Tranche 1 e sete do modelo Tranche 2. Estas formam dois esquadrões de linha e duas outras unidades de ensaios de voo e treinamento. Outros três esquadrões devem ser criados na Escócia entre outubro de 2010 e outubro de 2012.

O primeiro deslocamento operacional de longo curso deste novo caça da RAF deve acontecer no final do ano, quando os Typhoon substituirão os 4 Tornado F3 do esquadrão 1435, atualmente baseado em Mount Pleasant, ilhas Falkland/Malvinas.

fonte:Flightglobal/foto/divulgação

EXPRESSJET COMEMORA CINCO MILHÕES DE HORAS DE VOO DE ERJ 145

Empresa é a maior cliente deste modelo de aeronave

expressjet

A Embraer celebra junto com a ExpressJet Airlines, cliente com base na cidade de Houston, nos Estados Unidos, que opera exclusivamente mais de 240 jatos ERJ 145, mais um momento histórico desta parceria: cinco milhões de horas de vôo com sua frota de aeronaves ERJ 145, em operação desde 1996.

“Na qualidade de primeiro cliente da frota ERJ 145 da Embraer, nós realmente valorizamos nosso relacionamento com a Empresa”, disse Jay Perez, Vice-Presidente de Pessoal e Material de Serviços da ExpressJet Airlines. “Nos tornamos a operadora do equipamento Embraer mais confiável do mundo e estamos orgulhosos por completar cinco milhões de horas de vôo com uma taxa de término na manutenção de mais de 99,9%”, acrescentou Perez.

“Em nome dos empregados da Embraer, em todo o mundo, parabenizamos a ExpressJet por este feito extraordinário. O relacionamento e o sucesso mútuo que dividimos com este cliente especial nos honra e orgulha profundamente”, afirmou Bruce Peddle, Diretor para América do Norte – Aviação Comercial, durante breve cerimônia no hub da ExpressJet, na qual foi oferecida uma placa comemorativa às equipes de gerenciamento e manutenção da companhia aérea.

Sobre a ExpressJet Airlines

A ExpressJet Holdings (NYSE: XJT) opera diversas divisões destinadas a potencializar a experiência de gerenciamento, eficiência e economia de escala presente nas suas subsidiárias, incluindo a ExpressJet Airlines, Inc., e a ExpressJet Services, LLC. A ExpressJet Airlines atende a 128 destinos regulares na América do Norte e no Caribe, com aproximadamente 1.160 partidas diárias. As operações incluem um contrato de capacidade de compra com a Continental, fornecendo aos clientes opções de vôos fretados personalizados, com 41 e 50 assentos (www.ExpressJet.com/charter), além de serviços de aviação e de solo a terceiros. ERJ 145, em operação com a ExpressJet desde 1996.

fonte: Embraer foto/divulgação

MIGS 'ESTOCADOS' NA SÉRVIA PARA FORÇA AÉREA DO IRAQUE

MiG-21 da Força Aérea do Iraque (notar a camuflagem de deserto)
com marcas da
Força Aérea Sérvia (Ex-Iugoslávia).
Pelo menos 3 foram usados na Guerra Civil que dividiu a
Iugoslávia.

O Ministério da Defesa do Iraque revelou neste domingo localizou pelo menos 19 caças dos modelos MiG-21 e MiG-23 que se encontravam armazenados na Sérvia onde tinham sido enviados para revisão em 1989. Bem antes da invasão do Kuwait quando foi determinado o embargo econômico e de armas contra o país.
Assim uma delegação técnica do Iraque, liderada pelo chefe da força aérea, general Anwar Mohammed Amin, foi enviada a Sérvia para negociar o retorno ao país das aeronaves. O Governo Sérvio que este ano já exportou 100 milhões em armas ao Iraque e no ano passado pelo menos 235 milhões dólares, prometeu devolver imediatamente para uso pelo menos dois MiGs. Posteriormente as demais devem ser devolvidas ao ritmo a proporção que forem revisadas na base aérea de Rush.
MiG-23 Iraquiano (observar as marcas em árabe) sendo examinado pelos Sérvios abaixo a mesma aeronave com marcas da Força Aérea Sérvia (Ex-iugoslavia)
Atualmente a força Aérea do Iraque (que já foi uma das maiores do mundo com 750 aviões) conta com apenas 87 aeronaves, principalmente de transporte e aviões de reconhecimento e helicópteros, e somente uma aeronave de ataque ao solo. Não tem caças. Recentemente o país adquiriu um lote de aeronaves de treinamento T-6 Texan II. A Força Aérea do Iraque já anunciou a intenção de adquirir o F-16 mas até agora o Governo Americano não autorizou o fornecimento de caças de Alto desempenho.
Mosul, Iraq. Mig-21bis iraqui con numeral "21240". Fotografiado en Abril de 2.004 al poco de ser descubierto. Afortunadamente aún no ha sido cubierto de graffitis, lo que nos permite apreciar su camuflaje original, a pesar del polvo y la arena. Está en aparente bastante buen estado. No se ha partido. Simplemente se ha intentado separar la parte trasera del fuselaje por la junta, maniobra normal cuando se queria acceder al motor para repararlo. (texto hangar TJ)
A opção de re-incorporar aeronaves MiG que estavam na Sérvia deverá então restituir a capacidade da aviação de caça do Iraque bem antes deste do pais comprar uma aeronave americana. Há uma importância muito grande para o Iraque conseguir restituir a capacidade mesmo que limitada de sua aviação de caça, já que a saída dos contingentes americanos em 2010 deixará a cargo dos próprios Iraquianos a defesa do país, o que não ocorreria na questão da Força Aérea.
Mais Fotos de outro MiG-23 do Iraque enviado a sérvia em 1989 para revisão (observar camuflagem de deserto e marcas Iraquianas cobertas).

Vale salientar ainda que as autoridades iraquianas localizaram outros ativos do país estocados em países como Egito, Rússia, França e Itália. Foram descobertas duas embarcações patrulha pertencentes ao Iraque, no Egito e outras duas na Itália. Foram descobertos ainda outros materiais na França (
Nota: há informações que alguns Mirage F-1 foram retidos na França e depois repassados a Espanha) e na Rússia, afirmou o Sr. Askari, porta-voz do Ministério da Defesa.
fonte:HangardoVinna\New York Times\fotos:Air Serbia\Key Publishing
Enhanced by Zemanta

BOLÍVIA QUER IMPORTAR AVIÕES DE COMBATE DO BRASIL OU DA CHINA


K-8 Karakorum from Zambia Air Force

A Bolívia fixou a meta de adquirir seis aviões de combate importados de Brasil ou China, informou o ministro da Defesa Walker San Miguel, depois que os Estados Unidos não autorizaram que a República Tcheca fornecesse aeronaves ao país.

"Podem ser os (aviões) chineses ou podem ser os Super Tucano do Brasil. Um dos dois pode ser", afirmou o ministro, citado nesta segunda-feira pelo jornal La Razón, sem dar maiores detalhes sobre as negociações.


O governo de Evo Morales quer que a Bolívia tenha seus primeiros aviões de combate, e desde o ano passado tenta comprar da República Tcheca seis aeronaves de guerra L-159 ALCA, fabricadas com componentes americanos, por 58 milhões de dólares.

No entanto, o próprio presidente boliviano revelou em agosto passado que os Estados Unidos haviam proibido a República Tcheca de vender os aviões para a Bolívia, sem indicar as causas do veto.

A Bolívia também negocia a aquisição de 100 milhões de dólares em armas e equipamento militar da Rússia, que pode vender aos bolivianos um avião Antonov para o uso oficial de Evo Morales, que não possui uma aeronave própria para viajar para fora do país.

Treinador Avançado Chinês Hongdu L-15 Falcon
NOTA: Os Treinadores Chineses L-15 devem ser objeto de análises pelos bolivianos, é importante observar o seguinte: Conhecidência ou não um dos primeiros países interessados nos L-159 foi a Venezuela em 1998 (que financiava a compra pela Bolívia). A compra não se operacionalizou uma vez que os EUA não autorizaram a exportação em razão do motor e da aviônica.


Os Chineses chegaram a oferecer ao custo de 9 milhões de dólares os F-7M Airguard com aviônica básica e HUD do F-16, mas a oferta foi descartada. Interesante que proposta "similar" foi feita pela China em 1987 a Força Aérea Brasileira (veja AQUI)


MICHAEL ROBERT DACRE MORRE TESTANDO SEU INVENTO - O JETPOD - O TAXI VOADOR



Destroços do avião

Um trágico acidente encerrou a carreira de um dos mais destemidos inventores do mundo da aviação, uma ciência que cobra alto daqueles que ousam desafiar limites. O britânico Michael Robert Dacre, de 53 anos, morreu esta semana em Taiping, a 300 km de Kuala Lumpur, Malásia, ao realizar o primeiro teste do seu Jetppod, um tipo de aeronave de decolagem curta com múltiplas funções.

As causas do acidente são desconhecidas, mas a hipótese de uma falha estrutural é a mais provável, pelas circunstâncias do acidente. Dacre havia acabado de subir, segundo uma testemunha depois de ter feito três tentativas. Na quarta, a aeronave experimental de oito lugares conseguiu elevar-se do solo cerca de 200 metros. Subitamente arremeteu com o bico em um ângulo forçado e guinou sobre a asa esquerda, mergulhando direto para o solo. Antes do choque, o jato biturbinado explodiu. O vôo de teste deveria ter sido realizado com o projetista sendo acompanhado de um co-piloto, mas na hora o inventor preferiu voar só.


Ilustração conceitual

Dacre era dono da Avcen, empresa que criou em 1998 para poder lançar o seu táxi voador, que esperava ver comercialmente à venda já no ano que vem. Acreditava que, pelas características do projeto do Very Quiet Short Take-off and Landing (VQSTOL), a rentabilidade seria garantida pelo fato de pequenas pistas de pouso, ou mesmo trechos de rodovias, poderem ser utilizados como rampas de decolagem próximas aos centros urbanos para trajetos de curta e média distância. Nos cálculos de Michael Dacre, bastariam 145 metros para que o Jetpod ganhasse altitude graças a uma combinação de empuxo horizontal e vertical.

Isso seria possível não só em função das características do modelo, considerado extremamente silencioso, como pela forma de utilização. Dacre estava de olho também nas concorrências militares, já que um avião como esse, capaz de atingir velocidade em torno de 350 milhas por hora, poderia ser utilizado em missões de infiltração, resgate aéreo e outros tipos de ações especializadas.

A morte de Michael Dacre ilustra bem a dificuldade de se desenvolver algo inédito ou revolucionário em aviação, especialmente quanto à esse tipo de comportamento: a história do VC-22 Osprey e suas asas configuráveis ficou marcada por três terríveis acidentes antes que finalmente o projeto de um transporte fosse aprovado pelos militares dos EUA. Movido a hélice e turbina, o Osprey decola como um helicóptero antes de assumir a configuração de avião.

Há 11 anos, a possibilidade de voar do centro de Londres ao aeroporto de Heathrow em apenas quatro minutos, e pagando US$ 65, parecia sedutora. Uma solução para a saturação do trânsito urbano em uma era pré-pedágio ou na qual a solução aérea ainda era considerada a mais politicamente correta ou viável. Com o volume de tráfego do hub londrino de hoje em dia, imaginar que uma frota desses “cavalos de carga”, como os chamava seu inventor, seria a solução tornou-se déja vú. Soaria mais como uma cena de Blade Runner do que como uma revolução do transporte, que exige soluções mais abrangentes, de menor custo e sobretudo não poluentes. Por ser movido a querosene de aviação, o Jetpod dificilmente obteria a homologação para trafegar em aerovias tão próximas das áreas mais saturadas.



Fonte: JB Oline

ESQUADRÃO CARCARÁ VENCE TAREC 2009

tarec O 1° Esquadrão do 6° Grupo de Aviação, Esquadrão Carcará, venceu, nesta sexta feira, 28, o 3° Torneio da Aviação de Reconhecimento (TAREC), a competição bienal entre os esquadrões de Reconhecimento da FAB.

A aviação de reconhecimento tem papel fundamental nos conflitos por ser responsável pela coleta de informações sobre o teatro de operações. Com a ajuda de sensores fotográficos e eletrônicos, as aeronaves de reconhecimento esclarecem os pontos no território que podem ser considerados alvos de ações militares. Aviação de reconhecimento pode também aferir o grau de destruição dos alvos atingidos pela aviação de caça.

A TAREC é organizada pela III Força Aérea (FAEIII), Organização da FAB responsável pelas aviações de Caça e reconhecimento. Na edição deste ano 90 homens dos Esquadrões de Reconhecimento disputaram provas esportivas e operacionais, durante cinco dias, na Base Aérea de Fortaleza, no Ceará.

Após um começo irregular, com resultados ruins nas provas de vôlei e Cabo de Guerra, o 1°/6° GAV conseguiu mudar a sorte no torneio ao vencer a Corrida de Orientação e a Prova Aérea. “As outras unidades estão de parabéns. Nós vamos guardar este troféu com muito orgulho e satisfação”, afirma o Ten Cel Beraldo, comandante do 1°/6°GAv.

Para o comandante da FAE III, Brigadeiro do Ar Antônio Carlos Egito do Amaral, o TAREC 2009 cumpriu totalmente os objetivos. “Essa é uma oportunidade que nós temos para treinar toda a doutrina de reconhecimento e até mesmo aperfeiçoar essa doutrina”, afirma o Brigadeiro.

A próxima TAREC acontece em 2011. Até lá, o troféu da Aviação de Reconhecimento vai ficar em lugar de destaque na sede do Esquadrão Carcará, na Base Aérea de Recife.

Fonte: FAB/CECOMSAER

EXPLICAÇÃO DA TRAGÉDIA DO VOO AF447 RIO-PARIS PODE DEMORAR UM ANO E MEIO

O diretor da investigação técnica francesa do acidente do voo AF447 Rio-Paris da Air France, Paul-Louis Arslanian, declarou nesta segunda-feira que a busca das caixas-pretas será retomada durante o outono do hemisfério norte (primavera no Brasil), ao mesmo tempo que revelou esperar ter uma explicação sobre a tragédia dentro de "um ano ou um ano e meio".

Paul-Louis Arslanian, diretor do Escritório de Investigações e Análises francês, durante coletiva em 17 de junho, em Paris

"A busca deve ser retomada durante o outono. Quando durante o outono não sei", afirmou o diretor do Escritório de Investigações e Análises (BEA, na sigla em francês).

Ao mesmo tempo, Arslanian afirmou que o BEA aguarda os resultados detalhados das nceropsias.

"Nossos colegas brasileiros nos proporcionaram, à medida que nossa investigação avançava, uma grande quantidade de informações disponíveis no Brasil. É por este canal que espero os resultados detalhados das autópsias. Ainda não tenho os mesmos", afirmou.

"A justiça francesa nos comunicou os elementos que tinha em seu poder, ou seja, os resultados globais, mas não os resultados detalhados das autópsias", completou.

As necropsias realizadas no Brasil indicam que as vítimas não morreram afogadas. A operação de resgate recuperou apenas 50 corpos das 228 vítimas e 43 foram identificados formalmente

Quanto às tarefas de busca das caixas-pretas, podem custar pelo menos 10 milhões de euros (14 milhões de dólares), ou mais, segundo Arslanian.

A construtora europeia Airbus anunciou no início do mês que participaria no financiamento.

No dia 20 de agosto, uma segunda fase das operações de busca submarina das caixas-pretas do Airbus A330 da Air France, que caiu no Atlântico em 1º de junho entre Rio de Janeiro e Paris, terminou sem obter resultados. Uma primeira fase havia sido encerrada em 10 de julho, quando, a princípio, os aparelhos deixaram de emitir sinais.

Na terceira fase, a investigação se ampliará a outros países, segundo Arslanian.

"Vamos atuar não apenas com os países que já têm trabalhado conosco na investigação, Estados Unidos, Brasil, Alemanha, mas também com outros", completou.

"Até agora não podemos explicar o acidente. Ainda não encontramos a causa do acidente do AF447", afirmou Arslanian. Mas ele disse esperar poder apresentar uma explicação sobre o acidente "em um ano ou um ano e meio".

Na apresentação de um relatório em 2 de julho, o BEA considerou que os problemas com as sondas "pitot" que medem a velocidade da aeronave eram "um elemento mas não a causa" do acidente que matou 228 pessoas.

A suspeita é de que estas sondas de medição de velocidade transmitiram informações incoerentes aos pilotos. Assim aparece nas mensagens técnicas automáticas enviadas pelo avião antes do acidente.

Em outras ocasiões já haviam sido detectados problemas similares nos Airbus A330.

Em 31 de julho, a Agência Europeia de Segurança Aérea exigiu a substituição das sondas Pitot do grupo francês Thales nos Airbus A330/A340 pelas de outro fabricante.

"Os problemas da pitot existem desde que existe a aviação", declarou Arslanian, justificando por quê "com ou sem razão" o BEA se absteve de emitir uma recomendação sobre a substituição destes sistemas.

Um novo relatório sobre o acidente deve ser divulgado dentro de algumas semanas, de acordo com Arslanian.

Fonte/Foto: AFP

SOL ESPERA OBTENÇÃO DO CHETA PARA COMEÇAR A VOAR

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) delibera em reunião de diretoria amanhã sobre a concessão da nova empresa aérea regional Sol Linhas Aéreas para exploração de serviço de transporte aéreo público regular de passageiro, carga e mala postal.

A companhia já recebeu autorização de funcionamento jurídico da Anac e passou pelas avaliações dos requisitos operacionais: certificação das aeronaves, treinamento da tripulação e da equipe em solo, plano de segurança, voo de teste e diversos outros itens, para que atendam aos padrões brasileiros e internacionais de segurança. Agora a Sol aguarda a obtenção do Certificado de Homologação de Empresa de Transporte Aéreo (Cheta) para lançar operações aéreas.

Fonte: Panrotas

TRÊS MORTES EM ACIDENTE DE HELICÓPTERO NA ÁFRICA DO SUL

Três pessoas (pai e duas filhas) morreram no final da manhã deste domingo (30) quando o helicóptero em que estavam caiu no vale Heidelberg, ao lado do White River Mpumalanga, na África do Sul. O piloto, George Snyman, 49 anos, um homem de negócios Nelspruit, e suas duas filhas estavam a caminho de casa em Klaserie, em Limpopo, quando ocorreu o acidente.

Os destroços do helicóptero - Foto: Beeld

O helicóptero amarelo Aerokopter AK1-3 Sanka, prefixo ZU-RIT, que esta registrado para Snykor CC / George Snyman, e era regularmente visto voando no vale de Heidelberg. As pessoas que vivem na área dizem que ele pousou várias vezes na região, para visitas curtas.

Minutos antes do acidente, o piloto ainda estava em contato por rádio com a torre de controle do Kruger Mpumalanga International Airport (KMIA).

Pouco antes das 10 (hora local) os moradores do assentamento informal nas proximidades ouviram um estrondo. Pouco tempo depois, um incêndio com origem na queima da plantação e, quando foram para o local, encontraram os destroços do helicóptero. A polícia disse que ele explodiu com o impacto perto de uma plantação de eucalipto.

Uma equipe da Cruz Vermelha foi enviada para o local do acidente. Eles descobriram que Snyman e as duas meninas Cindy Nel, 11, e Zambrie Germishuizen, 8, não tinham sobrevivido. Uma das meninas estava, aparentemente, sentada no colo da outra no helicóptero que possui apenas dois lugares. Os três ocupantes ficaram irreconhecíveis.

Membros da Aviação Civil foram enviados para investigar a causa do acidente. Os corpos foram levados para Pretória para exames forenses.

Foto do ZU-RIT em Nelspruit, na África do Sul, em 06.01.2008
Foto: Wayne Smit (Airliners)

ENCONTRO NACIONAL DE AVIAÇÃO VIRTUAL

BRASIL É O SEGUNDO MAIOR MERCADO MUNDIAL DE AVIAÇÃO AGRÍCOLA

De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas da Aviação Agrícola (Sindag), o setor tem apresentado um crescimento de 5% ao ano. A entidade afirma que esse número significa o ingresso anual de 50 novos aviões na frota de aeronaves agrícolas do país.

Quase seis décadas depois do primeiro vôo agrícola do Brasil, o setor representa o segundo maior mercado no segmento do mundo. São 300 empresas especializadas e cerca de 1,4 mil aviões, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

A expectativa dos empresários é ampliar o crescimento nos próximos anos e, para isso, especialistas do setor defendem um maior investimento em tecnologia, revisão de conceitos técnicos e integração efetiva com o agronegócio.

Fonte: Canal Rural

BOMBEIRO NÃO CONFIRMAM QUEDA DE AVIÃO EM ARAPONGAS


Um telefonema para a corporação informou que um avião de pequeno porte poderia ter caído na tarde deste domingo (30), em local conhecido como Mata do Frigorífico, na região da Associação dos Pais e Amigos de Excepcionais (Apae), em Arapongas, no norte do Paraná.

Informações preliminares do Corpo de Bombeiros dão conta que populares observaram quando o avião sobrevoou o centro da cidade soltando fumaça.

Equipes do Corpo de Bombeiros, da PM e do Samu ainda procuram o local exato da possível queda da aeronave, mas nada foi encontrado até o momendo. As autoridades não descartam a possibilidade de a informação ser um trote.

Fonte: TNNews

DASSAULT INAUGURA UM CENTRO DE MANUTENÇÃO NO BRASIL

Técnicos em unidade da Dassault: Brasil já tem 30 aviões da fabricante em operação

Para a maior parte dos gigantes corporativos, a China é o emergente da moda. Seu ritmo de expansão econômica é tão alto que deu origem ao termo "crescimento chinês" para qualquer resultado acima dos 8% ao ano. De quebra, o País ainda tem um mercado interno pouco explorado, equivalente a mais de um sexto da população mundial. Num setor, porém, o colosso chinês está atrás do Brasil.

No mercado de aviões executivos, a China está cerca de dez anos atrás do Brasil, conta o presidente mundial da Dassault- Falcon, Jean Rosanvallon, em entrevista à DINHEIRO. Por isso, no início do mês, a empresa inaugurou em Sorocaba, no interior do Estado, um centro de manutenção e serviços próprio, o primeiro desse tipo a ser construído fora dos EUA e da Europa.

O investimento, de US$ 5 milhões, é uma resposta, segundo o executivo, a exigências de clientes. Hoje, já existe uma frota de 30 Falcon em operação no Brasil. São aviões executivos de médio porte, com capacidade para 10 a 15 passageiros, autonomia para viagens intercontinentais e preços superiores a US$ 10 milhões. Sem o centro de serviços, os clientes são obrigados a levar suas aeronaves para manutenção e reparos nos EUA, o que significa ficar pelo menos dois dias sem eles.

"É uma ferramenta cara e o que mais pesa para o usuário é a disponibilidade do avião", afirma Rosanvallon. Para ele, isso já justifica a construção da unidade no País. Mas o momento da inauguração também coincide com a reta final do programa FX-2 do governo brasileiro. O programa vai escolher o avião de caça que substituirá os Mirage 2000 da Força Aérea Brasileira. O Rafale, fabricado pela Dassault Defense, é um dos finalistas

Para alguns especialistas, haveria um caminho alternativo ao do centro de manutenção. "Um centro próprio não é a melhor solução para o fabricante. O ideal é ter um parceiro local", diz Rui Aquino, presidente da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag). Segundo ele, porém, a Morro Vermelho, antiga parceira da Dassault, passou a atuar somente para a Camargo Corrêa, sua dona, o que obrigou a companhia francesa a construir seu próprio centro no País.

Rosanvallon garante que outro fator contribuiu para a decisão: a projeção positiva para o mercado nacional. "Espero, nos próximos dez anos, vender cerca de cinco aviões por ano no Brasil. A frota brasileira pode chegar a 100 jatos executivos de cabine larga até 2019", afirma Rosanvallon. Segundo ele, mais de 40% das 500 maiores empresas da América Latina estão no Brasil, e muitas delas têm negócios importantes no Exterior.

"Elas vão precisar de aviões de longo alcance, como os nossos. Especialmente agora que as ligações com países distantes, como Japão e China, além de EUA e Europa, se multiplicam", acrescenta. Atualmente, sua carteira de pedidos firmes soma 15 unidades e, apesar da crise econômica, houve poucos cancelamentos entre clientes brasileiros.

"Estou no negócio de aviação executiva há 40 anos e nunca vi algo parecido com o que ocorre agora. Mas, embora tenha havido um número incômodo de cancelamentos em todo o mundo, foram apenas dois no Brasil", diz Rosanvallon. Em Sorocaba, o centro também pode atender donos de jatos Dassault- Falcon em trânsito pelo Brasil. Para isso, a companhia já busca certificações internacionais de agências como a FAA (a Anac dos EUA).

Segundo Rosanvallon, porém, o objetivo da unidade é mesmo prestar serviços para a crescente frota brasileira. Atualmente, segundo a Abag, há 420 jatos executivos na frota brasileira. Desse total, 15% são de médio porte, como os Falcon. "Existe mercado suficiente para absorver, por ano, 15 aviões desse tipo", diz Aquino. A Dassault já está em posição privilegiada. Enquanto em todo o mundo sua participação nesse mercado é de 40%, no Brasil, atinge 70%. O centro é uma poderosa arma para manter esse patamar.

fonte: Isto É

HELICÓPTERO CAI NA POLÔNIA


No domingo (30), por volta das 17:00 (hora local) o helicóptero RotorWay Exec 162F, prefixo SP-YSA, caiu próximo ao aeroporto de Świdnikiem, na Polônia.

O piloto de 44 anos conseguiu deixar a aeronave pouco antes que ela fosse consumida pelas chamas. Ele ainda tentou chegar a um extintor de incêndio, mas desistiu antes da explosão. O aparelho bateu no chão cerca de 150 metros do aeroporto.

Sabe-se que o helicóptero pertencia ao piloto, que realiza um voo de treinamento. Era a única pessoa a bordo.

Fonte: Gazeta Wyborcza Lublin - Fotos: Rafał Michałowski / Agência Gazeta

CTA AGORA É DCTA

DCTA O Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA-CMDO) passou, a partir do dia 18 de agosto de 2009, a ser denominado Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Nesta mesma data o Ten Brig Ar Cleonilson Nicácio Silva assumiu o cargo de Diretor-Geral da organização.

O DCTA tem sob sua responsabilidades as seguintes organizações: Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA; Instituto de Aeronáutica e Espaço - IAE; Instituto de Fomento e Coordenação Industrial - IFI; Instituto de Estudos Avançados - IEAv; Grupamento de Infra-Estrutura e Apoio de São José dos Campos - GIA-SJ; Grupo Especial de Ensaios em Vôo - GEEV; Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica de São José dos Campos - CPORAER-SJ; Centro de Lançamento de Alcântara - CLA e
Centro de Lançamento da Barreira do Inferno - CLBI

FONTE: FAB

SU-27 CAI DURANTE EXIBIÇÃO NA POLÔNIA

POLAND-CRASH/

Um caça SU-27 da Força Aérea bielorussa caiu no domingo (30) durante uma apresentação acrobática na Polônia, matando os dois pilotos, informou a polícia.

“Os dois pilotos não conseguiram se ejetar, e morreram na queda. Mas não houve outras perdas”, disse a porta-voz da polícia Agnieszka Humeluz em Radom, cidade cerca de 100 quilômetros ao sul de Varsóvia.

“O SU-27 caiu minutos após começar sua série de acrobacias, longe da área onde estavam os espectadores”, diz à Reuters Laszek Kopec, testemunha do acidente.

Nuvens de fumaça preta podiam ser vistas no lugar onde aconteceu o acidente. A televisão polonesa mostrava o grande e pesado avião fazendo três acrobacias e perdendo altitude, como se fosse pousar. Ele então sumiu do campo de visão, atrás de uma linha de árvores, e explodiu.

FONTE: G1

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...