quinta-feira, 14 de agosto de 2008

LABACE 2008

Com presença do ministro da Defesa, Nelson Jobim, foi aberta nesta quinta-feira, a LABACE, feira de aviação Latin American Business Aviation Conference & Exhibition. O evento é destinado para o mercado de jatos executivos. Dentre os destaques deste ano está o avião Global 5000, da canadense Bombardier, de US$ 38,69 milhões e o Phenom 300, da Embraer, que é exibido em público pela primeira vez.
O Global 5000 pode levar até 17 passageiros, com velocidade de máxima de 950 km/h e autonomia de 9.630 km - suficiente para uma viagem sem escalas entre São Paulo e a Cidade do Cabo, na África do Sul.
O fabricante canadense informa que seus aviões são, na maioria das vezes, adquiridos por empresas com a função de servirem de "escritório ambulante". "Neste avião há espaço para o executivo dormir, uma sala de reunião para ele fazer negócios, conexão de Internet e telefone, tudo para que a pessoa se sinta dentro de seu próprio escritório", diz Haley Dunne, executiva da Bombardier, referindo-se ao Global 5000.
No Brasil, a Bombardier já vendeu uma unidade do Global 5000, mas não informa a identidade do comprador. Segundo Dunne, a empresa canadense possuiu participação de 26% no mercado brasileiro de jatos executivos, com 92 aeronaves em operação no País. De acordo com ela, o modelo preferido é o Challenger 600, seguido pelo Learjet 45.
O destaque da brasileira Embraer na Labace é o Phenom 300, avião capaz de transportar até nove passageiros. A aeronave foi mostrada pela primeira vez em público no evento e, segundo a empresa, deve ter sua primeira entrega concretizada no final do ano que vem.
O Phenom 300 é produzido na fábrica da Embraer em São José dos Campos, no interior de São Paulo, e custa US$ 6,6 milhões e tem autonomia de 3.334 km na velocidade de cruzeiro de 834 km/h.
Segundo o diretor de Inteligência de Mercado de Aviação Executiva da Embraer, Cláudio Gaudo Carmelier, a série Phenom, que também inclui o modelo 100, já vendeu 100 unidades na América Latina, sendo 60 destas no Brasil. "Desse total cerca de um terço é de Phenom 300 e o resto de Phenom 100", afirmou. O próprio Phenom 100 foi mostrado aos participantes da feira. Apesar de não poderem conhecer o interior do avião "real", os visitantes puderam conferir como ele vai ficar em um modelo em tamanho real, disponibilizado pela Embraer em seu estande.
Além da linha Phenom, a empresa brasileira também expôs seu único modelo de jato executivo atualmente em operação: o Legacy 600, que é vendido por US$ 27 milhões e já teve 150 unidades entregues, sendo 16 em operação no Brasil (10 executivos e 6 na Força Aérea Brasileira), informou a Embraer.
De acordo com Carmelier, a aviação executiva representa atualmente cerca de 30% da carteira geral de pedidos da empresa, ou US$ 6 bilhões. "Em 2005, esse valor era de US$ 600 milhões. Então podemos dizer que o volume cresceu dez vezes em três anos", afirmou o diretor. A carteira de pedidos da empresa brasileira inclui também aviões comerciais e equipamentos militares.
Além da empresa brasileira e da Bombardier, participam da feira na capital paulista fabricantes de helicópteros e empresas de táxi aéreo. Uma delas é a Dassault, que compareceu com os modelos Falcon 900 EX e 2000 EX. Segundo a empresa, a estimativa é que 50 aviões da família estejam em operação no Brasil ao final dos próximos quatro anos, ante os 20 que estão no País atualmente.
A Labace vai até sábado e está sendo realizada no aeroporto de Congonhas. A feira é aberta ao público e o ingresso custa R$ 80.

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...