domingo, 23 de agosto de 2009

NASCE MAIS UMA EMPRESA - NOVAER CRAFT

011pilgrim

Meio que de surpresa, surge uma nova estrela em nosso céu brasileiro, pois uma nova indústria aeronáutica, a NOVAER CRAFT, está nascendo e poderá começar atendendo nichos de mercado que não interessam a Embraer, inclusive aviões para a FAB.

O primeiro avião dela será o T-Xc, projetado por Joseph Kovacs, o criador do Tucano e do T-25 Universal, da Embraer.

O T-Xc será usado em treinamento militar, como avião utilitário para particulares e para uso agrícola (pulverização de lavouras).

Os modelos serão para dois e quatro passageiros (incluindo os tripulantes), com 200 HP de potência (2 passageiros) e 300 HP (4 passageiros), com autonomia de vôo para até 1.270 milhas, sem reabastecimento.

Ele será capaz de decolar em uma pista de apenas 280 metros de comprimento, e com grande desempenho no ar (bem melhor do que o T-25), além de custar US$ 250 mil (200 HP) e US$ 350 mil (300 HP).

A versão militar será o T-Xc Pilgrin e deverá substituir os atuais treinadores T-25 Universal da FAB, utilizados há mais de 40 anos no treinamento primário da AFA.

014pilgrim

Desenvolvido na década de 60, o T-25 já vem mostrando problemas operacionais que limitam seus vôos, além da falta de peças de reposição.

A FAB tem 87 aeronaves T-25 em sua frota.

Já a versão civil do T-Xc, batizada de Stardream, foi desenvolvida para competir no mercado dos utilitários de transporte e seu maior rival é o modelo americano Cirrus SR 22, monomotor a pistão, que em 2007 vendeu 700 unidades, ao preço médio de US$ 600 mil cada.

Baseado no protótipo K-51 Peregrino, desenvolvido por Kovács, o T-Xc, será totalmente concebido em fibra de carbono, material termoplástico muito mais leve e resistente que o alumínio aeronáutico, além de ser imune à corrosão.

O peso vazio do T-25, por exemplo, é de 1.150 quilos, enquanto que o treinador Pilgrin terá cerca de 870 quilos.

016pilgrim

A aeronave voará com motor a pistão e, no caso da versão civil, com uma altitude de 32 mil pés e a vantagem de ser pressurizado.

A Novaer ainda não definiu o preço do novo avião, mas, segundo Junqueira, deve praticar uma política com valor até 10% mais barata em relação ao que se cobra no mercado. Um avião nessa categoria custa ao redor de US$ 550 mil.

fonte: Plano Brasil/divulgação

QUEDA DE AVIÃO DE TURISMO NA FRANÇA - CINCO MORTOS



Cinco pessoas morreram, este domingol na queda de um avião de turismo da Cote d'Azur, no sudeste de França. O aparelho despenhou-se numa zona habitacional perto da localidade de Callas.

Um acidente com um pequeno avião de turismo na Cote d'Azur francesa matou cinco pessoas, incluindo duas crianças de oito e 13 anos.

O aparelho despenhou-se na região de Callas numa zona habitacional perto das 10:00 locais (9:00 em Lisboa) não se sabendo por enquanto qual a nacionalidade das vítimas mortais.

Contactada pela TSF, o gabinete do Secretário de Estado das Comunidades activou a rede consular para saber se havia portugueses neste avião, sem que tenham sido obtidas informações neste sentido.

fonte/fotos: AFP

QUEDA DE AVIÃO MONOMOTOR NA ESPANHA



Um avião monomotor, Aeroprakt A-22 , caiu no jardim de uma casa no leste da Espanha neste domingo (23), causando a morte do piloto, um espanhol, e do passageiro, britânico, que tentava tirar fotografias da área onde viviam.

O acidente, que aconteceu no município de Pilar de la Horadada, na região de Alicante, deu origem a um incêndio, que foi rapidamente controlado e não causou danos maiores.

O piloto, de 50 anos, morreu no local, enquanto o passageiro britânico, de 76, chegou a ser levado para o hospital, embora não tenha resistido aos ferimentos.

fonte/foto:AFP

23 DE AGOSTO - DIA DO AVIADOR NAVAL

Logo_93anos_AvNaval

A história da Aviação Naval Brasileira se inicia em 23 de agosto de 1916, com a assinatura do decreto de criação da Escola de Aviação Naval (EAvN), pelo então Presidente Wenceslau Braz, sendo ela a primeira escola de aviação militar do Brasil e, portanto, o berço de nossa aviação militar.

Nesses 93 anos de existência, a Aviação Naval vem traçando um trajetória marcada pelo pioneirismo e bravura, lembrando que apenas dez anos após o primeiro voo do 14Bis por Santos Dumont, a Marinha do Brasil já fazia história com a aeronave Curtiss F 1916, iniciando a conquista da operação aérea em proveito dos meios da Esquadra.

Fatos que vão desde a realização do primeiro deslocamento aéreo no Brasil, passando pela participação na 1ª Grande Guerra, integrando o 10° Grupo de Operações de Guerra da RAF, até os dias atuais, nas operações com asa-fixa embarcada no Nae São Paulo (A12), o que coloca a MB em um seleto grupo dentre as marinha do Mundo.

A Aviação Naval se faz hoje presente em todo o território nacional, desde a Amazônia Azul até a Verde, através de seus Esquadrões Distritais (HU-3 em Manaus-AM, HU-4 em Ladário-MS e o HU-5 em Rio Grande-RS) e dos demais Esquadrões (HI-1, HU-1, HU-2, HA-1, HS-1 e VF-1) que formam o complexo aeronaval de São Pedro da Aldeia, que ainda compreende o Comando da Força Aeronaval, Base Aéra Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA), Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval (CIAAN), Depósito Naval de São Pedro da Aldeia (DepNavSPA) e a Policlínica Naval de São Pedro da Aldeia (PNSPA), contribuindo assim para a Defesa da pátria.

No mundo verde da Amazônia, presta apoio na área da saúde às populações ribeirinhas e patrulha nossa vias fluviais, no Pantanal, protegendo as nossa fronteiras e se estendendo até o Continente Antártico, apoiando a Estação Antártica Comte. Ferraz (EACF) e compondo o Destacamento Aéreo Embarcado (DAE) no Napoc Ary Rongel, apoiando também o desenvolvimento científico do Brasil.

A Aviação Naval Brasileira está preparada para atuar em qualquer outro cenário onde a sua presença se faça necessária.

“Aviação Naval.
No ar, a defesa do mar.”

brevetavnaval

LOGO: ComForAerNav / FOTO: Guilherme Wiltgen/PoderNav

P3AM DA FAB - TESTES DE VOO

p3am-fab-foto-ruben-galindo-verdugo-aviation-corner

Continuam os testes de voo, por parte da Airbus Military, das aeronaves Orion P-3A adquiridas pela FAB. Nas novas fotos pode-se perceber o trabalho de remontagem feito na aeronave de matrícula FAB 7200 (P-3A-60-LO).

Segundo um trabalhador da unidade, “às vezes a célula (fuselagem), já muito antiga, furava quando estávamos lixando e se fazia necessário trocar constantemente os painéis. Melhor, aumenta o nível de segurança da aeronave.”

As nove aeronaves P-3 serão usadas para missões de guerra anti-submarina (ASW) e aviação de patrulha marítima, incluindo o controle da Zona Econômica Exclusiva brasileira, para proteção de fronteiras e serviços de resgate aéreo ao longo de uma área no Atlântico Sul designada pela Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) que se estende praticamente até as águas territoriais da África.

p3am-fab-foto-ricardo-sanabria-iberian-spotters-aviation-corner

p3am-fab-foto-gustavo-aviation-corner

FOTOS: de cima para baixo, Ruben G. Verdugo, Ricardo Sanabria e Gustavo - AviationCorner.

AERONAVES DA SEGUNDA GUERRA EM CIRCUITO NOS EUA



Entusiastas da aviação, veteranos e jovens e velhos amantes da história se alinharam ao longo da cerca do aeroporto de Hagerstown, Maryland, para observar a chegada de três raras aeronaves da Segunda Guerra Mundial que estão na cidade como parte de um tour nacional.

O Boeing B-17G Flying Fortress, o Consolidated B-24 Liberator e o North American P-51 Mustang estarão em exposição na cidade por alguns dias.

Os aviões são parte do Wings of Freedom Tour, uma exibição volante da Fundação Collings que pretende honrar veteranos e educar visitantes sobre história da Segunda Guerra.

O B-17 e o B-24 são bombardeiros pesados que formaram a espinha dorsal dos esforço americano no conflito, enquanto o P-51 era um caça de escolta conhecido carinhosamente pelos bombardeiros como “amiguinhos”.

Após a guerra, muitas aeronaves foram destruídas para aproveitar seu alumínio e reconstruir a nação na prosperidade do pós-guerra e, portanto, poucos foram poupados”, disse Hunter Chaney, diretor da Collings Foundation. “A raridade do B-17, B-24 e do P-51 – e sua importância para contar a história da guerra – é a razão da Fundação continuar a voar a mostrar aeronaves por todo o país”.

O B-17 é um de somente nove exemplares em condições de voo nos EUA, e o B-24J e o P-51C Dual Control são os únicos exemplares restantes de seu tipo no mundo. Por um pequeno valor, curiosos podem visitar as aeronaves no solo; por uma quantia maior, podem fazer um voo de 30 minutos a bordo de uma das três.

Um dos primeiros a aproveitar a oportunidade foi Edwin Sprouse, 92, de Boonsboro, que serviu na USAAF como operador de rádio de um B-17 durante a guerra. “Foi diferente de alguma forma”, disse Sprouse alguns minutos após o pouso. “Eu acho que o diferente fui eu”.

Sprouse foi acompanhado pelo amigo Gene Sansone, 73, que arranjou o passeio. “Vimos num papel e pensamos que seria muito legal colocá-lo no avião de novo”, disse Sansone.

Sprouse inspecionou o compartimento do operador de rádio, mas não conseguiu entrar nele novamente, por ser muito pequeno. Na verdade, um dos mais comuns comentários feitos por pessoas que visitam essas aeronaves é que, embora pareçam enormes por fora, os espaços internos são surpreendentemente apertados.

Os pequenos espaços eram um problema menor durante a Segunda Guerra porque os aviadores eram magros por ter crescido durante a Grande Depressão”, disse Chuck Gardner, piloto do P-51 da Fundação.

A multidão incluía curiosos e pessoas atraídas pelo papel histórico das aeronaves. “O B-24 provavelmente venceu a guerra na Europa, eu acho”, disse Harry Himes, 83, que serviu na infantaria durante a guerra, mas juntou-se à Força Aérea nos anos seguintes.

Andrew Mitchell, 17, disse que veio ver o B-17 após escutar de seu avô suas histórias, de quando cumpriu 53 missões como artilheiro de uma Fortaleza Voadora.

Em sua primeira missão, o avô de Mitchell, George Franklin Silver, 86, voltou com 247 furos na aeronave, ele disse. “Estou impressionado”, disse Mitchell, “parece que dá a você um senso de respeito”.

Fonte: The Herald-Mail

ACIDENTE COM HARRIER DA MARINHA INDIANA





Um piloto das Forças Aéreas da Índia morreu hoje quando o avião de combate onde fazia um voo de treinamento caiu no mar, perto da região de Goa, informou o Ministério da Defesa indiano.

Em comunicado, o ministério informou sobre a morte do piloto Saurav Saxena no acidente, que ocorreu às 11h57 (3h27 de Brasília).

O ministério afirmou que não foi registrada nenhuma baixa civil nem prejuízo a propriedades privadas, e acrescentou que foi ordenada uma investigação sobre o acidente.

Segundo a agência indiana "Ians", o avião de combate tinha saído do aeroporto de Dabolim cerca de duas horas antes, para realizar exercícios de treinamento rotineiros.
fonte: EFE

OS NOVOS AVIÕES DA FROTA PRESIDENCIAL - BARSIL



CONFORTO
O EMB-190 pode ser adaptado para se criar diversos tipos de ambientes

A partir de setembro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá exercer sua diplomacia presidencial pelo mundo afora a bordo de um novo avião. Trata-se de um jato Embraer 190, da família E-Jet, mesmo modelo encomendado pelo ex-piloto austríaco Niki Lauda para a frota da sua companhia comercial, a Lauda Air. No caso brasileiro, o EMB-190 será usado especialmente para as viagens pela América Latina. Também servirá para transportar equipes de apoio, convidados e como aeronave reserva para casos de eventual manutenção ou pane do Aerolula, como a que ocorreu em março no retorno de uma viagem aos Estados Unidos.

Desde que trocou o velho Boeing 707, o "Sucatão", pelo moderno Airbus A319, em 2005, a Presidência estudava adquirir aviões que substituíssem os dois Boeing 737-200, chamados de "sucatinhas". Mas a repercussão negativa da compra do avião presidencial, por US$ 56,7 milhões, adiou os planos. A decisão de compra veio depois que, em 2007, uma das aeronaves apresentou problema técnico e interrompeu uma viagem da comitiva presidencial à África. O avião levava 25 empresários e 25 jornalistas. O presidente, então, comentou com assessores que o episódio havia definitivamente convencido a imprensa, que criticara a compra do Aerolula, da necessidade de renovação de toda a frota presidencial.

"Apesar de terem poucas horas de voo, os sucatinhas já têm 35 anos de idade e precisavam ser substituídos", explica a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto. Mas a aquisição das novas aeronaves também tem um objetivo comercial. Ao visitar outros países com jatos da Embraer, o presidente Lula aproveitará para fazer propaganda da indústria nacional. Os dois EMB-190 custaram cada um US$ 52 milhões (um total de R$ 168 milhões, ao câmbio de R$ 1,62, de agosto de 2008). De acordo com autoridades militares ouvidas por ISTOÉ, o governo teria economizado R$ 30 milhões em relação ao preço da concorrência. As aeronaves tiveram a autonomia de voo estendida para até oito horas, podendo decolar de Brasília e chegar às Ilhas Canárias, na costa africana. Com apenas uma parada técnica para reabastecimento, será possível atingir a África e a Europa.

Com 36,7 metros de comprimento e 28 metros de envergadura, o EMB-190 voa a 850 km/h. "Como se trata de um avião presidencial, muitas modificações foram feitas, a fim de comportar as atividades do presidente", afirma o major-brigadeiro Joseli Parente Camelo, da Segurança Institucional. O interior foi reconfigurado para abrigar um gabinete de trabalho, com banheiro, além de 36 assentos do tipo classe executiva e mais 11 poltronas. Todas as comunicações são criptografadas para evitar interceptações. A primeira unidade presidencial do EMB-190 foi batizada de Bartolomeu de Gusmão (o padre luso-brasileiro, inventor e primeiro a voar em um balão operacional) e ganhou duas faixas diagonais com as cores verde e amarela. Já está voando, mas problemas de homologação da anac obrigaram a embraer a refazer a cabine, o que adiou a entrega oficial da aeronave, prevista para junho. O segundo EMB-190 deverá ser entregue até dezembro e será uma espécie de espelho do "Bartolomeu de Gusmão", com a mesma configuração interna e de desempenho. Os dois aviões já sairão de fábrica com as modificações nas portas do compartimento de bagagem e nos sliders, os escorregadores para evacuação de emergência, conforme orientação feita pelas agências reguladoras da aviação dos Estados Unidos.

Fonte: Gabinete de Segurança Institucional da Presidência

Fonte da matéria: Claudio Dantas Sequeira (IstoÉ) - Fotos: Divulgação/Embraer; Ag. Brasil - Arte: Fernando Brum

MULHER MORRE EM ACIDENTE DE AVIÃO NO CIRCUITO DE SILVERSTONE


A americana Vicki Cruse, 40, da Califórnia, era a única pessoa a bordo da aeronave e morreu no local. Não houve feridos em solo, informou um porta-voz da polícia.

Ela estava fazendo parte em um show acrobático quando a aeronave caiu sobre o circuito por volta do meio-dia.

O show aéreo foi o primeiro a ser realizado sempre no local famoso no mundo do automobilismo.

Um porta-voz da polícia de Northamptonshire, afirmou: "Nós estamos lidando com um acidente em Silverstone, mas um acidente envolvendo uma aeronave. Essa questão está sendo atendido pelo AAIB (Air Accidents Investigation Branch) e será tratado pela Polícia de Thames Valley à medida que está sobre a sua área de atuação."

O show aéreo de 13 dias, organizado pela Associação Britânica de Acrobacias, foi projetado para testar as habilidades de cerca de 60 pilotos de 19 países com os maiores níveis mental e físico.

Este sábado estava sendo usado como um dia de treino antes do show aéreo e era aberto ao público. Os pilotos realizavam acrobacias sobre as arquibancadas, a velocidades de até 150 mph.

Os pilotos estavam utilizando as pistas no circuito de Buckinghamshire, que se encontram dentro do contorno da faixa atual e data de quando o local era uma base aérea de bombardeiros durante a Segunda Guerra Mundial.

O avião Zivko Edge 540 caiu no extremo sul da pista. Uma testemunha disse que "ela voou para cima e depois direto para baixo, caindo direto no chão. Não houve incêndio e nenhuma fumaça, apenas um terrível acidente."

The Air Accidents Investigation Branch (AAIB) está investigando o acidente.

Fontes: telegraph.co.uk / BBC News / dailymail.co.uk

QUEDA DE HELICÓPTERO FAZ QUATRO MORTES NA ITÁLIA


O helicóptero I-REMS fotografado em maio de 2007
Foto: Stefano Capuzzo (Airliners)


Quatro pessoas morreram num acidente de helicóptero que caiu na região de Veneto, na Itália, na tarde de sábado (22).

O helicóptero Agusta A109S Grand, prefixo I-REMS, do Elidolomiti - SUEM 118 Regione Veneto, estava sobrevoando as montanhas das Dolomites, onde ocorreu uma desmoronamento que interrompeu uma estrada, para avaliar a situação.

O aparelho chocou-se contra cabos elétricos e caiu.

O mau tempo que se tem sentido na região montanhosa, pode estar na origem deste acidente.

A bordo do helicóptero estavam, além do piloto, um médico e dois técnicos. Os corpos já foram recuperados e encaminhados para a morgue do hospital da cidade de Cortina d'Ampezzo.

Fontes: Rádio Renascença (Portugal) / ASN

HIDROAVIÃO CAI EM LAGO NA ALEMANHA

Um hidrovião se acidentou dia (22) ao meio-dia no Rio Elba, no porto de Hamburgo, norte da Alemanha, tendo morrido uma mulher na sequência dos ferimentos, anunciou a polícia local.

O avião Cessna TU206G, prefixo D-ESKI, da Clipper Aviation, falhou a sua amerrissagem e virou-se no momento em que entrou em contato com a superfície da água, explicou um porta-voz da polícia de Hamburgo.

Ignora-se se o aparelho devia amerrissar no porto de Hamburgo ou se se tratava de uma amerrissagem de emergência, informou a fonte.

O piloto conseguiu sair da cabine de pilotagem, já debaixo de água, não tendo ficado ferido, apenas em estado de choque.

Em contrapartida, os dois passageiros não puderam sair pelos próprios meios do aparelho, tendo sido recolhidos por bombeiros e depois reanimados.

O homem escapou, embora esteja em estado grave, mas a mulher morreu pouco depois no hospital, informou a polícia.

Fontes: Agência Lusa - Fotos: Frank Brandel (DDP) / Andre Zand Vakili / Reuters

QUEDA MONOMOTOR MATA DOIS EM MINAS

Foto: Sérgio e Rodrigo Portari (Terra)

Foto: Agência Estado

A aeronave ultraleve Paradise 1, prefixo PU-TSN, caiu na manhã de sábado (22) na fazenda São Sebastião, próximo ao km 10 da BR-364, no município de Comendador Gomes, no Triângulo Mineiro. Segundo informações do 6º pelotão do Corpo de Bombeiros da cidade de Frutal, os dois ocupantes da aeronave morreram na hora.

Os corpos foram retirados pela equipe de resgate e identificados. As vítimas foram Antônio Aparecido Fernandes, de 59 anos, e José Tolentino Filho, de 68 anos.

A queda aconteceu por volta das 7 h, mas apenas às 10h os bombeiros foram acionados. Técnicos da Aeronáutica foram para o local do acidente para realizar a perícia.

Até o início da tarde não havia pistas sobre as causas da tragédia. A aeronave, que saiu de Votuporanga, em São Paulo, ia com destino à cidade mineira de Araguari.

Fontes: (Estado de Minas) foto/ vc repórter (Terra)

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...