terça-feira, 29 de dezembro de 2009

NOVAS FOTOS DO ACIDENTE NA JAMAICA





 

fonte/fotos-agradecimento - blog Aviões&Música/Renilson/Lito

DUAS PESSOAS FICAM FERIDAS EM ACIDENTE COM MONOMOTOR EM CURITIBA


No momento da decolagem, vento deslocou o avião de pequeno porte que se chocou contra um muro

Um acidente com uma avião monomotor deixou dois feridos em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, na tarde desta terça-feira (29). A aeronave não conseguiu ganhar altura no momento da decolagem e acabou batendo em um muro.

O co-piloto Marcos Parteca, 38 anos, foi encaminhado para o Hospital do Trabalhador. Já o piloto, identificado apenas como Túlio, sofreu múltiplas fraturas, segundo o Corpo de Bombeiros. Ele foi levado pelo helicóptero da Polícia Rodoviária Federal até o Hospital Vita.

O acidente aconteceu por volta das 17h15 no aeroclube de São José dos Pinhais, localizado Rua Joroslau Sochaki, bairro Ipê. Ainda não se sabe as causas, mas a pista molhada pode ter contribuído. A aeronave é de Guarapuava, na região central do estado.


fonte/foto/GazetadoPovo/blogBGA

VOAR VAI FICAR MAIS CARO

Há exatamente um ano, dois primos me convidaram para os seus casamentos no interior de São Paulo. Um em abril e outro em outubro. Pesquisa daqui, pesquisa ali, acabei encontrando passagens de avião, de Curitiba para Campinas, para mim, minha mulher e minha filha por R$ 50 mais taxas. Ao todo, nas duas viagens gastei R$ 720,00.

Se eles casassem em 2010, pagaria bem mais pelas passagens. Fiz uma simulação na mesma companhia aérea que viajei e nos mesmos voos. Sabem quanto gastaria? R$ 1419,40. É quase o dobro do que paguei há um ano. Sabe o por quê? Com a demanda aquecida, ficou muito mais difícil conseguir aquelas superpromoções.

É a lei do mercado: mais gente voando, preços mais caros. Segundo a Infraero, entre janeiro e outubro passaram 103,7 milhões de passageiros pelos aeroportos brasileiros. É 9,85% mais do que no ano passado.
E isto deve ser uma tendência para 2010. A estimativa, das próprias empresas aéreas, é de que os preços das passagens aumentem entre 10% e 20%. Com duas empresas - TAM e Gol - transportando 87,2% dos passageiros no Brasil, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil e a economia em alta - as previsões de crescimento são de 5% - achar uma superpromoção daquelas, para onde você quer voar, vai ser igual a tentar encontrar uma agulha em um palheiro.

Lentamente, e bem lentamente, o mercado brasileiro está ficando um pouco mais concorrido. Em 2008, as duas maiores empresas transportavam 92,9% dos passageiros brasileiros, ou 13 em cada 14. Mas as empresas menores mostram que estão sendo mais eficientes: enquanto os aviões brasileiros saem com 66% dos assentos ocupados, os da novata Azul decolam com uma ocupação de 79,20%, de acordo com a Anac. E os da Oceanair, com 70,85%. Não só preço como atendimento influenciam na hora de escolher uma passagem aérea.

Esta perda de mercado e de eficiência preocupa as grandes. Não é a toa que a TAM comprou a pequena Pantanal (0,14% do mercado) por R$ 13 milhões. Seu ativo mais precioso eram as licenças para operar a partir do movimentadíssimo aeroporto de Congonhas, onde a Gol é dominante e a Azul quer entrar.

fonte/ZeroHora

QUEDDDA DE AVIÃO AGRÍCOLA CAUSA MORTE DE AUXILIAR DE PISTA EM SÃO FRANCISCO DE ASSIS



O auxiliar de pista Loivo Palma da Costa, 37 anos, natural de Santa Maria, na região central do Estado, morreu na manhã desta terça-feira, após a queda de um avião agrícola, em uma propriedade rural na localidade de Mucambo, interior de São Francisco de Assis. A aeronave atingiu Costa, que estava em terra.

O avião havia saído de São Pedro do Sul em direção a São Francisco de Assis, para realizar a adubação com ureia em uma lavoura de arroz. O acidente aconteceu no pouso. Conforme levantamentos preliminares da polícia, o acidente pode ter sido causado por falha humana. O piloto Jefferson Rodrigues, 37 anos, sofreu escoriações e está internado no Hospital Universitário de Santa Maria (Husm).

A aeronave pertence à empresa Destaque Aviação Agrícola, de São Vicente do Sul. A empresa diz que a aeronave estava em condições de voo e havia passado por revisão geral há cerca de dois meses.

fonte/diário de santa maria

RYANAIR ALEGA FALTA DE SEGURANÇA E CANCELA VOOS NA ITÁLIA

A Ryanair diz que vai cancelar temporariamente os voos domésticos entre as suas bases de Alghero, Bari, Bolonha, Brindisi, Cagliari, Milão (Bérgamo), Pescara, Pisa, Roma (Ciampino), e Trapani, em Itália, em protesto pelas medidas de identificação de passageiros impostas pela entidade italiana de aviação civil (ENAC).

A companhia afirma que as “Ordinanzas” introduzidas pelo ENAC em 11 e 12 de novembro de 2009 “levam a Ryanair a aceitar diversas formas inseguras de identificação dos passageiros que viajam nos voos domésticos italianos da Ryanair, mesmo que estas identificações compreendam nada mais que licenças de pesca”.

A Ryanair diz que o cancelamento dos voos poderá ter início em 23 de janeiro e “só serão retomados se a Ryanair puder ter a certeza de que a segurança das suas operações não será minada pela interferência ilegal do ENAC”, afirma a companhia aérea em comunicado.

Fonte: PressTur via Portal Panrotas

Operador do aeroporto de Pisa ameaça Ryanair com aplicação de penalidades

O operador do aeroporto de Pisa ameaçou aplicar penalidades à Ryanair caso a low cost concretize a ameaça de suspensão de voos domésticos no País, a partir de 23 de Janeiro, em reacção à alteração pela autoridade aeronáutica (ENAC) das regras de identificação de passageiros.

Em comunicado, citado pela imprensa internacional, a Societa Aeroporto Toscano (SAT), que gere o aeroporto de Pisa, na Toscânia, diz que a Ryanair tem a obrigação contratual de atingir objectivos de passageiros e que esse contrato prevê “o pagamento de multas a favor da SAT em caso do cancelamento de uma percentegem ainda que limitada de voos”.

A Ryanair anunciou que poderá vir a suspender os voos domésticos de e para dez aeroportos italianos, em protesto contra o que diz ser uma decisão da ENAC que não garante a segurança da identificação dos passageiros.

fonte/PressTur (Portugal)

EMPRESAS AÉREAS BRASILEIRAS REFORÇAM SEGURANÇA EM VOOS PARA OS EUA

As empresas aéreas brasileiras reforçaram a revista aos passageiros que embarcam em voos com destino aos Estados Unidos. A medida entrou em vigor após a prisão de um nigeriano com explosivos durante um voo da empresa Northwest Airlines que ia de Amsterdã, na Holanda, para Detroit, no Estados Unidos, na última sexta-feira (25).

Com o reforço na segurança, iniciado no sábado, as bagagens de mão passaram a ser revistadas pelos funcionários da empresa aérea antes do embarque e todos passageiros devem passar pelo bastão detector de metais.

A intensificação na revista ocorre por determinação do órgão norte-americano que regula a segurança dos transportes (Transportation Security Administration) e deve durar pelo menos até amanhã.

Pelas novas regras, quando faltar uma hora para o avião chegar ao destino, os passageiros devem permanecer em seus assentos. Outra determinação é que, enquanto a aeronave sobrevoar o espaço aéreo dos Estados Unidos, a tripulação não poderá informar os passageiros sobre a trajetória do voo nem sobre sua posição em relação a cidades norte-americanas.

fonte/Agência Brasil/O Globo

PACOTE SUSPEITO É DETONADO NO AEROPORTO DE MILÃO

A polícia italiana realizou uma explosão controlada nesta terça-feira de um pacote suspeito no aeroporto de Malpensa, em Milão (norte da Itália), informou o operador do aeroporto.

Segundo fontes da polícia aeronáutica citadas pela imprensa italiana, o pacote de 20X10 cm continha um detonador e um receptor de rádio, mas não explosivos, indicou à AFP um porta-voz do ministério do Interior.

"O pequeno pacote estava coberto de fita adesiva preta e tinha uma pequena antena externa e cabos que se ligavam ao interior. Não havia explosivos, (mas) tudo está sendo analisado para descobrir se era um detonador de verdade ou um transmissor", indicou à AFP Giovanni Pepe, da polícia de fronteiras do aeroporto milanês.

Segundo Pepe, a polícia está transmitindo o caso ao ministério público de Busto Arsizio, localidade perto do aeroporto, que abriu uma investigação judicial por "alarme falso".

"Um pacote abandonado foi encontrado no banheiro perto dos balcões de informações 10 e 11 do terminal 1. A polícia agiu imediatamente e evacuou os presentes da área, enquanto que especialistas em bombas fizeram a explosão controlada do pacote", informou à AFP um porta-voz da SEA, a empresa operadora do aeroporto.

Este alerta de bomba acontece num momento em que a segurança foi reforçada nos principais aeroportos do mundo depois do atentado fracassado de um nigeriano na sexta-feira passada, a bordo de um avião que voava entre Amsterdã e Detroit.

fonte/ AFP

CONHEÇA OS PLANOS DO NOVO PRESIDENTE DA TAM

Sob seu comando, companhia deve se transformar em "grupo de negócios ligados à aviação"

Líbano Barroso foi confirmado, nesta segunda-feira (28/12), como o novo presidente da TAM. O executivo, que ingressou na companhia em 2004, vinha ocupando interinamente o cargo desde a saída de seu antecessor, David Barioni, no início de outubro. Em comunicado, a presidente do conselho de administração, Maria Cláudia Amaro, destacou a experiência de Barroso na área financeira - até ser promovido, o executivo era vice-presidente de Finanças - e o seu foco em custos.

Mas Barroso não deve se restringir apenas ao controle de planilhas. Alinhado aos planos da família Amaro de diversificar as operações, Barroso afirma que pretende transformar a TAM "em um grupo ligado aos negócios da aviação", tendo a TAM, como eixo. Conforme antecipou o Portal EXAME (clique aqui para ler a reportagem), nos próximos anos, algumas unidades de negócios devem ser desmembradas, tornando-se empresas autônomas. Na lista, estão a Multiplus, gestora do programa de fidelidade para a qual a TAM já pediu o registro de companhia aberta junto à Comissão de Valores Mobiliários; o Centro de Manutenção de São Carlos; e a operadora de turismo. Veja, a seguir, os principais trechos da entrevista de Barroso ao Portal EXAME:

Portal EXAME - A TAM prepara-se para diversificar bastante sua atuação nos próximos anos. Como se dará esse processo?

Líbano Barroso - Nosso objetivo é criar um grupo de negócios de aviação. É claro que a espinha dorsal será sempre a empresa de transporte de passageiros. Mas tudo o que gravita em torno da aviação e complemente nossos negócios é interessante. Já pedimos o registro de companhia aberta para a Multiplus. Também queremos explorar melhor o potencial de negócios do Centro de Manutenção de São Carlos. O centro já possui certificações para prestar serviços para aeronaves Airbus, Fokker e Boeing 767. Também estamos buscando ampliar a certificação para todos os modelos da Boeing. Somos certificados para atender companhias européias e americanas. Além disso, queremos desenvolver mais a TAM Viagens, nossa operadora de turismo. Temos ainda a área de transporte de carga.

Portal EXAME - E a participação na privatização de aeroportos?

Barroso - Esse é um negócio que deve ficar na alçada dos controladores, por meio da TEP [a holding dos Amaro que reúne seus investimentos]. Já os demais negócios serão desmembrados e passarão a ser empresas controladas pela TAM.

Portal EXAME - Quando o Centro de Manutenção vai se tornar uma empresa autônoma?

Barroso - Ele já trabalha com orçamento e gestão próprios há mais de um ano. A eventual separação da companhia não tem uma data definida, mas é um passo natural. Assim, o centro poderá atrair tanto investidores estratégico-operacionais, quanto financeiros.

Portal EXAME - Isso quer dizer que, depois de virar uma nova empresa, parte do centro pode ser vendida a um sócio, ou a empresa pode abrir capital?

Barroso – Sim, são as opções que estudamos.

Portal EXAME - Quanto o centro de manutenção gera de receitas para a TAM?

Barroso - Nós ainda não divulgamos esse número. Mas o centro já começa a ter uma receita importante com a venda de serviços para terceiros. Já atendemos companhias como a LAN Chile e a Ocean Air. Talvez comecemos a divulgar esse número neste ano.

Portal EXAME - A TAM Viagens já é uma empresa autônoma. Quais são os planos para ela?

Barroso - Contamos com 67 lojas. Nos próximos três anos, queremos atingir 200 lojas. Nossa intenção é crescer bastante nessa área. Com isso, pretendemos atingir um porte capaz também de atrair investidores. Nosso modelo de expansão é via representações. Das unidades existentes, só quatro são lojas próprias.

Portal EXAME - A TAM, deu entrada no pedido de registro de companhia aberta para a Multiplus. Qual será o papel da nova empresa?

Barroso - Estamos em período de silêncio sobre esse assunto. Não podemos nos manifestar sobre a Multiplus mais do que os comunicados que enviamos publicamente à CVM.

Portal EXAME - Como a compra da Pantanal se encaixa nos planos da TAM?

Barroso - Esse é um negócio estudado há três anos. Temos mercados bem complementares. Os mercados atendidos pela Pantanal apresentam uma taxa de crescimento acima da média. Além disso, 90% dos passageiros da companhia voam a trabalho. E isso quer dizer que o seu público é muito semelhante ao da TAM. A compra da Pantanal abre a possibilidade de maior integração, ligando centros de pequeno e médio porte a centros nacionais e mundiais. O passageiro poderá sair do interior de São Paulo e voar até a China, atendido pela Pantanal, pela TAM e por seus parceiros.

Portal EXAME - Como a TAM, pretende atrair a classe C, novo foco das companhias aéreas, sem descaracterizar a imagem de sofisticação e qualidade impressas pelo Comandante Rolim?

Barroso - Atrair a classe C pode levar as pessoas a pensar que a TAM está mudando de estratégia. Mas não estamos. Vamos buscar a classe C sem abrir mão da qualidade do nosso serviço. É possível trazer mais gente para o mercado de aviação sem comprometer a imagem. Segundo nossas pesquisas, 75% dos passageiros da TAM viajam a negócios. Esse público tem um comportamento já conhecido, como os seus horários de maior movimento, por exemplo. E há um público que pode ser atraído fora dos horários de pico. Vamos oferecer as tarifas mais convenientes para esse público em outros períodos, como das 10h às 18h, ou das 20h às 6h da manhã. Com isso, queremos melhorar nossa taxa de ocupação sem causar impacto na qualidade de atendimento para os que viajam a negócios.

Portal EXAME - Que estratégias a TAM vai adotar para atrair a classe C?

Barroso - Já temos uma estratégia de diferenciação de tarifas por horário. Temos também a parceria com o Banco do Brasil para parcelar as passagens em até 48 vezes. Essa parceria ainda é muito recente, mas já temos bons resultados. Além disso, temos também o nosso programa de fidelidade, gerido agora pela Multiplus.

Portal EXAME - Como o senhor enxerga a TAM daqui a cinco anos?

Barroso - A TAM é uma companhia que tem um dos melhores padrões de governança corporativa do país. Eu digo isso porque toda empresa com um bom nível de governança possui planos estratégicos de longo prazo bem definidos. Queremos ver a TAM como a empresa aérea preferida dos brasileiros. Uma empresa que seja perene e onde as pessoas se desenvolvam. Estamos nos preparando para aproveitar o crescimento do Brasil pelos próximos 20 anos. E, quando as pessoas pensarem em um grupo de negócios ligados à aviação, que também se lembrem da TAM.

fonte/Portal Exame/foto/divulgação

LÍBANO BARROSO É CONFIRMADO NOVO PRESIDENTE DA TAM


O executivo Líbano Miranda Barroso foi confirmado como novo presidente da companhia aérea TAM. Conforme revelou nesta segunda-feir a empresa, o Conselho de Administração, que começou a discutir a sucessão presidencial da companhia oficialmente em novembro, decidiu oficializar Barroso no cargo, que ocupava interinamente e em concomitância com o de vice-presidente de Finanças da TAM.

Segundo o comunicado da empresa, o executivo foi um dos estrategistas do projeto de aliar aos serviços de aviação da TAM outros negócios, "do qual o Multiplus Fidelidade, anunciado recentemente, já é um exemplo concreto". "É o presidente certo na hora certa. Tem reconhecida experiência na área financeira e é um gestor bastante focado na área de custos", afirmou em nota a presidente do Conselho de Administração da TAM, Maria Cláudia Amaro.

Barroso ingressou na TAM em 2004, como vice-presidente de Finanças.

Desde que o então presidente da empresa, o comandante David Barioni Neto, anunciou sua saída do grupo, em 9 de outubro, a sucessão da TAM tem produzido rumores. Apareceram como possíveis candidatos ao cargo diversos executivos, tanto de fora quanto internos. Entre eles estavam João Cox, presidente da operadora de telefonia Claro, o vice-presidente Comercial e de Planejamento da TAM, Paulo Castello Branco, o executivo Ricardo Knoepfelmacher (ou Ricardo K.), ex-presidente da Brasil Telecom, e a própria Maria Cláudia.

No último mês, o Conselho de Administração começou a discutir oficialmente a sucessão, mas não tinha data certa para uma definição entre uma solução interna ou um executivo do mercado. "Encontramos na própria empresa o melhor nome para concretizar nossas metas de crescimento", destacou Maria Cláudia Amaro no comunicado.

fonte/Valor Online/Reuters/O Globo

VENDA DE PASSAGENS CONTINUA NO AEROPORTO DE SERGIPE



Após informações de que a venda de passagens aéreas estaria suspensa a partir do dia 1º de janeiro para voos provenientes e com destino a Aracaju, a Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, acaba de divulgar nota à imprensa, onde informa sobre as operações de manutenção na pista, bem como a restrição de compra programada de passagens que estão sendo realizadas por um período de apenas 15 dias, ou seja, quem deseja viajar em janeiro ou fevereiro, por exemplo, só poderá comprar passagens 15 dias antes da data prevista. Assim, a compra continua restrita e não suspensa como havia sido informado.

Confira a nota na íntegra:

Nota à Imprensa de Sergipe

Brasília, 28 de dezembro de 2009 – O Aeroporto de Aracaju, administrado pela Infraero, apresenta atualmente coeficiente de atrito abaixo do exigido. Por essa razão, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), responsável pela fiscalização da infraestrutura aeroportuária, tomou medidas para garantir a segurança das operações, que é a prioridade da Agência.

Desde o dia 30 de novembro de 2009, estão proibidas as operações de pouso e decolagem sob chuva. Nesses casos, a aeronave deve pousar em outro aeroporto e a companhia aérea providenciará o transporte dos passageiros até Sergipe.

Além disso, no dia 21 de dezembro de 2009, a ANAC emitiu um comunicado para as companhias aéreas informando que as vendas de passagens aéreas estão restritas a no máximo 15 dias após a data da compra. Isso significa, por exemplo, que no dia de hoje (28 de dezembro) só é possível comprar um voo com origem ou destino em Aracaju programado para qualquer data até 11 de janeiro. E amanhã (29 de dezembro), poderão ser compradas passagens para voos até 12 de janeiro, e assim sucessivamente.

A medida permite a continuidade das operações aéreas em Aracaju enquanto a administradora do aeroporto realiza as obras de correção necessárias e também evita que os passageiros fiquem desassistidos caso as condições da pista se agravem e sejam necessárias mais restrições, ou mesmo a interdição.

A Infraero comunicou à ANAC que está realizando as correções e, tão logo as obras sejam concluídas, a Agência irá autorizar que o Aeroporto de Aracaju volte a operar sem restrições.


fonte/SN1/ANAC

FORÇA AÉREA DESMENTE QUEDA DE AERONAVE EM AREIA BRANCA, RIO GRANDE DO NORTE

A Assessoria de Imprensa da Força Aérea Brasileira informou que a informação de que um pequeno avião havia caído na costa potiguar, nas proximidades do Porto Ilha, em Areia Branca, é um alarme falso.

De fato, uma embarcação da Petrobras entrou em contato com a Aeronáutica após ver um sinal de fumaça no céu, mas não há, no sistema de controle de tráfego aéreo, nenhum registro de aeronave na região ou de pedido de socorro. “A Força Aérea checou a informação ontem à noite e não há indícios de queda de aeronave naquela região”, informou a Assessoria de Imprensa.

A Marinha do Brasil, a partir de Areia Branca, enviou mergulhadores ao local para “descartar”, segundo o capitão-tenente Francisco Cavalcanti, a suposta queda. “Até o momento não existem evidências que apontem para um queda no local, mas enviamos os mergulhadores para fazer a checagem”, diz Cavalcanti. Os mergulhadores estão à bordo do rebocador Piracicaba e irão procurar por vestígios até uma profundidade de oito metros.

Tripulantes de uma barcaça teriam testemunhado a queda de um bimotor. Existe a possibilidade, segundo o comando do 3º Distrito Naval, que as pessoas tenham visto na verdade uma cortina de fumaça que pode não ser necessariamente de uma aeronave.

fonte/ Tribuna do Norte

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...