terça-feira, 11 de novembro de 2014

MONOMOTOR CAI PRÓXIMO A ALMENARA NO VALE DO JEQUITINHONHA

 Um avião monomotor caiu na tarde desta segunda-feira a 15 km de Bandeira, próximo à cidade de Almenara, no Vale do Jequitinhonha, na divisa com a Bahia. Segundo informações da Polícia Militar, a queda da aeronave foi dentro da Fazenda Santa Clara, na comunidade Canadá, por volta das 15h. De acordo com a PM, dois corpos já foram localizados, mas ainda há a suspeita de uma terceira vítima. 

Informações da aeronáutica dão conta de que o avião partiu de Recife com três ocupantes. Até o momento, apenas o piloto da aeronave, Lucas Henrique Félix Lima, de 21 anos, de Salvador/BA, foi identificado. Ainda não se sabe qual era o destino da aeronave e nem as causas do acidente. Segundo a PM de Almenara, o único detalhe é que chovia muito no momento do acidente.

A Polícia Militar e a Polícia Civil foram ao local para prestar socorro, mas encerrou as buscas durante a parte da noite. Conforme os militares, o local da queda é uma região íngreme e de muita mata, o que dificulta os trabalhos de busca. No início da manhã desta terça, a operação será retomada.

fonte/foto/EstadoDeMinas

Dados da aeronave via RAB

MATRÍCULA: PTWVM
Proprietário:
WILLIAN JULIANI
CPF/CGC:

Operador:
WILLIAN JULIANI
CPF/CGC:

Fabricante:
BEECH AIRCRAFT
Modelo:
A36
Número de Série:
E2668
Tipo ICAO :
BE36
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
1740 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
005


Categoria de Registro:
PRIVADA SERVICO AEREO PRIVADOS
Número dos Certificados (CM - CA):
15580
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
260913


Data de Validade do CA:
03/10/17
Data de Validade da IAM:
251114
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 11/11/2014 06:52:52

JATO EXECUTIVO CAI NAS BAHAMAS

Um avião executivo Bombardier Learjet 35A embateu ontem, domingo, dia 9 de Novembro, num guindaste dos estaleiros do porto de Freeport, na ilha da Grande Bahama, e despenhou-se sobre os armazéns da estrutura industrial, quando fazia a aproximação ao aeroporto internacional da ilha. Morreram todos os nove ocupantes que seguiam a bordo do aparelho.

A aeronave tinha descolado cerca de uma hora antes do Aeroporto Internacional de Lynden Pinding, na cidade de Nassau, capital do arquipélago das Bahamas, na América Central.

O avião que se despenhou na ilha da Grande Bahama, sobre os estaleiros navais de Freeport, no domingo, dia 9 de Novembro.
O avião que caiu na ilha da Grande Bahama, sobre os estaleiros navais de Freeport, no domingo, dia 9 de Novembro.

O jato executivo, registro N17UF, tinha data de fabrico de 1979, e pertencia à empresa ‘Diplomatic Aviation, Limited (Bahamas)’. Desconhecem-se os motivos que levaram o avião a colidir no guindaste. O acidente verificou-se pelas 19h10 locais.

fonte/foto/NewsAvia

FUNCIONÁRIO DERROTA SINDICATO E VOLTA AO TRABALHO NA EMBRAER


Funcionários da Embraer votam em assembleia. Foto: Claudio Vieira Funcionários da Embraer votam em assembleia. Foto: Claudio Vieira

Os funcionários da Embraer, de São José dos Campos, retornaram nesta segunda-feira ao trabalho após quatro dias de paralisação.

A decisão foi tomada ontem de manhã, em assembleia realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos.
Na reunião, ocorrida na portaria principal da fábrica, na avenida Faria Lima, região sudeste da cidade, ficou evidente uma divisão entre os empregados e o sindicato.
Um grande grupo de trabalhadores contrários à greve estava vestido de azul, a cor símbolo da empresa, em protesto contra o sindicato.
A assembleia transcorreu em um clima tenso e durou menos de uma hora. Em certo momento, houve empurra-empurra entre o grupo contrário à greve e sindicalistas.

Divisão. Ao final, sindicato colocou proposta de suspensão da greve em votação, sendo aprovada pela maioria.
Posteriormente, o vice-presidente da entidade, Herbert Claros, declarou à imprensa que houve divisão entre os trabalhadores.
“A votação foi dividida e o sindicato não mantém greve com divisão”, afirmou.
Segundo ele, “gerentes e chefias da Embraer pressionaram os funcionários para encerrar o movimento”.
Os trabalhadores reivindicavam ao menos 10% de aumento salarial. O sindicato, no entanto, não colocou em votação proposta da empresa e da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) de reajuste de 7,4%.
A Embraer já havia concedido, por decisão própria, aumento de 5,30% a partir de 1° de setembro, data-base da categoria.
“A proposta da empresa não foi colocada em votação porque foi rejeitada pelo sindicato na mesa de negociação”, afirmou Claros.

Presença. Segundo o sindicato, a assembleia reuniu cerca de 8.000 trabalhadores.
A Embraer estimou em cerca de 5.000 o número de funcionários presentes.
Na sexta-feira, funcionários da companhia descontentes com a greve utilizaram as redes sociais, principalmente o Facebook, para criar um movimento contra a paralisação.
Mais de 4.000 pessoas aderiram ao movimento.
O sindicato decidiu entrar com ação de dissídio coletivo contra a Embraer para tentar buscar, na Justiça, o reajuste salarial de 10% para os trabalhadores, redução da jornada para 40 horas semanais, estabilidade no emprego e o não desconto dos dias parados durante a greve.
A ação será protocolada no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), em Campinas.
“Consideramos o movimento vitorioso. É a maior manifestação dos trabalhadores da empresa desde a sua privatização em 1994”, afirmou ontem o dirigente sindical

Fim da greve
Empregados da Embraer decidiram ontem encerrar a paralisação iniciada na semana passada por reajuste salarial de ao menos 10%

Clima
A decisão foi tomada em assembleia realizada ontem pela manhã, que ocorreu em clima tenso

Grupo
Um grande grupo de funcionários contrários à paralisação compareceu ao encontro vestido de azul, a cor símbolo da companhia

Divisão
Com a divisão entre os funcionários e o Sindicato dos Metalúrgicos, a entidade decidiu colocar em votação o fim do movimento, que foi aprovado pela maioria dos presentes

Reajuste
O sindicato vai recorrer à Justiça do Trabalho

Ação
A ação será protocolada no TRT de Campinas



Empresa garante que não vai descontar dias parados


A Embraer informou ontem aos seus funcionários, em comunicação interna, que não irá descontar os dias parados.
Segundo a empresa, os empregados não fizeram greve, mas sim “foram impedidos pelo Sindicato dos Metalúrgicos de entrarem na empresa para trabalhar”.
Em nota, a companhia informou que “tão logo o sindicato retirou os bloqueios, a partir das 9h45, os empregados puderam entrar na unidade Faria Lima e retomaram as atividades, que seguem normalmente. Ainda não é possível avaliar os impactos da paralisação provocada pelo sindicato”.
“Também hoje [ontem] o sindicato bloqueou o acesso dos empregados à unidade de Eugenio de Melo, impedindo o direito de ir e vir. Em assembleia, os empregados daquela unidade decidiram pela não paralisação”, informou.
A empresa criticou o sindicato por não ter colocado a proposta de reajuste em votação. “Mais uma vez o sindicato não levou a proposta da Fiesp à votação pelos empregados, conduzindo o processo para um possível dissídio coletivo”.
A empresa reiterou apoio à proposta da Fiesp.

fonte/foto/OVale

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...