domingo, 11 de julho de 2010

AIR FRANCE REMARCA VOO PARA AS 20 HORAS APÓS ALARME FALSO DE BOMBA


Avião da Air France fica estacionado no aeroporto de Recife após a
 ameaça de bomba Foto: Aldo Carneiro/Futura Press Avião da Air France fica estacionado no aeroporto de Recife após a ameaça de bomba
Foto: Aldo Carneiro/Futura Press

O voo 433 da AirFrance, que fez uma aterrissagem forçada em Recife na noite de sábado por alarme falso de bomba, foi remarcado pela companhia aérea para as 20h10 (de Brasília) deste domingo, com previsão de chegada a Paris às 9h50 de segunda-feira. A aérea disse que remarcou o voo no fim do dia para que os passageiros e tripulantes pudessem descansar, conforme a legislação trabalhista francesa.

A Polícia Federal confirmou que foi alarme falso a denúncia de bomba a bordo no voo 443 da AirFrance, depois de não ter encontrado nenhum objeto explosivo após a inspeção das bagagens, concluída por volta das 14h deste domingo. 

Segundo nota da companhia, divulgada no início da tarde, nada foi encontrado na aeronave "após todos os procedimentos de segurança das autoridades brasileiras e cumprimento total do Programa de Segurança do Aeroporto do Comando da Aeronáutica Brasileira". 

Os 405 passageiros do Boeing 747-400 foram alocados em um hotel na noite de ontem para esperar o novo voo, segundo a AirFrance. Ainda de acordo com a companhia, o voo teve seu número alterado para AF 4190 "por questões de organização e logística da companhia".

A empresa também informou que seis funcionários baseados no Rio de Janeiro seguiram para Recife nesta manhã para prestar atendimento aos passageiros e auxiliar no embarque.


Ameaça
Foi depois de decolar do Galeão que uma ligação anônima informou a AirFrance de que uma bomba estava no avião. O pouso de emergência fez o aeroporto de Guararapes, no Recife, ficar fechado por 30 minutos. A aeronave foi evacuada para a realização dos procedimentos de averiguação. 
 
fonte/Terra
Enhanced by Zemanta

AMEAÇA DE BOMBA EM VOO FOI ALERME FALSO, DIZ AIR FRANCE

A Air France informou neste domingo (11), por meio de sua assessoria de imprensa, que a ameaça de bomba no voo Rio-Paris, que fez um pouso não programado no Recife (PE) por conta da suspeita, foi alarme falso.

A Infraero, responsável pelos aeroportos brasileiros, disse, porém, que a Polícia Federal ainda não terminou a inspeção das bagagens e da aeronave, o que deve ocorrer somente por volta das 14h. Portanto, disse a assessoria da Infraero, ainda não é possível descartar a suspeita.

A Air France remarcou o voo , de número 443, que sairá da capital pernambucana às 20h10 deste domingo. A previsão é de que chegue a Paris às 9h50, no horário local.

Apesar de descartada a suspeita de bomba pela empresa, o voo só sairá somente à noite porque a tripulação que estava no voo ultrapassou a carga horária permitida pela regulamentação. De acordo com a empresa, eles estão descansando e darão continuidade ao voo.

A aeronave, que saiu do Rio de Janeiro com destino a Paris com 405 passageiros e 18 tripulantes, pousou na capital pernambucana devido a uma suspeita de bomba às 19h53 desábado.

Às 5h30 de domingo, de acordo com a Infraero, 60% das bagagens já haviam passado pela inspeção minuciosa dos policiais federais. Duas horas antes foi divulgado que não foi encontrado nenhum artefato dentro da aeronave – além da cabine de passageiros, houve uma varredura no compartimento de bagagens e na fuselagem do avião.

No começo da manhã, alguns passageiros ainda se encontravam no aeroporto, mas grande parte já havia sido encaminhada a hotéis do Recife e cidades vizinhas, enquanto não há confirmação sobre a continuidade do voo.

Programa de segurança

Em nota oficial divulgada em conjunto no final da noite, Infraero, o II Comando Aéreo Regional, da Aeronáutica, e Polícia Federal afirmaram que foi "acionado o Programa de Segurança do Aeroporto e ativado o Centro de Operações de Emergência" para gerenciar a situação, com o "posicionamento da aeronave em área remota, desembarque imediato de todos os passageiros e reinspeção de todos os passageiros e bagagens de mão". O aeroporto chegou a ficar fechado por 30 minutos.

À 1h, enquanto policiais federais ainda vistoriavam a aeronave com a ajuda de cães farejadores, os passageiros passavam novamente as bagagens de mão por aparelhos de raio X e eram entrevistados, um a um, por policiais.

À 1h30, a Infraero informou que os passageiros seriam levados a hotéis. Como a Air France não tem escritório no Recife, duas companhias trabalharam para acomodá-los.

fonte/G1/Globo News
Enhanced by Zemanta

PARAQUEDISTAS SALTAM ANTES DE AVIÃO CAIR EM PAÇO DO LUMIAR, NO MARANHÃO

O avião Cessna 182F Skylane, prefixo PT-BXQ (cn 18254677), caiu neste sábado (10) em Paço do Lumiar, município da ilha de São Luís. O avião saiu de um aeroporto particular levando um grupo de quatro paraquedistas que iam realizar um salto. Com dez minutos de voo a aeronave teve uma pane mecânica, a 2.500 metros de altura.
O piloto Benedito de Souza conseguiu retornar e tentou um pouso forçado. A aeronave caiu a 200 metros da cabeceira da pista de pouso e decolagem. Antes da queda, os paraquedistas saltaram. Segundo as primeiras informações, houve falha mecânica no motor da aeronave. Ninguém ficou gravemente ferido.

Neste domingo, peritos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) chegam de Belém para iniciar a perícia no avião que permanece no local do acidente.

fonte/ Globo/IMirante/TV Globo/foto/Imirante
Enhanced by Zemanta

"SÓ SOUBEMOS DA SUSPEITA DE BOMBA QUANDO POUSAMOS" , DIZ PASSAGEIRO


Um passageiro do voo 443 do Rio de Janeiro para Paris, que preferiu não se identificar, disse que ele e os outros passageiros só ficaram sabendo que havia a suspeita da existência de uma bomba no avião após o pouso em Recife, por volta das 20h. "Só soubemos da suspeita de bomba quando pousamos", afirmou. Havia 405 passageiros e 18 tripulantes a bordo.

O passageiro disse ao G1 que o comandante avisou que o avião teria de retornar. Isso ocorreu cerca de duas horas após a saída do Rio de Janeiro. “No voo, ele só disse que teria de retornar”, afirmou.

Segundo o passageiro, só após cerca de uma hora de espera no aeroporto foi que os passageiros souberam que havia uma suspeita de bomba no avião. “Disseram que tinham recebido um aviso da base de Paris”, afirmou o passageiro.

Por volta das 23h, o passageiro disse que estava na fila para reembarcar no mesmo avião. “Disseram que não encontraram nada”, afirmou.

Passageiros do voo 443 da Air France passam por uma nova inspeção de bagagens e entrevistas com policiais federais

À 1h deste domingo (11), enquanto policiais federais ainda vistoriavam a aeronave com a ajuda de cães farejadores, os passageiros passavam novamente as bagagens de mão por aparelhos de raio X e eram entrevistados, um a um, por policiais.

"A Polícia Federal está carimbando novamente nossas fichas de embarque e conferindo os passaportes. As bagagens de mão foram todas vistoriadas. Está tudo ocorrendo tranquilamente, mas não recebemos muitas informações. Não sabemos que horas vamos poder embarcar novamente", disse ao G1 um passageiro do voo 443, que preferiu não se identificar.

Segundo informações preliminares no aeroporto, é possível que os passageiros embarquem novamente no avião e decolem para Paris sem suas bagagens despachadas.

fonte/G1/GloboNews
Enhanced by Zemanta

AVIÃO FAZ POUSO FORÇADO NO SUL DE MINAS E FERE UM OCUPANTE

Um avião monomotor fez um pouso forçado por volta das 15h30 da tarde deste sábado (10) no distrito de Monte Verde, em Camanducaia, no Sul de Minas Gerais. Na aeronave estava um piloto, que é instrutor, e um aluno. O avião é do Aeroclube de Bragança Paulista e estava em Monte Verde para um voo de instrução.
O piloto do avião Neiva P-56C 'Paulistinha', prefixo PT-BOM (cn 1132), fez um pouso no distrito de Monte Verde, logo após a decolagem para o voo de retorno a Bragança Paulista, no interior de São Paulo.

O piloto percebeu que havia uma pane na aeronave. Ele afirmou que pensou em pousar na avenida principal da cidade, mas desistiu por conta do grande movimento. Então, optou por um desvio e fez um pouso forçado em um terreno baldio próximo ao portal de entrada do distrito de Monte Verde. No pouso forçado o avião pilonou ('capotou') e uma das asas foi arremessada a mais de cem metros de distância. Apenas o aluno teve ferimentos leves no braço ao tentar sair do avião.

Durante a descida, o avião atingiu e estourou um cabo de fibra ótica, deixando o distrito sem acesso a telefonia celular e internet. O diretor de turismo de Monte Verde informou que o local está com 110% de ocupação, isso porque sexta feira foi feriado no estado de São Paulo.

Segundo a empresa Bragantina, responsável pelo fornecimento de energia elétrica no distrito de Monte Verde, um bairro inteiro ficou sem luz. Técnicos dirigiram-se para o local a fim de reestabelecer os serviços interrompidos. A assessoria de imprensa da Oi, empresa responsável pelas linhas telefônicas fixas na região, informou que uma se deslocou para fazer a reparação do problema.

fonte/VNews/EPTV / Fórum Contato Radar/NoticiasSobreAviação/Foto/EPTV
Enhanced by Zemanta

AMEAÇA DE BOMBA FAZ AVIÃO DA AIR FRANCE QUE SAIU DO RIO DE JANEIRO PARA PARIS POUSAR NO RECIFE



Aeroporto foi fechado para pousos e decolagens durante trinta minutos e todos já foram retirados da aeronave - 405 passageiros e 18 tripulantes

O voo 443 da companhia aérea Air France foi obrigado a pousar no Aeroporto Internacional dos Guararapes às 19h55 da noite deste sábado (10).

Segundo a assessoria de imprensa da Infraero, o pouso foi motivado por uma suspeita de bomba no avião. A Polícia Federal ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

O Boeing 747-428, prefixo F-GITH, havia saído do Rio de Janeiro com destino ao aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, às 16:20 hs.

Diante da suspeita de bomba, segundo a Infraero, são adotadas as medidas previstas no Plano Nacional de Segurança da aviação civil. O aeroporto foi fechado para pousos e decolagens e todos os que estavam no avião foram retirados na aeronave - 405 passageiros e 18 tripulantes. Equipes dos Bombeiros cercaram o local e a Polícia Federal acionou o esquadrão antibombas para investigações. O avião ficou parado na cabeceira da pista, no sentido do litoral.

Vários outros aviões já estavam com os passageiros a bordo quando a direção do aeroporto tomou a decisão de paralisar as operações. Ambulâncias e caminhões do Corpo de Bombeiro foram deslocados ao local, mas a medida, em princípio, é preventiva, já que não há notícia de feridos. Não houve explosão, segundo a Polícia Federal.

A ação assustou passageiros que se preparavam para viajar. "Pouco antes de decolar, o comandante avisou que não seria possível seguir viagem, porque um avião da Air France ia pousar com suspeita de bomba", disse o securitário Antônio Barbosa, de 55 anos, que ia embarcar para Salvador em um voo da Avianca. Depois de mais de 30 minutos de espera, os passageiros ficaram nervosos e pediram para descer da aeronave. Eles foram levados de volta à sala de embarque.

Segundo a companhia aérea, a informação de que haveria uma bomba na aeronave, um Boeing 747, chegou ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio, que avisou os pilotos. Eles então solicitaram o pouso não programado no Recife. A Air France informa que a aterrissagem aconteceu em segurança e que não recebeu ainda previsão sobre a liberação da aeronave pela Aeronáutica.

Se necessário, diz a assessoria da Air France, os passageiros devem receber hospedagem e auxílio da companhia, conforme previsto pela regulamentação do setor.

O aeroporto ficou fechado por 30 minutos, mas com a situação controlada, os voos foram retomados e o aeroporto voltou a funcionar por volta das 20h30.

fonte/foto/G1/DiárioDePernambuco/Pe#60graus.com/NoticiasSobreAviação
Enhanced by Zemanta

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...