terça-feira, 15 de maio de 2012

VOO DA TAM VOLTA A RIBEIRÃO PRETO APÓS BIRD STRIKE


A colisão entre uma ave e a turbina de um avião da TAM obrigou a tripulação a voltar à pista do aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), cerca de dez minutos após a decolagem. 

O incidente aconteceu na tarde desta terça-feira. No voo estavam 118 passageiros. Não houve feridos.
De acordo com a empresa aérea, o voo JJ 3275, que ia de Ribeirão Preto a Congonhas, na capital paulista, decolou às 13h50 e teve que retornar à pista do aeroporto Leite Lopes por volta das 14h.
Um empresário do Rio, que estava no voo da TAM, conversou com a Folha, mas pediu para não ser identificado. Ele disse que a aeronave ainda estava ganhando altitude quando foi atingida pela ave. 

Segundo o empresário, logo após a colisão foi possível sentir que o avião balançou e o comandante anunciou que voltaria ao aeroporto.  

De acordo com a TAM, os passageiros foram reacomodados nos próximos voos da companhia e de empresas parceiras. Mas o empresário resolveu não arriscar. 

"Eu já tinha comprado passagem de ida e volta em outra companhia e resolvi decolar com a TAM, mais cedo, porque meu compromisso em Ribeirão terminou antes", contou. "Mas depois do incidente, resolvi esperar", disse o empresário. 

PREVENÇÃO
De acordo com o Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo), há um estudo sendo desenvolvido para mapear as aves no entorno do aeroporto Leite Lopes. 

O estudo é feito pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e está na fase final.
Em 2010, o Daesp divulgou para a Folha que 25 espécies de aves sobrevoavam o Leite Lopes. O estudo vai ajudar o órgão a implantar ações de manejo das espécies encontradas. 

fonte/FolhaSP

Enhanced by Zemanta

O NOVO AIRBUS A330 MRTT "FAZ TUDO" QUE MANTERÁ A RAF VOANDO ALTO


Na medida em que a frota de jatos da Royal Air Force para transporte pesado e abastecimento no ar chega ao fim de suas vidas operacionais, a RAF se vê com o desafio de substituir um monte de aviões. Por sorte, o novo Airbus A330 Multi Role Tanker Transport é a solução para todos os problemas.

Como o nome diz, o Airbus A330 Multi Role Tanker Transport (MRTT) é um Airbus A330-200 reaparelhado para ser um avião de abastecimento aéreo e transporte de cargas pesadas. O MRTT, codinome “Voyager”, surgiu como parte do programa Future Strategic Tanker Aircraft (FSTA), de 2003. Ele visa substituir a frota da RAF composta de 26 VC10 e Lockheed TriStars para reabastecimento aéreo e transporte de cargas com 14 MRTTs. Avaliado em £ 13 bilhões (R$ 41,5 bilhões) distribuídos em 27 anos, o FSTA é a maior iniciativa de defesa não financiada pelo governo do mundo. O grupo Airtanker, um consórcio da Cobham, EADS UK, Rolls-Royce, Thales UK e VT Group, construirá, atualizará e manterá os aviões enquanto a RAF terá controle operacional total sobre eles. Quando a Força Aérea não os estiver usando como tankers (para o reabastecimento aéreo), os MRTTs poderão (e serão) usados para transportar civis.


O MRTT começa sua vida como um A330-200 comercial normal construído em Toulouse, França. Dali, o avião é transferido para as instalações da Cobham no Aeroporto Internacional de Bournemouth, n0 Reino Unido, onde ele é reaparelhado.

A reaparelhagem em si é um trabalho enorme. O avião é adornado com um par de pods de reabastecimento Cobham FRL 900E Mark 32B (conhecidos como uma variante do KC2), os quais ficam embaixo de cada asa, e um sistema de reabastecimento central na “barriga” do avião (o KC3), junto com o encanamento necessário e os sistemas de controle. Além disso, o A330 geralmente também é reequipado com sistemas de aviação militares, ainda que possam ser trocados rapidamente para o transporte de civis. No total, o MRTT pode levar até 380 passageiros (soldados ou civis) em sua cabine, ou abrigar 45 toneladas de mantimentos em seu compartimento de carga. O MRTT também pode ser reconfigurado para ser usado como um monstruoso “medivac” (espécie de hospital aéreo) capaz de transportar 130 macas.



Em sua primeira missão de reabastecimento em pleno ar, o MRTT foi incomparável. Ele carrega até 139 mil litros (ou 11 toneladas) de combustível de avião, o que o permite permanecer em voo por mais tempo e reabastecer mais aeronaves do que os aviões que ele substituiu. Como você vê na imagem acima, o reabastecimento é feito com um sistema de mangueira e um tipo de funil.

O Airtanker entregou o primeiro dos novos A330 MRTTs ao Reino Unido em 2011. Até agora, cinco países — Reino Unido, Arábia Saudita, Austrália, EUA e Índia — encomendaram 28 desses aviões para seus trabalhos de reabastecimento. Quem sabe, daqui a uns 30 anos, uma frota desses apareça nos jornais mantendo os aviões da S.H.I.E.L.D. voando. 

fonte/Wikipedia/Airbus Military/Gizmodo/foto/video/Divulgação

EXÉRCITO ENTREGA OBRA NO AEROPORTO DE GUARULHOS ANTES DO PRAZO E COM ECONOMIA


MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...