segunda-feira, 11 de novembro de 2013

BAIANA QUASE EMBARCA EM VOO QUE EXPLODIU E MATOU OITO NA BOLÍVIA

Sandra Senna teve horário da passagem alterada para voo da tragédia.

Ela, irmã e sobrinho não aceitaram a mudança. 'Pulei uma fogueira', afirma.


Sandra Sena, de 60 anos, quase embarcou com a irmã, de 61, e o seu sobrinho, todos baianos, no voo da empresa Aerocon, que explodiu próximo ao aeroporto de Riberalta, na Bolívia, matando pelo menos oito pessoas no dia 3 de novembro. A passagem deles do aeroporto de El Trompillo, que fica em Santa Cruz de La Sierra, para La Paz, capital do país, foi comprada para as 17h50, mas a companhia aérea mudou o horário para as 14h30, justamente para o voo em que ocorreu a tragédia.

"Ficaria muito em cima da hora da nossa chegada no aeroporto Viru Viru, em Santa Cruz, às 14h. Ficamos preocupados com a mobilidade até o outro aeroporto [Trompillo] Soubemos da mudança em Assunção [no Paraguai]. Insistimos muito para não viajar. Daí eles providenciaram um jatinho só para nós três", afirma Sena, que estuda Serviço Social da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Ela conta que a empresa chegou a oferecer que realocaria os três para outro voo caso realmente não desse tempo de embarcar, mas o grupo não concordou. "Dissemos 'de jeito nenhum'. O avião já tinha caído e a gente sem saber de nada. Dentro do aeroporto não passa nada. Na televisão, só a reprise de um jogo. Quando chegamos no hotel, à noite, depois de passear, vi o Evo [Morales] e a comoção nacional. Minha irmã estava no banheiro, não contei a ela, que só soube ontem [domingo, 10], ao chegar no Brasil. Ela passou mal, morre de medo [de avião]", afirma.

Sandra Sena diz que se sente muito aliviada ao lembrar do que passou. "Foi a insistência de ir no horário certo que nos salvou. Tem coisas que não dá para explicar. A gente pulou uma fogueira", diz.

O acidente
Pelo menos oito pessoas morreram e nove ficaram feridas no acidente aéreo na Bolívia. O avião da empresa Aerocon teve problemas na aterrissagem e explodiu próximo à pista do aeroporto de Riberalta (1 mil km da capital La Paz), no departamento de Beni.

O acidente aconteceu por volta das 16h no horário local (18h no horário de Brasília) durante o trajeto da aeronave que ia de Trinidad até Riberalta. Entre os mortos estão três funcionários do governo de Beni, segundo declaração do ex-governador Ernesto Suárez em sua conta no Twitter. “Pedi uma profunda investigação”, afirmou o presidente boliviano Evo Moraels após o acidente em entrevista divulgada no site oficial da Presidência.    

Segundo o jornal 'La Razón', imagens de televisão mostram que dezenas de pessoas trabalharam no resgate dos corpos das vítimas e dos feridos, como no combate ao incêndio produzido após a explosão do avião.

Acidente Bolívia  (Foto: Presidência bolviana )Moradores ajudam no combate ao incêndio provocado pela explosão do avião durante aterrissagem
(Foto: Presidência bolviana)

fonte/G1

Enhanced by Zemanta

JAL REPORTA PROBLEMA COM BATERIA DO BOEING 787 DREAMLINER

 A Japan Airlines disse que um de seus Boeing Dreamliner 787 pode ter experimentado um problema de bateria durante um voo na manhã de domingo (10), Este seria o primeiro problema relatado após atualização dos sistemas elétricos da aeronave  no início deste ano .
JAL informou que os indicadores do cockpit da aeronave , que voava de Helsinki para Tóquio, alertaram para um problema com a bateria de íon de lítio , que fornece unidade auxiliar de energia.
Embora o incidente parece ser só uma pequena falha de sensibilidade, qualquer problema com o Dreamliner é elevada em consequência de uma série de incidentes ocorrida desde a sua introdução há dois anos atrás .
A bateria envolvida no incidente de domingo é do mesmo tipo que a queimada em dois 787 no início deste ano , causando uma parada na frota global em janeiro.  Os voos foram retomados após modificação das baterias e sistemas relacionados em abril e maio , e desde então não houve relatos de problemas .
JAL confirmou que autorizou a aeronave a continuação do voo de Helsinki para Tóquio  após o alarme e concluiu que não havia nada de errado com a corrente elétrica ou a tensão no sistema de alimentação auxiliar.
O avião pousou em Tóquio, sem incidentes, e as equipes de manutenção não encontraram nenhum problema físico evidente com a bateria , que foi substituída , levantando a possibilidade de uma falha no sistema de alerta ao invés da própria bateria.
 A JAL tem suas preocupações com o Dreamliner , relatando até mesmo anomalias menores em seu web site , e disse que vai continuar a investigar e cobrar da Boeing respostas aos problemas com a aeronave.
Problemas iniciais com o  Boeing Dreamliner não inibiram a cia. de receber um excesso de pedidos para as eficientes aeronaves. O grupo dos EUA tem planos para aumentar a produção de sete para 10 unidades até o final deste ano, e com previsão de subir para 12 em 2016 e , em seguida, 14 , antes do final da década.

fonte/FinancialTimes/Aerospace&Defense
Enhanced by Zemanta

IDENTIFICADAS VÍTIMAS DE ACIDENTE AÉREO EM PARATY

Foram identificadas as vítimas do avião que caiu após sair de Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro. Estavam na aeronave o empresário Eduardo Francisco Uliano, de 63 anos, o filho dele, Gabriel Uliano, de 28 anos, e o piloto Alvarindo Locatelli, de 63 anos. A informação foi divulgada pelo Grupamento Aéreo da Polícia Militar e confirmada pelo Corpo de Bombeiros.

Eduardo Uliano era diretor da Day Brasil S.A. Localizada em São Paulo, a empresa atua nos mercados de arquitetura e construção civil, artes gráficas e indústria. Fundado em 1967, o grupo Day Brasil comercializa atualmente 17 mil itens, informa o site da companhia.

De acordo com a assessoria do Comando da Aeronáutica, destroços da aeronave, um bimotor modelo Seneca PA-34, de prefixo PR-EAG, foram localizados no morro do Corisco no início da tarde desta segunda-feira (11). “A equipe de resgate constatou que não há sobreviventes. O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (SERIPA), da Aeronáutica, investigará os fatores que contribuíram para o acidente”, diz a nota divulgada.

O avião tinha sumido após decolar do Aeroporto de Paraty às 12h15 de domingo (10). Estavam nele o piloto, um empresário, que era o dono da aeronave, e o filho dele. O bimotor tinha como destino o Aeroporto Campo de Marte, em São Paulo, de onde eram as três pessoas a bordo. As informações são do operador do Aeroporto de Paraty, que disse também que o avião era novo.
Segundo o Comando da Aeronáutica, a última indicação do bimotor no radar ocorreu próximo a uma elevação na divisa entre Rio e São Paulo, logo após a decolagem. As buscas começaram na tarde de domingo e foram retomadas nesta manhã. O trabalho foi realizado pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento da Força Aérea Brasileira (FAB) com apoio de equipes do Exército e Grupamento Aéreo de São Paulo.

fonte/G1

AVIÃO MONOMOTOR FAZ POUSO FORÇADO NA ZONA RURAL DE JARINU

Um avião monomotor de pequeno porte fez um pouso forçado por volta das 11h desta segunda-feira (11) em uma fazenda na zona rural de Jarinu (SP), na região de Jundiaí (SP). O acidente aconteceu em uma área de difícil acesso no bairro Nova Odessa, às margens da rodovia Natal Lorencini, durante uma aula prática de voo. 

O helicóptero Águia da Polícia Militar chegou a ser acionado para atender a ocorrência, mas as duas pessoas que estavam na aeronave não ficaram feridas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, aluno e piloto desceram da aeronave logo depois do acidente e conseguiram apagar rapidamente um princípio de incêndio com a ajuda do extintor da aeronave.


Segundo os bombeiros, as vítimas informaram aos socorristas que saíram do aeroporto de Jundiaí para uma aula prática de voo quando perceberam que havia algo errado com o monomotor e tiveram que procurar uma área para pousar. O piloto assumiu a condução da aeronave e conseguiu evitar o acidente.

A perícia técnica esteve no local. Técnicos da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) também vão investigar o acidente.

Acidente aconteceu em uma área de difícil acesso no bairro Nova Odessa durante uma aula de instrução (Foto: Reprodução TV Tem)Acidente foi em uma área de difícil acesso em Jarinu (Foto: Reprodução TV Tem)
 
fonte/foto/G1 

Dados da aeronave/Via RAB



 
Fabricante:
CESSNA AIRCRAFT
Modelo:
152
Número de Série:
15283807
Tipo ICAO :
C152
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
757 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
001


Categoria de Registro:
PRIVADA INSTRUCAO
Número dos Certificados (CM - CA):
17571
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
070308


Data de Validade do CA:
28/02/14
Data de Validade da IAM:
211213
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 11/11/2013 21:59:07

ESTE FRANCÊS PODE TER FEITO UM AVIÃO VOAR ANTES DE SANTOS-DUMONT E DOS IRMÃO WRIGHT

Quer uma resposta direta? Provavelmente. Obviamente não é simples assim, porque nada é simples, especialmente quando se trata de encontrar um pioneiro. A Benz gosta de dizer que inventou o carro, mas já havia “carros” antes do Patent Motorwagen. Com a aviação a disputa é semelhante — especialmente no Brasil — mas acho que é seguro dizer que Feliz du Temple superou os Irmãos Wright e Santos Dumont por quase três décadas.

Primeiro é preciso definir “voo”. Du Temple parece ter atingido seu feito em 1874, com seu Monoplano movido a vapor. Os irmãos Wright ainda têm o recorde de primeiro voo sustentado controlado e motorizado, e Santos Dumont certamente foi o primeiro a decolar com os recursos próprios da máquina, recordes certamente importantes, mas isso não diminui o fato de que a maioria das pessoas leva em consideração apenas o trio americano e dá a eles crédito por tudo.

Nem mesmo os irmãos Wright reclamam seu pioneirismo. Em um discurso de 1901, Wilbur Wright referiu-se a um voo semi-acidental feito pelo avião a vapor de Hiram Maxim — e este foi apenas mais um dos pioneiros da aviação que o nacionalismo e o simplismo educacional apagaram da história.

É por isso que eu gostaria de relembrar estes pioneiros esquecidos, como Félix du Temple de la Croix. Seus coletas e a maioria dos historiadores o chama apenas de Félix du Temple, afinal quando você é um pioneiro da aviação, é melhor ter um nome curto para aliviar peso.

Felix-Du-Templexlarge

Du Temple era um capitão da Marinha francesa, e estava fazendo experimentos com aeronaves havia quatro anos, e produziu um modelo voador impulsionado por um motor de engrenagens em 1857. Este foi um dos primeiros (mas provavelmente não o primeiro) voos motorizados de veículos mais pesados que o ar que ninguém viu .

Ele construiu estes modelos em escala com seu irmão,e logo se interessou em fazer uma versão em tamanho real, para ser pilotada. O problema é que a maioria dos motores a vapor da época resultavam em relações peso / potência terríveis, e os primeiros motores de combustão interna de Lenoir não eram muito melhores.

Sendo um militar determinado, Félix não desistiu, e acabou projetando seu próprio motor a vapor, conforme conta este artigo da revista Flight:
Quando ele começou a fazer experimentos com a ajuda de seu irmão, M. Louis du Temple, a falta de um motor adequado tornou-se aparente. Primeiro eles tentaram usar motores com vapor em alta pressão, depois um motor de ar quente e finalmente construíram e patentearam em 1876 uma caldeira ultra-leve de apenas 20 kg/cv, o que parece ter sido o primeiro dos vários motores leves a vapor construídos desde então. Ele consistia de uma série de tubos muito finos, com menos de 3,2 mm de diâmetro interno, pelos quais a água circulava rapidamente e era transformada em vapor pelas chamas. 

Este motor de aproximadamente 6 cv foi a fundamental — era leve e potente o bastante para ser útil. A fuselagem do Monoplano foi projetada como um barco, com as armações de madeira cobertas por tecido. O resto da estrutura foi feita de alumínio, antecipando um futuro método de construção de aviões. O avião pesava apenas 72 kg! Havia um propulsor com hélices e asas planas. Havia também um leme vertical na traseira, abaixo da superfície plana, uma localização também inspirada no design naval.

Felix-Du-Templexlarge-1

A engenhoca resultante parece extravagante para nossos olhos modernos — como se fosse uma espécie de barco voador que se via em desenhos psicodélicos dos anos 1960. Mas o negócio funcionou.

Félix recrutou um soldado para testar e pilotar o negócio e conduziu vários testes com o Monoplano de 12 metros de envergadura, o qual, depois de usar uma rampa de lançamento para sair da inércia, conseguiu decolar com seus próprios meios e voar e/ou planar brevemente antes de aterrissar em segurança.

Os voos foram curtos e a aeronave era pouco controlável. É possível que o Monoplano tenha tentado realizar voos mais longos, mas é improvável que ele tenha sido sustentado ou controlado, que é exatamente o que os irmãos Wright e Santos Dumont conseguiram fazer.

Ainda assim, este parece ter sido o primeiro voo pilotado de uma máquina motorizada mais pesada que o ar, e certamente merece algum reconhecimento dos fãs destas máquinas voadoras maravilhosas.

fonte/foto/Jalopnik

ENCONTRADO AVIÃO QUE DESAPARECEU APÓS DECOLAR DE PARATY

A Força Aérea Brasileira (FAB) encontrou no início da tarde desta segunda-feira (11) o avião que havia desaparecido após sair de Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro. De acordo com a assessoria do Comando da Aeronáutica, destroços da aeronave, um bimotor modelo Seneca PA-34, de prefixo PR-EAG, foram localizados no Morro do Corisco. “A equipe de resgate constatou que não há sobreviventes. O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (SERIPA), da Aeronáutica, investigará os fatores que contribuíram para o acidente”, diz a nota divulgada. Ainda não há informações sobre a identidade das vítimas.

O avião tinha sumido após decolar do Aeroporto de Paraty às 12h15 de domingo (10). Estavam nele o piloto, um empresário, que era o dono da aeronave, e o filho dele. O bimotor tinha como destino o Aeroporto Campo de Marte, em São Paulo, de onde eram as três pessoas a bordo. As informações são do operador do Aeroporto de Paraty, que disse também que o avião era novo.

Segundo o Comando da Aeronáutica, a última indicação do bimotor no radar ocorreu próximo a uma elevação na divisa entre Rio e São Paulo, logo após a decolagem. As buscas começaram na tarde de domingo e foram retomadas nesta manhã. O trabalho foi realizado pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento da Força Aérea Brasileira (FAB) com apoio de equipes do Exército e Grupamento Aéreo de São Paulo.

fonte/G1

Dados da aeronave/Via RAB

Fabricante:
PIPER AIRCRAFT
Modelo:
PA-34-220T
Número de Série:
3449365
Tipo ICAO :
PA34
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MLTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 2 MOTORES CONVENCIONAIS
Peso Máximo de Decolagem:
2155 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
005


Categoria de Registro:
PRIVADA SERVICO AEREO PRIVADOS
Número dos Certificados (CM - CA):
17381
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
150108


Data de Validade do CA:
15/10/19
Data de Validade da IAM:
151014
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 11/11/2013 22:15:53

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...