BAIANA QUASE EMBARCA EM VOO QUE EXPLODIU E MATOU OITO NA BOLÍVIA

Sandra Senna teve horário da passagem alterada para voo da tragédia.

Ela, irmã e sobrinho não aceitaram a mudança. 'Pulei uma fogueira', afirma.


Sandra Sena, de 60 anos, quase embarcou com a irmã, de 61, e o seu sobrinho, todos baianos, no voo da empresa Aerocon, que explodiu próximo ao aeroporto de Riberalta, na Bolívia, matando pelo menos oito pessoas no dia 3 de novembro. A passagem deles do aeroporto de El Trompillo, que fica em Santa Cruz de La Sierra, para La Paz, capital do país, foi comprada para as 17h50, mas a companhia aérea mudou o horário para as 14h30, justamente para o voo em que ocorreu a tragédia.

"Ficaria muito em cima da hora da nossa chegada no aeroporto Viru Viru, em Santa Cruz, às 14h. Ficamos preocupados com a mobilidade até o outro aeroporto [Trompillo] Soubemos da mudança em Assunção [no Paraguai]. Insistimos muito para não viajar. Daí eles providenciaram um jatinho só para nós três", afirma Sena, que estuda Serviço Social da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Ela conta que a empresa chegou a oferecer que realocaria os três para outro voo caso realmente não desse tempo de embarcar, mas o grupo não concordou. "Dissemos 'de jeito nenhum'. O avião já tinha caído e a gente sem saber de nada. Dentro do aeroporto não passa nada. Na televisão, só a reprise de um jogo. Quando chegamos no hotel, à noite, depois de passear, vi o Evo [Morales] e a comoção nacional. Minha irmã estava no banheiro, não contei a ela, que só soube ontem [domingo, 10], ao chegar no Brasil. Ela passou mal, morre de medo [de avião]", afirma.

Sandra Sena diz que se sente muito aliviada ao lembrar do que passou. "Foi a insistência de ir no horário certo que nos salvou. Tem coisas que não dá para explicar. A gente pulou uma fogueira", diz.

O acidente
Pelo menos oito pessoas morreram e nove ficaram feridas no acidente aéreo na Bolívia. O avião da empresa Aerocon teve problemas na aterrissagem e explodiu próximo à pista do aeroporto de Riberalta (1 mil km da capital La Paz), no departamento de Beni.

O acidente aconteceu por volta das 16h no horário local (18h no horário de Brasília) durante o trajeto da aeronave que ia de Trinidad até Riberalta. Entre os mortos estão três funcionários do governo de Beni, segundo declaração do ex-governador Ernesto Suárez em sua conta no Twitter. “Pedi uma profunda investigação”, afirmou o presidente boliviano Evo Moraels após o acidente em entrevista divulgada no site oficial da Presidência.    

Segundo o jornal 'La Razón', imagens de televisão mostram que dezenas de pessoas trabalharam no resgate dos corpos das vítimas e dos feridos, como no combate ao incêndio produzido após a explosão do avião.

Acidente Bolívia  (Foto: Presidência bolviana )Moradores ajudam no combate ao incêndio provocado pela explosão do avião durante aterrissagem
(Foto: Presidência bolviana)

fonte/G1

Enhanced by Zemanta

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas