quinta-feira, 31 de julho de 2014

COLISÃO EM VOO DE PLANADORES NA INGLATERRA

Martin-Boos--Mid-Air-Colission-2

Fotografias espetaculares, capturadas pelo fotógrafo Martin Boos, no sábado passado, dia 26 de Julho, em Little Paxton, na Inglaterra, depois de dois planadores terem chocado em pleno voo durante uma competição.

As fotos mostram o piloto a saltar da cabina do planador, a libertar-se com sucesso depois do embate. Mostrou uma objetividade e sangue frio impressionantes.

O planador precipito-se ao solo momentos depois, enquanto o piloto, descia são e salvo de paraquedas.


Martin-Boos---Mid-Air-Colission

O segundo planador interveniente no acidente, sofreu danos menores e conseguiu voltar à pista sem mais complicações.

O acidente foi reportado ao gabinete de investigação de acidentes aéreos ingleses que posteriormente passou para a BGA ( British Gliding Association), para abertura de inquérito.

fonte/foto/CambridgeNews/NewsAvia/MartinBoos

    CALENDÁRIO DE PORTÕES ABERTOS DA FAB EM 2014


    AEROVIÁRIOS DA AIR FRANCE MARCAM GREVE PARA SÁBADO (2)



    Sindicatos de aeroviários da Air France anunciaram paralisação para o próximo sábado (2), no final de semana em que se encerram as férias de verão. Segundo o PRESSTUR, parceiro da PANROTAS em Portugal, a greve afetará os dois maiores aeroportos franceses – Charles de Gaulle e Orly – além de aeroportos regionais.

    O motivo da paralisação seriam más condições de trabalho decorrentes de reduções de funcionários ocorridas recentemente. A Air France alerta que o movimento poderá provocar atrasos nos voos. 

    fonte/Presstur/Panrotas

    ESPECIALISTA EM TRANSPORTES DEFENDE O USO MILITAR DO AEROPORTO AUGUSTO SEVERO


    Contrariando a opinião da classe empresarial e de gestores públicos, o professor de engenharia de transporte da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Rubens Ramos, defende a utilização militar do espaço físico do desativado Aeroporto Internacional Augusto Severo, em Parnamirim, acreditando no potencial tecnológico da estrutura para ser transformado em Centro de Desenvolvimento Aeroespacial. 

    O posicionamento do especialista em transportes se baseia na anunciada instalação do Centro de Treinamento Operacional para pilotos pela Força Aérea Brasileira (FAB), que será a primeira estrutura do tipo no país. Pelo que divulgou as autoridades militares, o local vai congregar uma série de cursos para formar aviadores militares e capacitar oficiais em rotinas administrativas.

    As informações sobre a nova estrutura ainda são mantidas em sigilo pelo alto comando da Aeronáutica. Segundo a assessoria de imprensa da FAB, o centro vai ser ajustado à estrutura da Base Aérea de Natal (BANT), que opera na vizinhança do antigo Augusto Severo, fechado para a aviação comercial no último dia 31 de maio.

    A base potiguar é usada hoje para finalizar a formação do piloto aéreo militar brasileiro, sendo responsável pelo treinamentos de segurança do espaço aéreo nacional em caças supersônicos. “Falta uma compreensão da importância daquele espaço. A área do Augusto Severo sempre foi estratégica para a aviação e deve continuar assim”, defende o especialista, que tem pós-doutorado em Economia de Transporte pela Universidade de Lyon, na França.

    Ele acredita ser um desperdício transformar o antigo terminal aeroportuário numa rodoviária, como foi sugerido pela classe empresarial potiguar. A sugestão da Federação da Indústria do Rio Grande do Norte (FIERN) é de que a área do Augusto Severo poderia ser transformada em Centro de Convenções, rodoviária e museu. Ramos contrapõe esta possibilidade, justificando as condições estratégicas e geográficas da estrutura de Parnamirim para a aviação internacional.

    “Serviu de ponto de rota para os aviões que cruzaram o Atlântico durante os anos de 1930. Depois disso, durante a Segunda Guerra, foi base aérea do Exército americano. Isso mostra que Parnamirim é privilegiado para a aviação. Pensar de outra forma é ingenuidade”, diz.

    Na visão de Rubens Ramos, a estrutura especializada em engenharia aeroespacial vai atrair ainda uma extensa cadeia produtiva para a cidade. “Será um local voltado para a inovação e produção tecnológica. Com isso, o centro vai necessitar de uma estrutura de suporte, de logística e de corpo técnico. São profissionais que terão de ser trabalhados e capacitados para o serviço. Também abre espaço para a abertura de novos postos de trabalho para a população local”, avalia.

    As perdas econômicas com o fim do aeroporto (fechamento de postos de trabalho e redução na arrecadação do ICMS), segundo o professor, seriam recompensadas com uma nova leva de empregos, empresas e movimentação financeira. “Serão centenas de novos trabalhadores, todos capacitados, com bons salários, que irão consumir em Parnamirim”, explica.

    O especialista ressalta ainda que a engenharia aeroespacial perfaz o desenvolvimento e fabricação de drones (aeronaves não-tripuladas) e satélites. “O Rio Grande poderá se tornar importante centro de tecnologia. Vale lembrar que muitas das tecnologias que utilizamos hoje, como GPS e a internet, foram desenvolvidas em unidade militares”, detalha.

    Outra possibilidade para o uso do antigo aeroporto foi levantada pelo Governo do Estado, que sugeriu para o local a instalação do campus do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) para o Rio Grande do Norte. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) disporia, inclusive, de recursos provenientes do programa RN Sustentável para viabilizar a empreitada. No entanto, o projeto não foi encampado pela Força Aérea Brasileira.

    FORMAÇÃO DE PILOTOS

    Ao que se sabe, o futuro centro de treinamento vai congregar o corpo instrutivo para preparar aviadores militares. O espaço não terá apenas a função operacional, mas também a especialização dos militares da Aeronáutica.

    Atualmente, a formação de pilotos militares é iniciada na Escola Preparatória de Cadetes do Ar, em Barbacena (MG). Por lá, os alunos cursam o equivalente ao ensino médio regular. Após a formatura, ao apresentarem condições favoráveis de saúde e psicológicas, os cadetes são aprovados para a Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP).

    Neste local, o alunos recebe as primeiras experiências na aviação. O aprendizado é encerrado quando o oficial atinge 125 horas de voo de instrução. Por fim, o militar é enviado à Base Aérea de Natal para receber a capacitação final, passando a operar helicópteros, caças, aviões de patrulha e de transporte.

    A ideia é agregar todas as fases dentro do centro de treinamento potiguar. Além disso, a nova estrutura poderá receber parte da instrução administrativa e funcional dos militares oferecida no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), na cidade de Belo Horizonte (MG), ou na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica (EAOAR), no Rio de Janeiro (RJ).

    Defesa Nacional
    O fortalecimento da base aérea potiguar também é vista pelo aspecto da segurança nacional. Rubens Ramos explica que a estrutura militar cobre todo o raio de combate da região Nordeste. O governo brasileiro, em dezembro de 2013, adquiriu da Suécia 36 caças Gripen por R$ 10,8 bilhões. Os aviões militares perfazem 1,3 mil quilômetros sem a necessidade de reabastecimento. "A Base Aérea de Natal é a única que fica dentro desta circunferência, é um ponto estratégico", detalha o professor Rubens Ramos.

    Os novos aviões de combate estarão em funcionamento em 2018. Dentro do valor de compra, a Força Aérea Brasileira terá direito à tecnologia. Além disso, o caça será montado no Brasil.

    Hoje, no Nordeste, apenas Fortaleza (CE), Recife (PE), Salvador (BA) e Natal têm bases da Aeronáutica. A capital pernanbucana é sede do Comando Regional do Ar (COMAR) - a estrutura militar-administrativa que gerencia as atividades da FAB na região. "Uma estrutura ampla aqui no Rio Grande do Norte, por abranger os estados nordestinos, vai otimizar o uso dos recursos na defesa nacional", finaliza Ramos.

    fonte/NovoJornal(RN)

    FAMÍLIA GUINLE PEDE INDENIZAÇÃO POR TERRENO DE CUMBICA


    Os herdeiros da família Guinle entraram na Justiça na segunda (28) para pedir de volta o terreno onde hoje está o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande SP) --ou receber indenização, em valor ainda a ser definido.
     
    É a terceira investida recente na Justiça dos herdeiros da família que já foi dona do Copacabana Palace, em uma disputa que deve levar alguns anos para ter fim.

    O terreno, de 9,7 milhões de metros quadrados, havia sido doado pela família em 1940, na Segunda Guerra, ao então Ministério da Guerra.

    A condição era que fosse erguido um aeroporto militar.

    As condições para a doação foram quebradas, diz o advogado Fábio Goldschmidt. Isso porque o aeroporto passou em 2011 da gestão militar (Ministério da Defesa) à civil (Secretaria de aviação Civil). E, em 2012, foi concedido à iniciativa privada.

    "São mil hectares doados em benefício do povo brasileiro revertidos para particulares para geração de lucro."

    Com base no gasto do governo com desapropriações no entorno, a defesa crê que o terreno valha R$ 5 bilhões.

    A disputa começou em novembro, com uma notificação, entre outros, à União, à Anac (Agência Nacional de aviação Civil) e à Invepar, controladora da concessionária que administra Cumbica.
    Segundo Goldschmidt, como não houve resposta, ele propôs duas ações: a de segunda-feira e uma com pedido de liminar, de junho, na qual as empresas processadas têm de declarar aos acionistas a disputa pelo terreno.

    A liminar foi negada em primeira instância e dada em segunda, pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

    O advogado da família Guinle pediu ao juiz o benefício da Justiça gratuita, em que não há cobrança de despesas processuais --ainda não houve resposta.

    O argumento foi que poucas famílias no país teriam condições de arcar com as despesas do processo, que envolvem bilhões de reais.

    A Advocacia-Geral da União e a Anac disseram não ter sido notificadas ainda da ação mais recente. A GRU Airport, que administra Cumbica, não quis se pronunciar.

    Caso Guarulhos - entenda a disputa
    1940
    Família Guinle doa o terreno onde hoje está o aeroporto, sob a condição de que ali houvesse um aeroporto militar
    2011
    Gestão dos aeroportos passa da Aeronáutica para a Secretaria da aviação Civil
    2012
    A empresa Invepar ganha a concessão do aeroporto de Guarulhos após leilão
    2013
    Família Guinle notifica a União por descumprimento do acordo sobre o terreno
    Anteontem (28/7)
    Os Guinle entram na Justiça e pedem revogação da doação ou pagamento pelo terreno

    fonte/FolhaSP

    AVIÃO CAI EM ESRACIONAMENTO DE SHOPPING NOS EUA

    Inspetor de aviação analisa pequeno avião que caiu em estacionamento de shopping em San Diego, nos EUA, nesta quarta-feira (30) (Foto: UT San Diego, Hayne Palmour IV/AP)Inspetor de aviação analisa pequeno avião que caiu em estacionamento de shopping em San Diego, nos EUA, nesta quarta-feira (30) (Foto: UT San Diego, Hayne Palmour IV/AP)

    Um avião de pequeno porte caiu no estacionamento de um shopping de San Diego, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (30), causando a morte de uma pessoa e deixando outra gravemente ferida, informaram as autoridades locais.

    A vítima fatal foi um homem de 80 anos que era passageiro da aeronave. O piloto, de 52 anos, teve ferimentos graves e foi encaminhado para um hospital.

    O avião pegou fogo após a queda, mas ninguém foi atingido pelo impacto. Segundo as autoridades, o avião era um Mooney M-20L de 1988.

    Um piloto de helicóptero que voava próximo ao local do acidente disse ter ouvido o piloto dizer por rádio que havia perdido a potência na decolagem.

    fonte/foto/G1

    MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

    Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...