sábado, 16 de abril de 2011

VIDEO - POUSOS E DECOLAGENS DE PORTER

AERONAVE EXPERIMENTAL FAZ POUSO FORÇADO EM RODOVIA NO INTERIOR DE SÃO PAULO



Um avião experimental fez um pouso forçado na tarde deste sábado (16) em plena rodovia Raposo Tavares em Maracaí, no Centro Oeste Paulista.

A aeronave tinha decolado de Presidente Prudente. Depois de uma hora e meia de voo, o avião apresentou problemas mecânicos e o piloto decidiu pousar no meio da estrada.

Por sorte nenhum veículo estava na estrada durante o pouso. O piloto, o advogado Marco Augusto Scoboza Gulin, nada sofreu. As causas da pane serão investigadas. O avião experimental foi desmontado e levado de volta pra Presidente Prudente.

fonte/foto/G1
Enhanced by Zemanta

A INVASÃO DAS GAÚCHAS NAS CABINES DE AVIÃO

Quem são as gaúchas que estão desbravando o território masculino das cabines de avião.

A fragrância do 212 Carolina Herrera parte da cabine de comando do Let 410, indicando presença feminina no recinto. O aroma parte da pele clara de Kitty Trisch Knevitz, 23 anos, uma copiloto de madeixas loiras e olhos azuis.

Desde setembro de 2010, a gaúcha de Bom Jesus, com família radicada em Pelotas, voa pelos céus de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo em aeronaves de selo NHT. Senta à direita do comandante, auxiliando na operação do cérebro do Let 410, apto a receber 19 passageiros. Maquiada, unhas vermelhas, perfumada, Kitty confere feminilidade a um ambiente predominantemente masculino. Das 14 mil licenças emitidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), apenas 7,5% são para mulheres – 937 pilotos e 115 copilotos. Na NHT, Kitty é a única.
– Os passageiros costumam achar que sou a comissária de bordo – graceja.

A aviadora faz parte de um time de gaúchas que labutam em cabines de comando pelo país. Nas andanças por aeroportos, a vaidade é o meio de quebrar a linha masculina do vestuário, ditada por camisas, calças e sapatos sociais. No inverno, a copiloto ainda adota o blazer e a gravata.

– Não abro mão de andar bem arrumada. Só não adianta estar enfeitada e não saber executar os comandos no avião – defende a loira, que se enamorou pela vida nos ares em 2005.

Aos 17 anos, Kitty desistiu do Direito, trocou Pelotas por Porto Alegre e, em quatro meses, já era comissária de bordo. Entre Caxias do Sul e Eldorado do Sul, a troca de trabalho em aeroclubes por horas de voo ajudou a custear a formação de piloto, concluída em 2008. Habilitada, a gaúcha testou sua paciência. No ano passado, antes de ingressar na NHT, topou uma vaga de comissária. Passou a “morar na mala”, onde acomoda roupas, cosméticos, carteira, pertences. Tudo adquirido em dose dupla.

– Se compro um creme, é um para casa e outro para a mala. É o jeito de lidar com as viagens – explica Kitty, que, a cada semana, dorme em média apenas dois dias em seu apartamento em Porto Alegre.

Na agenda de voos, de mala em punho, a copiloto pode ser vista em aeroportos de capitais, mas também do interior gaúcho, como Santa Maria, Uruguaiana, Passo Fundo, Rio Grande e Pelotas, paradas que já lhe concederam 600 horas de voo. Em mais um ano e meio, Kitty espera ter quilometragem para ser uma comandante – atenta e detalhista, como prega a cartilha feminina:
– Nas brincadeiras, dizem que aviação é coisa de homem. Discordo. Mulher é cuidadosa, cautelosa. O avião precisa descer suave, tocar o chão com a delicadeza de uma mulher.

CARREIRA
Persistência e malabarismo no ar
Com 7 mil horas de voo na carreira, a pelotense Luciana Carpena, 43 anos, ocupa o assento da esquerda na cabine, comandando o turboélice da Trip Linhas Aéreas. Há duas décadas nos ares, a carreira é fruto de um flerte inesperado. Aos 18 anos, acompanhou o tio, piloto de jato, em um voo de Pelotas a São Paulo. Apaixonou-se e abriu a rota até se tornar a Comandante Carpena. Em relação aos pilotos, só pede o mesmo tratamento:
– Minha responsabilidade em levar com segurança os passageiros é a mesma de um homem. Se eu assumir a aeronave e cumprir a missão, está ótimo.

Copiloto da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, Caroline Damé da Silva, 29 anos, aprendeu a lidar com o que considera um preconceito velado.

– Temos que provar sempre que somos capazes de cumprir com as nossas obrigações. Muitos passageiros se surpreendem com uma mulher no comando, mas a surpresa é positiva, vem carregada de elogios – diz.
Natural de Encruzilhada do Sul, Caroline vive em São Paulo, assim como Luciana. As duas creditam o sucesso à persistência. Como os cursos são caros, trabalharam para ajudar nas despesas. Luciana ainda precisou se afastar duas vezes ao engravidar dos filhos, hoje com 16 e quatro anos:
– É questão de saúde da mãe e do bebê. Fiquei um ano sem voar em cada gravidez.
Casada com um comandante, Luciana vive em um jogo de folgas – quando ela descansa, o marido está no ar.
– É preciso fazer malabarismo para conciliar profissão e família – reconhece.

Asas à história
Biografia de pioneira da aviação no Brasil é contada em livro
A mulher é a rainha, mas o homem, profissionalmente, é mais capaz. Era o que Lucita Briza ouvia seu pai dizer em casa, quando se discutia o papel da mulher.
– E minha mãe respondia: mas a Ada é melhor do que a maioria dos pilotos.

Lucita se fez jornalista, construindo sua carreira em suplementos femininos e em política internacional, em veículos como Jornal da Tarde e O Estado de S.Paulo. Mas não poderia imaginar que, tantos anos após ouvir a defesa da mãe – também chamada Ada –, investigaria a fundo a vida da aviadora Ada Rogato, que morreu em 1986, aos 76 anos.

"Ada – Mulher, Pioneira, Aviadora" será lançado no final do mês pela C&R Editorial. Ada não foi a pioneira em obter um brevê, que conquistou em 1936, mas foi a primeira a pilotar um planador na América Latina. Na década de 1950, foi o primeiro piloto (homem ou mulher) brasileiro a sobrevoar os Andes com um avião de baixa potência, fez a primeira experiência de pulverização de lavoura de café com avião, foi a primeira paraquedista mulher e a pioneira ao voar, sozinha, mais de 51 mil quilômetros pelas três Américas, até o Alasca. Detalhe: sem rádio, com um avião de 90 cavalos, hoje doado à Aeronáutica. Este mês, a viagem comemora seu cinquentenário.

O trabalho de reportagem começou em 2005, com grande esforço para encontrar pessoas ligadas à aviadora, que nunca se casou, não teve filhos e rompera os laços familiares – seu pai, Guglielmo Rogato, imigrante italiano que se fez homem importante em Alagoas e tem até duas ruas com seu nome, quis impedir a carreira.

Lucita só conseguiu se aproximar mais da vida de Ada ao encontrar Neide Bibiano, amiga que amparou a aviadora até a morte, de câncer no útero. Lucita também viajou para Uruguai, Argentina e Chile para entrevistar pessoas que tiveram contato com Ada.

– Depois da morte dela, esse esquecimento brutal. Eu não me conformava. Eu sempre quis escrever um livro sobre uma mulher à frente do seu tempo – conta a jornalista.
Agora, Lucita corrigiu essa lacuna histórica, num livro de 300 páginas.

Caroline Damé da Silva - 29 anos de idade - naturalidade: Encruzilhada do Sul
função: copiloto - Companhia: Azul - Horas de voo: 4 mil


Luciana Carpena - 43 anos de idade - naturalidade: Pelotas
Função: piloto - Companhia: Trip - Horas de voo: 7 mil


Kitty Trish Knevitz - 23 anos de idade - naturalidade: Bom Jesus
Função: copiloto - Companhia: NHT - Horas de voo: 600




fonte/foto/ZHora/CRadar


Enhanced by Zemanta

MAIS UM CONTROLADOR DE VOO DORME NOS ESTADOS UNIDOS, E ESCALA SERÁ ALTERADA

Seal of the United States Federal Aviation Adm...Image via Wikipedia
WASHINGTON (Reuters) - Autoridades de aviação dos EUA, investigando as perturbadoras revelações de que controladores de voo estariam caindo no sono durante o trabalho, proibirá a adoção de escalas de serviço que possam induzir ao cansaço excessivo.

Também no sábado, a Administração Federal de Aviação (FAA) anunciou a suspensão de um controlador de Miami que cochilou em serviço --o quinto incidente desse tipo identificado nas últimas semanas, e o segundo em um aeroporto importante.

"Faremos tudo o que for possível para acabar com isso", disse Randy Babbitt, administrador da FAA, em nota.

Em 23 de março, por volta de meia-noite, o único controlador de plantão no Aeroporto Nacional Reagan, em Washington, também adormeceu, quando dois aviões se preparavam para pousar.
A sequência de casos tem alarmado autoridades e especialistas, e gera dúvidas sobre a eficiência das escalas de plantão.

O funcionário da FAA responsável por fiscalizar as operações de rotina dos 15 mil controladores que atuam em mais de 400 aeroportos se demitiu na quinta-feira.

A agência também proibiu a prática de manter apenas um controlador no turno da madrugada, como costumava ocorrer em mais de 20 aeroportos - em geral de lugares pequenos, com pouco movimento noturno.

Além disso, a FAA anunciou no sábado que no começo da semana que vem irá proibir a adoção de escalas que gerem cansaço excessivo nos funcionários. Qualquer mudança nesse sentido precisará ser negociada com o sindicato da categoria.

fonte/Reuters/UOL
Enhanced by Zemanta

TAP ESTUDA POSSIBILIDADE DE VOOS DIARIOS ENTRE PORTO ALEGRE E LISBOA

Nos preparativos para o início do voo direto Porto Alegre-Lisboa, em 12 de junho, a TAP já estuda a possibilidade de tornar a frequência diária.

Inicialmente, serão quatro voos semanais, com decolagens às segundas, quartas, sábados e domingos.

— Quando a operação é diária, o voo atinge melhor produtividade — explica o diretor-geral da TAP para a América Latina, Mário Carvalho.

A companhia portuguesa já voa para Lisboa a partir de nove cidades brasileiras. Conforme Carvalho, o voo de Porto Alegre deve ser mais utilizado por passageiros em viagens a negócios com destinos para cidades européias.

fonte/ZeroHora

FAB ASSINA CARTA DE INTENÇÃO PARA COMPRA DE QUATRO RADARES DA ORBISAT



Documento para o fornecimento do SABER M60 foi assinado no dia 13 pelo comandante da Força Aérea, Tenente Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito
Força Aérea Brasileira (FAB) assinou uma carta de intenção para a compra de quatro radares Saber M-60, desenvolvidos pela brasileira Orbisat. O acordo foi fechado ontem, dia 13, durante reunião realizada na LAAD – Defence & Security, no Rio de Janeiro, entre a diretoria da empresa e o comandante da aeronáutica, Tenente Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito.


O Saber-M60 é o mais moderno e preciso radar da classe que integra busca e vigilância de baixa altura, e portáteis, em todo o mundo. A FAB deverá utilizar os equipamentos nas bases aéreas de Canoas (RS) e de Manaus (AM), sendo sua aplicação principal compor os elementos de Artilharia Anti-Aérea alocados ao SISDABRA (Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro).
Segundo o diretor técnico da Orbisat, João Moreira Neto, o DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) vem avaliando o Saber-M60 desde 2010. Este ano, o órgão repassou um parecer positivo ao Estado Maior da Aeronáutica, atestando que o equipamento cumpre com os requisitos operacionais da instituição. 

Recentemente, o Saber-M60 foi certificado pelo Exército Brasileiro e o documento atesta que o equipamento cumpre com as normas militares, ambientais e de interferência eletromagnética.
Os radares Saber-M60 têm o protocolo de comunicação Asterix e pode ser diretamente ligado à rede do SISDABRA e, assim, integrado aos outros radares de vigilância da FAB. O próximo passo depois da carta de intenção é o detalhamento de proposta técnico-comercial, negociação e assinatura de contrato de fornecimento ainda para 2011.
Sobre a Orbisat
A OrbiSat é uma empresa privada, especializada em sensoriamento remoto e radares para vigilância aérea e terrestre. Recentemente, assinou contrato de venda de suas áreas de defesa e sensoriamento remoto para a Embraer Defesa e Segurança. O acordo estratégico foi firmado para garantir a continuidade das atividades dessas divisões da companhia, que agora ganha mais força com o impulso da Embraer.

A empresa domina a tecnologia de diversos radares: Interferométricos de Abertura Sintética, de Busca e Vigilância de alvos aéreos em três dimensões, de Vigilância embarcados com processamento em tempo real, de Secundários e Interrogadores Militares em todos os modos.
A capacitação tecnológica da OrbiSat é reconhecida internacionalmente e já foi adotada por países como Venezuela, Itália, Suíça, Alemanha, Israel, Estados Unidos e França.

fonte/DefesaNet

7 IDÉIAS PARA APROVEITAMENTO DE AERONAVES RETIRADAS DE VOO




  PLAYGROUND





RESTAURANTE





REBOQUE


.


HOTEL





BARCO




MÓVEIS


.

CASA


 
fonte/foto/cheapflightsfinder

CORPOS EM AVIÃO DA AIR FRANCE NÃO SERÃO PRIORIDADE, DIZ ASSOCIAÇÃO

O resgate dos corpos das vítimas do acidente envolvendo o avião da Air France não é prioridade para o BEA (escritório francês de Investigação e Análises). Segundo informou Maarten Van Sluys, diretor executivo da associação dos parentes das vítimas no Brasil, uma assessora do escritório francês o comunicou na manhã desta sexta-feira (15) sobre a decisão, tomada numa reunião na França, na noite de quinta.

O avião caiu no Oceano Atlântico quando ia do Rio para Paris, em 2009.

De acordo com ele, o escritório realiza reuniões diárias para planejar a fase cinco de resgate do avião, que deve começar no fim de abril. Ele informou que a prioridade seria a retirada dos destroços e da caixa preta. “Segundo eles, depois de estudos feitos por peritos houve entendimento de que os corpos poderiam não resistir ao içamento no mar”, disse ele, completando que algum corpo pode acabar sendo içado eventualmente junto com destroços.

A notícia pegou de surpresa os parentes das vítimas. “O mundo desabou, caiu pra todo mundo. Isso foi um ato irresponsável da maneira com que foi conduzida. Houve uma precipitação, como sempre vem acontecendo nesse caso. Tem várias famílias aqui no Brasil que ainda nem tem atestado de óbito”, lamentou.

O presidente da associação dos parentes, Nelson Marinho, está em viagem à França, onde foi participar de uma reunião com o BEA na segunda-feira (11), com o secretário de Transportes da França, Thierry Mariani, para discutir o acesso às informações sobre o trabalho de resgate. Ele reclama que a França mantém em sigilo muitas das informações sobre o caso.

Marinho ainda não havia sido informado sobre a decisão do BAE de não encarar o içamento dos corpos como prioridade. Ele estranhou a informação, afirmando que inclusive, há informações de que há corpos ainda na fuselagem, presos ao cinto de segurança.

Nelson disse ainda que iria encaminhar uma carta ao presidente francês, Nicolas Sarkozy, pedindo que as caixas pretas do avião sejam enviadas para os Estados Unidos, caso sejam recuperadas. Segundo ele, isso garantiria a isenção nas investigações.

fonte/G1
Enhanced by Zemanta

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...