quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

PRESIDENTE DO AEROCLUBE DE BRASILIA MORRE BALEADO ENQUANTO PRATICAVA COOPER NA PISTA DE POUSO


Presidente do Aeroclube de Brasília era também secretário de Indústria e Comércio de Luziânia. Delegado avisa que investigação será sigilosa

O presidente do Aeroclube de Brasília, João da Silva Abreu (foto), 48 anos, foi assassinado, no fim da tarde de ontem, enquanto praticava cooper na pista de pousos e decolagens. O delegado plantonista Ernani de Oliveira Cazeu, do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) da cidade goiana, afirmou que a investigação vai tramitar de forma sigilosa. João da Silva foi baleado, mas a polícia não revelou quantos tiros o atingiram. Além de presidente do Aeroclube, ele era secretário de Indústria e Comércio de Luziânia e presidente da Associação Comercial da cidade.

“O local é ermo e a polícia ainda não tem testemunhas visuais. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Luziânia, onde será periciado”, disse o delegado plantonista. O laudo deve sair em aproximadamente uma semana. “A partir de hoje, a família será ouvida. Também serão ouvidos funcionários e todos que possam dar informações.”

Segundo o irmão de João, que se identificou apenas como Silvano, nenhum pertence da vítima foi levado. “Não tenho palavras para falar sobre isso. É muita revolta”, lamentou.

Vice-presidente do Aeroclube de Brasília, Omar Victor do Espírito Santo disse ter conversado com funcionários, mas ninguém teria testemunhado o crime nem sequer percebido nada de estranho. “Ele foi encontrado por acaso e os funcionários chamaram o Samu e a polícia. O João ainda respirava, mas já estava inconsciente”, contou Omar. “É uma perda muito grande. Ele era um presidente muito ativo, que fará falta. Vamos pensar em como dar continuidade ao trabalho dele.” O vice-presidente afirmou ainda que o Aeroclube é cercado e tem guaritas, mas só há rondas de seguranças no período noturno.

De acordo com Israel Marcelo, cunhado da vítima, João da Silva não tinha inimigos. “Ele era uma pessoa bem relacionada na cidade, muito trabalhador, comprometido com a família. Foi uma grande calamidade. Luziânia está precisando de mudanças”, lamentou. O corpo de João deve ser velado hoje no Aeroclube.
 
fonte/Correio Braziliense foto/CB / Reprodução / DA Press

PÂNICO EM AVIÃO DA BATAVIA AIR DEIXA SEIS FERIDOS


Passageiros saltam do aparelho depois de terem visto sair fumaça de um dos motores

O Boeing da Batavia Air estacionado no Aeroporto de Bali hoje.

O pânico que se gerou no avião Boeing 737-400, prefixo PK-YVR, da Batavia Air, estacionado no Aeroporto Internacional Ngurah Rai (DPS) em Bali, na Indonésia, deixou, nesta quinta-feira (3), seis feridos. Uma fonte oficial, citada pela CNN, revela que os passageiros entraram em pânico depois de terem visto sair fumaça de um dos motores da aeronave.

O avião transportava 148 passageiros e seis tripulantes e estava prestes a deixar o terminal no principal aeroporto da ilha do resort, a caminho da cidade de Surabaya em Java Oriental (voo 7P-701), quando o incidente aconteceu às 11:45 (14:45 AEDT).

Bambang Ervan, porta-voz do Ministério dos Transportes, informou que "os passageiros entraram em pânico e pediram aos tripulantes que abrissem as saídas de emergência. Alguns dos passageiros saltaram do avião antes mesmo de a rampa ser colocada".

Os seis feridos (três graves e três leves) foram transportados para o hospital e o avião vai agora ser inspecionado, informou ainda o porta-voz. O mesmo responsável acrescenta que, para agora, não é possível confirmar se houve um incêndio no avião.

Dois dos passageiros feridos recebem tratamento num hospital em Bali

fontes/IOL Diário / Sydney Morning Herald / Daily Mail/fotos/ EPA

VOO DA MANHÃ DE VILA REAL PARA LISBOA PODE SER CANCELADO POR FALTA DE INFORMAÇÃO METEOROLÓGICA


O diretor do aeródromo de Vila Real , Henrique Baptista, revelou hoje que o primeiro voo da manhã para Lisboa pode estar em causa nos próximos meses por falta de informação meteorológica.

Segundo disse à Lusa, a direcção do aeródromo foi informada a 11 de Novembro que «devido a férias de um observador do Centro de Coordenação de Vila Real», no período de «17 de Novembro de 2009 a 14 de Fevereiro de 2010», o Instituto de Meteorologia assegurará apenas a informação meteorológica entre as 9h e as 18h.

«Tendo em conta que a primeira ligação aérea entre Vila Real e Lisboa ocorre às 8h05 verificamos que pode não se realizar, caso as condições meteorológicas não permitam ter a certeza de que a aterragem e descolagem são efectuadas em perfeita segurança», disse o director, Henrique Baptista.

De acordo com aquele responsável, a empresa concessionária pela carreira aérea Bragança/Vila Real/Lisboa, a Aerovip, «já manifestou as suas preocupações com esta situação, que pode levar ao cancelamento do primeiro voo da manhã».

O director do aeródromo «estranha o facto da entrada em gozo de férias do funcionário inviabilizar o fornecimento de informação meteorológica pelo período de aproximadamente três meses».

As críticas ao Instituto de Meteorologia estendem-se ainda ao alegado «atraso na emissão de um parecer para aquisição de uma estação meteorológica que podia evitar situações como a que está a ocorrer neste momento».

De acordo com o director do aeródromo, a Câmara Municipal de Vila Real tem um protocolo com o Ministério das Obras Públicas, através do INAC - Instituto Nacional de Aviação Civil- para a aquisição do equipamento.

Segundo disse, «desde Julho que aguarda pelo parecer do Instituto de Meteorologia sobre as propostas apresentadas a concurso, sem que até ao momento tenha obtido qualquer justificação daquele organismo».

«Em Setembro, apôs muita insistência fomos informados de que os elementos a analisar se tinham extraviado e reenviamos novo processo, mas continua tudo na mesma», disse.

Henrique Baptista afirmou que «esta atitude pode levar a autarquia (proprietária do aeródromo) a perder o financiamento do INAC para os 100 mil euros necessários».

A promotora teme também ter de anular o concurso, com possíveis pedidos de indemnização por parte dos concorrentes.

De acordo com dados da direcção, desde Janeiro, 7319 pessoas passaram pelo aeródromo de Vila Real, fazendo uso da carreira aérea subsidiada pelo Estado.

A Lusa pediu esclarecimentos sobre as situações apontadas ao Instituto de Meteorologia, que solicitou a apresentação das questões por escrito, sem que até ao momento tenha dado resposta.
 
fonte/ Agência Lusa/SOL (Portugal)

PERDENDO O CONTROLE

















Em 20 de outubro,em um caso bizarro na aviação , dois pilotos da Jet Airways, realizando o voo Nova-Deli-Mumbai ,voo (9W-322) resolveram testar as habilidades de um piloto em instrução.

O piloto responsável pelo check, que estava sentado atrás da tripulação de cabine, tirou um disjuntor do Boeing 737-900's, afetando o mecanismo do piloto automático e outros equipamentos.

Arriscando a segurança dos 100 passageiros a bordo.

Com os equipamentos de navegação afetados, a aeronave perdeu altura rapidamente, a uma velocidade mais prescrita 1.000 pés por minuto, enquanto se preparava para aterrissar no aeroporto de Bombaim.

O incidente ocorreu ao longo dos subúrbios de Bombaim, quase 3.500 metros de altura. Especialistas em aviação disseram que o incidente poderia ter ocorrido um acidente grave.

Punição

Entretanto, a Direcção-Geral de Aviação Civil (DGCA) tem tido uma visão de popa do incidente.

A instrução do piloto foi suspensa enquanto se aguarda inquérito, enquanto que tanto o piloto em comando e co-piloto foram escalados em inquérito independente, disse um porta-voz oficial do Ministério da Aviação Civil.

A companhia aérea, enquanto a realização de um inquérito interno, detectou "uma taxa anormal de descida" durante a verificação dos dados do voo.


Enquanto Jet Airways afirmou que a segurança dos passageiros não foi comprometida eo avião fez um pouso normal, pilotos e especialistas em aviação disseram que as ações do comandante elevou-se a violação das regras e poderia ter comprometido a segurança de vôo.

"Um disjuntor não deve ser removido até mesmo para testar a proficiência de pilotos. É contra manuais de operação ", disse um piloto.




Outros disseram que as ações do piloto, que poderia constituir uma violação das regras de aeronaves e poderiam enfrentar uma ação penal.


"É mais uma questão de indisciplina", disse um piloto, acrescentando que não havia perigo em caso de boa visibilidade e bom tempo.

O DGCA, em um comunicado, disse que a violação veio à tona quando a companhia aérea foi ao controle de voo e uma taxa anormal de descida foi detectada.

Curiosamente, o mesmo comandante tem enfrentado acusações de indisciplina no passado, alguns anos atrás, ele tinha levado o seu cão de estimação na cabine, informaram fontes da companhia aérea.

fonte/PousadaDasNoticias

SPITFIRE ATERRISSOU MAL EM AUCKLAND

Rare Spitfire crash lands in Sth Auckland (Source: NZPA)
O Spitfire que caiu no aeroporto de Ardmore

Um raro Spitfire de caça de dois lugares,foi danificado após um acidente  na aterrissagem no Aeroporto de Ardmore , ao sul de Auckland.

Às 11:50 de hoje (quinta-feira) O Spitfire, no valor de vários milhões de dólares, derrapou no final da pista, danificando a hélice e sua estrutura.
 
"É bastante fácil de reparar mas levará muito tempo", diz Peter Haughton da Sociedade Warbirds.
A aeronave poderia valer mais de US $ 3 milhões.



Brooker comprou o Spitfire há dois anos e fez a modificação de um monolugar para dois lugares na América, tornando-o um dos cinco únicos no mundo.

Ele chegou na Nova Zelândia em 11 de setembro do ano passado, e foi pintado com as cores do deserto da RAF.
Este foi o segundo acidente desde que o avião chegou na Nova Zelândia ,antes sofreu danos durante também uma aterrissagem violenta no Aeródromo de Hood, perto de Masterton, em janeiro.
 
 
fonte/PousadaDasNoticias

ANAC HOMOLOGA PHENOM 300

embraer-phenom-300-

O jato executivo Phenom 300, fabricado pela Embraer, recebeu hoje o Certificado de Homologação de Tipo (CHT) da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
O certificado permite que o novo jato possa voar no Brasil. O documento garante também que o modelo seja validado por outras autoridades aeronáuticas estrangeiras, informou a Anac em nota.
A entrega do certificado aconteceu na sede da Embraer, em São José dos Campos (SP), pela diretora-presidente da Anac, Solange Paiva Vieira.
O processo de certificação segue as recomendações da Organização Internacional de Aviação Civil (Oaci) e, após concluído, comprova que a Anac verificou as condições da aeronave para operar com segurança.
Depois de 38 meses de trabalho de engenheiros, pilotos, inspetores e pessoal de suporte, o Phenom 300 cumpriu todos os requisitos de aeronavegabilidade exigidos pelas normas brasileiras e internacionais de aviação civil, acrescenta a Agência.
A Federal Aviation Administration (FAA), órgão regulador da aviação civil nos Estados Unidos, deverá concluir a etapa de validação do certificado do jato da Embraer para aquele país nas próximas semanas, baseado no CHT concedido no Brasil. A validação pelo órgão regulador europeu (Easa) está prevista para 2010. As duas certificações permitirão a exportação e operação do Phenom 300 nos Estados Unidos e Europa.
FONTE/FOTO:

fonte/foto/Embraer

EMBRAER VAI DOBRAR VENDAS NO PAÍS



Atentas para a boa maré do mercado doméstico, impulsionado pelo aumento da renda, do emprego e do crédito, as indústrias decidiram redirecionar o foco dos negócios para os clientes locais. Com isso, escapam do real valorizado que atrapalha as exportações e da demanda externa ainda ressentida da crise financeira internacional.
“Várias indústrias estão redirecionando a produção antes exportada para o mercado doméstico, quando é possível”, diz o diretor de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Roberto Giannetti da Fonseca.
A fabricante de aviões Embraer vai mais que dobrar neste ano a participação das vendas domésticas no faturamento. Em 2008, o mercado interno respondeu por 4% da receita de US$ 6,3 bilhões. Este ano, a fatia das vendas domésticas será de cerca de 10% de um faturamento projetado de US$ 5,5 bilhões.
“Venda para o mercado interno de US$ 530 milhões é a maior cifra nominal da história da empresa”, afirma o vice-presidente executivo financeiro e de relações com investidores, Luiz Carlos Aguiar. O executivo frisa que 90% das vendas são para o exterior, mas que as vendas de aeronaves para dois novos clientes, as companhias aéreas Azul e Trip, deram uma injeção de ânimo na empresa.
A Azul encomendou 36 aviões, com entrega até 2013. A Trip comprou cinco aeronaves. “As vendas domésticas não compensam as perdas no mercado externo, mas o cenário do transporte aéreo internacional só deve reagir em 2011.”


fonte/Embraer/EstadodeSao Paulo

STP AIRWAYS REAGE À PROIBIÇÃO DE VOAR PARA A EUROPA


A STP Airways já reagiu à proibição de voar para a Europa, imposta pela União Europeia (UE) anunciando que não deixará de voar para Lisboa.

A PNN foi saber o qual a reacção da companhia aérea de São Tome e Príncipe sobre a proibição de voar para Lisboa e obteve uma reacção do delegado comercial da STP Airways, em São Tomé e Príncipe e em Angola, Daniel Caeiro.

«Queremos tranquilizar e garantir a todos os clientes da STP Airways que, embora façamos parte da aviação civil santomense não temos nada a ver, de momento, com a sanção aplicada pela União Europeia, porque o nosso avião que assegura a rota é o Euro Atlantic, matriculado no espaço europeu com todas as garantias de voar a partir de Portugal para qualquer parte do mundo», informou o porta-voz da agência, Daniel Caeiro.

Em termos de imagem, a proibição da UE poderá afectar um pouco a STP Airways e companhia pensa contestar. Já campo operacional, pouco afectará porque a aeronave que faz a ligação parece ter todos os requisitos preconizados para voar para a Europa. «Fazemo-lo já há um ano e vamos continuar a voar. A Euro Atlantic é accionista da STP Airways, faz a gestão e tem um avião com registo aprovado em Portugal e cumpre todas as exigências internacionais», defendeu Daniel Caeiro.

De acordo com o delegado, a empresa vai continuar a realizar os voos porque desde há um ano que cruza o céu europeu frequentemente, com um serviço excelente e com lotação esgotada nos voos que fazem a ligação entre Lisboa e São Tomé.

«O que temos que ressalvar realmente junto do Governo com a Aviação Civil, é que a STP Airways está disposta a montar um «Tass Force», com objectivo de ultrapassar esta difícil situação na aviação civil de São Tomé e Príncipe», acrescentou Daniel Caeiro. A empresa pretende ajudar o Instituto nacional de Aviação Civil (INAC) a ultrapassar esta crise.
 
fonte: PNN / Jornal Digital (Portugal)

HELICÓPTERO POLONÊS FAZ POUSO FORÇADO NO AFEGANISTÃO

Destroços de helicóptero polonês das forças da Otan são vistos no chão nesta quinta-feira (3) em Ghazni, a oeste de Cabul, no Afeganistão. A aeronave fez um pouso forçado depois de ter enfrentado problemas. Ninguém se feriu.

fonte/ G1 /AP foto/AP

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...