quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

LEVE TOQUE ENTRE AVIÕES DA RYANAIR

Dois aviões da companhia irlandesa Ryanair chocaram levemente, por volta das 11 horas da manhã desta quinta-feira, numa área antes da pista do Aeroporto de Girona, Costa Brava. 

O choque ocorreu quando um dos aviões se dirigia para a pista para efetuar a descolagem, informa a EFE. 

Um dos aparelhos roçou levemente a asa esquerda na parte de trás de um outro avião que aguardava autorização para entrar na pista, informaram fontes do aeroporto. 

Os danos nas aeronaves são imperceptíveis, mas os procedimentos de segurança obrigaram a que ambos os aparelhos regressassem à zona de estacionamento e os passageiros foram obrigados a desembarcar. 

As aeronaves tinham voos com destino a Las Palmas e Turín e foram inspecionadas pelos técnicos das companhia, de forma a assegurar o seu nível de segurança.

fonte/12 Horas Aéreas/Aeroblog

VASP - VENDA DA FAZENDA ESTÁ MARCADA PARA MARÇO






A Fazenda Piratininga, que pertencia ao ex-proprietário da Vasp, Wagner Canhedo, e já teve sua posse transferida aos ex-funcionários pela Justiça do Trabalho, será leiloada no dia 10 de março. Se o imóvel for vendido, será a primeira vez na história do país que um grupo de trabalhadores de uma empresa em falência terá a possibilidade de receber boa parte dos créditos a que tem direito sem se submeter ao desgastante processo falimentar e ao rateio da massa falida entre outros credores - como bancos, fornecedores e o Fisco.
O complexo agropecuário que engloba uma área de 135 mil hectares no extremo norte do Estado de Goiás está avaliado em cerca de R$ 500 milhões. O valor obtido em leilão poderá ser convertido em créditos trabalhistas. A dívida com os trabalhadores está estimada em R$ 1,6 bilhão.
De acordo com o advogado Carlos Duque Estrada, que representa ex-trabalhadores da Vasp, já há pelo menos duas empresas que manifestaram interesse em comprar a fazenda em conversas informais. " Essa será a única forma desses credores receberem , já que os bens da Vasp que estão indo à leilão, como algumas aeronaves, estão completamente sucateados", afirma.
A empresa de aviação sofreu intervenção em 2005, mesmo ano em que entrou em recuperação judicial. Três anos mais tarde, foi decretada a sua falência. Apesar disso, os ex-empregados da companhia terão a possibilidade de receber parte do que tem direito antes de qualquer credor da massa falida. O que se explica por uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público do Trabalho, Sindicato Nacional dos Aeronautas e pelo Sindicato Estadual dos Aeroviários, em 2005. Na época, o empresário Wagner Canhedo assinou um acordo perante a Justiça do Trabalho por meio do qual se comprometia a quitar todos os débitos trabalhistas. Pelo mesmo acordo, o empresário teria reconhecido a responsabilidade solidária do seu grupo econômico - que engloba mais três empresas - pelo pagamento das dívidas existentes, caso a Vasp não as quitasse. Por esse motivo, os trabalhadores conseguiram que pelo menos duas fazendas da Agropecuária Vale do Araguaia fossem bloqueadas e, agora, obtiveram a propriedade de uma delas, a Fazenda Piratininga.
O advogado da Agropecuária Araguaia, Everson Ricardo Arraes Mendes, do escritório Pires Furtado e Advogados Associados, afirma que ainda vai tentar suspender o leilão. Ele aguarda decisão em uma ação de suspeição do juiz que, na primeira instância, concedeu a adjudicação - posse definitiva da fazenda. O advogado alega que o magistrado deveria ter se declarado suspeito para julgar o processo, pois deu entrevista à imprensa sobre o caso, o que seria vedado pelo Estatuto da Magistratura. A alegação, no entanto, não foi aceita pela segunda instância. Porém, o advogado tentará reverter a situação nas instâncias superiores. Além disso, ele aguarda o julgamento de um recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ) que discute a recuperação judicial da Agropecuária Araguaia. Na ação, ele tenta provar que a Fazenda Piratininga é essencial para a recuperação da empresa. "Também devemos tentar outras medidas judiciais para suspender o leilão, se necessário", afirma. (AA)
Escritório de advocacia Duque Estrada

O rei do gado

O endividado dono da Vasp diz que colocou
400 milhões de reais em sua propriedade rural


Wagner Canhedo: "Fazendeiros" são gigolôs de vaca. Minha fazenda é uma empresa"

Na década de 90, enquanto a Vasp afundava em dívidas, o empresário Wagner Canhedo montava a fazenda de criação de gado mais bem equipada do Brasil. A Piratininga ocupa 215.000 hectares no extremo norte de Goiás, na divisa com o Tocantins, uma área equivalente a quase o dobro da cidade do Rio de Janeiro. O negócio começou relativamente modesto, com 30.000 cabeças de gado. Nos últimos anos evoluiu a uma velocidade espantosa para os padrões desse tipo de empreendimento e hoje abriga um dos maiores rebanhos concentrados em uma só fazenda do país, talvez do mundo, estimado em 100.000 cabeças. Para conseguir escoar sua produção, o empresário comprou 30% de um dos maiores frigoríficos de Goiás e mantém outra fazenda de engorda com 56.000 hectares. A Piratininga conta com uma infra-estrutura que não existe em nenhuma outra fazenda desse tipo, pelo menos na América Latina: uma rede de 3.600 quilômetros de estradas que custou mais que todos os bois que existem na fazenda. Em linha reta, elas cobrem a distância de Porto Alegre a Maceió. Há também 304 pontes de concreto, dois viadutos e 100.000 metros quadrados de construções. Para atender os 280 funcionários foi montada a estrutura de uma pequena cidade: uma escola para setenta alunos, igreja para 150 pessoas, posto de saúde e um complexo poliesportivo com duas piscinas. É um negócio de fazer inveja a muitas cidades de verdade.

Segundo os próprios cálculos de Canhedo, para transformar a fazenda no colosso que ela é hoje foram gastos mais de 400 milhões de reais. Só a construção das estradas, pontes, viadutos e prédios consumiu metade desse dinheiro, informa o empresário. As terras, os animais e as máquinas levaram a outra metade (veja quadro ao lado). O dono da Vasp adora contar vantagem sobre sua fazenda. Diz que já perdeu a conta de tudo que gastou lá. "Corrigindo tudo direitinho, pode até ser muito, muito mais que esses 400 milhões tudo que gastei lá", diz orgulhosamente Wagner Canhedo. Como sempre, deve estar inflando os números. Mas, por maior que seja o exagero contábil do dono da Vasp, a Piratininga é um projeto excepcional em sua categoria. Ele investiu durante vinte anos ininterruptos na propriedade. Metade da área onde está a Piratininga é de pântanos, aterrados no decorrer dos anos. Essas obras foram tão grandes que em 1996 a Secretaria de Meio Ambiente de Goiás mandou Canhedo detalhá-las em um complexo relatório, por temer que as escavações provocassem um desastre ambiental na região. O projeto só começou a dar lucro nos últimos quatro anos. De acordo com a contabilidade de Canhedo, rende 10 milhões de reais por ano.
O que fez o empresário endividado gastar tanto em um empreendimento que gera um retorno relativamente modesto é intrigante. As maiores fortunas do país destinam parte de seu faturamento para empreendimentos agrícolas de grande porte, é verdade. O que chama a atenção em relação a Canhedo é que o carro-chefe de seus negócios, a Vasp, vai de mal a pior. Seus prejuízos triplicaram na última década e a empresa acumulou uma dívida avaliada em 3,2 bilhões de reais. Mesmo assim, Canhedo conseguiu inserir a Fazenda Piratininga na lista dos trinta maiores empreendimentos agropecuários do Brasil. Sua explicação é que o dinheiro saiu de velhas economias e do faturamento da própria Piratininga. "A Vasp não tem nada a ver com a fazenda", diz. De fato, quem só o conhece pelas dívidas de sua empresa aérea se espanta em vê-lo falar da prosperidade de seus negócios no campo. "Hoje eu não venderia essa fazenda nem por mais de 1 bilhão de reais", afirma. Segundo ele, o segredo da Piratininga é a boa administração. "Os fazendeiros brasileiros são gigolôs de vaca, que ficam esperando ela dar o bezerro. Minha fazenda funciona como uma empresa."



O complexo de casas da família: muros altos e duas piscinas
Não é bem assim. O próprio Canhedo se enrola e admite que o negócio lhe custou dezesseis anos de investimentos antes de dar lucro. Além disso, grande parte das benfeitorias mais caras da propriedade foi introduzida depois que ele comprou a Vasp, uma empresa que deve muito dinheiro ao governo. Em 1992, quando ele já controlava a companhia aérea, a Piratininga tinha 1.069 quilômetros de estradas, 1.447 quilômetros de cercas, 72.000 hectares de pastos e nenhum viaduto, segundo aponta um laudo técnico da Polícia Federal. Um ano atrás, em uma vistoria realizada pela Procuradoria Geral do Estado de São Paulo, os auditores encontraram uma situação bastante diferente. Pelo que eles conseguiram encontrar, a malha de estradas havia quase duplicado, a área cercada triplicou e a de pastagens aumentou 60%. Só a partir de 1994 foram construídos dois viadutos de 50 metros cada, avaliados em 80.000 reais, um tipo de luxo que não se vê em nenhum imóvel desse tipo. Segundo Canhedo, muita coisa ficou fora da conta dos auditores. Fazendas de gado são lugares despojados ao extremo porque a margem de lucro do negócio é muito pequena. A maior criação de gado em uma única propriedade do mundo, a Fazenda Agroflora, que fica na Venezuela, tem área duas vezes maior do que a da Piratininga e um rebanho de 160.000 cabeças. Lá, existem apenas 500 quilômetros de estradas. "Não podemos sofisticar a produção porque a pecuária não é um negócio de alta rentabilidade", diz Samir Jubran, dono de 150.000 cabeças de gado em onze fazendas espalhadas pelo Brasil.



Um dos 26 currais, na sede da Piratininga: total de 100 000 bois
Mas o que teria levado Canhedo a despejar rios de dinheiro ali? A explicação pode remontar ao nebuloso episódio que transferiu para o empresário o controle da Vasp. Naquela ocasião, o governo do Estado de São Paulo superavaliou a fazenda de modo exorbitante. Um laudo técnico produzido em 1990 concluiu que o valor da Piratininga era de 560 milhões de dólares, dez vezes seu preço real na época, segundo especialistas. Foi com base nesse documento que o governo aceitou a hipoteca da fazenda como garantia de que Canhedo pagaria as dívidas da Vasp. Como se sabe, ele nunca pagou dívida alguma e os bancos jamais conseguiram tirar-lhe a fazenda. Desse modo, a Piratininga vale muito mais no papel do que no mercado. Segundo pecuaristas experientes e corretores de imóveis rurais, a Piratininga, na verdade, é um mico. Tudo teria sido erguido só para impressionar. Sua enorme malha viária, pontes e construções aumentam enormemente os custos de manutenção. Muitos especialistas do ramo duvidam que Canhedo consiga realmente tirar algum dinheiro dali. Para o consultor Victor Abou Nehmi Filho, que presta serviços para alguns dos maiores pecuaristas do país, "um negócio daquele é completamente inviável. Os custos devem ser exorbitantes".



Os sete galpões da Piratininga: abrigo para mais de sessenta máquinas agrícolas
Advogados com experiência nesse tipo de operação dizem que, perante tribunais e bancos, não existe um bem mais precioso do que terras. Uma propriedade é um trunfo poderoso na mesa de negociação. Quanto mais impressionante, maior seu valor. Diferentemente de outros tipos de bens, uma propriedade não se consome, não desaparece nunca, não pode ser roubada e não pode falir por causa de má administração. A fazenda é a garantia principal oferecida por Canhedo para praticamente toda a sua dívida. Sem a fazenda ele provavelmente jamais teria comprado a Vasp. Ela foi usada mais de uma vez em garantia de empréstimos que o empresário tomou em bancos do governo. O detalhe é que nunca ninguém conseguiu checar quanto a propriedade realmente vale. Alcio Portela, um ex-diretor do Banco do Brasil contratado por Canhedo para negociar suas dívidas junto à instituição, disse que foi graças à posse da Piratininga que o dono da Vasp sempre conseguiu obter novos empréstimos. O Banco do Brasil tentou cobrar as dívidas em três ocasiões. Nas três, o prazo de pagamento foi ampliado.



A Piratininga, de Wagner Canhedo: sede de luxo e hangar para dois aviões
Enquanto as dívidas vão sendo prorrogadas, Canhedo continua gastando. "Precisamos abrir mais uns 500 quilômetros de estradas nos próximos dez anos, e ainda faltam cerca de cinqüenta pontes, que estamos sempre construindo", diz. Ele vai à Piratininga todos os finais de semana em um de seus aviões particulares para supervisionar as obras. Uma vez por mês aterrissa com uma maleta cheia de dinheiro para fazer o pagamento dos funcionários. No final de abril, uma quadrilha invadiu a fazenda, uma fortaleza onde a entrada é permitida somente com a autorização do próprio Canhedo, e roubou do cofre do escritório 136.000 reais destinados aos pagamentos. Freqüentemente o empresário convida seus amigos deputados e senadores para pescar nos rios (quatro cruzam a área) e lagos (mais de 100) dentro da fazenda. Em São Miguel do Araguaia, município de Goiás onde está localizada a Piratininga, o empresário é festejado. Ajudou a reformar a cadeia pública e emprestou suas máquinas para a construção da praça principal, que tem uma placa de agradecimento com seu nome.
O incrível sistema viário de Canhedo


Uma das 304 pontes

 
Um viaduto no meio do nada - só para passar a boiada

O maior patrimônio da Piratininga não está nas terras e nos bois, como é comum nesse tipo de propriedade, mas em seu inacreditável sistema viário. Além das estradas, há mais de 300 pontes de concreto que atravessam os quatro rios que cortam a fazenda. Dois viadutos completam a exótica paisagem rural construída por Wagner Canhedo.




fonte/foto/PousadaDasNoticiasCmraDanieleCarreiro

PROPOSTA AUTORIZA DOAÇÃO DE AVIÃO AO EQUADOR


Tramita na Câmara o Projeto de Lei 6175/09, do Poder Executivo, que autoriza o Ministério da Defesa a doar um avião C-115 Buffalo (similar ao da foto acima) ao Equador. A aeronave, do acervo da Força Aérea Brasileira (FAB), será doada no estado em que se encontra e as despesas com o seu traslado serão pagas pelo Equador.

De acordo com o Executivo, o avião tem alto custo de manutenção e causa despesas à União para a sua guarda, além de não possuir mercado. A dificuldade em encontrar peças para sua manutenção levou a FAB a desativá-lo. A doação foi decidida com a manifestação de interesse por parte do Equador.

O Executivo alega que o Brasil já tem aviões mais modernos e econômicos e, portanto, não precisa manter os modelos do tipo Buffalo.

Tramitação

A proposta tem caráter conclusivo, tramita em regime de prioridade e será analisada pelas comissões de Relações Exteriores e de Defesa Nacional; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.



fonte/Agência Câmara

AVIÃO NÃO TRIPULADO PRECISA DE AUTORIZAÇÃO DA AERON'ÁUTICA

A pretensão das secretarias de Segurança do Estado e da Ordem Pública do município do Rio de colocar em ação aviões não tripulados – respectivamente para monitorar favelas e a desordem urbana – terá que passar pelo crivo da Aeronáutica. Pela legislação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, é proibido, por exemplo, usar esse tipo de aeronave em cidades, povoados, lugares habitados ou sobre grupo de pessoas ao ar livre. No entanto, a legislação poderá ser reavaliada pelo órgão regional de cada Estado.

Na Secretaria Estadual de Segurança, o projeto de compra dos aviões não tripulados ainda não tem prazo para sair do papel. Uma das intenções é adquirir o equipamento para o Batalhão de Operações Especiais. Para se tornar uma realidade na Secretaria de Ordem Urbana, a compra de seis aeronaves ainda depende de negociações com a Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Quem deu um passo à frente foi a Polícia Federal. Em outubro, o órgão arrematou 15 aeronaves para fazer a vigilância da Amazônia e sobrevoar as favelas. Controlados à distância, os equipamentos da empresa israelense IAI (Israel Aerospace Industries) foram comprados por R$ 345 milhões.
O Heron, modelo adquirido pela União, é usado por órgãos de defesa de países como EUA e Canadá. No Brasil, o nome técnico é Vant (Veículo Aéreo Não Tripulado), e será usado para mapear e monitorar todo o território nacional.

Aviões não tripulados

Recentemente, esta coluna publicou queixa da gaúcha Aeromot ao Ministério da Justiça. A empresa – que está em fase de recuperação judicial – alegava que seu avião Ximango está sendo preterido pelo governo, em favor dos veículos aéreos não tripulados (Vants), da israelense IAI, e que custam 100 vezes mais; além disso, os Vants não poderiam ser usados em áreas urbanas – como Copa do Mundo e Olimpíadas – mas apenas em campos de guerra.

A Polícia Federal poderá importar seis Vants, por US$ 150 milhões, no total, para vigiar os citados eventos, de grande participação popular. Uma outra empresa brasileira, a carioca Santos Lab, alega que seu Carcará também deveria estar no páreo e cita que a Marinha e o Bope, da Polícia do Rio, podem comprovar a eficiência dessas aeronaves. Informa-se que a própria ONU está estudando uso do Carcará no Haiti.

Não tripulados, como os Vants – ao contrário dos Ximangos – os Carcarás transmitem imagens diurnas e noturnas e são quase imperceptíveis quando em ação no espaço aéreo. O PT também reclamou da intenção de compra dos Vants israelenses.

fonte/Terra/Monitor Mercantil/FAB/Notimp

GREVE DOS CONTROLADORES DE VOO FRANCESES CANCELA METADO DOS VOOS NO AEROPORTO DE PARIS


Metade dos voos previstos no aeroporto de Orly, nos arredores de Paris, foram cancelados hoje por conta de uma greve de controladores, que obrigou também o cancelamento de aproximadamente 15% das partidas no aeroporto de Roissy-Charles de Gaulle, informaram fontes aeroportuárias.

A anulação aconteceu a pedido da Direção Geral de Aviação Civil (DGAC) no segundo dia de greve dos controladores em protesto pelos planos de redução de efetivos do Governo.

Ao contrário do que aconteceu ontem, quarta-feira, o tráfego aéreo não foi atrapalhado pela neve.

As autoridades aeroportuárias orientaram os passageiros a entrar em contato com suas companhias aéreas antes de chegar ao aeroporto para saber o estado de seus voos.

fonte/EFE/EPA

PRESIDENTE DA SÃO PAULO TURISMO, CAIO CARVALHO, CRITICA AVIAÇÃO VIA TWITTER


O presidente da São Paulo Turismo, Caio Luiz de Carvalho, usou o site de relacionamento Twitter para criticar a aviação brasileira. Os últimos posts do dirigente não poupam a Tam, companhia que ele utilizou para fazer um voo entre Brasília e São Paulo. Veja abaixo um dos posts de Carvalho.

“Voo Brasília-São Paulo da Tam. Saudades dos bons tempos. Como fazer turismo com tanta sacanagem com o passageiro? Infraero se supera cada vez mais”. A mensagem, deixada há pouco mais de 40 minutos, antecede outro recado, colocado no ar minutos depois. Confira: “viajar de avião no Brasil. Um ato de contrição, de penitência e de uma baita paciência. Sempre”.

fonte/PortalPanrotas/foto/Twitter

PILOTOS DA SATA INTERNACIONAL PODEM PARAR NO DIA 29 DE JANEIRO POR 30 MINUTOS

Os pilotos da SATA vão fazer um pré-aviso para uma paralisação de 30 minutos no início da respectiva escala para o próximo dia 29 de Janeiro.

Esta decisão foi tomada em assembleia da empresa, realizada no passado dia 4 de Janeiro, devido à “ausência de um pedido de desculpas e à inaceitável justificação, por parte do Presidente do Conselho de Administração, de que se tratara apenas de um “lapso procedimental””, por uma “Nota do Conselho de Administração de teor manifestamente deselegante e ofensivo para o conjunto dos Pilotos”, diz um comunicado do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil.

fonte/Presstur

GOVERNO DOP HAITI SUSPENDE ENTRADA DE MAIS AVIÕES AMERICANOS

O Governo do Haiti suspendeu hoje a entrada de mais aviões americanos no país, já que não há pistas disponíveis para novas aterrissagens, disse a porta-voz da agência de aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês), Laura Brown.

Em declarações à imprensa, Brown afirmou que outro motivo que levou o Governo haitiano a impedir a entrada de voos americanos em Porto Príncipe é a falta de combustível para o reabastecimento das aeronaves.

Por conta disso, a FAA parou de autorizar decolagens com destino ao país centro-americano. Novos voos só serão liberados quando houver pistas disponíveis.

Os primeiros voos com ajuda internacional às vítimas do terremoto de terça-feira começaram a chegar hoje no país.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) de terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do país. A Cruz Vermelha do Haiti estima que o número de mortos ficará entre 45 mil e 50 mil.

Ontem, o primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, havia falado de "centenas de milhares" de mortos.

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 14 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor.
 
fonte/ EFE/G1

BRASIL PODE DOAR HELICÓPTEROS PARA BOLÍVIA COMBATER NARCOTRÁFICO

Está em tramitação na Câmara Federal o Projeto de Lei 6176/09, do Executivo, que trata da doação de quatro helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) à Bolívia. São Aerenoves do tipo "H-1H Iroquois", fabricadas nos Estados Unidos, que a Bolívia pretende usar em operações de combate ao narcotráfico.

O Executivo argumenta que o Ministério da Defesa está empenhado em celebrar acordos com países amigos, visando a estreitar laços e a permitir a participação mais efetiva do Brasil em questões internacionais, por meio da colaboração militar.

O Comando da Aeronáutica, segundo o Executivo, acredita na possibilidade de doar aeronaves que possam suprir carências das Forças Armadas de alguns países. Nas reuniões de cúpula de países da América Latina realizadas na Costa do Sauípe (BA) em dezembro de 2008, a Bolívia mencionou a necessidade de obter quatro helicópteros, com o propósito de facilitar o combate ao narcotráfico.

O Executivo alega que os helicópteros H-1H não atendem mais às necessidades operacionais da FAB, pois já estão disponíveis aeronaves mais modernas e de menor custo operacional. Além disso, esses helicópteros têm alto custo de manutenção.

O projeto tem caráter conclusivo, tramita em regime de prioridade e será votado pelas comissões de Relações Exteriores e de Defesa Nacional; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

fonte/Tribuna do Norte

ESPAÇO AÉREO DO HAITI ESTÁ SATURADO

O espaço aéreo haitiano está saturado, e o governo local pediu aos Estados Unidos e a outros países que não liberem, por enquanto, mais voos para Porto Príncipe, informou nesta quinta-feira a autoridade americana da aviação civil (FAA).

"O governo haitiano (...) nos informou que não pode aceitar, no momento, vôos em seu espaço aéreo, informou à AFP a porta-voz da FAA, Laura Brown.

"Atualmente, há um avião militar americano e dois aparelhos civis que sobrvoam Porto Príncipe, esperando a vez de aterrissar", precisou.

fonte/AFP/foto/Folha Online

FALSA NOTÍCIA DE VOOS GRATUITOS PARA O HAITI SE ESPALHA NO TWITTER

Companhia aérea supostamente levaria médicos para atender os feridos.

FBI alerta para possíveis golpes na web sobre o terremoto no Haiti.

Uma notícia falsa sobre o terremoto no Haiti foi amplamente divulgada no Twitter nesta quinta-feira (14). O boato informava que a companhia aérea norte-americana American Airlines realizaria voos gratuitos ao país para levar médicos e enfermeiras para atender os feridos da tragédia.

O boato, que começou a circular na noite de quarta-feira (13) no serviço de microblog, foi desmentido pela American Airlines. Em entrevista à rede CNN, um porta-voz da companhia aérea disse que, além da notícia ser falsa, não ajuda a população que necessita da ajuda de todos. Ele afirmou que desconhece o responsável pelo início do boato.

O tópico falso publicado no Twitter e divulgado por milhares de usuários dizia: “A American Airlines está levando médicos e enfermeiras de graça para o Haiti. Ligue para este número para ajudar agora!”, em tradução. O número telefônico divulgado nas mensagens é do consulado do Haiti em Nova York. Os interessados deveriam fazer o contato para solicitar o voo gratuito ao país.

A falsa notícia divulgada no Twitter foi baseada em outra, verdadeira, de que a American Airlines estaria enviando três aviões com mantimentos para o Haiti. De acordo com nota divulgada pela companhia aérea nesta quinta-feira (14), as aeronaves estão carregando mais de 13 toneladas de suprimentos como água, comida e outros bens não perecíveis.

Além disso, a American Airlines criou uma promoção para seus clientes, oferecendo até 500 milhas de bônus para quem doar até US$ 100 para os atingidos pelo terremoto.

Ainda nesta quinta-feira (14), o FBI divulgou um comunicado aos usuários da internet para que fiquem atentos a golpes na web sobre o terremoto no Haiti. É possível que com a tragédia, e-mails falsos que solicitam auxílio ao país podem acabar roubando senhas e até infectando computadores com vírus. Os usuários também devem ter cuidado com os resultados de buscas no Google relativas ao terremoto. Muitos sites apresentados podem ser maliciosos.

Fonte: G1 - Imagem: Reprodução/Twitter

CORPO DE ZILDA ARNS CHEGA HOJE AO BRASIL

O corpo da médica sanitarista Zilda Arns, que morreu soterrada entre escombros de uma igreja no terremoto em Porto Príncipe, será enterrado no Cemitério Água Verde, após vigília na sede da Pastoral da Criança na capital paranaense. Zilda Arns, fundadora e coordenadora Internacional da Pastoral da Criança, morreu no momento que concluía uma palestra para cerca de 150 pessoas numa igreja do Haiti.

O coordenador nacional adjunto da Pastoral da Criança, Nelson Arns, filho de Zilda, disse ter sido informado de que sua mãe teve morte instantânea, assim como todos os que passavam no local na hora do desabamento. O corpo da médica está em uma unidade do Exército brasileiro na capital haitiana e, de acordo com as primeiras informações, deve ser transportado para o Brasil ainda hoje.

A médica viajou neste final de semana para encontro missionário em uma entidade chamada CIFOR.US e estava hospedada na sede episcopal. De acordo a assessoria de Zilda Arns, a coordenadora estava no Haiti para levar a metodologia de atendimento da Pastoral da Criança no combate à desnutrição. O trabalho humanitário da pediatra, sanitarista e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, era reconhecido internacionalmente. Ela ganhou diversos prêmios por sua atuação na área social, seja à frente da entidade ou de outros organismos do qual participou.

As coordenações da Pastoral da Criança no Rio Grande do Norte e na Arquidiocese de Natal lamentam a morte da fundadora da Pastoral da Criança. "Ela era uma mulher forte e que tinha um coração de mãe acolhedora. Vai nos deixar muitas saudades", comenta o coordenador arquidiocesano Milton Dantas. Para a coordenadora estadual da Pastoral da Criança, Marlúzia Pessoa, o trabalho de Zilda Arns comprovou que, organizada, a sociedade passa a ter vez e voz para melhorar a vida dos desfavorecidos. "O que fica é muita dor e saudade, mas também o exemplo de vida de uma mulher firme e determinada."

fonte/DiarioDeNatal

OITO AERONAVES DA FAB AJUDARÃO VÍTIMAS DE TERREMOTO NO HAITI


A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou oito aeronaves de transporte para ajudar as vítimas no terremoto no Haiti. São três C-130 Hércules e um Boeing 707, que estão de prontidão no Rio de Janeiro, além de quatro C-105 Amazonas, sediados em Manaus. A prioridade, neste primeiro momento, será o envio de água e de alimentos.



Ontem, uma aeronave da FAB que transportava militares do próximo contingente para o Haiti não conseguiu pousar em Porto Príncipe, capital daquele país, tendo seguido para Santo Domingo, na República Dominicana, e retornado a Boa Vista.
 
fonte/FAB/CECOMSAER

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...