domingo, 5 de janeiro de 2014

RASANTE DOUGLAS C-47 SKYTRAIN


PILOTO AFIRMA QUE PASSOU RASPANDO POR OVNI EM LONDRES

Um piloto relatou quase ter colidido com um óvni perto do aeroporto de Heathrow, em Londres. Ele afirma que estava certo de que o objeto, que tinha forma de uma bola de rúgbi, iria acertar o avião, mas o óvni acabou por desviar. As informações são do site do jornal britânico Telegraph.

Uma investigação não foi incapaz de identificar o objeto. O piloto afirma que tentou desviar seu A320 quando viu o objeto, que acabou por passar a poucos metros do avião. O caso ocorreu em 13 de julho, às 18h53 locais.

Quando ele se recompôs, checou os instrumentos e contatou o tráfego aéreo para relatar o incidente. Contudo, não sinal do misterioso objeto voador.

Uma agência britânica investigou o caso e procurou por outras aeronaves na região no momento do incidente, mas não achou o responsável. Ela procurou também por balões meteorológicos, mas nenhum foi solto na região. Balões de brinquedo foram descartados por serem muito pequenos em relação ao óvni descrito. Radares militares não registraram o objeto.

O relatório, afirma o jornal, não divulga a linha nem a companhia aérea do avião.

fonte/Telegrafh/Terra/

ESCRITOR ESPANHOL DIZ QUE PILOTOS CONHECEM SEGREDOS DE OVNIS




O jornalista e escritor espanhol Juan José Benítez, ou simplesmente J. J. Benítez, é conhecido por suas obras e declarações polêmicas. Já afirmou, por exemplo, que a Bíblia é a palavra dos homens, e não a de Deus. Também já disse que sua mais famosa criação, a saga Cavalo de Troia, sobre dois pilotos americanos que viajam no tempo e acompanham os últimos anos de Cristo, não se trata de imaginação. 

Certa vez, perguntado sobre o tema ufologia, afirmou: “Faço minhas investigações em silêncio. Publicarei algum dia”. Benítez cumpre a promessa ao lançar Encontro na Montanha Vermelha (Editora Planeta). A obra apresenta o escritor de 66 anos como um caçador de óvnis, trazendo entrevistas e relatos sobre fenômenos ufológicos avistados em várias partes do mundo, em especial junto ao vulcão inativo que dá nome ao livro, na região das Ilhas Canárias.

Benítez conta que ouviu relatos sobre óvnis no local em numerosas ocasiões, o que o instigou a viajar até a Montanha Vermelha e nela se instalar durante vários dias. Os detalhes da experiência o escritor prefere contar apenas no livro, mas não sem despertar a curiosidade ao relatar que pôde ver de perto a forma e a luz do inexplicável. “O fenômeno óvni é real”, garante.


Relatos de pilotos
Além da observação pessoal, o escritor investiga as experiências de pilotos. No comando de aeronaves de diferentes operadoras ou a serviço militar, eles são descritos como testemunhas “número um” por Benítez. Conforme ele, foram mais de 80 tripulações questionadas para sua jornada pelo fenômeno. 
“Os pilotos são profissionais do ar. Estão técnica e psicologicamente preparados para conhecer tudo o que há no céu”, afirma em entrevista ao Terra, que enviou as perguntas por e-mail para sua assessoria de imprensa e recebeu, escaneadas, as respostas manuscritas.
Uma das passagens da obra aborda o suposto avistamento de um grande óvni pela tripulação do voo RG-753 da Varig, extinta companhia de aviação brasileira. O caso teria ocorrido em 1976, entre Madri e Sevilla, com o avião saindo do Galeão, no Rio de Janeiro. O escritor diz que teve acesso, inclusive, a parte da conversa entre o comando da aeronave e a torre de controle de Sevilla.


No Brasil
Conforme Benítez, há registros ufológicos no Brasil e documentos secretos ainda não revelados pela Aeronáutica. “Não conhecemos os detalhes, mas se trata de civilizações não humanas que possuem uma grande vantagem tecnológica. Os militares - também no Brasil - estudam o fenômeno desde o final da Segunda Guerra Mundial. Eles têm provas e informações irrefutáveis. Sabem o que é, mas mantêm segredo”, justifica.

Um desses casos ele elenca entre os mais interessantes aos quais já teve acesso. “Conheci o caso de um piloto da Forca Aérea Brasileira que foi extraído por uma nave de seu avião em voo e o aparelho seguiu voando sem piloto. Minutos depois, o piloto voltou ao interior do caça”, conta.
Ocultação

Apesar do tom aparentemente fantasioso do relato, Benítez tem grande segurança de sua veracidade. Segundo ele, as provas existem, embora sejam retidas pelos militares.​


Um exemplo famoso de ocultação, indica, é o caso Roswell, ocorrido no Novo México, nos Estados Unidos, em julho de 1947. Na época, um óvni teria caído na Terra, e a Força Aérea Americana, se apoderado de seus destroços. “Mas é altamente secreto”, afirma.

De acordo com Benítez, a revelação de presença alienígena na Terra poderia resultar em desequilíbrio econômico, educacional e religioso. Ele avalia, porém, que não é por isso que os militares retêm evidências de evidências de contato com extraterrestres.

“Os militares ocultam as informações sobre óvnis porque, se as reconhecessem, os cidadãos poderiam lhes exigir responsabilidades. Os militares sabem muito bem que as naves não humanas são tecnicamente superiores. Eles não estão dispostos a perder sua hegemonia e, por isso, ocultam”, finaliza.

fonte/Terra/foto/Divulgação




AERONAVE SE ACIDENTA EM AEROPORTO DE ASPEN, NOS ESTADOS UNIDOS


Equipe de emergência próxima a aeronave que caiu e pegou fogo ao pousar no aeroporto de Aspen, nos EUA, neste domingo (5) (Foto: AP Photo/The Aspen Times, Leigh Vogel)Equipe de emergência próxima a aeronave que virou e pegou fogo ao pousar no aeroporto de Aspen, nos EUA, neste domingo (5) (Foto: AP Photo/The Aspen Times, Leigh Vogel)
 
Uma pequena aeronave executiva se acidentou no aeroporto de Aspen, no Colorado, EUA, neste domingo (5). Uma pessoa morreu e duas estão feridas pelo acidente, de acordo com a agência de notícias Associated Press, com informações da polícia local. Havia apenas três pessoas a bordo.
Um dos feridos está em estado grave, informa a polícia. O atendimento é feito no Aspen Valley Hospital. Ainda não há mais informações sobre as causas do acidente.

 foto/Twitter/
Imagens de agências de notícias mostram a aeronave queimada e virada na pista do aeroporto, próximo a um famoso resort para prática de esqui no Colorado.

"O avião é um Canadair Challenger 601, matrícula N115WF, vindo de Tucson [Arizona]. Ele caiu enquanto tentava pousar", disse o porta-voz da Agência Federal de Aviação (FAA) dos EUA, Allen Kenitzer, à agência France Presse.

Relatos
Aspen é um popular destino para as férias de inverno de celebridades. O comediante Kevin Nealon e a cantora Leann Rimes testemunharam o acidente e postaram tuítes.

"Horrível queda de avião aqui no aeroporto de Aspen. Explodiu ao tentar pousar. Eu acho que era um jato privado," escreveu Nealon. "Caminhões dos bombeiros e outros veículos de emergência ainda estão no local. Nenhuma palavra sobre sobreviventes ou sobre quem estava no jato, mas imagino que não há sobreviventes," escreveu o comediante no Twitter.

Leann Rimes acrescentou: "Muito triste. Horrível acidente de avião que acabamos de ver no aeroporto de Aspen".
  •  
Restos da aeronave que se acidentou na pista do aeroporto de Aspen, no Colorado, EUA, neste domingo (5) (Foto: REUTERS/C Morris Singer )Restos da aeronave que se acidentou na pista do aeroporto de Aspen, no Colorado, EUA, neste domingo (5) (Foto: REUTERS/C Morris Singer )
 
 Tempo na estação antes do acidente
 
 KASE 051853Z 31009G28KT 270V360 9SM HZ FEW035 BKN046 OVC050 M11/M20 A3007 RMK AO2 PK WND 33028/1851 SLP243 T11111200 $
18:53 UTC (11:53 LT): Wind 310 degrees at 9 knots, gusting to 28 knots; wind variable between 270 and 360 degrees; Visibility: 9 miles in haze; few clouds at 3500 feet AGL, broken clouds at 4600 feet AGL, overcast cloud deck at 5000 feet AGL; Temperature: -11°C, Dew point -20°C; pressure 30.07 inches Hg.
 
fonte/Reuters/ASN/G1
 

SOMOS TRATADOS COMO ANIMAIS, DIZ BRASILEIRO SEM VOO EM NOVA YORK

Nevasca nos EUA atrapalha retorno de brasileiros ao país

Brasileiros estão presos no aeroporto JFK, em Nova York, desde a última quinta-feira (2), na tentativa de embarcar para o país. Com remarcações e cancelamentos de voos, as pessoas dormiram no chão do aeroporto, tiveram problemas médicos e momentos de tensão com representantes das companhias aéreas.

O engenheiro civil Eduardo Stahlhoefer chegou com a mulher e dois filhos ao aeroporto na sexta-feira por volta das 6h. Como a filha tinha vestibular para Medicina no domingo, tentou um voo via Miami, que foi cancelado. A segunda opção foi tentar embarcar via Cidade do Panamá. Por fim, foi oferecido um voo da Delta para São Paulo. A família aguardou até a meia noite, quando o voo foi cancelado. O voo para a Cidade do Panamá acabou saindo no meio da madrugada. 

"Se arrependimento matasse. É lastimável, estamos sendo tratados como animais. Passamos a noite no chão. Ninguém fala o que está acontecendo. Ontem, mudaram o portão quatro vezes, a gente caminhou o aeroporto todo, até cancelarem o voo", disse Stahlhoefer. 

Andrew Gombert/Efe
AGX23 NUEVA YORK (EE.UU.) 03/01/2014.- Decenas de personas hacen cola para pasar un control de seguridad en el aeropuerto JFK de Nueva York, Estados Unidos, hoy, viernes 3 de enero de 2014. La ciudad de Nueva York amaneció hoy afectada pero no paralizada por la tormenta de nieve que afecta a la región noreste de Estados Unidos y que ha causado considerables complicaciones. A la una de la tarde (hora local) el JFK, que llegó a cerrar para poder despejar sus pistas, celebraba el primer despegue y el primer aterrizaje en sus pistas. Por su parte, LaGuardia restablecía de manera progresiva la regularidad en sus servicios. EFE/Andrew Gombert ORG XMIT: AGX23
Movimentação no aeroporto JFK, em Nova York, nesta sexta-feira (3)

O engenheiro contou que de madrugada o grupo de brasileiros teve que sair da área de embarque para fazer um novo check-in, para o voo previsto para a tarde deste sábado. "Não queriam deixar a gente embarcar de novo. Pediram para a gente dormir no saguão de entrada, onde não tem cadeiras nem aquecimento." 

O médico Daniel Boris Ghetler também enfrentou dificuldades por conta do frio. Ele disse que a companhia aérea queria que os passageiros deixassem o aeroporto, mas a temperatura na rua era de 12 graus negativos, a noite mais fria em muitos anos. "E não ofereceram hotel. Aliás, todos os hotéis estão lotados." 

O filho de Daniel também tinha uma prova marcada de residência médica. "Mesmo que ele chegue, estará muito cansado. A gente tentava argumentar com a empresa e três policiais intimidavam a gente, como se nós não fossemos vítimas." 

Outra reclamação dos brasileiros é a falta de informações. "Falam que a neve é todo o problema. Ontem muitos aviões subiram e desceram. Estava o famoso céu de brigadeiro durante todo o dia. Nosso avião estava estacionado e eles, depois de horas mudando de portão, informaram que o problema era que o horário da tripulação havia estourado", disse Daniel Ghetler. 

Durante a noite, um paramédico foi chamado para dar assistência a uma grávida de oito meses e uma senhora com crise de pressão alta. Uma ambulância foi colocada de plantão. 

Passageiros que estavam em um voo da American Airlines cancelado na noite de quinta-feira ainda aguardavam para voltar ao Brasil. Na madrugada de sábado, foram para um hotel. 

A analista de sistemas Vanessa Arnold fez sua primeira viagem internacional. Resolveu chegar com antecedência no aeroporto, por volta das 15h de sexta. A nova previsão para o seu voo é as 15h deste sábado. 

"Na ultima remarcação de portão, à meia-noite, cancelaram o voo. Disseram que não iriam prestar assistência, não dariam hotel. Falaram para pegarmos as malas e sair para fora do terminal, na parte fria do aeroporto. "
Vanessa ligou para o consulado do Brasil. "À noite distribuíram lanches, mantas e travesseiros. Todos dormimos no chão, inclusive crianças e idosos", relatou. "Às oito horas da manhã eu liguei para o consulado. Eles disseram que se deram cobertor, lanche e travesseiro, estavam nos atendendo. Eu pedi para mandar alguém. Ontem o cônsul veio para ajudar um voo da TAM. Prometeram entrar em contato." 

fonte/FolhaSP

ARGENTINA DE TRÊS ANOS CAI DE UMA ALTURA DE SETE METROS NO AEROPORTO DO GALEÃO


Uma menina argentina de três anos caiu de uma altura de sete metros em um vão do Terminal 2 do Aeroporto do Galeão, no RIO DE JANEIRO. O acidente ocorreu por volta das 17h deste sábado (4), no momento em que a  criança brincava com dois irmãos em uma área próxima da escada rolante no segundo andar do terminal. Segundo informações da Polícia Civil, uma perícia já foi realizada no local.

A criança recebeu o primeiro atendimento no serviço médico da Infraero e foi encaminhada para o Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio. Segundo o investigador de plantão, não há obras no local onde a criança brincava. A assessoria da Infraero informou que no local existe um guarda corpo para evitar quedas das pessoas.

Após acompanhar a menina ao hospital, o médico da Infraero foi ouvido pela polícia. No depoimento, ele informou que a menina fez uma tomografia que teria indicado traumatismo craniano leve.

Os pais da criança contaram que o filho mais velho gritou por socorro quando a irmã já tinha caído. A  identidade deles não foi revelada pela polícia.

fonte/G1

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...