Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio 5, 2017

BOEING 737 - 50 AN0S A DESPERTAR PAIXÕES

Ninguém se pode gabar de ser “passageiro frequente” sem ter alguma vez voado num Boeing 737. Na verdade, ninguém saberá verdadeiramente o que significa o “século da aviação comercial” sem conhecer esta aeronave. Transporta, ainda hoje, milhões de passageiros, representa a democratização do voo a jacto e é profundamente amado por pilotos, em especial por aqueles que passaram a comandar aparelhos da era do “fly by wire”. O Boeing 737 está a comemorar 50 anos de vida. E parece que está só a começar.
Coloquemos tudo isto em perspectiva: em 9 de Abril de 1967, dia do primeiro voo do Boeing 737, a aviação estava apenas ao alcance das elites mais abonadas. Confesso que tenho pena de não ter vivido essa era, em que viajar de avião era sinônimo de glamour, um casual chic aconchegado por refeições decentes e bar aberto. Em que o passageiro era um cliente e não um incómodo. E, pois claro, em que havia mais espaço entre os assentos do que hoje há nos corr…

REALIZADO VOO DO PRIMEIRO AVIÃO CHINÊS DE MÉDIO CURSO

O Comac C919, primeiro avião comercial de passageiros para o transporte de médio curso (concorrente direto do Airbus A320 e do Boeing 737 no segmento dos aviões até 170 assentos) fez nesta quinta-feira, dia 5 de maio, o seu voo inaugural, que decorreu com sucesso, segundo fontes da construtora e os despachos das agências noticiosas internacionais. A nova aeronave, da qual a COMAC (Commercial Aircraft Corporation) diz já ter 570 encomendas, a maioria para companhias estatais chinesas, descolou pelas 14h00 locais (07h00 UTC), no Aeroporto de Xangai, onde se situa a fábrica e linha de montagem da construtora que já tem no mercado um avião regional, o ARJ21, jato bimotor, já ao serviço nas rotas domésticas chinesas, desde o ano passado, oito anos depois de ter feito o seu voo inaugural. O plano de fabrico e de negócios do Comac C919 inicialmente era para voar em 2014 e que as primeiras encomendas fossem entregues em 2016, mas foi sucessivamente adiando devido a problemas com os fabricantes.

ACIDENTE COM PILATUS PC6 NO ALENTEJO FOI CAUSADO POR FISSURAS E DESGASTES EM COMPONENTES ESTRUTURAIS

“Foram reportados desgaste e fissuras na fixação do compensador do estabilizador e nos componentes estruturais relevantes nos aviões que realizaram o boletim de serviço emitido pela Pilatus”, refere o relatório preliminar publicado na página da Internet do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF). Uma investigação desencadeada após o acidente, ocorrido a 19 de junho de 2016, depois de a aeronave ter descolado do Aeródromo de Figueira de Cavaleiros, Canhestros, em Beja, com o piloto e sete paraquedistas, “identificou que a instalação ligeiramente assimétrica e/ou condições de operação podem resultar em vibração forte do estabilizador, causando o início de fissuras no acessório de fixação do compensador do estabilizador ou peça de ligação”. “Esta condição, se não for detetada e corrigida, pode levar a uma falha da peça de ligação ou conexão, possivelmente resultando na desunião da fixação traseira do estabilizador horizontal, com…