quinta-feira, 13 de agosto de 2009

HELICÓPTERO EM CONFIGURAÇÃO AEROMÉDICA É UMA DAS ATRAÇÕES DA LABACE 2009

Um helicóptero com configuração para transporte aeromédico será uma das grandes atrações da AgustaWestland na LABACE 2009, a mais importante feira de negócios do setor de aviação executiva na América Latina. O AW 119 Koala Ke é o primeiro helicóptero da empresa italiana com configuração aeromédica no País. A aeronave ficará exposta entre os dias 13 e 15 de agosto, no estande da companhia italiana, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

A aeronave Koala Ke pertence à Amil (Assistência Médica Internacional Ltda) e entrou em operação em fevereiro deste ano. “O Koala Ke é uma aeronave utilizada em operações de transporte executivo/VIP, serviços médicos e segurança pública”, afirma José Eduardo Brandão, diretor-comercial da OceanAir Táxi Aéreo, empresa do Grupo Synergy que é a distribuidora da AgustaWestland no Brasil.

O AW 119 Koala Ke é um monoturbina de oito assentos, desenvolvido para oferecer a mais alta capacidade de transporte, potência e performance inigualável na categoria em condições rígidas de operação, com altitude e temperatura elevadas. É uma aeronave com cabine para reconfiguração rápida, preparada e que oferece o melhor peso de decolagem (2850kg) e a melhor velocidade de cruzeiro rápida (255Km/h). Também é o único monoturbina com piloto-automático.

Desde que começou a fabricar o modelo, a AgustaWestland já recebeu mais de 190 pedidos de 90 clientes em 30 países.

A AgustaWestland oferece opções de configurações para atender às necessidades específicas de seus clientes, dependendo da operação que será executada. No caso de transporte aeromédico, elas incluem: resgate, resgate e atendimento de emergência, ou apenas atendimento de emergência.

Além dos 2 pilotos, o helicóptero pode ser configurado com 1 maca + 4 atendentes médicos ou 2 macas + 2 atendentes médicos. É importante destacar que o banco do co-piloto pode ser invertido, ampliando espaço para utilizar uma ou duas macas com um quinto ou terceiro atendente, respectivamente.

Além de ser preparado para receber o sistema de oxigênio, usual em qualquer configuração aeromédica, a AgustaWestland pode desenvolver interfaces para vários equipamentos médicos, solicitados pelo cliente.

Fonte: Aviação Brasil foto/divulgação

VÍDEO DE TURISTA CAPTURA IMAGEM DO ACIDENTE NO RIO HUDSON

O trágico acidente ocorrido sobre o Rio Hudson, em Nova York, que matou nove pessoas no sábado passado, foi capturado em vídeo por um turista a bordo de um barco que trafegava no Rio Hudson e obtido exclusivamente pela NBC News.

O vídeo capta os momentos antes e o momento do impacto entre o pequeno avião e o helicóptero.

Esse vídeo será usado para fornecer pistas pelo NTSB (National Transportation Safety Board), que está investigando o acidente.

O vídeo mostra o avião fazendo uma segunda e última tentativa desesperada de virar para a direita, para evitar bater no helicóptero. O avião, em seguida, aparece na extremidade traseira do helicóptero. O vídeo mostra o avião na esquerda chocando-se contra o as lâminas do rotor principal do helicóptero. A asa esquerda, em seguida, se desprende para longe do avião que gira em queda.

O helicóptero aparece com o seu habitáculo intacto e, em seguida, mergulha na água como uma rocha. Nove pessoas morreram no acidente: seis a bordo do helicóptero e três no avião.

Após o impacto, suspiros, gritos e mais gritos de "mamma mia" podem ser ouvidos a bordo do barco antes do turista que gravava a cena colocar a câmera para baixo.

View more news videos at: http://www.nbcchicago.com/video.



A FAA suspendeu dois controladores de tráfego aéreo que atuavam a partir do Aeroporto Teterboro. Numa declaração, a agência informou que "nós descobrimos que o responsável pelo acompanhamento do voo do avião Piper estava envolvido em conversas aparentemente inadequadas ao telefone no momento do acidente. Também descobrimos que o fiscal não estava presente no edifício, conforme procedimento necessário."

O Daily News relatou que o controlador que estava falando com a namorada no momento que o desastre ocorreu.

Os dois foram colocados em licença disciplinar e processos disciplinares já foram abertos.

Fonte: NBC Chicago

AERONAVE DO SIVAN INICIA EM PORTO VELHO COLETA DE IMAGEM DOS MUNICÍPIOS QUE MAIS DESMATAM

A aeronave R-99, produzida pela Embraer e de propriedade do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), está realizando sobrevoos em Porto Velho (RO) para coletar imagens através do Radar SAR (Radar de Abertura Sintética), um dos três tipos de sensor instalados no avião. A capital de Rondônia inaugura os trabalhos desse ano para o monitoramento do desmatamento nos 43 municípios que mais desmatam na Amazônia, segundo relação do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Em 2008, as imagens SAR gravadas de março a dezembro pela aeronave foram utilizadas pelo Sipam para detecção de polígonos de desmatamento dos 36 municípios destacados inicialmente como principais focos de degradação ambiental. Neste segundo ano, o Sipam dá continuidade ao compromisso firmado com a Operação Arco Verde do MMA, que está levando alternativas sustentáveis a esses municípios. Com as imagens SAR, será possível avaliar a eficácia dos trabalhos em relação ao desmatamento.

Sobretudo na Amazônia, a utilização de imagens obtidas com o Radar SAR para visualização de desflorestamentos apresenta vantagens em relação às imagens de satélite. Como executa uma espécie de radiografia, o radar não sofre interferência de nuvens ou fumaça como no caso dos satélites, que muitas vezes oferecem dados imprecisos pela dificuldade de visualização da superfície terrestre. Com o R-99, é possível produzir imagens durante todo o ano, sem sofrer prejuízos das queimadas, na estação seca, ou da umidade, na estação chuvosa.

Tecnologia que protege a Amazônia

As três aeronaves R-99 e também cinco modelos E-99 ficam sob responsabilidade de um esquadrão da Aeronáutica que visa a proteção da Amazônia. Seus aplicativos são utilizados tanto para controle ambiental, dos rios e florestas, quanto para defesa do espaço aéreo e até mesmo já participaram de buscas pelos destroços do Boeing 737 da Gol no Mato Grosso e do voo Air France 447, próximo a Fernando de Noronha.

Em cada voo, são cerca de dez homens embarcados e investimentos de mais de quatro mil dólares por hora no ar.

Fonte: Assessoria via Rondônia Ao Vivo - Fotos: Divulgação

MURILO MARQUES TOMA POSSE NA PRESIDÊNCIA DA INFRAERO

Não esperem choque de gestão, diz novo presidente da Infraero.

O novo presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Murilo Marques Barboza, tomou posse do cargo na tarde desta quinta-feira prometendo não romper com a linha de trabalho de seus antecessores. "Não esperem nenhum choque de gestão. Venho para dar continuidade ao competente trabalho de meus antecessores", afirmou ele em seu discurso de posse.

Ao reconhecer "os enormes desafios" que terá que enfrentar, Barbosa garantiu que a Infraero conseguirá atender em tempo hábil às exigências de melhoria da infraestrutura aeroportuária que o País precisa cumprir até o início da Copa do Mundo, em 2014. Para ele, é necessário ampliar a malha aeroviária nas regiões Centro-Oeste e Norte, sem descuidar dos equipamentos já existentes nas regiões Sul e Sudeste.

Perguntado sobre os projetos de abertura de capital da empresa e de concessão de aeroportos hoje administrados pela estatal à iniciativa privada, Barbosa disse que essa é uma decisão de governo e que não cabe aos gestores da Infraero questionar. Lembrado de que o ex-presidente da empresa, Sergio Gaudenzi, teria deixado o cargo por discordar da concessão de aeroportos, que considerava prejudicial às contas da estatal, Barbosa disse confiar que o governo tomará a melhor decisão para a Infraero.

"A abertura de capital está sendo estudada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), e nós cumpriremos os objetivos que o governo determinar", afirmou Barbosa. "A mesma coisa para a concessão de aeroportos. Tenho confiança no trabalho que está sendo feito pela Anac e, certamente, se o presidente da República decidir por determinada linha política, vamos atendê-la pois isso certamente será o melhor para a empresa", completou.

Presente à cerimônia de posse, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse que a intenção do governo é limitar a 49% a abertura do capital da empresa para garantir que o governo detenha a maior parte das ações da estatal.

De acordo com Jobim, Barbosa terá que preparar a infraestrutura necessária para abrigar o crescimento do número de usuários de transportes aéreos, levando em conta a demanda extra por ocasião de grandes eventos esportivos. A jornalistas, o ministro afirmou que o setor tem "gargalos", mencionando os aeroportos de Guarulhos (SP), Vitória (ES), Goiânia (GO) e Brasília (DF), que "já está saturado". Em tom de brincadeira, Jobim disse para Barbosa que "se ele não trabalhar direito, sai".

Engenheiro eletricista, Barboza ocupava a chefia de gabinete do Ministério da Defesa desde julho de 2007. Antes, já havia sido assessor dos ministros José Viegas (2003/2004) e Waldir Pires (2006/2007) e do vice-presidente da República, José Alencar, durante o período em ele comandou a pasta, entre novembro de 2004 e março de 2006. Barboza também presidia o Conselho Fiscal da Infraero.

"Minha experiência no ministério me propiciou um contato com a complexidade da aviação civil brasileira e um convívio com autoridades do setor. O período que estive à frente do Conselho Fiscal da Infraero me propiciou conhecer sua missão, sua organização e seus desafios", disse Barboza.

Fonte: Agência Brasil via Terra

NECTAR/ITA ABRE PROCESSO SELETIVO PARA BOLSISTAS

O Núcleo de Economia dos Transportes, Antitruste e Regulação (Nectar) do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos, está com inscrições abertas para pós-graduação strictu sensu (mestrado) em Economia e Regulação do Transporte Aéreo.

Os interessados em participar devem ter disponibilidade para trabalho em tempo integral, iniciativa para engajamento nas atividades do núcleo, domínio da língua inglesa e experiência em métodos quantitativos.

A instituição é o único centro de pesquisas da América Latina voltado a pesquisas econômicas aplicadas ao transporte aéreo. As pesquisas desenvolvidas no Nectar são voltadas a aspectos de produção, mercado, regulação e defesa da concorrência do setor aéreo.

Segundo os organizadores do curso, um dos pontos fortes da instituição tem sido a formação de pesquisadores na área de transporte aéreo, principalmente em nível de mestrado e iniciação científica.

Um dos diferenciais do Nectar é o Laboratório de Transporte Aéreo do ITA (Labtar), onde os alunos passam a maior parte do tempo pesquisando, fazendo simulações ou experimentos com dados reais. O laboratório disponibiliza ferramentas quantitativas como econometria, pesquisa operacional, dentre outras.

Para outras informações sobre o processo seletivo, acesse os links:

http://www.nectar.ita.br
http://nectar-ita.blogspot.com

Fonte: Vale Educação

PILOTO DIZ QUE PERSONAGEM DE LIVROS O INSPIROU EM POUSO DE EMERGÊNCIA

Britânico diz que copiado pouso forçado em árvore de história de personagem de ficção.

Um piloto britânico cujo avião caiu sobre uma árvore em um campo de golfe na cidade de Dundee, na Escócia, afirmou que sobreviveu ao acidente graças às aventuras de Biggles, personagem criado pelo escritor inglês W. E. Johns na década de 1930.

O avião de dois lugares que Vince Hagedorn pilotava atingiu uma árvore na tarde da última quarta-feira, após ficar sem combustível.

O piloto, de 63 anos de idade, disse à BBC que copiou sua aterrissagem de uma história de Biggles, personagem muito popular na Grã-Bretanha.

As aventuras do intrépido James Bigglesworth (ou Biggles), um piloto ficcional da Primeira Guerra Mundial, foram publicadas no país primeiramente em uma revista, em 1932, e depois em livro no mesmo ano.

Até 1999, dezenas de livros foram publicados tendo o personagem como herói.

Aventura

Vince Hagedorn voava da cidade em que vive, Chelmsford, no sudeste da Inglaterra, para Findhorn, no norte da Escócia, onde iria visitar sua filha.

Ele pretendia pousar na base de Kinloss, mas teve de mudar seu curso por causa do mau tempo.

O piloto disse que as várias mudanças de altitude que teve de fazer durante o percurso aumentaram o consumo de combustível pela aeronave.

Após uma tentativa fracassada de aterrissar no aeroporto de Dundee, e já sem combustível, sua única alternativa foi fazer um pouso de emergência no campo de golfe. Foi então que se lembrou das aventuras de Biggles.

"Tem uma história em que Biggles sofre uma pane no motor quando sobrevoa tropas inimigas", disse Hagedorn.

"Ele tenta voltar para o campo de pouso, mas não consegue e se vê sem altitude sobrevoando um bosque."

Então Biggles voa para a floresta e pousa sobre as árvores. "Foi exatamente o que eu fiz, parei em cima de uma árvore", disse.

Sorte

O incidente no campo de golfe, nos arredores de Dundee, provocou uma grande operação de emergência que envolveu a polícia, o corpo de bombeiros e equipes médicas.

Os bombeiros colocaram uma escada de 13 metros na árvore para alcançar o piloto, preso no topo da árvore.

Hagedorn foi então levado para um hospital, onde afirmou se sentir "com sorte" por ter escapado com apenas um pequeno ferimento na cabeça.

Pat Walmsley, do serviço de resgate da região, afirmou à BBC que o piloto realmente teve sorte no acidente.

"Quando alcançamos o piloto, ele estava consciente e falando" disse Walmsley.

"Ele nos ajudou muito durante o resgate, conseguiu colocar as cordas em volta de si, tornando tudo mais fácil."



Fontes: BBC Brasil fotos / dailyrecord.co.uk / thecourier.co.uk

FAMILIA DE PILOTO MORTO TEM O DIREITO DE PEDIR INDENIZAÇÃO 35 ANOS APÓS ACIDENTE

A família de um piloto de helicóptero morto em trabalho conseguiu afastar a prescrição de dois anos prevista no antigo Código Brasileiro do Ar para pedir indenização em caso de acidente aéreo. A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aplicou a prescrição de 20 anos prevista no Código Civil e determinou o retorno do caso ao juízo de primeira instância para que o julgamento seja feito.

O acidente fatal ocorreu em setembro de 1974. A viúva e os filhos do piloto entraram com ação de indenização por danos morais e materiais contra a Prospec S/A, empresa proprietária da aeronave, em junho de 1994. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro extinguiu a ação por considerar que o direito estava prescrito. De acordo com tribunal estadual, tanto o antigo Código Brasileiro do Ar, vigente à época do acidente, quanto o Código Brasileiro de Aeronáutica, que o substituiu, estabelecem prazo prescricional de dois anos para pedir reparação de danos em decorrência de acidente aéreo.

No recurso ao STJ, a família do piloto alega que deveria ser aplicado o prazo de 20 anos previsto no Código Civil e que houve culpa grave da empresa no acidente, o que afasta a atenuante de responsabilidade para fixar a indenização.

O relator, ministro Fernando Gonçalves, entendeu que os dois códigos determinam prazo prescricional de dois anos somente para ações decorrentes de danos causados a passageiros, bagagem ou carga transportada, sem mencionar danos ao piloto. Para o relator, a interpretação extensiva não pode ser aplicada em caso de prescrição, que implica na perda de direito de ação. E como não há prazo específico que regule a situação do piloto, aplica-se o prazo geral de 20 anos, previsto no art. 177 do Código Civil de 1916, vigente à época do acidente.

Como a ação da família foi proposta antes da prescrição de 20 anos, a Quarta Turma, por unanimidade, deu parcial provimento ao recurso para determinar que a justiça de primeiro grau julgue o caso. Os ministros ressaltaram que o STJ não pode analisar a culpa da empresa porque esse tema não foi tratado na decisão contestada.

Fonte: STJ

JUIZ INTIMA PILOTOS DO LEGACY PARA DEPOR SOBRE VOO 1907

O juiz da 2ª Vara da Justiça da Comarca de Peixoto de Azevedo (MT), Tiago de Souza Nogueira de Abreu, indeferiu os pedidos de tutela em duas ações de indenização propostas pelas famílias das de vítimas do acidente com o voo 1907, ocorrido em 29 de setembro de 2006 entre um Boeing da Gol e um jato Legacy. Na mesma decisão o juiz determinou a intimação dos norte-americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, pilotos do jato, para que eles deponham por carta rogatória (instrumento jurídico de cooperação entre dois países). A decisão foi publicada no diário da Justiça de ontem.

Além dos pilotos, foram intimadas as empresas Raytheon Company, fabricante do software de controle aéreo; Lockheed Martin, que produz turbinas; Excelaire Service e Honeywell International, que fabricam o transponder (aparelho que envia e recebe sinais para outros aviões e torre de controle); Aviation Communicatios & Surveillance Systems e Amazon Technologies Company.

No dia 29 de setembro de 2006, o avião da empresa área Gol fazia o voo 1907, de Manaus a Brasília, quando se chocou com o jato executivo Legacy, que vinha de São José dos Campos (SP). A 37 mil pés de altitude, na região de Mato Grosso, próximo ao município de Peixoto de Azevedo, a ponta da asa esquerda do Legacy colidiu com o Boeing provocando a queda da aeronave da Gol, que levava 154 pessoas a bordo.

Fonte: Estadão

BRITÂNICO POUSA AEROPLANO EM ÁRVORE NA ESCÓCIA


O piloto foi elogiado por impedir o avião de cair sobre uma casa.

O piloto da aeronave de dois lugares estava próximo do 15 º buraco do Caird Park Golf Course, em Dundee

Vince Hagedorn sofreu ferimentos na cabeça, mas foi capaz de sorrir quando falou com os serviços de emergência - Clique sobre as fotos para ampliá-las

O piloto britânico Vince Hagedorn acabou pousando seu aeroplano Flight Design CTSW, prefixo G-VINH, de dois lugares, registrado em nome da Aardbus Ltda., em uma árvore de um campo de golfe em Dundee, na Escócia. Ele saiu ileso do acidente que aconteceu na terça-feira (12), às 16:50 (hora local).

Após decolar de sua casa em Chelmsford, o consultor de empresas pretendia ir até Findhorn, no norte da Escócia, onde iria visitar sua filha. Ele disse que precisou fazer um pouso de emergência depois que ficou sem combustível. Por sorte, a árvore diminuiu o impacto.

Fontes: G1 Fotos: Fotopress

CANADÁ ENVIA AVIÃO ESPIÃO PARA VIGIAR MANOBRAS DE SUBMARINOS RUSSOS


O Ministério da Defesa do Canadá enviaram um avião espião CP-140 Aurora para assistir as manobras dos dois submarinos nucleares russos contra a costa oriental do país, anunciou hoje o canal canadense CBC na sua página web.

"A fim de demonstrar a nossa disponibilidade para defender a soberania, o cumprimento da missão de vigilância para saber ao certo o que se está a passar ao largo da costa do país", disse o ministro canadense da Defesa, Peter MacKay, e prometeu "responder "tudo o que acontece à terra perto do canadense soberano.

Segundo a canadense militares, classe Akula submarinos russos naveguem em águas internacionais devido norte e nenhuma ameaça para o país.

Os E.U. imprensa relatou em 5 de Agosto último, citando fontes Pentágono, a presença de dois submarinos russos em águas internacionais perto da costa leste da E.U.A..

Schuko classe submarino projecto 971 (Akula, o nome dado pela OTAN) é uma classe de submarinos nucleares, construída entre 1982 e 1991.

Sua velocidade máxima é de 20 nós na superfície, e 35 em Cincinnati. Eles são extremamente calma. Foram construídos com casco duplo, o que implica uma maior resistência estrutural e, portanto, podem operar com maior profundidade.

Schuko A classe está armado com torpedos 4 tubos de 533 milímetros que podem utilizar o Tipo 53 torpedos ou mísseis SS-N-15 Starfish, torpedo e 4 tubos 650 mm por meio tipo 65 mísseis SS-N -- Stallion 16. Schuko têm melhorado o 6 tubos adicionais montada externamente.

Dimensões submarino 110 metros de comprimento, 13,6 metros de largura, profundidade de 9 metros. Máximo Deslocamento: 12.700 toneladas. Velocidade: 11,6 nós, 30 nós na superfície e mergulho. Ter uma vida no mar durante 100 dias com uma tripulação de 73 pessoas.
fonte: RIA

HAWKER BEECHCRAFT VENCE CONCORRÊNCIA E ENTREGARÁ TEXAN II AO IRAQUE

T-6 Texan II

O site Aviation Today informou que a Hawker Beechcraft ganhou um contrato da USAF para fornecer aeronaves T-6A Texan II. Estas aeronaves serão encaminhadas para a Força Aérea do Iraque. O valor total do contrato inclui sistemas de treinamento, publicações técnicas e dois anos de suporte logístico e está avaliado em 170,4 milhões de dólares.

fonte: Aviation Today foto/USAF

CANADÁ FECHA ACORDO PARA COMPRA DE 15 CHINOOK

Chinook O governo do Canadá firmou um contrato para a aquisição de 15 novos helicópteros CH-47F Chinook. O valor divulgado do contrato é de 1,15 bilhão de dólares. Também como parte do acordo a Boeing (fabricante da aeronave) se associará com empresas canadenses com investimentos em torno de 500 milhões de dólares. As entregas deverão ocorrer entre 2013 e 2014.

Os CH-147 (como os canadeses designam o CH-47F) receberão modificações para atender às condições ambientais do Canadá, incluindo uma motorização mais potente composta por duas turbinas Honeywell T55-L-714A de 4.733 hp. As aeronaves serão capazes de transportar mais de 9525 kg de carga. Estas mesmas turbinas foram selecionadas pelo Reino Unido para modernizar toda a frota de Chinook da RAF.

fonte/foto: Boeing

AERONAVES DA FORÇA AÉREA PORTUGUESA SERÃO VENDIDAS COMO SUCATAS

c-212-aviocar-fap

Trata-se de 10 transportes Aviocar. Também há caças F-16 excedentes que despertaram interesse do Paquistão.

As 10 aeronaves Aviocar que integravam uma lista de equipamentos militares a serem alienados nesse ano apenas poderão ser vendidas como “sucata ou para fins museológicos”, indica o relatório de execução da Lei de Programação Militar de 2008.

“Relativamente à alienação das 10 aeronaves [C-212 Aviocar] verifica-se que estão há bastante tempo na situação de inibidas de voo, encontrando-se, regra geral, incompletas e, algumas delas, sem os respectivos motores, sendo somente possível a sua alienação como sucata ou para fins museológicos”, diz o relatório a que a agência Lusa teve acesso.

O documento observa no entanto que para além destas 10, “existem 14 aeronaves Aviocar em condições de voo, cuja alienação apenas deverá ser considerada após a declaração de ‘Full Operacional Capability’ das novas aeronaves C-295″ (compradas ao ‘gigante’ espanhol EADS-CASA) e que está “prevista para o final de 2010″.

O ministério contava encaixar 15 milhões de euros com a alienação dos Aviocar, mas do que estava previsto para o ano passado, apenas foram vendidas duas fragatas ao Uruguai por 13 milhões de euros a serem pagos em cinco anos.

Segundo o relatório, para além destes e das duas fragatas da Marinha Portuguesa estavam também para alienar mais oito helicópteros PUMA - por 20 milhões - e 10 aeronaves F-16 da Força Aérea - por 45 milhões -, o que daria um valor de 90 milhões de euros, destinado aos Órgãos e Serviços Centrais do ministério da Defesa.

f-16a-fap

Sobre os F-16, o documento refere que “foram efectuados contactos com diversas entidades internacionais potencialmente interessadas, adidos militares no estrangeiro e consórcios internacionais” e que “a Força Aérea Paquistanesa solicitou informações sobre configuração e ‘upgrades’ estruturais das aeronaves, tendo manifestado interesse em realizar uma visita à OGMA para apreciar os trabalhos de modernização e ‘upgrade’” das aeronaves.

Em relação aos PUMA, foram também “efectuados contactos com diversas entidades internacionais potencialmente interessadas, adidos militares no estrangeiro e consórcios internacionais”, mas até ao final do ano passado ainda não tinha sido possível “concretizar a operação”.

Contudo, o relatório acrescenta que segundo informações apresentadas pela Força Aérea na altura, dos oito helicópteros apenas quatro estavam “em condições de alienar” já que os outros quatro para ficarem em condições de voo precisavam de “uma profunda manutenção”.

FONTE: Expresso FOTOS: FAP - Força Aérea Portuguesa

FEIRA DE AVIÃÇÃO EM SÃO PAULO ABRE COM JATOS DE ATÉ US 28 MILHÕES

O aeroporto de Congonhas, na zona sul da São Paulo, recebe a partir desta quinta-feira a 6ª edição da Latin America Business Aviation Conference & Exhibition (Labace), o maior evento de aviação geral e executiva da América Latina. Neste ano, a feira conta com 98 expositores, ante os 90 do ano anterior. Entre os destaques estão a brasileira Embraer, que trouxe seu Legacy 600 de 13 lugares e que custa US$ 28 milhões, além das outras das maiores empresas do segmento no mundo, como Bombardier, Gulfstream, Cessna, Raytheon, Agusta Westland e Dassault.

A Labace é aberta ao público e conta com ingressos de R$ 80 (com meia entrada para estudantes). A visitação às aeronaves vai ocorrer na antiga área da Vasp no aeroporto de Congonhas e poderá ser feita quinta e sexta, das 12h às 21h, e no sábado, das 9h às 18h. A entrada para a exposição é pelo portão 3. Menores de 18 anos só podem visitar o local no sábado, sendo que menores de 15 não pagam ingresso.

Foto: O Falcon 7X é um dos jatos mais recentes da Dassault, com a primeira entrega em 2007 - Divulgação

Segundo a organizadora do evento, a Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), a expectativa é um crescimento de 10% nas vendas em relação a edição anterior, que movimentou US$ 350 milhões. A edição de 2008 teve alta de 60% no valor dos negócios fechados durante a Labace daquele ano, em relação à de 2007.

Para este ano, a Labace terá uma área de exposição de 15 mil m², ante 13 mil m² do ano anterior. A estimativa é que a exposição estática de aeronaves seja visitada durante os três dias por um público de 13 mil a 15 mil pessoas, ante os 13 mil visitantes registrados em 2008.

Além do Legacy 600, a Embraer também vai exibir versões dos jatos Phenon 100 (4 passageiros e US$ 3,5 milhões) e do Phenom 300 (6 passageiros e US$ 6,65 milhões). A fabricante brasileira também terá um mockup (espécie de maquete em tamanho real) do Legacy 500, seu projeto de jato executivo que deve começar a voar em 2012 e tem capacidade para 12 passageiros e preço de tabela de US$ 18,5 milhões.

Fonte: Terra

LÍBIO CONDENADO POR ATENTADO DE LOCKERBIE PODE SER SOLTO

O cidadão líbio que foi condenado à prisão perpétua pelo atentado de Lockerbie (Escócia) pode ser libertado na próxima semana, já que sofre de câncer de próstata terminal, informa a imprensa britânica.

Abdelbaset Ali al-Megrahi foi condenado pela morte de 270 pessoas, vítimas em 1988 da explosão em pleno ar de um avião da companhia americana Pan Am sobre a Escócia.

As autoridades britânicas afirmaram que as informações são "puras especulações" e as famílias das vítimas já expressaram indignação diante da possibilidade de libertação do preso.

A "BBC" informou que as autoridades líbias mantiveram conversas com o ministro da Justiça da Escócia nos últimos dias e que já estão preparando a volta de Megrahi a Trípoli, provavelmente já no fim de semana.

O Governo escocês negou ter tomado uma decisão a respeito, mas admitiu que está considerando um pedido de libertação de Megrahi em vista de sua condição de saúde.

"Não se tomou uma decisão sobre o pedido de libertação por razões humanitárias, é tudo especulação", disse um porta-voz do primeiro-ministro escocês, Alex Salmond.

O ministro da Justiça escocês, Kenny MacAskill, a quem corresponde a decisão final sobre a libertação e repatriação, visitou o terrorista líbio na semana passada na prisão de Greenock, em um encontro que não teve muitos detalhes divulgados.

Fontes do Governo escocês lembraram à imprensa local que Megrahi também apresentou um recurso contra a condenação e que enquanto o trâmite judicial continuar, o ministro não poderá conceder uma mudança no status do preso.

No entanto, como admitiram essas fontes, caso fossem aceitos os motivos humanitários para a libertação, Megrahi não teria que renunciar previamente ao recurso contra a condenação.

Fonte: EFE

HELIBRÁS MODERNIZA ESQUILO AS 350 PARA HELISUL

Aeronave, que será entregue durante a Labace, passou da versão BA para B2, permitindo sua aplicação em missões que exigem um desempenho superior .

A Helibras entrega à Helisul Táxi Aéreo, na próxima quinta-feira, dia 13, durante a Labace 2009, Latin American Business Aviation Conference & Exhibition, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, a aeronave Esquilo AS 350, modernizada da versão BA para B2. A conversão, que foi a primeira desse tipo no Brasil, foi executada nas instalações da fábrica da Helibras em Itajubá (MG).

Entre as principais mudanças estão a substituição do motor Arriel 1B por um Arriel 1D21, que adiciona 14% (92 shp) em termos de potência de eixo. Isso faz com que o helicóptero desempenhe velocidade superior, podendo agregar 415 pés por minuto (ft/min) de razão de subida de decolagem com carga máxima, se comparado à versão anterior. A aeronave eleva em 7% a sua capacidade de decolagem, podendo atingir peso máximo de 2.500 kg com carga externa, além de agregar aproximadamente 250 kg em seu potencial de içamento. Outras alterações ocorrem no sistema de combustível, transmissão, rotor de cauda, painel de instrumentos, sistema de fechamento da cabine e outros componentes.

Walter Filho, gerente de engenharia de produto da Helibras, destaca diversas vantagens nesse tipo de conversão, tanto em termos de desempenho da aeronave quanto de valorização do produto: “A modernização agrega muito em termos de performance, especialmente em altitudes elevadas e condições climáticas desfavoráveis, permitindo que a aeronave seja utilizada em aplicações que exigem um desempenho superior, como em situações com carga externa. A versão B2 oferece adicionalmente grande conforto, devido à cabine espaçosa, os diversos equipamentos opcionais disponíveis e os baixos níveis de ruído e vibratório”, afirma.

Com uma frota de 32 helicópteros, sendo 14 modelos da Helibras, a Helisul disponibiliza suas aeronaves para diversos tipos de missão em serviços aéreos especializados. Segundo Raphaela Biesuz, diretora administrativa da Helisul, “sem dúvida teremos um ganho importante porque, além de modernizarmos a frota e valorizarmos nosso produto, conseguiremos realocar a aeronave em situações com carga externa, como combate a incêndio e aerolevantamento, modalidade na qual a Helisul é a única empresa do Brasil operando com helicópteros”.

Ficha técnica – AS 350 B2 | Peso máximo de decolagem: 2.250 kg | Peso máximo de decolagem com carga externa: 2.500 kg \ Capacidade: 1 piloto mais 5 ou 6 passageiros | Motor: 1 turbina Turbomeca Arriel 1D1| Potência máxima na decolagem: 732 shp | Velocidade de cruzeiro rápido: 246 km/h | Alcance máximo: 666 km | Comprimento com rotor girando: 12,94 m | Comprimento da fuselagem: 10,93 m \ Altura: 3,24 m | Diâmetro do rotor principal: 10,69 m.

Perfil da Helibras - A Helibras é a única fabricante brasileira de helicópteros, associada ao Grupo Eurocopter, maior fornecedor mundial do setor. Com participação superior a 50% na frota brasileira de helicópteros a turbina, a Helibras opera desde 1979 no Brasil e mantém instalações em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Sua fábrica, que emprega mais de 300 profissionais e tem capacidade de produção de 30 aeronaves por ano, está localizada na cidade de Itajubá (MG), onde são produzidos diversos modelos que atendem aos segmentos civil e militar. Desde sua fundação, a Helibras já entregou cerca de 500 helicópteros no Brasil, sendo 70% do modelo Esquilo. Em 2008, seu faturamento foi de US$ 112,1 milhões, 22% maior em relação ao exercício anterior. Mais informações: www.helibras.com.br

Perfil -O Grupo Eurocopter foi fundado em 1992 a partir da fusão das divisões de helicópteros da francesa Aerospatiale-Matra e da alemã Daimler Chrysler Aerospace. Hoje a companhia é uma subsidiária 100% controlada pela EADS - European Aeronautic Defence and Space Company, líder mundial nos segmentos aeroespacial, de defesa e serviços relacionados. Com fábricas localizadas na França, na Alemanha e na Espanha, a companhia emprega mais de 15.600 profissionais e em 2008 registrou receita de € 4,5 bilhões. A Eurocopter está presente em cinco continentes por meio de 18 subsidiárias e empresas afiliadas. Os produtos do grupo representam 30% da frota mundial de helicópteros. Mais de 10.000 aeronaves da fabricante estão atualmente em operação por cerca de 2.800 clientes em 140 países. | www.eurocopter.com

fonte: Portal Brasil

EMBRAER ANUNCIA NOVO CONTACT CENTER DE SUPORTE AOS OS CLIENTES


Canal oferece assistência completa aos clientes de jatos executivos de todos os modelos.

São José dos Campos – A Embraer anuncia seu novo Contact Center de Suporte ao Cliente dedicado aos jatos executivos, oferecendo assistência completa para atender às necessidades operacionais, técnicas e de manutenção. A iniciativa já está em funcionamento para clientes do jato Phenom 100 nos Estados Unidos desde dezembro de 2008 e foi agora estendida para oferecer suporte mundial a todos os modelos de jatos executivos da Embraer.

O Contact Center de Suporte ao Cliente está localizado na sede da Embraer, em São José dos Campos, interior do Estado de São Paulo. A prioridade é minimizar o tempo de resposta, desde o primeiro contato até a solução final, por meio da aplicação rápida e eficiente de recursos apropriados para atender às necessidades mais críticas, garantindo assim que os clientes tenham assistência especializada em qualquer parte do mundo. “Esta iniciativa reforça nosso compromisso de oferecer aos clientes o melhor suporte”, disse Edson Carlos Mallaco, diretor de Suporte ao Cliente e Serviços da Embraer – Aviação Executiva. “O Contact Center conta com analistas de suporte experientes e capacitados para lidar com qualquer problema, incluindo situações de aeronaves inoperantes em solo (Aircraft on Ground – AOG), suporte técnico e de peças, manutenção de rotina, peças de reposição, operações da aeronave e outras questões gerais.”

O Contact Center oferece uma rápida alternativa de resposta, 24 horas por dia, 365 dias no ano, e está integrado à rede de centros de serviços próprios e autorizados da Embraer, aos centros de distribuição de peças e aos representantes de serviços em campo, além das organizações de suporte técnico, operações de vôo e manutenção.

Para atender às exigências dos clientes de jatos executivos, a Embraer investiu na criação de uma rede de suporte composta por seis centros de serviços próprios (e um novo que começará a operar no Brasil até o final de 2009) e uma ampla rede autorizada no mundo todo. A Empresa também tem parcerias com renomados centros nas áreas de logística e treinamento de mecânicos e pilotos, além de oferecer inspeções de rotina, manutenção programada e não-programada e programas especiais de solução de serviços, como o Embraer Executive Care (EEC). A estrutura de suporte aos produtos da Empresa abrange operações de vôo e suporte técnico e de manutenção personalizados de acordo com o perfil de utilização de cada aeronave. Esta estrutura possibilita uma redução significativa nos custos e no tempo em solo da aeronave, maximizando os benefícios dessa importante ferramenta de negócios. [ Site www.EmbraerExecutiveJets.com.br].

Perfil: A Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. - NYSE: ERJ; Bovespa: EMBR3) é uma Empresa líder na fabricação de jatos comerciais de até 120 assentos e uma das maiores exportadoras brasileiras. Com sede em São José dos Campos, no Estado de São Paulo, a Empresa mantém escritórios, instalações industriais e oficinas de serviços ao cliente no Brasil, Estados Unidos, França, Portugal, China e Cingapura. Fundada em 1969, a Embraer projeta, desenvolve, fabrica e vende aeronaves para os segmentos de aviação comercial, aviação executiva e defesa. A Empresa também fornece suporte e serviços de pós-vendas a clientes em todo o mundo. Em 30 de junho de 2009, a Embraer contava com 17.237 empregados – número que não inclui empregados de suas subsidiárias não-integrais OGMA e HEAI – e possuía uma carteira de pedidos firmes a entregar de US$ 19,8 bilhões.| www.embraer.com.br

fonte: Fator Brasil

TAM E CESSNA OTIMISTAS COM LABACE 2009

A TAM Aviação Executiva, líder nacional em comercialização de jatos executivos, chega à 6ª edição da LABACE (Latin American Business Aviation Conference Exhibition) otimista com o mercado de aviação executiva. “Depois de um primeiro semestre afetado ainda pela crise internacional e marcado por cancelamento de metade das encomendas, estamos otimistas com essa LABACE, que pode marcar uma retomada dos níveis pré-crise”, afirma Marco Bologna, CEO da TAM AE, salientando que, no mercado de helicópteros, essa queda foi insignificante.

Representante no Brasil da Cessna, desde 1982, e da Bell, desde 2004, a empresa chega ao que é considerado o maior evento de aviação executiva da América Latina, ostentando marcas como a de maiores vendas mundiais (fora Estados Unidos) da frota Citation, do monomotor SkyCatcher e do helicóptero Bell 429.

“A performance do Citation o torna perfeito para operações através do território brasileiro. Ele se move facilmente entre os diversos centros do País, adapta-se muito bem aos extremos do clima do Brasil e ainda conta com a experiência de vendas e serviços da TAM”, diz Todd Duhnke, diretor internacional de vendas para o Citation.

Numa área estática de exposição de 1.300 m2, a TAM AE vai expor seis aviões Cessna – um Cessna 350, um Stationair Turbo, um Mustang, um CJ2, um Sovereign e um Caravan (com painel G1000 e interior executivo) – e um helicóptero Bell 407. Além disso, contará com um staff de 42 funcionários dedicado ao atendimento de clientes e potenciais clientes na LABACE.

O Brasil possui atualmente em operação 213 aeronaves da frota Citation, 22 delas Mustang – avião que chegou ao mercado em 2006. Trata-se da maior concentração de Mustang fora dos EUA. O Reino Unido vem em segundo, com 15 Mustang. A frota brasileira de Citation é também a maior do mundo fora dos EUA, seguida pela Alemanha, com 197 aviões. No que toca ao Bell 429, que começa a ser entregue no ano que vem, o Brasil tem 30 posições.

“Com o recorde de confirmações de presença de clientes entre todas as edições, a LABACE 2009 será o melhor termômetro para termos a real tendência de recuperação do mercado, com expectativa de fechamento de negócios ainda dentro do ano de 2009”, afirma Leonardo Fiuza, diretor comercial da TAM AE.

Perfil da TAM Aviação Executiva - A TAM Aviação Executiva é a líder nacional na comercialização de jatos executivos e vice-líder em serviços aéreos. A companhia foi constituída em 1960, com o nome de Táxi Aéreo Marília. Além da comercialização de aeronaves executivas, como representante exclusiva no Brasil da Cessna (desde 1982) e da Bell Helicopter (desde 2004), a empresa oferece serviços integrados como manutenção de aeronaves, FBO, treinamento, gerenciamento e fretamento de aeronaves.

TAM AE chega à LABACE 2009 como líder mundial em vendas da Cessna: Os destaques ficam por conta das aeronaves da frota Citation e do monomotor SkyCatcher - A TAM Aviação Executiva, líder nacional em comercialização de jatos executivos, participa da LABACE 2009 comemorando a liderança mundial das vendas de aeronaves Cessna do modelo Citation Mustang e do monomotor SkyCatcher, realizadas fora do mercado dos Estados Unidos.

A frota do Citation comercializada no Brasil pela TAM AE – representante exclusiva da Cessna no País desde 1982 – compreende 9 diferentes modelos de aviões, desde o jato leve Mustang (para 6 ocupantes e com autonomia de vôo de 2,1 mil km) até o Citation X, o avião civil mais rápido do mundo, com capacidade para dois pilotos e oito passageiros e autonomia de 5,7 mil km.

“O mercado brasileiro de aviação executiva tem surpreendido as expectativas mais otimistas, iniciando um processo de recuperação da crise internacional antes mesmo das nações mais desenvolvidas. Com a reativação da economia enxergamos mais uma oportunidade para a TAM Aviação Executiva ampliar sua presença no mercado”, destacou o presidente da companhia, Marco Antonio Bologna.

Frota Citation - Após os Estados Unidos, o Brasil é o país que possui o maior número de aviões Citation no mercado internacional. Isto representa 54% de participação no mercado dentro dos segmentos em que a Cessna tem produtos e 51% de participação se forem considerados todos os segmentos. No caso do modelo Mustang, a TAM Aviação Executiva já comercializou mais de 50 aeronaves no Brasil.

Já o SkyCatcher é uma aeronave com motor a pistão (Teledyne Continental O-200D), asa alta e hélice bi-pá para dois ocupantes, voltado sobretudo para o mercado de treinamento de pilotos. Até agora mais de 60 unidades já foram encomendadas pelos clientes brasileiros.

O Brasil também é o país que tem a maior frota do turbohélice Caravan no mercado internacional (fora os Estados Unidos), com 115 unidades vendidas. Isto representa 20% de participação no mercado brasileiro, se considerarmos inclusive os turbohélices bi-motores.

À exceção dos Estados Unidos, o Brasil é o país onde a Cessna Finance Corporation (CFC) tem, por intermédio da TAM AE, a maior carteira de financiamentos no mercado internacional. Recentemente a CFC anunciou um programa bem consistente de financiamento de aeronaves, da ordem de US$ 500 milhões e com taxas de juros fixas pelo prazo de dez anos.

A TAM AE também é representante exclusiva para o Brasil, desde 2004, da Bell Helicopter, tendo sido responsável pela venda maior venda do modelo Bell 429 no mercado internacional (fora os EUA). São mais de 35 aeronaves negociadas no mercado brasileiro.

Manutenção - Fora dos Estados Unidos, é nas instalações da TAM Aviação Executiva em Jundiaí (SP) que se encontra o maior Centro de Serviços da Cessna no mundo. Possui 20 mil m2 de área construída e está qualificado para atender 90 aeronaves/mês, inclusive de registros norte-americano, argentino e chileno.

Inaugurado em 2004, o Centro de Serviços da TAM AE em Jundiaí é hoje o maior centro de manutenção de aeronaves executivas da América Latina, com inspeção e manutenção para as linhas Citation, Caravan, monomotores Cessna e diversas séries de King Air.

Serviços Aéreos - A companhia também oferece serviços aéreos como sala VIP, atendimento de pista e hangaragem (o chamado Fixed Base of Operation, ou FBO) nos principais aeroportos executivos do país; treinamento para pilotos, mecânicos e comissários em simuladores; gerenciamento de aeronaves; e fretamento de aeronaves próprias ou gerenciadas.

A companhia é representante da FlightSafety, criada em 1951 e líder mundial em treinamentos para profissionais da aviação em geral. O aumento do volume de vendas deste serviço pela TAM AE levou o Brasil a ingressar, recentemente, no “Top Ten” mundial da FlightSafety, que possui o maior conjunto de simuladores do mundo.

No caso dos serviços de fretamento, a TAM Aviação Executiva é a única empresa de táxi aéreo de asa fixa do Brasil que possui o certificado internacional da Wylvern - Aviation Safety Intelligence. Esta distinção credencia a companhia a realizar voos para empresas estrangeiras que requerem um alto nível de excelência em segurança.

“Além de ser a líder em vendas de aeronaves executivas no Brasil, a TAM AE também se destaca como uma fornecedora de soluções para o mercado de aviação executiva. Seus serviços são integrados e o nível de qualidade é competitivo com as maiores empresas do setor no mundo”, assinala Bologna.

fonte: Fator Brasil

DESTRÓIER PORTA-HELICÓPTEROS DA FORÇA MARÍTIMA DE AUTO-DEFESA DO JAPÃO O NOVO "HYUGA"

ddh-181-2

Lançado ao mar em 22 de agosto de 2007, o “destróier porta-helicópteros” (DDH) Hyuga da Força Marítima de Auto-Defesa do Japão (JMSDF), foi incorporado no dia 18 de março de 2009. O Hyuga é o primeiro destróier japonês que possui mulheres em sua tripulação.

O DDH-181 é na verdade um navio-aeródromo, mas foi designado como destróier para minimizar problemas políticos com os países vizinhos.

O Hyuga, além de suas aeronaves, é equipado com um amplo sistema de comando, controle e comunicações, que permitirão ao navio funcionar como navio-capitânea em forças-tarefa. Além disso, o navio temmodernos radares phased array (PARS), sistema de combate integrado, sistema vertical de lançamento Mk.41 de 16 células (VLS) de mísseis Evolved Sea Sparrow e dois sistemas CIWS Phalanx para auto-defesa.

O deslocamento carregado do navio gira em torno de 18.000t, possui dois elevadores para aeronaves e pelo porte, deve ser capaz de operar até 18 helicópteros e futuramente, aviões STOVL F-35.

O navio é propulsado por quatro turbinas LM2500 na configuração COGAG, com dois eixos. O próximo da classe tinha lançamento previsto para 2010 e comissionamento em 2012.

Especificações:

  • Deslocamento: 13.950t standard; 18.000t carregado
  • Comprimento: 197 m
  • Boca: 33 m
  • Calado: 7 m
  • Propulsão: COGAG, dois eixos, 100.000 hp
  • Velocidade: 30 nós
  • Tripulação: 340

ddh-181-1

ddh-181-3

ddh-181-4

fonte: JapanNews

NOVELA - A REFORMA DO 'ADMIRAL GORSHKOV'

ex-gorshkov-ins-vikramaditya

A agência russa RIA Novosti informou que um novo acordo entre a Rússia e Índia sobre a reforma do NAe Admiral Gorshkov pode sair ainda no mês de agosto.

A Rússia solicita uma quantia extra de 1.2 bilhão de dólares a mais do que foi inicialmente acorodado para terminar a modernização do futuro INS Vikramaditya.

Esta nova rodada de entendimentos ocorrerá na Índia. Segundo o periódico russo Nezavisimaya Gazeta a Índia não possui muitas alternativaS a não ser concordar com o pagamento do montante exigido pela Rússia. Segundo o jornal a Marinha da Índia precisa desesperadamente substituir o INS Viraat, que já está com 50 anos.

Na verdade a situação não é bem assim. A Índia já iniciou a construção do seu primeiro NAe totalmente nacional, que receberá o noma INS Vikrant. Ele deverá estar operacional em 2015 e o futuro Vikramaditya dificilmente será entregue antes de 2013.

fonte: RIA

IRKUT CORPORATION FINALIZA ENTREGA DOS SU-30MKM À MALÁSIA

su-30mkm

A Irkut Corporation está finalizando as entregas dos caças Sukhoi Su-30MKM à Real Força Aérea da Malásia (RMAF). Os dois primeiros aviões do último lote já foram entregues, faltando apenas 4 aeronaves, de um total de 18.

O contrato para a compra dos caças multifuncionais Su-30MKM foi assinado durante a visita oficial de Vladimir Putin, então presidente da Rússia, à Malásia, em agosto de 2003.

Depois de detalhada análise feita pela RMAF, o Su-30MKM foi escolhido no lugar do F/A-18E Super Hornet. De acordo com a mídia local, a decisão da Malásia foi influenciada em grande parte pela Índia, que opera com sucesso o Su-30MKI.

O Su-30МКМ (multi-role, commercial, Malaysian) é a versão mais recente do Su-30МКI criado para a Índia. A aeronave tem a mesma configuração aerodinâmica e motores Thrust Vector Control (TVC), juntamente com um avançado sistema de controle de voo digital fly-by-wire. O MKM difere do MKI pela aviônica customizada.

su-30d0bcd0bad0bc-3

O caça é equipado com um radar phased array capaz de rastrear 15 alvos e atacar 4 simultâneamente. A aviônica do Su-30MKM inclui um sistema de guerra eletrônica (EW) e um sistema óptico com laser para telemetria. Alguns aviônicos ocidentais também foram integrados ao caça: Head-up display (HUD), navigational forward-looking IR system NAVFLIR, Laser Designation Pod (LDP Damocles) da Thales francesa e missile approach warning sensor (MAWS) e laser warning sensor (LWS) da AVITRONICS da África do Sul.

A integração de toda a aviônica está sendo feito pelo Su-30MKM Project Team, que inclui oficiais da RMAF.

A Irkut Corporation já entregou o Su-30MK para a Índia, Argélia e Malásia, juntamente com kits para a montagem sob licença pela Hindustan Aeronautics Limited da Índia. São cerca de 300 SU-30MK encomendados, com metade já entregue.

O upgrade dos Su-30MKI da IAF está em negociação. Planeja-se integrar o míssil antinavio BrahMos na aeronave.

su-30d0bcd0bad0bc-4

su-30d0bcd0bad0bc-2

fonte: Defenseweb

MIRAGE F-1 EX-JORDANIA SÃO OFERECIDOS À ARGENTINA

Mirage F1 oferecidos à Argentina

No mês de julho foi confirmado o oferecimento à Argentina de 13 caças Mirage F1 ex-jordanianos (a primeira vez que esses aviões haviam sido oferecidos foi em 2008). A empresa que fez o oferecimento deu um preço total de US$100 milhões. Tratam-se de 12 monopostos e um biposto anteriormente operados pela Real Força Aérea Jordaniana, sem nenhum tipo de modernização.


Para a Argentina, a questão da substituição do atual sistema de armas Mirage é fundamental, pois as aeronaves estão previstas para serem retiradas de serviço em 2012. Como alternativa, a França propôs modernizar os F1 ex-jordanianos e incorporá-los à FAA até a chegada dos Mirage 2000. Entretanto, devido ao pouco tempo disponível, a modernização envolvida dificilmente será do nível dos F-1MF 2000 da Força Aérea do Marrocos, realizada pela ASTRAC.(foto abaixo).

Mirage F1 com radar RDY-3 do Marrocos.
fonte: Segurança&defesa/fotos/Net

ALERTA - NAVIO DESAPARECIDO RUMOU PARA O ATLÂNTICO, DIZEM AUTORIDADES

Foto de arquivo mostra o navio Artic Sea, que desapareceu no Canal de Mancha
Foto de arquivo mostra o navio Artic Sea, que desapareceu no Canal de Mancha
12 de agosto de 2009.


Um navio mercante que desapareceu na costa da França há duas semanas seguiu para o Oceano Atlântico, disseram autoridades marítimas nesta quarta-feira, reforçando a ideia de que ele foi sequestrado. Navios de guerra da Rússia receberam ordens para se juntar às buscas do navio Mar Ártico, embarcação de 4 mil toneladas e 15 tripulantes que sumiu logo após passar pelo estreito de Dover, entre a França e a Grã-Bretanha, no fim do mês passado.

O navio finlandesa, registrada em Malta, ia da Finlândia para o porto argelino de Bejaia, onde deveria ter desembarcado em 4 de agosto com uma carga de 1,3 milhão de dólares em madeira. "Parece que o navio não se aproximou do estreito de Gibraltar, o que indica que a embarcação se dirigiu ao Oceano Atlântico", afirmou a Autoridade Marítima de Malta, que vinha monitorando o navio, em comunicado.

Se a embarcação foi sequestrada, é possível que os responsáveis pretendam usá-la como um "navio fantasma", disseram especialistas em assuntos marítimos. Outra hipótese é que os piratas queiram testar os níveis de segurança das águas do norte da Europa, região mais movimentada do mundo.

A guarda costeira britânica afirmou que o Mar Ártico fez o último contato via rádio em 28 de julho, ao entrar no estreito de Dover. Pouco depois, o transponder - que transmite um sinal eletrônico de localização - foi desligado.

O navio foi interceptado por "oito ou doze pessoas supostamente mascaradas e com uniformes de polícia, portando armas e pistolas", disse a autoridade maltesa. Os membros da tripulação foram atacados, amordaçados e vendados. Alguns ficaram gravemente feridos, segundo os malteses.

FORÇA AÉREA ARGENTINA COMEMORA 97 ANOS

a4-veterano-foto-aviacionargentina-net

A Força Aérea Argentina (FAA) comemorou no último dia 10 de agosto o 97º aniversário de sua criação, em cerimônia realizada no Heliporto do Edifício Cóndor, presidida pela ministra da Defesa, Nilda Carré. Presentes também o chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas Argentinas, general brigadeiro Jorge Chevalier, e o comandante da FAA, general

brigadeiro Normando Costantino. bleriot-aniv-97-anos-faa

Com um minuto de silêncio, foram lembrados os integrantes falecidos no transcurso desses 97 anos, enquanto faziam uma passagem três A-4R Fightinghawk, acompanhados de um C-130 Hércules. Três civis com mais de 50 anos de trabalho na FAA receberam condecorações. Como parte importante da ceremonia, uma réplica de Bleriot XI, normalmente exposta no Museu Nacional de Aeronáutica foi conduzida em solo em frente ao palanque, acompanhada de jovens com roupas de época. A réplica é da aeronave pilotada pelo pioneiro da aviação argentina, Jorge Newbery.

Também em frente ao palanque, podiam ser vistas em exposição estática duas aeronaves, um jato treinador AT-63 Pampa e um jato de ataque A-4, veterano da campanha das Malvinas.

aniv-97-anos-faa

FONTE: FAA FOTOS: aviacionargentina.net e FAA

CATAR RECEBE PRIMEIRO C-17 GLOBOMASTER III

primeiro-c-17-globemaster-iii-do-qatar-foto-cerimonia

No dia 11 de agosto, a Boeing entregou o primeiro de dois aviões de transporte estratégico C-17 Globemaster III, encomendos pelo Catar. A segunda aeronave deverá ser entregue antes do final do ano. O Catar tornou-se a primeira nação do Oriente Médio a encomendar o C-17 quando assinou com a Boeing um acordo para a compra dos dois aviões, assim como equipamentos e serviços associados, em 21 de julho de 2008. Espera-se que o C-17 seja extensivamente utilizado na região, em missões militares, humanitárias e de apoio no caso de calamidades.

Executivos da empresa vêem um interesse internacional crescente nessa classe de aeronaves. Atualmente, há 205 aviões C-17 em serviço no mundo, a maioria (189) com a USAF (Força Aérea dos Estados Unidos), o que inclui unidades da Reserva.

Com a entrega da primeira unidade para o Catar, somam-se 16 aviões do tipo em serviço junto a outros operadores que não a USAF: Catar (Qatar Emiri Air Force), Reino Unido (RAF), Canadá, Austrália (RAAF) e os 12 membros do consórcio SAC (Strategic Airlift Capability), que inclui países da OTAN e da Parceria pela Paz. Em 24 de fevereiro deste ano, os Emirados Árabes Unidos anunciaram a intenção de adquirir quatro unidades.

FONTE e FOTO: Boeing

HELIBRÁS APRESENTA NOVA LINHA DE HELICÓPTEROS NA LABACE 2009

A Helibras apresentará amanhã à imprensa o primeiro helicóptero EC 145 (imagens abaixo) do mercado brasileiro. A empresa, que se diz líder no mercado executivo, com 46% de participação, fará a apresentação da aeronave durante a Labace 2009, feira para o mercado de aviação executiva. Segundo a companhia, o EC 145 tem espaço de cabine que, somado ao bagageiro e ao posto de pilotagem, chega a 8,08 metros quadrados. No Brasil, essa primeira aeronave atuará no mercado executivo e deverá concentrar suas operações na rota São Paulo-Rio de Janeiro.

"Há um grande interesse por esse modelo, principalmente por parte das grandes corporações, em função das agendas cada vez mais atribuladas de seus executivos, que exigem não apenas agilidade no transporte, mas também um melhor aproveitamento do tempo despendido em trânsito. Como o EC 145 transporta até 8 passageiros e 2 pilotos com bastante conforto, algumas reuniões podem ocorrer, inclusive, durante o trajeto de voo", afirma, em nota, o diretor comercial da Helibras, Julien Négrel.

O primeiro EC 145, entregue ao mercado brasileiro na versão Stylence, vem equipado com radar meteorológico, navegador com mapas eletrônicos de ruas e GPS integrado. Outra unidade com a mesma configuração já foi vendida para outro cliente corporativo do País, e sua entrega está prevista para o final de 2010. Atualmente, a frota mundial do EC 145 opera em 27 países e é composta por mais de 230 helicópteros, com mais de 240 mil horas de voo.

A Helibras mostrará também o helicóptero modelo EC 155 (imagens abaixo) em exposição estática em seu estande. A aeronave biturbina, top de linha para o mercado executivo, tem capacidade para transportar até 13 passageiros, além de dois pilotos, e é uma das concorrentes ao prêmio da revista Aero Magazine de melhor helicóptero.


Clique nas imagens para ampliá-las

Fontes: AE via Abril.com / Portal Fator Brasil - Imagens: Divulgação/eurocopter

LÍDER AVIAÇÃO PARTICIPA DA LEBACE 2009 COM SETE AVIÕES

De 13 a 15 de agosto, a Líder Aviação [www.lideraviacao.com.br] estará presente na LABACE - Latin American Business Association Conference & Exibition, principal feira de aviação executiva do país. A 6ª edição da Labace será realizada no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP) e deve reunir o maior número de visitantes de sua história: são aguardadas mais de 15 mil pessoas, público 15% superior a 2008. Ao todo 120 empresas participam do evento, com apresentação de aviões, helicópteros, equipamentos e serviços.

“A Labace é a única feira da qual participamos regularmente por seu tamanho e importância em nosso mercado. Através dela conseguimos atingir um público extremamente qualificado, para o qual apresentamos tanto os aviões que representamos, quanto todos os outros serviços oferecidos pela Líder, como manutenção e atendimento aeroportuário, por exemplo”, destaca a superintendente Júnia Hermont. Segundo ela, este ano a empresa apresentará sete aeronaves: Baron, King Air C90GTi, King Air B200GT, Premier IA, Hawker 750 e o Hawker 900XP.

Novidades em 2009 -O primeiro semestre de 2009 foi marcado por grandes realizações. Entre elas está a entrada de um novo sócio, a Bristow Group Inc. [www.bristowgroup.com), uma das maiores operadoras de helicópteros do mundo. A companhia passou a deter 20% de ações ordinárias com direito a voto e 65% de ações preferenciais sem direito a voto, totalizando 42,5% do capital total da Líder Aviação.

Norte-americana, a Bristow é uma empresa com enorme expertise em operações de helicópteros para a indústria do petróleo, cuja atuação sempre foi marcada pela eficiência e segurança nos serviços prestados.

A Líder também acaba de adquirir o primeiro helicóptero de grande porte da empresa: o S-92, da fabricante norte-americana Sikorsky [www.sikorsky.com]. A aeronave é a primeira em operação na América do Sul e a maior do segmento executivo, com quase 20 metros de comprimento. Além disso, surpreende por sua capacidade: atende a 21 ocupantes, incluindo dois pilotos e um comissário de bordo. O S-92 representou um investimento de U$27 milhões.

Outra novidade foi a base operacional do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba (PR). Agora, os passageiros e tripulantes de voos nacionais e internacionais, tanto de aeronaves de pequeno e médio porte, têm à disposição uma sala para atendimento, com infra-estrutura completa como televisão, acesso a Internet (wireless), telefone e fax. Além disso, são oferecidos os serviços de limpeza interna de aeronaves e manuseio das bagagens.

Já a Unidade de Fretamentos e Gerenciamento de Aeronaves, passou a gerenciar em sua frota o jato Premier IA da Beechcraft, que fica baseado no hangar da Líder Aviação de Recife/PE e o turboélice King Air C90GTi, baseado em Fortaleza/CE. O Premier possui fuselagem construída em materiais compostos de fibra de carbono, além do melhor custo benefício e a maior e mais confortável cabine da categoria. Já o King Air C90GTi é capaz de operar na maioria das pistas do Brasil, inclusive nas curtas e não pavimentadas, e ainda possui a mais avançada tecnologia em aviônicos: a suíte Collins Pro Line 21.

Com uma frota moderna e atual, o Fretamento conta também com os modelos Hawker 800, Hawker 400 (Beechjet), King Air C90, Learjet, Citation JET 2 e Pilatus.

E, até o final de 2009, a Unidade de Vendas de Aeronaves da Líder tem previsão de entrega de 40 aeronaves novas para seus clientes - um aumento de 8% em relação a 2008. Além disso, neste ano já foram vendidos 12 aviões novos.

Fonte: Portal Fator Brasil - Foto: Divulgação

AERONÁUTICA ABRE INSCRIÇÃO PARA CONCURSO - 95 VAGAS


O Departamento de Ensino da Aeronáutica abriu o período de inscrições para a seleção que oferece 95 oportunidades de nível superior. A remuneração varia de R$ 2.124,20 a 3.542,75.

O concurso público reserva 4 vagas para professor da carreira de magistério superior e 91 para professor da carreira do ensino básico federal, na classe e nível inicial do quadro de pessoal do Comando. As oportunidades estão distribuídas entre as disciplinas de espanhol, inglês, educação física, matemática, português, física, biologia, geografia, história, filosofia, química, ciências, anos inicias do ensino fundamental, educação artística música e educação artística artes.

As inscrições estarão abertas a partir do dia 25 de agosto até o dia 10 de setembro e podem ser feitas por meio do site www.epcar.aer.mil.br. A taxa de participação é de R$ 65.

Os aprovados atuarão na Universidade da Força Aérea (Unifar), Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), Escola Tenente Rego Barros (Etrb), Colégio Brigadeiro Newton Braga (Cbnb), Escola de Especialistas da Aeronáutica (Eear) e Escola Caminho das Estrelas (Ece).

O processo seletivo constará de provas objetiva de língua portuguesa e de conhecimento específico, de títulos e didática. As avaliações objetivas serão realizadas no dia 18 de outubro, às 14h, no local escolhido pelo candidato. Os municípios que estão na lista de escolha são o de Barbacena (MG), Belém (PA), São Luís (MA), Rio de Janeiro (RJ) e Guaratinguetá (SP).

Clique aqui para conferir o edital de abertura.

Fonte: Correio Braziliense

POLÍCIA DO AMAZONAS CRIA UNIDADE AÉREA DE COMBATE AO CRIME E APOIO A DEFESA CIVIL

O Governo do Estado do Amazonas, através da Secretaria de Segurança Pública (SSP/AM) e do Instituto Integrado de Ensino de Segurança Pública (IESP) e com o total apoio do Exmo. Srº Cel. QOPM Dan Câmara, Comandante Geral da PMAM, estão realizando em Manaus-Am, o Curso de Piloto Privado de Helicóptero, com as aulas iniciadas desde o dia 22JUN09 e término dia 12AGO09. Segundo o Cel. QOPM Chagas, diretor do IESP, um dos objetivos do curso é preparar pilotos para o Grupo de Operações Aerofluvial da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Na primeira fase do curso, o exame intelectual, foram 54 inscritos entre policiais militares, policiais civis e bombeiros, que concorreram a 28 vagas, posteriormente estes 28 classificados realizaram a segunda fase do curso, o exame de aptidão física e por fim a terceira fase do curso, inicio das instruções, com aulas teóricas e divulgação do cronograma de estudos: Navegação Aérea, Teoria de Vôo, Meteorologia, Regulamentação da Aviação Civil, Regulamentos de Tráfego Aéreo, Aviação Civil, Conhecimentos Técnicos, Simulado, além da lista do material a ser utilizado e a bibliografia.

Vale ressaltar que o patrulhamento aéreo é uma excelente ferramenta com visão estratégica e ampla, fazendo o que seria impossível nas viaturas terrestres. O 2º Fórum Nacional de Aviação de Segurança Pública (2º FNAvSeg), ocorreu em Florianópolis, Santa Catarina, em 01AGO09, o evento reuniu pilotos, operadores e mecânicos de vôo das polícias Federal, Militar e Civil e do Corpo de Bombeiros.

Esta é a visão da Polícia Militar do Amazonas, em preparação para a Copa de 2014, afirmam o Tenente Coronel PM Piccolotto e o Capitão PM Gioia, a iniciativa é de grande valia e irá minimizar ainda mais a criminalidade e facilitar os trabalhos da PM. Muitos outros cursos, estágios e especializações virão para melhor atender o público e garantir a segurança durante os jogos da Copa. O objetivo é preservar a Ordem Pública e o Meio Ambiente, mediante um policiamento ostensivo de excelência.

Nota da Redação

o Ten PM Márcio leite, que já prestou seus serviços em Humaitá e que atualmente está atuando em Lábrea-AM, é um dos alunos do Curso de Piloto de Helicópteros.

Fonte: Assessoria de Comunicação da PM de Humaitá-AM Foto: Divulgação

AVIÃO CAI APÓS DECOLACAR DO CONDADO DE SUSSEX


Um avião caiu esta quarta-feira sobre um rio pouco tempo depois de levantar voo do aeroporto do condado de Sussex, no estado americano de New Jersey, com dois homens a bordo, um de 61 e o outro de 57 anos.

De acordo com a agência EFE, ambos os passageiros estão bem. O acidente aconteceu a pouco mais de 800 metros do aeroporto, segundo explicou Parker Space, primeiro-ministro da cidade de Wantage.

"Um dos homens conseguir sair a andar do aparelho, enquanto que o segundo parecia ter as pernas ou os tornozelos partidos", revelou Space, acrescentando que os dois feridos foram transferidos de helicóptero para o hospital de Morristown, próximo do local.

O pequeno avião, uma Cessna 150H, de 1967, pertencia ao piloto, e realizava um voo recreativo junto com seu acompanhante para desfrutar da vista panorâmica da região. As autoridades já estão a investigar as causas do acidente.
fonte:EFE

ROTAS DE HELICÓPTEROS NO RIO PODERÃO SOFRER RESTRIÇÕES

Os voos de helicópteros em rotas dentro da cidade do Rio de Janeiro também poderão sofrer restrições, a exemplo do que foi feito com os voos no aeroporto Santos Dumont. De acordo com a secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, alguns helipontos estariam sendo alvos de reclamações de moradores da Lagoa, Humaitá e Barra da Tijuca por conta do barulho dos helicópteros.

“Os moradores podem encaminhar reclamação formal à secretaria, como fizeram aqueles que residem sob uma das rotas do Santos Dumont”, disse Marilene. “Se houver necessidade de restringir rotas dessas aeronaves em função do ruído, nós o faremos”.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), aplicou na última segunda-feira uma multa de R$ 250 mil ao aeroporto Santos Dumont e a imediata interrupção das atividades operacionais de pouso da rota 2, que só deverá ser usada em situações de emergência. Todas as operações no aeroporto também foram suspensas no período das 22h às 6h.

Segundo o Inea, a decisão será mantida até que um estudo ambiental comprove a sustentabilidade das operações naquele percurso. O plano operacional deve considerar o impacto dos níveis de ruído produzidos pelo tráfego de aeronaves, por um período de 15 dias, sobretudo nos bairros de Cosme Velho, Botafogo, Urca, Santa Tereza, Laranjeiras, Flamengo e Morro da Viúva.

Infraero

Sobre a multa e restrição no aeroporto Santos Dumont, a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) informou em nota que ainda não recebeu qualquer comunicado ou notificação do Inea. De acordo com a Infraero, todos os esforços para a obtenção da licença ambiental estão sendo feitos.

A empresa afirmou que, em abril deste ano, foi realizada uma reunião entre o Ministério Público, o Inea e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), onde se estabeleceu um compromisso para que se fosse ajustado o licenciamento do aeroporto Santos Dumont. Segundo a Infraero, toda a documentação exigida no encontro pelo Inea foi entregue dentro do prazo estabelecido.

A empresa informou que tão logo receba qualquer notificação, vai analisar juridicamente a questão.

Fonte: Último Segundo (IG

INFRAERO MANTÉM SANTOS DUMONT SEM RESTRIÇÕES E ALEGA QUE NÃO FOI NOTIFICADA

Apesar de ter sofrido uma série de restrições, o Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, continua operando fora dos horários determinados pelo governo estadual do Rio de Janeiro.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), responsável pela administração do aeroporto, diz que o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão ligado a Secretaria estadual do Ambiente do Rio de Janeiro e que restringiu as operações das 22h às 6h e interditou a rota 2 do aeroporto, ainda não comunicou oficialmente a empresa sobre a decisão.

Além da restrição de horário e da interdição da rota, o Inea multou a Infraero em R$ 250 mil pelo fato de o Santos Dumont operar sem licença ambiental.

De acordo com o Inea, a Infraero será notificada ainda nesta quarta (12). No entanto, a assessoria da Infraero garante que não foi notificada até esta tarde. Enquanto isso não ocorrer, o aeroporto vai continuar a operar normalmente, de acordo com informações da assessoria da Infraero.

O Instituto informou ainda que notificou a Infraero sobre a decisão por fax, mas a assessoria não confirmou o recebimento, e alegou que este tipo de decisão não pode ser comunicada por meio de um fax.

Ainda segundo informações do Inea, a Infraero pode recorrer na Justiça, pedindo um prazo para se adequar às novas medidas. A assessoria da empresa informou que, assim que for notificada oficialmente, vai analisar o documento para ver como vai se proceder.

Voos serão cancelados

A Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) informou nesta quarta que os voos que operam no Santos Dumont, no período das 22 às 6h, serão cancelados. As companhias aéreas que se sentirem prejudicadas poderão solicitar alteração no horário ou para operar o voo em outro aeroporto, no caso o Tom Jobim, na Ilha do Governador, no subúrbio.

Nota oficial

A Infraero informou que até agora não foi notificada oficialmente da decisão do Inea. A empresa disse que ficou surpresa com a notícia, já que em abril deste ano se reuniu com vários órgãos ambientais para discutir o assunto.

Segundo a Infraero, havia uma negociação sendo feita e a empresa estava definindo os ajustes necessários para o processo de licenciamento do aeroporto.

A Infraero disse também que, assim que for notificada, vai analisar judicialmente a questão. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) disse que soube da decisão do Inea e vai se reunir com as companhias aéreas para verificar quais os voos que deverão ter as rotas alteradas.

Leia abaixo a nota na íntegra:

"Com relação às questões noticiadas pela imprensa sobre o Aeroporto Santos Dumont, a Infraero esclarece que:

- A empresa não recebeu, até o momento, qualquer comunicado ou notificação do Inea (Instituto Estadual do Ambiente).

- Vale ressaltar que todos os esforços estão sendo feitos pela Infraero para obtenção da licença ambiental do Aeroporto Santos Dumont.

- Como tratativa para obtenção da licença ambiental, foi realizada uma reunião entre o Ministério Público (MP), o INEA, a ANAC e a Infraero, além de outros órgãos públicos, em abril de 2009, a fim de definir os ajustes necessários ao processo de licenciamento do aeroporto.

- A partir desta reunião, foi estabelecido um compromisso entre as partes envolvidas e, desde então, dentro dos prazos acordados com o MP, a Infraero forneceu toda a documentação exigida pelo Órgão ambiental em questão com a finalidade de obtenção das licenças, ou seja, a Infraero cumpriu rigorosamente o acordado com o MP e o INEA.

- Desta forma, a Empresa recebe a notícia sobre a possível notificação do INEA com surpresa, já que o processo está, ainda, em andamento.

A Infraero, tão logo receba qualquer notificação, vai analisar juridicamente a situação e solicitar um posicionamento do MP sobre a questão.

Informações adicionais:

Diferentemente do que foi noticiado pela imprensa, a Infraero esclarece ainda que não houve solicitação ao INEA para que o aeroporto movimente 8 milhões de passageiros por ano, mas, sim, foi informada ao Órgão a capacidade do aeroporto que é de 8,5 milhões de passageiros por ano.

Sobre a movimentação no Aeroporto Santos Dumont, em 2008, 3.628.766 passageiros embarcaram ou desembarcaram pelo terminal. A expectativa para esse ano é que a movimentação não ultrapasse 5 milhões.

Em relação às informações a respeito do horário do funcionamento, elas devem ser verificadas com a ANAC – responsável pela malha aérea. E em referência aos procedimentos de decolagem e de pouso, a informação deve ser verificada junto ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão da Aeronáutica."


Fonte: G1

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...