terça-feira, 30 de setembro de 2014

MULHER PILOTO ÁRABE NOS ATAQUES CONTRA O ESTADO ISLÂMICO

Mariam Al Mansouri

Uma mulher comandou o esquadrão de aviação dos Emirados Árabes Unidos (EAU) que bombardeou posições do Estado Islâmico, na Síria, na semana passada.

Para além de se tratar a primeira mulher árabe piloto de caças, a notícia foi amplamente divulgada na imprensa internacional pelo facto de ter sido uma mulher a atacar os ultraconservadores islâmicos, ainda que ela também esteja subjugada ao conservadorismo dos Emirados, que obriga as mulheres e cobrirem a cabeça e a usarem abayas (vestido inteiro, tipo túnica).

Os ataques aconteceram na terça-feira (23 de Setembro), mas a confirmação de que Mariam Al Mansouri, de 35 anos, participou nos ataques foi feita apenas na quinta-feira (25 de Setembro), pelo embaixador dos EAU nos Estados Unidos, Yousef Al Otaiba, numa entrevista a um canal de televisão americano.

Segundo o embaixador, ela é uma piloto altamente treinada e qualificada e está numa missão como lhe compete.

Após o referido ataque, a piloto ganhou lugar na Wikipedia (http://en.wikipedia.org/wiki/Mariam_al-Mansouri). De acordo com esta fonte, Mariam Al-Mansouri tem sete irmãos e tem ligações familiares ao sultão bin Saeed Al Mansoori, engenheiro e político dos Emirados Árabes. Estudou literatura inglesa e foi para a força aérea do seu país logo que foi permitida a adesão das mulheres; com ela ingressaram outras duas mulheres árabes.

A força aliada contra o Estado Islâmico, em cujos ataques participou Mariam Al-Mansouri, é formada pelos Emirados Árabes, Arábia Saudita, Jordânia, Qatar, Bahraine Estados Unidos. Os extremistas islâmicos, auto-proclamados Estado Islâmico, reivindicaram, e mostraram ao mundo, a decapitação de quatro estrangeiros (dois jornalistas americanos, um britânico e um turista francês).

fonte/foto/NewsAvia/Facebook

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

GIGANTE DA EMBRAER, KC-390 JÁ TEM DATA PARA DEIXAR HANGAR


Foto inédita mostra o primeiro protótipo do cargueiro militar KC-390. Foto: Divulgação Foto inédita mostra o primeiro protótipo do cargueiro militar KC-390. Foto: Divulgação
Maior avião já produzido pela empresa, cargueiro fará sua primeira aparição oficial no dia 21 de outubro

O gigante está quase pronto e já tem data para sair do hangar. No dia 21 de outubro, o avião cargueiro militar KC-390 fará a sua primeira aparição pública oficial.

Maior avião projetado e produzido pela Embraer, sediada em São José dos Campos, o KC-390 é uma “revolução” tecnológica, um desafio e um marco para a terceira maior fabricante de jatos do mundo.
O avião foi desenvolvido para a FAB (Força Aérea Brasileira) e o programa do jato cargueiro está orçado em US$ 2 bilhões (algo em torno de pelo menos R$ 4,6 bilhões).

No dia 21 de outubro a Embraer realizará o roll out (apresentação oficial) da aeronave, em fase final de montagem na unidade de Gavião Peixoto, cidade localizada nas proximidades de Araraquara.
Será lá a solenidade da apresentação do avião.

O KC-390 não vai voar neste dia. Deve apenas deslizar pela pista e mostrar a sua imponência.
O voo do primeiro protótipo vai ocorrer até o final do ano. O Vale apurou que o KC-390 deve ganhar os ares em dezembro, ainda sem data definida.

Até lá, o jato será submetido a testes em terra, procedimento previsto no projeto.

Montagem. D e acordo com a Embraer Defesa & Segurança, responsável pelo desenvolvimento da aeronave, recentemente ocorreu a junção da asa com a fuselagem do primeiro protótipo que, no momento, está na fase de instalação de sistemas internos.

Tudo isso na unidade de Gavião Peixoto, onde será a produção seriada do jato.
Para acomodar toda a linha de produção, a Embraer construiu mais de 30 mil metros quadrados de hangares.

Missão. O KC-390 pode desenvolver diversas missões. Servirá para transporte de tropas, materiais e também como avião reabastecedor em voo.

Haverá também uma versão civil, para emprego médico e auxílio a operações referentes a desastres naturais e transporte de carga postal.

Um dos fundadores da Embraer, o engenheiro Ozires Silva afirmou que o jato cargueiro é uma aeronave “maravilhosa, de última geração”.
“Um avião extremamente moderno tecnologicamente, um orgulho para a Embraer e para o Brasil. A materialização de um sonho”, disse.

Diretor regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), em São José dos Campos, Almir Fernandes destacou a importância do projeto para as empresas fornecedoras da Embraer na região.
“Além da geração de empregos, o programa é um desafio tecnológico para os fornecedores, será um marco”, disse.

A Embraer Defesa & Segurança estima que o mercado potencial de aeronaves no qual o cargueiro militar brasileiro a KC-390 irá competir é de pelo menos 728 unidades.

Em maio, durante a inauguração das instalações em Gavião Peixoto para a produção do jato, o presidente da Embraer Defesa & e Segurança, Jackson Schneider, relatou que a meta da Embraer é abocanhar uma fatia de 15% a 20% desse mercado.


Compra. Em maio deste ano, a FAB (Força Aérea Brasileira) anunciou a compra de 28 unidades do jato, em contrato no valor de R$ 7,2 bilhões.

O contrato prevê a aquisição das aeronaves em um período de 12 anos, com a entrega do primeiro jato militar para o final de 2016.

O acordo contempla também o fornecimento de um pacote de suporte logístico, que inclui peças sobressalentes e manutenção.

À ocasião, o ministro da Defesa, Celso Amorim, frisou que o contrato é uma sinalização importante e demonstra a confiança da FAB no produto e que ajudará nas vendas da aeronave para outros países.

Na FAB, o KC-390 irá substituir a frota de turboélices Hércules C-130, fabricado nos Estados Unidos desde a década de 1950.

Parceria. No ano passado, a Embraer firmou parceria com a norte-americana Boeing para promoção e venda do cargueiro militar.

Pelo acordo, a Boeing irá liderar as campanhas de vendas do KC-390, oferecendo também suporte e treinamento, nos EUA, no Reino Unido e em mercados selecionados do Oriente Médio.

Potencial. Para Expedito Bastos, especialista em assuntos militares da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), o jato da Embraer tem grande potencial de mercado.
“Sem dúvida, a parceria estabelecida pela empresa com países europeus pode abrir um enorme mercado para o KC-390”, declarou.

O especialista analisa que o novo jato representa um salto da Embraer no segmento de Defesa, que é muito disputado em todo o mundo.
“É um produto para um nicho do segmento de Defesa que a Embraer planeja competir”, destacou Expedito.

fonte/foto/OVale

EQUIPE DA POLÍCIA CIVIL RETORNA DAS BUSCAS AO AVIÃO E PILOTOS


Aviao do mesmomodelo do que foi roubado de Riva - 20-09-14

A equipe da Polícia Judiciária Civil que acompanhava as buscas junto a Polícia boliviana para localizar a aeronave, o piloto e o copiloto do avião da candidata do Governo do Estado, Janete Riva, retornou na tarde de ontem a Pontes e Lacerda.

A aeronave, modelo King Air, prefixo ATY, foi roubada no último sábado (20.09), no aeroporto do município de Pontes e Lacerda e levada junto com os pilotos. Desde então, a Polícia Civil passou a realizar diligências para localização do avião e na madrugada de domingo (21.09), uma equipe da Delegacia de Pontes e Lacerda se deslocou até a Bolívia para acompanhar o trabalho realizado pela Polícia daquele país, que foi acionada devido a suspeita do avião ter sido levado para uso do narcotráfico.

O delegado de Pontes e Lacerda, Gilson Silveira, acompanhou as diligências no território boliviano junto com dois investigadores. Conforme o delegado, todo o trabalho de buscas foi comandado pela Polícia da Bolívia da região de San Ignácio. “Acompanhamos inúmeras diligências e a gente ainda não tem nada de concreto. Mas foi criada toda uma rede de informação e esperamos ter alguma notícia logo”, disse o delegado.

Segundo o delegado Gilson Silveira, na localidade do município de San Ignácio não há radar e é nessa região que se tem notícia de um comércio clandestino de aviões e pistas clandestinas. Uma das diligências foi realizada na região de Renecheru, onde se encontra uma das pistas de pouso, a 125 km de San Ignácio.

O delegado explicou que o radar só começa a ser captado em Santa Cruz de La Sierra, e lá a polícia boliviana também está mobilizada nas buscas. “É importante ressaltar que toda a polícia boliviana está mobilizada no encontro dessa aeronave e dos pilotos. Acreditamos que estejam no território da Bolívia, embora não tenhamos nenhuma prova concreta ainda”, destacou o delegado.

Quanto aos pilotos, a Polícia Civil mato-grossense e a boliviana acreditam que estejam sendo usados pela quadrilha para levar a aeronave até o destino. “Esse avião não é qualquer um que pilota e eles precisam dos pilotos para levar até o destino. Essa é a nossa suposição”, disse o delegado.

O delegado esclareceu ainda que enquanto a Polícia Civil não tiver uma prova concreta de que o avião e os pilotos estejam na Bolívia, a atribuição da investigação é da Polícia Civil de Pontes e Lacerda. “A partir do momento que tivermos uma prova efetiva de que o crime ultrapassou a fronteira, o caso será repassado a Polícia Federal, que também acompanha os trabalhos”, finalizou.

fonte/foto/ATribunaMT

PREFEITURA INICIA OPERAÇÃO PARA SALVAR AEROPORTO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS


Voo da Azul durante pouso no aeroporto de São José. Foto: Claudio Vieira Voo da Azul durante pouso no aeroporto de São José. Foto: Claudio Vieira

O prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT), disse ontem que irá trabalhar para tentar reverter a decisão da companhia aérea Azul de encerrar suas atividades no aeroporto local, a partir de novembro deste ano.

Carlinhos relatou que o seu governo agendou uma reunião com a empresa para os próximos dias.
“Vamos conversar com a Azul para tentar manter a companhia no terminal”, afirmou o prefeito.


Ele destacou que também fez contato com o ministro-chefe da Secretaria da Aviação Civil, Moreira Franco, com o mesmo propósito.


“O ministro Moreira Franco informou que também irá procurar a Azul. Vamos aguardar um retorno”, disse.
Medida. O prefeito pontuou quem uma medida de que pode favorecer o aeroporto de São José é a aprovação da Medida Provisória encaminhada pelo governo federal ao Congresso Nacional para estimular o desenvolvimento da aviação  regional.

“A aprovação dessa Medida Provisória cria benefícios para a aviação regional e vai beneficiar São José”, afirmou o prefeito.

A proposta, que ainda precisa ser regulamentada, autoriza a União a conceder subsídios às companhias aéreas para pagar parte dos custos dos voos em rotas regionais e todas as tarifas aeroportuárias nos terminais incluídos no programa. O aeroporto de São José está entre os 100 terminais selecionados pelo governo para se beneficiar da MP.

Para o prefeito, a decisão da Azul é conjuntural. “O problema é de conjuntura e não de infraestrutura. As companhias aéreas enfrentam dificuldades”, afirmou.

A Azul alega baixa demanda. Os voos serão encerrados no dia 13 de novembro. A empresa opera três voos diários para o Rio e vice-versa.

Queda. Dados da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), gestora do aeroporto, mostram que o movimento de passageiros domésticos no terminal teve uma queda de 50% de janeiro a agosto deste ano ante o mesmo período de 2013.
O movimento este ano foi de 60.704 ante 121.657 passageiros registrado em 2013.

Investimento. A Infraero investiu R$ 16,6 milhões na ampliação do terminal, que teve a sua capacidade triplicada.
Na semana passada, a consultoria Urban Systems apontou o terminal como o de maior potencial de desenvolvimento dentre os aeroportos regionais do país selecionados pelo governo federal para o Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional.


Operação
A companhia aérea Azul anunciou que vai deixar de operar no aeroporto de São José dos Campos a partir do dia 13 de novembro deste ano

Demanda
A empresa alega baixa demanda de passageiros

Investimento
A Infraero, gestora do terminal, investiu R$ 16,6 milhões na expansão do aeroporto

Negociação
Prefeito Carlinhos Almeida (PT) tentar reverter decisão da Azul. O seu governo marcou uma reunião com a empresa

Governo
Também o governo federal foi procurado pelo prefeito na tentativa de reverter o quadro

Movimento
Este ano foi de 60 mil pessoas



Usuários estão inconformados
São José dos Campos

Usuários do Aeroporto de São José dos Campos, surpreendidos pela decisão da Azul, estão inconformados com o fim da operação da empresa no terminal.
“Moro no Rio de Janeiro, mas sempre estou em São José dos Campos onde tenho negócios e familiares. Estou revoltado”, disse o empresário Luiz Fernando Magalhães, equanto aguardava embarque.
O diretor de vendas Joel de Oliveira Júnior viaja pelo menos uma vez por semana para o Rio e disse que a partir de novembro vai ficar mais complicado. “Acho que a Azul deve estar fazendo alguma pressão para continuar no aeroporto”, declarou.
O taxista Eduardo Emídio trabalha no aeroporto há 15 anos. “No último dia de voo, faço questão de transportar gratuitamente os passageiros do aeroporto”, declarou.

Empresa sustenta que há movimento
A Infraero sustenta que o aeroporto não ficará vazio. “O aeroporto não ficará vazio ou inoperante, uma vez que ele é um equipamento de infraestrutura público e tem como obrigação atender a todos os interessados em utilizá-lo. Entre os usuários estão também a aviação geral e jatos executivos, que utilizam as instalações com frequência”.

fonte/foto/OVale

PASSAGEIRO É PRESO APÓS SE MASTURBAR EM VOO DA VIRGIN ATLANTIC

Um passageiro foi detido após ser flagrado se masturbando dentro de um avião em um voo da companhia aérea Virgin Atlantic, na última segunda-feira. As informações são do Gawker.

O voo estava programado para sair de Boston e seguir para Los Angeles, nos EUA. No entanto, o caso fez com que a aeronave fizesse uma escala em Omaha, para que o passageiro saísse do avião.

Segundo a companhia aérea, Doug Adams, 26 anos, foi ao banheiro dentro do avião e demorou para sair. Mais tarde, ele estava sentado ao lado de uma mulher, durante o voo, e começou a se masturbar. Incomodada, a mulher pediu o auxílio de funcionários.

 Depois de ser advertido, Adams levantou-se da sua poltrona e tentou sair do avião, tentando abrir as portas da aeronave. Neste momento, o piloto decidiu pousar a aeronave.

Adams foi escoltado por policiais para um hospital em Nebraska para observação e ficará preso por uns dias. Ele deve pagar uma multa pelo transtorno causado durante o episódio.

fonte/Terra

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

EUA RECEBEM PRIMEIRO SUPER TUCANO


O primeiro A-29 Super Tucano fabricado nos Estados Unidos pela Embraer. Foto: Divulgação O primeiro A-29 Super Tucano fabricado nos Estados Unidos pela Embraer. Foto: Divulgação
A aeronave, que também atua como treinador avançado, é a primeira de 20 que estão sendo entregues à USAF 

São José dos Campos

A Embraer Defesa & Segurança e a sua parceira Sierra Nevada Corporation (SNC) apresentaram ontem o primeiro avião A-29 Super Tucano fabricado nos Estados Unidos a autoridades da USAF (Força Aérea dos Estados Unidos) e do governo, a representantes da indústria e da comunidade local e à imprensa em geral.

A aeronave, que também atua como treinador avançado, é a primeira de 20 que estão sendo entregues à USAF para seu programa de Apoio Aéreo Leve (LAS) para dar apoio à estabilidade do Afeganistão, à medida que o país assuma mais responsabilidade pela segurança com a redistribuição das forças da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).


Em fevereiro do ano passado, a USAF concedeu o contrato do programa LAS à SNC para fornecer 20 aeronaves A-29 Super Tucano da Embraer, bem como equipamentos para treinamento em solo, treinamento de pilotos e mecânicos e suporte logístico.


As aeronaves serão utilizadas para desempenhar missões de apoio aéreo tático, reconhecimento e treinamento para as forças militares do Afeganistão.


O contrato é de US$ 427 milhões. A fabricante brasileira e a SNS enfrentaram longa batalha judicial para vencer a concorrência. A ação foi movida pela norte-americana Hawker, que discordava da seleção da Embraer para participara do certame.

Investigação. A Procuradoria Geral da República Dominicana informou ontem que existe um processo de investigação internacional relacionado com suspeitas de suborno e fraude na aquisição por parte do Estado dominicano de oito aviões Super Tucano da Embraer.
A denúncia de suposto suborno, que envolve funcionários da Embraer, também é investigado no Brasil e nos Estados Unidos.


Entrega
A Embraer Defesa & Segurança e a sua parceria Sierra Nevada Corporation entregaram ontem o primeiro dos 20 Super Tucanos vendidos para a Força Aérea Norte-Americana

Contrato
O contrato é no valor de US 427 milhões e foi assinado em fevereiro do ano passado

Produção
Os aviões são montados nos Estados Unidos e serão utilizados em missões no Afeganistão. O Super Tucano é um turboélice para emprego em ataque leve e treinamento


fonte/foto/OVale

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

CAPITAL DO AVIÃO SEM AVIÃO - AZUL CANCELA SEUS VOOS NO AEROPORTO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS


O movimento de passageiros teve queda de 50% de janeiro a agosto. Foto: Marcelo Caltabiano O movimento de passageiros teve queda de 50% de janeiro a agosto. Foto: Marcelo Caltabiano
Única empresa a ter voos comerciais no terminal, companhia suspende operação local em novembro; medida ocorre 11 dias após governo ter inaugurado expansão da unidade 

Onze dias após a inauguração da reforma e expansão do Aeroporto de São José dos Campos, a companhia aérea Azul anunciou nesta quarta-feira que encerrará os seus voos no terminal a partir do dia 13 de novembro.
A companhia, a única que mantém voos comerciais na cidade, alega baixa demanda de passageiros em São José dos Campos.
“A Azul Linhas Aéreas Brasileiras informa que encerrará suas operações em São José dos Campos a partir de 13 de novembro. A companhia, que está presente no aeroporto desde outubro de 2010, optou por fechar a base devido ao baixo movimento”, informou a companhia em nota. A empresa informou que os seus clientes da região poderão ser atendidos pela empresa em Guarulhos.
De acordo com a companhia, os seus clientes que compraram bilhetes para depois de 14 de novembro poderão ter o reembolso integral ou serem reacomodados em Guarulhos.
Baixa. Dados da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), gestora do aeroporto, mostram que o movimento de passageiros domésticos no terminal teve uma queda de 50% de janeiro a agosto deste ano ante o mesmo período de 2013.
O movimento de passageiros domésticos este ano foi de 60.704 ante 121.657 registrado no ano passado.
A Azul opera três voos diários de São José para o Rio de Janeiro e vice-versa.
Na semana passada, o terminal foi apontado como o de maior potencial de investimento entre os aeroportos regionais do país pela consultoria Urban Systems.
Investimento. A Infraero investiu R$ 16,6 milhões na expansão do terminal, que teve a sua capacidade triplicada. Antes era de 190 mil passageiros por ano.
A inauguração da expansão, no dia 13 de setembro, teve a participação dos ministros da Aviação Civil, Moreira Franco, e da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

Surpresa. O presidente da ACI (Associação Comercial e Industrial), Felipe Cury, e o diretor regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) em São José, Almir Fernandes, ficaram surpresos com a decisão da Azul.
“Estou estarrecido. Se a Azul não tem capacidade para atender a demanda da região, é melhor sair mesmo”, disse Felipe Cury.
“É estranho falar que não tem demanda. Os voos da Azul estão sempre lotados. Não sei o que ela está querendo”, afirmou Almir Fernandes.
Para Cláudio Jorge Pinto, professor do ITA, com a ampliação, a cidade entrará na rota das empresas regionais.
“Se o Brasil voltar a crescer, a demanda potencial se concretiza e as companhias aéreas voltarão a ter interesse”.

Saiba mais
Operação
A companhia aérea Azul anunciou que irá encerrar as suas atividades no Aeroporto de São José dos Campos no próximo dia 13 de novembro

Demanda
A empresa alega baixa demanda de passageiros

Período
A Azul começou a operar no terminal em 2010

Ampliação
A Infraero, gestora do aeroporto, investiu R$ 16,6 milhões na ampliação do terminal, que teve sua capacidade triplicada

Surpresa
Decisão surpreendeu a cidade




Prefeitura avalia medidas para reverter a situação

São José dos Campos

A Infraero informou, em nota, que não havia sido comunicada oficialmente da decisão da Azul.
“Entendemos que a suspensão das atividades da Azul deva ser temporária e ocorre justamente com o objetivo de deslocar as aeronaves para as rotas mais demandadas na alta temporada. É evidente que essa situação não agrada a Infraero. Entretanto, ela se deve à baixa demanda no Aeroporto de São José nesse momento”, disse na nota.
Segundo a Infraero, a região tem potenciais atrativos, mas que não se consolidaram. “Essa consolidação deve ocorrer no próximo ano, ainda mais que a ampliação do terminal pode motivar o aquecimento do mercado da aviação civil”.

Avaliação. A prefeitura informou que não foi comunicada.
“A Secretaria de Desenvolvimento Econômico não foi comunicada oficialmente do cancelamento das operações da Azul no Aeroporto de São José. A prefeitura está entrando em contato com representantes da empresa, da Infraero e da Secretaria de Aviação Civil para avaliar as medidas que podem ser tomadas”.


fonte/Ovale

MINISTÉRIO PÚBLICO BRASILEIRO ACUSA DE SUBORNO OITO FUNCIONÁRIOS DA EMBRAER

As autoridades brasileiras entraram com uma ação criminal contra oito funcionários brasileiros da Embraer SA acusados de subornar autoridades da República Dominicana em troca de um contrato de US$ 92 milhões para fornecer aviões de guerra ao exército daquele país.

A queixa criminal, que corre sob sigilo e a que o The Wall Street Journal teve acesso, é um dos primeiros esforços conhecidos do Brasil em processar seus cidadãos por supostamente pagarem propinas no exterior, um marco conseguido com a ajuda do Departamento de Justiça dos Estados Unidos e a comissão de valores mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês).

As agências americanas também estão investigando alegações de suborno envolvendo a empresa na República Dominicana e em outros lugares e forneceram evidências para as autoridades brasileiras, segundo um pedido de ajuda por assistência legal feita no ano passado pelo Ministério Público federal brasileiro.

A Embraer, uma das empresas mais conhecidas do Brasil, é a terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo e emprega mais de 18.000 funcionários em suas fábricas no Brasil, China, Portugal, França e Estados Unidos. Suas ações são negociadas na bolsa de Nova York.

"Em função do assunto ser objeto de uma investigação em andamento no Brasil e nos EUA, a empresa não pode fazer mais comentários sobre qualquer aspecto do caso, incluindo os processo no Brasil, onde a companhia não é parte da investigação", informou a Embraer em uma declaração por e-mail.

A Embraer revelou, em 2011, que estava sendo investigada nos EUA por possível violação da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior, uma lei anticorrupção que é aplicada com rigor. A investigação está em andamento e, como as ações da Embraer são negociadas em Nova York e alguns dos supostos pagamentos passaram pelos EUA, segundo um pedido de assistência legal, os EUA têm jurisdição para investigar a Embraer.

Os porta-vozes do Departamento de Justiça dos EUA e da SEC não quiseram comentar.

O Ministério Público brasileiro apresentou uma queixa de 31 páginas em um tribunal penal no Rio de Janeiro em agosto, o primeiro passo de um processo criminal. Um porta-voz do Ministério Público não comentou.

A queixa alega que os executivos de vendas da Embraer concordaram em pagar um suborno de US$ 3,5 milhões para um coronel aposentado da força aérea dominicana, que então influenciou legisladores para aprovar o negócio e um acordo de financiamento entre a República Dominicana e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES. A venda foi realizada e as aeronaves foram entregues.

O coronel aposentado, Carlos Piccini Nunez, estava servindo como diretor de projetos especiais do exército dominicano em 2008, mesmo período das negociações do contrato que proveria a República Dominicana com oito aviões Embraer Super Tucano. Esse avião turboélice, usados em apoio a ataques, é o preferido dos exércitos de países em desenvolvimento, em função de sua baixa manutenção e preços acessíveis.

A Força Aérea da República Dominicana e o Ministério de Defesa do país não responderam aos pedidos para falar com Piccini.

A queixa criminal alega que o vice-presidente de vendas da Embraer, Eduardo Munhos de Campos, prometeu pagar o suborno, e que ele foi ajudado na obtenção do pagamento por Orlando José Ferreira Neto, outro vice-presidente; pelos diretores Acir Luiz de Almeida Padilha Júnior, Luiz Eduardo Zorzegon Fumagalli e Ricardo Marcelo Bester; e os gerentes Albert Phillip Close, Luiz Alberto Lage da Fonseca e Eduardo Augusto Fernandes Fagundes.

A Embraer não informou se eles ainda estão empregados na empresa. Vários deles parecem ter se mudado com base em seus perfis no LinkedIn. Eles não retornaram pedidos para comentários ou não puderam ser contatados. Seus advogados no Brasil não foram identificados.
Advogados americanos de Munhos e Fumagalli não comentaram. O advogado americano de Close, Danny Onorato, disse: "Nós estamos cientes da queixa criminal no Brasil e a estamos estudando." Não ficou claro se os outros acusados também possuem advogados americanos.

Os funcionários da Embraer são acusados na queixa brasileira de corrupção em transações internacionais, o que pode levar até oito anos de prisão se condenados, e lavagem de dinheiro.
A queixa alega que "todas as evidências indicam" que parte do suborno de US$ 3,5 milhões era destinada a um senador dominicano, que não é nomeado no documento.

Os e-mails coletados na queixa criminal parecem mostrar os executivos da Embraer tentando fazer pagamentos diretamente para três empresas de fachada designadas por Piccini. Mas o departamento de supervisão da Embraer impediu a transferência total em 2009, forçando a equipe de vendas a elaborar um novo plano, diz a queixa.

O grupo supostamente ocultou os recursos dos pagamentos ao alocá-los como honorários de consultoria para um acordo de venda de aviões para a Jordânia, o que nunca aconteceu, segundo a queixa criminal.

fonte/WSJ/FAB/Notimp

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

BIMOTOR CLONADO FAZ POUSO FORÇADO EM ÁREA DE LAVOURA APÓS APRESENTAR PROBLEMAS


Avião pousou em fazenda, a três quilômetros da cabeceira da pista do aeroporto de Sinop

Avião pousou em fazenda, a três quilômetros da cabeceira da pista do aeroporto de Sinop
Um avião bimotor Embraer EMB-810 Seneca, com prefixo PT-VDO, fez um pouso forçado, nesta terça-feira à tarde, em uma área de lavoura de milho recém-colhida, ao lado do Residencial Mondrian, em Sinop, quando fazia a aproximação para pousar no aeroporto municipal João Batista Figueiredo.

Conforme informações da polícia, o piloto retornava de Cuiabá e teve muita perícia, conseguindo pousar no terreno plano sem sofrer impacto e nem danificar a aeronave. Nem mesmo o trem de pouso sofreu avarias. O bimotor deverá ser retirado do local com o uso de um guincho.

O Corpo de Bombeiros foi acionado por precaução, como é de praxe em acontecimentos desse tipo. O piloto, que não teve o nome divulgado, não informou qual o problema apresentado na aeronave para que fizesse o pouso forçado. Ele não portava nenhum documento do Seneca e foi levado até a delegacia para prestar esclarecimentos.

A Polícia Civil registrou boletim de ocorrência. O nome do proprietário do avião não fora informado. Porém, na página da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o aparelho consta registrado para a empresa Esteio Engenharia e Aerolevantamentos, com sede em Curitiba.

Sob suspeita

Após uma versão desencontrada do piloto e da constatação da falta de documentação do avião, ele ficou sob suspeita. Policiais também apontaram que o prefixo estaria adulterado. Na página da  Esteio Engenharia e Aerolevantamentos, há uma foto do avião com prefixo PT-VDO. Contudo, há alguns detalhes de cor diferentes daquele que pousou esta tarde em Sinop. O bico é pintado de preto e há o emblema da empresa. Abaixo foto da aeronave " verdadeira".(logbook.draeronaves.com)
 
A diretoria da Esteio informou, ao Olhar Direto, via telefone, que o avião  PT-VDO está hoje em Pernambuco, voando a serviço na região de Caruaru, levantando forte suspeita de que o bimotor que desceu em Sinop esteja com prefixo clonado.

fonte/foto/OlharDireto 

Dados da aeronave via RAB



MATRÍCULA: PTVDO
Proprietário:
ESTEIO ENG.E AEROLEVANTAMENTOS SA
CPF/CGC:

Operador:
ESTEIO ENG.E AEROLEVANTAMENTOS SA
CPF/CGC:

Fabricante:
EMBRAER
Modelo:
EMB-810D
Número de Série:
810630
Tipo ICAO :
PA34
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MLTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 2 MOTORES CONVENCIONAIS
Peso Máximo de Decolagem:
2155 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
003


Categoria de Registro:
PRIVADA SERV.AEREO ESPECIALIZADO PUBLICO-AEROLEVANTAMENTO
Número dos Certificados (CM - CA):
11735
Situação no RAB:
ARROLAMENTO DE BENS SRF/ORDEM JUDICIAL
Data da Compra/Transferência:
110897


Data de Validade do CA:
15/03/17
Data de Validade da IAM:
090915
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 24/09/2014 08:17:35

TAP ESPERA REGULARIZAR HOJE FLUXO DE PASSAGEIROS PARA O NORDESTE BRASILEIRO

Fontes da TAP Portugal disseram ao ‘NewsAvia’ que a companhia espera normalizar no dia de hoje o tráfego de passageiros com destino aos aeroportos do Natal (Rio Grande do Norte) e de Fortaleza (Ceará), atrasados devido a uma intervenção mais demorada dos seus serviços de Manutenção e Engenharia num dos aviões Airbus A330-200.

Ontem a companhia alugou um aparelho Boeing 767-300 (CS-TRW) à EuroAtlantic Airways (EAA) que fez um voo para Fortaleza (TP31) e hoje voltará a haver voos para Fortaleza e para Natal, prevendo-se que dessa forma o tráfego possa ser normalizado, com a ajuda dos passageiros que aceitem fazer escala noutros aeroportos. Se for necessário a TAP voltará a recorrer à utilização de equipamento da EAA, estando um avião desta companhia disponível para qualquer voo transatlântico.

Como tem sido referido insistentemente a frota da TAP está muito curta, em termos de aviões face às rotas que a companhia tem, não obstante a recente aquisição de aviões, pelo que qualquer avaria que implique um trabalho mais demorado provoca atrasos na rede. Uma situação agravada pelo facto dos voos para o Brasil se encontrarem lotados, disse ao ‘NewsAvia’ uma fonte da companhia.

 Os passageiros têm sido encaminhados para hotéis de Lisboa, o que, contudo, não deixa de ser uma situação anormal, com todos os problemas provocados pelo facto das bagagens ficarem retidas no aeroporto e outros inconvenientes que são expectáveis em situações semelhantes, e que têm provocado o protesto dos passageiros.

Neste início de semana foram cancelados dois voos para o Nordeste Brasileiro, um para Natal e outro para Fortaleza, o que provocou os atrasos em cadeia.

Quanto a outras avarias conhecidas através da imprensa diária os responsáveis pela TAP continuam a dizer que são desagradáveis, mas que continuam a estar numa percentagem mais baixa do que no ano anterior, e que quanto mais voos uma companhia faz, mais está sujeita a essas anomalias. O que tem potenciado a visibilidade inusitada desses problemas é a atitude mais atenta de alguma imprensa em Portugal, com descrições que antes não eram tão insistentes.

fonte/NewsAvia

CENIPA COMEÇA A APURAR QUEDA DE HELICÓPTERO EM FAMA


O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) começou apurar no domingo as circunstâncias da queda do helicóptero prefixo PR-CIG, na represa de Furnas, em Fama, no Sul de Minas. No acidente, duas pessoas morreram. Há suspeita de que a aeronave, que é registrada para uso particular, estivesse fazendo voo panorâmico pago, o que se configura em infração. O piloto Bruno Abtibol de Andrade, de 34 anos, que abandonou o local do acidente e depois se apresentou à polícia, prestou depoimento na madrugada de ontem na delegacia de plantão da Polícia Civil em Varginha, e foi liberado. 

De acordo com o major Raphael Vargas Vilar, do Cenipa, somente aeronave com registro para operações comerciais pode realizar voos panorâmicos pagos. Vilar, que chegou ontem à tarde no local do acidente, disse que inicialmente vai colher evidências, que inclui depoimentos de testemunhas, para em seguida analisar quais foram as circunstâncias do voo e a queda. Nos próximos dias, o piloto será convocado para prestar novo depoimento na Polícia Civil, em Fama, que vai investigar a responsabilidade dele pelas duas mortes. Na queda, morreram o sargento da Polícia Militar Marcos Antônio Alves, de 44 anos, e sua companheira Lívia Reis Carvalho, de 27, que não pagaram pelo voo. Antes do acidente, outros dois militares acompanhados de familiares fizeram o sobrevoo de cortesia.

Na noite do sábado, depois de retomadas as buscas, o corpo de Marcos foi resgatado. Na noite de domingo, mergulhadores do Corpo de Bombeiros trabalharam para retirar o corpo de Lívia, que ficou preso nas ferragens do helicóptero e foi encontrado a uma profundidade de 10 metros na represa. Com uso de um trator e uma balsa, bombeiros içaram os destroços da aeronave. Algumas partes foram retiradas da água, como a hélice, para análise da perícia do Cenipa.

O investigador Tiago Gomes informou que, no depoimento à polícia em Varginha, Bruno Abtibol confessou ter fugido depois da queda. Ele seguiria em fuga em direção a BH, mas decidiu se apresentar à polícia em Elói Mendes. Bruno contou que, antes da queda, tinha feito dois voos panorâmicos com outros militares e suas esposas como passageiros. O passeio aéreo seria, segundo ele, uma forma de agradecer à receptividade da Polícia Militar da cidade a ele e seu irmão, também piloto.

Panorâmico
De acordo com o investigador, Bruno contou aos polícias que saiu de BH na sexta-feira rumo Fama, mas não disse o motivo. Ele detalhou que estava com seu irmão, também piloto, que operou a aeronave na viagem e lhe deu instrução de voo. Quando chegaram à cidade, segundo contou Bruno, eles foram bem recebidos por policiais militares que os levaram ao hotel e se colocaram à disposição para qualquer eventualidade. O piloto, em depoimento, disse que, em retribuição, convidou os militares e as suas esposas para um voo, na manhã do sábado, pela cidade. “Se não me engano, um sargento e um soldado, e suas esposas”, declarou Bruno à polícia.

O também sargento Carlos Alberto, da PM de Fama e amigo do militar morto, disse que não sabe ao certo se Bruno havia sido contratado para oferecer o serviço de voo ou se o fazia por lazer. Mas Carlos diz que foi um dos passageiros a aproveitar, gratuitamente, o passeio. “Eu e minha esposa fomos os segundos a sobrevoar com ele. Foi tudo muito tranquilo”, contou. Ontem, durante o velório de Marcos, Carlos disse que os familiares de Marcos e Livia estão inconsoláveis.

Na quinta-feira, teve início na cidade a festa Arena Fama Rodeio, com shows de música sertaneja e rodeios durante quatro dias. Moradores, que não quiseram se identificar, acreditam que os dois pilotos foram convidados para a festa para oferecerem o voo panorâmico pago ao público. Panfletos foram distribuídos no sábado convidando as pessoas a “conhecerem a cidade de um ângulo diferente”.

Informações que estão sendo checadas pela Cenipa é de que cada passageiro pagaria R$ 80 pelo sobrevoo. Maurinho Castro, um dos organizadores da festa em Fama, disse que foi sondado pelo piloto que queria decolar e pousar a partir da arena do rodeio. Mas depois de consultar um amigo, ele não aceitou. Castro não afirmou se Bruno lhe fez uma proposta financeira.

O acidente

A queda da aeronave foi pouco antes do meio dia, quando o sargento Marcos e a esposa Lívia foram aproveitar o passeio oferecido por Bruno. Segundo o piloto contou à polícia, na hora da decolagem havia um barco em frente à proa da aeronave e ele foi obrigado a fazer uma manobra evasiva pela direita. “Foi tudo muito rápido. Uma coisa pavorosa”, disse Bruno. O advogado dele, Guilherme Faria, esteve ontem em Fama para se informar sobre o acidente. Ele afirmou que seu cliente é apto para pilotar helicóptero. Como desconhecia as declarações dele à polícia, evitou comentar se o piloto realizava voos panorâmicos a trabalho.

O helicóptero, um Robinson R44,com capacidade para quatro pessoas, está registrado em nome da Siderúrgica Gagé, com sede em Conselheiro Lafaiete, Região Central de Minas. Ninguém da empresa foi encontrado para falar sobre a aeronave. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) o certificado de aeronavegabilidade do helicóptero é válido até abril de 2018, e o documento de Inspeção Anual de Manutenção (IAM) até abril do próximo ano.

fonte/EstadoDeMinas

SETOR AERONÁUTICO É APOSTA DE INDÚSTRIA DO GRANDE ABC


Buscar se fortalecer em outras áreas de atuação, para reduzir a dependência dos resultados do setor automotivo, é o caminho de muitas empresas da região, em meio ao cenário das vendas retraídas de veículos. Esse tem sido o foco da Serra do Brasil, fabricante de dispositivos e máquinas para soldagem, com sede em São Bernardo, que tem procurado ganhar presença na indústria aeronáutica, com projetos de engenharia, ferramentas e peças para a montagem de aeronaves. 
 
Filial da multinacional espanhola Aernnova, a empresa, que tem fábrica no bairro Pauliceia, tem se preparado para crescer no segmento aeroespacial. No início deste ano, se transferiu para imóvel duas vezes maior do que o anterior (que ficava nas proximidades do atual), e que conta com 5.000 m² de terreno, com 2.600 m² de piso de fábrica, mais 600 m² de salas de escritório, com investimento de R$ 3 milhões.

A companhia já é tradicional no fornecimento de máquinas para soldagem de componentes automotores. Tem, entre os clientes, nomes de peso como Fiat, Mercedes-Benz, Renault, Peugeot, Volkswagen e Ford, entre outras, e no ano passado, 70% de seu faturamento anual (de R$ 30 milhões) foi proveniente desse segmento.

O setor aeroespacial não é desconhecido da Serra, que teve 26% de sua receita proveniente do ramo em 2013. Já atende, por exemplo, a Embraer, tendo participado do projeto de engenharia e fornecido equipamentos para montagem de partes estruturais (da fuselagem) do KC-390 – avião cargueiro que substituirá o modelo Hercules a partir de 2016.

O diretor-executivo Rafael Ronconi cita que, neste ano, o fornecimento para a indústria aeronáutica responderá por 55% do faturamento, enquanto montadoras e autopeças vão contribuir com 40%. No entanto, este é um ano atípico, em que as encomendas para montadoras mostraram queda de 45%, o que será decisivo para a receita encolher cerca de 35% – de R$ 30 milhões em 2013 para R$ 20 milhões em 2014. A ideia é, para os próximos anos, manter entre 30% e 40% das vendas oriundas do setor aeronáutico.

LOCALIZAÇÃO 
Ronconi destaca que a localização da empresa, no Grande ABC, é estratégica, por causa da proximidade com montadoras e autopeças, e da logística facilitada (por causa do Rodoanel e das rodovias Imigrantes e Anchieta) que permite contato com o mercado aeronáutico, bastante concentrado em São José dos Campos.

Além disso, ele considera que São Bernardo tem boas condições de se tornar um segundo polo da indústria de aeronaves, principalmente em razão da fábrica que será erguida no município pela multinacional sueca Saab em parceria com o grupo Inbra, de Mauá, para montagem de aeroestruturas do caça Gripen NG, que será fornecido à FAB (Força Aérea Brasileira). 

Por conta do interesse em participar como fornecedor dessa planta fabril, a Serra deverá integrar missão empresarial à Suécia, organizada pela secretaria de Desenvolvimento Econômico de São Bernardo, de hoje (22) até sexta-feira (26).

fonte/DiarioGrandeABC

PILOTOS DE AVIÃO DE CAMPANHA DE JANETE RIVA ESTÃO DESAPARECIOS EM MATO GROSSO

A Polícia Civil de Mato Grosso suspeita que traficantes internacionais de drogas sejam responsáveis pelo desaparecimento, no último sábado (20), do avião usado na campanha eleitoral por Janete Riva (PSD), candidata ao governo do Estado.

Desde o desaparecimento a polícia não tem informações sobre a localização da aeronave e de seus pilotos. A principal hipótese é que o avião tenha sido roubado do aeroporto de Pontes e Lacerda (a 359 km de Cuiabá) para ser utilizado no tráfico internacional de drogas.

O delegado José Gadioli, que apura o caso, está em contato com a polícia da Bolívia porque o país vizinho é o destino mais provável da aeronave. De acordo com a polícia, o avião tinha combustível suficiente para chegar até Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, onde há outro ponto de abastecimento.
O delegado afirmou à Folha que pedirá auxílio da FAB (Força Aérea Brasileira) nas buscas. Uma equipe especializada em ações na fronteira também atua na região.

A FAB informou que no caso da aeronave não houve registro do plano de voo, e que a movimentação da aeronave ocorreu sem qualquer comunicação prévia.

Evandro Rodrigues de Abreu, piloto, e Rodrigo Frais Agnelli, copiloto, deveriam ter partido do aeroporto de Pontes e Lacerda para o município vizinho de Vila Bela da Santíssima Trindade.

A candidata e o marido, o deputado estadual José Riva (PSD), e o candidato a senador Rui Prado (PSD) também deveriam embarcar, mas o avião não estava no local quando chegaram.

Um segundo avião, que levava parte da equipe da campanha, decolou minutos antes normalmente.

ROUBO DE AVIÕES
De acordo com a polícia, roubos de aviões são comuns na região –já a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) informou que os casos registrados são raros.

O avião com prefixo PR-ATY, modelo C90GT, está registrado na Anac como propriedade de Berf Participações. Segundo a assessoria de Janete Riva, o avião foi adquirido em modalidade de leasing e o seguro está em nome de Floresta Viva, empresa da família Riva.

A polícia afirma que não há testemunhas do roubo. A assessoria da candidata informa que "duas caminhonetes deram suporte aos bandidos que sequestraram a aeronave".

A CAMPANHA
Janete tornou-se candidata no lugar do marido José Riva, que teve a candidatura barrada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) há dez dias.

Riva é apontado como o "maior ficha suja do país" porque responde a mais de cem processos, incluindo um sobre suposto esquema de desvio de recursos da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Janete foi secretária estadual da Cultura e concorreu a vice-governadora em 2002.

fonte/FolhaSP/UOL

HÁ TRÊS MESES EM ÓRBITA, NANOSSATÉLITE BRASILEIRO FUNCIONA COMO PROGRAMADO


Lançado ao espaço há três meses, o NanosatC-Br1 – primeiro cubesat nacional - opera como programado transmitindo dados para estações localizadas em Santa Maria (RS) e São José dos Campos (SP).

Desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e Universidade de Santa Maria (UFSM), com recursos da Agência Espacial Brasileira (AEB), o cubesat leva a bordo instrumentos para o estudo de distúrbios na magnetosfera, principalmente na região da Anomalia Magnética do Atlântico Sul, e do setor brasileiro do Eletrojato Equatorial Ionosférico.

“Já temos uma quantidade de dados razoável das cargas úteis e da plataforma. Muitos ensinamentos estão sendo extraídos por meio da operação do NanosatC-Br1, do seu comportamento e performance que serão utilizados em futuros satélites desta classe”, diz o pesquisador do Inpe, Otávio Durão.

Além de testar circuitos integrados resistentes à radiação projetados no Brasil, para utilização em futuras missões de satélites nacionais, a capacitação de recursos humanos para a área espacial é um dos principais objetivos do projeto.

Saiba mais
O desenvolvimento Nanosatc-BR1 permitiu que estudantes tivessem a supervisão de especialistas do Inpe e atuassem diretamente em todas as fases para construir e colocar um satélite em órbita – desde a especificação e produção do cubesat, até a montagem, integração, testes, lançamento, operação e recepção dos seus dados.

O cubesat tem três cargas úteis: um magnetômetropara utilização dos seus dados pela comunidade científica; um circuito integrado projetado pela Santa Maria Design House da UFSM; e o hardware FPGA, que deve suportar as radiações no espaço em função de um software desenvolvido pelo Instituto de Informática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Participa ainda do projeto o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), onde está uma das estações terrena que recebem dados do NanosatC-Br1.

fonte/AgPortalBrasil

terça-feira, 23 de setembro de 2014

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS DEBATE INSTALAÇÃO DA 1A. UNIVERSIDADE AERONÁUTICA

Representantes do Grupo São José 2030 se reuniram com o prefeito Carlinhos Almeida (PT) para discutir a proposta de criação de uma “Universidade Aeronáutica” em São José dos Campos.
O São José 2030 foi criado em novembro do ano passado, durante um seminário que autoridades, empresários e lideranças traçaram estratégias para o futuro de São José dos Campos.

A intenção do grupo é lançar ideias e projetos para serem executados até 2030 para o desenvolvimento da cidade.

O engenheiro Ozires Silva, que lidera o Grupo 2030 disse que a ideia da Universidade do Ar seria a implantação de um Centro de Formação de mão-de-obra para o setor aeronáutico do Brasil, que está em fase de expansão.

“Faltam grandes escolas de formação de pessoal para o setor aéreo. O segredo é bons Recursos Humanos”, disse o engenheiro.

Segundo ele, São José reúne uma série de atributos diferentes de outras cidades do país. “E nós podemos crescer como uma cidade muito mais importante, gerando oportunidades que todos nós desejamos”, disse Ozires.

“A ideia está lançada. Temos agora que concretiza-la. O prefeito foi muito receptivo à proposta”, pontuou Ozires.

Ele frisou ainda que esse Centro de Formação de Pessoal também pode ser encampado por uma instituição de ensino da cidade. “Temos escolas que podem criar esse centro”, declarou.

Apoio. O prefeito Carlinhos Almeida disse ontem que um local adequado para a instalação desse centro é o Parque Tecnológico, que tem todo o ambiente necessário para abrigar a “Universidade do Ar”.

Carlinhos relatou que o Centro de Formação de Pessoal para o setor aéreo contemplaria profissões como especialistas em manutenção de aeronaves e de administração de aeroportos. “Com abertura dos aeroportos à iniciativa privada, será necessário a formação de pessoal qualificado para o transporte aéreo”, disse.

Embora ainda seja uma proposta embrionária, o prefeito colocou o seu governo à disposição para colaborar com o Grupo São José 2030.

Carlinhos informou que o Ipplan (Instituto de Pesquisa, Administração e Planejamento), que já mantém parceria com o grupo e a Secretaria Municipal de Planejamento podem colaborar na formatação de um projeto nos moldes da sugestão feita pelo engenheiro Ozires.

O conceito da Universidade do Ar tem como um dos modelos a americana Embry-Riddle Aeronautical University, que tem campi na Florida e no Arizona. A instituição é considerada um dos principais centros de formação aeroespacial do mundo. A escola oferece cursos em áreas como ciência aeronáutica e engenharia aeroespacial, entre outros.

Proposta
Líder do Grupo São José 2030, o engenheiro Ozires Silva, lançou proposta para a criação de uma “Universidade Aeronáutica em São José dos Campos

Formação
Trata-se de um Centro de formação de Recursos Humanos para o setor aéreo

Qualificação
Segundo o engenheiro, o país precisa de pessoal qualificado, pois a aviação está em expansão

Apoio
O governo Carlinhos Almeida (PT) vai apoiar a iniciativa e colocou o Ipplan e a Secretaria Municipal de Planejamento à disposição do grupo

Sede
Seria no Parque Tecnológico


fonte/OVale

AIR FRANCE ADIA PROJETO DA TRANSAVIA EUROPE ATÉ FINAL 2014 MAS PILOTOS MANTÉM GREVE

Air France B747_400_900

Os pilotos da Air France mantêm a greve, mesmo depois de o CEO da companhia Air France KLM, Alexandre de Juniac, ter anunciado esta segunda-feira, em entrevista ao diário francês ‘Le Monde’, que o projecto da Transavia Europe (nova low cost pan-europeia) foi adiado até ao final do ano.

De acordo com um comunicado do SNPL (maior sindicato de pilotos da Air France), citado pela imprensa francesa , os pilotos encaram a “última proposta” divulgada por Alexandre de Juniac, como “uma provocação”, tendo em conta que já completaram oito dias de greve e que consideram que o que está em causa é a “deslocalização (…) de empregos de pilotos de direito francês”.

O comunicado diz ainda que a proposta divulgada pelo referido CEO não passa de uma “cortina de fumo” pois não dá garantias adicionais “nem resolve qualquer problema”.

Assim, mantém-se a perspectiva de continuação da greve pelo menos até à próxima sexta-feira, dia 26, que a companhia já indicou deverá levar ao cancelamento de cerca de 52% dos seus voos amanhã, dia em que estima cerca de 57% dos seus pilotos farão greve.

De acordo com o site da ANA, estão cancelados os três voos Air France, de amanhã, com partida de Lisboa para o Paris (Charles de Gaulle): AF1025 (11h55), AF1625 (15h25) e o AF1925 (18h40).

Relativamente às chegadas a Lisboa, de voos da Air France, o site indica, para hoje, dia 22, o cancelamento do AF1124 (22h20), e, para amanhã, o cancelamento do AF1024 (11h05) e do AF1924 (17h50).

Na entrevista ao diário “Le Monde”, Alexandre de Juniac revela que ele e o CEO da Air France, Frédéric Gagey, fizeram “uma última proposta” ao SNPL, que consiste em ganhar tempo “para um diálogo aprofundado sobre o projeto “de criação de filiais da Transavia na Europa”.

Na entrevista, Alexandre de Juniac admite que a greve tem penalizado fortemente a Air France, ilustrando que as perdas com sete dias de greve dariam para comprar quatro aviões de médio curso.
“É urgente sair da situação”, conclui o executivo, que também diz que a sua “última proposta” não pode esperar por uma resposta dos sindicatos, que entretanto fizeram saber que mantêm a greve.

O jornal “le Monde” diz ainda que em contrapartida da suspensão do projeto da Transavia Europe, a Administração quer o acordo do sindicato para aumentar a frota da Transavia França de 14 para 37 aviões, avisando que se não obtiver esse compromisso então terá que denunciar o acordo em vigor relativamente à criação dessa companhia, pelo qual os pilotos podem optar pela low cost sem quebra de remuneração.

O que está em causa é qual a resposta da companhia ao avanço das low cost que lhe ‘esmagam’ a rentabilidade do seu médio curso, o qual, segundo os dados que publicou, perdeu 243 milhões de euros em 2013.

Os pilotos, por sua vez, argumentam que não querem uma “deslocalização” dos seus postos de trabalho.

fonte/foto/NewsAvia

VOO TURÍSTICO ESPACIAL DEVERÁ OCORRER EM 2015

A única operadora brasileira a oferecer um pacote turístico para o espaço sideral aguarda a aprovação da International Academy of Astronautics (IAA) para a execução da primeira viagem comercial fora da Terra. Somente depois do aval, é que a empresa irá receber o pagamento das reservas de pelo menos três grandes empresários e artistas interessados em adquirir o produto, que foi lançado no País em 2012, com previsão de acontecer em março de 2015. Os passeios a bordo da nave espacial Lynx cumprirão jornadas de 60 minutos, com saídas da base aérea de Curaçao, no Caribe, de onde — bem do alto — é possível se ter a melhor visão das Américas do Sul e do Norte. Com capacidade para duas pessoas – o piloto e o turista —, a aeronave foi fabricada pela empresa norte-americana XCor Aerospace, que recentemente se uniu à holandesa Space Expedition Corporation (SXC), para vender pacotes espaciais em países como Estados Unidos, Alemanha, Canadá e Reino Unido. A operação tem um custo de US$ 107 mil por pessoa.

“A aeronave que realizará os passeios pode decolar e pousar em qualquer aeroporto. Por isso, compramos a ideia. Acreditamos que, no futuro, será possível viabilizar viagens com tempo reduzidíssimo para o Japão, por exemplo”, comenta o diretor-presidente da Operadora Sanchat Tour, Roberto Silva. Ele explica que os pacotes incluem também as passagens aéreas até Curaçao, além de hospedagem em resort antes da viagem ao espaço, uma vez que é necessário fazer um treinamento. 

“O passageiro deverá chegar a Curaçao com três dias de antecedência, para passar por simulações do voo”, informa. Outro requisito será o condicionamento físico e a boa saúde. O passageiro não pode ter problemas no coração, por exemplo. “O turista precisa apresentar atestado médico, que comprove capacidade de suportar uma velocidade 4G, ou seja, quatro vezes maior que o peso do corpo”, diz Silva. Segundo o empresário, o perfil dos interessados é bem específico: “em geral, são pilotos de fórmula 1, pilotos de avião e outras pessoas que gostam de velocidade.”

Entre o grupo de futuros “astronautas por uma hora”, está o estudante de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília (UNB) Pedro Henrique Dória Nehme, 23 anos, que foi contemplado com uma viagem ao espaço por ter vencido um concurso com mais de 129 mil participantes de todo o mundo, promovido pela companhia aérea holandesa KLM. O desafio lançado era adivinhar em que ponto um balão de alta altitude monitorado por câmeras e GPS iria estourar. O resultado proposto por Nehme foi o mais próximo.

“Foi um choque”, afirma Nehme, ao descrever a sensação que teve ao receber a notícia, em março de 2013. Passado o susto inicial, veio a felicidade e a expectativa de participar de um evento que promete ser “intenso e revolucionário”, na opinião do estudante. Pudera: o número de pessoas que viram a Terra de cima é pouco mais de 500. “Quero poder dividir esta experiência com o Brasil, a ponto de que haja uma repercussão grande no sentido de incentivar o desenvolvimento do setor espacial.” Estagiário da Agência Espacial Brasileira (AEB), Nehme pretende levar um experimento brasileiro para ser testado durante o treinamento e o voo.

Após decolar normalmente, a aeronave Lynx subirá verticalmente (90 graus), atingindo uma altura aproximada de 100 quilômetros acima do nível do mar, cruzando a chamada linha de Kármán, limite entre a atmosfera terrestre e o espaço sideral. A tripulação flutuará em gravidade zero por aproximadamente sete minutos, com os motores desligados. Depois, planará em círculos até retornar a seu ponto de partida, que inicialmente é a base aérea da ilha caribenha de Curaçao. Segundo Silva, até agora já há mais de 500 reservas para as viagens espaciais, realizadas junto a outras operadoras de turismo no mundo todo. “A ideia é operar com dois voos diários”, planeja Silva.

Passageiros participarão de missões de treinamento
Para poder estar completamente preparado para a viagem ao espaço, o passageiro pode participar de missões de treino opcionais da Space Expedition Corporation (SXC), empresa holandesa que vende pacotes turísticos com sete minutos de contemplação a vista para a Terra em agências dos Estados Unidos, Alemanha, Canadá e Reino Unido. O treinamento tem como objetivo mostrar e habituar o viajante aos níveis de gravidade e a voar em aeronave em alta velocidade.

De acordo com o diretor-presidente da operadora brasileira Sanchat Tour, Roberto Silva, há testes obrigatórios aos quais o turista deverá se submeter. Em uma primeira fase, o interessado deverá enviar dados completos com exames médicos para avaliação da equipe responsável pelos voos. Depois, o passageiro fará uma simulação de voo, para garantir que irá resistir à gravidade zero e à velocidade quatro vezes mais alta que o som.

O estudante de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília (UNB), Pedro Henrique Dória Nehme, que foi contemplado com uma viagem gratuita ao espaço a bordo da aeronave holandesa Lynx, afirma que já está praticando exercícios para ficar adaptado fisicamente aos testes.

“Primeiro, entrarei em jato de treinamento de pilotos, passando por acelerações, a cada 20 segundos, que alcançarão 4G, depois é a vez de entrar no simulador, uma espécie de centrífuga que fica rodando e submetendo novamente o corpo às acelerações. Por último, passarei pelo teste do voo zero G, realizado em avião comercial sem a maioria das poltronas”, detalha Nehme, empolgado com a missão. Neste último, se fica em um ambiente de gravidade zero durante 30 segundos. Isso se repete algumas vezes para ter a sensação antes do voo, e assim estar preparado para a aventura.

fonte/JornalDoComércio

SATÉLITE SINO-BRASILEIRO CBERS-4 PRONTO PARA SER COLOCADO EM ÓRBITA

O programa de lançamento do satélite sino-brasileiro CBERS-4 pode iniciar-se, anunciou sábado em Pequim o coordenador do Segmento Espacial, o brasileiro António Carlos de Oliveira Júnior.

O satélite é o quinto desenvolvido ao abrigo de um acordo de cooperação entre o Brasil e a China, tendo a revisão final do projecto, etapa importante que antecede o seu lançamento, sido realizada no passado dia 18 de Setembro corrente.

Especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST, na sigla em inglês) apresentaram e discutiram os resultados dos testes eléctricos e ambientais realizados no novo modelo do satélite sino-brasileiro, que tem lançamento previsto para Dezembro.

“Não tendo sido identificada qualquer problema de maior, a conclusão dos especialistas dos dois países foi a de que o satélite está pronto para iniciar a sua campanha de lançamento”, disse António Carlos de Oliveira Júnior, de acordo com a Agência Espacial Brasileira.

O satélite segue agora para a base de lançamento de satélites de Taoyuan, na província de Shanxi, 760 quilómetros a sudoeste de Pequim, onde deverá chegar dia 16 de Outubro próximo.

fonte/FAB/Notimp

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

VÍDEO DO ACIDENTE COM HELICÓPTERO NO LAGO DE FURNAS EM FAMA, MINAS GERAIS


QUEDA DE MONOMOTOR MATA EMPRESÁRIO EM VERANÓPOLIS


Queda de monomotor mata empresário em Veranópolis Leandro Galante/Especial
Foto: Leandro Galante / Especial

A queda do monomotor prefixo PU-PPP por volta das 16h30min deste domingo, em Veranópolis, tirou a vida do empresário da construção civil João Zatt, de 61 anos. No acidente, também ficou ferido Marcelo Girardi Censi, 36, tripulante da aeronave.

Conforme o sargento Baldissera, do Corpo de Bombeiros de Veranópolis, a corporação foi acionada por volta das 17h15min pelo aeroclube do município. O monomotor caiu em uma propriedade rural, na localidade de Santa Bárbara, a cerca de quatro quilômetros do centro de Veranópolis.

— A informação que temos é que o Marcelo ligou para o aeroclube para pedir socorro. Em função do acidente, ele estava um pouco desorientado, o que dificultou um pouco a localização do avião — conta Baldissera.

Os destroços do avião, segundo Baldissera, estavam no meio de um matagal, o que dificultou a operação de socorro.

As vítimas foram encaminhadas ao Hospital São Pelegrino Lazziozi. Zatt morreu logo após chegar ao local. Censi passa por atendimento, mas seu estado de saúde é considerado estável.

O vice-presidente do Aeroclube de Veranópolis, Alberto Pinzetta, conta que o monomotor, modelo Dynamic WT-9, é classificado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) como experimental. A aeronave, conforme Pinzetta, pertencia a Zatt e partiu da pista do aeroclube por volta das 16h para um voo panorâmico. Segundo registros da Anac, o avião estava com situação em dia.

— O João era um cara que gostava muito de aviação e foi proprietário de várias aeronaves. Esse avião em que ele estava era muito lindo — conta Pinzetta.

O acidente será investigado pela Polícia Civil de Veranópolis.

Zatt foi idealizador da Torre Mirante da Serra e de outras edificações no município, além de ter sido secretário de Indústria e Comércio.

fonte/foto/ZeroHora

Dados da aeronave via RAB

MATRÍCULA: PUPPP
 
 
Proprietário:
J. Z. CONSTRUCOES LTDA - EPP
CPF/CGC:

Operador:
J. Z. CONSTRUCOES LTDA - EPP
CPF/CGC:

 
Fabricante:

Modelo:
DYNAMIC WT-9
Número de Série:
K47
Tipo ICAO :
ULAC
Tipo de Habilitação para Pilotos:

Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
600 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
001


Categoria de Registro:
PRIVADA EXPERIMENTAL
Número dos Certificados (CM - CA):
120328
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
240613


Data de Validade do CA:

Data de Validade da IAM:
ABORDO
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 22/09/2014 07:38:40

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...