quarta-feira, 5 de outubro de 2016

RYANAIR ADIMITE 1.300 PILOTOS, 2000 COMISSÁRIOS E 250 MECÂNICOS EM 2017


A Ryanair anunciou nesta terça-feira, dia 4 de outubro, que vai criar no próximo ano mais 3.550 postos de trabalho nas suas 84 bases operacionais da Europa.

A companhia aérea irlandesa de baixo custo vai receber nos próximos 12 meses 50 novos aviões e isso implica a admissão de mais 2.000 tripulantes de cabina, 1.000 pilotos, 300 co-pilotos e 250 engenheiros e mecânicos aeronáuticos.

Por isso, refere o comunicado, a Ryanair incita os interessados que tenham habilitações e que pretendem trabalhar com a companhia aérea irlandesa de baixo custo, a se inscreverem no seu site e a deixarem as suas inscrições.

A Ryanair está a fazer um esforço muito grande para selecionar e admitir mais profissionais, nomeadamente pilotos habilitados para voar o Boeing 737, pois é conhecida a falta de profissionais no mercado, situação que poderá agravar-se em breve, dado o recente anúncio de que as companhias chinesas irão admitir, nos próximos dois anos, cerca de 100 pilotos por semana para aviões comerciais com lotação para mais de uma centena de passageiros.

Além dos pilotos e pessoal diretamente ligado à operação aérea, a Ryanair anuncia que irá criar nas próximas semanas novos postos de trabalho em diversas áreas, os quais exigirão pessoas com formação em Novas Tecnologias, Informática, Finanças, Marketing e Comercial, para as suas bases em Dublin (República da Irlanda) e Wroclaw (Polónia).

A companhia tem ainda em curso um programa de admissão de estagiários em diversas áreas, que pretende cativar os jovens saídos das universidades e das escolas tecnológicas, incluindo as escolas de pilotos.

A Ryanair que atualmente tem uma frota estimada em 355 aviões, segundo o comunicado da empresa, espera estar a trabalhar com 500 aeronaves dentro de cinco anos, com a chegada dos primeiros Boeing 737 MAX já encomendados pela empresa. Até 2021 serão admitidos mais 5.000 funcionários, prevê a empresa.

Os interessados em candidatar-se às novas oportunidades de carreira na aviação comercial e na companhia europeia, poderão visitar o site da companhia (careers.ryanair.com) onde terão toda a informação sobre os requisitos exigidos, as condições oferecidas e os procedimentos a seguir.

Recorde-se que a Ryanair, através da ‘Crewlink’, empresa que seleciona o pessoal de cabina da companhia, irá realizar sessões de esclarecimento e entrevistas a candidatos no corrente mês de outubro, e também em novembro, em quatro cidades portuguesas, para as quais os interessados poderão também se candidatar.

fonte/NewsAvia

CINCO MIL PESSOAS LANÇAM CAOS NO AEROPORTO DE STANSTED

Mais de cinco mil passageiros desesperados para passarem o controlo de passaportes, cerca da meia noite desta segunda-feira, lançaram o caos no Aeroporto de Stansted, em Londres.
 
Segundo a edição desta terça-feira do "Daily Mail", os passageiros que tentavam entrar na capital britânica viveram momentos de desespero, com crianças a chorar, ânimos exaltados e até algumas cenas de violência, devido à longa espera.

Alguns passageiros deram conta nas redes sociais do caos que se viveu nas chegadas daquele que o aeroporto mais movimentado do Reino Unido (17,5 milhões de passageiros por ano), devido ao grande volume de chegadas de voos "low cost".

Hannah Wright partilhou no Twitter a sua revolta por, depois de um voo atrasado, ter sido obrigada a enfrentar "filas terríveis" no controlo de fronteiras, o que a fez perder o último serviço de Stansted Express. "Devem-me um bilhete de comboio de regresso não utilizado devido à terrível gestão de filas, que me fez perder a última ligação para Londres", escreveu.

Outro viajante escreveu na mesma rede social: "Quando o final das suas férias se transforma em porcaria porque em Stansted Airport são incapazes de funcionar de forma eficiente".

Os registos mostram que mais de 40 voos aterraram entre 22 horas e a meia-noite em Stansted na noite de segunda-feira, sendo a maioria operados pela EasyJet e Ryanair, companhias de baixo custo. Os próprios funcionários do aeroporto confirmam que as noites de segunda-feira são dos períodos mais movimentados, devido ao regresso de muita gente que aproveitou os preços "low cost" para passar o fim de semana fora.

Segundo o "Daily Mail", aos passageiros está a ser oferecida a possibilidade da cobrança de uma taxa de 17,50 libras (cerca de 20 euros) para evitar longas filas no aeroporto em pontos de controlo de passaporte.

Já no verão, registraram-se longas esperas no controlo de passaportes em outros aeroportos do Reino Unido, com algumas filas de 600 pessoas em Manchester, em agosto. Os passageiros queixaram-se então de esperas superiores a hora e meia.

fonte/JN.pt

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...