quinta-feira, 6 de março de 2014

PILOTO ABORTA DECOLAGEM APÓS CAÇA SER ATINGIDO POR PEIXE....FISH STRIKE....RS RS


Incidente ocorreu em base em Tampa, na Flórida.
Peixe caiu das garras de águia e se chocou contra avião.

 Um piloto de um caça americano precisou abortar a decolagem depois que um peixe caiu do céu e atingiu a aeronave. 

O comandante Nick Toth estava no meio da pista de uma base na Flórida, quando um peixe caiu das garras de uma águia e se chocou contra o avião.Inicialmente, Toth não percebeu que o avião havia sido atingido pelo peixe. Ele abortou a decolagem ao ouvir um estrondo. 

No entanto, após descer para verificar a pista, ele encontrou um sargo-de-dentes de 23 centímetros."Estávamos chegando ao ponto da decolagem, quando uma águia com algo em suas garras voou na frente da aeronave", disse Toth, que pensou que a ave de rapina tinha se chocado com aeronave.

O incidente aconteceu no ano passado em uma base em Tampa, na Flórida, mas foi divulgado nesta semana pela agência "Associated Press".

 

fonte/G1/foto/MacDil Air Force Base

 

AVIÃO QUE SEGUIA DE MIAMI PARA BELO HORIZONTE VOLTA AO AEROPORTO APÓS PROBLEMAS MECÂNICOS

Passageiros de um vôo de American Airlines que seguia de Miami para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande BH, passaram por um susto na madrugada desta quinta-feira. Eles embarcaram no voo 991 às 23h40 (horário dos EUA) com previsão de chegada em Minas Gerais às 9h40 (horário do Brasil), no entanto um cheiro de queimado na aeronave impediu a viagem.

Segundo passageiros, cerca de 30 minutos depois que o avião levantou voo, eles foram avisados de que voltariam para o aeroporto de Miami por causa de problemas mecânicos. A aeronave pousou em uma área isolada da pista e houve uma inspeção do Corpo de Bombeiros, que durou cerca de 30 minutos.

Depois da vistoria, os passageiros voltaram para a área de embarque - escoltados por bombeiros e policiais - onde aguardariam a substituição do avião. Filas enormes se formaram no saguão.

No entanto, foram informados que só embarcariam às 12h35 desta quinta-feira. Conforme os passageiros, inicialmente a companhia aérea informou que haveria hotel e alimentação para todos, no entanto, clientes foram avisados de que dormiriam no auditório do aeroporto de Miami, pois não haveria hospedagem.

A jornalista Fernanda Borges, que estava no voo com marido, ficou inconformada com o tratamento da companhia aérea.“Dormimos no chão e estava muito frio. Ficamos sem alimentação porque estava tudo fechado do aeroporto. Deram um voucher de 24 dólares para alimentação, mas estava tudo fechado. As lojas abriram às 7h50 (horário de Miami). O auditório tinha mal cheiro e ficou cheio”, conta. Ela está em Miami desde domingo em viagem de férias. Ela ainda lembrou que achou o avião muito estranho na decolagem, porque balançava muito. “Estava muito instável”, relata.

Os advogados Giovanni Mati, Marcos Silva e Regina Viana, também são passageiros, e vão perder uma audiência importante em Belo Horizonte por causa do problema no voo. Eles também dormiram no chão do terminal em Miami e receberam um voucher de 7 dólares cada um.

Uma família inteira, com 27 pessoas, estava no voo da American Airlines e havia alugado um microônibus par busca-los em Confis, porque são de Juiz de Fora, na Zona da Mata de Minas. Eles perderam transporte combinado. Outra pessoas estão viajando de outras cidades dos Estados Unidos e já passaram de 24 horas em trânsito, por isso ficaram exaustas.

Os passageiros também reclamam que estão sem as malas e o dinheiro oferecido pela empresa à maioria dos clientes – 7 dólares – não é suficiente nem mesmo para um sanduíche com café que custa 17 dólares.

Até os passageiros da primeira classe dormiram no chão e somente aqueles que quiseram pagar hospedagem, foram para hotéis da cidade. Até 9h, no site da Infraero, ainda havia confirmação de chegada do voo com horário previsto para 9h55. Pouco depois, a informação foi atualizada com status de voo "atrasado".

O em.com.br está tentando falar, por telefone, com a assessoria a American Airlines, mas ainda não conseguiu contato. 

fonte/EstadoDeMinas

PASSAGEIROS DA ETIHAD ESTÃO HÁ MAIS DE 6 HORAS DENTRO DE AVIÃO NO MEIO DO DESERTO


O empresário brasileiro Josmar Verillo usou as redes sociais nesta quinta-feira, 6, para informar que ele e outros passageiros do voo EY 867, da Etihad Airways, empresa área dos Emirados Árabes Unidos, estão há mais de seis horas a bordo de um avião que seguia de Xangai a Abu Dabi. A aeronave pousou na cidade de Al Ain, localizada no meio do deserto, sem a tripulação explicar o motivo. 

Segundo Verillo, os passageiros estão sem comida, com os banheiros em "estado miserável" e sem previsão de decolagem. Ainda de acordo com o empresário, aparentemente a companhia está esperando outra tripulação para o avião, "mas não chega e não tem previsão" de chegada.

Aos passageiros, a empresa enviou a seguinte nota: "Estamos conscientes dos problemas enfrentados e estamos tentando corrigi-los o mais rapidamente possível. Nós iremos fornecer uma atualização o mais rápido que pudermos. Obrigado por sua paciência".

fonte/EstadoSP

PILOTO DE MONOMOTOR É OBRIGADO A FAZER POUSO FORÇADO EM NOVA ERA


Um piloto de um monomotor foi forçado a fazer um pouso de de emergência na tarde dessa terça-feira (4), na zona rural da cidade de Nova Era. Segundo informações da Polícia Militar, o avião de pequeno porte era pilotado por Marcílio Morais Albeny, de 59 anos, que mora em Coronel Fabriciano (MG).

Albeny informou para polícia que ele precisou fazer a parada de emergência, devido a problemas na parte mecânica do monomotor.

O piloto fez o pouso forçado quando sobrevoava a região do bairro Vila Santa Rosa, a 800 metros do perímetro urbano. Ainda de acordo com a PM, Marcílio estava na cidade de São Domingos do Prata e viajava só.

Militares disseram ainda que em 1992 Marcílio Morais sofreu outro acidente, quando estava a sete mil pés de altura a bordo do jato Xingu PT-EMN, do Governo mineiro, quando teve a mão esquerda decepada pela corrente de aço da escada do embarque do aparelho, que se abrira durante o vôo.

Já no acidente dessa terça-feira, Marcílio teve ferimentos leves pelo corpo e foi socorrido pelo Grupo de Atendimento Voluntário de Emergência e encaminhado para o Hospital São José, em Nova Era. O piloto foi liberado horas após dar entrada no pronto atendimento.

fonte/G1

AVIÕES DA LAN E GOL BATEM NO SOLO EM AEROPORTO DE BUENOS AIRES


Um avião da companhia aérea Lan Argentina e um da brasileira Gol bateram na terça-feira (4) à noite aeroporto Jorge Newbery, na capital argentina, informou a imprensa local, acrescentando que não houve vítimas.

O incidente aconteceu por volta das 23h (horário local e de Brasília) e teve como protagonistas um aparelho da companhia chilena, procedente de Tucumán (norte argentino) voo 4157, que durante o taxi para o Gate 19, colidiu com o Boeing 737-800, prefixo PR-GGD, voo G3 7865, que retornava para São Paulo.

A aeronave da Gol, um Boeing 737-800, bateu o winglet esquerdo (um dispositivo aerodinâmico situado no extremo da asa) contra o leme de profundidade direito do Airbus A320 da LAN. Ambos os aparelhos sofreram danos, de acordo com a imprensa local.

A Junta de Acidentes de Aviação investiga as causas do incidente. O terminal aéreo continuou operando normalmente.

Um incidente semelhante aconteceu em fevereiro de 2012, quando o winglet de um GOL B737-800 atingiu a APU de um A320 LAN Argentina em Buenos Aires-Aeroparque Jorge Newbery.

ASN/AFP/UOL/foto/Via Twitter

AMERICAN AIRLINES É CONDENADA POR HUMILHAR PASSAGEIRO DENTRO DE AVIÃO


A companhia aérea American Airlines foi condenada pela 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado ao pagamento de indenização para passageiro no valor de R$ 30 mil. O autor da ação, um homem não identificado, relatou que sofreu retaliações e foi humilhado por ter se levantado para ir até o banheiro.
Ele afirmou que estava voltando de uma viagem para Miami com a mulher e que, após o embarque, tiveram que permanecer por cerca de três horas dentro do avião sem poder levantar, sem alimentação e sem qualquer tipo de explicação a respeito do que estava acontecendo. Mas a série de agressões verbais e ofensas por parte da tripulações teriam surgido quando, devido a um problema de saúde, ele necessitou ir ao banheiro. O homem chegou a ser advertido por escrito que suas atitudes gerariam a expulsão da aeronave.
Após sete horas de espera, houve a confirmação do cancelamento do voo, e os passageiros teriam sido encaminhados a um hotel e recebido dois vouchers de alimentação, os quais não foram utilizados, pois o restaurante do hotel já estava fechado.
No dia seguinte, quando o casal conseguiu chegar ao aeroporto de Guarulhos, escala para o destino final em Porto Alegre, o autor verificou que sua mala havia sido extraviada. Eles tiveram de pernoitar em São Paulo, sem os objetos pessoais da mala, que só vieram a ser entregues no dia seguinte, na capital gaúcha.
Na Justiça, o autor requereu indenização pelos danos morais e materiais. Inicialmente, a companhia foi condenada ao pagamento de indenização no valor de R$ 4 mil, mas o casal recorreu da decisão e solicitou o aumento do valor, que chegou à quantia de R$ 30 mil.
De acordo com a desembargadora Ana Lúcia Carvalho Pinto Vieira Rebout, relatora do recurso no TJ, e que concedeu a elevação da multa, a defesa da empresa rebateu superficialmente as acusações do autor, buscando justificar a conduta dos tripulantes como necessidade de manutenção da boa ordem e disciplina a bordo.
— O contexto revelou o verdadeiro calvário vivido pelo apelante, com os desdobramentos que são da natureza do contexto relatado — estresse, indignação, sentimento de impotência, de revolta, de desamparo e outros tantos — completou a desembargadora.

fonte/ZH

JUSTIÇA CONDENA TAM A INDENIZAR ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA EM CASO DE TRAGÉDIA EM 2007



A 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenou a TAM ao ressarcimento de danos materiais a escritório de advocacia que perdeu três integrantes na tragédia do voo 3054, ocorrida no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, em 17 de julho de 2007.

A Edison Freitas de Siqueira Advogados Associados ajuizou ação por danos morais e materiais, no valor de R$ 32,9 mil, pela morte da sócia e diretora superintendente Fabiana Amaral, da gerente jurídica Nádia Bianchi Moyses e a da gerente de controladoria e estratégia nacional, Soraya Machado Charara, que iam a São Paulo participar de um seminário jurídico.

A decisão de primeiro grau negou o dano moral, por entender que o autor é pessoa jurídica que não sofreu abalo de honra e de seu bom nome, e determinou o pagamento dos danos materiais, no valor das passagens e dos três notebooks que as passageiras portavam.

Na defesa, a empresa argumentou que danos materiais são indenizados aos familiares das vítimas na forma do pagamento de despesas de funeral e alimentos aos herdeiros e que o autor não comprovou que as funcionárias portavam notebooks porque o equipamento não havia declaração de conteúdo da bagagem. As duas partes recorreram. O tribunal confirmou a sentença no final de fevereiro.

fonte/ZeroHora

CASAL COM BEBÊ DE TRÊS MESES É DETIDO EM MIAMI APÓS CONFUSÃO COM LUGARES NO VOO


O voo JJ8091 da TAM, que seguia de Miami para São Paulo na última segunda-feira, foi marcado por uma confusão e constrangimento para passageiros. Um casal, acompanhado do filho de três meses, comprou o assento conforto e um berço para a viagem, mas ao embarcar eles constataram que os lugares eram outros, impossibilitando a acomodação do lugar para o menino.

O engenheiro Claudio Muller, de 39 anos, que estava no mesmo voo, relatou que eles reclamaram com os comissários, mas sem arrumar confusão, já que pagaram por um serviço que não conseguiram.
- As aeromoças pediram para os clientes mudarem de lugar para acomodar os três. Como ninguém trocou, o despachante de voo (da TAM) disse que eles teriam que viajar com o bebê no colo. Os pais estavam calmos, mas a mãe disse que não tinha como ficar com o menino por dez horas no colo - contou Claudio.

A orientação do despachante foi que eles deixassem a aeronave, mas o marido afirmou que só desceria com alguma uma proposta da TAM.
- O funcionário disse que se eles não aceitassem chamaria a polícia. A polícia americana veio e levou os três para fora. As comissárias da TAM pediram para os passageiros ajudarem porque eles seriam presos. Os passageiros mudaram de assento para colocar o berço. Com os lugares, os três voltaram para o voo. O policial que trouxe eles de volta pediu desculpas e informou que a empresa estava errada, mas tinha que autuá-los pela desordem no voo - relatou o passageiro.

Enquanto o avião ainda taxiava pela pista, um outro passageiro passou mal, e a aeronave retornou para o aeroporto para o atendimento médico. No total, foram duas horas de atraso. A aeronave chegou em São Paulo na manhã da última terça-feira. O relato feito nesta terça-feira por Claudio Muller, em uma rede social, já foi compartilhado por mais de 4 mil pessoas.
Questionada, a TAM explicou que ainda investiga o caso. "A TAM afirma que está apurando o caso e, se acionada pelos clientes, prestará todos os esclarecimentos necessários", informou a empresa.

fonte/OGlogo/ZH

BRASIL DISCUTE TRASNFERÊNCIA DE TECNOLOGIA COM OS NOVOS CAÇAS

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação iniciou tratativas com a fabricante sueca Saab para elaborar plano de transferência de tecnologia associada ao desenvolvimento dos aviões de combate Gripen NG, anunciados em dezembro como futuros caças da FAB (Força Aérea Brasileira). 
 
O ministro Marco Antonio Raupp se reuniu em Brasília, no dia 18 de fevereiro, com o presidente da empresa, Hakan Buskhe, para tratar do assunto.

O MCTI vai colaborar no processo em conjunto com o Ministério da Defesa.

Raupp disse a O VALE que a transferência de tecnologia se dará principalmente com a cadeia produtiva aeronáutica, liderada pela Embraer --empresa sediada em São José dos Campos.
“A Embraer e as demais empresas da cadeia é que vão receber essa transferência”, afirmou o ministro, ex-diretor do Parque Tecnológico de São José.

Fomento. Segundo Raupp, o MCTI estuda a possibilidade de criar um programa especial para essa finalidade, a exemplo dos implantados para apoiar a indústria de Defesa, o Inova Aerodefesa.
“A minha proposta é criar um programa específico para cuidar da transferência de tecnologia dos caças para a indústria nacional”, frisou.
Na reunião com os executivos da Saab, Raupp definiu o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Alvaro Prata, como interlocutor nas discussões com a fabricante sueca.
Também determinou ao secretário executivo do ministério, Luiz Antonio Elias, e ao chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais da pasta, Franklin Netto, que acompanhem de perto os desdobramentos da cooperação.
“A Saab tem muita tradição em investir em pesquisa e desenvolvimento, com um portfó-lio muito grande associado a invenções”, disse Prata após a reunião, ao citar como exemplo o ‘air bag’ concebido pela companhia sueca, inicialmente para uso militar.
No âmbito do Ministério da Defesa, o programa de transferência de tecnologia da Saab será tratado pelo Comando da Aeronáutica.

Contrato. Denominado como F-X 2, o programa de renovação da frota de caças da FAB foi finalizado em dezembro do ano passado, após mais de 15 anos de lançamento.
A presidente Dilma Rousseff (PT) bateu o martelo em favor do caça sueco.
Também estavam na disputa o francês Rafale, da Dassault, e norte-americano F-18 Super Hornet, da Boeing.
O valor da compra de 36 caças será de US$ 4,5bilhões.
As bases e o detalhamento do contrato do Brasil com a Saab serão formatados ao longo deste ano. A previsão inicial do governo é que ele seja assinado até o final do ano.
Os primeiros caças serão entregues a partir de 2019. A entrega prosseguirá até 2023. A primeira aeronave tem previsão de chegada em torno de 48 meses após a assinatura do contrato de financiamento, em dezembro de 2014.

Montagem. A Saab vai montar uma parte dos caças no Brasil. A previsão é que isso seja feito em parceria com a Embraer, na fábrica de Gavião Peixoto, onde está sediada a linha produtiva da Embraer Defesa e Segurança.
A Saab também vai produzir parte a aeronave na fábrica que irá construir em São Bernardo do Campo.
Abimde acompanha o processo A Abimde (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) acompanha, do ponto de vista institucional, o processo de compra dos caças.
Em nota, o presidente da entidade, Sami Youssef Hassuani, informou que ainda não conhece as propostas, uma vez que o processo é sigiloso.
“Confiamos plenamente que a Força Aérea Brasileira fez a escolha que melhor atenderá o Brasil, tanto do ponto de vista operacional quanto industrial”, afirmou o presidente da Abimde, que também comanda a Avibras, de São José.
Na avaliação da entidade, a transferência de tecnologia e seu impacto nas empresas do setor ainda serão definidos durante as negociações da FAB com a empresa vencedora.
Hassuani avalia que esse será um processo longo.
“Diversas empresas estão envolvidas neste processo e a Abimde tem feito um acompanhamento institucional.”
Especialistas fazem ressalvas a projeto O especialista em assuntos militares Expedito Bastos tem dúvidas quanto à transferência de tecnologia do programa F-X2. “Acho difícil, pois muitos equipamentos do Gripen são importados dos EUA”. Para Ozires Silva, ex-presidente da Embraer, o Brasil, “em vez de comprar os caças, deveria incentivar o desenvolvimento de um modelo nacional”.

SAIBA MAIS SOBRE O GRIPEN NG
Fabricante: Saab (Suécia)

Comprimento: 14,1 metros

Altura: 4,5 metros

Envergadura da asa: 8,6 metros

Peso máximo: 16,5 toneladas

Alcance máximo: 4.000 quilômetros

Velocidade: 2.200 km/h

Armamento: 1 canhão de 27 mm, 6 toneladas de bombas e mísseis

Custo de voo: US$ 4.700 por hora (aproximadamente R$ 11.000)

Características: O Gripen foi desenhado para fazer pousos e decolagens em pistas pouso pavimentadas de comprimento limitado, com até 1.000 metros. É equipado com o radar multimodo Ericsson PS-05/A, com funções de busca e rastreamento de alvos múltiplos, navegação, mapeamento do terreno e ataque.

fonte/OVale

COMPANHIA AÉREA FAZ VOOS SÓ COM TRIPULAÇÃO FEMININA


Companhia aérea faz voos só com tripulação feminina Divulgação/Universal
Em Voando Alto, Gwyneth Paltrow interpretou personagem que sonhava em ser aeromoça Foto: Divulgação / Universal

Inspirada pelo Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março, a companhia área Gol resolveu inovar e homenagear suas funcionárias com cinco voos de tripulação exclusivamente feminina. Fique atenta se você for viajar de ou para São Paulo na sexta-feira, dia 7.

Partindo dos aeroportos de Guarulhos e Congonhas, as viagens terão como destino as capitais Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Rio de Janeiro e Brasília. O retorno dos voos comemorativos será apenas no aeroporto de Congonhas, quando todas as 25 mulheres escaladas se encontrarão. 

fonte/ZH

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...