quarta-feira, 12 de setembro de 2012

BRASIL MODERNIZA DEFESA DA GUIANA E DO SURINAME

A estrutura da Defesa da Guiana e do Suriname, os dois menores países da fronteira norte do Brasil, será modernizada com o suporte da indústria e das organizações militares do País. Na terça-feira (11), o ministro da Defesa, Celso Amorim, esteve em Georgetown, a capital da Guiana, com o presidente, Donald Ramotar, e o secretário de Defesa, Roger Luncheon. Na pauta, a necessidade de aumentar a vigilância da fronteira. Mais tarde, com a ministra de Relações Exteriores, Carolyn Rodrigues-Birkett, foi discutida a preocupação de ambos os governos com o crescente número de garimpeiros clandestinos, "perto de 35 mil na região", conforme o porta-voz, Edmond Blond.

Há mais do que isso. As Forças de Defesa da Guiana têm 1.100 militares - 900 homens e mulheres no Exército, 100 na Aeronáutica e 100 na Marinha; Guarda Costeira e Patrulha Fluvial, basicamente. A população total é estimada em 800 mil pessoas.

A tropa já usa equipamento do Brasil. São 6 velhos Cascavel armados com canhão de 90 mm, e 11 blindados Urutu, de transporte anfíbio. Para melhorar a segurança da divisa com o Brasil, será necessário criar ao menos um esquadrão aéreo de ataque leve, dotado dos turboélices Super Tucano, da Embraer.

Além disso, o intercâmbio de oficiais nos centros militares de formação e especialização brasileiros está em negociação. A Guiana tem uma certa preocupação com a Venezuela, que mantém em aberto uma pendência territorial na tríplice fronteira com o Brasil. A FAB construiu uma pista a 6,5 quilômetros dos territórios dos dois vizinhos.

Amorim chega nesta quarta-feira pela manhã a Paramaribo, capital do Suriname. Há sete meses, o ministro da Defesa surinamês, Lamouré Latour, esteve com o colega brasileiro na fábrica da Embraer, em São José dos Campos (SP). Na agenda, a aquisição de dois a quatro Super Tucanos. navios-patrulha leves, de 500 toneladas, e a revitalização da frota de blindados fornecidos pelo Brasil em 1983.

"De quebra, gostaria de ter acesso aos dados captad0s pelo Sistema de Proteção da Amazônia", disse o presidente Dési Bouterse. Aí, acreditam especialistas, há um problema. O DEA, principal agência americana de repressão ao narcotráfico, qualifica o país de 487 mil habitantes e 1.840 soldados como importante conexão das rotas internacionais de circulação de cocaína. 

fonte/EstadoSP

MODERNIZAÇÃO DO AEROPORTO SALGADO FILHO DECOLA

A novela que se estende há 15 anos, cujo enredo inclui promessas e adiamentos para a construção de um sistema que permita operações em dias de nevoeiro no Salgado Filho, pode ter nova data para terminar. Conforme a Infraero, a previsão de entrega das obras de modernização do terminal, avaliadas em R$ 40 milhões, é novembro de 2013. 

As melhorias formam os ingredientes necessários para a homologação do Instrument Landing System (ILS, ou sistema de pouso por instrumentos) na categoria 2. Esse equipamento é um sinal eletrônico enviado a partir da cabeceira da pista para direcionar o avião no momento do pouso. 

Um dos sistemas em instalação é o ALS 2 (Approach Lighting System, ou luzes de aproximação), que cria uma rampa luminosa para o piloto enxergar a pista. As luzes indicam o eixo, o ponto de toque do avião e a saída em direção ao terminal de passageiros. Para que essa ladeira brilhante funcione, são necessárias diversas adaptações. 

A primeira já começou com a substituição das torres de sustentação das luzes de aproximação. Mas as obras mais robustas devem se iniciar até o fim do mês, incluindo a iluminação de LED embutida na pista e o alargamento do acostamento. Hoje, os pousos são feitos com base nas luzes de aproximação antigas, que estão sendo substituídas por lâmpadas mais brilhantes. 

– Se o pouso é feito completamente no escuro, não se tem noção de onde se vai, guiado apenas por instrumentos da aeronave. Quando se coloca um sistema de luminárias, o piloto, na hora de descer, verá um campo iluminado. Esse conjunto visual, somado ao de instrumentos, vai proporcionar um pouso mais seguro – explica Adilson Teixeira Lima, gerente regional de engenharia da Infraero.
Quando o novo sistema funcionar, transtornos como os de abril e maio, quando o aeroporto ficou mais de 18 horas fechado, tendem a diminuir.

– A liberação do equipamento é feita pela aeronáutica e pela Anac, que precisarão de algum tempo depois do término da obra para autorizar a utilização do sistema – diz Lima.
A Infraero garante que não haverá a necessidade de paralisar as operações no aeroporto, já que os trabalhos serão realizados da 1h às 5h45min.

PLANO DE VOO
Em andamentoSubstituição do sistema Approach Lighting System (ALS, ou luzes de aproximação)
Além de iluminação mais eficiente, os postes são mais adequados para uma cabeceira de pista. Saem as barras rígidas e entram torres frangíveis (que quebram facilmente no caso de um acidente com aeronave). As estruturas foram finalizadas e aguardam apenas a substituição das luminárias.
Valor: R$ 8 milhões

A começarAlargamento do acostamentoA pista já tem 45 metros de largura necessários para a homologação das autoridades aeronáuticas, mas precisa acrescentar 7,5 metros para cada lado, que servirá de acostamento.
Valor: R$ 9 milhões

Reconstrução do taxilane do terminal 2É o local onde os aviões circulam antes e depois do pouso. A obra, que compreende área de 9 mil metros quadrados, consiste na substituição dos blocos de concreto com espessura média de 25 centímetros. Serão colocadas placas novas com o dobro do tamanho. Também serão instaladas 35 luminárias de LED de cor verde, com 20 centímetros de diâmetro, chamadas de iluminação de eixo.
Valor: R$ 6 milhões

Luzes no centro da pistaLuminárias embutidas na pista principal e nas cinco vias de taxiway (área para deslocamento antes e depois do pouso), que indicam onde está o centro da faixa, iluminando toda a sua extensão e facilitando a localização também do início e do fim da pista.
Valor: R$ 18 milhões.

fonte/ZeroHora

NOVIDADES.....

Apple aprimora cartão de embarque no iPhone5

Passbook é o nome do novo aplicativo que a Apple instalará no iPhone5, criando um novo tipo de cartão de embarque. O novo aplicativo poderá ser usado tanto como cartão de embarque quanto para o seguimento dos programas de milhagem dos passageiros ou ainda para o caso de cupons de descontos. Além de armazenar o cartão de embarque do passageiro, o aplicativo alertará para alterações no voo das companhias adaptadas a sua utilização, o que já foi confirmado pelas norte-americanas American Airlines e Delta Airlines.

A principal novidade da Apple para o setor de viagens e turismo, no entanto, ainda deve demorar um pouco mais. O iTravel, que permitirá a aquisição de pacotes turísticos na loja on-line da Apple, a iTunes, ainda não tem data para seu lançamento.



Aeroporto de São Luís terá nova sinalização

A Infraero realizou ontem (segunda-feira, dia 10) um pregão eletrônico para contratar a instalação de nova sinalização vertical e comunicação visual no terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de São Luís/Marechal Cunha Machado. O lance vencedor para a execução dos trabalhos foi de R$ 298,2 mil.

Os serviços são os seguintes: substituição das placas e dos totens de sinalização que indicam as localidades dos serviços e das áreas do terminal, como praças de alimentação, embarque e desembarque, sinalização de sanitários e áreas de estacionamento, entre outros. As melhorias envolverão também a sinalização do acesso viário ao aeroporto. As novas placas apresentarão as informações em português e inglês.

O prazo estabelecido em edital para a instalação das novas sinalizações é de 120 dias após a emissão da Ordem de Serviço, sendo 30 dias para a execução dos serviços e mais 90 dias para a checagem e possíveis ajustes nos trabalhos realizados. 
 

Korean utiliza avião maior na rota GRU-LAX

Um dos 777-300 da frota da Korean Air (foto divulgação Boeing)
(foto divulgação Boeing)
 
A partir do dia 30 de outubro, a Korean Air vai utilizar um avião maior na rota entre São Paulo (GRU) e Los Angeles (Estados Unidos): sai o Boeing 777-200, para 261 passageiros, e entre o Boeing 777-300, para 291 passageiros.

A aérea sul-coreana voa três vezes por semana para Los Angeles – às terças, às quintas e aos sábados. Mais informações no escritório da Korean em São Paulo: tel. (11) 3525-6700/6701
 
fonte/PANROTAS
 

AIRBUS E BOEING LANÇAM JATOS MAIS EFICIENTES

Com a promessa de redução de custos com combustível da ordem de 13% a 15% nos aviões das famílias 737 e A320, Boeing e Airbus estão batendo recordes de vendas. 

A disputa comercial está tão acirrada que as fabricantes estão fazendo propostas agressivas para clientes da empresa concorrente. 

A Folha apurou que a aérea Gol, que opera exclusivamente aviões da americana Boeing, foi procurada pelas duas fabricantes e estaria avaliando propostas. 

A TAM, que no mercado doméstico opera apenas aviões da europeia Airbus, já se decidiu pelo neo, a versão otimizada do Airbus-A320. A empresa, que agora pertence ao grupo Latam, com sede no Chile, encomendou 22 aviões da nova versão, com entregas previstas entre 2016 e 2018. 

Se quiser manter a idade média de sua frota, hoje de sete anos, e manter-se competitiva diante da previsão de redução de custos de sua principal concorrente, a Gol, terá de fazer encomendas antes do fim do ano. 

Esse é o prazo para as companhias encaixarem pedidos no cronograma de entregas de 2017. Soma-se a isso o fato de que o último avião que a Gol tem a receber da Boeing, de encomendas passadas, será entregue em 2016. 

Procurada, a Gol confirmou que está analisando a possibilidade de encomendar aviões, mas disse que não há nenhuma decisão tomada. 

O Boeing-737 e o Airbus-A320 são aviões de um corredor, usados em voos domésticos ou de curta distância. Cerca de 70% dos aviões vendidos pela Boeing e pela Airbus são de um corredor. 

As fabricantes estimam que, nos próximos 20 anos, as aéreas deverão adquirir entre 19,5 mil e 23,2 mil aeronaves de um corredor, movimentando de US$ 1,6 trilhão a US$ 2 trilhões. A previsão mais otimista é da Airbus. 

Max e neo custam cerca de US$ 100 milhões cada, aproximadamente 10% mais do que as versões atuais. 

Um mercado de margens extremamente apertadas - de 0,5%, na média global este ano - explica o sucesso de vendas das novas versões, que trazem motores mais eficientes e menos poluentes e são mais silenciosos. 

Não por outra razão, o Airbus-A320neo se transformou no avião de maior sucesso na história da aviação: foram 1.534 encomendas em menos de dois anos. 

A Airbus se beneficiou da falta de definição da Boeing, que inicialmente planejava desenhar um avião novo. "O modelo novo seria ainda mais eficiente, mas demoraria mais tempo para chegar ao mercado", disse à Folha David Kell, diretor regional de produtos da Boeing, empresa que hoje celebra 80 anos de Brasil. "Nossos clientes indicaram que tinham pressa." 

Apesar do atraso, o Boeing-737 MAX vendeu em um ano 649 unidades, pouco menos do que que o 737NG vendeu em cinco anos (724). Lançado em 1993, o 737NG representou uma melhoria, na época, de 14% em relação ao modelo clássico e acumula 6.260 pedidos. O modelo foi sendo atualizado e hoje exibe vantagem de eficiência de 4% sobre o Airbus-A320.

fonte/Arte/FolhaSP.

Boeing versus Airbus
Boeing versus Airbus

O PRIMEIRO BOEING 747 PRECISA DE UM NOVO LAR




Abandonado em um canto do campo da Boeing, próximo a Seattle, o 747 RA001 espera uma necessária e urgente restauração. Para a marca que produziu mais de 1.400 destes aviões, manter o primeiro de todos em tal estado de abandono é um tanto vergonhoso. O 747 é o avião que revolucionou as viagens em jatos comerciais, serviu à Força Aérea dos EUA e até transportounum ˆpnibus espacial da NASA nas costas.

Em seu auge o 747 número 1, hoje com 43 anos, completou mais de 12.000 voos de teste, respondendo às dúvidas que o mundo tinha sobre algo tão grande ser capaz de voar. Quando ele saiu da linha de produção, não havia motores potentes o bastante para levar todo aquele tamanho à velocidade máxima. Em pouco tempo a Pratt & Whitney conseguiu extrair um pouco mais de potência dos motores turbofan, levando o avião à velocidade máxima para a qual foi projetado: 640 km/h.

O número 1 sempre foi uma casca quase vazia, não fosse o cockpit com instrumentos analógicos antigos e controles manuais de voo, e uma sala de trabalho com poltronas laranja com cinzeiros embutidos. Mas nos últimos anos, a famosa chuva de Seattle e vários moradores de rua que usavam a parte traseira do avião como banheiro o trouxeram à sua atual (e patética) condição.



A restauração do interior deste avião de 70 metros custaria 1,2 milhão de dólares (2,4 milhões de reais), e para colocá-lo de volta nas nuvas seria preciso muito mais. Mas o curador do Museum of Flight tem esperança de que logo alguém traga o velho pássaro de prata de volta à vida antes que seja tarde demais. Seria uma terrível perda se um avião tão especial tivesse o mesmo destino do Starship do Led zeppellin.

fonte/Jalopink/Crédito das fotos: Museum of Flight; archive.com
Enhanced by Zemanta

ACIDENTE DEIXA DEZ MORTES NA RÚSSIA

 Foto:Wikipedia (Antonov28 modelo do avião acidentado)

Dez pessoas morreram quando um avião An-28 de passageiros caiu em Kamchatka na Rússia, península no extremo leste do país nesta quarta-feira 12 de setembro de 2012.
 
As equipes de resgate do helicóptero "não conseguiram chegar ao local do desastre e quatro sobreviventes ainda não foram resgatados. Eles estão supostamente em estado crítico, disse o Ministério de Emergência da Rússia.
 
Duas crianças foram que estavam a bordo, um menino de 13 anos de idade, que agora está em coma e uma menina de quatro anos de idade, cujo estado de saúde permanece desconhecida.

O avião estava voando a partir da cidade de Petropavlovsk-Kamchatsky para a pequena cidade de Palana. Pelo menos 12 passageiros e dois tripulantes estavam a bordo.

O contato por rádio com o avião foi perdido às 12:28, hora local, quando o avião se aproximava de Palana para o pouso. O avião foi encontrado mais tarde, cerca de 10 quilômetros de distância do aeroporto Palana.

fonte/ASN /foto/Wikipedia
Enhanced by Zemanta

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...