quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

SETE LINHAS AÉREAS PARA DE OPERAR EM 2016 POR TEMPO INDETERMINADO

A Sete Linhas Aéreas irá suspender transporte de passageiros e carga a partir de 1º de janeiro. A medida foi comunicada à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) pela empresa e é por tempo indeterminado.

A companhia opera voos entre as capitais do Pará, Maranhão, Tocantins, de Goiás e do Distrito Federal. O serviço de táxi-aéreo da empresa não será suspenso, apenas os voos comerciais regulares.

De acordo com a Anac, a empresa estudará, neste período de suspensão das operações, como substituir e readequar a malha aérea. Desde setembro de 2010, a frota da Sete opera com aviões do modelo Embraer EMB-120, segundo a página da empresa na internet.

A Anac informou que os passageiros que adquiriram bilhetes para voar após 1º de janeiro poderão optar por ser acomodados em voos de outras companhias aéreas ou ter reembolso integral das passagens. O órgão informou que a empresa deve procurar os passageiros indivudualmente para comunicar da suspensão dos voos e negociar eventuais reembolsos.

fonte/G1

AIRBUS DA MAHAN AIR COLIDE COM MURETA NA TURQUIA




Um Airbus A310-300 da Mahan Air, registro EP-MNP realizando o voo W5-112, de Teerã Mehrabad (Irã) para Istambul (Turquia), com cerca de 150 pessoas a bordo, pousou em segurança na pista 05 do Aeroporto Ataturk, após e taxiou para posição S6, mas não conseguiu parar e ultrapassou cerca de 30 metros do ponto vindo a colidir com uma barreira de concreto coberto por uma grade fazendo com que o trem de  pouso do nariz entrar em colapso, o nariz caiu sobre o teto de um ônibus.
Nenhum passageiro estavam a bordo do ônibus, o motorista era o único ocupante do ônibus e permaneceu ileso.
Os passageiros relataram na sequência do acidente o capitão anunciou que tinha sofrido uma falha hidráulica, resultando na falha dos freios.
Funcionários do aeroporto comentou que a tripulação fechou os motores para baixo quando a aeronave atingiu a posição de estacionamento e encontrou a falha dos freios. 

fonte/AvHerald/foto/AFP/Izzet Taskiran)

BOEING 767-300ER DA LATAM POUSA EM EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE FARO, PORTUGAL

LATAM LANPeru CC-CDP B767-300ER 900px

Um Boeing 767-300ER, registro CC-CXH, da LATAM Airlines, ao serviço da LAN Peru, fez nesta quinta-feira, dia 24 de dezembro, pelas 12h00 locais, um pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Faro/Algarve, no sul de Portugal.

A inesperada escala do avião deve-se a uma avaria mecânica, confirmada por fontes aeroportuárias, tendo a manobra de aterragem sido feita com um único motor em funcionamento, segundo apurou o ‘Newsavia’.

O aparelho fazia o voo LA2706, entre a cidade de Lima, capital do Peru, na América Latina, e a cidade de Madrid, em Espanha, tendo a bordo 244 passageiros e 12 tripulantes.

Uma fonte aeroportuária disse à agência noticiosa portuguesa Lusa que foram “ativados os meios de socorro nestas circunstâncias”, que levou o comando distrital de operações de socorro de Faro a decretar um alerta vermelho no aeroporto, sem especificar o motivo.

Os passageiros foram desembarcados e encontram-se no Terminal do aeroporto, onde aguardam indicações sobre a maneira como irão continuar viagem até à capital espanhola.

Fontes aeroportuárias admitem que a LATAM Airlines irá fretar um avião europeu para prosseguir o transporte dos seus passageiros, antevendo-se que não haverá tempo para a recuperação da avaria, em tempo útil para continuar a viagem e deixar os clientes da companhia no seu destino final antes do Dia de Natal.

fonte/fotoNewsAvia

ATUALIZADO - segundo informação publicada no site AvHerald, O Boeing sofreu pane em uma das turbinas (CF6) à 300nm oeste do Aeroporto de Faro. 

PILOTO DESAPARECIDO - REVERSON LUIS BONAN


Família não tem notícias de Reverson desde sua aterrizagem no município de Ponta Porã.

A mãe do piloto Reverson Luis Bonan procurou a reportagem do jornal Diário da Manhã para falar do desaparecimento do filho desde o dia 13 de dezembro, que ocorreu depois que ele fez uma aterrizagem no município de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

A mãe conta que Reverson tem prevê PP (significa piloto particular) que atuava também na aviação agrícola há dois anos. “O ultimo voo foi em uma aeronave Baron 55, que estava fazendo um voo local na cidade de Ponta Porã”. Cristina suspeita que algo de errado está acontecendo com seu filho, porque desde que ele saiu para fazer o voo não entrou em contato com a família.

Preocupada com o desaparecimento do filho, Cristina diz que tanto ela, quanto outros familiares, já buscaram ajuda das autoridades policiais. “A esposa dele já informou o desaparecimento para a polícia em Cuiabá, que já teria acionado as autoridades de Ponta Porã”.

Ela conta que até o momento as autoridades não deram nenhum posicionamento sobre o caso, informam apenas que o caso está sendo investigado.

fonte/DiarioDaManhã

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

EXPLOSÃO EM AEROPORTO DA TURQUIA ATINGE AVIÃO E MATA FUNCIONÁRIA

Aero Istambul Sabiha Gokcen exterior_1000px

A explosão de uma bomba no Aeroporto Internacional Sabiha Gokcen, o segundo mais movimentado da cidade de Istambul, na Turquia, na madrugada desta quarta-feira, dia 23 de dezembro, provocou um morto e um ferido grave, confirmaram as autoridades aeroportuárias e fontes policiais.

Segundo essas fontes, que não revelaram outros pormenores, o rebentamento terá ocorrido numa zona de parqueamento de aviões, tendo atingido uma aeronave da Pegasus Airlines que terá sofrido avarias ainda não quantificadas. As vítimas são duas empregadas de uma empresa de limpeza de aviões. A explosão destruiu ainda alguns vidros do edifício do terminal, frente ao qual estão estacionados os aviões.

Na manhã desta quarta-feira, equipas de especialistas em minas e armadilhas estão a verificar a área, incluindo os aviões que aí se encontram estacionados, a fim de certificar a eventual existência de outros engenhos explosivos.

Todas as entradas do aeroporto estão agora controladas por forte dispositivo militar e um helicóptero da polícia está a sobrevoar as zonas de serviço do Aeroporto Sabiha Gokcen. O tráfego de aviões é normal desde o nascer do dia.

Aguarda-se uma comunicação oficial das autoridades turcas, se bem que já se conheça que a empregada morta era turca e tinha 30 anos de idade. Foi atingida na cabeça por um estilhaço do engenho explosivo. A dúvida que permanece é saber se a explosão foi devida a uma atentado terrorista.

O Aeroporto Sabiha Gpkcen, assim denominado em homenagem à primeira mulher piloto turca, está situado na parte asiática da cidade de Istambul, centro económico e industrial da Turquia. Este ano já movimentou cerca de 26 milhões de passageiros. A estrutura é propriedade da ‘Malaysian Airports Holding’, empresa que também gere os maiores aeroportos da Malásia.

fonte/foto/NewsAvia

JOÃO BOSCO FERREIRA, MINEIRO DE GOVERNADOR VALADARE, É PREMIADO COMO MELHOR INSTRUTOR DE HELICÓPTERO DO MUNDO


Recompensa veio pela implantação de um método de instrução antes inédito na América Latina, que ensina o piloto a reagir diante de uma situação de emergência.

O reconhecimento por parte de centenas de pilotos alunos da Escola de Aviação Civil (EFAI) já existe há muitos anos. O site da escola está repleto de depoimentos de alunos e ex-alunos que conseguiram contornar situações de emergência graças ao treinamento criado pelo comandante João Bosco Ferreira. Mas somente neste ano, a recompensa pela implantação de um método de instrução antes inédito na América Latina, veio em forma de prêmio.

O vencedor, mineiro, de Governador Valadares, foi eleito instrutor de voo do ano pela Helicopter Association International (HAI).

Bosco foi premiado por desenvolver um método que ensina o piloto a reagir diante de uma situação de emergência a bordo. Ele explica que este tipo de procedimento está previsto nos manuais da aeronáutica, mas que, no Brasil, durante muitos anos, permaneceu a lacuna da prática.

“Em 1997 eu percebi que existia a necessidade de um treinamento específico para procedimentos de emergência. Isso era feito lá fora, mas aqui no Brasil, sempre foi descrito, mas nunca realizado na prática”, explica.

Piloto desde 1972, João Bosco foi membro das Forças Aéreas e diretor da Helibras, onde permaneceu por 14 anos. Em 2003, decidiu fundar a própria escola, a Escola de Aviação Civil Ltda.(EFAI), com sede em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, que tem como principal crença que o nível de segurança de voo das aeronaves dependem da formação inicial do piloto.

Foi a partir da fundação da escola que o comandante passou a fazer o treinamento simulado para pilotos mais antigos, além de formar novos pilotos.

No site oficial da EFAI, há depoimentos emocionantes de alunos e ex-alunos que explicam como o método de Bosco os auxiliou no exercício da profissão e, muitas vezes, ajudou a salvar vidas. É o caso do comandante Renato Ramos, que conta sobre uma pane de motor durante um voo em São Paulo. “A tomada da decisão eu acho que foi fundamental pelo treinamento que a gente fez aqui com o Bosco, na EFAI. Eu optei pela autorrotação, que foi o melhor que eu achei para aquele momento. Executei a mesma, e enfim deu tudo certo. O principal fato que me auxiliou muito foi o psicológico. O treinamento enfatiza demais naquele momento, de você tomar decisão e confiar que você é capaz de fazer o procedimento”, conta.

O prêmio de Instrutor de Voo do Ano será entregue no dia 2 de março de 2016, durante a Hai Heli-Expo, em Louisville, Kentucky, nos Estados Unidos. Para Bosco, a homenagem é gratificante, depois de 35 anos na atividade e quase 18 oferecendo o treinamento para a comunidade.

fonte/foto/EstadoDeMinas

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

ACIDENTE COM EMBRAER E195 NA INDONÉSIA

Kalstar incid_E195_pk-kdc_kupang 800px

Um avião Embraer ERJ-195LR (erj-195-200LR), número de série 1900057 (2006), registro PK-KDC, da companhia indonésia Kalstar Aviation saiu da pista nesta segunda-feira, dia 21 de dezembro, pelas 17h30 locais (09h30 UTC), após ter pousado no Aeroporto El Tari, em Kupang, na província de Sonda Oriental, na ilha de Timor Ocidental. Era oriundo de Denpasar, na ilha de Bali.

A aeronave, registo PK-KDC, transportava 120 passageiros e cinco tripulantes, que saíram ilesos do incidente. Os passageiros saíram pelas mangas pneumáticas de emergência, não tendo necessitado de assistência médica, disse J. M. Barata, porta-voz do Ministério dos Transportes da Indonésia.



O avião parou a cerca de 200 metros além do final da pista tendo ficado atolado com estragos exteriores bastante visíveis, ao nível dos trens de pouso, asas, motores e fuselagem. Chovia bastante na hora da aterragem, segundo informação de fontes aeroportuárias citadas pelos jornais indonésios.

Kalstar incid_E195_pk-kdc_kupang-A 650px

A Kalstar Aviation é uma companhia aérea que tem base na província de Kalimantan, servindo uma larga área industrial. Foi fundada em 2007 com a designação ‘Kalimantan Star’ e tem hoje uma frota estimada em cerca de 40 aeronaves, notadamente ATR 42-300 e 72-600. Tem ainda alguns aparelhos Boeing 737, versões 300 e 500, e foi a primeira companhia indonésia a trabalhar com aviões a jato da fábrica brasileira Embraer.

Kalstar incid_E195_pk-kdc_kupang-B 650px

O avião envolvido no incidente desta segunda-feira, e que deve ter sofrido importantes estragos, como aliás se pode ver pelas fotos que recolhemos em contas de Twitter, foi recebido na Kalstar Aviation em Maio deste ano. Trata-se de um avião saído da fábrica de São José dos Campos em 2006, entregue primeiro à companhia britânica Flybe.
A Kalstar tem presentemente mais um avião EMB195, o PK-KDA. Com a mesma idade, também oriundo da Flybe.


Metars:
WATT 211130Z 04002KT 3000 FEW014CB BKN013 24/23 Q1012 RMK CB OVER THE FIELD
WATT 211030Z 20009KT 3000 -RA FEW014CB BKN013 25/23 Q1012 RMK CB OVER THE FIELD
WATT 211000Z 00000KT 2000 -RA FEW014CB BKN013 24/23 Q1012 RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210930Z 24009KT 0500 TSRA FEW014CB BKN013 24/22 Q1012 RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210900Z 21022G34KT 0500 RA FEW014CB BKN013 25/23 Q1011 RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210830Z 16005KT 7000 FEW015CB BKN014 27/25 Q1010 RERA RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210800Z 19003KT 7000 -RA FEW015CB BKN015 27/25 Q1010 RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210730Z 00000KT 7000 FEW015CB BKN015 26/24 Q1010 NOSIG RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210700Z 16003KT 7000 FEW015CB BKN016 26/23 Q1009 RERA RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210630Z 14003KT 7000 -RA FEW015CB BKN016 25/23 Q1010 RMK CB OVER THE FIELD
WATT 210600Z 11003KT 7000 -RA FEW015CB SCT016 26/24 Q1010 RMK CB OVER THE FIELD


fonte/foto/NewsAvia

domingo, 20 de dezembro de 2015

AKAER SE INSTALA NO POLO DO PARQUE TECNOLÓGICO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS


 Jato. O caça supersônico Gripen, que está sendo comprado pela FAB em contrato que prevê parceria de empresas como a Akaer
A empresa brasileira de solu ções tecnológicas Akaer anunciará amanhã oficialmente a sua instalação no Parque Tecnológico de São José, em solenidade que terá início às 11h.
A Akaer é atualmente uma das maiores empresas brasileiras no desenvolvimento de estruturas aeroespaciais e conta com mais de 300 colaboradores. Fundada em 1992, a empresa é especializada no fornecimento de soluções tecnológicas em diferentes áreas de atuação, como aeroespacial, defesa e automotiva.

A sede da Akaer será transferida para um prédio com 18 mil metros quadrados de área construída, que abrigará instalações industriais, escritórios e laboratórios para estruturação de um complexo industrial e tecnológico.

Gripen.  A Akaer lidera o desenvolvimento da engenharia estrutural dos caças Gripen NG, programa desenvolvido com a empresa sueca Saab em um contrato entre o Brasil e a Suécia, já assinado, e que prevê transferência de tecnologia, com participação da Embraer.
Serão fornecidos um total de 36 aviões de combate para a FAB (Força Aérea Brasileira).
O evento de amanhã, em que será detalhado o plano de expansão da Akaer, contará com a presença do prefeito Carlinhos Almeida (PT), do presidente e CEO da empresa, Cesar Silva, e do diretor-geral do Parque Tecnológico, Marco Antonio Raupp. Também será feita uma visita às instalações que receberão a Akaer dentro do Parque Tecnológico.

Investimentos. Segundo o presidente e CEO da Akaer, Cesar Silva, a expansão da empresa se deve a uma estratégia de diversificação de produção para ser mais independente. "Temos buscado outros mercados fora do Brasil e estamos investindo mesmo em tempos de crise", afirmou. 

fonte/foto/OVale

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

BELO VÍDEO DE ANIMAÇÃO - SOAR


Bela animação que mostra uma menina obcecada pela construção de aviões que encontra um pequeno piloto precisando de ajuda. Vale a pena conferir!

fonte/BlogRodrigoToledo

AIRBUS A350-900 DA TAM JÁ ESTÁ NO BRASIL - "BIRD STRIKE" MOTIVOU A NOVA VERIFICAÇÃO

TAM A350-900XWB PR-XTA Toulouse_nariz 900px

Chegou ao Brasil nesta sexta-feira, dia 18 de dezembro, o primeiro Airbus A350 da TAM Linhas Aéreas, empresa que integra o consórcio LATAM Airlines, juntamente com as companhias do universo da LAN, e que constitui o maior aglomerado de companhias aéreas da América Latina.

A nova aeronave, que será também a primeira a voar numa companhia comercial no continente americano, tem o número de série 24 e foi a 14ª entrega de um A350XWB da Airbus. O Grupo LATAM Airlines passa a ser o quarto operador mundial do aparelho.

Após a chegada ao Aeroporto Internacional de Confins, na cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, na manhã desta sexta-feira, pelas 07h00, houve lugar às tradicionais saudações aeroportuárias, com arco de água da parte dos bombeiros. Nesse momento deu-se também a nacionalização da aeronave, após o despacho alfandegário, tendo sido atribuído o registo PT-XTA ao primeiro A350-900 da TAM. O avião prosseguirá viagem para o Aeroporto Internacional de Guarulhos, na cidade de São Paulo, onde ficará baseado.

O primeiro A350-900 com as cores da TAM tinha feito o seu primeiro voo de teste no dia 1 de dezembro deste ano e durante cerca de duas semanas foi sujeito a outros testes de verificação nas instalações da Airbus, em Toulouse (França). Nesse período decorreu também o processo de aceitação do novo aparelho por parte da companhia brasileira, tendo o voo de aceitação por parte do cliente (Customer Acceptance Flight) decorrido no dia 8 de dezembro.

Devido a um incidente durante um dos voos de verificação, motivado por um ‘bird strike’, a aeronave foi sujeita a nova verificação e a Airbus marcou um novo voo para o dia 14 de dezembro, depois de breve trabalho de manutenção. Tudo decorreu bem e a aeronave viajou para o Brasil na noite desta quinta-feira, com cerca de 24 horas de atraso, em relação à primeira data adiantada pela TAM.

O Grupo LATAM Airlines encomendou 27 aviões Airbus A350XWB, o primeiro dos quais já está no Brasil. Os primeiros voos comerciais do A350 da TAM terão início no dia 25 de janeiro de 2016 no trajeto Guarulhos/São Paulo-Manaus. Depois de um período de experiência e de treino das tripulações e serviços operacionais em terra terão início os voos internacionais de longo curso. A companhia anunciou que este primeiro A350 será utilizado nas rotas de São Paulo para Miami e Orlando, na Florida (EUA) que terão início no mês de Março de 2016 e para Espanha (Espanha), cujo primeiro voo está marcado para o dia 6 de abril de 2016.

Os primeiros três aviões A350-900 da TAM terão uma configuração de duas classes podendo transportar um total de 348 passageiros (30 em Executiva e 318 em Económica). A partir do quarto aparelho desta gama surgirá uma terceira classe, a Económica Plus. A configuração interior dos A350 da TAM terá um desenho igual ao dos Boeing 787-9 que já estão ao serviço da LAN Airlines.

A TAM foi a quarta companhia a receber o A350, depois da Qatar Airways, da Vietnam Airlines e da Finnair. Até final do próximo ano de 2016 a TAM terá sete aviões A350-900 e em 2017 espera contar já com um total de 13 aeronaves deste modelo.

No Brasil, a AZUL também encomendou cinco aviões A350-900 que receberá em 2017 através de um contrato de leasing assinado com a ILFC.

fonte/foto/NewsAvia

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

FAB RECEBE HELICÓPTERO H36 CARACAL OPERACIONAL


RESGATE DE HELICÓPTERO NA ÍNDIA



Fantástico vídeo, filmado por um cidadão  no telhado de um prédio na cidade inundada de Chennai.
O vídeo  mostra um helicóptero da Força Aérea Indiana, Cheetah / Alouette-II mergulhando e pairando para resgatar uma mulher grávida, identificada como S. Rajeshwari, no dia 3 de dezembro. 
Os pilotos Comandantes Simon e Venkat, foram chamados para atender uma  mulher que estava em trabalho de parto. Ela teve gêmeos naquela noite em um hospital da base aérea indiana de Tambaram, nos arredores de Chennai

fonte/foto/Livefistdefense

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

ROUBO DE PEÇAS DO VOR DE RIBEIRÃO PRETO

Peças do VOR (Very High Frequency Omnidirectional Range), equipamentos avaliado em R$ 1,4 milhão e um dos mais importantes para instrução de pousos e decolagens das aeronaves, foram furtadas do aeroporto estadual Leite Lopes na madrugada do último dia 12.
Segundo a polícia, os ladrões arrombaram o alambrado que cerca o aeroporto, entraram no pátio, onde está o equipamento, e levaram partes do aparelho.
A Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) informouque a ausência do sistema não interfere na segurança das operações de pousos e decolagens. Mas, segundo o engenheiro elétrico Antônio Tamaru, ex-instrutor de escola de aviação, sem o VOR, o piloto é obrigado a pousar só com a orientação visual.
Conforme a empresa, “o Aeroporto Leite Lopes conta com outros equipamentos de navegação aérea, como o NDB [Non-Directional Beacon], que garantem a normalidade das operações”.
Tamaru diz que o VOR tem duas funções distintas: indicação da aerovia e pouso por instrumento. O equipamento emite uma frequência que indica a direção que o avião tem que seguir. Já no caso de pouso por instrumento, o aparelho sinaliza a rampa de descida da aeronave.
O engenheiro explica que o NDB é um sistema mais antigo que não dá a direção exata da rampa de pouso. “Quanto à indicação de aerovia, a falta do VOR não compromete tanto a orientação das aeronaves, porque elas conseguem captar o sinal de VORs de outros aeroportos, uma vez que o equipamento tem um raio de alcance de cerca de 350 quilômetros. Mas em relação ao pouso, o piloto fica prejudicado, já que ele tem que pousar visualmente, sem precisão.”
Indeterminado
A Infraero comunicou que ainda não há prazo definido para o reestabelecimento do aparelho e que avalia as medidas necessárias para que o volte a operar. O sistema foi comprado em 2005, mas só começou a funcionar oito anos depois. Ejá foi alvo de um inquérito do Ministério Público Federal.
Invasões são frequentes, diz moradora
O A Cidade contornou o aeroporto da manhã de ontem e não avistou nenhum vigilante nas imediações. A reportagem também contatou mais de dez pontos do alambrado sem concertina. Segundo a faxineira Tânia Maria Geraldo, 41 anos, moradora da rua Americana, a invasão de adolescentes no local para buscar pipas é frequente. “O arame não segura a molecada e os pais consideram isso a coisa mais normal do mundo.”
O pintor Paulo César de Oliveira, 33 anos, teme que algum jovem se machuque nas dependências do aeroporto. “É muito perigoso. Imagina se uma criança é atingida por um avião? Não seria um acidente, mas sim um desastre”, comenta.
No último dia 4, uma aeronave da Passaredo precisou interromper a decolagem, porque um adolescente de 17 anos caminhava pela pista do aeroporto. O menor alegou que queria tirar fotos dos aviões enquanto eles decolavam. O caso foi encaminhado à Polícia Federal e o adolescente, entregue à mãe.

fonte/JornalDaCidade

BOEING DA SOUTHWEST SAI DA PISTA NOS ESTADOS UNIDOS

Southwest incident Nashville 15dez2015_B 800px

Um Boeing 737-300 da companhia de baixo custo norte-americana Southwest Airlines (registo N649SW, construído em 1997) saiu de um caminho de circulação (taxiway) no Aeroporto Internacional de Nashville, no Estado do Tennessee, e deslizou para uma vala lateral, onde ficou atolado na lama.

O incidente ocorreu pelas 17h20 (mais cinco horas no horário UTC) de terça-feira, dia 15 de dezembro, quando o aparelho se dirigia para a porta de chegada para desembarque dos passageiros, após um pouso normal. A aeronave transportava 133 passageiros e cinco tripulantes, que abandonaram o avião com a ajuda dos bombeiros e socorristas aeroportuários. Oito dos ocupantes foram assistidos numa unidade hospitalar próximo do aeroporto a ferimentos menores. Todos tiveram alta médica.

A Southwest Airlines fez um comunicado durante a noite em que confirmou o incidente e afirmou que todos os ocupantes saíram praticamente ilesos do incidente, que, segundo fontes aeroportuárias pode ter sido causado por uma manobra mal calculada ou por cedência do terreno do taxiway, dado estar construído sobre um vala com um declive acentuado, se bem que não muito profunda.

O Boeing 737-300 da Southwest tinha partido às 16h00 locais do aeroporto de Houston Hobby, no Estado do Texas.

Uma comissão de inquérito irá iniciar trabalhos na manhã desta quarta-feira para apurar as causas do incidente.

Southwest incident Nashville 15dez2015_C 600px
fonte/foto/NewsAvia

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

EMBRAER ENTREGOU O PRIMEIRO PHENOM 100E NA CHINA

Embraer Phenom 100E_China 850px

A construtora aeronáutica brasileira Embraer anunciou, através da sua divisão de Aviação Executiva, a entrega do primeiro avião Phenom 100E na República Popular da China. A aeronave será operada pela Wanfeng Aviation, uma empresa subsidiária do Grupo Wanfeng Auto para o transporte de passageiros executivos. Trata-se de uma holding que tem negócios no sector dos componentes e acessórios para automóveis, maquinaria, energia alternativa e investimentos financeiros, entre outros.

Nós estamos satisfeitos pela Wanfeng ter escolhido o Embraer Phenom 100E e para nós é uma grande honra apoiar o crescimento do grupo na China”, disse Marco Tulio Pellegrini.

A Embraer informou que até ao corrente mês de dezembro já estão em operação 320 aeronaves Phenom 100/100E em 26 diferentes países.

fonte/foto/NewsAvia

BOEING 777-300ER DA TAM FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA EM MADRI POR AMEAÇA DE BOMBA

TAM Boeing777-300ER PT-MUG 900px

Um avião Boeing 777-300ER da companhia brasileira TAM Linhas Aéreas, registo PT-MUG, regressou esta noite ao Aeroporto de Barajas/Adolfo Suárez, em Madri, onde pousou de emergência, depois de duas horas e meia de viagem (voo JJ 8065 que seguia com destino a Guarulhos/São Paulo). A companhia, no Brasil, confirmou que a aeronave voltou ao local de partida, porque as autoridades espanholas avisaram que tinham recebido uma ameaça anónima de que haveria uma bomba a bordo.

O avião brasileiro tocou solo na capital espanhola pelas 00h05 locais de terça-feira, dia 15 de dezembro (21h05 de segunda-feira no Brasil, dia 14 de dezembro), tendo a aterragem decorrido sem incidentes. A aeronave ficou estacionada num local restrito do aeroporto e os passageiros foram desembarcados e estão no terminal a aguardar notícias.

Equipas de especialistas policiais já estão dentro do avião brasileiro, procedendo a buscas.

O comandante do B777-300ER da TAM foi alertado sobre o incidente quando voava já sobre Marrocos, muito próximo da cidade de Casablanca. Decidiu retornar a Madrid, de onde partira. Chegou a ser aventada a hipótese do avião ir pousar em Málaga, mais próximo da costa da África do Norte, onde se tinha declarado a emergência.

No Aeroporto de Madrid vigoram restrições para movimento de aeronaves comerciais entre as 23h00 e as 07h00 da manhã, mas a direcção da estrutura resolveu aceder ao pedido do comandante brasileiro.
Aqui deixamos uma gravação do site ‘RadarBox24.com’, em que podemos comprovar a rota que o avião da TAM estava a seguir e o local onde o comandante decidiu regressar a Madrid.

TAM B777-300ER PT-UG desvio rota 14dez2015 900px

  • fonte/foto/NewsAvia

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

JETBLUE CONTRATA PILOTOS SEM EXPERIÊNCIA

JetBlue pilots_cockpit 1200px

A companhia norte-americana JetBlue está a lançar um novo programa de treino de pilotos que recrutará alunos sem experiência de voo. O passo seguinte é treiná-los a partir do nada num programa desenhado pela companhia aérea. Segundo a ‘Bloomberg News’ algumas transportadoras europeias e asiáticas estão já a seguir a mesma política mas a JetBlue será a primeira americana a fazê-lo.

Os candidatos passarão por aulas académicas, treinarão em simulador e acumularão 1.500 horas de voo realizadas em companhias aéreas parceiras. O programa de selecção é rigoroso garante Doug McGraw, porta-voz da transportadora norte-americana.

Para 2016 existem 24 lugares disponíveis no programa ‘Gateway 7′ e os novos pilotos farão a sua formação de base em jatos de 100 lugares. Se tudo correr bem, os pilotos serão depois colocados em aviões da JetBlue de maior porte. Em 2013 a FAA, autoridade nacional de aviação civil dos EUA, aumentou o mínimo de horas obrigatórias para obter o brevet comercial de 250 para 1.500, mas esta regra já foi acusada de ser a responsável pela falta de pilotos.

fonte/foto/NewsAvia

ACIDENTE DE HELICÓPTERO ESQUILO NA CALIFÓRINA - PILOTO PERDEU CONTROLE


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

TAM CONDENADA A REINTEGRAR COMISSÁRIA DEMITIDA INDEVIDAMENTE

777-300ER TAM (TPR WD936-727) B2 Taxi and Take-offK64514-01
A TAM Linhas Aéreas deve reintegrar no serviço comissária de bordo despedida enquanto sofria de estresse pós-traumático e depressão.

As doenças foram desencadeadas a partir do acidente com um A320 da companhia brasileira, em julho de 2007, em Congonhas (São Paulo), que vitimou 199 pessoas.

Na ocasião, a comissária perdeu dois amigos, mas continuou trabalhando normalmente, inclusive na tarefa de selecionar colegas que estivessem aptos a continuar em serviço após o episódio.

Segundo alegou, ela mesma não estava em condições de trabalhar e passou a ver vultos dos amigos perdidos e ter pesadelos com o acidente.

A TAM também deve pagar os salários do período em que a comissária ficou afastada (desde março de 2012) e indenização por danos morais no valor de 80 mil reais.

A decisão do Tribunal de Trabalho no Estado do Rio Grande do Sul reforma a sentença de primeiro grau, e foi anunciada pelo escritório de advogacia ‘Carlos Barbosa Advogados Associados’.

Ao ajuizar a ação, a trabalhadora informou ter sido admitida pela TAM em 2005 e despedida em março de 2012, quando sofria de estresse pós-traumático, confirmado pela perícia concluiu que “a depressão e o estresse pós-traumático tiveram como causa o acidente aéreo ocorrido na empresa em 2007, mesmo que este não tenha sido o único fator a desencadear as doenças”.

Diante disso, a comissária pleiteou a reintegração no emprego, por ter sido despedida quando estava em licença-saúde, além da indenização por danos morais pela conduta da empresa.

No julgamento de primeira instância, entretanto, a ação foi considerada improcedente. Em linhas gerais, o juízo da 30ª Vara do Trabalho da capital gaúcha entendeu que a trabalhadora não tinha participado diretamente do acidente aéreo e que não haveria, portanto, nexo causal entre as doenças psíquicas e o trabalho desenvolvido na TAM já que o sofrimento experimentado pela comissária de bordo teria sido o mesmo se tivesse perdido amigos em acidente com avião de outra empresa.

Segundo a relatora do recurso na 1ª Turma do TRT-RS, desembargadora Rosane Serafini Casa Nova, ficou comprovado que a comissária sofreu danos psíquicos relacionados ao trabalho na companhia aérea. A magistrada destacou o entendimento dos laudos periciais, que atestaram a incapacidade temporária de 100% para o trabalho, devido às doenças desencadeadas após o acidente.

A relatora ressaltou, também, que os peritos consideraram que os episódios de depressão e estresse ocorridos entre 2007 e 2012 foram prolongamentos do primeiro episódio ocorrido logo após o acidente e que, no momento da despedida, a comissária não estava apta ao trabalho.

Para a relatora, portanto, ao juntar-se os transtornos vividos pela empregada devido ao acidente e outros percalços ocorridos durante o contrato de trabalho, como dificuldades para obter promoções, comprovou-se o quadro de doença ocupacional ainda existente no momento da despedida, o que faz com que o ato da empresa seja considerado nulo.

Quanto à indenização por danos morais, a julgadora entendeu que houve responsabilidade da TAM no sentido de não zelar adequadamente pela saúde da empregada.

fonte/foto/NewsAvia

MONOMOTOR CAI EM GOIÁS, 3 MORRERAM


Avião que caiu e matou 3 em Goiás estava apto para voo, diz Anac (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros) 
Avião que caiu e matou 3 em Goiás estava apto para voo, diz Anac (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que era regular a situação do avião monomotor que caiu neste domingo (6) em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. A queda ocorreu na mata fechada de uma fazenda e matou as três pessoas que estavam a bordo. As três vítimas já foram identificadas.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, o certificado de aeronavegabildade, documento necessário para que a aeronave possa voar, venceria somente em agosto de 2016. Já a Inspeção Anual de Manutenção (IAM), que avalia as condições mecânicas do avião, era válida até outubro do ano que vem.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, na queda, morreram o piloto, Marcelo de Sá Pinheiro, de 45 anos, e os dois passageiros, Elton Ramos da Silva Cruz, de 19 anos, e Kayo Teles da Silva, de 20. Os corpos estavam presos às ferragens e foram retirados por volta das 20 horas.
Uma familiar de Marcelo, que não quis se identificar, informou ao G1 que ele deixa esposa e três filhos. "Estão todos muito abalados. É um momento muito difícil", disse.

O avião, prefixo PT – VNC, PA32, é privado, mas a Anac não informou o nome do proprietário. Ele saiu de Palmeiras de Goiás a 98 km de Goiânia com destino ao Aeroclube Nacional de Aviação de Goiás, na capital. A queda ocorreu por volta de 11h30.

Segundo a capitã dos bombeiros, Helaine Vieira Santos, foi complicado chegar até a aeronave. “O lugar onde a aeronave caiu é de difícil acesso, uma mata bem fechada. É possível perceber que ele veio quebrando as árvores mais altas até cair no chão”, disse ao G1.
Investigadores do Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (SERIPA VI) só irão ao local para iniciar a perícia do avião na manhã de segunda-feira (7)
fonte/foto/G1

Dados da aeronave via RAB

MATRÍCULA: PTVNC
 
 
Proprietário:
MARCELO DE SA PINHEIRO
CPF/CGC:

Operador:
MARCELO DE SA PINHEIRO
CPF/CGC:

 
Fabricante:
NEIVA
Modelo:
EMB-720D
Número de Série:
720280
Tipo ICAO :
PA32
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
1633 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
006


Categoria de Registro:
PRIVADA SERVICO AEREO PRIVADOS
Número dos Certificados (CM - CA):
13458
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
301013


Data de Validade do CA:
25/08/16
Data de Validade da IAM:
291016
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 07/12/2015 00:11:46

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

PILLOTO MORRE APÓS QUEDA DE AVIÃO EM SÃO VICENTE DO SUL, NO RIO GRANDE DO SUL


Local foi isolado para o trabalho da perícia (Foto: Blog Rafael Nemitz/Divulgação)Local foi isolado para o trabalho da perícia (Foto: Blog Rafael Nemitz/Divulgação)
 
Um avião de pequeno porte caiu no interior de São Vicente do Sul, na Região Central do Rio Grande do Sul, na noite de domingo (29). Na aeronave só estava o piloto Alexandre Félix da Silva, 31 anos, que morreu na queda. Ele é natural de Tangará da Serra, no Mato Grosso, e estava morando na região.

O avião, de prefixo PT-GTR, caiu em uma propriedade particular na localidade de Rincão da Palma. Policiais volantes da Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) de Santiago e policiais militares de São Vicente do Sul foram até o local, mas o homem já foi encontrado em óbito. O local foi isolado até a chegada da perícia de Santa Maria, também na Região Central, que realizou um levantamento no local.

O Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) da Base Aérea de Santa Maria (Basm) está responsável pelo caso.




Dados da aeronave via RAB

 
MATRÍCULA: PTGTR
 
 
Proprietário:
DH AGROPECUARIA LTDA - ME
CPF/CGC:

Operador:
DH AGROPECUARIA LTDA - ME
CPF/CGC:

 
Fabricante:
NEIVA
Modelo:
EMB-201A
Número de Série:
200362
Tipo ICAO :
IPAN
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MNTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 1 MOTOR CONVENCIONAL
Peso Máximo de Decolagem:
1800 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
000


Categoria de Registro:
PRIVADA SERVICO AEREO PRIVADOS
Número dos Certificados (CM - CA):
10099
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
301112


Data de Validade do CA:
27/04/16
Data de Validade da IAM:
170916
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 30/11/2015 12:05:48

sábado, 28 de novembro de 2015

PAPAI NOEL RENDE PILOTO E ROUBA HELICÓPTERO

Um helicóptero foi roubado na tarde de sexta-feira (27), em Mairinque (SP). De acordo com informações da Polícia Militar, o suspeito, que teria contratado o serviço de táxi aéreo, estava vestido de Papai Noel e estaria armado. 

Segundo a PM, o helicóptero saiu do Campo de Marte em São Paulo (SP) e, logo após o pouso em um sítio em Mairinque, o piloto foi rendido, amarrado e vendado pelo suposto cliente e por um comparsa, que esperava no local.

A vítima se soltou horas depois e, com a ajuda de uma moradora da cidade, conseguiu ir até a base da companhia militar em Itu (SP) para pedir socorro. A aeronave não foi encontrada e ninguém foi preso. A polícia investiga o caso.

fonte/G1

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

O PRIMEIRO VOO NA AMÉRICA LATINA ACONTECEU EM OSASCO





Façanha esquecida, o inventor franco-brasileiro Dimitri Sensaud de Lavaud projetou, construiu e voou em 1910 o aeroplano DSL “São Paulo”
Por André Vargas em 27 de Novembro de 2015 às 17:31


A historiografia aeronáutica costuma creditar ao mexicano Alberto Braniff o primeiro voo na América Latina, em 8 de janeiro de 1910, sobre a planície La Hacienda de Balbuena, perto da Cidade do México. A bordo de um aparelho Voisin adquirido na França, Braniff percorreu cerca 1,5 km a uma velocidade de 56 km/h e uma altura estimada de 25 m. Para os padrões da época, um feito memorável, digno de ser bem noticiado pelos jornais do mundo todo. Porém, um personagem quase ignorado merece o devido crédito. Um dia antes de Braniff, em 7 de janeiro, em Osasco, então um bairro da cidade de São Paulo, o engenheiro francês – que depois se naturalizaria brasileiro – Dimitri Sensaud de Lavaud conduziu, de fato, o primeiro voo na América Latina. Façanha menos conhecida, mas também registrada pelos jornais da época. Realizado quatro anos após Santos Dumont sobrevoar o campo de Bagatelle, em Paris, seu voo acabou caindo no esquecimento por infortúnios do destino e pela falta de memória histórica no Brasil.

Este episódio sensacional, com toques de arrojo, engenho e, posteriormente, tragédia pessoal, foi resgatado por pesquisadores dedicados no documentário “O piloto invisível”, produzido e dirigido por Tamer de Oliveira. Em 2010, ano do centenário do feito, foi publicado “1910 – O primeiro voo do Brasil”, de Salvador Nogueira e Suzana Alexandria. Mesmo assim, ainda falta reconhecimento ao pioneiro franco-brasileiro. Basta dizer que sua história está registrada no Museu de Osasco, instalado no antigo Chalé Brícola, onde sua família viveu, mas pouca gente parece se importar. A réplica de seu aeroplano instalada no museu acabou furtada. O aparelho, o DSL (suas iniciais) “São Paulo”, sobrevive em uma réplica instalada no Museu da TAM, em São Carlos, interior de São Paulo.


Pouso desajeitado do DSL resultou em danos

105 metros

O voo foi sensacional, mas menos importante que a capacidade técnica e a inventividade de seu autor. Foram apenas 105 metros – menos que um campo de futebol – percorridos em 6 segundos e 18 décimos a uma altura entre três e quatro metros sobre onde hoje corre a Avenida dos Autonomistas. Santos Dumont voou 220 metros. O pouso do DSL foi desajeitado, resultando em danos. Como não possuía amortecedores, o trem de pouso acabou cedendo, provavelmente por culpa de algumas alterações de última hora. “Dimitri construiu em um ano um avião em São Paulo, enquanto Blériot demorou seis meses para fazer o mesmo na França”, diz o diretor Tamer de Oliveira. O que ele fez antes e depois também foi extraordinário. Com 1,2 mil invenções patenteadas, suas ideias ainda fazem parte do cotidiano moderno.

Desde a virada do século, quando tinha pouco mais de 18 anos, o jovem Dimitri estudava a arte de voar, recebendo os periódicos do Aeroclube da França enviados por parentes. Nascido em Valladolid, Espanha, em 1882, era filho do empreendedor barão francês Evaristhe Sensaud de Lavaud (no Brasil, o comendador Lavaud) e da russa Alexandrina Bognadoff. Após um período na Turquia, a família mudou-se para o Brasil, onde o pai instalou uma olaria em Osasco, em 1885. Dimitri ficou na Europa até 15 anos, estudando em um internato onde aprendeu francês e latim (em casa falava russo com a mãe).

Conhecedor precoce de maquinários, no Brasil trabalhou ao lado do pai e de dezenas de operários, geralmente imigrantes italianos. Mesmo sem falar português nos primeiros tempos, compreendia bem a língua. Em 1903, casou com a descendente de franceses Bertha Rachoud. Em 1916, adquiriu a cidadania brasileira, porém, em busca de oportunidades, foi para o Canadá e trabalhou nos Estados Unidos, mudando em definitivo para a França em 1920.

Um inventor e tanto

Algumas das principais patentes de Dimitri de Lavaud
  • Em 1912, patenteou uma máquina para usinagem de tubos metálicos centrifugados sem emendas. Reza a lenda que descobriu o processo quando tentou reconstruir um de seus aviões.
  • Modernizou, em 1921, um gravador-topográfico.
  • Inventou, em 1927, o primeiro sistema de câmbio automático para automóveis, ganhando o prêmio Montyon de Engenharia da Academia de
    Ciências de Paris.
  • Adaptou uma turbina a gás para automóveis.
  • Em 1930, criou um mecanismo automático para hélices de passo variável que acabou adaptado nos caças da Luftwaffe.
  • Desenvolveu o automóvel STL (para provar a viabilidade de seu câmbio automático). O STL foi exibido no Salão do Automóvel de Paris de 1930. Sua patente foi vendida para a Citroën em 1934 e instalada no famoso Traction Avant 7.
  • Projetou um diferencial para tração independente usado em blindados leves 8x8.
  • Estudou uma primeira turbina de fluxo axial em um período em que os pesquisadores trabalhavam com turbinas centrífugas, menos eficientes.
  • Seu motor-foguete inspirou, em parte, as “bombas voadoras” V-1 nazistas.
  • Sua última invenção, em 1946, foi uma embreagem elétrica.

Mais inventor que aviador

O jornal O Estado de São Paulo registrou o segundo voo de Dimitri de Lavaud em 1911

A diferença entre De Lavaud e os pioneiros de sua época está justamente aí. Enquanto alguns, como Braniff e Roland Garros, buscavam fama e aventura, ele investia em soluções que também lhe trouxessem fortuna. Seu espírito era mais próximo do em preendedorismo de Blériot e dos irmãos Wright. Enquanto Braniff adquiriu um Voisin na França, De Lavaud estudou os projetos de Blériot e Farman para criar seu próprio aeroplano. Algo extraordinário para as condições do Brasil de então. Projetado por ele e usinado no país, seu motor de 45 hp com seis cilindros em estrela foi um produto genuinamente brasileiro. “Com certeza ele era muito mais um inventor do que um aviador. Mesmo na questão aeronáutica, desconfio que o que mais atraía era o problema do voo e não o desejo de voar”, afirma Salvador Nogueira, jornalista científico e um dos autores de “O primeiro voo do Brasil”.

O DSL era um aeroplano bem diferente dos que seriam construídos anos depois, daí a dificuldade em voá-lo. No lugar de ailerons, a asa se movia por inteiro ao redor de um eixo, enquanto o leme de profundidade era fixo. Um desafio. “Os sistemas de comando eram falhos, mas mesmo assim ele conseguiu. O monoplano de Blériot que ele testou [tempos depois] tinha sistemas de comando diferentes”, conta Pierre Camps, sobrinho-neto do pioneiro e responsável pela construção das réplicas do DSL. “Como a barra do trem batia na asa, ele deve ter mandado cortá-la, o que causou a quebra na hora do pouso”, estima.

Reconhecido então como o primeiro a voar na América Latina, Dimitri Sensaud de Lavaud decidiu encarar os céus novamente, mesmo diante da reprovação de sua esposa. Com o acidente que matou o piloto italiano Julio Piccolo durante o reide aéreo promovido pelo recém-criado Aeroclube de São Paulo, em 24 de dezembro de 1910, De Lavaud comprou seu Blériot para ajudar a viúva. O aeronauta e inventor levou o avião para Osasco, onde fez algumas modificações. Seu voo, em 19 de fevereiro de 1911, teve venda de ingressos e tudo. A bordo do modelo reformado, dotado de novo motor e rebatizado Blériot de Lavaud No 2, decolou do Parque Antarctica, onde hoje está localizada Arena Palestra Itália. Uma pane no motor fez com que o aparelho caísse sobre um bambuzal no final da pista. Mesmo sem sair ferido, foi o suficiente para Bertha, que o obrigou a parar. Uma tentativa anterior já havia fracassado. Dali em diante, o primeiro homem a voar na América Latina cuidaria, com grande sucesso, só dos negócios e de suas invenções.

Diante da preocupação de sua esposa com a vida de aeronauta, De Lavaud desistiu de voar. É provável que o mundo tenha ganhado com isso. Dono de mais 1.200 patentes registradas na Europa e nos Estados Unidos, a evolução das ideias desse francês fazem parte da vida cotidiana. Já o esquecimento que se abateu sobre seu voo tem explicações plausíveis para Salvador Nogueira. De Lavaud abandonou a aviação no Brasil sem deixar “herdeiros intelectuais” que seguissem adiante. Outro fator seria a figura de Santos Dumont, uma referência insuperável. “É importante lembrar que Santos Dumont é um produto francês, mais que brasileiro. Se estivesse no Brasil, jamais poderia ter realizado suas façanhas”, acredita.

Réplica do DSL
Réplica do DSL construída pelo sobrinho-neto Pierre Camps

Percalços históricos

Pena que o destino não lhe seria tão bondoso no final, com a ruína e a desconfiança sobre sua atitude diante dos nazistas durante a ocupação da França na Segunda Guerra. A ocupação nazista da França, entre 1940 e 1944, foi um período complicado para os franceses em geral e para Dimitri Sensaud de Lavaud em particular. Houve quem escolhesse resistir, enquanto outros colaboraram com os invasores, porém, para a maioria não foram apresentadas opções. Essa parece ter sido a ruína pessoal do inventor franco-brasileiro.

Preso por uma temporada em 1940 pelos nazistas, que desejavam seu mecanismo automático para hélices de passo variável, voltou à prisão, em Lyon, diante da desconfiança de que sabotou os planos. Seu diferencial para veículos 8x8 também foi roubado pelos alemães, assim como os estudos para turbinas de fluxo axial e motores-foguete.

Como De Lavaud tinha dupla cidadania desde 1916, o governo brasileiro tentou soltá-lo por meio de esforços do embaixador Souza Dantas. Após a libertação da França pelos Aliados, aos 63 anos, ele voltou ao cárcere sob a suspeita de ter colaborado com os inimigos. Inocentado em 1946, ganhou a liberdade já com a saúde debilitada. Empobrecido e desgostoso, morreu em 25 de abril de 1947, aos 64 anos. Um final triste para um inventor milionário que 21 anos antes havia se tornado Cavaleiro da Legião de Honra da França.

Ficha técnica

DSL São Paulo
Motor: 45 hp, com seis cilindros em estrela
Hélice: 2,1 metros, de jequitiba
Velocidade: 54 km/h
Envergadura: 10 metros
Comprimento: 10,2 metros
Superfície alar: 18 m2
Superfície do leme horizontal: 4 m2
Estrutura: madeira (pinho e peroba) recoberta por cretone envernizado com fixadores e eixos de aço e trem de pouso triciclo (com rodas reforçadas de

fonte/foto/Aeromagazine/UOL

NOVA PRESIDENTE DA AEROLÍNEAS ARGENTINAS NASCEU E ESTUDOU NO BRASIL

Aerolíneas Isela Costantini_A 900px

A imprensa argentina, nomeadamente o jornal ‘El Clarín’, dá como confirmada a nomeação da gestora Isela Costantini para presidente executiva da Aerolíneas Argentinas.

Isela Costantini nasceu na cidade de São Paulo, Brasil, há 44 anos, filha de pais argentinos, e é presentemente presidente executiva da General Motors (GM) na Argentina. É também presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Automóveis, tendo sido indicada para segundo mandato que só terminará em 2016. Este ano foi ainda eleita ‘Executiva do Ano’ na Argentina.

A nova presidente da companhia aérea argentina é licenciada em Comunicação pela Universidade Católica Pontifícia do Paraná, Brasil, estado que faz fronteira com a Argentina e o Paraguai. Mais tarde obteve o grau de MBA na Universidade Loyola, em Chicago, nos EUA, com a especialização de Marketing e Negócios Internacionais.

Isela Costantini iniciou a sua carreira profissional na General Motors do Brasil em 1998 na área de Marketing e Vendas, onde desempenhou várias funções, entre as quais marketing estratégico, prognóstico de vendas e gerente de marca. Em 2002 foi transferida para uma fábrica da GM em Arlington, no Estado do Texas (EUA). Ainda voltou ao Brasil, mas em 2004 foi nomeada para a área internacional da GM, sendo promovida a executiva já num patamar superior com funções que abrangiam diversos mercados desde a América Latina ao Médio Oriente, passando pela África. Em 2010 regressou à América do Sul e em 2012 foi nomeada para as funções que ocupa presentemente que lhe conferem a liderança da GM na Argentina, Paraguai e Uruguai, cargo que é ocupado pela primeira vez por uma mulher.

A executiva, que tem bastante prestígio nos círculos financeiros e económicos de Buenos Aires, foi convidada pelo novo Presidente da República, Maurício Macri, eleito no fim-de-semana, para substituir Mariano Recalde, que nos últimos anos esteve à frente da companhia aérea estatal argentina.

 Estado meteu 5 BI de dólares na companhia em sete anos
A Aerolíneas Argentinas e a companhia subsidiária Austral (marca que voa nos percursos regionais e em linhas de menor intensidade de passageiros com uma frota de aviões de menor capacidade) formam o grupo aéreo estatal, designado pelo nome da companhia principal, que tem sido nas últimas décadas um grande problema para os governos argentinos. Por circunstâncias várias, mas sobretudo pela sua falta de rentabilidade.
Renacionalizada há sete anos a Aerolíneas e a Austral têm sido um sorvedouro de dinheiros públicos. Estima-se que o Estado Argentino tenha colocado cerca de cinco mil milhões (bilhões no Brasil) de dólares norte-americanos, sem que isso tenha levado a uma boa saúde financeira das duas companhias aéreas. Este ano o Estado já colocou na Aerolíneas cerca de 550 milhões de dólares, para acudir sobretudo a problemas de tesouraria.
A confirmar-se a nomeação de Isela Costantini, a nova presidente da Aerolíneas Argentina, a partir de 10 de dezembro próximo, nasceu e estudou no Brasil, e, naturalmente, fala português.

fonte /foto/G1

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...